Arquivo da tag: quimioterápico

LEDterapia capilar; grande aliada para recuperação e crescimento dos fios após tratamento quimioterápico 

Técnica estimula folículos e as células tronco do cabelo e pode ser aplicada de duas a três vezes por semana

Segundo dados recentes do Instituto Nacional do Câncer (INCA), o  câncer de mama é o segundo tipo que mais acomete brasileiras, representando em torno de 25% de todos os cânceres que afetam o sexo feminino. Para o Brasil, foram estimados 59.700 casos novos de câncer de mama em 2019, com risco estimado de 56 casos a cada 100 mil mulheres.

Aproveitando os números alarmantes e que outubro; mês de conscientização e prevenção contra o câncer de mama chegou, uma questão que vale ser discutida é a queda de cabelo decorrente dos efeitos colaterais da quimioterapia;  situação tão temida pelas pacientes, já que os cabelos são um dos principais símbolos de feminilidade.

Estudos revelam que a queda de cabelo influencia diretamente nas taxas de desistência do tratamento. A alopécia acorre em razão de alguns tipos de quimioterapia que danificam as células responsáveis pelo crescimento dos fios, causando a queda parcial ou total dos cabelos. Em média, o cabelo volta a crescer de dois a três meses após o término do tratamento.

É possível acelerar o processo por meio da LEDterapia, procedimento utilizado em quase todas as clínicas especializadas que estimula as células capilares a trabalharem mais e com melhores resultados. A técnica não é uma novidade no universo de tratamento dos fios. Segundo o cirurgião vascular e especialista em LEDterapia capilar, Dr. Álvaro Pereira, já se sabe há muito tempo que essa radiação, na dose e frequência certa, estimula o crescimento do cabelo. Ela já é utilizada por quem sofre com a perda por outros motivos que não o efeito colateral da quimioterapia, a fim de combater o afinamento, ressecamento e queda capilar em pessoas com tendência à calvície completa.

Na prática, para recuperar o cabelo com a LEDterapia após esse processo de quimioterapia, o paciente usa um boné ou capacete que emite uma radiação com frequência específica, de baixa potência. “Os raios promovem a dilatação dos vasos sanguíneos, o que aumenta a entrada de nutrientes e oxigênio nas células capilares. Com isso, também cresce a produção de energia celular e, consequentemente, a capacidade de produzir mais fios de cabelo de melhor qualidade”, afirma o especialista.

Vale ressaltar que é justamente por conta do efeito de vasodilatação que a LEDterapia só é indicada após o fim do tratamento quimioterápico. Se ela for utilizada durante, o medicamento tende a penetrar ainda mais nas células e provocar o resultado contrário. Assim, a técnica não é uma prevenção contra a perda do cabelo, mas um acelerador de crescimento pós-quimioterapia.

O especialista ainda conclui que o método pode ser aplicado de duas a três vezes por semana, durante 10 minutos.

 

Dr. Álvaro Pereira – Formado na FMUSP em 1978, residência em Cirurgia Vascular no HCFMUSP, Doutorado em Cirurgia Vascular na Divisão de Bioengenharia do INCOR – HCFMUSP, pós-doutorado e especialização em LEDterapia capilar no B&H Hospital – Harvard.