Arquivo da tag: vítimas

Covid: onze pessoas morreram vítimas da doença nas últimas 24h na Paraíba

Nesta segunda, 28 de dezembro, a Paraíba registrou 578 novos casos de Covid-19 e 16 óbitos confirmados desde a última atualização, 11 deles ocorridos nas últimas 24h. Até o momento, 163.993 pessoas já contraíram a doença, 125.292 já se recuperaram e 3.635, infelizmente, faleceram. Até o momento, 527.060 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados.

A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 48%. Fazendo um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 45%. Em Campina Grande estão ocupados 50% dos leitos de UTI adulto e no sertão 68% dos leitos de UTI para adultos.

Os casos confirmados estão distribuídos por todos os 223 municípios paraibanos. A diferença de casos de ontem para hoje é de 578, nos quais 10 municípios concentram 537 novos casos, o que corresponde a 92,90% dos casos registrados nesta terça. São eles:

João Pessoa, com 447 novos casos, totalizando 41.251; Patos, com 42 novos casos, totalizando 6.999; Monteiro, com 12 novos casos, totalizando 1.522; Baraúna, com 09 novos casos, totalizando 154; Cabedelo, com 05 novos casos, totalizando 4.041; Cajazeiras, com 05 novos casos, totalizando 3.420; Taperoá, com 05 novos casos, totalizando 228; Campina Grande, com 04 novos casos, totalizando 15.270; Catolé do Rocha, com 04 novos casos, totalizando 1157; Desterro, com 04 novos casos, totalizando 129.

Até hoje, 192 cidades registraram óbitos por Covid-19. Os 16 óbitos registrados nesta segunda ocorreram entre 14 de novembro e 27 de dezembro, sendo 15 deles nas últimas 48h. Os pacientes tinham idade entre 45 e 92 anos.

Campina Grande (1), Itapororoca (1), João Pessoa (7), Juripiranga (1), Massaranduba (1), Marizópolis (1), Pitimbu (1), Pombal (1), São Sebastião (1) e Sousa (1).

 

PB Agora

 

Na PB: mulheres vítimas de violência terão assegurados sigilo de dados

As mulheres em situação de risco decorrente de violência doméstica e intrafamiliar, juntamente com os seus filhos e outros membros das suas famílias, terão o sigilo dos dados garantidos nos cadastros dos órgãos públicos do Estado. É o que prevê a Lei 11.791/2020, de autoria do deputado Nabor Wanderley, sancionada pelo governador João Azevêdo e publicada na edição desta quinta-feira (15) do Diário Oficial do Estado (DOE).

A Lei determina a proteção das mulheres em situação de risco ou qualquer outro tipo de violência visando assegurar sua integridade física e sobrevivência, assim como dos seus filhos. O sigilo dos dados cadastrais dos filhos das mulheres dar-se-á, sobretudo nos cadastros das Secretarias de Estado da Segurança e Defesa Social, da Educação e da Ciência e Tecnologia, e da Saúde, de forma a obstar ao autor das violências o acesso à mulher vítima.

O deputado Nabor Wanderley reforçou a preocupação da Assembleia Legislativa em garantir a proteção e o bem-estar da mulher paraibana. “A violência doméstica tem cada dia mais se agravado. Sabemos que é um momento de fazermos uma reflexão profunda contra essa violência doméstica, especialmente, contra as mulheres”, disse o autor da Lei.

A inserção no sigilo dos dados cadastrais acontecerá a partir do momento em que a mulher for atendida pelo primeiro órgão público do Estado. O Poder Público poderá celebrar convênios com os municípios da Paraíba, com vistas à ampliação da inserção do sigilo cadastral previsto na Lei.

agenciaalpb

 

Em reunião das Mulheres, Guga anuncia Auxílio Aluguel para mulheres vítimas de violência doméstica

Em reunião realizada na noite desta sexta no distrito de Vila Maia, denominada Mulheres do 25, o candidato a Prefeito de Bananeiras, Guga Aragão, anunciou o auxílio aluguel para mulheres vítimas de violência doméstica como uma proposta para seu governo.

Segundo Guga, o índice de reincidência em violência doméstica é alto justamente porque, muitas vezes em razão de não ter pra onde ir, a mulher violentada é obrigada a conviver no mesmo ambiente do agressor.

O auxílio aluguel permitiria que a mulher violentada ou ameaçada pudesse viver em segurança, com mais dignidade, podendo tocar a vida sem ter o terror da agressão ao lado.

O evento contou com a presença de várias mulheres do distrito de Vila Maia, da ex prefeita Marta Ramalho, das candidatas a vereadoras e representantes femininas dos candidatos a vereadores, além de Guga, Ramom, do prefeito Douglas e Ramalho Leite.

 

Assessoria

 

 

Estela defende criação de programa para custear moradia de mulheres vítimas de violência doméstica

A pauta da defesa das mulheres vítimas de violência é constante no mandato da deputada estadual Estela Bezerra. Para isso, tem discutido nas sessões da Assembleia Legislativa da Paraíba o crescimento da violência doméstica e a situação de vulnerabilidade que as mulheres têm passado, especialmente durante a pandemia do novo coronavírus.

Em requerimento aprovado na Assembleia Legislativa da Paraíba na sessão extraordinária desta quarta-feira (7), a deputada Estela Bezerra indicou ao Governador do Estado da Paraíba o Projeto de Lei que estabelece a criação do “Programa Aluguel Maria da Penha”, a ser pago às mulheres vítimas de violência doméstica no âmbito do Estado da Paraíba, por se tratar de iniciativa exclusiva do poder executivo.

O Projeto de Lei é inspirado na iniciativa do Governo do Estado do Maranhão, onde a legislação já foi aprovada por unanimidade e tem por respaldo a preocupação com a necessidade de romper com os ciclos de violência que afetam milhares de mulheres e seus filhos, e que dependem financeiramente dos maridos agressores.

 O Programa “Aluguel Maria da Penha”, tem como finalidade a promoção da proteção às mulheres e filhos (prioritariamente – quando houver) e manutenção de sua integridade física e emocional das vítimas.

 A proposta de Aluguel Social se traduz na garantia de auxílio financeiro à mulheres vítimas de violência doméstica, para aluguel temporário de moradia, no valor de 600 reais mensais, pelo período de um ano para mulheres que estejam sob medida protetiva e estejam impedidas de retomar para seus lares, em virtude do risco de sofrer qualquer risco de morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial.

 

Assessoria

 

 

Cresce nº de atendimentos de vítimas de acidentes de moto no fim de semana em JP e CG

O Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, realizou durante o fim de semana 346 atendimentos, sendo que 166 foram considerados casos graves ou gravíssimos. Nesse período, a unidade de saúde realizou 50 procedimentos cirúrgicos de alta e média complexidade. O balanço tem como base as entradas realizadas a partir das 18 horas da sexta (11) até às 7 horas desta segunda-feira (14).

Durante o fim de semana, as ocorrências envolvendo acidentes de motocicletas lideraram as entradas da emergência, com 71 casos, superando quedas (69). Outros casos de emergência registrados na unidade de saúde foram corpo estranho (40), trauma (19), agressão física (12), pancada (11), arma de fogo (11), acidente de bicicleta (nove), corte (sete), atropelamento (cinco), queimadura (quatro), arma branca (quatro), choque (três), agressão animal (dois) e acidente de automóvel (um). As demais ocorrências foram clínicas com destaques para Acidente Vascular Cerebral (12) e Acidente Vascular (quatro).

O bairro do Cristo lidera os atendimentos com 17 entradas, seguido por Mangabeira (15), Valentina (13), Mandacaru (11) e Alto do Mateus (nove). Já em relação aos municípios Santa Rita lidera com (25), Bayeux (14), Cabedelo (11), Mamanguape (seis) e Conde (seis).

Perfil – O Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena atende casos de urgência e emergência, contudo, muitos procuram a instituição para atendimentos clínicos, não levando em consideração o tipo de assistência prestada pela unidade de saúde, voltada para situações de média e alta complexidade, a exemplo de vítimas de trauma (acidentes e desastres), violência, queimadura, Acidente Vascular Cerebral (AVC) e hemorragias digestivas.

EM CAMPINA GRANDE

O Hospital Estadual de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes, em Campina Grande, atendeu 409 pacientes durante o fim de semana (12 e 13.9). O balanço tem como base as entradas realizadas a partir da zero hora do sábado (12) até as primeiras horas desta segunda-feira (14). Os casos envolvendo motos lideraram as entradas nos plantões, durante o período.

De acordo com a assessoria de imprensa do Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, dos 409 atendimentos, 82 foram vítimas de acidentes de moto. Ainda foram registrados casos de acidente de automóvel (oito), agressão física (quatro), vítimas de projéteis de arma de fogo (quatro) e arma branca (cinco), atropelamentos (três), acidentes com bicicleta (quatro) e queda (81). Os demais atendimentos médicos foram na clínica médica e na pediatria.

De acordo com relatório, o município de Campina Grande registrou 33 acidentes de motos nesse fim de semana, seguido por Lagoa Seca (cinco), Esperança (cinco), Barra de São Miguel (quatro) e Queimadas (três).

A unidade de saúde disponibiliza 298 leitos, 301 médicos, sendo 64 em regime de plantão presencial 24 horas. O hospital dispõe de seis salas no bloco cirúrgico e é referência em trauma para 203 municípios da Paraíba.

pbagora

 

 

Acidente em Guarabira deixa vítimas presas nas ferragens

No começo da noite deste domingo (23), um acidente grave foi registro na cidade de Guarabira, nas imediações do shopping Cidade Luz. Dois veículos se chocaram frontalmente e as vítimas ficaram presas nas ferragens.

De acordo com informações apuradas pela reportagem do Portal25horas, pelo menos 7 pessoas ficaram feridas, entre elas crianças. Ainda não há informações sobre estado de saúde dos feridos.

Viaturas da Polícia Militar e do pelotão do trânsito estiveram no local realizando os procedimentos de praxe. As vítimas foram encaminhadas ao Hospital Regional de Guarabira.

 

portal25horas

 

 

Covid-19: Guarabira chega a 3.657 casos confirmados e 48 vítimas fatais

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta terça-feira (11) que a cidade de Guarabira chegou a 3.657 caos de pessoas contaminadas com o novo coronavírus e desse total já foram 48 vítimas fatais da doença. A prefeitura alega que o grande número de casos ocorre porque são muitos os testes feitos e assegura que tem feito sua parte no combate à Covid-19.

Com bandeira amarela, com o comércio funcionando normalmente, o relaxamento das medidas restritivas tem aumentado o risco de contágio. Os casos graves da doença têm se avolumado e muitas famílias estão de luto pela perde de seus entes queridos.

Considerado um dos focos de contaminação, até pela aglomeração que ocorre diariamente, na agência da Caixa Econômica Federal de Guarabira longas filas se formam para pagamento do auxílio emergencial. São beneficiários de 17 municípios da região que recorrem à Guarabira porque não existe agências da Caixa nessas cidades.

Enquanto a cidade de Guarabira se aproxima de 4 mil casos de infectados com a Covid-19, e quase 50 pessoas já morreram, na Paraíba, 19 cidades têm menos de 10 casos confirmados e nenhuma morte até agora.

Serra Grande – 9 casos

Bom Jesus – 8 casos

Cacimba de Areia – 8 casos

Poço Dantas – 8 casos

Bernardino Batista – 7 casos

Frei Martinho – 7 casos

Vista Serrana – 7 casos

Algodão de Jandaíra – 6 casos

Lagoa – 6 casos

Santana de Mangueira – 6 casos

Vieirópolis – 6 casos

Parari – 5 casos

Prata – 5 casos

Boa Ventura – 4 casos

Camalaú – 2 casos

Curral Velho – 2 casos

Pedra Branca – 1 casos

São Domingos – 1 casos

São José de Princesa – 1 casos

 

portal25horas

 

 

Brasil está perto de 60 mil vítimas devido ao coronavírus

Foram registradas 1.271 mortes pela Covid-19 no Brasil nesta terça (30), e 37.997 novos casos da doença. O país chega assim a 59.656 mortos pelo novo coronavírus e a 1.408.485 casos.

Os dados são fruto de colaboração inédita entre Folha de S.Paulo, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo, G1 e UOL para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais. O balanço é fechado diariamente às 20h.

São Paulo registrou o maior número de mortes nesta terça, 365, e 6.235 novos casos. O estado já tem 14.763 mortes pelo novo coronavírus e 281.380 infecções pelo coronavírus Sars-CoV-2 diagnosticadas.

Com 232 mortes, o Rio de Janeiro é o segundo estado com maior número de óbitos registrados no último dia. Além disso, o estado registrou 728 novos casos. Ao todo, são 10.080 mortes pela doença e 112.611 casos.

O Brasil tem uma taxa de cerca de 28,5 mortos por 100 mil habitantes. Os Estados Unidos, que têm o maior número absoluto de mortos, e o Reino Unido, ambos à frente do Brasil na pandemia (ou seja, começaram a sofrer com o problema antes), têm 39 e 65,9 mortos para cada 100 mil habitantes, respectivamente.

Na Argentina, onde a pandemia desembarcou nove dias mais tarde que no Brasil e que seguiu uma quarentena muito mais rígida, o índice é de 2,9 mortes por 100 mil habitantes.

Os dados do boletim diário do Ministério da Saúde apontam 1.280 mortes registradas nas últimas 24 horas e 33.846 novos casos. Segundo a pasta, já ocorreram 59.594 mortes pela Covid-19 e foram diagnosticados 1.402.041 casos da doença.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitante.

 

FOLHAPRESS

 

 

Mulheres vítimas de violência terão acesso a abrigo provisório

Mulheres em situação de violência doméstica terão acesso ao serviço de abrigamento provisório na Paraíba até o mês de setembro. As vagas abertas em local sigiloso, a partir desta terça-feira (30), são resultantes de uma parceria do Governo do Estado, por meio da Secretaria da Mulher e da Diversidade Humana, do Instituto Avon e uma entidade da sociedade civil.

O projeto de serviço temporário foi criado para atender os casos de violência contra as mulheres, principalmente durante a pandemia do Covid-19, e vem se somar ao serviço da Casa Abrigo Aryane Thays.

Acesso ao abrigo

As vagas no abrigo provisório são para as mulheres que não estão sofrendo ameaças de morte, mas que querem romper o ciclo de violência. As mulheres podem acessar o serviço por 24 horas, numa urgência, ou até por semanas.

Para isso, elas precisam ser encaminhadas pelo Programa Integrado Patrulha Maria da Penha (PIPMP), a Casa-Abrigo Aryane Thais (CAAT), as Delegacias Especializadas de Atendimento às Mulheres (DEAMs) e demais serviços de atendimento que compõem a Rede de Atenção às Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Sexual (Reamcav), como Centros de Referências de Mulheres, Creas, Cras.

O serviço atenderá exclusivamente mulheres maiores de 18 anos de idade, em situação de violência doméstica e familiar, acompanhadas ou não de seus filhos; obrigatoriamente usuárias encaminhadas e referenciadas pelos serviços de atendimento e/ou enfrentamento da violência doméstica e familiar da Paraíba. Todas serão acompanhadas por uma equipe multiprofissional.

Os serviços que precisam encaminhar as mulheres podem entrar em contato com a Secretaria da Mulher e da Diversidade pelo telefone da coordenação (083 98690-6672) e e-mail (abrigamentoprovisoriopb@gmail.com) para envio dos encaminhamentos e relatórios psicossociais.

Outros serviços

A Semdh mantém o funcionamento do Centro de Referência da Mulher Fátima Lopes, em Campina Grande, o Centro Intermunicipal de Referência da Mulher, Maria Eliane Pereira dos Anjos, em Sumé, a Casa-Abrigo Aryane Thais e o Programa Integrado Patrulha Maria da Penha. Estes dois últimos mantidos em funcionamento presencial (obedecendo seus fluxos) e os demais com atendimento remoto (disponibilizados números de telefones para o atendimento e orientações).

  • Disque 197 (Disque Denúncia Polícia Civil)
  • 190 (Disque Denúncia Polícia Militar – Emergência)
  • Renovação de Medidas Protetivas Online (99146-7175)
  • Patrulha Maria da Penha (3221-1673)
  • Centros de Referência da Mulher Campina Grande (98826-8844) e Sumé (99400-7022)
  • Abrigamento provisório – (98690-6672)

 

portalcorreio

 

 

Irmãos de Guarabira morrem vítimas do novo coronavírus

As vítimas da pandemia da Covid-19 têm nomes e rostos famílias estão sendo destruídas pela maior crise sanitária da história. No Brasil mais de 43 mil pessoas desapareceram, tiveram sonhos interrompidos e famílias inteiras ficaram vazias.

A cidade de Guarabira acordou com a notícia da morte de dois irmãos, vítimas do novo coronavírus, doença causada pela Covid-19. A triste notícia foi confirmada por familiares na manhã desta terça-feira (16).

Os comerciantes Jean Carlos de Lima e Jones Costa de Lima foram diagnosticados com o vírus há cerca de 15 dias. Eles estavam internados no Hospital Metropolitano de Santa Rita, referência para infectados com o vírus, onde foram a óbito em decorrência dos sintomas e agravamento do quadro clínico.

Segundo informaram familiares, um deles contraiu o vírus e foi levado ao hospital em estado grave. Dias depois o outro apresentou os mesmos sintomas e também precisou ser hospitalizado.

Os irmãos eram casados e pai de filhos. Eles trabalhavam na comercialização de automóveis usados na cidade de Guarabira. De acordo com o radialista Wilton Moura, que é cunhado das vítimas, os corpos serão sepultados na cidade de Sapé.

A família e amigos estão chocados com a precoce morte dos irmãos que tinham planos em suas vidas e eram muito próximos.

Por causa da infecção com a Covid-19 não haverá velório e o sepultamento contará apenas com as presenças de alguns familiares que prestarão as últimas homenagens.

Redação com repórter Pedro Júnior