Arquivo da tag: secretário

“Autorização não permite que sejam vendidas”, diz secretário sobre distribuição das vacinas contra a covid-19 em farmácias

O secretário executivo de Gestão da Rede de Unidades de Saúde da Paraíba, Daniel Beltrammi, afirmou em entrevista que o Estado já possui um plano de vacinação pronto e está apenas aguardando a compra da vacina pelo Governo Federal. Ele alertou, também que após a liberação de vacinas contra a covid-19, pela Anvisa, a prioridade do SUS é envia-las aos estados para as campanhas de vacinação, sem permitir portanto que essa seja, entrega a rede privada.

“A autorização não permite que sejam vendidas por empresas”, disse o secretário, Daniel Beltrammi, destacando que, a rede privada não poderá comercializar o produto. Daniel disse, porém, que nem toda a população poderá vacinada a princípio e a cobertura completa da Paraíba só deve ocorrer em 2022.

De acordo com Daniel Beltrammi é impossível vacinar toda a população brasileira já em 2021. Ele ressaltou ainda que, até o momento, apenas um fabricante solicitou registro de vacina junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

”A Paraíba já está preparada”, disse ele, ressaltando que a Secretaria de Saúde já possui um plano que inclui os insumos necessários para a vacinação, a conservação e a distribuição da vacina.

O secretário destacou que, mesmo com o início da vacinação, o distanciamento social e o uso de máscaras são práticas que não podem ser suspensas. ”Vacina não é salvo-conduto”, afirmou. Ele disse ainda que pelo que a ciência descobriu até o momento sobre a doença, o uso de máscaras e o distanciamento são as melhores formas de se proteger.

pbagora

 

 

Secretário de Saúde confirma casos suspeitos de reinfecção pela Covid

O secretário de Estado da Saúde da Paraíba, Geraldo Antônio Medeiros, revelou em entrevista à rádio Cariri FM, nesta quinta-feira, 5, que alguns estados do Brasil já têm sim casos suspeitos de reinfecção pela Covid-19.

Porém, o gestor da Saúde explicou que é preciso ter uma análise mais profunda dos casos para que não haja confusão entre sequelas do vírus e reinfecção por ele.

– É preciso a realização de dois testes Swab Nasal, não há como constatar com aquele teste que é feito com uma furada no dedo, ou seja, o teste rápido. É preciso também que o condicionamento desse material biológico, nos dois testes, no princípio e agora após esse intervalo e a suspeita de reinfecção, tenha sido feito adequadamente para que não haja essa confusão – afirmou.

Outro ponto que precisa ser observado, segundo o médico, é que as pessoas que são acometidas de manifestações tardias da Covid precisam ter suas amostras analisadas por diferentes especialistas.

– Eles precisam passar por análises em três institutos de referência e somente após isso pode ser constatado o caso de reinfecção. Mas, posso adiantar que, mesmo o conhecimento dessa doença sendo pouco, casos de reinfecção deverão ser muito raros – declarou.

 

paraibaonline

 

 

Esposa do secretário de comunicação de Cabedelo morre após sofrer parada cardíaca durante parto

Mariana Bezerra, esposa do secretário de Comunicação de Cabedelo, Leandro Borba, faleceu na manhã desta quarta-feira (4) após dar a luz ao filho do casal. Ela teve uma parada cardíaca. O bebê, chamado Bernardo, passa bem.

As informações são de que Mariana havia passado mal por falta de ar e uma tomografia mostrou lesões no pulmão. Foram feitos testes de covid-19, mas os resultados foram negativos. Os médicos optaram então por fazer a cesária. Ela teve problemas durante a cirurgia, mas foi estabilizada e encaminhada para a UTI, onde os médicos acabaram descobrindo um problema cardíaco. A família de Mariana tinha histórico de problemas cardíacos, mas ela não havia apresentado sintomas até então.

O velório será no Parque das Acácias, em João Pessoa, mas o horário ainda não foi confirmado pela família. O sepultamento deve ocorrer nesta quinta-feira (5).

O prefeito de Cabedelo, Vitor Hugo, divulgou uma nota de pesar pelo falecimento de Mariana Bezerra. Leia na íntegra:

Dentre tantas quedas que a vida nos impõe, nada destrói mais do que a perda de alguém que amamos. O ciclo da vida às vezes se mostra impiedoso, e só mesmo crendo nos desígnios de nosso Pai para aceitarmos e convivermos com ele, certos de que os planos de Deus são sempre mais sábios que os nossos.

Com o coração cheio de tristeza e dor, venho aqui lamentar profundamente a perda da nossa amiga Mariana Bezerra, esposa do secretário de Comunicação de Cabedelo, Leandro Borba.

Mariana se foi de forma precoce e inesperada. Antes, deu vida ao filho Bernardo, que chega nesse mundo para tentar preencher o imenso vazio por ela deixado, e para ser luz em meio às trevas que sua morte representa.

A você, meu amigo Leandro, e a toda família de Mari, nosso mais sincero pesar. Apenas Deus pode confortar o coração de vocês nesse momento de indizível tristeza. Todos estão com você, cheios de certeza de que Mari foi luz em vida e deixou conosco o fruto de um amor infinito e puro, para ser cuidado e amado como ela foi durante o tempo que passou conosco!

 

clickpb

 

 

“Municípios estão se recusando a testar população contra a Covid-19 com medo do impacto eleitoral”, diz secretário de Saúde da Bahia

O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, declarou que apesar de o Governo do Estado oferecer testes para Covid-19, inclusive do tipo RT-PCR, considerado o mais confiável, alguns municípios estão se recusando a testar a população com medo de que isso possa ter impacto nas eleições municipais deste ano.

“Nós estamos no pé dos municípios. Oferecemos uma capacidade de testagem próxima a 5 mil exames por dia e estamos processando menos da metade. Isso porque ativamente, alguns deles, estão escondendo os testes que estão sendo realizados”, afirmou o secretário.

A acusação feita por Villas-Boas não citou o nome ou a quantidade de municípios que estaria recusando a testagem para Covid-19 e, procurada, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) também não detalhou. Mas segundo levantamento realizado pela Sociedade Brasileira de Imunologia (SBI), dos 417 municípios baianos, 16 deles tiveram queda no número de testes realizados.

Entre os cinco com maior redução na porcentagem estão Lagoa Real (-90%), Itaparica (-76%), Andaraí (-74%), Muquém do São Francisco (-73%) e Santa Rita de Cássia (-73%). A assessoria da SBI pontuou que o levantamento dos municípios que tiveram diminuição de testagem não apresenta os motivos da redução. Podendo ser considerados assim diversos fatores, como a redução de casos suspeitos, o que tornaria legítima a redução de testes, por exemplo.

A infectologista da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Raquel Stucchi, destacou a importância da testagem no combate à pandemia e definiu como grave a possível recusa na realização dos exames.

“A forma de fazer diagnóstico é testando, então quanto mais testes eu faço na população maior a chance de controlar a epidemia, evitando um aumento do número de casos. É gravíssimo que os gestores municipais não queiram fazer o teste na população, que está disponível, com medo que isso atrapalhe uma eventual campanha. É colocar em risco a saúde da população, é no mínimo improbidade administrativa”, ressaltou.

Apesar de ser uma das principais recomendações para conter o avanço do vírus, o Brasil ainda não consegue cumprir a testagem em massa. Nos últimos meses a quantidade de exames realizados aumentou, mas ainda está longe de ser suficiente, principalmente nos municípios do interior do país. Dados divulgados pelo Ministério da Saúde no último mês apontaram ainda que o ritmo de processamento dos exames na rede pública caiu 10% na comparação de agosto a setembro.

Campanhas

Outra preocupação é que as campanhas no interior do estado voltaram a registrar aglomerações, com trios-elétricos, desrespeitando as normas de segurança sanitária estabelecidas. O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), lançou uma campanha que conscientiza os candidatos a realizarem as programações externas diante aos eleitores. Com a determinação os partidos e coligações devem adotar medidas necessárias para que as campanhas atendam recomendações.

Procurado pela reportagem do portal Brasil61.com para repercutir a diminuição da testagem nos municípios em razão do período eleitoral, o TRE-BA indicou que o assunto deveria ser tratado com o Ministério Público Eleitoral, que também não se pronunciou. A Procuradoria-Regional Eleitoral, o Conselho Nacional dos Secretários e Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) também não se posicionaram.

Fonte: Brasil 61

 

 

Inquérito sorológico começa dia 26 de outubro e vai testar quase 2 mil paraibanos que convivem com crianças e adolescentes, diz secretário de Saúde da Paraíba

O inquérito sorológico, que testará paraibanos para covid-19 para saber a possibilidade de retorno das aulas presenciais na rede estadual de ensino na Paraíba, começa dia 26 de outubro, segundo informou ao ClickPB, o secretário de Estado da Saúde (SES), Geraldo Medeiros. Serão testados quase 2 mil pessoas que convivem com estudantes na faixa etária de ensino.

“Serão testados 1970 paraibanos em 130 municípios. Os usuários escolhidos foram aqueles que conviviam com crianças e adolescentes entre 03 e 17 anos com idosos acima de 60 anos ou aqueles que tenham doenças crônicas”, informou ao ClickPB, destacando que o inquérito começa dia 26 de outubro e a atuação em campo, dia 03 de novembro.

De acordo com Geraldo Medeiros, as famílias serão testadas e após dois meses, com o término do inquérito, vai ser possível mostrar o grau de imunidade da população e o que ocorrerá após a abertura das aulas presenciais. Mais de 160 mil pessoas que convivem com crianças e adolescentes têm mais de 60 anos ou algum tipo de comorbidade, ou seja, dentro do grupo de risco para a covid-19.

 

clickpb

 

 

Feriadão com praias lotadas é registrado mais uma vez em JP e secretário de saúde lamenta falta de consciência coletiva

Após mais um feriadão com praias lotadas em João Pessoa, o secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros voltou a pedir a conscientização por parte dos paraibanos para que evitem aglomerações e mantenham o distanciamento social tão necessário para evitar a proliferação do novo coronavírus que ainda continua causando vítimas em todo o estado.

De acordo com Geraldo não é porque existem as medidas de flexibilização que os cidadão podem relaxar demais e deixar de seguir normas que são fundamentais para que não haja contaminação em massa.

O secretário chamou a atenção para a segunda onda de contaminação que está acontecendo na Europa e pede que a população faça sua parte para que o mesmo não ocorra nos estados brasileiros, sobretudo na Paraíba.

“A sociedade paraibana precisa entender que mesmo coma flexibilização o distanciamento social é imprescindível para que não ocorram medidas de maior restrição sanitária ou que tenhamos que retroagir nessas medidas. Os exemplos estão aí no continente europeu” alertou durante entrevista à Rádio Correio FM.

PB Agora

 

Secretario de Saúde da Paraíba participará de reunião com ministério sobre distribuição da vacina de covid-19

O Ministério da Saúde promoverá na próxima quarta-feira (14) uma reunião virtual com a presença dos 27 secretários estaduais de saúde sobre a disponibilização da vacina de covid-19 para todos os estados.

A informação foi confirmada ao ClickPB pelo secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros.

Participarão da reunião o secretário executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco; o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass); o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems); Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz); DataSUS; Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos; Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS).

 

Bárbara Wanderley

 

 

Covid-19: secretário executivo da Saúde revela qual é a faixa etária que mais vem provocando óbitos na Paraíba

Mesmo com o número de contaminação da covid-19 reduzindo na Paraíba, o secretário executivo da Saúde do Estado, Daniel Beltrammi, alertou a população sobre a faixa etária compreendida entre 0 e 14 anos de pacientes com Covid-19 que tem uma letalidade de 10,54%. Este número, segundo, Daniel Beltrammi, chama atenção por apontar letalidade cinco vezes maior no quadro geral. “Esse número é muito importante”.

De acordo com os números enquanto as pessoas doentes que perdem a vida pela covid-19 é 2,3%, no estado, para aqueles que têm 14 anos ou menos, essa letalidade é de 10%. “É cinco vezes maior que a letalidade geral da doença”, comentou. Ele acrescentou que isto reforça que crianças e adolescentes são vulneráveis às manifestações graves da doença.

O boletim registrou 189 casos graves hospitalizados no Estado e vinte óbitos entre as crianças menores de 14 anos. Os dados divulgados na última quinta-feira (06), referentes ao Boletim Epidemiológico 56, mostram que as crianças de 28 a 364 dias são as maiores afetadas pela doença de acordo com a taxa de letalidade. Foram 52 casos e 14 falecimentos, resultando em uma letalidade de 41,18%. Em seguida, crianças de 1 a 4 anos também apresentaram uma maior concentração com 43 casos graves hospitalizados e 2 óbitos, com letalidade de 5,88%. A taxa foi a mesma para a população de 5 a 9 anos, que registrou 27 casos graves e 2 óbitos, e os menores de 28 dias de nascidos com 34 casos e duas mortes.

A faixa etária de 10 a 14 anos não registrou evolução para óbito, mas teve 34 casos acompanhados no Estado. A evolução dos casos entre os menores de 14 anos apontam 55% para a cura dos sintomas do novo coronavírus. Outros 45% se dividem em: 10% de óbito, 4% ignorado e 31% sem informações.

 

pbagora

 

 

Secretário pede que pais não deixem filhos voltar às aulas presenciais no Estado e alerta para risco de infecção por Síndrome Inflamatória grave

O secretário de Estado da Saúde (SES-PB), Geraldo Medeiros, através de vídeo divulgado nas redes sociais nesta segunda-feira (5), pediu aos pais que tenham alunos matriculados nas redes de ensino da Paraíba que não liberarem o retorno às aulas presencias. O anuncio veio após os prefeitos de João Pessoa e Campina Grande autorizarem o retorno do ensino médio a partir do dia 13, além das aulas em universidades que começam nesta segunda.

No vídeo, ele aponta que através da 9ª avaliação do Plano Novo Normal, que passa a vigorar a partir desta segunda, com base em seu Comitê Cientifico, com o retorno das aulas existe um risco das crianças desenvolverem a Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica após uma possível infecção pela Covid-19.

“Nos Estados Unidos por exemplo, no espaço de cinco meses houve um aumento de 500% no número de crianças contaminadas. Além disso, nós temos uma nova manifestação tardia da Covid-19 em crianças que é a Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica em que as crianças manifestam um quadro tardio, geralmente 15 dias após adquirir o novo coronavírus e que se apresenta com sintomas graves, como choques e queda da pressão arterial necessitando de cuidados intensivos.

Geraldo aleta ainda que apesar de ser um percentual pequeno, de 0,6 à 0,7% dos casos, há uma mortalidade elevada nesses casos. Ele citou que o Ministério da Saúde garantiu a vacinação até Janeiro e que, pregando cautela no retorno gradativo das atividades.

“O assessor especial do Ministro Eduardo Pazzuello nos confirmou que em janeiro nós teremos 6 milhões de vacinas e, entre janeiro e junho, temos mais de 100 milhões de vacinas distribuídas em todo o país pelo Ministério da Saúde, digo que esse é mais um elemento de nós termos cautela e aguardamos um pouco mais para liberar as aulas presenciais”, concluiu.

Confira:

 

Secretário de Saúde diz que retomada de aulas não deve ser apressada, que pais devem ser consultados e aponta risco de lockdown na Paraíba

O secretário executivo Daniel Beltrammi disse ao ClickPB, nesta sexta-feira (2), que a Secretaria da Saúde aguarda a análise da Procuradoria Geral do Estado (PGE) sobre a retomada das aulas presenciais em João Pessoa, Campina Grande e Cabedelo. Os prefeitos desses municípios autorizaram a retomadas das atividades nas escolas e instituições de ensino superior, na pandemia do novo coronavírus.

Segundo Daniel Beltrammi, “fazer essas medidas de maneira açodada pode trazer reflexos que nenhum de nós deseja.”

Ele também considera que os pais, mães e outros responsáveis deveriam ser consultados sobre esse retorno. “A opinião dos pais e das mães e dos responsáveis pelas crianças e adolescentes precisa ser ouvida. Pesquisas de opinião em cidades como São Paulo, por exemplo, demonstram que 75% dos pais e mães não são de acordo com a retomada das aulas dos ciclos presenciais pelos riscos envolvidos.”

O secretário lembrou ao ClickPB que a maior parte do estado ainda não está na bandeira verde de classificação para a flexibilização. “A Secretaria de Estado da Saúde mantém o seu firme propósito e sua ação coerente de lembrar que a imensa maioria do estado da Paraíba, dos seus municípios, aproximadamente 200, seguem em bandeira amarela. Isso significa que nós estamos ainda em estado de atenção na pandemia, que os decréscimos de casos de óbitos não foram suficientes para nos levar a uma bandeira verde predominante em todo o estado. Ainda temos um número inferior a 20 municípios em bandeira verde.”

Daniel informou que apenas na bandeira verde as aulas presenciais podem ser retomadas com protocolos de segurança. “Lembrar que a diferença das duas bandeiras é que em bandeira amarela as atividades educacionais presenciais elas não estão retomadas por questões de segurança sanitária. Somente na bandeira verde elas poderiam ser retomadas. Mas com a divulgação de planos de preparo e também de um calendário das atividades educacionais que pudessem responder a todas as famílias como seriam as atividades e as responsabilidades, obrigações sobre o ano letivo de 2020.”

O secretário executivo revelou que nenhum dos municípios informou ao Governo do Estado os protocolos para retomada das aulas presenciais. “Nesse contexto também é importante lembrar a todos que, apesar dos municípios serem autônomos, com autoridades sanitárias, não houve nenhuma apresentação para o Estado de como seria esse processo (de retomada). Então nós não sabemos com clareza quais são as recomendações e planos para essas autorizações de retomada.”

Ele citou o exemplo dos países europeus que sofrem nova onda de casos de Covid-19. “Nosso posicionamento é muito simples: nós temos observado os países, principalmente os europeus, que estão em momentos a frente na pandemia porque a pandemia começou primeiro, antes do Brasil e da Paraíba, nesses países. A posição deles é clara. Eu vou dar exemplos: países como a França, que agora estão com 16 mil casos ao dia, países como a Espanha, com 12 mil novos casos ao dia, países como a Inglaterra, com 6.800 novos casos ao dia, dizem bem claramente que essa retomada de casos novos se dá por dois tipos de situação: as atividades de trabalho em primeiro lugar e, no segundo lugar, a retomada das escolas e de universidades. Estados Unidos e Israel estão recomendando parada, Israel propondo lockdown.”

Daniel falou de como Manaus precisou recuar após flexibilizar aulas presenciais. “A cidade de Manaus está em lockdown. Eu vou repetir: a cidade de Manaus, a tão recomendada e exemplar cidade de Manaus, que retomou a atividade educacional, está em lockdown desde o dia 25 de setembro. Precisaram parar a cidade mais uma vez.”

“Fizemos um bom trabalho. O Governo da Paraíba ofertou e conduziu o Plano de Contingência com o máximo nível de seriedade e competência. Só não podemos retroceder”, completou Daniel Beltrammi.

 

clickpb