Arquivo da tag: sexual

Polícia investiga possível violência sexual em criança que teria morrido engasgada, na Paraíba

A Polícia Civil está investigando a morte de uma criança de dois anos que teria sofrido uma parada cardiorrespiratória, após se engasgar com mingau, em João Pessoa. Ele foi levado para o Hospital do Valentina e morreu na unidade de saúde, na noite desta terça-feira (27). No entanto, no laudo da morte, o médico indicou que o menino poderia ter sofrido violência sexual.

A tia da criança foi até a delegacia, com o laudo do hospital, para dar entrada na liberação do corpo da criança. No entanto, ao receber o pedido, o delegado percebeu que, na descrição, o médico deixava sugerido que o menino poderia ter sofrido violência sexual, porque havia uma alteração no ânus.

A mãe do menino já foi chamada para comparecer até a delegacia. As informações são de que o corpo será necropsiado ainda nesta quarta-feira (28).

G1

Jovem confessa ter matado fisioterapeuta durante relação sexual em CG

A polícia prendeu nesta terça-feira (20), um jovem de 18 anos suspeito de matar o fisioterapeuta Luiz Eduardo Leite Brasileiro, de 44 anos, que foi achado morto dentro do apartamento onde morava em Campina Grande.

De acordo com a Polícia Civil, a vítima mantinha um relacionamento com o jovem, que confessou ter asfixiado o fisioterapeuta durante uma relação sexual.

O crime aconteceu na madrugada do dia 21 de agosto, no apartamento da vítima, bairro de Bodocongó. O fisioterapeuta foi encontrado com marcas na região do pescoço e inicialmente a polícia suspeitou de homicídio, já que não havia no local sinais de arrombamento. Após a perícia, foi descartada a hipótese de infarto ou problema de saúde.

Análises das imagens das câmeras do circuito interno de segurança do condomínio levaram à identificação do suspeito que é morador de rua e foi preso enquanto estava em uma esquina próximo à entrada do bairro José Pinheiro.

De acordo com a delegada Nercília Dantas, o jovem confessou que teria asfixiado a vítima durante a relação sexual, mas apesar disso, não explicou se teve a intenção de matar. O jovem foi autuado e vai responder por homicídio doloso (com intenção de matar).

 

paraiba.com.br

 

 

Jovem é preso suspeito de matar fisioterapeuta asfixiado durante relação sexual em Campina Grande

Um jovem de 18 anos foi preso nesta terça-feira (20), suspeito de matar o fisioterapeuta Luiz Eduardo Leite Brasileiro, de 44 anos, que foi achado morto dentro do apartamento onde morava em Campina Grande, em agosto. De acordo com a Polícia Civil, a vítima mantinha um relacionamento com o jovem, que confessou ter asfixiado o fisioterapeuta durante uma relação sexual.

O crime aconteceu na madrugada do dia 21 de agosto, no apartamento em que a vítima morava em um condomínio no bairro de Bodocongó. Segundo a Polícia Civil, Luiz Eduardo foi achado com marcas na região do pescoço.

Inicialmente a polícia suspeitou de homicídio, mas identificou que o local não tinha sinais de arrombamento, então também foi feita uma perícia que descartou a possibilidade de infarto ou problema de saúde.

A identificação do suspeito, segundo a delegada Nercília Dantas, se deu após análise das imagens das câmeras do circuito interno de segurança do condomínio.

“A gente conseguiu logo imediatamente umas imagens do condomínio que mostrava uma pessoa saindo do apartamento do fisioterapeuta de madrugada. De prontidão buscamos identificar e localizar essa pessoa”, disse a delegada.

O suspeito é um morador de rua, que foi preso enquanto estava em uma esquina, próximo à entrada do bairro José Pinheiro. “Durante a oitiva, o jovem confessou o crime e disse que durante um relacionamento sexual ele acabou asfixiando a vítima”, disse Nercília.

Apesar da confissão, o suspeito não explicou para a polícia se teve a intenção de matar. Ainda de acordo com a delegada, a relação entre eles também era de troca de favores. A vítima mantinha um relacionamento com o suspeito e o sustentava.

Na tarde desta terça-feira (20) o jovem ainda estava na carceragem da Central de Polícia Civil em Campina Grande, mas deve ser levado ainda esta tarde para o Presídio do Serrotão, onde vai aguardar julgamento.

G1

 

Mãe e padrasto são presos por morte de criança de três anos após violências física e sexual em Patos

A Polícia Civil da Paraíba, por meio da Delegacia Seccional de Patos, ligada à 3ª Superintendência de Polícia Civil, prendeu na última segunda-feira (5) um homem de 25 anos suspeito de ter espancado, além de ter praticado violência sexual contra a enteada, uma criança de apenas 3 anos de idade. O fato aconteceu na cidade de Patos, Sertão do Estado, e criança foi levada ao hospital local, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

A mãe da criança sabia de tudo e era conivente com a situação. Ela foi intimada a prestar esclarecimentos nesta terça-feira (6) e, diante das evidências de sua participação nos crimes, também foi presa. O casal foi encaminhado para as unidades prisionais de Patos e ficará à disposição da Justiça.

Segundo o delegado Sylvio Rabelo, da 3ª Superintendência de Polícia Civil, a criança já vinha sendo abusada sexualmente pelo padrasto há algum tempo. “Não foi a primeira vez que isso aconteceu e todo esse abuso era presenciado e acobertado pela mãe da criança. Na manhã de ontem houve um novo episódio de abuso e a menina ficou muito ferida. Por conta disso, o padrasto resolveu estrangular a criança”, revelou.

O caso repercutiu muito na cidade sertaneja de Patos e os vizinhos que já estavam desconfiados das agressões e abusos sofridos pela criança, tentaram linchar o suspeito. Ele chegou a ser agredido pela população, foi levado ao hospital e em seguida para a delegacia, onde foi preso em flagrante.

Ainda segundo o delegado Sylvio Rabelo, o corpo da criança foi levado para o Núcleo de Medicina e Odontologia Legal (Numol) da região de Patos. “Depois dos exames, os peritos confirmaram que ela sofreu violências física e sexual, o que reforçou a prisão em flagrante do casal. A mãe o padrasto já foram para os presídios feminino e masculino de Patos, respectivamente, e aguardam a decisão da Justiça se vão responder pelos crimes em liberdade”, concluiu

 

WSCOM

 

 

Autodefesa feminina: uma em cada três mulheres em todo o mundo já sofreu violência física ou sexual

Segundo o Observatório da Mulher contra a Violência, 27% das entrevistadas em território nacional, declararam já ter sofrido algum tipo de agressão
Para a mulher, infelizmente a insegurança e o medo é um sentimento que pode fazer parte do seu dia a dia. Receio de andar sozinha à noite ou ter de sair de madrugada para o trabalho. A autodefesa e o krav magá para mulheres ajudam no fortalecimento da autoestima e a diminuir a vulnerabilidade.

A questão não é somente o roubo, mas principalmente a violência contra a sua integridade física e a própria vida.

Em abril desse ano a ONU Mulheres, Organização das Nações Unidas, divulgou que uma em cada três mulheres em todo o mundo já sofreu violência física ou sexual.

Segundo o Observatório da Mulher contra a Violência, 27% das entrevistadas em território nacional, declararam já ter sofrido algum tipo de agressão. A violência doméstica foi apresentada por 36% das mulheres que participaram da entrevista.

Aprender a defender-se é essencial para toda mulher, seja no âmbito familiar ou urbano. Não é sair por aí praticando a agressão física, mas proteger-se contra situações que possam colocar sua integridade em risco, garantindo assim maior autoconfiança e diminuindo a sensação de vulnerabilidade.

O professor filiado à Federação Sul-Americana de Krav Magá, Dionésio Mariosi, considera a modalidade uma ferramenta de superação pessoal de extrema importância para a autoconfiança, principalmente das mulheres.

“Através da prática é possível descobrir novas potencialidades. Defender-se é essencial para todo ser humano. Independente dos fatores biológicos e musculares distintos entre os sexos, com direcionamento adequado, desenvolvimento de técnicas e treino, é possível alcançar excelentes resultados”.

De acordo com o instrutor, embora as mulheres sejam mais receosas quanto ao aprendizado da defesa pessoal, o número da procura só cresce a cada dia. Explica que é preciso desmistificar falsas crenças como a força física ou a necessidade de habilidade prévia para aprender as técnicas de defesa pessoal.

“Não só as mulheres, mas temos entre os alunos crianças e idosos. Não se trata de força física, mas o desenvolvimento da técnica e atenção. A aluna é treinada para identificar os pontos sensíveis do corpo, reconhecer situações de risco e saber o momento certo de reagir em diferentes cenários”, ressalta.

Krav magá para mulheres – autodefesa e superação

O krav magá para mulheres e para o público geral ainda é um assunto repleto de tabus no Brasil. O professor destaca que é importante esclarecer que a prática não estimula a reação aos assaltos e colocar uma pessoa em risco, mas o contrário, treina a autodefesa, ver se existe arma de fogo, analisar cenários e aprender a identificar situações perigosas.

“Ao se tratar das mulheres é primordial em relação à integridade física e autoproteção. A mulher por si só já é vista como um alvo vulnerável e vítima de diversos tipos de assédio que colocam em risco a vida, saúde física e principalmente psicológica”, explica.

Como funciona o treino?

Tanto para mulheres como para os homens o treino é o mesmo. O instrutor diz que as primeiras aulas são destinadas a trabalhar a resistência, equilíbrio e coordenação. “Geralmente os alunos praticam a corrida para aquecer, abdominais e flexões”, completa.

As dificuldades surgem principalmente nos primeiros treinos e para pessoas que nunca praticaram nenhum tipo de arte marcial. Coordenar chutes e socos pode ser um desafio.

O professor alerta que como nas práticas de arte marcial, com o tempo, treino e repetição, o aluno vai adquirindo maior condicionamento físico, segurança e autoestima. Tudo isso irá refletir no seu melhor desempenho aula após aula.

Há escolas em que o krav magá é só para mulheres e separado do treino masculino, mas geralmente a prática é em conjunto. Ambas as opções são interessantes de acordo com o instrutor desde que a pessoa se sinta bem e adquira segurança.

“As aulas mistas entre homens e mulheres possibilitam estimular a maior troca de experiência com alunos de diversos níveis de aprendizado. Outro ponto é que numa situação real podem existir os dois sexos e o aluno deve estar preparado para diferentes situações”, pontua.

Orientações específicas para mulheres

  • Amarrar o cabelo com elásticos e evitar o uso de presilhas e outros materiais que possam machucar acidentalmente. O cabelo amarrado ajuda a ampliar a visão;
  • Mulheres que mantém as unhas longas deve lixá-las para evitar machucar o colega durante as simulações;
  • Correntes, relógios e brincos devem ser evitados. Correntes em simulações de estrangulamento pode causar acidente. Relógios e pulseiras podem dificultar e a defesa e soltura das mãos.
Qual o tempo ideal para aprender de maneira segura o krav magá

O instrutor explica que para golpes de acordo com faixa branca o tempo necessário é de seis meses. Nessa modalidade a aluna vai aprender os primeiros movimentos de soltura e ataque. Esses golpes podem ser aplicados em diversos tipos de agressões em curta e média distância.

O professor acrescenta que durante essa fase a aluna recebe o treinamento adequado para defender-se em 60 a 70% das principais situações.

Daiana Barasa

 

Mulheres são presas suspeitas de tráfico e exploração sexual de criança

Duas mulheres foram presas nesta quarta-feira (26), em João Pessoa, suspeitas de atuarem no tráfico de drogas e exploração sexual de uma criança de 12 anos. A vítima dos abusos é a própria filha de uma das suspeitas. Além das duas mulheres presas, os policiais ainda apreenderam um adolescente que estaria praticando exploração sexual contra a criança e também atuando no tráfico de drogas.

Entorpecentes também foram localizados e apreendidos pela Polícia Civil. As prisões ocorreram no bairro do Gramame e foram realizadas por equipes da Delegacia de Repressão a Entorpecentes da Capital (DRE) após denúncias feitas no 197.

Segundo informações do delegado Bruno Germano, da DRE, os policiais receberam informações do Disque 197 de que um apartamento situado em Gramame estava sendo usado como ponto de exploração sexual de uma criança e de tráfico de drogas .

“Essa mulher, a mãe, estaria corrompendo a criança para ser explorada sexualmente por outros adolescentes. Além disso, a  mãe estaria corrompendo a filha para traficar drogas”, informou o delegado .

No local, a polícia encontrou 50 papelotes de maconha prontos para o consumo, duas mudas da planta. Um adolescente também envolvido nos atos ilícitos foi conduzido para a delegacia, juntamente com a criança de 12 anos.

 

portalcorreio

 

 

Suspeito de matar jovem que teria praticado abuso sexual contra criança é preso, na PB

Um homem foi preso neste sábado (9), em Queimadas, na Paraíba suspeito de matar um jovem de 26 anos que teria cometido abuso sexual contra uma criança de um ano e três meses. A criança é sobrinha da companheira do suspeito preso, que negou o crime.

A equipe do Núcleo de Homicídios da 11ª Delegacia Seccional com sede em Queimadas prendeu em flagrante um dos autores do homicídio. Após receber a notícia do crime, os policiais civis do Núcleo de Homicídios entraram em diligências que culminaram com a prisão do suspeito, de 23 anos.

Após a prisão em flagrante o preso foi recolhido na carceragem da Central de Polícia Civil de Campina Grande, onde aguardará a audiência de custódia. “As investigações continuam para se identificar as demais autorias”, concluiu Ilamilton Simplício, Delegado Seccional da 11ª DSPC-Queimadas.

Qualquer pessoa pode fazer uma denúncia sobre qualquer tipo de crime. Para isso, basta ligar para Disque-Denúncia da Polícia Civil pelo número 197 ou para a Polícia Militar, em caso de urgência, pelo 190. A denúncia pode ser anônima e mesmo que o denunciante queira se identificar, todas as informações serão mantidas em absoluto sigilo e sua identidade será preservada.

G1

 

Homem é preso em Araçagi suspeito de importunação sexual contra adolescente

Um homem foi preso por policiais do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) na noite dessa quarta-feira (1º), na cidade de Araçagi, suspeito de importunação sexual praticado contra uma adolescente de 16 anos de idade. O suspeito, de 26 anos, que trabalha com frete, teria sido contratado pela vítima para fazer o transporte de alguns objetos dela.

Depois de entrar na residência, ao colocar uma caixa no chão, teria apalpado as nádegas da adolescente e ainda usado palavras pejorativas com ela. Em seguida, ele deixou o local e foi para a sua residência. Após manter contato com a vítima, a guarnição comandada pelo cabo Pontes realizou buscas e localizou o suspeito, que foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil.

 

Assessoria 4º BPM

 

 

Leve seu assédio para longe da gente! ALPB lança campanha contra importunação sexual no carnaval

A Assembleia Legislativa da Paraíba lançou, nesta sexta-feira (14) uma campanha contra a importunação sexual durante o período carnavalesco. Com o lema “Leve seu assédio para longe da gente”, a iniciativa tem o objetivo de empoderar as mulheres sobre os seus direitos e alertar toda a sociedade que é crime fazer qualquer tipo de abordagem às mulheres que extrapolem o respeito e a vontade delas.

Para o presidente Adriano Galdino, a campanha é uma forma do Poder Legislativo Paraibano ecoar ainda mais esse assunto, que cotidianamente se vê nos festejos de carnaval, mas que sua prática é inaceitável. “As mulheres têm o direito de escolher, desde as roupas que vestem até quem paquerar. O respeito é a porta de entrada para quem quer estabelecer qualquer tipo de diálogo e só com esse nível de educação podemos construir uma sociedade mais justa e igualitária”, defendeu.

Outras ações legislativas também estão sendo desenvolvidas pela ALPB, desde produções de matérias em defesa dos direitos da mulher até a realização de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar os feminicídios no Estado.

Essa produção atinge as necessidades mais elementares da mulher, que vão desde a inserção no mercado de trabalho, passando pelo combate ao feminicídio e demais violências doméstica e familiar, defendendo a equidade de gênero e garantindo atendimento eficaz às gestantes na rede pública de saúde, tanto no pré-natal quanto no parto e pós-parto.

agenciaalpb

 

Menina de 13 anos acusa marido da prima de abuso sexual na Grande JP

A menina de 13 anos, residente da cidade de Curral Velho, passava as férias na casa da tia em Bayeux, local onde também mora o suspeito, que é marido da sua prima.

De acordo com o relato da adolescente, ela acordou no meio da noite com o rapaz de 18 anos, que é serralheiro, se esfregando nela.

A menina contou o fato à mãe, que ao avistar uma viatura da Polícia Militar passando na rua, acionou os policiais. Os agentes de segurança foram até o trabalho do suspeito e ao chegar ao local, ele informou que já sabia do que se tratava. De lá, o jovem foi levado para a delegacia da mulher em Bayeux para prestar esclarecimentos. O caso será encaminhado para a delegada Conceição Casado.

A mulher do suspeito também foi avisada pela prima e ao questionar o marido, ele teria negado. Os dois estão juntos há um ano e uma filha dela, de seis anos, mora com eles. A mulher afirmou, a princípio, que acreditava na inocência do marido, por ele nunca ter feito nada com a afilhada, de acordo com ela. Porém, na delegacia, a esposa ficou em dúvida sem saber se acreditava na prima ou no marido.

Marília Domingues / Flávio Fernandes