Arquivo da tag: sarampo

Vacinação contra o sarampo é prorrogada até 31 de outubro

A vacinação contra o sarampo, para a população de 20 a 49 anos, foi prorrogada e vai ser realizada até o dia 31 de outubro por todo o Brasil. Dados preliminares das secretarias estaduais de saúde, registrados no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações, apontam que desde o início da vacinação em 16 de março deste ano até o dia 17 de agosto, foram vacinadas 5,29 milhões de pessoas nessa faixa-etária.

Esse número está muito abaixo da estimativa do público-alvo definido pelo Ministério da Saúde, que é de aproximadamente 90 milhões de pessoas. Isso é um fator grave, pois a vacina contra o sarampo é a única forma de prevenção efetiva contra a doença, tanto que essa vacina é uma das que está no calendário de rotina de todo brasileiro.

O sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus, que pode ser fatal. A transmissão ocorre quando uma pessoa doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas, por isso é considerada uma doença de transmissão rápida e fácil.

De acordo com o Boletim Epidemiológico mais recente da doença, o Brasil permanece com surto de sarampo nas cinco regiões. A Região Norte apresenta 5 (71,4%) estados com surto, a Região Nordeste 6 (66,7%), a Região Sudeste 3 (75,0%), a Região Sul 3 (100,0%), e a Região Centro- -Oeste 4 (100,0%).

Os estados do Pará, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Santa Catarina concentram o maior número de casos confirmados de sarampo, totalizando 7.091 (98,3%) casos. O municípios de Barcarena (PA), foi um dos afetados pela doença, mas com uma ação de vacinação volante, foi possível conter o crescente número de casos na região, como explica Marciclene dos Santos, coordenadora de Imunização do município.

“Aqui no município conseguimos estabilizar o sarampo. No início do ano nós tivemos várias notificações que, posteriormente, se confirmaram como casos da doença. Chegamos ao total de 70 notificações e iniciamos uma varredura com uma equipe volante no município, fazendo visita a todos os bairros e, com isso, conseguimos paralisar o sarampo. E foi no estado como um todo. Barcarena foi um dos 18 municípios que tiveram aumento do sarampo”, explicou a coordenadora.

Para o Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde, a estratégia da vacinação, mesmo durante a pandemia da Covid-19, é uma questão de proteção social, pois evita agravamento da situação onde a doença está ocorrendo, além de impedir que ela se espalhe por outros lugares. Por isso, o chefe da Unidade de Doenças Infecciosas e Parasitárias do Complexo Hospitalar Universitário João de Barros Barreto, da Universidade Federal do Pará, Julius Monteiro, médico infectologista, avisa da importância de ir ao posto de saúde.

“Essa é uma vacina universal disponível em qualquer Unidade Básica de Saúde e todo brasileiro pode ter acesso. É a melhor forma de prevenção. E caso não tenha o cartão de vacina atualizado, pode procurar uma unidade de saúde e saber se há necessidade ou não de um reforço ou fazer novamente as doses da Tríplice Viral se não houver alguma comprovação”, afirmou o médico.

Vacinação no Brasil

O Brasil possui o maior programa público de imunização do mundo. São distribuídas mais de 300 milhões de doses de imunobiológicos anualmente. O Programa Nacional de Imunização (PNI) conta com 37 mil postos públicos de vacinação de rotina em todo o país. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as vacinas evitam entre 2 milhões e 3 milhões de mortes por ano. O desafio é conscientizar a sociedade que um dos maiores avanços contra as doenças na história da humanidade são as vacinas. É importante esclarecer que as epidemias podem surgir quando a cobertura vacinal cai.

Apesar disso, desde 2016 o Ministério da Saúde vem identificando queda das coberturas vacinais, o que significa que o número de crianças menores de dois anos que recebem proteção pelas vacinas está diminuindo. As vacinas para crianças menores de dois anos, oferecidas pelo SUS são importantes para evitar doenças que tem controle fácil por meio desse tipo de proteção. Entre as doenças que podem ser prevenidas estão formas graves da tuberculose, sarampo, caxumba, rubéola, hepatites A e B, poliomielite e febre amarela.

Das doenças eliminadas, a única que teve registro de casos, recentemente, foi o sarampo em 2019. O país empreendeu esforços para interromper a transmissão dos surtos que estavam ocorrendo em alguns estados e mantém a vigilância. De acordo com os dados mais recentes sobre a doença, apresentados no Boletim Epidemiológico 28, de julho de 2020, em 2019 foram confirmados 20.901 casos de sarampo e 16 óbitos decorrentes da doença. Em 2020, até julho deste ano, foram enviadas mais de 30 milhões de doses da vacina contra sarampo aos estados.

Vale destacar que uma doença é considerada eliminada quando não existem casos em uma determinada população, embora ainda existam no mundo as causas que podem potencialmente produzi-la. Uma doença considerada erradicada significa que não somente foram eliminados os casos, mas também as causas da doença, em especial, o agente. É ressaltar que a erradicação de uma doença adquire seu real significado quando alcançada numa escala mundial. Até o momento, essa situação de erradicação mundial só foi obtida com a varíola.

Fonte: Brasil 61

 

 

Etapa da campanha de vacinação contra sarampo para crianças e jovens termina nesta sexta, na PB

Termina nesta sexta-feira (13) a etapa da campanha de vacinação contra o sarampo na Paraíba para crianças a partir de cinco anos a jovens de até 19 anos. No Dia D da mobilização pela imunização, cerca de mil salas de vacinação em todo o estado foram abertas.

Em 2019, a Secretaria de Estado da Saúde, foram notificados 326 casos suspeitos de sarampo, em 79 dos 223 municípios. Do total de notificações, 52 casos foram confirmados, 257 descartados, 17 em investigação. Até o momento não foi registrada nenhuma morte por sarampo na Paraíba.

O objetivo desta etapa é atingir o público que não foi contemplado nas anteriores, mas que está na faixa etária de receber a vacina. De acordo com a chefe do Núcleo de Imunização da SES, Isiane Queiroga, a proposta do Ministério é finalizar as campanhas com todas as faixas etárias com direito de vacina protegidas.

O sarampo é uma doença viral aguda parecida com uma infecção do trato respiratório. É uma doença grave que pode ser fatal, principalmente em crianças menores de cinco anos, desnutridas e imunodeprimidos.

De acordo com a Prefeitura de João Pessoa, uma segunda etapa da vacinação na capital paraibana está prevista após 13 de março, destinada a vacina adultos de 30 a 59 anos, entre os dias 3 e 31 de agosto.

Em João Pessoa, houve casos de sarampo nos anos de 2010, 2013 e 2019. Em 2010, foram 50 casos confirmados e em 2013, seis casos da doença. Já em 2019, foram notificados 97 casos suspeitos, com 18 confirmados, 55 descartados com amostras positivas no Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba e Laboratório de referência nacional (Fiocruz).

G1

 

Dia ‘D’ de vacinação contra o sarampo acontece em cidades da Paraíba, neste sábado (15)

O dia ‘D’ de vacinação contra sarampo para pessoas de 5 a 19 anos acontece neste sábado (15), na Paraíba. A vacina da tríplice viral também protege contra caxumba e rubéola. De acordo com a Secretária de Saúde do estado, mais de mil postos de vacinação estarão abertos.

Em João Pessoa, mais de 100 postos de imunização estarão oferecendo a vacina, das 8h às 12h. Na capital paraibana, a vacina está disponível em todas as Unidades de Saúde da Família (USF), Policlínicas Municipais e no Centro Municipal de Imunizações, localizado no bairro da Torre.

Em Campina Grande, os Centros de Saúde do Catolé, Centro, Liberdade, Bela Vista, Policlínica das Malvinas e Unidade Mista de Galante funcionarão das 8h às 12h.

Em Patos, Sertão da Paraíba, todas as unidades básicas de saúde estarão abastecidas e abertas para imunizar o público alvo, das 8h às 17h. Em Bayeux, na Grande João Pessoa, o atendimento também acontece no mesmo horário.

Para ser imunizado, o usuário deve levar o cartão de vacina, uma vez que as vacinas serão dispensadas de acordo com a avaliação do cartão vacinal. Nesta etapa, será avaliado se a criança ou o jovem precisa tomar a dose, ou se a caderneta de vacina está em dia. O ideal para esta faixa etária da população é de duas doses da vacina.

Sarampo

De acordo com o Ministério da Saúde, o sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus, e pode causar morte. Os principais sintomas da doença são febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, nariz escorrendo ou entupido e mal-estar intenso. As complicações atingem mais gravemente os desnutridos, os recém-nascidos, as gestantes e as pessoas portadoras de imunodeficiências. A única forma de prevenção é a vacina.

Seguindo a orientação do Ministério da Saúde, a campanha contra o Sarampo acontecerá em duas etapas, para imunizar dois públicos diferentes. A primeira etapa teve início no dia 10 de fevereiro e segue até o dia 13 de março, imunizando pessoas com idade entre 5 e 19 anos. Na segunda etapa, deverão receber a vacina adultos de 30 a 59 anos, entre os dias 3 e 31 de agosto.

G1

 

Paraíba inicia hoje 3ª etapa da Campanha de Vacinação contra sarampo

Inicia nesta segunda-feira (10) a terceira etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo, voltada para crianças e jovens dos cinco aos 19 anos. A Secretaria de Estado da Saúde (SES) chama atenção para o calendário da campanha, que vai até o dia 13 março, com o Dia D no sábado (15), no qual cerca de mil salas de vacinas estarão abertas para receber o público.

Na Paraíba, o início das notificações sobre o sarampo se deu em julho de 2019, quando a preocupação com a reintrodução da doença no país preocupou as autoridades de saúde. De acordo com o boletim epidemiológico, até a 52ª Semana Epidemiológica terminada em 26 de dezembro de 2019, foram notificados 326 casos suspeitos de sarampo, em 79 dos 223 municípios. Do total de notificações, 52 casos foram confirmados, 257 descartados, 17 em investigação. Até o momento não ocorreu nenhum óbito.

O objetivo desta etapa é atingir o público que não foi contemplado nas anteriores, mas que está na faixa etária de receber a vacina. De acordo com a chefe do Núcleo de Imunização da SES, Isiane Queiroga, a proposta do Ministério é finalizar as campanhas com todas as faixas etárias com direito de vacina protegidas.  “Esta é uma campanha de atualização da situação vacinal, onde será avaliado se a criança ou o jovem precisa tomar a dose, ou se a caderneta de vacina está em dia, lembrando que o esquema para esta população é de duas doses da vacina”, explica a chefe.

O sarampo é uma doença viral aguda parecida com uma infecção do trato respiratório. É uma doença grave que pode ser fatal, principalmente em crianças menores de cinco anos, desnutridas e imunodeprimidos. A transmissão do vírus ocorre a partir de gotículas de pessoas doentes ao espirrar, tossir, falar ou respirar próximo de pessoas sem imunidade contra o vírus sarampo. Os sintomas variam desde tosse, febre, inchaço na garganta e espirros, até erupções na pele do paciente.  Em agosto será realizada uma campanha para adultos de 30 a 59 anos, para finalizar todas as faixas etárias do esquema vacinal.

 

Secom

 

 

Paraíba inicia nova etapa da vacinação contra o sarampo nesta segunda-feira

Nesta segunda-feira (10) terá início a terceira etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo, voltada para crianças e jovens dos cinco aos 19 anos. A Secretaria de Estado da Saúde (SES) chama atenção para o calendário da campanha, que vai até o dia 13 março, com o Dia D no sábado (15), no qual cerca de mil salas de vacinas estarão abertas para receber o público. A solenidade estadual será realizada em parceria com o município de Bayeux, localidade que apresentou mais casos da doença.

Na Paraíba, o início das notificações sobre o sarampo se deu em julho de 2019, quando a preocupação com a reintrodução da doença no país preocupou as autoridades de saúde. De acordo com o boletim epidemiológico, até a 52ª Semana Epidemiológica terminada em 26 de dezembro de 2019, foram notificados 326 casos suspeitos de sarampo, em 79 dos 223 municípios. Do total de notificações, 52 casos foram confirmados, 257 descartados, 17 em investigação. Até o momento não ocorreu nenhum óbito.

O objetivo desta etapa é atingir o público que não foi contemplado nas anteriores, mas que está na faixa etária de receber a vacina. De acordo com a chefe do Núcleo de Imunização da SES, Isiane Queiroga, a proposta do Ministério é finalizar as campanhas com todas as faixas etárias com direito de vacina protegidas. “Esta é uma campanha de atualização da situação vacinal, onde será avaliado se a criança ou o jovem precisa tomar a dose, ou se a caderneta de vacina está em dia, lembrando que o esquema para esta população é de duas doses da vacina”, explica a chefe.

O sarampo é uma doença viral aguda parecida com uma infecção do trato respiratório. É uma doença grave que pode ser fatal, principalmente em crianças menores de cinco anos, desnutridas e imunodeprimidos. A transmissão do vírus ocorre a partir de gotículas de pessoas doentes ao espirrar, tossir, falar ou respirar próximo de pessoas sem imunidade contra o vírus sarampo. Os sintomas variam desde tosse, febre, inchaço na garganta e espirros, até erupções na pele do paciente. Em agosto será realizada uma campanha para adultos de 30 a 59 anos, para finalizar todas as faixas etárias do esquema vacinal.

Secom-PB

 

 

Pediatra responde quando suspeitar do Sarampo nas crianças  

O sarampo é uma doença viral aguda, caracterizada por febre, tosse, coriza e conjuntivite seguidas, após três a cinco dias de exantema cutâneo (lesão na pele) que se inicia na cabeça e se estende para os pés. Segundo a pediatra Loretta Campo, a lesão na pele começa atrás das orelhas e, na linha do cabelo, e em seguida, se espalha para o resto do corpo, braços e pernas, de distribuição centrípeta, que não poupa região da planta dos pés e mãos.

“A temperatura diminui três a quatro dias após o surgimento da lesão na pele, sendo que esta desaparece após 5 a 6 dias do seu surgimento. Um a dois dias antes do aparecimento da lesão na pele, pode-se ter a presença das manchas de Koplik (pequenas manchas esbranquiçadas internamente nas bochechas, mais comum na região oposta aos dentes molares) ”, acrescenta a médica.

Caso a mãe suspeite de sarampo independentemente da idade e da situação vacinal, é importante ficar alerta caso a criança apresente febre e exantema maculopapular (área vermelha e plana na pele), acompanhados de um ou mais dos seguintes sintomas: tosse, coriza ou conjuntivite.

Dra. Loretta Campos: Pediatra e Consultora de Aleitamento Materno  – Pediatra pela Universidade de São Paulo (USP), Consultora Internacional em Aleitamento Materno (IBCLC), Consultora do sono, Educadora Parental pela Discipline Positive Association e membro das Sociedades Goiana e Brasileira de Pediatria. A médica aborda temas sobre aleitamento materno com ênfase na área comportamental da criança e parentalidade positiva.

Redes Sociais:

Instagram: @dralorettacampos

https://www.instagram.com/dralorettapediatra/

Facebook: @dralorettaoediatra

https://www.facebook.com/dralorettapediatra/

 

Boletim confirma 52 casos de sarampo de janeiro a dezembro na PB

O boletim epidemiológico 6, divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Gerência Executiva de Vigilância em Saúde, na Paraíba, aponta que até a 50ª Semana Epidemiológica, encerrada no dia 14 de dezembro, foram notificados 331 casos suspeitos de sarampo, em 81 dos 223 municípios. Do total de notificações, 52 casos (15,7%) foram confirmados, sendo 183 descartados ( 55,3%) e 96 em investigação (29%). Dos 81 municípios com notificação de casos suspeitos, 17 apresentaram confirmação de casos.

De acordo com o boletim, dos casos confirmados, 18 são em crianças menores de cinco anos e 11 em adultos jovens de 20 a 29 anos, que respondem por 55,8% do total de casos confirmados levando em consideração a faixa etária.

No que diz respeito à vacina tríplice viral – protege contra o sarampo, caxumba e rubéola – quando os dados são observados por município, percebe-se que, dos 223 municípios paraibanos, apenas 157 (70,4%) apresentam cobertura vacinal igual ou maior que 95%, até o mês de novembro. No entanto, a cobertura do Estado até outubro estava em 104,16%.

“As recomendações permanecem na manutenção de uma Vigilância Epidemiológica do sarampo nos municípios com equipes de investigação de campo para garantir a oportunidade adequada dos bloqueios e condução dos casos notificados, com oferta da vacina na rotina; busca das crianças menores de cinco anos para avaliação da caderneta e adultos jovens que tiverem viagens para municípios com surtos ativos, devem viajar com a caderneta em dia”, alertou a gerente de Vigilância em Saúde da SES, Talita Tavares.

 

portalcorreio

 

 

Sobe para 44 o número de casos de sarampo confirmados na Paraíba, diz secretaria

Subiu para 44 o número de casos de sarampo confirmados na Paraíba até esta sexta-feira (29), de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES). Dezesseis casos foram confirmados em João Pessoa, cinco em Sousa, três em Campina Grande, três em Bayeux, três em Santa Rita, dois em Santa Cecília, dois em Barra de São Miguel, dois em São Miguel de Taipu, um em Imaculada, um em Cabedelo, um no Congo, um em Guarabira, um em Lagoa Seca, um em Bananeiras, um no Conde e um em Santa Cruz. Até o dia 18 de novembro, o número de casos confirmados era 40.

Ao todo, 321 casos já foram notificados, com o descarte de 172 casos. Outros 105 casos seguem em investigação. De acordo com a SES, 56,9% dos casos confirmados correspondem a contaminação de crianças menores de 5 anos, com 14 casos, e adultos jovens de 20 a 29 anos, faixa etária com 11 casos registrados.

Ainda conforme a secretaria, no dia 30 de novembro deve ocorrer o “dia D” de vacinação para o público-alvo. A vacina contra o sarampo está disponível gratuitamente na rede pública de saúde.

Vacina está disponível em USFs

Em João Pessoa, de acordo com a prefeitura, a vacina está disponível em todas as Unidades de Saúde da Família (USF), Policlínicas Municipais e no Centro Municipal de Imunizações, localizado no bairro da Torre, de segunda à sexta-feira.

Já em Campina Grande, 15 unidades de saúde funcionam durante o horário do almoço para oferecer o serviço de vacinação. O objetivo da ação é atender as pessoas que trabalham em horário comercial e não têm tempo para tomar a vacina.

G1

 

Sobe para 40 o número de casos de sarampo confirmados na Paraíba, diz secretaria

Subiu para 40 o número de casos de sarampo confirmados na Paraíba até esta segunda-feira (18), de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES). Quinze casos foram confirmados em João Pessoa, três em Campina Grande, três em Bayeux, três em Santa Rita, dois em Santa Cecília, dois em Sousa, dois em Barra de São Miguel, dois em São Miguel de Taipu, um em Imaculada, um em Cabedelo, um no Congo, um em Guarabira, um em Lagoa Seca, um em Bananeiras, um no Conde e um em Santa Cruz. Até o dia 31 de outubro, o número de casos confirmados era 30.

Ao todo, 317 casos já foram notificados, com o descarte de 172 casos. Outros 105 casos seguem em investigação. Dos 40 casos confirmados, nove foram registrados em crianças com menos de 1 ano de idade.

A segunda etapa da vacinação contra o sarampo começou nesta segunda-feira em todo o estado. De acordo com a SES, o objetivo desta fase é imunizar jovens e adultos entre 20 e 29 anos que não estejam com a caderneta de vacinação em dia. Já a primeira etapa foi destinada às crianças de 6 meses a menores de 5 anos.

Ainda conforme a secretaria, no dia 30 de novembro deve ocorrer o “dia D” de vacinação para o público-alvo. A vacina contra o sarampo está disponível gratuitamente na rede pública de saúde.

Vacina está disponível em USFs

Em João Pessoa, de acordo com a prefeitura, a vacina está disponível em todas as Unidades de Saúde da Família (USF), Policlínicas Municipais e no Centro Municipal de Imunizações, localizado no bairro da Torre, de segunda à sexta-feira.

Já em Campina Grande, 15 unidades de saúde funcionam durante o horário do almoço para oferecer o serviço de vacinação. O objetivo da ação é atender as pessoas que trabalham em horário comercial e não têm tempo para tomar a vacina.

G1

 

Adultos entre 20 a 29 anos podem se vacinar contra o sarampo a partir desta segunda

Nesta segunda-feira (18), terá início a segunda etapa da Campanha de Vacinação contra o Sarampo, que segue até o dia 30, quando acontecerá o Dia D. Serão vacinadas as pessoas com idade entre 20 e 29 anos.

A meta de 95% de vacinação estabelecida pelo Ministério da Saúde, para crianças com idade de um ano, foi atingida na capital paraibana.

Em 2019 já foram administradas 47.631 doses da vacina tríplice viral, que também combate contra caxumba e rubéola.

Segundo boletim epidemiológico do Ministério da Saúde (MS), divulgado no dia 7 de novembro, em 2019, foram notificados 49.613 casos suspeitos de sarampo no Brasil. Desses, foram confirmados 10.429 (21,0%) casos, sendo 8.235 (79,0%) por critério laboratorial e 2.194 (21,0%) por critério clínico epidemiológico. Foram descartados 19.647 (39,6%) casos e permanecem em investigação 19.537 (39,4%).

Em João Pessoa houve casos de sarampo nos anos de 2010, 2013 e 2019. Em 2010 foram 50 casos confirmados e 2013, seis casos da doença. Já em 2019 foram notificados 84 casos suspeitos, com 13 (15,47%) confirmados, com amostras positivas no Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba e Laboratório de referência nacional – FIOCRUZ). Sendo, um caso para crianças menor de um ano; dois casos com idades de um a quatro anos; dez casos entre a faixa etária de 15 a 49 anos.

Também devem tomar a vacina: As crianças de seis meses a 11 meses devem tomar a chamada ‘dose zero’. Com 12 meses a criança irá tomar a tríplice viral e com 15 meses a tetra viral. Crianças menores de 5 anos (4 anos 11 meses e 29 dias), terão o cartão de vacinas atualizado e será ofertado a vacina conforme situação vacinal encontrada. Caso a pessoa comprove as duas doses, não é necessário tomar nenhuma a mais, já sendo considerada imunizada.

 

clickpb