Arquivo da tag: sobe

Sobe para 98 o número de mortes por febre amarela no Brasil

Febre amarela é transmitida no Brasil principalmente por mosquitos silvestres dos gêneros Haemagogus e Sabethes (Foto: Josué Damacena/IOC/Fiocruz)

O Brasil registrou 353 casos de febre amarela, com 98 mortes, no período de 1º de julho de 2017 a 6 de fevereiro deste ano, segundo o Ministério da Saúde. O boletim divulgado nesta quarta-feira (7) registra 140 casos e 17 mortes a mais do que havia sido contabilizado na semana passada.

Em uma semana, o número de casos aumentou 66%, enquanto a quantidade de óbitos teve alta de 21%. No boletim divulgado no dia 30 de janeiro, o país registrava 213 casos de febre amarela e 81 mortes causadas pela doença.

Apesar do período de referência ter início em 1º de julho do ano passado, a maioria começou a ser registrada a partir da primeira semana de 2018. Para se ter uma ideia, somente este ano foram 351 casos e 97 óbitos.

Ao todo, desde 1º de julho de 2017, foram notificados 1.286 casos suspeitos, sendo que 510 foram descartados e 423 permanecem em investigação. Entre julho de 2016 e 7 de fevereiro de 2017, foram confirmados 509 casos e 159 mortes.

A febre amarela é transmitida por meio de vetor (mosquitos dos gêneros Haemagogus Sabethes no ambiente silvestre). O último caso de febre amarela urbana, quando o transmissor é o mosquito Aedes aegypti, foi registrado no Brasil em 1942. Todos os casos confirmados desde então decorrem do ciclo silvestre de transmissão.

Segundo o Ministério da Saúde, o caso de febre amarela em São Bernardo do Campo (SP) está sendo investigado. Houve temor de que se trataria de caso de febre amarela urbana. A Secretaria de Saúde de São Paulo, que investiga o episódio, descartou essa possibilidade.

“Deve ser observado que o paciente mora na região urbana e possivelmente trabalha na área rural. Qualquer afirmação antes da conclusão do trabalho é precipitada”, diz o boletim divulgado pelo ministério nesta quarta-feira (7). São Bernardo do Campo (SP) é uma das 77 cidades dos três estados do país (São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia) incluídas na campanha de vacinação com dose fracionamento contra a febre amarela.

São Paulo lidera no número de casos e mortes

Com 161 casos confirmados e 41 mortes, São Paulo é o Estado mais afetado pela doença. Mas os dados do Ministério apresentam uma pequena defasagem em relação ao balanço da Secretaria Estadual da Saúde, que aponta 163 casos e 61 mortes em território paulista.

Minas Gerais (157 casos confirmados e 44 mortes) é o segundo Estado mais atingido pelo vírus, seguido do Rio de Janeiro (34 casos confirmados e 12 mortes). Foi confirmado também um caso com óbito no Distrito Federal.

Tanto Rio quanto São Paulo realizam em cidades consideradas de maior risco uma campanha de vacinação com doses fracionadas do imunizante.

Em Minas, Estado que já havia sido muito castigado pela epidemia no ano passado, o fracionamento não é realizado. De acordo com o Ministério da Saúde, isso se deve ao fato de que cidades mineiras já dispõem do quantitativo suficiente para imunizar, com doses integrais, toda população que ainda não foi vacinada.

Há casos da doença em investigação no Espírito Santo (22), Goiás (15), Paraná (18), Bahia (12), Rio Grande do Sul (11), Santa Catarina (11), Pará (9), Tocantins (6), Amazonas (3), Rondônia (3), Pernambuco (1), Piauí (2), Mato Grosso (1), Mato Grosso do Sul (1), Alagoas (1), Sergipe (1) e Acre (1).Com informações de agências de notícias.

UOL

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Tributação sobre gasolina e diesel sobe a partir de fevereiro, diz Fisco

gasolinaA partir deste domingo (1º), a tributação incidente sobre a gasolina e o diesel será elevada, conforme o decreto presidencial 8.395, publicado no “Diário Oficial da União” desta quinta-feira (29). A informação é da Secretaria da Receita Federal.

Segundo o Fisco, o impacto do aumento da tributação será de R$ 0,22 para a gasolina e de R$ 0,15 para o diesel. A expectativa do governo é arrecadar R$ 12,18 bilhões com esta medida em 2015.

A Petrobras confirmou, na semana passada, que vai repassar o valor desses impostos nas vendas de refinarias para as distribuidoras. Mas o aumento do preço nas bombas para o consumidor dependerá da decisão dos postos.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

medidas econômicas iof gasolina (Foto: Editoria de Arte/G1)

O aumento da tributação sobre os combustíveis nas refinarias faz parte do pacote do governo de elevação de impostos para tentar reequilibrar as contas públicas neste ano – após forte deterioração em 2014 devido à fraca arrecadação, resultado do baixo nível de atividade e das desonerações e do aumento de gastos em ano eleitoral. Veja aqui como o aumento dos impostos vai afetar o consumidor.

De acordo com a Receita Federal, estão sendo elevados o PIS, a Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre os combustíveis.

De imediato, sobem o PIS e a Cofins, uma vez que a alta da Cide precisa de 90 dias para ser implementada. A Cide subirá somente em maio, quando as alíquotas do PIS e da Cofins serão reduzidas na mesma proporção.

“Daqui a três meses [quando começar a valer o aumento da Cide], temos intenção de reduzir o PIS e a Cofins”, declarou o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, na última semana. Questionado, na ocasião, sobre qual seria o impacto no preço dos produtos para o consumidor, o ministro informou que isso dependeria “da evolução do mercado e da política de preços da Petrobras”.

 

G1

Holanda estreia com vitória humilhante sobe a Espanha, sua algoz na última Copa

holandaHá pouco menos de quatro anos a Holanda via, diante a Espanha, o sonho de seu primeiro título mundial escapar. Os vice-campeões mundiais souberam esperar, souberam mastigar a derrota na final de 2010 para nesta sexta-feira, na Arena Fonte Nova, em Salvador, destruir seu antigo algoz com vitória por 5 a 1, de virada, na largada do Grupo B da Copa do Mundo. Não é título, não rende taça, mas é uma vitória histórica – um daqueles jogos que entram para o imaginário de um país.

O jogo não poderia ter sido mais emblemático. Robben, vilão em 2010, fez dois gols. Van Persie, tão discreto quatro anos atrás, fez mais dois. E Casillas, o herói do Soccer City, falhou feio – em um lance por cima, com possível falta de De Vrij, e no último, quando largou a bola nos pés de Van Persie. Diego Costa, muito vaiado, muito xingado, cavou o pênalti que rendeu o gol da Espanha, marcado por Xabi Alonso.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A torcida se mostrou muito favorável à Holanda, como acontecera com os adversários da Espanha na Copa das Confederações. Até olé gritou – aumentando o massacre moral. E ajudou a colocar sob risco a situação dos campeões mundiais. A Espanha volta a campo no dia 18, quarta-feira, no Maracanã, contra o Chile. Precisa vencer. A Holanda, no mesmo dia, encara a Austrália no Beira-Rio.

Holanda maquiavélica

Xabi ALonso gol no jogo Espanha x Holanda (Foto: Reuters)
Xabi ALonso faz 1 a 0 de pênalti (Foto: Reuters)

Quando um carequinha apareceu diante dos olhos de Casillas, aos sete minutos do primeiro tempo, parecia que Espanha e Holanda tinham entrado em uma daquelas engenhocas futuristas e voltado no tempo – mais precisamente, quatro anos. Mas com um porém, talvez fruto de pequeno defeito na máquina: desta vez, era Sneijder quem perdia o gol, não Robben, como na final de 2010. Casillas, porém, foi o mesmo, com defesa muito parecida com aquela do título mundial espanhol. Ao repetir o gesto salvador, o capitão pareceu lembrar a Fúria de quem ela é, pareceu acender o aviso de que um campeão do mundo precisa agir como campeão do mundo. E aí a Espanha passou a dominar a Holanda.

A Espanha foi a Espanha em alma e identidade. Deu mais do que o dobro de passes do adversário. Chegou duas vezes mais do que oponente com perigo ao ataque. Teve 60% de posse. Mas seu controle do jogo teve algo de plano maquiavélico da Holanda. A equipe laranja montou um ferrolho: ao se defender, postava o time em um pouco habitual 5-2-1-2, com uma linha de cinco defensores mais dois volantes; ao atacar, pendia para o 3-4-1-2.

A questão é: por que essa tendência suicida de chamar tanto a Espanha para seu próprio campo? De bobo, Louis van Gaal nada tem. Ele sabia que tentar atacar com a mesma intensidade da Espanha faria seu time ceder espaços que o adversário não cede. O negócio era apostar no contra-ataque. Era usar seu trio espetacular de frente: Sneijder, Robben e Van Persie, que precisariam ser sustentados necessariamente por uma equipe sistemática, que funcionasse feito relógio, que tiquetaqueasse perfeição.

O plano quase ruiu. Aos 25 minutos, Diego Costa, tão vaiado, recebeu na área, acossado por De Vrij, e foi ao chão. A arbitragem marcou pênalti – em decisão no mínimo duvidosa. Xabi Alonso bateu e fez: 1 a 0 Espanha.

O interessante é que o gol não mudou as convicções da Holanda. Os campeões do mundo seguiram atacante, seguiram controlando o jogo, e quase ampliaram quando Iniesta, genial, deixou David Silva na cara do gol. O camisa 21 tentou encobrir o goleiro Cillessen, mas não levou. A bola saiu por pouco.

E aí começou a funcionar o plano holandês, sua tática de serpente – escondida até dar um bote rápido, fatal. Blind encaixou longo lançamento para Van Persie, que foi mais ágil que Sergio Ramos e encobriu Casillas: 1 a 1.

Ooooooooooolé

Chame como quiser: um massacre, uma surra, uma tunda, uma humilhação, um passeio: uma enorme goleada. A Holanda destruiu a Espanha. Esmagou a campeã mundial entre seus dedos. Aplicou à grande geração multicampeã da Fúria seu maior vexame. Só no segundo tempo, foram quatro gols. E Robben engoliu Casillas.

Foi o craque do Bayern de Munique quem fez o terceiro. Ao receber na área, em outro lançamento de Blind, fatalmente lembrou de quatro anos antes. Desviou do goleiro para fazer 2 a 1.

O terceiro saiu em lance duvidoso. De Vrij disputa no corpo com Casillas e manda para o gol. O goleiro subiu mal, mas sofreu choque do zagueiro holandês. A Espanha reclamou muito de uma jogada que depois viraria apenas mais um detalhe macabro da goleada holandesa.

É incrível como os heróis de ontem podem ser os vilões de hoje. E vice-versa. Casillas, com a bola nos pés, permitiu que Van Persie a roubasse. Não poderia ter falhado na frente de alguém tão frio. O atacante avançou área adentro e aumentou o placar: 4 a 1.

E não era tudo. Robben recebeu lançamento longo, ganhou de Sergio Ramos em uma arrancada impressionante e fez o quinto. Incrível: massacre na Fonte Nova.

A parte holandesa e brasileira da torcida entrou em surto. Enquanto a Holanda perdia chances de ampliar ainda mais a goleada, o público gritava aquele termo tão característico dos toureiros espanhóis: “Oooooooolé! Ooooooooolé! Oooooooolé!”.

Que jogo. Que tarde em Salvador. Que vingança da Holanda. Quando a dor é grande, quando ela é dor de final de Copa do Mundo, nem quatro anos podem estragar um prato, nada pode tirar o sabor dele.

Globo.com

Total de pessoas presas no Brasil sobe para 715 mil, diz CNJ

presosDados divulgados nesta quinta-feira (5) pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) mostram que o total de detentos nas penitenciárias e em prisão domiciliar do país chega a 715.655. O dado foi obtido pelo conselho após consulta aos juízes de execuções penais das 27 unidades da federação.

O número divulgado nesta quinta é 30% superior ao dado mais atual do governo brasileiro, que indica 548 mil detentos e não inclui os presos em prisão domiciliar. Uma atualização do Ministério da Justiça sobre a população carcerária deve ser divulgada neste mês.

Em maio, o CNJ contabilizava a população carcerária em aproximadamente 567 mil pessoas, sem considerar quem cumpre pena em casa, por estar em regime aberto ou por falta de vagas no semiaberto. O conselho informou que, em todo o país, são 147.937 pessoas em prisão domiciliar.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Os presos do regime fechado também podem cumprir pena em prisão domiciliar em razão do estado de saúde, por exemplo. Também é possível ser submetido à pena em casa quando o acusado ainda aguarda julgamento em prisão provisória.

Conforme o CNJ, o número atualizado de detentos coloca o Brasil como a terceira maior população carcerária do mundo, considerando informações do Centro Internacional de Estudos Prisionais, do King’s College, de Londres. Até então, a Rússia que tem 676.400 presos, estava na terceira posição do ranking. O novo censo carcerário do Brasil colocou os russos na quarta colocação.

Déficit de vagas
Ainda de acordo com o CNJ, o número de presos também aumenta o déficit de vagas nas penitenciárias brasileiras. Os dados mais recentes apontavam falta de 210 mil vagas e o déficit agora é de 358 mil vagas.

“Considerando-se as prisões domiciliares, o déficit passa para 358 mil vagas. Se contarmos o número de mandados de prisão em aberto, de acordo com o Banco Nacional de Mandados de Prisão (373.991), a nossa população prisional saltaria para 1,089 milhão de pessoas”, ressaltou o conselheiro Guilherme Calmon, supervisor do Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário do CNJ.

G1

 

Couto aceita aliança com o PMDB, mas não sobe no palanque de Vené

LUIZ COUTOO deputado federal, Luiz Couto (PT-PB), revelou, nesta segunda-feira (26), que não subirá no palanque do ex-prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo (PMDB), nas eleições deste ano. Para justificar seu posicionamento, Luiz Couto disse ter problemas com alguns integrantes do PMDB e acusou o ex-governador José Maranhão de tentar lhe derrotar de todas as formas em 2010. “Tenho coerência, não vou subir no palanque de quem tentou me derrotar, e era dessa forma: vamos derrotar o velhinho”, observou.

Em relação ao seu voto para governador, Luiz Couto escondeu o jogo e não revelou em que votaria. Mesmo acenando para o apoio a reeleição de Ricardo Coutinho, Couto preferiu não manifestar sua posição e disse que o “voto é secreto”.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Questionado sobre uma possível ingratidão dele com o PMDB, pelo fato de o partido ter manifestado apoio ao PT desde 2002, Couto lembrou que em 2010 o partido governava o Estado e a prefeitura de Campina Grande, mas mesmo assim Dilma perdeu na cidade porque os peemedebistas não fizeram campanha para a petista. “Na época da aliança com Cícero no 2° turno, o PMDB não pedia voto em Campina Grande, e por isso foi preciso organizar um comitê para a presidente”, contou.

Alexandre Freire – MaisPB

Multa por ultrapassagem sobe de R$ 191 para R$ 1.915 e ‘racha’ pode dar até 10 anos de cadeia

Multa por ultrapassagem sobe mais de 1000%
Multa por ultrapassagem sobe mais de 1000%

Os brasileiros que realizarem ultrapassagens indevidas ou praticarem rachas nas vias do país agora terão punições mais severas. Mudanças do Código de Trânsito Brasileiro foram confirmadas através de uma lei sancionada pela Presidenta Dilma Rousseff nesta segunda-feira (12), que prevê um aumento de mais de 1000% nas multas em casos em que o condutor realize ultrapassagem forçada.

A lei começa a vigorar no dia 1º de novembro e deve pesar no bolso dos motoristas imprudentes, passando de R$ 191 para R$ 1.915,40; equiparando-se a multa da Lei Seca. O infrator também corre o risco de ter a habilitação suspensa.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Pelo texto sancionado, o motorista que ultrapassar pelo acostamento, deverá ter a multa multiplicada por cinco e se forçar a ultrapassagem em vias de mão dupla, a multa deve ser multiplicada por dez.

Os rachas também estão presentes no texto, que prevê a reclusão de seis meses a três anos para quem disputar o ‘pega’. Em caso de lesão corporal, o condutor responsável pode ter que cumprir de três a seis anos de prisão.se houver vítimas fatais decorrentes da prática das corridas ilegais, a pena sobe e deve ficar entre cinco e dez anos.

Os condutores que praticarem o racha, além das penas, deverão pagar a multa que também é no valor de R$ 1.915,40, podendo ser dobrada em caso de infrator reincidente.

 

portal correio

Veja: Cássio cede a assédio de Aécio e sobe tom contra governo Ricardo Coutinho

cassioO colunista da Revista Veja, Lauro Jardim, destacou nesta quarta-feira (5) a subida de tom do senador Cássio Cunha Lima contra o governador Ricardo Coutinho como já foi noticiado no MaisPB. De acordo com Jardim, Cássio anda tentando entrar na disputa pela cadeira do socialista no Palácio da Redenção.

O jornalista especula que Cássio tem cedido aos “conselhos” de Aécio Neves, que quer a candidatura própria, e se distanciado do chefe do Executivo paraibano.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

No entanto, lembra Jardim, um dos problemas que faz o tucano relutar ainda na disputa seria em relação à Justiça Eleitoral pois resta dúvida sobre se ele pode ser candidato por ter mandato cassado quando era governador da Paraíba.

Veja matéria 

Entre o palanque e o curto-circuito

Cássio Cunha Lima subiu o tom das críticas contra o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, do PSB, e ultimamente anda tentado a entrar na disputa para tomar-lhe a cadeira. Até então, os tucanos apoiavam, na teoria e na prática, o governo do correligionário de Eduardo Campos. 

Antes reticente a comprar a briga, Cunha Lima parece estar mais sensível aos conselhos de Aécio Neves, que adoraria ter um palanque forte na Paraíba. Mas para confirmar a candidatura, o PSDB tem dois problemas. Primeiro, obter da Justiça eleitoral o parecer de que Cunha Lima não está enquadrado na lei da Ficha Limpa, pois teve o mandato de governador cassado em 2006. Depois, descobrir uma maneira de o apetite estadual não contaminar as boas relações com o PSB. 

Quando ouve falar na possibilidade de Cunha Lima sair candidato, Campos reclama: 

– Seria uma incoerência. O PSDB está defendendo o maior número possível de alianças conosco, mas estaria ignorando a estratégia justamente na Paraíba, onde os dois partidos já são aliados.

MaisPB