Vazamento de questões do Enem 2011 teria sido maior que o divulgado, diz procurador

Publicado em sábado, dezembro 10, 2011 ·

imagem google
imagem google

O procurador da República Oscar Costa Filho afirmou nesta sexta-feira (9) que o MEC (Ministério da Educação) foi informado pela Polícia Federal que mais alunos tiveram acesso às questões do pré-teste do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2011 antes da prova. O ministério já anulou esses itens para 639 alunos do Colégio Christus, de Fortaleza.

Segundo Costa Filho, os alunos do cursinho também tiveram acesso aos itens. O Inep (Insituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), órgão ligado ao MEC e responsável pela aplicação da prova, teria sido comunicado após enviar uma carta à polícia questionando se havia indícios de que mais gente teria tido acesso às questões.

“O MEC já está sabendo. Os alunos que tiveram acesso não são só aqueles 639. O próprio delegado informou, os alunos do cursinho do Christus [viram as questões]”, diz.

O ministério admite que enviou a correspondência à Polícia Federal há cerca de 15 dias. Questionado o porquê de mandar a carta tanto tempo depois da anulação dos itens, a assessoria do órgão diz não saber o motivo.

No entanto, o MEC afirma que as informações que recebeu da PF não seriam suficientes para provocar mais anulações. As respostas dadas pela polícia, diz o órgão, não seriam “conclusivas”. “A resposta da Polícia Federal manteve o entendimento do INEP de que a anulação das 14 questões deve ficar restrita ao universo de alunos do Colégio Christus”, afirma o ministério, em nota.

No dia 6, a Procuradoria da República no Ceará enviou um ofício à presidente do Inep, Malvina Tuttman, recomendando a anulação das 14 questões em todo o país. Tuttman tem dez dias para se manifestar.

Informações “privilegiadas”

O MPF (Ministério Público Federal) trabalha com a hipótese de que funcionários do próprio Inep teriam deliberadamente colocado no Enem 2011 as questões que estavam nos pré-testes aplicados no Christus.

De acordo com a procuradora da República Maria Candelária Di Ciero, há “veementes indícios de que o vazamento do Enem 2011 não se teria consumado sem a concorrência a informações privilegiadas oriundas de atores e processos sob responsabilidade do Inep/MEC, o que afasta a hipótese de um fenômeno que teve início e fim, exclusivamente,  no âmbito local”.

Questionado, o MEC afirmou que “vê nenhuma ação deliberada no sentido de colocar as questões de forma proposital”.

Imagens diovulgadas na internet por alunos de Fortaleza; segundo eles um colégio particular havia aplicado um trabalho com questões idênticas às do Enem 2011.

Imagens diovulgadas na internet por alunos de Fortaleza; segundo eles um colégio particular havia aplicado um trabalho com questões idênticas às do Enem 2011.

Imagens diovulgadas na internet por alunos de Fortaleza; segundo eles um colégio particular havia aplicado um trabalho com questões idênticas às do Enem 2011.

Imagens divulgadas na internet por alunos de Fortaleza; segundo eles um colégio particular havia aplicado um trabalho com questões idênticas às do Enem 2011

Reprodução de posts do Twitter em que estudantes dizem ter recebido algumas questões do Enem em material de um colégio particular de Fortaleza.

Reprodução de página do Facebook com as questões do caderno de treino dos alunos de Fortaleza.

Veja agora as questões da prova amarela com as respectivas imagens divulgadas na internet por alunos de Fortaleza; segundo eles um colégio particular havia aplicado um simulado com questões idênticas às do Enem 2011.

UOL

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627