Arquivo da tag: respondem

Bebês com microcefalia respondem bem a tratamento com botox

microcefaliaA manhã da sexta-feira (19) foi de novidade para os bebês Joanderson Belo e Maria Isabela Amorim, de oito e dez meses de idade. Ambas com microcefalia, as crianças foram submetidas pela primeira vez a aplicações de botox, na Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), no Recife. O procedimento é novo para os dois bebês, mas já é pioneiramente utilizado na unidade há pelo menos quatro meses e os primeiros pacientes já têm apresentado respostas positivas.

De acordo com o ortopedista pediátrico Epitácio Leite, responsável pela aplicação da toxina nos bebês, a substância é usada em crianças que têm a malformação e que desenvolvem complicações ortopédicas ao longo dos meses de vida.

“São os bebês que têm a musculatura rígida e por isso têm dificuldades para movimentar as articulações dos braços e das pernas”, exemplifica. Até agora, 15 pequenos já passaram pelo processo e já apresentaram mais flexibilidade nos movimentos.
“Eu costumo registrar as crianças antes e depois da aplicação para comparar e já é possível perceber a diferença na musculatura do quadril e nos braços”, comenta Leite. Além de melhorar a flexibilidade das articulações dos bebês, o botox também tem o objetivo de tentar diminuir as medicações usadas pelas crianças. “Com as articulações mais flexíveis, a tendência é que os espasmos diminuam e, consequentemente, diminui também o uso de medicamentos para combatê-los”, esclarece o médico.
Um dos autores da pesquisa que ligou o vírus da zika à deformidade nas articulações, Epitácio Leite explica que a aplicação do botox não é feita nas crianças diagnosticadas com artrogripose, complicação desenvolvida ainda durante a gestação que também dificulta a flexibilidade das articulações. “Depois de avaliações, estamos aplicando somente nas crianças com hipertonia, condição de rigidez dos músculos que pode surgir após o nascimento”, explica o ortopedista.
Tratamento
Na primeira injeção, Maria Isabela não segurou o grito e as lágrimas. A mãe, Andresa Silva, consolava a filha, dando-lhe beijos na cabeça. “A gente fica de coração apertado por ver o incômodo, mas eu sei que é para o bem dela”, comenta, aliviada. Durando menos de cinco minutos, a aplicação foi feita após uma avaliação prévia das articulações da criança e deve apresentar os primeiros efeitos entre dois e 30 dias.
Mãe tenta minimizar o incômodo da filha ao receber as injeções de botox (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)Mãe tenta minimizar o incômodo da filha ao receber as injeções de botox (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)
Mais famosa nas cirurgias plásticas, a aplicação da toxina botulínica em Maria Isabela surpreendeu a família num primeiro momento. “Depois da consulta em que o médico recomendou a aplicação, contei à minha família e eles estranharam, porque a gente ouve falar do botox para tirar rugas. Depois expliquei qual o motivo da aplicação”, relembra a mãe.
Além das respostas positivas aos estímulos motores e oftalmológicos durante as consultas, Andresa também espera que o tratamento com a toxina botulínica também tenha êxito. “Ela não consegue sentar e andar, mas espero que essas aplicações e a fisioterapia melhorem isso”, comenta a mãe.
A esperança de Andresa é compartilhada por Joelson Belo, pai de Joanderson. Por reconhecer a dificuldade do bebê em movimentar as mãos e as pernas, ele também espera pelo sucesso no tratamento do filho. “Quando ele segura alguma coisa, é difícil demais para soltar. Acho que a tendência depois dessa aplicação é melhorar”, comenta.
Joanderson Belo, bebê com microcefalia, é preparado para receber a aplicação de botox nos músculos (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)Joanderson Belo, bebê com microcefalia, é preparado para receber a aplicação de botox nos músculos (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)

De acordo com o ortopedista pediátrico, as aplicações devem acontecer periodicamente, a cada quatro ou seis meses. “A cada aplicação, o objetivo é avaliar a resposta das crianças e melhorar cada vez mais a flexibilidade das articulações. Os bebês ainda são muito novos para passar por uma cirurgia para reverter esse quadro e o botox pode ser uma alternativa até que eles tenham a idade ideal para passar por um procedimento cirúrgico”, completa o médico.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Dilma e Aécio respondem a indecisos e mantêm acusações no debate final

debateOs presidenciáveis Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) participaram na noite desta sexta-feira (24) na TV Globo do último debate antes do segundo turno da eleição. Além das perguntas entre si, os candidatos responderam a questões do dia a dia formuladas por eleitores indecisos. Nas respostas, ambos mantiveram a troca de acusações e ironias de outros debates.

(Veja a íntegra do debate no vídeo acima e, bloco a bloco, ao final desta reportagem.)

O debate começou às 22h08 e durou uma hora e 50 minutos. Terminou pouco antes da meia-noite, horário limite permitido pela Lei Eleitoral.

Foram quatro blocos: o primeiro e o terceiro tiveram perguntas entre os candidatos; no segundo e no quarto, Dilma e Aécio responderam a questões de eleitores indecisos selecionados pelo instituto de pesquisa Ibope, que estavam no auditório e foram escolhidos por sorteio pelo mediador William Bonner. No quarto bloco, os candidatos também fizeram as considerações finais.

Por sorteio, Aécio abriu o primeiro e o terceiro blocos, Dilma, o segundo e o quarto. Nas considerações finais, em ordem também definida por sorteio, Dilma falou primeiro. Veja a íntegra das afirmações de cada um:

Dilma (Foto: Arte/G1)
Aécio - considerações finais (Foto: Arte/G1)

G1

Quarenta e dois candidatos eleitos em 2012 na PB respondem ações contra diplomação no TRE

trePassados seis meses do resultado das eleições municipais de 2012 ainda se encontram tramitando nos gabinetes do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) um total de 42 Recursos Contra Expedição de Diplomas – RCDs de candidatos eleitos em vários municípios paraibanos. Desse montante de ações, 23 foram movidas contra prefeitos e vice-prefeitos e outras 19 foram ingressadas contra vereadores também eleitos no ultimo pleito eleitoral no Estado.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

De acordo com informações da Procuradoria Regional Eleitoral do TRE-PB, vários desses recursos eleitorais já se encontram com o parecer da procuradoria e agora se estão em fase final de análise nos gabinetes dos seus respectivos relatores, aguardando decisão monocrática ou pauta para julgamento em plenário, através da Corte do Tribunal.

 

A expectativa do Tribunal é de que todos esses RCDs sejam julgados antes das futuras Ações de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) e Ações de Impugnação de Mandato Eletivo (AIME), também resultantes das eleições 2012, sejam ingressadas em segunda instância.

 

Ainda segundo o Tribunal, os RCDs foram ingressados contra os 42 candidatos eleitos, por coligações, por partidos políticos, pelo Ministério Público ou mesmo por pessoas físicas de oposição a esses respectivos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores, réus das ações, que não concordaram com o resultado do último pleito municipal em suas localidades.

 

Nas alegações dos processos os requerentes apontam diversas práticas ilícitas dos candidatos eleitos que convergem em Inelegibilidade. Rejeição de Contas, Desincompatibilização, Capitação Ilícita de Sufrágio, Substituição de Candidatura às Vésperas do Pleito, Abuso de Poder Político e Conduta Vedada são algumas das justificativas dos processos que poderão levar ou não os réus à Ausência de Condição de Inelegibilidade e Perda de Mandato Eletivo dos candidatos requeridos nos RCDs.

Fonte: Adaucélia Palitot – PolíticaPB