Arquivo da tag: reitor

Professor Valdiney é empossado como novo reitor da UFPB na noite desta quarta

O professor Valdiney Veloso foi empossado como novo reitor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) na noite desta quarta-feira (11). A cerimônia de possa aconteceu no auditório do Hospital Universitário (HU), em João Pessoa, e contou com a presença restrita de familiares e amigos do novo reitor.

A cerimônia foi conduzida pela atual reitora, professora Margareth Diniz. Valdiney Veloso foi nomeado reitor da UFPB) pelo presidente Jair Bolsonaro, para gerir a instituição federal nos próximos quatro anos. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) da última quinta-feira (5).

Foto: Divulgação

A chapa, composta por Valdiney Veloso e Liana Filgueira Albuquerque, ficou em terceiro lugar na lista tríplice, sendo a menos votada na consulta pública. Mesmo assim, a nomeação foi feita pelo presidente Bolsonaro porque a Constituição lhe dar o poder de escolher o nome que vai ocupar o cargo.

Valdiney Veloso

O professor Valdiney Veloso atua na Universidade Federal da Paraíba como professor titular na área de psicologia. É formado em psicologia, pela Universidade Federal da Paraíba, e direito, pela Unipê. Além disso, o novo reitor é especialista em psicometria e tem mestrado e doutorado em psicologia social.

Protesto

Estudantes e alguns professores da UFPB, que não aceitam a nomeação, realizaram um protesto durante todo o dia desta quarta-feira, em frente a Reitoria. Os manifestantes apresentavam cartazes com seguinte frase: ‘Fora Bozo, Não vai ter golpe, Fora Valdiney’.

A comunidade universitária acadêmica cobra as nomeações das professoras Terezinha Dominicano e Mônica Nóbrega, como reitora e vice-reitora, respectivamente. Eles foram da chapa que ficou em primeiro lugar na disputa e escolha da consulta pública.

Terezinha e Mônica chegaram a ser empossadas em uma solenidade simbólica na terça-feira (10), em meio a protestos e manifestações.

Paulo de Pádua

 

 

OAB Nacional pede anulação de nomeação de Valdiney Veloso para reitor da UFPB

A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) pediu para o STF (Supremo Tribunal Federal) anular algumas nomeações de reitores feitas por Jair Bolsonaro (sem partido) em universidades federais. A ação quer que o presidente nomeie sempre o primeiro colocado das listas tríplices enviadas pelos institutos. Ele tem escolhido o terceiro colocado na maioria das vezes. Foi o caso da Paraíba, em que o professor Valdiney Veloso, com 5% dos votos e em terceiro na lista, foi o escolhido pelo presidente.

A OAB alega que as nomeações de Bolsonaro estão fora da escolha da comunidade acadêmica e representam violação ao princípio democrático. Segundo a entidade, tais decisões afetam também a pluralidade política e a autonomia universitária.

Em outubro, ao julgar uma outra ação sobre o assunto, Edson Fachin, ministro do STF, manifestou a mesma posição da OAB. Ele entende que o reitor escolhido deve ser o primeiro colocado nas listas tríplices.

Na semana passada, estudantes e funcionários UFPB (Universidade Federal da Paraíba) mostraram indignação nas redes sociais após o presidente Jair Bolsonaro indicar o candidato menos votado da lista tríplice para o cargo de reitor. Estudantes, docentes e funcionários realizaram um ato contra a posse de Valdiney Veloso Gouveia.

Desde o início do mandato, Bolsonaro já ignorou 15 primeiros colocados nas eleições para reitor, nomeando chapas que registraram menos votos.

Mais cedo o Conselho Universitário (Consuni) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) emitiu nota de repúdio contra a indicação do professor Valdiney Gouveia Veloso para o cargo de reitor. O ato do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) do dia 4.

Confira a nota abaixo: 

O Conselho Universitário (CONSUNI) da UFPB, representando a vontade de sua comunidade universitária, e com fundamento nos princípios constitucionais da gestão democrática, da liberdade de cátedra e do pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas, já reconhecidos e consolidados pelo Supremo Tribunal Federal, repudia a nomeação, pelo Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, para o cargo máximo desta instituição de uma candidatura que não foi escolhida pela comunidade universitária. A chapa encabeçada pelo Prof. Valdiney Gouveia teve pouco mais de 5% dos votos na consulta pública, ficando na terceira e última colocação, e no colegiado eleitoral, composto pelos três conselhos superiores desta Universidade, não obteve um único voto.

Mais do que a defesa de uma candidatura específica, o que move este CONSUNI é a defesa dos preceitos de democracia e autonomia universitária, nos termos do artigo 207 da Constituição Federal.

Essa decisão rompe com uma longa tradição, construída ao longo de décadas, que é o respeito a escolha democrática da comunidade universitária e a garantia da nomeação da candidatura mais votada, mesmo por governos de diferentes espectros políticos. Esta atitude, mais do que respeitar a posição expressa pela maioria dos integrantes da instituição, tem por princípio o reconhecimento da importância de termos uma reitoria com efetivo papel de liderança acadêmica, administrativa e política reconhecida pelos membros da própria Universidade, o que aufere legitimidade para sua atuação, justamente nesses tempos difíceis que atravessamos.

 

Com UOL

 

Alunos da UFPB se acorrentam na porta da reitoria em protesto contra nomeação de reitor

Estudantes da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) se acorrentaram na porta da reitoria da instituição, em João Pessoa, em protesto contra a nomeação do novo reitor Valdiney Veloso, feita pelo Presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido).

O protesto silencioso foi iniciado no fim da noite desta quinta-feira (5), após o ato pacífico que aconteceu na universidade. Até a publicação desta matéria, quatro alunos ainda permaneciam acorrentados no local.

O protesto, que aconteceu na tarde desta quinta-feira (5), contou com a participação de representantes do Levante Popular da Juventude e da União Nacional dos Estudantes. Durante o ato, os alunos saíram da reitoria e caminharam até o Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA).

Nomeação de reitor da UFPB

O professor Valdiney Veloso foi anunciado como novo reitor nesta quinta-feira (5), em publicação do Diário Oficial da União. Ele foi o último colocado nas eleições feitas em 26 de agosto, com 106,496 pontos, enquanto a professora Terezinha Domiciano, primeira colocada, teve 964,518 da soma ponderada e normalizada dos votos.

A nomeação do novo reitor foi recebida com desagrado pela comunidade acadêmica. Em nota, a Diretoria do Sindicato dos Docentes da Universidade Federal da Paraíba repudiou a nomeação e convocou uma plenária na sexta-feira (6).

G1

 

Após nomeação de reitor menos votado, Comitê da UFPB convoca ato

Nesta quinta-feira (05), o Comitê de Mobilização pela Autonomia e contra a Intervenção na Universidade Federal da Paraíba (UFPB) divulgou nota onde repudia a nomeação, por parte do presidente Bolsonaro, de Valdiney Veloso para reitoria da instituição, mesmo ele tendo sido o menos votado na consulta pública.

A nota ainda convoca para um ato no intuito de “defender a nossa instituição e a democracia.”

Confira a nota na íntegra:

NOTA CONTRA A INTERVENÇÃO E PELA AUTONOMIA DA UFPB

O Comitê de Mobilização pela Autonomia e contra a Intervenção na UFPB, composto por diversas entidades e coletivos de todas as categorias da comunidade acadêmica da nossa universidade, REPUDIA A NOMEAÇÃO DE VALDINEY VELOSO para Reitor da UFPB.

Não vamos aceitar esta intervenção, pois não foi esta a nossa escolha. A comunidade acadêmica da UFPB escolheu a Chapa 2 nas eleições, elegendo a Professora Terezinha Martins tanto na consulta eleitoral como nos Conselhos Superiores. O professor Valdiney contou com 5% de votos na consulta e no colégio dos Conselhos Superiores não teve um único voto. A nomeação é flagrantemente ilegítima, desrespeitando a autonomia universitária e faz parte do contínuo projeto de destruição do ensino público.

Por isso convocamos todas as pessoas que estudam, trabalham e convivem na UFPB a defender a nossa instituição e a democracia. Faremos um ato hoje, 05/11/2010, às 16h, em frente à Reitoria, respeitando as medidas sanitárias com o uso obrigatório de máscaras, álcool e com distanciamento em função da pandemia.

REITORA ELEITA É REITORA EMPOSSADA!
FORA VALDINEY!
NÃO VAMOS ACEITAR INTERVENÇÃO NA REITORIA DA UFPB!

Comitê de Mobilização pela Autonomia e contra a Intervenção na UFPB

PB Agora

 

Comunidade acadêmica da UEPB elegerá novo reitor nesta quarta-feira

Neste ano de 2020, pela primeira vez na história da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), a comunidade acadêmica elegerá de forma on-line os ocupantes aos cargos de reitor(a) e vice-reitor(a) pelos próximos quatro anos. A eleição acontecerá nesta quarta-feira (21), das 8h às 12h. Estão aptos a votar os 16.815 integrantes da comunidade acadêmica da UEPB que é composta por 15.233 alunos, 791 técnicos administrativos e 791 professores, segundo a Comissão Eleitoral definida pelo Conselho Universitário (Consuni). Após às 20h, a apuração e divulgação dos resultados serão feitas através do canal oficial da UEPB.

Estão concorrendo quatro chapas à eleição 2020: Chapa 01, UEPB+, formada pelo professor José Etham Barbosa, candidato a reitor, e pela professora Valdecy Margarida, candidata a vice; a Chapa 02, UEPB Forte, sendo a professora Célia Regina Diniz candidata a reitora, e a professora Ivonildes Fonseca como sua vice; a Chapa 03, UEPB Educação com Inovação e Inclusão, tendo como candidato ao cargo de reitor o professor Juracy Regis de Lucena, e a professora Jacqueline Barrancos como candidata a vice-reitora. Por fim, a Chapa 04, intitulada UEPB Autônoma, Plural e Humana, encabeçada pelo professor Carlos Enrique Ferreira, e a professora Maria Isabelle Silva.

Se você é um desses quase 17 mil integrantes da comunidade acadêmica e quer votar, é necessário ter em mãos o ID de Eleitor e a senha para a eleição, que são encaminhados eletronicamente pelo Sistema de Votação Eletrônica da UEPB aos endereços eletrônicos (e-mails) das pessoas habilitadas. Após efetuar o login, o sistema apresenta a cabine de votação com os respectivos candidatos. Para mais informações, basta acessar https://eleicoes.uepb.edu. br/a-eleicao/. O sistema da consulta é paritário, ou seja, os votos dos três segmentos têm o mesmo peso, mas o individual tem peso diferente no resultado final, calculado a partir do número de votantes de cada segmento. No dia 23 de outubro, o Consuni enviará o relatório conclusivo no site oficial da UEPB. Após a publicação do resultado, os candidatos à reitoria terão até três dias úteis para interpor recurso, enviando um e-mail comissao.eleitoral@ setor.uepb.edu.br

 

UEPB

 

 

“Processo não pode ser suspenso” afirma chapa vencedora de consulta para reitor da UFPB e questiona posicionamento de presidente da Comissão

A chapa 2, vencedora da consulta prévia para reitor da Universidade, ocorrida na quarta-feira (26), emitiu uma nota para a imprensa sobre após rumores sobre a suspensão da votação nesse sábado (29). O documento levanta questionamentos sobre  a fala do presidente da Comissão Organizadora da Consulta Prévia,  e coloca em dúvida o seu posicionamento. Além disso, a chapa reafirma em artigos que o processo não pode ser suspenso.

Assinada pelas professoras Terezinha Domiciano e Mônica Nóbrega, a nota destaca que o presidente da Comissão disse que “o processo está suspenso, e que essa decisão foi tomada após o recebimento de uma denúncia anônima sobre possível fraude no processo. Nossa estranheza se dá em função de alguns elementos”. A partir disso, a chapa 2 elenca alguns artigos de ordem legal relacionados sobre a divulgação da suspensão da votação para o cargo de reitor e vice da instituição.

As professoras ainda afirmam em nota que “não há nenhum elemento que autorize qualquer membro da Comissão adotar postura que coloque em dúvida a credibilidade do processo eleitoral, pois estaria colocando em dúvida o próprio trabalho da Comissão, e, por conseguinte, a própria imagem da UFPB”.

Confira a nota/resposta da Chapa 2 para a imprensa

“A Chapa 2 “UFPB: Inovação com Inclusão”, que venceu a consulta eleitoral para a reitoria da UFPB, vem externar sua estranheza em relação ao conteúdo de algumas matérias veiculadas pela imprensa. Essas matérias apresentam como fonte o presidente da Comissão Organizadora e atribuiu a este a afirmação de que o processo está suspenso, e que essa decisão foi tomada após o recebimento de uma denúncia anônima sobre possível fraude no processo. Nossa estranheza se dá em função de alguns elementos. Primeiro, elencamos aqueles de ordem legal relacionados à divulgação da suspensão.

No que diz respeito à Resolução que disciplina a consulta, em seu artigo 32 está explícito que “a Comissão Organizadora e a Comissão de Ética deverão encaminhar Relatório conclusivo de suas atividades aos Colegiados Superiores da UFPB, no prazo improrrogável de até três dias úteis após a data da Consulta Prévia à Comunidade Universitária”. Considerando que esse relatório ainda não foi encaminhado, e de acordo com informações da representante da chapa 2, que acompanha as reuniões da Comissão Organizadora, o teor desse relatório seria finalizado na segunda-feira (31 de agosto de 2020) depois de pronunciamento da Superintendência de Tecnologia da Informação (STI)e Procuradoria Federal. Como pode ser veiculada a notícia de suspensão do processo?

Além disso, a mesma resolução, em seu artigo 35 estabelece que “os casos  omissos  na  presente  Resolução  serão  decididos  pela  Comissão Organizadora” e em seu parágrafo 1º define que “as decisões da Comissão Organizadora a que se refere o caput deste artigo serão divulgadas  na  página  da  UFPB,  na  página  da  Comissão  Organizadora  e  por  envio  eletrônico  às candidaturas”. Nesse sentido, importa dizer que não existe nenhuma informação na página da Comissão Organizadora e nenhuma comunicação formal foi encaminhada às chapas. Portanto, mais uma vez, questionamos como pode ser veiculada a notícia de suspensão do processo?

No que diz respeito ao mérito da decisão de suspender o processo é importante registrar que na referida resolução, em seu artigo 35, em seu parágrafo 3º, está estabelecido que “a  interposição  de  recurso  não  acarretará  efeito  suspensivo  ao  andamento  da Consulta Prévia”. E, para além do que está explicitamente estabelecido na resolução, é importante destacar o que prevê a lei 9.784/1999 que trata dos processos administrativos no âmbito da Administração Pública Federal. 

Em seu artigo 56 a lei estabelece que “das decisões administrativas cabe recurso, em face de razões de legalidade e de mérito” e no parágrafo 1o regula que “o recurso será dirigido à autoridade que proferiu a decisão, a qual, se não a reconsiderar no prazo de cinco dias, o encaminhará à autoridade superior” E, nesse sentido, é importante destacar o artigo 61 da presente lei que estabelece que “salvo disposição legal em contrário, o recurso não tem efeito suspensivo”. A exceção para essa situação está prevista no parágrafo único dessa lei ao estabelecer que “havendo justo receio de prejuízo de difícil ou incerta reparação decorrente da execução, a autoridade recorrida ou a imediatamente superior poderá, de ofício ou a pedido, dar efeito suspensivo ao recurso”. Vejamos que no presente caso está ausente o elemento central para a suspensão do processo, que seria o receio de prejuízo de difícil ou incerta reparação decorrente da execução. Portanto, do ponto de vista da legalidade, não compreendemos o que motivou o presidente da Comissão Organizadora apresentar tais afirmações à imprensa.

Não nos parece apropriado que o presidente da Comissão se manifeste antes de que sejam apuradas as supostas denúncias. Ao contrário, caberia sim, afirmar que o resultado foi proclamado, está mantido até que se apure a suposta denúncia. Não há nenhum elemento que autorize qualquer membro da Comissão adotar postura que coloque em dúvida a credibilidade do processo eleitoral, pois estaria colocando em dúvida o próprio trabalho da Comissão, e, por conseguinte, a própria imagem da UFPB. Portanto, é inadmissível que quaisquer membros se manifestem, seja internamente e/ou externamente, sobre o conteúdo da denúncia, sem que antes sejam apuradas pela STI – órgão responsável pela gestão do sistema que gerou a lista de votantes e de toda a tramitação eletrônica da votação. Ao proceder diferente disso, acaba-se produzindo tumulto e, reiteramos, atingindo frontalmente a imagem da instituição.

Do ponto de vista da operacionalização do processo de consulta eleitoral é importante deixar claro o Art. 3º que estabelece que compete à Comissão Organizadora da Consulta Prévia no inciso VIII “divulgar,  na  página  da  Comissão  Organizadora,  com  antecedência  de  até  72 (setenta  e  duas)  horas,  a  lista  dos  participantes  (docentes,  discentes  e  técnicoadministrativos) da Consulta Prévia. Caso o participante não conste na lista, este deverá adotar as providências previstas no inciso III do Art.17.” e ao mesmo tempo, estabelece no artigo 20, no parágrafo 4º que “é  de  responsabilidade  da  Pró-Reitoria  de  Pós-Graduação  atualizar  a  lista  dos discentes matriculados nos cursos de Pós-Graduação lato sensu até a data limite de 21 de agosto de 2020, para fins de providência de cadastro dos mesmos no sistema SIG/UFPB”. Portanto, em nosso entendimento, essas são as duas instâncias da UFPB que gerem o processo de finalização da lista de votantes. 

Por fim, importa dizer que a Chapa 2, por meio de sua representação na Comissão Organizadora buscou o tempo todo zelar pelo bom andamento do processo, entrando com pedido para que a STI cumprisse com a Resolução que regula o presente processo, apresentando ao CONSUNI, conforme o que está previsto no Artigo 21 um plano de ação para o processo. A chapa também solicitou o direito de acompanhar a apuração dos votos, o que daria mais transparência a processo, pedido esse que foi negado pela Comissão Organizadora. Consideramos grave a forma como vem sendo tratada essa questão, particularmente o espetáculo e a tentativa de tumultuar a conclusão do processo; e esperamos que seja reestabelecida a normalidade, assim como obedecidas as regras definidas pela UFPB que disciplinam o processo eleitoral de escolha do novo reitorado da instituição”.

 

Portal WSCOM

 

 

Votação para escolha de reitor da UFPB é suspensa após suspeita de fraude no número de votos

A Comissão que trata da votação para a escolha do novo reitor e vice-reitor da Universidade Federal da Paraíba decidiu suspender o resultado da consulta acadêmica após receber denúncias de fraudes no processo. A denúncia foi recebida nessa sexta-feira (28).

O presidente da Comissão Organizadora, Ângelo Brito, informou com exclusividade ao ClickPB que a Comissão recebeu nessa sexta-feira a denúncia e está apurando o caso de suposto envolvimento de candidatos em fraudes.

Ele explicou que a Comissão Organizadora deve encaminhar um relatório final ao Conselho Universitário (Consuni) para que o órgão da UFPB possa homologar o resultado da consulta feita à comunidade para escolha do novo reitor e vice. “Estamos apurando e até que seja feita a apuração está suspenso o relatório.”

Foram divulgadas as seguintes informações acerca da denúncia:

Novidades da consulta para Reitoria da UFPB: o processo foi suspenso por fraude no número de votantes. Um número enorme de estudantes do CAVN que não deveria votar, votou. O processo será investigado.

1. O que foi decidido: que o processo está suspenso até que a STI e a PJ se pronuncie sobre a denúncia.

2. O que é a denúncia: que alunos do CAVN que não são regulares (são de cursos de extensão, mas estão no SIGAA) estavam na lista dos votantes,  segundo a denúncia, eles estavam mesmo.

3. Essa tentativa de incluir os alunos de extensão já tinha sido barrada pela comissão e a PJ deu um parecer (uma semana antes da eleição) dizendo que se esses alunos estivessem na lista dos aptos a votar o processo seria nulo pq eles não são alunos regulares.

4. A STI fez o bloqueio desses alunos, com base no parecer da PJ, de mais de 2000 alunos de extensão do CAVN.  Acontece que ainda sobraram outros tantos (não sei ao certo quantos) 

5. Na denúncia encaminhada a comissão diz que mais de 500 votaram . 

6. O processo irá para STI informar se a denúncia procede, ou seja se alunos de extensão do CAVN estavam na lista. 

7. Se sim, há uma chance enorme da consulta ser considerada nula.

 

clickpb

 

 

UFPB escolhe novos reitor e vice-reitor nesta quarta-feira

A comunidade acadêmica da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) escolherá seus novos reitor e vice-reitor, para mandato de quatro anos, nesta quarta-feira (26), por meio do sistema SigEleição, das 7 às 22h. Esta é a primeira vez que a consulta será online.

A comissão da UFPB que organiza a consulta online, presidida pelo professor Ângelo Melo, avalia positivamente o processo até agora. “Houve todo um período de divulgação diferente na história da UFPB, porque foi totalmente virtual, através de todas as mídias possíveis”, analisa o docente.

Para o presidente da comissão organizadora, o fato de a consulta ser, pela primeira vez, online, trouxe preocupações. “Conseguimos cumprir com todas as etapas previstas pela Resolução Nº 04/2020 do Conselho Universitário (Consuni) da UFPB, que regulamenta a consulta prévia”.

Embora tenham ocorrido divergências interpretativas acerca de atos que teriam infringido a Resolução Nº 04/2020, Ângelo Melo destaca que as três chapas concorrentes se trataram com muita ética e respeito. “Para isso, existem a comissão organizadora, a comissão de ética. Mas não tivemos grandes problemas até agora. Todo mundo se comportou muito bem”.

Uma Consulta teste foi realizada na última quinta-feira (20), para avaliação do sistema eletrônico, que funcionou bem. Os representantes das candidaturas, que fazem parte da comissão organizadora como ouvintes, acompanharam o processo. “A Superintendência de Tecnologia da Informação (STI) da UFPB, que desenvolve toda parte técnica do sistema SigEleição, avaliou muito bem. O sistema se comportou com rapidez e desenvoltura”.

O presidente da comissão da UFPB reforça que a consulta online será completamente remota. “Ficarei em casa sobreaviso. Haverá nada presencial. Tudo será virtual. Inclusive os outros sistemas da UFPB não funcionarão. Funcionará apenas o SigEleição”.

Durante a votação, das 7 às 22h, apenas técnicos da STI ficarão de plantão na unidade, no campus I, em João Pessoa, para fazer a manutenção do sistema, a fim de que ocorra tudo bem.

“Se tiver alguma urgência, eu irei à STI. Mas, a priori, acompanharei todo o processo de maneira remota. Ao final do dia, às 22h, irei, mais uma vez, à STI, para encerrar o processo. Logo em seguida terá início o processo de apuração. O resultado deve sair em alguns minutos. Esse tempo dependerá do número de votantes”.

Depois da apuração, será publicado, no site da comissão organizadora, um boletim baseado nas determinações da Resolução Nº 04/2020, com os resultados da consulta online. Notícia também será publicada pela Assessoria de Comunicação Social (Ascom) da UFPB, para que a comunidade acadêmica tenha conhecimento dos números.

“A expectativa de participação é muito boa. Nesta quarta-feira, a comunidade acadêmica da UFPB poderá exercer este ato democrático, expressando sua vontade entre as candidaturas homologadas. Será um ato muito simples, rápido, que poderá ser feito de casa, de maneira prática. Não haverá grandes esforços, além de avaliar todas as propostas das chapas concorrentes. A expectativa da comissão é muito alta com relação a uma boa participação da comunidade universitária”, finaliza Ângelo Melo.

Candidaturas

As três candidaturas que concorrem, por ordem de numeração das chapas, são estas: “UFPB em primeiro lugar” (Chapa 1) – Isac Almeida de Medeiros (reitor) e Regina Celi Mendes Pereira da Silva (vice-reitora); “Inovação com inclusão” (Chapa 2) – Terezinha Domiciano Dantas Martins (reitora) e Mônica Nóbrega (vice-reitora); e “Orgulho de ser UFPB” (Chapa 3) – Valdiney Veloso Gouveia (reitor) e Liana Filgueira Albuquerque (vice-reitora).

Poderão votar professores e técnico-administrativos do quadro permanente da UFPB e em efetivo exercício, e discentes da UFPB formalmente matriculados nos cursos de médio e profissionalizante, graduação e tecnológico, pós-graduação (stricto sensu), mestrados (acadêmicos e profissionalizantes), doutorados e pós-graduação (lato sensu), nas modalidades de especialização, residência médica, residência multiprofissional e residência em área profissional da saúde.

O resultado da consulta será homologado em 3 de setembro, pelo Conselho Universitário (Consuni) da UFPB. A lista tríplice, com os três primeiros nomes mais votados para cada cargo, será enviada para o Ministério da Educação (MEC) até 11 de setembro. Tradicionalmente, a pasta nomeia os nomes mais votados pela comunidade universitária para cada cargo.

 

portalcorreio

 

 

Entenda como votar nas eleições para escolha dos novos reitor e vice-reitor da UFPB

Na próxima quarta-feira (26) a comunidade acadêmica da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) estarão escolhendo os novos reitor(a) e vice-reitor(a). Três chapas disputam as eleições, são elas: “Inovação com Inclusão” composta pelas professoras Terezinha Domiciano e Mônica Nóbrega; “UFPB em primeiro lugar” cabeceada por Isac Almeida de Medeiros e Regina Celi Mendes Pereira da Silva; e “Orgulho de ser UFPB”, que tem os candidatos Valdiney Veloso Gouveia e Liana Gilgueira Albuquerque.

A votação ocorre de forma remota em decorrência da pandemia do novo coronavírus, vai eleger os novos gestores da UFPB pelos próximos quatro anos (2021 a 2024) e será realizada pelo Sistema SigEleição da UFPB, das 7h às 22h. Poderão votar professores e técnico-administrativos do quadro permanente  da UFPB e em efetivo exercício, e alunos da UFPB formalmente matriculados nos cursos de médio e profissionalizante, graduação e tecnológico, pós-graduação, mestrados (acadêmicos e profissionalizantes), doutorados e pós-graduação (lato sensu), nas modalidades de especialização, residência médica, residência multiprofissional e residência em área profissional da saúde. Todos os cadastros devem estar devidamente atualizados.

O acesso ao SigEleição ocorre por meio de autenticação do eleitor, através de login e senha, únicos e intransferíveis, os mesmos utilizados para o acesso aos sistemas da UFPB. Para ter direito de acesso, docente, técnico-administrativo ou estudante deverá providenciar, caso ainda não tenha, a criação de sua conta através do autocadastro, até 24h antes do dia da consulta estabelecido para votação. O voto será secreto e o sigilo será garantido pelo SigEleição.

Resultados – Toda comunidade acadêmica terá acesso ao resultado das eleições no mesmo dia em que ocorre a votação, ou seja, nesta quarta-feira (26) e homologado em 3 de setembro, pelo Conselho Universitário (Consuni) da UFPB. A lista com os três primeiros nomes mais votados para cada cargo será encaminhada ao Ministério da Educação até 1 de setembro e como acontece de modo tradicional, a pasta nomeia os nomes mais votados pela comunidade universitária para cada cargo.

 

Assessoria

 

 

Alunos, professores e técnicos devem atualizar cadastro para eleição de reitor(a) da UFPB

Os estudantes, técnico-administrativos e professores da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) devem atualizar cadastro para participar da eleição para escolha do novo reitor(a) e vice-reitor(a), no dia 26 de agosto.

De acordo com a UFPB, os estudantes devem fazer a atualização cadastral por meio do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa) da UFPB. Para isso, o estudante precisa acessar o portal discente. No menu superior direito, clicar sobre sua foto e depois em alterar senha.

Já os técnico-administrativos e professores podem atualizar seus cadastros tanto pelo Sigaa quanto pelo Sistema Integrado de Patrimônio, Administração e Contratos (Sipac) ou pelo Sistema Integrado de Gestão de Planejamento e de Recursos Humanos (Sigrh).

Pelo sistema, o professor da UFPB tem que acessar o portal docente, no menu superior direito, clicar sobre sua foto e depois em alterar senha. Os técnico-administrativos devem fazer o mesmo procedimento.

Conforme a instituição, o formulário de mudança de email será exibida uma janela que se abre no navegador ao visitar uma página web ou acessar uma hiperligação específica. O estudante, técnico ou professor devem atualizar seus dados e selecionar a opção de alterar de dados. O sistema enviará um email com o código de confirmação para conclusão da operação. Em seguida, é necessário copiar o código, colá-lo no campo indicado e selecionar o botão “alterar dados” para confirmar a operação.

A votação online deve acontecer no dia 26 de agosto através do sistema SigEleição da UFPB, das 7 às 22h. A eleição será em um único turno, com voto em apenas uma chapa composta pelo candidato a reitor(a) e a/à vice-reitor(a).

G1