Arquivo da tag: testes

“A capacidade de testes vai aumentar em 200%” garante secretário de Saúde sobre nova liberação de insumos para a PB

O secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros, declarou nesta quinta-feira (30), em entrevista ao Sistema Arapuan que a Paraíba já testou 240 mil pessoas para o novo coronavírus e que a nova liberação dos insumos pelo Ministério da Saúde aumentará a capacidade em 200%.

Geraldo explicou que os testes serão os de swab nasal, que tem um maior rendimento no diagnóstico e desta forma aumentará a capacidade de controle da covid-19 na Paraíba.

O auxiliar do governador João Azevêdo ainda reforçou a importância de que, mesmo com as medidas de flexibilização, a população continue tomando os cuidados necessários e realizando medidas de prevenção, a fim de que não haja uma nova onda de contaminação no estado.

“O vírus está presente e se as pessoas se aglomerarem vai aumentar número de casos e só teremos sossego quando tivermos uma vacinação em massa. As pessoas no fim de semana irão aos bares e restaurantes e têm que seguir os protocolos, que são essenciais para não haver contaminação grosseira, nem um grau de propagação, senão será uma nova preocupação no sentido de evitar o colapso da rede”, pontuou.

Com relação aos leitos de UTI e de enfermaria disponíveis na Paraíba, Geraldo declarou que a desativação do Hospital Solidário foi pensada com cautela e que a rede estadual de Saúde está conseguindo suprir a demanda de novos casos.

“As pessoas precisam entender que 85% dos casos de covid-19 são tratados em casa, com poucos sintomas, 15% necessitam de atendimento hospitalar, desses 10% são para enfermaria e 5% de UTI e com a ativação do Hospital Santa Paula vão abrir 150, sendo 130 de enfermaria e 20 de UTI” declarou.

PB Agora

 

Testes rápidos aplicados em massa apresentam grandes chances de falsos negativos e são um risco, segundo alerta especialista

Com alta chance de falsos negativos, e sendo incapaz de detectar o vírus desde o primeiro dia de transmissão, a utilização de testes rápidos para controle epidemiológico pode ter efeito contrário ao esperado, criando grande risco no momento de reabertura gradual das atividades

No momento em que várias cidades iniciam a volta às atividades em níveis controlados, ganha ainda mais importância a necessidade de se realizar testes em massa seguros, para que seja possível mapear e conter, de forma 100% eficaz, a disseminação pelo SARS-CoV-2. Contudo, os testes em massa realizados atualmente são imunoensaios – em sua quase totalidade na forma de testes rápidos baseados em antígenos e anticorpos -, que apresentam grandes chances de falso negativo se não aplicados corretamente, e principalmente por não serem capazes de detectar o vírus a partir do primeiro dia de contágio.

O mais indicado para a realização de testes em massa na fase aguda da pandemia, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), é o teste PCR, que detecta com quase 100% de precisão a presença do vírus SARS-CoV-2 já a partir do primeiro dia de contágio. Seguindo os protocolos das instituições internacionais CDC (Centro de Prevenção e Controle de Doenças, Estados Unidos) e OMS (Organização Mundial da Saúde, Brasil), é o teste indicado para a contenção do avanço da doença. Aproximadamente 80% das pessoas contaminadas não apresentam sintomas, porém podem disseminar o vírus.

“Sem a testagem pelo método PCR, que permite detectar vírus SARS-Cov-2 já a partir do primeiro dia de contaminação, o vírus continuará se alastrando no País de forma descontrolada”, afirma a biomédica Dra. Alexandra Reis, diretora Científica da Testes Moleculares, expert em padronização e desenvolvimento de exames moleculares em laboratório de rotina, que participou de diversos projetos de saúde, públicos e privados e é Ph.D. em vírus respiratórios pela FM USP. Ela explica que o efeito pode ser o contrário do que se espera com a aplicação em massa de testes rápidos, pois, em vez de controlar, se dará a percepção de falsa segurança, fazendo com que as pessoas continuem contaminando umas às outras.

A questão é que ainda há um desconhecimento grande sobre quais são as características de cada um dos testes e sua eficácia real. “Falta informação sobre qual a melhor metodologia para conduzir a testagem em massa. Muitas vezes a opção é pelo teste de menor custo, mas, ao final, isso pode ter um ônus enorme para a saúde e segurança da população”, acrescenta Alexandra.

A Testes Moleculares está à frente do programa de testes em massa em andamento no município de Parauapebas, no Pará, que já testou cerca de 20 mil pessoas, e a previsão é testar 50% da população. É o maior programa de teste em massa pela metodologia PCR em um único município no País.

Entenda melhor a diferença entre os testes rápidos e o teste molecular:

Teste PCR

Detecta com altíssima precisão a presença do vírus SARS-CoV-2 em tempo real, ou seja, a partir do dia 01 de infecção. Este teste oferece um resultado confiável e definitivo, que corresponde ao exato momento da presença do vírus no corpo do paciente. Não requer coleta de sangue e é considerado o exame padrão-ouro para o diagnóstico da presença do RNA viral do SARS-CoV-2. A metodologia utilizada pela Testes Moleculares prevê a coleta de 2 swabs de nasofaringe e a análise de três pontos do gene do vírus, garantindo total eficácia na análise e nos resultados. Para realizar o teste, o paciente não precisa estar com qualquer sintoma da COVID-19.

Imunoensaio (ELISA)

Os imunoensaios são testes usados para detectar a presença de anticorpos ou antígeno para o patógeno em questão, ou seja, para avaliar a resposta imunológica do indivíduo. Este método é indicado para estágios mais avançados da doença, entre 09 a 10 dias após a infecção pelo vírus, pois ele não é detectado no período de janela imunológica. Nesse prazo, o paciente já desenvolveu os sintomas, e pode ter disseminado para outras pessoas. Ele é necessário em uma fase mais avançada da pandemia, principalmente para mapeamento epidemiológico, e, considerando que há muito a entender sobre a permanência da resposta imunológica das pessoas frente a este vírus.

Teste rápido (Antígeno)

Os testes rápidos por imunocromatografia, que detectam proteínas próprias do vírus na amostra (partícula viral a partir do 5º dia de apresentação de sintomas), é considerado um teste com baixa sensibilidade por ter uma grande chance de apresentar um resultado falso negativo. Isso pode expor a população e contribuir disseminar o vírus mais rapidamente.
Assessoria

 

Vacina chinesa contra Covid-19 começa nova fase de testes este mês

Os testes da fase 3 da vacina Coronavac, contra o novo coronavírus, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, que foram autorizados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), começarão no próximo dia 20.

É a segunda liberação de testes pelo órgão. No dia 2 de junho, a Anvisa havia dado o aval à Universidade de Oxford, no Reino Unido.

Na semana que vem, chegarão os lotes da vacina vindos da China e será iniciado o processo de distribuição para os centros de pesquisa.

A pesquisa clínica será comandada pelo Instituto Butantan. O objetivo é testar 9.000 profissionais de saúde de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Brasília, Rio Grande do Sul e Minas Gerais.

“Essa é uma etapa de fundamental importância na vida do país e na vida e na saúde de milhões de brasileiros.

Os voluntários deverão se cadastrar a partir de 13 de julho, por meio de um aplicativo. Na sexta-feira (10), o governo divulgará as informações para a inscrição.

Para participar dos testes, é preciso ser maior de 18 anos, não ter infecção prévia e nem doenças ou alterações que impeçam a vacinação, não participar de outros estudos e não estar grávida.

Os participantes dos testes atuarão no atendimento a pacientes com Covid-19.

Os testes da fase 1 e 2 já foram feitos em animais e seres humanos adultos saudáveis, respectivamente.

Desde o início da pandemia até esta segunda-feira (6), o estado de São Paulo somou 323.070 casos de Covid-19, de acordo com dados apresentados pelo coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus, Paulo Menezes.

O número de infectados é 1% maior que o registrado neste domingo (5), quando a contagem chegou a 320.179.

Em relação aos óbitos, o aumento foi menor que 0,5%, passando de 16.078 para 16.134. A taxa de letalidade pela doença está em 5%.

“Nós já realizamos aqui em São Paulo mais de um milhão de testes. Estatisticamente, teremos mais casos, como já tem ocorrido nas últimas semanas. E por quê? Porque estamos testando mais e vamos continuar a testar”, afirma o governador João Doria durante entrevista.

Doria anunciou a distribuição de mais de meio milhão de testes para o estado.

“Melhorar o diagnóstico aumenta o conhecimento da pandemia e reduz as subnotificações. O objetivo principal é reduzir a curva de óbitos e isso nós estamos conseguindo em São Paulo”, diz Doria.

Pela segunda semana consecutiva, São Paulo teve queda no número de óbitos por Covid-19.

Houve uma diminuição de 36 mortes na semana que acabou no último domingo em relação à anterior.

Se compararmos os períodos, foram 1,769 óbitos contra 1.733. a taxa de letalidade está em 5%. É o índice mais baixo de toda a série histórica.

A taxa de ocupação de leitos de UTI está em 63,9% no estado e 63,3% na Grande São Paulo. Internados nas UTIs com confirmação ou suspeita da doença somam 5.501 pacientes; outros 8.023 estão nas enfermarias.

 

FOLHAPRESS

 

 

Covid-19: PB já fez mais de 144 mil testes; 50.765 pessoas já testaram positivo

Com base em novo boletim epidemiológico divulgado nesta sexta-feira (3), a Paraíba já realizou nas últimas 24h, 144.872 testes para diagnóstico da Covid-19. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), 50.765 pessoas testaram positivo para a covid-19.

De acordo com a SES, nas últimas 24h, 18 mortes decorrentes da contaminação pelo novo coronavírus foram registradas. No mesmo período, 1.229 novos casos de Covid-19 foram contabilizados.

Entre os pacientes que contraíram a doença, ainda com base em informações repassadas pela SES, 16.971 já se recuperaram e 1.062 faleceram.

Os últimos óbitos contabilizados como resultantes da infecção pelo novo coronavírus aconteceram nas seguintes cidades:

Alagoa Grande (1), Campina Grande (7), Capim (2), João Pessoa (3), Lagoa Seca (1), Mamanguape (3) e Santa Luzia (1).

Os casos confirmados estão distribuídos por 218 dos 223 municípios paraibanos:

Água Branca (33); Aguiar (16); Alagoa Grande (435); Alagoa Nova (167); Alagoinha (476); Alcantil (21); Algodão de Jandaíra (3); Alhandra (358); Amparo (12); Aparecida (30); Araçagi (299); Arara (92); Araruna (95); Areia (169); Areia de Baraúnas (1); Areial (30); Aroeiras (95); Assunção (26); Baia da Traição (200); Bananeiras (80); Baraúna (113); Barra de Santa Rosa (18); Barra de Santana (59); Barra de São Miguel (7); Bayeux (919); Belém (328); Belém do Brejo do Cruz (9); Bernardino Batista (3); Boa Ventura (2); Boa Vista (51); Bom Jesus (6); Bom Sucesso (7); Bonito de Santa Fé (2); Boqueirão (144); Borborema (7); Brejo do Cruz (113); Brejo dos Santos (7); Caaporã (763); Cabaceiras (11); Cabedelo (1914); Cachoeira dos Índios (44); Cacimba de Areia (7); Cacimba de Dentro (50); Cacimbas (40); Caiçara (238); Cajazeiras (601); Cajazeirinhas (1); Caldas Brandão (96); Camalaú (1); Campina Grande (6900); Capim (103); Caraúbas (23); Carrapateira (19); Casserengue (125); Catingueira (14), Catolé do Rocha (166); Caturité (60); Conceição (34); Condado (79); Conde (407); Congo (36); Coremas (37); Coxixola (12); Cruz do Espírito Santo (183); Cubati (44); Cuité (109); Cuité de Mamanguape (57); Cuitegí (140); Curral de Cima (16); Curral Velho (1), Damião (3); Desterro (34); Diamante (3); Dona Inês (24); Duas Estradas (42); Emas (3); Esperança (266); Fagundes (47); Frei Martinho (3); Gado Bravo (69); Guarabira (2374); Gurinhém (202); Gurjão (19); Ibiara (11); Igaracy (4); Imaculada (14); Ingá (380); Itabaiana (661); Itaporanga (45); Itapororoca (212); Itatuba (149); Jacaraú (133); Jericó (5); João Pessoa (14208); Joca Claudino (2); Juarez Távora (161); Juazeirinho (107); Junco do Seridó (26); Juripiranga (320); Juru (11); Lagoa (3); Lagoa de Dentro (44); Lagoa Seca (429); Lastro (13); Livramento (43); Logradouro (59); Lucena (191); Mãe d’Água (12); Malta (19); Mamanguape (1354); Manaíra (7); Marcação (48); Mari (421); Marizópolis (7); Massaranduba (159); Mataraca (87); Matinhas (44); Mato Grosso (7); Matureia (24); Mogeiro (76); Montadas (32); Monteiro (104); Mulungu (187); Natuba (43); Nazarezinho (7); Nova Floresta (17), Nova Olinda (6); Nova Palmeira (35); Olho D´Água (30); Olivedos (36);Parari (4); Passagem (29); Patos (1509); Paulista (64); Pedra Lavrada (22); Pedras de Fogo (988); Pedro Régis (26); Piancó (61); Picuí (88); Pilar (153); Pilões (37); Pilõezinhos (162); Pirpirituba (98); Pitimbu (491); Pocinhos (61);Poço Dantas (3); Pombal (161); Prata (3); Princesa Isabel (40); Puxinanã (187);Queimadas (550); Quixaba (26); Remígio (160); Riachão (25); Riachão do Bacamarte (188);Riachão do Poço (33); Riacho de Santo Antônio (16); Riacho dos Cavalos (4); Rio Tinto (529); Salgadinho (10); Salgado de São Felix (103); Santa Cecília (20); Santa Cruz (13); Santa Helena (10); Santa Inês (12);Santa Luzia (171); Santa Rita (1292); Santa Terezinha (30); Santana de Mangueira (1); Santana dos Garrotes (6); Santo André (5); São Bentinho (20); São Bento (588); São Domingos do Cariri (14);São Francisco (7);São João do Cariri (28); São João do Rio do Peixe (49); São João do Tigre (4); São José da Lagoa Tapada (19); São José de Caiana (28); São José de Espinharas (7); São José de Piranhas (71); São José de Princesa (1); São José do Bonfim (50); São José do Brejo do Cruz (4); São José do Sabugi (163); São José dos Cordeiros (4); São José dos Ramos (93); São Mamede (31); São Miguel de Taipu (70); São Sebastião de Lagoa de Roça (124); São Sebastião do Umbuzeiro (4); São Vicente do Seridó (23); Sapé (548); Serra Branca (55); Serra da Raíz (12); Serra Grande (6); Serra Redonda (142); Serraria (28); Sertãozinho (39); Sobrado (74); Solânea (174); Soledade (89); Sossego (5), Sousa (575); Sumé (67); Tacima (67); Taperoá (51); Tavares (26); Teixeira (75); Tenório (11); Triunfo (8); Uiraúna (26); Umbuzeiro (34); Várzea (7); Vieirópolis (4); Vista Serrana (2), Zabelê (1).

A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 62%. Fazendo umrecorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 70%. Em Campina Grande, estão ocupados 64% dos leitos de UTI adulto e no sertão, 54% dos leitos de UTI para adultos. 

O índice de Isolamento Social foi de apenas 40%, considerado baixo em relação à meta de 70% e à mínima de 50%.

 

PB Agora

 

 

Mais de 45 mil testes rápidos para Covid-19 são distribuídos para cidades da Paraíba

Mais 45,2 mil testes rápidos de Covid-19 são distribuídos para os municípios paraibanos nesta segunda (11) e terça-feira (12). Para esta semana, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) ainda aguarda a chegada de mais 110 mil novos testes.

Seguindo orientações do Guia da Vigilância Epidemiológica, os testes devem ser usados como uma ferramenta para auxílio do diagnóstico da Covid-19.

De acordo com a secretária executiva de Saúde da Paraíba, Renata Nóbrega, são dois tipos de testes rápidos encaminhados: o SARS-CoV-2 Antibodytest, direcionado para os profissionais da saúde, segurança pública, familiares sintomáticos e população idosa com diagnóstico de síndrome gripal; e o Kit MedTestCoronavirus (Covid-19) IgG/IgM, direcionado para o restante da população.

Para a distribuição das unidades, a SES afirma que utiliza critérios como o número de fichas e-SUS VE abertas no sistema por município de residência, o número de idosos positivos para Covid-19 nos territórios onde se concentram o maior número de casos positivos e os municípios que ainda não estavam com testes disponíveis para os profissionais de saúde e segurança.

São testes qualitativos para triagem e auxílio diagnóstico, porém apresentam limitações. Para pacientes dos teste SARS-CoV-2 Antibodytest, o exame deve ser feito a partir do 10º (décimo) dia do início dos sintomas. Já o Kit MedTestCoronavirus (Covid-19) deve ser aplicado a partir do 8º (oitavo) dia do início dos sintomas. Isso acontece porque é necessário que o caso suspeito ou contato de caso confirmado de Covid-19 espere esse tempo para que o sistema imunológico possa produzir anticorpos em quantidade suficiente para ser detectado pelo teste.

G1

 

Governo distribui mais 45 mil testes para todos os municípios paraibanos

O Governo da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), começa a distribuir a terceira remessa de testes rápidos a serem aplicados na população dos 223 municípios. As entregas das 45,285 mil unidades serão feitas nesta segunda (11) e na terça-feira (12). Para esta semana, a Secretaria aguarda a chegada de mais 110 mil novos testes. Esse novo lote faz parte das 210 mil unidades de testes rápidos que o Governo do Estado adquiriu, sendo 30% pagos com recursos encaminhados pelo Ministério da Saúde para o combate à Covid-19.

De acordo com a secretaria executiva de Saúde da Paraíba, Renata Nóbrega, são dois tipos de testes rápidos que são encaminhados para os municípios: o SARS-CoV-2 Antibodytest direcionados para os profissionais da saúde, segurança pública, familiares sintomáticos, população idosa com diagnóstico de síndrome gripal; e o Kit MedTestCoronavirus ( Covid-19) IgG/IgM, direcionado para o restante da população. Renata explica que, junto com os kits, a SES está enviando uma Nota Técnica com recomendações de uso e sugestão de estratégia de testagem.

Seguindo orientações do Guia da Vigilância Epidemiológica, os testes devem ser usados como uma ferramenta para auxílio do diagnóstico da Covid-19. São testes qualitativos para triagem e auxílio diagnóstico, porém apresentam limitações e a principal delas é que precisa ser realizado, de forma geral, a partir do 10º (décimo) dia do início dos sintomas para testes SARS-CoV-2 Antibodytest e a partir do 8º (oitavo) dia do início dos sintomas para os testes Kit MedTestCoronavirus ( Covid-19) IgG/IgM. É necessário que o caso suspeito ou contato de caso confirmado de Covid-19 espere esse tempo para que o sistema imunológico possa produzir anticorpos em quantidade suficiente para ser detectado pelo teste.

“Essa ação é direcionada para quem realmente teve a gripe e tem por objetivo alcançar a metodologia que o teste rápido propõe que é testar quem apresentou sintomatologia, para que a resposta de positividade tenha um melhor alcance nessa população”, explica Renata Nóbrega. Ela alerta aos municípios que todo usuário testado deve ter registro de sua notificação com resultado do exame preenchido e digitado no sistema e-SUSVE.

Para a distribuição das unidades com os municípios, a SES seguiu alguns critérios como o número de fichas e-SUS VE abertas no sistema por município de residência, o número de idosos positivos para Covid-19 nos territórios onde se concentram o maior número de casos positivos e os municípios que ainda não estavam com testes disponíveis em seu território para os profissionais de saúde e segurança.

A secretária executiva afirma ainda que a SES recomendou aos municípios a seguir as notas técnicas já divulgadas para execução de cada teste, respeitando a data do início dos sintomas e de utilizar de estratégias para testar, prioritariamente, aqueles casos que já estão no sistema e-SUSVE sem exames. A ampliação da testagem na população é fundamental para traçar o perfil epidemiológico do Estado e auxiliar na tomada de decisão voltada ao enfrentamento da pandemia.

Secom-PB

 

 

Farmácias podem ofertar testes rápidos para a Covid-19 na Paraíba

Nota técnica publicada nessa quarta-feira (6) pela Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa) autoriza farmácias a realizarem ensaios imunocromatográficos (testes rápidos) para Covid-19. De acordo com a norma, os estabelecimentos que quiserem oferecer o serviço deverão disponibilizar um local isolado do restante do fluxo de clientes. A oferta dos testes rápidos deve ser sinalizada nas portas de cada farmácia.

A nota técnica estabelece que o farmacêutico levante informações sobre o cliente e avalie a viabilidade de aplicação do teste. “Compete ao profissional farmacêutico a decisão final sobre a viabilidade da aplicação do teste, devendo se utilizar dos conhecimentos técnicos aplicáveis e considerar o histórico do paciente e a anaminese realizada”, diz a norma.

Somente o farmacêutico pode aplicar o teste rápido e os estabelecimentos são obrigados a notificar as autoridades estaduais e municipais de saúde a respeito do quantitativo de testes realizados, bem como seus resultados. O aviso precisa ser imediato ao fim do procedimento.

“As orientações aos pacientes após a realização do teste, de resultados positivos ou negativos por Covid-19, devem seguir as Diretrizes e os Protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde e autoridades de saúde local, para o correto manejo dos pacientes e informações epidemiológicas”, destaca a nota técnica.

Reforço na prevenção

Com a oferta do teste, as farmácias devem usar estratégias para minimizar o contato próximo entre funcionários e clientes e entre clientes, de forma a evitar aglomerações e respeitar o distanciamento social, prezando pela segurança de trabalhadores e consumidores.

“Uma vez identificado por qualquer funcionário da farmácia pacientes com sintomas respiratórios e/ou que pretendam realizar o teste rápido para a COVID-19, estes deverão ser encaminhados para o local próprio, a fim de que seja atendido por farmacêutico habilitado”, diz a nota técnica.

 

portalcorreio

 

 

Testes rápidos para Covid-19 começam a ser feitos na Paraíba

Começaram a ser feitos neste domingo (26) os testes rápidos para o novo coronavírus (Covid-19) na Paraíba. Em João Pessoa, a ação é feita em parceria entre a Secretaria de Estado de Saúde (SES) e a Secretaria Municipal de Saúde da capital (SMS) no domicílio dos pacientes e as pessoas que estão sendo testadas são as que já foram notificadas com Síndrome Gripal pela central de atendimento da capital entre 17 de março e 17 de abril.

A SES fez uma compra de 310 mil testes rápidos para todo o estado. O primeiro lote dos testes, com 20 mil unidades, chegou na quarta-feira (22) e começou a ser distribuído na sexta-feira (24). Para João Pessoa, foram repassados 3 mil testes e, em contrapartida, o município disponibilizou a equipe de testagem.

As 20 mil unidades foram distribuídas entre 36 municípios, com prioridade para a Região Metropolitana de João Pessoa que é a que detém mais de 80% dos casos de Covid-19 no estado. A estratégia de testagem em domicílio na capital foi feita para evitar aglomerações.

O objetivo dos testes rápidos é mensurar o número de indivíduos com Síndrome Gripal infectados pelo novo coronavírus e saber como se comporta a doença na capital, área mais afetada.

O teste rápido é um modelo de triagem, não um teste confirmatório. Ele pode indicar se a pessoa está infectada ou recuperada da infecção. Trata-se de uma ferramenta que funciona como auxílio no diagnóstico de infecções primárias e secundárias pelo novo coronavírus.

Teste rápido para Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus — Foto: Divulgação/Secom-PB

Teste rápido para Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus — Foto: Divulgação/Secom-PB

Segundo o secretário executivo de Gestão de Redes de Saúde, Daniel Beltrammi, existem limitações neste teste, pois as pessoas que estão com suspeita de Covid-19 devem esperar um período para que o sistema imunológico produza anticorpos em quantidade suficiente para ser detectado pelo teste.

“Se o teste rápido apresentar resultado positivo, o ideal é confirmar com o exame PCR”, explica Beltrammi.

Com essa triagem, os municípios e o estado esperam obter dados que possam auxiliar na tomada de decisão de estratégias para o enfrentamento da pandemia. A testagem vai ser feita por 30 equipes de saúde até a quinta-feira (30).

Veja onde serão realizados os primeiros testes

  • João Pessoa: em domicílio
  • Campina Grande: UPAs de referência
  • 2ª Gerência Regional de Saúde (GRS): UPA de Guarabira;
  • 3ª GRS: Hospital Municipal de Esperança, no Centro de Testagem de Esperança e no Hospital Municipal de Areia;
  • 4ª GRS: Centro de Testagem de Cuité, Centro Testagem de Picuí e Hospital Regional de Picuí.
  • 5ª GRS: hospital de Sumé, Hospital de Serra Branca, UPA de Monteiro;
  • 6ª GRS: Hospital Regional de Patos ou UPA de Patos e Hospital Sinhá Carneiro, em Santa Luzia;
  • 7ª GRS: Piancó, Conceição, Hospital Regional de Itaporanga;
  • 8ª GRS: Hospital Regional de Catolé, Hospital Municipal de São Bento, Hospital Municipal de Brejo do Cruz;
  • 9ª GRS: UPA de Cajazeiras, Posto de Testagem Uiraúna, Hospital Municipal de São José de Piranhas;
  • 11ª GRS: Hospital de Princesa Isabel, Hospital Municipal de Princesa Isabel, Hospital Municipal de Água Branca e Hospital Municipal de Juru;
  • 12ª GRS: UPA de Ingá, Hospital Municipal de Pedras de Fogo, Posto de Testagem de Itabaiana
  • 13ª GRS: Pombal Hospital Regional de Pombal, UPA de Pombal, Hospital Municipal de Paulista;
  • 14ª GRS: Posto de Testagem de Mamanguape, Secretaria Municipal de Saúde e Hospital Regional;
  • 15ª GRS: Hospital Regional de Queimadas, Hospital Municipal de Aroeiras, Hospital Municipal de Boqueirão;
  • 16ª GRS: Hospital Geral de Taperoá e Hospital Municipal de Soledade.

 

G1

 

 

Estado distribui testes rápidos de coronavírus para 36 municípios

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) começa a distribuir os testes rápidos da Covid-19 para a população nesta sexta-feira (24) em 36 municípios paraibanos. A assessoria da pasta informou que, devido às distâncias, a entrega em algumas cidades pode não ocorrer ainda nesta sexta ou apenas no fim do dia. Foram adquiridos com recursos próprios 310 mil testes, que chegarão em lotes – neste primeiro, que chegou na última quarta-feira (22), são 20 mil (6% do total).

Os testes rápidos serão utilizados nas pessoas a partir do 8° dia do início de sintomas de síndrome gripal (febre, tosse seca, dor de garganta, dor no corpo) e ofertados nos serviços de saúde do Estado.

“O teste rápido é um modelo de triagem. Não um teste confirmatório. Ele pode indicar se a pessoa está infectada ou recuperada da infecção. Trata-se de uma ferramenta que funciona como auxílio no diagnóstico de infecções primárias e secundárias pelo novo coronavírus. Existem limitações, pois o caso suspeito deve esperar um período mínimo de oito dias para que o sistema imunológico possa produzir anticorpos em quantidade suficiente para ser detectado pelo teste. Se o teste rápido apresentar o resultado positivo, o ideal é confirmar com o exame PCR”, explicou o secretário executivo de Gestão de Redes de Saúde, Daniel Beltrammi.

Os testes rápidos serão distribuídos em serviços estaduais e municipais para testagem do público-alvo mantendo o fluxo de registro das informações via sistemas oficiais. Todo caso com teste reagente deverá ser informado ao Estado de forma imediata. Neste primeiro bloco de testagem, a Vigilância Epidemiológica vai trabalhar com as unidades sentinelas, a exemplo das UPAs, que é onde costumam chegar mais casos de síndrome gripal.

“Vamos testar os 223 municípios, porém, neste primeiro lote, vamos concentrar os esforços na região que tem mais de 80% dos casos da Covid-19 na Paraíba: João Pessoa, Santa Rita, Cabedelo, Bayeux. A intenção é ampliar a testagem quando os próximos lotes chegarem”, informou a secretária executiva da Saúde, Renata Nóbrega.

Renata explicou, ainda, que, neste primeiro momento, a estratégia é captar mais casos em todas as regiões de Saúde. “Em João Pessoa, de acordo com a pactuação da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e a SES, a proposta é priorizar o banco de pessoas que já fez contato através dos números telefônicos da SMS ou através das Unidades de Saúde da Família. Serão disponibilizadas 30 equipes para retornar a essas solicitações e avaliar a necessidade de fazer a testagem”, afirmou. A mesma estratégia da Capital deve ser usada em Campina Grande, por meio dos serviços de referência.

Testes em outras cidades

  • 2ª Gerência Regional de Saúde (GRS): referência para os testes rápidos será a UPA de Guarabira.
  • 3ª GRS: os testes rápidos serão realizados no Hospital Municipal de Esperança, no Centro de Testagem de Esperança e no Hospital Municipal de Areia.
  • 4ª GRS: a oferta dos testes rápidos será no Centro de Testagem de Cuité, Centro Testagem de Picuí e Hospital Regional de Picuí.
  • 5ª GRS: teremos o Hospital de Sumé, Hospital de Serra Branca, UPA de Monteiro.
  • 6ª GRS: Hospital Regional de Patos ou UPA de Patos e Hospital Sinhá Carneiro, em Santa Luzia.
  • 7ª GRS: Piancó, Conceição, Hospital Regional de Itaporanga.
  • 8ª GRS: Hospital Regional de Catolé, Hospital Municipal de São Bento, Hospital Municipal de Brejo do Cruz.
  • 9ª GRS: UPA de Cajazeiras, Posto de Testagem Uiraúna, Hospital Municipal de São José de Piranhas.
  • 11ª GRS: Hospital de Princesa Isabel, Hospital Municipal de Princesa Isabel, Hospital Municipal de Água Branca e Hospital Municipal de Juru.
  • 12ª GRS: UPA de Ingá, Hospital Municipal de Pedras de Fogo, Posto de Testagem de Itabaiana.
  • 13ª GRS: Pombal Hospital Regional de Pombal, UPA de Pombal, Hospital Municipal de Paulista.
  • 14ª GRS: Posto de Testagem de Mamanguape, Secretaria Municipal de Saúde e Hospital Regional.
  • 15ª GRS: Hospital Regional de Queimadas, Hospital Municipal de Aroeiras, Hospital Municipal de Boqueirão.
  • 16ª GRS: Hospital Geral de Taperoá e Hospital Municipal de Soledade.

 

portalcorreio

 

 

Testes rápidos para detectar covid-19 começam a chegar na Paraíba nesta terça-feira

O governador João Azevêdo informou, nesta segunda-feira (20), que 20 mil testes rápidos para detecção da covid-19 comprados pelo Governo da Paraíba já chegaram a São Paulo, de onde serão transportados para o Estado, a fim de ampliar o número de testes na população. A informação foi dada durante o programa semanal de rádio Fala Governador, transmitido em cadeia estadual, quando reforçou a necessidade do isolamento social como medida de contenção da disseminação do coronavírus.

“Nós compramos 310 mil testes e eu determinei que fosse feito o transporte desses 20 mil que acabaram de chegar em São Paulo. O avião do estado está indo hoje à tarde pegar os testes e amanhã (terça-feira) eles estarão aqui para a gente começar esta operação de ampliar o número de testes na população”, afirmou.

Isolamento social – O governador João Azevêdo aproveitou ainda para reforçar a necessidade da continuidade do isolamento social, uma vez que esta é a única forma de achatar a curva do contágio da Covid-19. “Estamos buscando fazer com que a Paraíba se prepare para enfrentar os momentos mais difíceis que possam vir com essa pandemia. Tenho certeza que vamos passar esse momento e faremos com que a Paraíba continue avançando de forma segura, preservando vidas. A economia e os empregos vamos brigar depois para reconstruir. Vamos lançar também um edital para confecção de mais de um milhão de máscaras de tecido para serem distribuídas com aquela população que mais precisa. Então você que está em casa, permaneça em casa, só saia quando realmente for necessário e use máscara”, concluiu.

Foto: Divulgação/Secom/PB
Secom-PB