Arquivo da tag: Ronco

Canto, dieta e exercício amenizam ronco e problemas bucais

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Além de prejudicar a saúde em geral, o ronco traz prejuízos para a saúde bucal. Normalmente, os roncadores pessoas que respiram pelo nariz, o que provoca a xerostomia – boca seca. As consequências vão desde uma simples cárie até gengivite e mau hálito.

 

Por mais que pareça uma história de terror, passar a noite com a boca aberta também dá chance para insetos e microrganismos entrarem no organismo e desencadearem doenças.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Para evitar esse incômodos, há meios de diminuir o ronco. Placas intraorais, mudanças de hábitos e até o canto são indicados.

 

Cante
Por três meses, 60 participantes de uma pesquisa do hospital Royal Devon and Exeter, Inglaterra, fizeram aulas de canto para melhorar a tonificação dos músculos da garganta. Os exercícios foram desenvolvidos especificamente para pessoas que roncam. Os pacientes que fizeram estes exercícios conseguiram diminuir e até acabar com o problema. A atividade precisa ser diária durante três meses. O estudo concluiu que os exercícios vocais funcionam para as pessoas que sofrem de uma forma simples de ronco ou apneia do sono leve ou moderada.

 

Melhore a alimentação
Com alguns quilinhos a mais é possível que o ronco aumente, já que a gordura que fica acumulada na garganta pode dificultar a passagem de ar.

 

Faça exercícios físicos
A endorfina – que traz sensação de bem-estar ao corpo –, liberada durante os exercícios, é responsável pelas boas noites de sono. Os sedentários levam mais tempo para dormir: são em média dez minutos, contra sete dos que se exercitam regularmente.

 

Não ingira bebida alcoólica 
Assim como alguns remédios tranquilizantes, a bebida alcoólica relaxa a musculatura, e a língua ainda pode atrapalhar a saída de ar.

 

Durma de lado
De barriga para cima, a língua pode obstruir a passagem de ar, uma vez que fica mais próxima ao céu da boca.

 

Pare de fumar
O tabaco incha a garganta e irrita as vias respiratórias.

 

 

Terra

Ronco em crianças pode sugerir alergias e infecções respiratórias

O ronco infantil pode sugerir que a criança sofra de doenças respiratórias comuns da infância. Ele é comum, principalmente na faixa etária entre dois e nove anos. O alerta é feito pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC/FMUSP).

As infecções do aparelho respiratório são mais frequentes nos primeiros anos de vida, quando se desenvolve a imunidade a partir do contato com o ambiente, ressalta a pediatra do HC Filumena Gomes. “Com o início da escolarização, ela [criança] tem mais contato com vírus e bactérias, e acaba tendo mais infecções que os adultos”.

Segundo a pediatra, o ruído provocado pela obstrução da via respiratória pode ocorrer por causa do aumento do tecido adenoideano, de infecções respiratórias, ou da existência de alergias não tratadas.

Existem também os casos de crianças que roncam por estarem em um processo de doença respiratória aguda, como amidalite ou rinite alérgica não tratada. De acordo com a médica, na maioria desses casos, o tratamento dos problemas respiratórios leva o paciente a deixar de roncar.

Mais importante, porém, do que interromper o incômodo do ronco é impedir que o problema gere comprometimentos anatômicos mais graves no futuro. A pediatra explica que o sistema respiratório da criança está em desenvolvimento nesse período da vida e o ronco prolongado, assim como suas causas, podem ocasionar sequelas permanentes.

“Algumas delas são o comprometimento dos aparelhos fonoaudiológico e respiratório, além de alteração óssea da face e da arcada dentária”.

Outros problemas associados ao ronco infantil são o desenvolvimento de um palato mais fundo, a alteração da formação da fala, da postura da língua e da boca. Nesses casos, o uso excessivo de chupetas, mamadeiras e dedo levado à boca por crianças com mais de um ano, pode gerar problemas sérios. “As causas do ronco na criança podem ser menos graves que em adulto em um primeiro momento, mas, nas crianças, podem levar a consequências de longo prazo”.

Filumena orienta que os pais verifiquem se a respiração durante o sono de seus filhos ocorre pelo nariz e com a boca fechada. “Se essa respiração passa por outras vias que não o nariz, ela pode levar a deformidades anatômicas e funcionais”. Se for constatada alguma anormalidade, deve-se fazer uma avaliação com o pediatra e, se necessário, encaminhar a criança para um tratamento com profissionais especializados em distúrbios do sono.

Agência Brasil