Arquivo da tag: Quatro

Em quatro anos, candidaturas femininas cresceram 16,2%, segundo TSE

Em quatro anos, o número de candidaturas femininas, nas eleições municipais, cresceu cerca de 16,2%. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 184.107 mulheres se candidataram no pleito deste ano, ante 158.450 postulantes nas eleições de 2016. Contudo, as mulheres representam apenas 33,33% do total de candidaturas.

Desde 2018, por conta de uma determinação do Tribunal Superior Eleitoral, partidos políticos são obrigados a destinar ao menos 30% dos recursos do Fundo Eleitoral para candidaturas femininas. Além disso, a corte também determinou que o mesmo percentual deverá ser seguido em relação ao tempo destinado à propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão.

A advogada eleitoral Bianca Gonçalves acredita que ações afirmativas, como a determinação do TSE, são de extrema importância para que a participação feminina na política aumente cada vez mais. “Não basta ficar reclamando que não existem mulheres no espaço de poder. É necessário conscientizá-las sobre o poder que elas têm e de que elas podem ocupar um espaço na política”, destaca.

Em 2016, 641 mulheres foram eleitas ao cargo de prefeita, o que representa apenas 11,57% do total de todos os eleitos para a função. De acordo com o TSE, nas eleições municipais de 2016, 7,8 mil foram eleitas vereadoras, apenas 13,5% do total de eleitos.

Analú, candidata à Câmara Municipal de Cidade Ocidental (GO), município localizado no entorno do Distrito Federal, diz que o Brasil possui uma cultura machista, que é refletida na esfera política. “Quanto mais mulheres na política, e quando a tomada de decisões passa por elas, representa um enfrentamento à cultura patriarcal [em que só homens ocupam lideranças políticas]”, aponta.

Dicotomia

Apesar do baixo número de candidaturas e de mulheres eleitas para cargos municipais, o eleitorado feminino é maioria. O TSE afirma que as mulheres compõem 52,49% do total do eleitorado apto a votar nas eleições deste ano. Cerca de 77,6 milhões de  mulheres terão o poder de escolha no pleito, contra aproximadamente 70 milhões de homens.

Fonte: Brasil 61

 

 

Justiça proíbe comícios e carreatas em Bananeiras e mais quatro municípios 

A Justiça Eleitoral proibiu a realização de comícios, carreatas, passeatas e eventos eleitorais com aglomeração em Bananeiras, Dona Inês, Belém, Caiçara e Logradouro.

Eventos em que não haja grandes aglomerações, como reuniões, palestras, visitas, inauguração de comitês, encontros com moradores, adesivagem e outros eventos semelhantes, deverão seguir o protocolo de retomada decretado pelo governo estadual (https://paraiba.pb.gov.br/diretas/saude/coronavirus/arquivos/as-eleicoes-municipais-2020-1.pdf), adotando regras rígidas para o distanciamento social, higiene pessoa; limpeza e higienização do ambiente, uso de alcool 70%, a obrigatoriedade do

uso de máscaras, comunicação e monitoramento das condições de saúde, dentre outras ações para evitar o contato entre indivíduos. Se

Quem descumprir a determinação estará sujeito a multa de R$ 50.000,00 para cada ato.

 

Assessoria

Quatro times da Paraíba jogam neste fim de semana pelo Brasileiro

Reforçado com o zagueiro Rodrigo e o atacante David Batista, o Botafogo-PB entra em campo neste sábado (10), às 17h, contra o Ferroviário-CE, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série C. O Belo tem duas missões neste encontro: a primeira é buscar a reabilitação e a segunda é tentar sair da faixa de rebaixamento.

Com oito pontos, em nove partidas, depois de encerrar os jogos de ida, o Botafogo perdeu para o Treze por 2 a 0, na rodada passada. Além disso, o time saiu da zona de conforto, caindo do oitavo para a nona colocação e agora ocupa a faixa de rebaixamento.
A única vitória do Botafogo na Série C aconteceu no dia 5 de setembro, quando derrotou o Imperatriz-MA, na casa do adversário. O time alvinegro acumula uma vitória, cinco empates e três derrotas.

Com base nesses números, o treinador botafoguense Rogério Zimmermann reconhece a responsabilidade que a equipe tem a partir de agora. Ele espera que, com a chegada desses novos jogadores, o Botafogo volte a ser competitivo, somando os pontos necessários, especialmente, jogando na condição de mandante.

Em Cajazeiras

Uma decisão antecipada. É assim que, Atlético de Cajazeiras e Campinense estão encarando o jogo entre os dois times, neste domingo (11), pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro da Série D. O encontro de Trovão Azul e Raposa, no estádio Perpetão, é às 17h, em Cajazeiras.

Quem vencer aumenta as possibilidades de brigar pelas colocações do Grupo A3. Os dois times estão com campanhas parecidas, sendo que o Campinense soma cinco pontos, com uma vitória, depois de quatro rodadas. O Atlético tem três pontos e uma vitória, em quatro jogos.

O empate não serve para os dois times, especialmente o atleticano. Mas quem perder vai se complicar na classificação geral da competição. Por isso, o encontro deste domingo (11) ganhou uma grande importância para Atlético de Cajazeiras e Campinense.

O Campinense fracassou nas últimas duas rodadas, com uma derrota para o Guarany de Sobral por 1 a 0, no interior do Ceará. Depois, a Raposa só empatou com o Floresta-CE, em 1 a 1, no estádio Amigão, em Campina Grande.

O Atlético perdeu nas três primeiras rodadas: por 2 a 1 para o Globo-RN, em casa; depois foi derrotado pelo Sagueiro por 1 a 0, em Pernambuco, e perdeu ainda para o Floresta-CE por 1 a 0, no Ceará. Mas o Trovão conseguiu se reabilitar na competição ganhando do Guarany de Sobral-CE, por 1 a 0, no Perpetão.

No Maranhão

As duas últimas vitórias recolocaram o Treze entre os times da zona de conforto na classificação geral do Grupo A, do Campeonato Brasileiro da Série C. Ao vencer o Botafogo-PB por 2 a 0, na oitava colocação, e o Imperatriz-MA por 4 a 1, jogo atrasado da primeira rodada, o Galo da Borborema saiu do nono lugar para a sétima posição.

O time alvinegro agora soma dez pontos, com duas vitórias, quatro empates e três derrotas, sem saldo de gols. Com isso, o representante de Campina Grande ganhou uma nova motivação, por ter encerrado a fase de ida longe das últimas colocações do grupo.

A equipe do Galo da Borborema não tem descanso. Depois de vencer o Imperatriz-MA, por 4 a 1, na quinta-feira, em Campina Grande, já tem um novo encontro contra o mesmo Imperatriz-MA, neste domingo (11). O novo encontro acontece no estádio Frei Epifânio, às 18h, em Imperatriz, interior do Maranhão.

Para este compromisso, o treinador do Treze Márcio Fernandes, não vai contar com o volante Robson. O jogador recebeu o terceiro cartão amarelo. Para o setor, deverá ser escalado Bruno Menezes. O Galo tem o retorno do atacante Douglas Lima, que não atuou na rodada passada.

*Por: Franco Ferreira

 

 

Paraíba tem 24 agências do INSS abertas para atendimento; quatro delas ofertam perícias médicas

Após quase um mês do retorno das atividades presenciais nas agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), nem todas as unidades estão em funcionamento. Das 37 instaladas na Paraíba, atualmente 24 estão abertas e o atendimento só é feito por agendamento via aplicativo e Central telefônica 135. Desse total, quatro atendem o serviço de perícias médicas.

O retorno presencial começou no dia 14 de setembro e apenas dez unidades reabriram ao público para atendimentos de cumprimentos de exigência, reabilitação profissional e avaliação social. Já para as perícias voltaram a ser feitas no dia 21 de setembro em apenas duas unidades do INSS na Paraíba. Hoje, quatro estão com a oferta do serviço. Em João Pessoas são duas agências: uma na Rua Paulino dos Santos Coelho, nº 30, no bairro Jardim Cidade Universitária; e a outra na Avenida Dom Pedro I, nº 215, térreo, no Centro.

As outras duas agências ficam localizadas na Rua Sabiniano Maia, nº 903, no município de Guarabira e a última na Avenida Dinamérica Alves Correia, s/n, na cidade de Campina Grande. Ao todo, na Paraíba, são 37 agências do INSS, sendo 20 da Gerência Executiva de João Pessoa e 17 na Gerência Executiva de Campina Grande. Atualmente apenas 24 estão em funcionamento. O agendamento pode ser realizado pelo segurado por meio de três canais: site ‘Meu INSS’; aplicativo de celular ‘Meu INSS’ e pela Central telefônica 135.

 

clickpb

 

 

Quatro em cada dez brasileiros com diabetes tipo 2 têm doenças cardiovasculares

Quatro em cada dez brasileiros com diabetes tipo 2 têm doenças cardiovasculares. O dado alarmante foi revelado pelo estudo CAPTURE, levantamento global que analisou a prevalência, percepção e o tratamento dos fatores de risco cardiovasculares no diabetes tipo 2, tipo mais comum da doença e que aumenta em até quatro vezes a propensão a infarto cardíaco e derrame cerebral.

O CAPTURE é o maior estudo observacional já realizado pela Novo Nordisk,      empresa líder global de saúde dedicada  a promover mudanças para vencer o diabetes e outras doenças crônicas graves, como obesidade e distúrbios hematológicos e endócrinos raros. A pesquisa aponta que, globalmente, 1 em cada 3 pessoas com diabetes tipo 2 apresentam doenças cardiovasculares. Destas, 9 em cada 10 apresentam aterosclerose, doença cardiovascular que consiste na formação de placas de gordura e outras substâncias nas paredes das artérias.

O avanço da aterosclerose pode comprometer o fluxo sanguíneo e causar problemas graves, como aponta Raquel Cristina Coelho, gerente médica da Novo Nordisk. “A aterosclerose constitui a base de quase todos os problemas cardíacos que afetam a pessoa com diabetes. Esse processo pode começar até mesmo na infância e, geralmente, quando ele se manifesta — de forma geral, na vida adulta — é mais grave. Pode ser um infarto, um AVC, uma doença mais perigosa”, ressalta.

Informação

Consequências graves da aterosclerose, o infarto cardíaco e o derrame são responsáveis por 80% das mortes relacionadas ao diabetes tipo 2. No entanto, a prevenção esbarra no desconhecimento. Por muito tempo, o diabetes esteve mais associado à cegueira, amputação ou doenças renais. Uma pesquisa realizada em 2019 pela campanha “Quem Vê Diabetes Vê Coração”, da Novo Nordisk, revelou que 90% dos pacientes que têm diabetes alega sentir falta de mais informações sobre os risco cardiovasculares da doença.

Marina Barros foi diagnosticada com diabetes há 19 anos. Desde então, ela se preocupa com as complicações da doença e, por isso, faz o tratamento adequado. No entanto, entende que essa não é a realidade da maioria das pessoas.  “A maior parte dos brasileiros que têm diabetes hoje às vezes nem sabe que tem a doença. E a gente sabe que quem tem, tem pouco acesso à informação, principalmente sobre as complicações”, ressalta.

A influenciadora digital resolveu que seria parte da solução para a falta de informação. Hoje, ela tem um site dedicado ao assunto, chamado DiabéticaTipoRuim. O objetivo é passar conteúdo de qualidade e muita informação para as pessoas, inclusive sobre os riscos cardiovasculares do diabetes.

Arte: Brasil 61

Prevenção

Como já se sabe, a aterosclerose pode começar a se desenvolver ainda na infância, potencializada pela má alimentação e por uma vida sedentária. Portanto, Raquel Cristina Coelho aponta que a prevenção deve começar ainda nessa fase da vida, com hábitos adequados, como alimentação saudável e atividade física regular.

Por ser precoce e silenciosa, a melhor forma de evitar que a aterosclerose leve a um infarto, por exemplo, é o diagnóstico precoce, complementa a médica. “De preferência, ele deve ser feito quando o paciente ainda não tem sintomas, quando a aterosclerose está na fase que chamamos de subclínica, ou seja, não há sinais óbvios dessa doença”, indica.

Nas pessoas que têm diabetes, o cuidado deve ser redobrado. “Manter o controle glicêmico, não fumar, evitar o excesso de bebida alcoólica e ter uma vida saudável são os principais fatores que vão ajudar na prevenção da aterosclerose”, afirma Raquel.

A influenciadora digital Marina Barros reforça: “se você tem diabetes, a decisão mais inteligente a se tomar é manter o controle glicêmico bom, fazer escolhas alimentares melhores, praticar atividade física, evitar bebida alcoólica e sempre fazer os exames periódicos”, orienta.

Outro desafio é que nem mesmo aqueles que admitem conhecer os riscos cardiovasculares do diabetes se esforçam para evitá-los. Segundo a pesquisa realizada em 2019 pela campanha Quem Vê Diabetes Vê Coração, apesar de mais da metade dos pacientes entrevistados terem sido diagnosticados com o diabetes tipo 2 há pelo menos cinco anos, apenas quatro em cada dez diziam praticar exercícios físicos regulares. E mais de um terço não conseguiam ter uma alimentação equilibrada.

Tratamento

Anunciado entre os dias 21 e 25 de setembro durante o congresso da Associação Europeia para o Estudo do Diabetes (EASD, na sigla em inglês), o estudo CAPTURE também revela que apenas duas em cada dez pessoas com diabetes tipo 2 usam algum medicamento para a doença que atue para diminuir o risco cardiovascular.

Covid-19

Não bastasse a associação perigosa, o diabetes e as doenças cardiovasculares são fatores de risco para o agravamento da Covid-19. Pacientes com diabetes que sejam infectados com o novo coronavírus têm mais chance de desenvolver a forma grave da doença, dificuldades respiratórias e necessidade de internação.

De acordo com o último boletim epidemiológico especial do Ministério da Saúde, cerca de 64% das pessoas que morreram por causa Covid-19 até 19 de setembro tinham, ao menos, uma comorbidade ou fator de risco para a doença. Cardiopatia e diabetes foram as condições mais frequentes. “Tem a questão dos distúrbios de coagulação, como a trombose, que também têm sido descritos nas pessoas com Covid-19 e que pode ter uma relação e complicar a aterosclerose”, alerta Raquel.

Campanha

A campanha “Quem Vê Diabetes Vê Coração” é uma iniciativa da Novo Nordisk em parceria com sociedades médicas e associações de pacientes com diabetes de todo o país. Lançada em 2019, tem como objetivo conscientizar as pessoas sobre os riscos associados entre o diabetes e as doenças cardiovasculares. Para mais informações, acesse o site da campanha: quemvediabetesvecoracao.com.br.

Fonte: Brasil 61

 

 

Paraíba pode ter 20 mil crianças e jovens com Covid-19, em quatro meses, com volta de aulas presenciais, alerta Secretaria de Saúde

Em Nota Técnica divulgada neste sábado (3), a qual o ClickPB teve acesso, a Secretaria de Saúde alertou para o risco de surto de Covid-19 entre crianças e jovens de 0 a 19 anos, entre outubro de 2020 e fevereiro de 2021, com a volta das aulas presenciais. Segundo a nota, 20 mil pessoas dessa faixa de idades podem ser infectadas pelo novo coronavírus em caso de descontrole da pandemia na retomada educacional.

Segundo o documento, o Estado da Paraíba tem mais de 994.000 crianças e adolescentes matriculados nos mais variados ciclos educacionais, o que representa 24,63% da população do Estado estimada para 2020. Destes, 81,52% são estudantes da rede pública e 18,48% da rede privada de ensino.

Ao comparar a situação com países que aprovaram a retomada de aulas presenciais, como os Estados Unidos, onde entre os meses de abril a setembro de 2020 autoridades sanitárias norte-americanas e a Academia Americana de Pediatria alertaram para um crescimento expressivo do número de casos da Covid-19 entre crianças e adolescentes, da ordem de 500%, ante ao contexto da retomada das atividades educacionais mediante novos protocolos, em alguns de seus Estados.

Analisando a Paraíba com métodos similares de projeção e análise de riscos para que se orientem tomadas de decisão sobre retomadas das atividades educacionais presenciais, com novos protocolos, pode-se obter crescimento médio do número de casos nas faixas etárias escolares da ordem de um pouco mais de 250%. Isto representaria cerca de 20.000 novos casos nas faixas etárias de 0 a 19 anos entre outubro de 2020 e fevereiro de 2021.

O documento reforça ainda que toda e qualquer retomada de atividades rotineiras deve ocorrer, preferencialmente, em atenção aos riscos apontados pelo Plano Novo Normal, por meio de suas bandeiras, e aos protocolos definidos pelas autoridades sanitárias competentes. Neste sentido a Secretaria de Estado da Saúde disponibiliza um importante conjunto de protocolos em seu portal a respeito da Covid-19.

Futuras melhoras da situação da Covid-19 na Paraíba dependerão muito ainda da maior adesão de toda a população às três medidas mais protetoras da saúde e da vida das pessoas. “Usar máscaras, lavar as mãos e manter o distanciamento social, gestos que mais representam este “novo normal” que vivemos e que precisarão estar cada vez mais presentes em nossos cotidianos”, reforçou Daniel Beltrammi. “Trata-se do que se pode convencionar chamar de “efeito escolha”, ou seja, a melhor decisão em favor da proteção e preservação da saúde e da vida!”, alertou o secretário executivo de Saúde, Daniel Beltrammi.

A avaliação completa com a lista de municípios por bandeiras com suas respectivas avaliações pro critério e a íntegra da Nota Técnica estão disponíveis no site do Governo da Paraíba sobre o Novo Normal.

 

clickpb

 

 

PB tem 667 novos casos de Covid-19 com quatro óbitos nas últimas 24h

A Paraíba registrou 667 novos casos de Covid-19 e 12 óbitos confirmados desde a última atualização, 04 deles ocorridos nas últimas 24h. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde nesta terça-feira (29), 120.654 pessoas já contraíram a doença, 94.831 já se recuperaram e 2.816, infelizmente, faleceram. Até o momento, 368.724 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados.

Confira:

  • Casos Confirmados: 120.654
  • Casos Descartados: 163.640
  • Óbitos confirmados: 2.816
  • Casos recuperados: 94.831
  • Total de municípios: 223

Taxa de Ocupação

A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 34%. Fazendo um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 35%. Em Campina Grande estão ocupados 37% dos leitos de UTI adulto e no sertão 39% dos leitos de UTI para adultos.

Municípios

Os casos confirmados estão distribuídos por todos os 223 municípios paraibanos. A diferença de casos de ontem para hoje é de 667, nos quais 10 municípios concentram 388 casos, o que representa 58,17% dos casos em toda a Paraíba.

São eles:

  • João Pessoa, com 96 novos casos, totalizando 29.589;
  • Sousa, com 53 casos novos, totalizando 2.109;
  • Sumé, com 47 casos novos, totalizando 524;
  • Campina Grande, com 44 novos casos, totalizando 13.098;
  • Itaporanga, com 30 casos novos, totalizando 852;
  • São Bento, com 29 novos casos, totalizando 3.002;
  • Patos, com 28 novos casos, totalizando 4.404;
  • Mamanguape, com 24 casos novos, totalizando 2.348;
  • Serra da Raiz, com 22 casos novos, totalizando 96;
  • Cajazeiras, com 15 casos novos, totalizando 1.992.

*Dados oficiais preliminares (fonte: SIM, e-sus VE e SIVEP) extraídos às 10h do dia 29/09, sujeitos a alteração por parte dos municípios.

Óbitos

Até hoje, 169 cidades registraram óbitos por Covid-19. Os 12 óbitos registrados nesta terça ocorreram entre 21 de agosto e 29 de setembro, 04 deles nas últimas 24 horas, entre residentes de 11 municípios. Os pacientes tinham idade entre 41 e 92 anos, 04 deles tinham menos de 65 anos. Diabetes foi a comorbidade mais frequente. Dos locais, um ocorreu em hospital privado e os demais em hospitais públicos.

Homem, 76 anos, residente em Mamanguape. Cardiopata. Início dos sintomas em 20/09/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 29/09/2020.

Mulher, 88 anos, residente em Pocinhos. Cardiopata e portadora de doença neurológica. Início dos sintomas em 23/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 28/09/2020.

Mulher, 70 anos, residente em Itatuba. Sem comorbidade. Início dos sintomas 19/09/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 28/09/2020.

Mulher, 41 anos, residente em Santa Rita. Diabética e portadora de doença renal. Início dos sintomas em 12/09/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 28/09/2020.

Mulher, 92 anos, residente em João Pessoa. Hipertensa e diabética. Início dos sintomas em 21/07/2020. Foi a óbito em hospital privado no dia 19/09/2020.

Mulher, 64 anos, residente em Alhandra. Sem comorbidade. Início dos sintomas em 04/09/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 17/09/2020.

Homem, 54 anos, residente em Belém. Diabético. Início dos sintomas em 08/09/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 14/09/2020.

Mulher, 53 anos, residente em Campina Grande. Diabética e cardiopata. Início dos sintomas em 03/09/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 14/09/2020.

Homem, 66 anos, residente em Campina Grande. Diabético, cardiopata e ex-tabagista. Início dos sintomas em 27/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 09/09/2020.

Homem, 75 anos, residente em Sapé. Diabético e cardiopata. Início dos sintomas em 24/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 07/09/2020.

Mulher, 69 anos, residente em Sousa. Imunissuprimida. Início dos sintomas em 23/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 03/09/2020.

Mulher, 72 anos, residente em Ingá. Sem comorbidade. Início dos sintomas em 23/07/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 21/08/2020.

Secom-PB

 

 

Quatro times paraibanos jogam pelo Brasileirão no fim de semana

O time do Campinense será o primeiro, entre os representantes paraibanos no Campeonato Brasileiro, a entrar em campo neste fim de semana. Neste sábado (19), a Raposa joga contra o América-RN, estreando na Série D, às 16h, na Arena das Dunas, em Natal-RN. O Treze enfrenta a Jacuipense-BA, às 17h, também neste sábado (19), no Amigão, em Campina Grande pela Série C.

Para o domingo (20), mais duas equipes paraibanas estarão em campo pela competição nacional. O Atlético de Cajazeiras faz seu primeiro jogo na Série D, às 16h, no estádio Perpetão, em Cajazeiras, contra o Globo-RN. O Botafogo da Paraíba visita o Remo-PA, às 18h, no estádio Mangueirão, em Belém-PA, pela Série C.

Campinense e Atlético de Cajazeiras vão iniciar uma caminhada na Série D, fazendo parte do mesmo grupo, enquanto Treze e Botafogo da Paraíba já estão envolvidos no Brasileiro da Série C. Os botafoguenses vão para a sétima partida da competição. Os trezeanos têm um jogo a menos, pois não atuaram contra o Imperatriz-MA na primeira rodada.

Estreia da Raposa

A missão do Campinense é dobrada. O rubro-negro luta para se classificar para a fase seguinte e depois buscar a queda de um tabu: a Raposa tenta sair da Série D depois de uma década. O clube fez 16 contratações, além de aproveitar uma base das disputas do certame estadual.

O treinador Givanildo Sales está convicto de levar o Campinense aos objetivos. Ele reconhece o tamanho da missão. O grau de dificuldade já começa na partida deste sábado, contra o América, em Natal, um clube tradicional do Rio Grande do Norte. Os americanos vêm o status de terem disputado a Série A.

Mas o América é apenas um dos fortes adversários que o Campinense terá no Grupo 3 da competição. Depois, a Raposa ainda vai encarar, na primeira fase da competição, Afogados-PE, Atlético de Cajazeiras, Floresta-CE, Guarany Sobral-CE, Globo-RN e Salgueiro-PE.

Treze

O Treze também joga neste sábado contra a Jacuipense-BA, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro da Série C. Com apenas dois pontos em cinco partidas, o Galo da Borborema tem dois empates e três derrotas.

O Galo vai para o terceiro compromisso na condição de mandante. Antes, foram uma derrota de 3 a 0 para o Ferroviário-CE e um empate de 2 a 2 contra o Remo-PA. Aproveitar a condição de atuar em casa é a proposta do treinador Moacir Júnior, mesmo admitindo que na Série C não tem jogo fácil, sendo mandante ou visitante.

Para este jogo, o Treze tem quatro desfalques. Não conta com o lateral-esquerdo e o meia Marcos Vinícius, ambos punidos pelo cartão vermelho. Além disso, o ala Tales e o atacante Edson Carioca estão no departamento médico. O Treze vem de um empate (1×1) com o Manaus-AM.

Estreia do Atlético de Cajazeiras

Depois de 14 anos, o Atlético de Cajazeiras volta a disputar uma competição brasileira, enfrentando o Globo-RN, neste domingo, às 16h, no Perpetão. Terceiro colocado no Campeonato Paraibano no ano passado, o Trovão Azul é um dos representantes do estado na Série D, ao lado do Campinense.

O Atlético tem como objetivo ser o primeiro clube do Sertão paraibano a chegar na nova versão do Campeonato Brasileiro Série C. Para isso, o elenco do Trovão iniciou a fase de treinamentos logo após encerrar a participação na competição estadual.

Para travar a luta pela classificação e avançar na competição, o Atlético manteve a base da equipe e contratou vários reforços. Além do Globo-RN, o Trovão Azul vai encarar na fase de grupos os times Afogados-PE, Atlético de Cajazeiras, Floresta-CE, Guarany Sobral-CE, Campinense e Salgueiro-PE.

Botafogo-PB

O Botafogo da Paraíba tenta se firmar na Série C do Brasileiro, faltando três partidas para completar os jogos de ida da primeira fase. Para o compromisso deste domingo (20), às 18h, contra o Remo-PA, o mais preocupante que encarar um adversário difícil é não contar com o goleiro Felipe. Ele pegou pena de quatro jogos de suspensão no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

O meia Juninho, que cumpriu suspensão no jogo passado, volta a ficar à disposição para o compromisso deste domingo. Com isso, o time comandado por Rogério Zimmermann ganha um importante reforço para armar o esquema tático. O Botafogo vem de um empate de 0 a 0 contra o Vila Nova-GO.

Com uma campanha preocupante, ocupando a oitava colocação no Grupo A do Brasileirão, o Botafogo soma seis pontos, uma média de um ponto por rodada. São três empates, uma vitória e duas derrotas. Por isso, a missão dos botafoguenses é engordar a pontuação, nas próximas rodadas, para respirar nas partidas de volta.

*Por: Franco Ferreira

 

 

Quatro milhões de trabalhadores recebem hoje mais uma parcela do auxílio

Será pago nesta sexta-feira (11), mais uma parcela do auxílio emergencial continua sendo paga aos nascidos em maio, que não estão inscritos no Bolsa Família, e fazem parte do ciclo 2. Cerca de 4 milhões de trabalhadores recebem o benefício.

O depósito em poupança digital feito no Caixa Tem pode ser de qualquer uma das cinco parcelas, dependendo da data de aprovação do benefício.

Os inscritos no Bolsa Família já estão autorizados a sacar a 5ª parcela. Confira cada data de pagamento para os beneficiários que não são do Bolsa Família.

1ª parcela: quem se cadastrou com ajuda de funcionários dos Correios entre 8 de junho e 2 de julho
1ª parcela: quem foi aprovado depois de contestar o cadastro entre 3 de julho e 16 de agosto
2ª parcela: quem teve o cadastro aprovado em julho
2ª parcela: quem foi aprovado depois de contestar o cadastro entre 24 de abril e 19 de junho
3ª parcela: quem começou a receber o auxílio entre o final de junho e o começo de julho
4ª parcela: quem começou a receber o auxílio em maio
5ª parcela: quem começou a receber o auxílio em abril
Veja os calendários de pagamento do auxílio emergencial – Ciclo 2

Mês de aniversário

Depósito

Saques

Janeiro 28/ago 19/set
Fevereiro 02/set 22/set
Março 04/set 29/set
Abril 09/set 1º/out
Maio 11/set 03/out
Junho 16/set 06/out
Julho 18/set 08/out
Agosto 23/set 13/out
Setembro 25/set 15/out
Outubro 28/set 20/out
Novembro 28/set 22/out
Dezembro 30/set 27/out

Fonte: Diário Oficial da União / Caixa Econômica Federal

Saque do Ciclo 1 continua – Veja o calendário

Mês de aniversário

Depósito

Saque

Janeiro 22/jul 25/jul
Fevereiro 24/jul 1º/ago
Março 29/jul 1º/ago
Abril 31/jul 8/ago
Maio 5/ago 13/ago
Junho 7/ago 22/ago
Julho 12/ago 27/ago
Agosto 14/ago 1º/set
Setembro 17/ago 5/set
Outubro 19/ago 12/set
Novembro 21/ago 12/set
Dezembro 26/ago 17/set

Veja o calendário do Ciclo 3

Mês de aniversário

Depósito

Saques

Janeiro 9/out 29/out
Fevereiro 9/out 29/out
Março 16/out 3/nov
Abril 16/out 3/nov
Maio 23/out 10/nov
Junho 23/out 10/nov
Julho 30/out 12/nov
Agosto 30/out 12/nov
Setembro 6/nov 17/nov
Outubro 6/nov 17/nov
Novembro 13/nov 19/nov
Dezembro 13/nov 19/nov

Fonte: Diário Oficial da União / Caixa Econômica Federal

Veja o calendário do Ciclo 4

Mês de aniversário

Depósito

Saques

Janeiro 16/nov 26/nov
Fevereiro 16/nov 26/nov
Março 18/nov 1º/dez
Abril 18/nov 1º/dez
Maio 20/nov 3/dez
Junho 20/nov 3/dez
Julho 23/nov 8/dez
Agosto 23/nov 8/dez
Setembro 27/nov 10/dez
Outubro 27/nov 10/dez
Novembro 30/nov 15/dez
Dezembro 30/nov 15/dez

pbagora

 

 

Quatro jovens morrem em acidente entre caminhão e carro no RN

As quatro jovens que morreram no início da tarde desta sexta-feira (28), na BR-304, no município de Santa Maria, eram moradoras da comunidade Maisa, zona rural do município de Mossoró.

De acordo com informações fornecidas por um familiar ao Mossoró Hoje, as vítimas são:

Evelin Raiane, de 20 anos.
Maria Isabel, de 17 anos.
Isabell Medeiros, de 15 anos.
Rayanni Silva, de 17 anos.

As três primeiras jovens eram da mesma família, sendo Evelin e Maria Isabel, irmãs, e Isabel Medeiros, tia das duas.

As jovens seguiam para a cidade de Natal, quando aconteceu o acidente e morreram na hora. Elas iam passar o final de semana na capital.

De acordo com o sargento do Corpo de Bombeiros, que atendeu a ocorrência, todos os ocupantes dos veículo estavam usando cinto de segurança, mas o impacto da batida foi tão forte que foi preciso serrar o teto para retirar as vítimas.

Os corpos das 4 vítimas foram removidos do local e levados para o Instituto Técnico-Científico de Natal (Itep). Familiares já foram para a cidade para fazer o reconhecimento e providenciar a transferência para Mossoró.

As circunstância do acidente ainda serão apuradas pela Polícia Rodoviária Federal. Não há informações sobre o estado de saúde do motorista do carro, que foi socorrido com vida, e nem dos ocupantes da carreta.

A tragédia desta tarde poderia ter sido evitada, assim como diversas que levaram à mortes de muitas pessoas na rodovia federal.

Os acidentes na BR-304 são constantes, devido a imprudência e o fato de a rodovia que liga a capital potiguar a diversos municípios do estado, incluindo Mossoró, ser estreita e com pouco acostamento.

Há anos que a duplicação da BR vem sendo pauta de solicitações. Em novembro de 2019, o senador Jean Paul Prates aprovou emenda na Comissão Mista de Orçamento (CMO), do Congresso, incluindo a duplicação da rodovia (do entroncamento com a BR-226 até a divisa com o estado do Ceará) na Lei de Diretrizes Orçamentárias para este ano de 2020.

No entanto, a obra depende de investimento do Governo Federal. Com a duplicação, acredita-se que haverá uma redução no número de mortes.

 

Fonte: Mossoró Hoje