Arquivo da tag: vende

PB vende 5.357 carros financiados em julho

financiamento-carroA Paraíba financiou 5.357 veículos financiados em julho, queda de 12,3% em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados incluem automóveis leves, motos e pesados. Os autos leves atingiram 3.508 unidades financiadas. Desse total, 1.401 foram de automóveis zero quilômetro e 2.107 foram de usados.

O levantamento é da Unidade de Financiamentos da Cetip, que opera o maior banco de dados privado de informações sobre financiamentos de veículos do país, o Sistema Nacional de Gravames (SNG).

No mês, as motos totalizaram 1.772 financiamentos, recuo de 2,9% em relação a julho de 2015. Deste total, 96% foram de unidades zero quilômetro.

O Nordeste atingiu 66.569 veículos financiados no mês de julho, queda de 23,6% em relação ao mesmo período de 2015. O estado manteve a liderança nos financiamentos de motos em todo o Brasil, ao somar 19.503 unidades negociadas.

O total de veículos financiados no Brasil em julho somaram 382.585 unidades, entre automóveis leves, motocicletas, pesados e outros, uma queda de 16,9% em relação ao mesmo período do ano anterior. Veículos novos somaram 144.410 unidades vendidas a crédito, enquanto os usados chegaram a 238.175.

O SNG é uma base privada de abrangência nacional que reúne as informações sobre restrições financeiras de veículos dados como garantia em operações de concessão de crédito. Essa base é consultada e atualizada em tempo real pelas instituições financeiras.

Sobre a Cetip
A Cetip é a integradora do mercado financeiro. É uma companhia de capital aberto que oferece serviços de registro, central depositária, negociação e liquidação de ativos e títulos. Por meio de soluções de tecnologia e infraestrutura, proporciona liquidez, segurança e transparência para as operações financeiras, contribuindo para o desenvolvimento sustentável do mercado e da sociedade brasileira. A empresa é, também, a maior depositária de títulos privados de renda fixa da América Latina e a maior câmara de ativos privados do país.

Mais de 17 mil instituições utilizam os serviços da Cetip. Entre elas, fundos de investimento; bancos comerciais, múltiplos e de investimento; corretoras e distribuidoras; financeiras, consórcios, empresas de leasing e crédito imobiliário; cooperativas de crédito e investidores estrangeiros; e empresas não financeiras, como fundações, concessionárias de veículos e seguradoras. Milhões de pessoas físicas são beneficiadas todos os dias por produtos e serviços prestados pela companhia como processamento de TEDs e liquidação de DOCs, além de registro de CDBs e títulos de Renda Fixa, e serviço de entrega eletrônica das informações necessárias para o registro de contratos e anotações dos gravames pelos órgãos de trânsito.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Dono de bar inova e só vende fiado em Guarabira

neco-ratoFrases conhecidas dos freqüentadores de bares como “Fiado só amanhã” ou “Não vendo fiado” não ‘incomodam’ os clientes do Seu ‘Neco Rato’, comerciante há 40 anos da cidade de Guarabira, no Brejo Paraibano.

É que há 10 anos, Seu Neco criou o que ele chama de ‘Prego Card’, uma maneira irreverente de vender a prazo aos seus clientes. Agora, se o freguês demorar a pagar vai parar no mural com as fotos dos devedores que Seu Neco expõe na parede do bar.

Apesar da tecnologia, Neco Rato não se separa de sua caderneta para cobrar as dívidas pendentes. Ele revela uma estratégia ‘diferente’ para tentar receber o dinheiro, sem constranger o devedor. “Primeiro eu peço a um amigo em comum para mandar lembranças para quem está me devendo, depois se não tiver jeito, aí a lembrança é dada via emissora de rádio”, comentou.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

A inseparável cadernetinha de Seu Neco

MaisPB

Livro de Edir Macedo atrai filas e PB vende mais de 20 mil exemplares durante lançamento

Demétrio Koch
Demétrio Koch

O livro Nada a Perder – Volume 3, de autoria do Bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), com Douglas Tavolaro, , diretor de Jornalismo da Rede Record, foi lançado na manhã de ontem, em João Pessoa, na casa de shows Domus Hall, no Manaíra Shopping. Só na Paraíba, pelo menos 21,5 mil exemplares foram vendidos. O público lotou o local para levar o livro autografado por dois pastores e um bispo. Edir Macedo não compareceu ao lançamento.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O pintor Washington Luiz de França comprou oito livros. “Um deles é meu e os demais serão presentes para amigos e familiares”, destacou. O estudante Cléber Nascimento tem as duas edições anteriores. “Traz a história de luta do Bispo Macedo, sua fé sobrenatural”, declarou.

Os pastores Jorge Araújo e Nilton Duarte, além do Bispo José de Holanda, da Igreja Universal de João Pessoa, foram os responsáveis por autografar os livros.

“Esta obra leva as pessoas a conhecerem a história da Igreja Universal, do Bispo Macedo, retratando a realidade da vida, mostrando como a fé o levou do coreto de uma praça onde pregava para o templo de Salomão”, resumiu o Bispo José de Holanda. A Igreja Universal está presente em mais de 180 países.

Os três livros relatam detalhes dos mais de 35 anos de fundação da IURD. O primeiro volume traz relatos sobre questões polêmicas, dificuldades enfrentadas, momentos de superação. O segundo traz informações sobre a compra da primeira rádio e da TV Record e a construção da réplica do Templo de Salomão.

 

Jornal Correio da Paraíba

Funerária de João Pessoa vende caixões com escudos de times de futebol

Reprodução/TV Correio HD
Reprodução/TV Correio HD

Torcedor e time do coração poderão continuar juntos eternamente e nem a morte vai separá-los. Esse é o objetivo da Funerária Amor Eterno, de João Pessoa, que há mais de um ano vende caixões de times brasileiros.

José Teodozio, dono da funerária, disse que a ideia de vender urnas funerárias estilizadas de times brasileiros surgiu quando pessoas insinuaram o desejo de serem sepultadas em caixões do time do coração. “Um rapaz passou oferecendo daí comprei. Foi um sucesso”.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Comprados de uma fornecedora de Santa Cataria, eles são vendidos por R$ 1.300. Os campeões de venda são de Flamengo e Vasco, times mais populares no Nordeste e Brasil. “Já vendi caixões dos dois times. Teve o caso de um jovem, que era torcedor do Flamengo, e morreu aqui em João Pessoa. A mãe dele comprou o caixão e enterrou o filho, como forma da última homenagem”, falou Teodozio.

Há alguns meses, nenhum caixão com símbolo do time foi vendido. Porém, a funerária dispõe de urnas com escudos do Grêmio, Flamengo, Vasco e até da Copa do Mundo, a espera de um torcedor.

 

portalcorreio

Mesmo com confusão na copa, Liverpool vende Luis Suárez ao Barcelona por R$ 264 milhões, garante site

suarezUm dos assuntos mais falados na imprensa europeia tem sido a negociação entre Barcelona e Luis Suárez. O acordo já foi dado como certo no fim da semana passada, e até uma redução na pedida do Liverpool foi noticiada recentemente. No entanto, o site “goal.com” garante que somente nesta quarta-feira, o clube catalão chegou a um acordo pelo uruguaio.

No noticiário, o que se vê é um desencontro entre os valores. Na quarta, rádio catalã “Cadena Ser” divulgou que o Barça havia convencido os Reds a reduzirem o cláusula rescisória de Luisito de € 95 milhões (cerca de R$ 286 milhões) para algo próximo a € 73 milhões (R$ 220 milhões). Já nesta quinta, o “goal.com” garante que o negócio foi fechado por € 88 milhões (R$ 265 milhões).

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Ainda de acordo com o portal, a negociação vinha se arrastando um pouco mais do que o esperado porque o Liverpool exigia receber boa parte do montante total em um primeiro momento. Agora, restam apenas formalidades para que o uruguaio, de 27 anos, seja apresentado.

Enquanto Suárez descansa com a família, em Montevidéu, e os veículos de imprensa especulam os detalhes da transferência, uma loja na Catalunha já vende uniformes com o número 9 e o nome do atacante. O jeito é aguardar o desenrolar dessa história.

Extra

Sem divulgar, McDonald’s vende arroz e feijão no Brasil desde 2010

 

arroz-mcdonaldPraticamente ninguém sabia, mas é possível comer arroz e feijão nas lojas McDonald’s do Brasil desde 2010, informou nesta terça-feira (13) a Arcos Dorados, controladora dos restaurantes da rede no Brasil e na América Latina.

O “item secreto” do cardápio foi confirmado pela empresa após reportagem da “Bloomberg” revelar que a rede possui uma lista de pratos executivos com arroz e feijão que fica escondida embaixo do balcão somente para os clientes que solicitarem.

Procurado pelo G1, o McDonald’s informou que os pratos executivos com arroz e feijão são comercializados desde 2010 nos restaurantes próprios da rede, desde que solicitados pelo cliente.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Servimos para o cliente o que servimos internamente e vice-versa. O prato, no entanto, não é e nem deve ser anunciado pela loja, já que não faz parte da ‘estratégia de marketing’ e nem é a especialidade do McDonald’s”, disse, em comunicado, Ana Apolaro, diretora de recursos humanos do McDonald’s.

Com o título “O lanche feliz brasileiro que o McDonald’s não quer mostrar”, a reportagem da Bloomberg afirma que o McDonald’s passou a fornecer o prato depois que funcionários rejeitaram o cardápio regular de hambúrgueres e batata frita nos intervalos do expediente e apresentaram uma denúncia ao Ministério Público do Trabalho.

Segundo a agência de notícia, ainda que os pratos executivos sejam mantidos em segredo, eles estão à venda para evitar as críticas de que a rede esteja servindo refeições especiais aos funcionários que os clientes não podem comprar.

Além do arroz com feijão, cada prato executivo vem com a opção dos hambúrgueres de frango, peixe ou carne bovina servidos no cardápio regular e uma salada. Segundo o McDonald’s, a refeição custa R$ 23.

A reportagem da Bloomberg lembra que, em 2012, um termo de ajuste de conduta com o Ministério Público do Trabalho exigiu que a operadora Arcos Dorados fornecesse refeições tradicionais sem custo a seus funcionários para solicitar a redução do imposto de renda.

Presente em mais de 100 países, o McDonald’s tem procurado oferecer comida adaptada aos gostos locais. Na China, por exemplo, são oferecidos pratos com arroz. Em Hong Kong, o cardápio inclui bolo de feijão vermelho.

Como patrocinadora da Copa do Mundo, o McDonald’s lançou neste mês uma linha de sanduíches com ingredientes para homenagear 7 países participantes: Brasil, Argentina, Espanha, França, Itália, Alemanha e Estados Unidos.

McDonald's afirma em rede social que Big Mac 'ganha' de arroz e feijão (Foto: Divulgação)McDonald’s fala em rede social sobre o arroz e feijão, comercializados desde 2010 (Foto: Divulgação)

G1

Na TV, pastor vende tijolo “para obra de Deus” por R$ 200

valdomiroA criatividade de pastores e outros líderes religiosos para obter doações de fieis é muito antiga, da venda de miniaturas da arca da aliança a paninhos empapados de suor do pastor; da cobrança de dízimo em débito automático ao “desafio” financeiro que o fiel deve pagar suaves prestações no carnê; da venda de caríssimas caravanas à Terra Santa às vigílias do enriquecimento etc.

Hoje em dia vale quase que absolutamente tudo para fazer valer a chamada teoria da prosperidade, defendida por tantas igrejas…

A Igreja Mundial do Poder de Deus não fica atrás. Seu líder, o intitulado apóstolo Valdemiro Santiago, está anunciando na TV a venda do “tijolo da obra de Deus”. Trata-se de um tijolinho de plástico, até que fofinho, que o fiel deve comprar por, no mínimo, R$ 200. Com isso, além de ganhar o mimo ele está “investindo” na reconstrução da obra de Deus” e da sua própria vida. “Você não pode ficar de fora. Você já investiu em tanta coisa nessa vida…”, prega Santiago na TV (veja o vídeo e o tijolinho).

ARRANHA-CÉU – Segundo Santiago, estão “separados” 100 mil tijolinhos para que os fiéis os adquiram. Se conseguir vender tudo, a Igreja Mundial arrecadará em torno de R$ 20 milhões –suficente para a construção de um edifício. O próximo passo, especula-se na igreja, seria a venda da “argamassinha de Deus”. Afinal, é preciso assentar os tijolos.

F5

Em Baraúna (PB), agricultor vende moto a desconhecido e recebe como pagamento R$ 3.700,00 em notas falsas

Por volta das 10hs deste domingo,25/11, o senhor Evangelista, mas conhecido por Nininho Venâncio, agricultor de 73 anos, da cidade de Baraúna se dirigiu a feira em sua motocicleta, HONDA TITAN 125 cc, de cor vermelha 2002, após um tempo chegou um senhor por volta dos seus 50 anos de bigode grisalho, com aproximadamente 1,70m a 1,75m, camisa azul clara e boné azul questionando se o mesmo venderia a moto, surpreso pela pergunta seu Nininho informou que se alguém pagasse R$3.700(três mil e setecentos reais) por ela a venderia na hora.
O senhor estranho disse que pagaria esse valor pela moto mas gostaria de verificar os documentos da mesma, então seu Nininho levou o estranho a sua casa  e mostrou o documento, após conferir que a moto estava em ordem o estranho foi embora informando que iria na cidade buscar o restante do dinheiro para efetuar o pagamento, após uma hora o estranho voltou com R$3.700,00 em notas de R$100, e de R$50,00 e com isso o seu Nininho entregou a sua moto e todos os documentos referente a mesma.
Após o estranho ir embora seu Nininho ao conferir o dinheiro teve uma surpresa desagradável de que TODAS as notas eram FALSAS, tentou ir atrás do acusado mas não o encontrou e pediu apoio a guarnição da Polícia Militar da cidade de Baraúna que realizou rondas na localidade afim de encontrar o acusado mais até o momento ninguém foi preso.
Seu Nininho foi encaminhado a Delegacia Regional de Picuí afim de registrar o fato e entregar as notas falsas, já que portar, guardar ou repassar notas falsas é crime cabível de cadeia.
Curiosidades das notas falsas apreendidas.

Para imitar a faixa holográfica das notas originais o falsário utilizou de glitter e por cima afixou uma fita transparente afim de enganar algum leigo principalmente que morasse na zona rural porque a falsificação apesar de ser uma xerox muito bem feita, mostra evidências claras de que são falsas, pelo tipo de papel muito liso, sem a presença de marca d’água, os números de séries de grande parte das notas de R$100,00 era a mesma numeração, e das de R$50,00, eram apenas duas numeração.

*********

Após a verificação junto com o dono foi possível localizar os dados da moto que havia sido “vendida” com dinheiro falso.
Trata-se de uma CG HONDA TITAN KS 125CC, ano/modelo:2002, chassi:9C2JC30102R166096, placa: MNF-2333/PB, VERMELHA, RENAVAM nº779897420.

Quem tiver informação sobre esta moto ou quem esteja com ela ligar imediatamente para 197 dando informações sobre esta pessoa que além de ter roubado a moto é responsável por distribuir notas falsas na região.

Setimaregional para o Focando a Notícia

Empresa vende seguro-caixão por SMS a R$ 1,50 por mês; Procon alerta

De olho nos consumidores das classes C, D e E, a Generali acaba de colocar no mercado um seguro que pode ser contratado de maneira muito simples: pelo celular. O “Generali Proteção Premiada” é destinado a clientes dos planos pré-pagos da operadora TIM. O Procon, no entanto, sugere atenção redobrada na hora da contratação.

O seguro custa R$ 1,50 por mês e dá direito a três benefícios. Um deles é o auxílio-funeral para casos de morte por  acidente (se a pessoa morrer de uma doença ou por causas naturais, o beneficiário não recebe nada). Se o cliente morrer, a pessoa que ele indicou como beneficiária do seguro terá direito a até R$ 1.000 para usar nas despesas do enterro.

O seguro também oferece assistência para o caso de o cliente ser vítima de algum crime. Essa assistência não é financeira, mas dada por meio de transporte de emergência para um hospital, por exemplo, ou serviço de um chaveiro.

O outro benefício do seguro é que o cliente pode concorrer a dez prêmios semanais de R$ 500 em sorteios.

Contrato é acessado pela internet

A contratação simplificada é o diferencial do seguro, diz o diretor de marketing e novos canais da Generali Brasil Seguros, Luigi Barcarolo. “É uma forma de contratação inovadora no mercado brasileiro e talvez no mundo”, diz.

A oferta, segundo Barcarolo, é feita apenas para clientes pré-pagos da TIM que tenham aceitado previamente receber propagandas do tipo pelo celular. Para aderir, basta que o cliente envie uma resposta, também por SMS, com a palavra “seguro”. As regras do seguro podem ser acessadaspela internet. Outra opção é contratar enviando a palavra “seguro” diretamente para o número 4004.

“É o primeiro seguro da empresa voltado para consumidores dessa faixa de renda. Muitas delas nunca compraram seguros antes”, diz Barcarolo.

Facilidade esconde contrapartida ‘perigosa’, diz Procon

A facilidade na contratação não deve, no entanto, fazer com que o consumidor deixe de tomar alguns cuidados, alerta a especialista em defesa do consumidor do Procon de São Paulo Renata Reis.

Ela diz que, antes de aderir a um seguro por SMS, o consumidor precisa ler o contrato atentamente. “A contratação simplificada tem uma contrapartida perigosa, que é o consumidor não ter a real noção das regras do produto ao qual está aderindo. Temos um histórico grande de reclamações contra seguradoras no Procon, até mesmo das contratações feitas por meio de corretores”, diz Renata Reis.

Para a especialista, acessar o contrato pela internet também não é uma boa opção. “O mercado de seguros tem um vocabulário muito particular. O consumidor não tem condições de diferenciar, sozinho, um furto ‘simples’ de um furto ‘qualificado’, por exemplo.” O ideal, para ela, é que o consumidor tire esse tipo de dúvida antes da contratação.

Mas, caso o consumidor contrate um seguro por SMS ou outro meio remoto (internet, por exemplo) e se arrependa, ele pode desistir do produto em até sete dias úteis, sem ônus, segundo o Código de Defesa do Consumidor. “A empresa que oferece esse tipo de contratação precisa assumir esse risco”, diz Renata Reis.

UOL

Compra de votos: quem vende também pratica crime


Neste período, vale apena meditar um pouco sobre a compra de votos.

A compra de votos é algo comum no universo brasileiro. Herdado do Brasil colonial, no período onde os barões mandavam em seus funcionários em quem votar, essa cultura continua até hoje, mas substituída pelo dinheiro ou favores.

O problema é que nem todos sabem que a compra de votos é considerado crime assim como a venda do mesmo. Ou seja, quem vende o voto para um político no período eleitoral também está na mira da Justiça.

No caso de compra de votos, o que pesa é quanto aquela infração vai alterar a eleição.

Quando um candidato compra um eleitor com um saco de batatas por exemplo, é considerado captação ilícita de sufrágio.

A gravidade deste crime é menor quando comparada com o político que de alguma forma, compra os votos de um bairro inteiro.

Neste caso, é considerado abuso de poder econômico.

A lei brasileira é clara neste aspecto.

O artigo 299 do código eleitoral brasileiro fala que é considerado crime eleitoral

“dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber, para si ou para outrem, dinheiro, dádiva, ou qualquer outra vantagem, para obter ou dar voto e para conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não seja aceita”

A lei prevê pena neste tipo de crime de um a quatro anos de cadeia, além de pagamento de cinco até quinze dias/multa.

Além de tudo é imoral.

André Alexsandro/ Rádio Integração do Brejo para o Focando a Notícia