Arquivo da tag: Russomanno

PRB oferece Russomanno para ser vice de Alckmin em 2014

Depois de negar apoio a Fernando Haddad (PT) e declarar neutralidade no segundo turno da eleição paulistana, o PRB de Celso Russomanno prepara o embarque na gestão do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

O partido, que é ligado à Igreja Universal e controla o Ministério da Pesca no governo Dilma Rousseff, quer fisgar ao menos uma secretaria de Estado. Em troca, promete apoiar a reeleição do tucano em 2014 contra o PT de Dilma e do ex-presidente Lula.

“Podemos oferecer o Russomanno como vice do Alckmin”, diz à Folha o presidente da sigla, Marcos Pereira. “Ele também pode ser candidato a outros cargos, mas isso é perfeitamente possível.”

O dirigente, que é bispo licenciado da Igreja Universal, diz que Alckmin faz um “bom governo”. “Acho que ele pode ser reeleito no primeiro turno. Minha tendência hoje é apoiar a Dilma no plano federal e o Alckmin no Estado.”

Ele diz não ver contradição na dupla aliança. Alega que siglas como PDT e PSB também apoiam as duas gestões.

Alckmin recebeu Russomanno no Palácio dos Bandeirantes na quarta-feira passada, sem a cúpula do PRB. O candidato derrotado a prefeito tem interesse no Procon, mas o partido prefere uma secretaria na área social.

“Temos quadros técnicos que podem colaborar com o governo”, afirma Pereira, que diz esperar uma audiência com o governador. “O que não for negociado comigo não contempla o partido.”

O dirigente critica o PT e Fernando Haddad, a quem culpa pela queda de Russomanno. Diz que ele “não foi leal” e usou “inverdades” ao atacar a ideia da tarifa proporcional nos ônibus.

Pereira também reclama da negociação frustrada com os petistas no segundo turno. “Olha o tratamento que deram ao PMDB do Gabriel Chalita. Podiam ter feito um gesto mais atencioso conosco.”

Segundo dirigentes da campanha petista, o acordo não foi fechado porque Dilma se recusou a dar mais um ministério ao partido. Pereira diz que não pediu cargos.

Folha.com

Eleitor de Russomanno muda de voto por dúvida e medo

Medo de pagar mais com a tarifa proporcional para o transporte público, explicações confusas do candidato sobre essa e outras propostas, plano de governo fraco feito por um “laranja”, dúvidas acerca de sua capacidade de gerir uma cidade como São Paulo, falta de transparência sobre a ligação com a igreja. O eleitor vai listando os motivos que o fizeram, a poucos dias das eleições, desistir de Celso Russomanno (PRB), que liderou as pesquisas de intenção de voto até a reta final, mas acabou derrotado no primeiro turno.

O jornal “O Estado de S. Paulo” voltou a conversar com eleitores que há 15 dias haviam declarado, em uma reportagem, voto ao candidato do PRB. No anonimato das urnas, nenhum deles manteve-se fiel a Russomanno. Dividiram-se principalmente entre Fernando Haddad (PT) e José Serra (PSDB) ou anularam o voto, retrato do resultado nas urnas no domingo (7). Poucos dias antes, ninguém imaginava esse cenário.

“Ah, eu não senti firmeza no Russomanno, sabe? Sempre fui petista! Aí pensei: melhor ficar no mesmo do que mudar para pior, não é?”, disse a costureira Domingas Martins de Jesus, de 51 anos, de Cidade Tiradentes, reduto do PT onde às vésperas do pleito Haddad ainda perdia para candidato do PRB. “(Na urna) Cheguei a pensar no Russomanno, mas desisti. Sou baiana e na minha terra o Lula fez muito, levou água pro sertão.”

Católica, com uma irmã evangélica e a outra da denominação Testemunhas de Jeová, ela diz que não ficou claro “de que lado” o candidato estava. “Eu respeito todas as religiões, mas essa coisa de ele não se revelar… E ainda querer envolver a igreja na política, isso não ia dar certo!”

A diarista Bernadete de Souza, de 37 anos, pensa como Domingas. Moradora do Grajaú, no zona sul, outro reduto petista, e fiel à Assembleia de Deus, inicialmente ela avaliou que seria bom eleger alguém ligado aos evangélicos. À medida que a disputa avançava, pensou melhor: “Não estou votando para bispo, mas para prefeito!”. E deu seu voto ao PT.

Outra dúvida uniu as duas mulheres, e o extremo leste à zona sul: se seus filhos pagariam mais pelo transporte público com Russomanno na Prefeitura. A campanha do PT usou a tarifa proporcional para desconstruir o projeto do PRB, sem ter de fazer ataques pessoais ao candidato.

Flávio, filho de Domingas, pega ônibus, trem e metrô para chegar ao laboratório onde trabalha como recepcionista na Avenida Paulista, em um trajeto que dura 1h30. “A gente ficou na dúvida: será que pagaria mais?”, diz ela, ainda com um ponto de interrogação no final da frase. “Na dúvida, melhor não arriscar”, completa a costureira.

A dona de casa Sandra de Souza Custódio Novaes, de 40 anos, ficou em dúvida até o último momento. “A tarifa influenciou”, ela diz, mas a falta de experiência do candidato do PRB na política e um plano de governo, em sua opinião, irrealista foram determinantes. “Acho que ele (Russomanno) prometeu coisas que não conseguiria cumprir. É sempre assim quando não se é político”, diz. Diante da urna, decidiu anular o voto.

A falta de experiência foi o mote dos discursos de Serra e Haddad contra Russomanno e contou para que a agente de turismo Paloma Tonin, de 28 anos, pensasse melhor. “Eu tendia para o Russomanno, mas vi que não tinha prática. Também li na internet a proposta dele e achei fraca”, diz, mencionando ainda escândalos revelados na campanha. “É, ele (Russomanno) me pareceu ser um pouco falso”.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Russomanno tem 25%, Serra, 23%, e Haddad, 19%, diz Datafolha

O Datafolha divulgou, nesta quarta-feira (3), uma nova pesquisa de intenção de voto sobre a disputa pela Prefeitura de São Paulo neste ano.

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S.Paulo”.

Segundo o Datafolha, “a quatro dias da eleição, Celso Russomanno (PRB) atingiu seu índice mais baixo de intenção de voto desde o início oficial da corrida eleitoral e, com 25% de preferência entre os eleitores de São Paulo, está tecnicamente empatado com José Serra (PSDB), que tem 23%. Na semana passada, o candidato do PRB tinha 30% das intenções de voto, e o tucano, 22%. Mesmo empatado na liderança, Serra não conseguiu abrir vantagem sobre Fernando Haddad (PT), que oscilou de 18% para 19% e manteve o empate técnico com o ex-governador. A distância de Russomanno para Haddad agora é de seis pontos – metade da registrada no último levantamento”.

Veja os números do Datafolha para a pesquisa estimulada:
Celso Russomanno (PRB) – 25% das intenções de voto
José Serra (PSDB) – 23%
Fernando Haddad (PT) – 19%
Gabriel Chalita (PMDB) – 11%
Soninha (PPS) – 4%
Carlos Giannazi (PSOL) – 1%
Paulinho da Força (PDT) – 1%
Levy Fidelix (PRTB) – 1%
Em branco/nulo – 8%
Não sabe – 6%

Os candidatos Ana Luiza (PSTU), , Anaí Caproni (PCO), Eymael (PSDC) e Miguel (PPL) foram citados mas não atingiram 1%.

A pesquisa foi realizada nos dias 2 e 3 de outubro. Foram entrevistadas 2.099 pessoas na cidade de São Paulo. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP), sob o número SP-01536/2012.

Veja os números do Datafolha, considerando os votos válidos:
Celso Russomanno (PRB) – 29% dos votos válidos
José Serra (PSDB) – 27%
Fernando Haddad (PT) – 22%
Gabriel Chalita (PMDB) – 13%
Soninha (PPS) – 5%
Ana Luiza (PSTU) – 1%
Carlos Giannazi (PSOL) – 1%
Paulinho da Força (PDT) – 1%
Levy Fidelix (PRTB) – 1%

Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no primeiro turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto.

Pesquisas estimuladas anteriores
A primeira pesquisa do Datafolha foi divulgada em 21 de julho e registrou os seguintes resultados: José Serra com 30%; Celso Russomanno (26%); Fernando Haddad e Soninha (7%); Gabriel Chalita (6%); Paulinho da Força (5%); Ana Luiza (1%); Carlos Giannazi (1%); Levy Fidelix (1%), Miguel, Eymael e Anaí Caproni não pontuaram.

Na segunda pesquisa, divulgada em 21 de agosto, o resultado foi: Celso Russomanno (31%), José Serra (27%), Fernando Haddad (8%), Gabriel Chalita (6%), Soninha (5%), Paulinho da Força (4%) e Ana Luiza (1%); Carlos Giannazi, Levy Fidelix, Miguel, Eymael e Anaí Caproni não pontuaram.

Na terceira pesquisa, divulgada em 31 de agosto, o resultado foi: Celso Russomanno (31%), José Serra (22%), Fernando Haddad (14%), Gabriel Chalita (7%), Soninha (4%), Paulinho da Força (2%) e Ana Luiza(1%) e Carlos Giannazi (1%); Miguel, Eymael, Anaí Caproni e Levy Fidelix não pontuaram.

Na quarta pesquisa, divulgada em 5 de setembro, o resultado foi: Celso Russomanno (35%), José Serra (21%), Fernando Haddad (16%), Gabriel Chalita (7%), Soninha (5%), Paulinho da Força (1%). A intenção de voto nos demais candidatos e o número de eleitores que declararam voto branco ou nulo ou não responderam não foram divulgados.

Na quinta pesquisa, divulgada em 12 de setembro, o resultado foi: Celso Russomanno (32%), José Serra (20%), Fernando Haddad (17%), Gabriel Chalita (8%), Soninha (5%), Paulinho da Força (1%) e Carlos Giannazi (1%); Levy Fidelix, Anaí Caproni, Eymael, Miguel e Ana Luiza foram citados mas não atingiram 1%.

Na sexta pesquisa, divulgada em 20 de setembro, o resultado foi: Celso Russomanno (35%), José Serra (21%), Fernando Haddad (15%), Gabriel Chalita (8%), Soninha (4%), Paulinho da Força (1%), Carlos Giannazi (1%) e Ana Luiza (1%); Levy Fidelix, Anaí Caproni, Eymael, Miguel foram citados mas não atingiram 1%.

Na sétima pesquisa, divulgada em 27 de setembro, o resultado foi: Celso Russomanno (30%), José Serra (22%), Fernando Haddad (18%), Gabriel Chalita (9%), Soninha (4%), Paulinho da Força (1%), Carlos Giannazi (1%) e Ana Luiza (1%); Levy Fidelix, Anaí Caproni, Eymael, Miguel foram citados mas não atingiram 1%.

Segundo turno
O Datafolha também simulou o segundo turno com os nomes dos três primeiros colocados na pesquisa. Russomanno venceria se disputasse contra Serra ou Haddad, e Haddad venceria Serra. Os resultados dos três cenários foram:

– Russomanno 47% x 35% Serra
– Russomanno 45% x 36% Haddad
– Haddad 44% x 39% Serra

Rejeição
O Datafolha perguntou ainda em quem os entrevistados não votariam de jeito nenhum. Serra foi o mais citado, com índice de rejeição de 45%. Russomanno tem 26% e Haddad, 25%. Na sequência aparecem Paulinho da Força (22%), Soninha (22%), Levy Fidelix (22%), Eymael (19%), Ana Luiza (16%), Miguel (15%), Chalita (15%), Anaí Caproni (14%) e Carlos Giannazi (13%).

G1

Edir Macedo usa blog para atacar Haddad e defender voto em Russomanno

Reprodução de carta publicada no blog do bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus

Reprodução de carta publicada no blog do bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus

O bispo Edir Macedo, líder da Iurd (Igreja Universal do Reino de Deus) e dono da Rede Record, publicou nesta quarta-feira (3) em seu blog uma carta que defende a candidatura de Celso Russomanno, candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, e faz ataques diretos a Fernando Haddad, candidato do PT.

A carta é atribuída a um membro da igreja, que assina apenas como “amigo”. Na última semana, Edir Macedo disse, durante um culto, que sequer conhece Russomanno.

A cúpula do PRB é formada por personagens do alto escalão da Iurd, como o bispo licenciado Marcos Pereira, coordenador da campanha de Russomanno.

Na carta, o “amigo” pede “permissão para fazer desabafo sobre as mentiras, as maquinações, as formas espúrias com as quais estão atingindo a população de São Paulo” e lista cinco motivos para que o eleitor não vote em Haddad e outros cinco motivos para que escolha Russomanno –o primeiro deles é que “o PRB, partido de Russomanno, tem em seus cargos de direção verdadeiros homens de Deus”.

Já os motivos para não votar em Haddad incluem o que foi chamado de “kit-gay” –cartilha contra a homofobia e o preconceito que o governo distribuiria em escolas, idealizada quando Haddad era ministro da Educação.

Os outros dois motivos são as “mentiras” que Haddad diz sobre a proposta de tarifa proporcional de Russomanno, os problemas que o ex-ministro enfrentou com o vazamento de provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e, ainda, o julgamento do mensalão, em curso no STF (Supremo Tribunal Federal).

O UOL entrou em contato com a assessoria de imprensa do bispo Edir Macedo e aguarda resposta. A campanha de Haddad também foi procurada, mas ainda não se manifestou sobre os ataques.

UOL

Datafolha: Russomanno cai para 25%, Serra vai a 23% e Haddad tem 19%

A três dias da eleição, o candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, caiu para 25% das intenções de voto, segundo pesquisa do instituto Datafolha divulgada nesta quarta-feira, 3. Ele caiu cinco pontos porcentuais em relação ao levantamento anterior, feito na semana passada, e agora aparece empatado tecnicamente com o tucano José Serra, que tem 23%. O petista Fernando Haddad vem logo atrás, com 19%, e o peemedebista Gabriel Chalita, com 11%.

Pesquisa Ibope/Estado/TV Globo realizada nesta terça-feira, 2, mostrou que o candidato do PRB obteve 27%, ante 34% da medição anterior do instituto. Serra e Haddad seguiram empatados com 19% e 18%, respectivamente.

Em um eventual segundo turno contra Serra, Russomanno venceria por 47% a 35%. Ele venceria também Haddad, por 45% a 36%. Em um eventual confronto entre PSDB e PT, Haddad ganharia por 44% a 39%.

O Datafolha ouviu 2.100 eleitores entre os dias 2 e 3 de outubro. A margem de erro máxima da pesquisa é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos. O levantamento foi registrado na Justiça Eleitoral sob o protocolo SP-01536/2012.

estadao.com.br

Em artigo no “Metro”, Datena critica Russomanno e diz que “urna não é televisão”

Na última segunda-feira (24/9), o apresentador José Luiz Datena,  da Band, utilizou sua coluna no jornal Metro para criticar Celso Russomanno, candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo e ex-apresentador da TV Record, informou o portal tv online.

Crédito:Divulgação
Apresentador da Band criticou forma como Russomano age na campanha eleitoral

“Aparecer na televisão com milhões de pessoas confiando em você te dá uma vantagem em relação aos demais candidatos. Pode ser legal, mas não é justo. Ainda mais quando você mistura religião no meio dessa receita”, escreveu Datena no texto ‘Urna não é televisão nem igreja”.

“O fato de o cara ter popularidade necessariamente não vai significar que ele é um bom administrador ou que tenha credibilidade”, afirmou.. “Nada contra o Celso Russomanno, que sempre foi um cara simpático comigo. Também nada a favor, exatamente pelo que ele representa”, completou.

Portal IMPRENSA

Russomanno tem 35%, Serra, 19%, e Haddad, 15%, diz Ibope

O Ibope divulgou, nesta quinta-feira (13), a quarta pesquisa de intenção de voto sobre a disputa pela Prefeitura de São Paulo após a definição dos candidatos.

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “O Estado de S.Paulo”.

Em relação à pesquisa anterior, Russomanno passou de 31% para 35%, Serra foi de 20% para 19%, e Haddad, de 16% para 15%; tucano e petista estão em empate técnico.

Veja os números do Ibope para a pesquisa estimulada:
Celso Russomanno (PRB) – 35% das intenções de voto
José Serra (PSDB) – 19%
Fernando Haddad (PT) – 15%
Gabriel Chalita (PMDB) – 6%
Soninha (PPS) – 4%
Paulinho da Força (PDT) – 1%
Carlos Giannazi (PSOL) – 1%
Ana Luiza (PSTU) – não pontuou
Anaí Caproni (PCO) – não pontuou
Miguel (PPL) – não pontuou
Levy Fidelix (PRTB) – não foi citado
Eymael (PSDC) – não foi citado
Em branco ou nulo – 13%
Não sabe – 6%

A pesquisa foi realizada entre os dias 10 e 12 de setembro. Foram entrevistadas 1.001 pessoas na cidade de São Paulo. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP), sob o número SP-00835/ 2012.

Pesquisas anteriores
A primeira pesquisa do Ibope foi divulgada em 3 de agosto e registrou os seguintes resultados: José Serra (26%); Celso Russomanno (25%); Soninha (7%); Fernando Haddad (6%); Gabriel Chalita (5%); Paulinho da Força (5%); Ana Luiza (1%); Carlos Giannazi (1%); Eymael (1%); Levy Fidelix, Miguel e Anaí Caproni não pontuaram.

A segunda pesquisa foi divulgada em 16 de agosto e registrou os seguintes resultados: Celso Russomanno e José Serra (26% cada um); Fernando Haddad (9%), Gabriel Chalita, Paulinho da Força e Soninha (5% cada um), Ana Luiza e Carlos Giannazi (1% cada um), Eymael e Levy Fidelix não pontuaram, Miguel e Anaí Caproni não foram citados.

A terceira pesquisa foi divulgada em 31 de agosto e registrou os seguintes resultados: Celso Russomanno (31%), José Serra (20%), Fernando Haddad (16%), Gabriel Chalita (5%), Soninha (4%), Paulinho da Força (1%). Ana Luiza, Carlos Giannazi, Eymael, Miguel e Anaí Caproni não pontuaram. Levy Fidelix não foi citado.

Segundo turno
O Ibope também simulou o segundo turno com os nomes dos três primeiros colocados na pesquisa. Russomanno venceria se disputasse contra Serra ou Haddad, e Haddad venceria Serra. Os resultados dos três cenários foram:
– Russomanno 52% x 25% Serra
– Russomanno 50% x 25% Haddad
– Haddad 37% x 33% Serra

G1

SP: Russomanno oscila 3 pontos, mas mantém liderança; Haddad encosta em Serra

O candidato do PRB Celso Russomanno oscilou negativamente três pontos percentuais, mas mantém a liderança na disputa à Prefeitura de São Paulo, com 32% das intenções de voto.

Pesquisa Datafolha concluída nesta terça-feira mostra que essa é a primeira variação negativa do candidato desde dezembro, quando iniciou a trajetória que o levou de 16% a 35% das intenções de voto.

A manifestação espontânea de voto –quando não é apresentada ao eleitor lista com nomes– em Russomanno também oscilou negativamente, de 25% para 22% em relação à pesquisa feita no início do mês.

Os dados apontam ainda que passou de cinco para três pontos percentuais a distância entre José Serra (PSDB) e Fernando Haddad (PT), que estão tecnicamente empatados em segundo lugar.

O tucano oscilou um ponto percentual para baixo e agora tem 20%. O petista oscilou positivamente um ponto e foi a 17%.

Os dados foram colhidos a pouco mais de três semanas do 1º turno das eleições e 21 dias depois do início da propaganda dos candidatos no rádio e na TV.

Serra e Haddad têm o maior espaço na propaganda. Russomanno, o quarto.

O Datafolha mostra ainda que Gabriel Chalita (PMDB) oscilou de 7% para 8%. Soninha (PPS), com 5%, Giannazi (PSOL) e Paulinho (PDT), ambos com 1%, mantiveram os índices. Os demais não pontuaram.

Foram ouvidas 1.221 pessoas entre 10 e 11 de setembro. A margem de erro da pesquisa, encomendada pela Folha e pela TV Globo, é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

REJEIÇÃO

O Datafolha também perguntou aos eleitores em quais candidatos eles não votariam de jeito nenhum. A rejeição a Serra subiu de 42% a 46%, índice recorde e o maior entre os concorrentes. O de Russomanno, que é um dos menores, foi de 12% a 16%.

Nas simulações de 2º turno, Russomanno vence Serra e Haddad com diferença de 27 e 23 pontos, respectivamente. Na disputa entre o tucano e o petista, o 2º leva a melhor por 7 pontos.

De acordo com o diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, mais do que conclusões a pesquisa traz indício de acirramento a se confirmar nos próximos levantamentos.

Paulino aponta como um desses indícios o aumento do total dos paulistanos que não aponta nenhum candidato (brancos, nulos ou indecisos), que passou de 12% para 16%.

Folha

Russomanno tem 35%, Serra, 21%, e Haddad, 16%, aponta Datafolha em SP

O Datafolha divulgou, nesta quarta-feira (5), uma nova pesquisa de intenção de voto sobre a disputa pela Prefeitura de São Paulo neste ano. A pesquisa foi encomendada pelo jornal “Folha de S.Paulo” e realizada nos dias 3 e 4 de setembro.

Em relação à pesquisa anterior, Russomanno foi de 31% para 35%, Serra, de 22% para 21%, e Haddad, de 14% para 16%.

Veja os números do Datafolha para a pesquisa estimulada:
Celso Russomanno (PRB) – 35% das intenções de voto
José Serra (PSDB) – 21%
Fernando Haddad (PT) – 16%
Gabriel Chalita (PMDB) – 7%
Soninha (PPS) – 5%
Paulinho da Força (PDT) – 1%

A intenção de voto nos demais candidatos e o número de eleitores que declararam voto branco ou nulo ou não responderam não foram divulgados.

Foram entrevistadas 1.078 pessoas na cidade de São Paulo. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP), sob o número 00711/2012.

Pesquisas anteriores
A primeira pesquisa do Datafolha foi divulgada em 21 de julho e registrou os seguintes resultados: José Serra com 30%; Celso Russomanno (26%); Fernando Haddad e Soninha (7%); Gabriel Chalita (6%); Paulinho da Força (5%); Ana Luiza (1%); Carlos Giannazi (1%); Levy Fidelix (1%), Miguel, Eymael e Anaí Caproni não pontuaram.

Na segunda pesquisa, divulgada em 21 de agosto, Celso Russomanno apareceu com 31% das intenções de voto, José Serra (27%), Fernando Haddad (8%), Gabriel Chalita (6%), Soninha (5%), Paulinho da Força (4%), Ana Luiza (1%) e Carlos Giannazi, Levy Fidelix, Miguel, Eymael e Anaí Caproni não pontuaram.

Na terceira pesquisa, divulgada em 31 de agosto, Celso Russomanno apareceu com 31% das intenções de voto, José Serra (22%), Fernando Haddad (14%), Gabriel Chalita (7%), Soninha (4%), Paulinho da Força (2%) e  Ana Luiza(1%) e Carlos Giannazi (1%). Miguel, Eymael, Anaí Caproni e Levy Fidelix não pontuaram.

Segundo turno
O Datafolha também simulou o segundo turno com os nomes dos três primeiros colocados na pesquisa. Na primeira simulação, o Datafolha perguntou em quem o eleitor votaria se o segundo turno fosse hoje entre Celso Russomanno e José Serra. Russomanno venceria com 58% e Serra teria 30%.

Em um possível segundo turno entre Russomanno e Fernando Haddad, o candidato do PRB teria 56% e o do PT, 30%.

O Datafolha também simulou um possível segundo turno entre os candidatos do PSDB, José Serra, e Fernando Haddad, do PT. Se a disputa fosse agora, Haddad venceria com 46% dos votos, e Serra teria 37%.

Em todas as simulações para o segundo turno a margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Rejeição aos candidatos

O Datafolha testou ainda a rejeição dos candidatos. José Serra apresenta o maior índice – 42%. Veja os índices de rejeição de todos os candidatos:

José Serra (PSDB) – 42%
Paulinho da Força (PDT) – 20%
Soninha (PPS) – 20%
Celso Russomanno (PRB) – 12%
Fernando Haddad (PT) – 18%
Gabriel Chalita (PMDB) – 11%

A rejeição dos demais candidatos não foi divulgada.

G1

Russomanno tem 31%, Serra, 22%, e Haddad, 14%, diz Datafolha

O Datafolha divulgou nessa quarta-feira (29) uma nova pesquisa de intenção de voto sobre a disputa pela Prefeitura de São Paulo.

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S.Paulo”.

Em relação à pesquisa anterior, Celso Russomanno manteve 31% das intenções de voto, José Serra (PSDB) foi de 27% para 22% e Fernando Haddad (PT), de 8% para 14%.

Veja os números do Datafolha para a pesquisa estimulada:
Celso Russomanno (PRB) – 31% das intenções de voto
José Serra (PSDB) – 22%
Fernando Haddad (PT) – 14%
Gabriel Chalita (PMDB) – 7%
Soninha (PPS) – 4%
Paulinho da Força (PDT) – 2%
Ana Luiza (PSTU) – 1%
Carlos Giannazi (PSOL) – 1%
Levy Fidelix (PRTB) – Não pontuou
Miguel (PPL) – Não pontuou
Eymael (PSDC) – Não pontuou
Anaí Caproni (PCO) – Não pontuou
Em branco ou nulo – 10%
Não sabe – 7%

A pesquisa foi realizada entre os dias 28 e 29 de agosto. Foram entrevistadas 1069 pessoas na cidade de São Paulo. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP), sob o número SP-00582/2012.

Pesquisas anteriores
A primeira pesquisa do Datafolha foi divulgada em 21 de julho e registrou os seguintes resultados: José Serra com 30%; Celso Russomanno (26%); Fernando Haddad e Soninha (7%); Gabriel Chalita (6%); Paulinho da Força (5%); Ana Luiza (1%); Carlos Giannazi (1%); Levy Fidelix (1%), Miguel, Eymael e Anaí Caproni não pontuaram.

Na segunda pesquisa, divulgada em 21 de agosto, Celso Russomanno apareceu com 31% das intenções de voto, José Serra (27%), Fernando Haddad (8%), Gabriel Chalita (6%), Soninha (5%), Paulinho da Força (4%), Ana Luiza (1%) e Carlos Giannazi, Levy Fidelix, Miguel, Eymael e Anaí Caproni (PCO) não pontuaram.

Rejeição aos candidatos
O Datafolha também perguntou em quem os entrevistados não votariam de jeito nenhum: Serra foi o mais citado, com índice de rejeição de 43%. Paulinho da Força tem 25%, Soninha, 24%; Eymael, Levy Fidelix e Fernando Haddad, 21% cada um; Anaí Caproni e Miguel, 16% cada um; Celso Russomanno, Gabriel Chalita e Ana Luiza, 15% cada um, e Carlos Gianazzi, 12%.

Na pesquisa anterior, os resultados da rejeição foram os seguintes: José Serra (38%); Paulinho da Força e Soninha (19% cada um); Eymael e Levy Fidelix (17% cada um); Haddad (15%); Russomanno (12%); Chalita e Miguel (11% cada um); Anaí Caproni e Ana Luiza (9% cada uma); e Gianazzi (8%).

G1