Arquivo da tag: Ponte Preta

Após largar o futebol para ajudar a mãe gari, jogador guarabirense é uma das principais estrelas da Ponte Preta

João Paulo, paraibano natural de Guarabira, eleito uma das estrelas do time paulista Ponte Preta já precisou largar o futebol para ajudar a sua mãe que era gari. O paraibano morador do bairro Buraco do Afonso, periferia de Guarabira, foi feirante durante 20 anos para poder ajudar a mãe a pagar as contas da casa.

Os pais se separaram quando ele ainda era criança. Ele trabalhava na feira ao lado da mãe e das irmãs e ao voltar para casa saía para jogar bola na rua.

“Eu trabalhei desde os 11, 12 anos com a minha mãe e com as minhas três irmãs vendendo verduras, frutas, legumes e temperos na feira. Foi uma batalha grande, mas é gratificante olhar para trás e ver o que conquistei. Minha mãe não tinha trabalho fixo. Tinha de ajudá-la. Sempre quis ser jogador, mas o sonho às vezes ficou um pouco distante. Só que eu sempre acreditei. Agradeço muito a Deus e à minha família por sempre me apoiar. Foi bastante difícil, mas hoje sou realizado”, disse o jogador.

Devido a necessidade de ajudar a sustentar a casa, o paraibano não participou de categorias de base.

Ele jogava na várzea, e depois de uma tentativa frustrada em 2008 de entrar para um time, o agora meia largou o futebol para se dedicar exclusivamente ao trabalho de feirante, viajando até o Rio Grande do Norte para vender frutas. Ficava fora de casa de terça a domingo.

A rotina durou aproximadamente três anos. Em 2011, quando estava perto de completar 21 anos, surgiu uma oportunidade no Desportivo Guarabira, time da sua cidade.

“Um diretor falou para mim que teria uma peneira. Aí a chama reacendeu. Ela nunca apagou totalmente, mas como tinha de ajudar a minha mãe com as coisas de casa, ficou de lado um pouco. Mas quando surgiu essa chance, conversei com todos e disse que queria. Minha mãe, que tinha passado num concurso público e estava esperando ser chamada, ficou meio receosa num primeiro momento. Mas eu peguei e fui. Na estreia já fui titular, fiz gol, com toda a minha família assistindo”, revelou.

Como João Paulo se profissionalizou em 2011, a carreira dele tem nove anos de duração. Depois do Desportivo Guarabira, passou por Globo-RN, Coruripe-AL, Estanciano-SE, Sergipe, ASA, Tombense, Paraná e Santa Cruz, entre outros, mas passou a ganhar destaque a partir de 2018, quando defendeu o Atlético-GO.

A última temporada pelo Avaí foi a mais positiva até aqui: campeão catarinense, prêmio de craque do estadual e dez gols e cinco assistências em 49 jogos durante o ano.

Atualmente, João Paulo é o principal destaque individual do time da Ponte Preta em 2020. O paraibano é líder em número de jogos (20), minutos em campo (1.754), assistência (quatro) e vice-artilheiro, com cinco gols, ao lado de Bruno Rodrigues – um atrás de Roger. Neste início da Série B, já marcou duas vezes – uma delas um golaço contra o Vitória.

Família

João Paulo já é pai de Paulo Henrique, de seis anos, e espera pela chegada de Ester. O nascimento está previsto para dezembro.

“Está tudo dando certo na minha vida, graças a Deus. A gente sempre procurou fazer o melhor, com os pés no chão. Tenho uma base muito forte por trás de mim, com minha esposa, mãe, irmãs e pai sempre me fortalecendo a cada dia para eu procurar desafios maiores”, agradeceu.

 

GE

 

 

Flamengo vence a Ponte Preta em estreia na Ilha do Urubu

Ufa. O sentimento de Zé Ricardo ao apito final de Flamengo 2 x 0 Ponte Preta deve ter sido de alívio. O treinador e o time vinham pressionados pelos maus resultados neste início de Campeonato Brasileiro, mas o Rubro-Negro enfim venceu a primeira partida em casa na competição, na estreia da equipe na Ilha do Urubu, na Ilha do Governador, na noite desta quarta-feira. Réver e Leandro Damião fizeram os gols da partida, que foi válida pela sétima rodada.

Flamengo x Ponte Preta
Flamengo x Ponte Preta

Foto: Thiago Ribeiro/AGIF / LANCE!

O Flamengo voltou a demonstrar raça após alguns jogos de pura apatia e ficou em paz com a torcida. A Macaca, por sua vez, parecia pouco interessada no duelo e só cumpriu tabela no Rio.

Com a marcação avançada, o Flamengo sufocou a Portuguesa nos minutos iniciais e partiu para cima. O jovem Vinicius Júnior parecia um pouco mais solto do que nos últimos jogos e arriscou algumas boas jogadas individuais. Do outro lado, a Macaca se interessava pelo ritmo mais cadenciado, porém era praticamente inofensiva.

Leandro Damião estava muito a fim de jogo, na expectativa pela chance que lhe desse condições de abrir o placar. No meio, Diego e Éverton ocupavam quase a mesma faixa do campo, causando um pouco de confusão. Com o decorrer do tempo, a Ponte conseguiu equilibrar as ações e esfriou o jogo ainda na primeira etapa.

Nos minutos finais do primeiro tempo, a Ponte balançou a rede, mas a arbitragem assinalou impedimento de Leo Arthur. Foi um lance no mínimo polêmico. Pouco depois, aos 47, Diego cobrou escanteio da ponta esquerda de ataque e achou Réver na área. O capitão cabeceou muito bem, fora do alcance da defesa adversária e sacudiu a Ilha do Urubu.

O segundo tempo começou num ritmo mais lento do que o primeiro. Com a vantagem no placar, o Flamengo tentava administrar, porém sem perder o interesse em mais gols. Márcio Araújo quase ampliou, mas foi Leandro Damião quem levantou a galera. Vinicius Júnior cruzou da ponta direita para a área, onde o centroavante se antecipou a Aranha para estufar a rede: 2 a 0.

Com a vitória encaminhada, o Flamengo passou a se arriscar menos e conteve as investidas da Ponte Preta. Os visitantes até assustaram em alguns poucos lances, mas a vitória dos donos da casa não foi ameaçada. Estreia com o pé direito na Ilha.

FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO 2 X 0 PONTE PRETA

Local: Ilha do Urubu, Ilha do Governador (RJ)
Data/hora : 14/6/2017, às 21h
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG-Fifa)
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo (MG) e Pablo Almeida da Costa (MG)
Cartões amarelos: Negueba, Nino Paraíba (PON); Márcio Araújo, Vinicius Júnior (FLA)
Público e renda : 13.006 pagantes / R$ 788.649,20
Gols : Réver, 47’/1°T (1-0); Leandro Damião, 13’/2°T (2-0)

Flamengo : Thiago; Rodinei, Réver, Rafael Vaz e Renê; Márcio Araújo, Cuéllar e Diego (Conca, 37’/2°T); Vinicius Júnior (Pará, 27’/2°T), Everton e Leandro Damião (Vizeu, 43’/2°T). Técnico : Zé Ricardo.

Ponte Preta : Aranha; Nino Paraíba, Kadu, Marllon e João Lucas; Naldo, Elton, Léo Arthur (Jadson, 33’/2°T) e Renato Cajá (Claudinho, 25’/2°T); Lucca e Negueba (Lins, intervalo). Técnico : Gilson Kleina.

Lance

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

São Paulo faz 5 na Ponte Preta em estreia de Ceni como técnico no Morumbi

Marcello Zambrana/AGIF
Marcello Zambrana/AGIF

Uma exibição de gala para coroar a estreia de Rogério Ceni como técnico no Morumbi. Foi desta forma que o São Paulo respondeu à estreia frustrada no Campeonato Paulista. Em casa, diante de mais de 50 mil pessoas, o clube tricolor sobrou e goleou a Ponte Preta pelo placar de 5 a 2, com três gols do centroavante Gilberto.

Desde o princípio, o São Paulo sobrou diante do rival de Campinas. Nem o gol da Ponte Preta anotado por Matheus Jesus, no início da partida, abalou a atuação são-paulina. Pressão na saída de bola, intensidade e muita movimentação resultaram em uma virada tranquila, a qual terminou em goleada e aplausos dos torcedores.

O São Paulo, desta forma, conquista a primeira vitória no Campeonato Paulista de 2017 e já assume a liderança do Grupo B do Estadual; na estreia, o time de Rogério Ceni perdeu por 4 a 2 para o Audax. A Ponte Preta fica na lanterna do Grupo D, também com três pontos.

Depois do show, o primeiro grande teste competitivo. O São Paulo retorna a campo na próxima quarta-feira, quando, a partir das 21h45 (de Brasília), terá pela frente o rival Santos, na Vila Belmiro. A Ponte Preta recebe o Botafogo-SP na mesma data, mas às 19h30.

Quem foi bem: Gilberto

Uma chance. Três gols. O corte de Chávez por desgaste muscular abriu espaço para Gilberto protagonizar primeira tarde de futebol neste ano no Morumbi. O camisa 17 são-paulino balançou as redes três vezes e comandou a goleada da equipe de Rogério Ceni. Cueva, mais uma vez, também somou mais uma ótima atuação para o currículo.

Quem foi mal: Fábio Ferreira e Kadu

A goleada são-paulina deu-se muito por conta da vitória nos duelos individuais sobre a dupla de zaga ponte-pretana. Kadu perdeu duas vezes de Gilberto, e o camisa 17 são-paulino não perdoou. Fábio Ferreira tomou um belo drible de Luiz Araújo. No quinto gol, a defesa observou a bola cruzar a área antes de novamente Gilberto balançar as redes.

Prazer, Pratto e Jucilei!

Antes de a bola rolar, o gramado do Morumbi recebeu duas caras novas. O atacante Lucas Pratto e o meio-campista Jucilei se apresentaram ao público presente no estádio são-paulino, que recebeu um bom público na tarde deste domingo. O centroavante argentino será oficialmente apresentado nesta segunda-feira, enquanto o meio-campista vestirá pela primeira vez o uniforme na terça-feira.

Daniel Vorley/AGIF

Pressão na saída de bola é recompensada

O São Paulo de Rogério Ceni apresenta uma característica chamativa neste início de trabalho: a pressão na marcação. Eram raros os momentos em que algum jogador da Ponte Preta possuía espaço para pensar e jogar. Dois dos quatro gols nasceram a partir de bolas recuperadas, ambos anotados pelo centroavante Gilberto.

Vaias pela decisão

A decisão de João Schmidt não renovar contrato com o São Paulo repercutiu mal entre a torcida. O nome do meio-campista, que irá para o Atalanta-ITA no meio do ano, foi vaiado por parte dos torcedores durante o anúncio das escalações. Ficou a mágoa.

Ah, Sidão

O São Paulo teve um trabalho extra para correr atrás da Ponte Preta. Apesar de controlar o ritmo de jogo, saiu atrás do marcador. Matheus Jesus, aos 22min, arriscou de canhota de fora da área e contou com a colaboração de Sidão. O goleiro são-paulino não conseguiu espalmar o chute do ponte-pretano.

Categoria de Rodrigo Caio

A maturidade de Rodrigo Caio impressiona a cada temporada. Nesta tarde de futebol no Morumbi, um lance exemplifica a evolução do zagueiro. Sidão saiu jogando com o camisa 3, que rapidamente recebeu a pressão de um atacante ponte-pretano. A solução do campeão olímpico? Um toque de letra para clarear o jogo para Júnior Tavares.

Chávez é cortado…

Autor de dois dos três gols da equipe tricolor em 2017 – o outro foi marcado por Gilberto, titular nesta tarde – o argentino Chavez acabou cortado da relação, em virtude de um desconforto muscular, e desfalcou o time diante da Ponte Preta.

…substituto embala

Substituto de Chávez, Gilberto usou o domingo para se exibir de maneira inspiradora diante do torcedor são-paulino. Três gols na goleada são-paulina diante da Ponte Preta. Um recado para Lucas Pratto?

Pottker ignora negociação frustrada

A negociação frustrada entre a Ponte e o Corinthians manteve Willian Pottker definitivamente em Campinas. No primeiro compromisso depois de toda a ‘novela’ da última semana, o camisa 9 ignorou qualquer abatimento e deu muito trabalho para a defesa são-paulina, especialmente ao lateral-esquerdo Júnior Tavares.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 5 X 2 PONTE PRETA

Data e hora: 12 de fevereiro de 2017, domingo, às 17h (de Brasília)
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Árbitro: Thiago Duarte Peixoto
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Alex Ang Ribeiro
Público e renda: 50.952 pessoas; R$ 1.312.376,00
Cartões amarelos: Cícero (São Paulo); Jeferson, Kadu, Nino Paraíba (Ponte Preta)
Gols: Cueva, aos 32 minutos, Gilberto, aos 44 do primeiro tempo, aos 13 e aos 24 do segundo, e Thiago Mendes, aos 11 do segundo tempo (São Paulo); Matheus Jesus, aos 22 do primeiro tempo, e Lucca, aos 38 do segundo (Ponte Preta)

SÃO PAULO: Sidão; Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Jr Tavares; Thiago Mendes (Araruna), João Schmidt, Cícero (Lugano) e Cueva (Shaylon); Luiz Araújo e Gilberto
Técnico: Rogério Ceni

PONTE PRETA: Aranha; Nino Paraíba, Kadu, Fábio Ferreira e Jeferson (Artur); Jádson, Naldo e Matheus Jesus (Yago); Lucca, Clayson (Lins) e William Pottker
Técnico: Felipe Moreira

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Inter demite Celso Roth após empate contra a Ponte Preta

celso-tothO Internacional demitiu o técnico Celso Roth. Após o empate com a Ponte Preta o clube gaúcho confirmou a saída. Na zona de rebaixamento, o Colorado tem a mesma pontuação do Vitória. Depois do jogo, um grande protesto foi feito pelos aficionados do lado de fora do Beira-Rio.

“De comum acordo, tomamos essa decisão. Vamos seguir trabalhando, faltam três jogos”, disse o vice de futebol Fernando Carvalho. “É dolorido demitir treinador, mas tendo em vista os três jogos e o apoio necessário da torcida, tivemos que fazer”, completou.

Celso sofria muita pressão da torcida. Nesta quinta, foi constantemente vaiado durante o 1 a 1 contra os paulistas.

“Conversamos após o jogo e chegamos a essa solução”, acrescentou Carvalho.

O vice de futebol, Fernando Carvalho, garantiu que em até 24 horas irá definir o rumo do time e a contratação de um novo treinador. A demissão foi muito motivada pela reação da torcida, que não aprovava a permanência de Celso.

“Precisamos do apoio dos torcedores. Entendemos, de comum acordo, que essa era uma alternativa”, completou.

Mas ao contrário da relação com a torcida, o relacionamento interno de Celso Roth com a direção vermelha era o melhor possível. Agora, o novo nome, ainda indefinido, irá comandar o time nos três jogos restantes do Brasileiro com a dura missão de evitar o rebaixamento.

Novo técnico em 24 horas

Depois de explicar a demissão, Fernando Carvalho garantiu em nesta sexta-feira o nome do próximo técnico do Internacional será conhecido. Celso Roth fecha sua terceira passagem pelo Inter com 22 jogos, foram 6 vitórias, 6 empates e 10 derrotas, representando 36% de aproveitamento.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Atlético Mineiro resolve no primeiro tempo, vence Ponte Preta e segue na cola dos líderes

ponteDepois de sair do Moisés Lucarelli vivo na briga pelo título da Copa do Brasil, em confronto pelas oitavas de final, o Atlético Mineiro venceu mais uma vez a Ponte Preta para seguir na luta pelo título do Campeonato Brasileiro.

Na tarde deste sábado, em Campinas, Júnior Urso e Clayton, para o Atlético, e Roger, da Ponte, foram os responsáveis pelo placar de 2 a 1 que, que deixou a equipe mineira com 52 pontos, dois a menos que o Palmeiras, que ainda jogará pela 28ª rodada, e Flamengo, líder e vice neste momento.

Esta foi a primeira vitória do Atlético fora de casa no returno, deixando a Ponte Preta com 39 pontos, na 10ª posição, e mais distante da briga por uma vaga na Copa Libertadores de 2017.

GOLAÇO FEITO E PERDIDO

O Atlético Mineiro resolveu a partida logo no primeiro tempo do jogo. O primeiro gol foi um verdadeiro golaço. A jogada começou com o toque de Pratto para Cazares, que deu belo passe na esquerda para Fabio Santos. O lateral cruzou na medida para Júnior Urso, que voou para abrir o placar.

Aos 37 veio o seugndo gol. Leandro Donizete deu lançamento na medida para Clayton, que carregou a bola até a área e teve muita tranquilidade para escolher o canto, esperar o goleiro Aranha e mandar para a rede.

Os atleticanos ainda poderiam ter marcado o terceiro e tinham tudo para isso. Aos 41, Cazares recebeu livre, driblou o goleiro e tinha tudo para fazer mais um golaço. Só que ele foi displicente ao finalizar, errando o gol aberto.

UM ADMINISTRA, O OUTRO BUSCA

Na segunda etapa o Atlético Mineiro passou a administrar o placar construido no primeiro tempo. A Ponte Preta  tentava criar chances de diminuir o placar, mas era a equipe visitante que ficava mais tempo com a bola nos pés .

Até que, aos 34, Roger colocou emoção no jogo. Wellington Paulista levantou para a área e o camisa 9 matou no peito para finalizar com categoria e diminuir a vantagem do Atlético no jogo.

Depois gol da Ponte, porém, o Atlético também buscou mais o ataque na tentativa de resolver o jogo de uma vez por todas. Mas ninguém marcou e a equipe mineira segue sonhando com o título, enquanto a Libertadores fica mais distante do time de Campinas.

PRÓXIMA RODADA

O próximo compromisso do Atlético-MG já é nesta quarta-feira. Na 29ª rodada, o time mineiro vai até Itaquera para enfrentar o Corinthians, em jogo marcado para as 21 horas (de Brasília). Já a Ponte Preta entra em campo apenas no próximo sábado, também 21 horas, contra o Cruzeiro, no Mineirão.

FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA 1 x 2 ATLÉTICO-MG

Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Data: 01 de outubro de 2016, sábado
Horário: 16h30 (de Brasília)
Árbitro: Diego Almeida Real (RS)
Assistentes: José Eduardo Calza (RS) e Alexandre Pruinelli Kleiniche (RS)
Cartões amarelos: João Vitor, Wendel (Ponte Preta), Otero, Júnior Urso (Atlético-MG)
Gols: PONTE PRETA: Roger, aos 34 minutos do segundo tempo; ATLÉTICO-MG: Júnior Urso, aos 15, e Clayton, aos 37, minutos do primeiro tempo;

PONTE PRETAAranha; Jeferson, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Breno Lopes; João Vitor (Wellington Paulista) e Wendel (Matheus Jesus); Thiago Galhardo, Felipe Azevedo e Ravanelli (Zé Roberto); Roger
Técnico: Eduardo Baptista

ATLÉTICO-MG: Victor; Carlos César, Gabriel, Leonardo Silva e Fábio Santos; Leandro Donizete e Júnior Urso; Cazares (Robinho), Clayton (Maicosuel) e Otero (Hyuri); Pratto
Técnico: Marcelo Oliveira

espn

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Fla encara a Ponte Preta ‘secando’ o Palmeiras para colar na liderança

Gilvan de Souza/Flamengo
Gilvan de Souza/Flamengo

Embalado pelo já famoso “cheirinho de hepta”, o Flamengo entra em campo nesta quarta-feira (7), às 21h45, no seu “Maracanã capixaba”, o estádio Kléber Andrade, em Cariacica (ES), para enfrentar a Ponte Preta, de olho no clássico paulista entre Palmeiras e São Paulo. Isso porque uma vitória rubro-negra acompanhada de uma derrota alviverde fará com que os cariocas colem na liderança do Brasileiro.

Atualmente, o Palmeiras lidera a competição com três pontos à frente do Fla, uma vitória a mais e 12 gols de diferença no saldo.

A Ponte, porém, faz boa campanha e, na 7ª posição, só está a três pontos do G4. Por isso, o técnico Zé Ricardo prega respeito e conta novamente com a força do torcedor capixaba, que tem feito a diferença nos jogos no Kléber Andrade.

“A Ponte é uma das equipes mais equilibradas. Não venceu o Corinthians por acaso. O Eduardo Baptista é um estudioso, tem a equipe verdadeiramente na sua mão, mas vamos tentar fazer valer o nosso mando. Espero que na quarta esteja lotado para conseguirmos mais uma vez”, disse o treinador.

A tendência é a de que o técnico Zé Ricardo mantenha a equipe que venceu o Figueirense por 3 a 1 na semana passada e garantiu vaga nas oitavas de final da Copa Sul-Americana.

FLAMENGO X PONTE PRETA
Local:
Kléber Andrade, Cariacica (ES)
Hora: 21h45
Árbitro: Francisco Carlos de Nascimento (AL)
Auxiliares: Esdras Mariano de Lima (AL) e Pedro Jorge Santos (AL)

FLAMENGO
Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Jorge; Márcio Araújo, Willian Arão e Diego; Gabriel, Everton e Leandro Damião
Técnico: Zé Ricardo

PONTE PRETA
Aranha, Nino Paraíba, Douglas Grolli, Fábio Ferreira e Reinaldo; João Vitor, Wendel e Galhardo; Rhayner, Clayson e Roger
Técnico: Eduardo Baptista

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Flamengo busca empate no fim contra a Ponte Preta em Campinas

O Flamengo esteve em vias de sofrer uma derrota que poderia abalar ainda mais seu campeonato neste domingo. O gol de André Santos aos 41 minutos do segundo tempo, em Campinas, impediu que a Ponte Preta vencesse a partida e aproximasse ainda mais os cariocas da zona de rebaixamento. O time de Mano Menezes buscou o empate em 1 a 1 com um jogador a menos – Samir foi expulso. O resultado foi péssimo para a Macaca, que já acumulava sete derrotas consecutivas.

Arthur e Hernane Ponte preta e Flamengo (Foto: Rodrigo Villalba / Agência estado)Artur e Hernane disputam bola no empate em Campinas (Foto:Rodrigo Villalba/Agência estado)

Artur, em chute cruzado, abriu o placar para a Ponte. André Santos, que falhou na expulsão de Samir, empatou em uma inesperada reação rubro-negra. Com isso, Jorginho, técnico da Macaca, segue sem vencer no Brasileirão – nem pelo time campineiro, nem pela equipe carioca, que ele treinou no início do campeonato.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Com o empate, a Ponte Preta foi a 16 pontos, na 19ª colocação. O Flamengo, com 26, é o 11º. Na próxima rodada, a Macaca recebe o Corinthians na quarta-feira, e o Rubro-Negro pega o Atlético-PR no Maracanã, na quinta.

Maus tratos à bola

Tecnicamente, foi de chorar. Ponte Preta e Flamengo maltrataram a pobre da bola em um primeiro tempo atrapalhado em Campinas. As duas equipes tiveram atributos diferentes em campo: os cariocas controlaram mais o jogo, mas sem saber o que fazer com esse domínio. O setor de criação foi ineficiente (não chega a ser novidade). Erros no último passe impediram os comandados de Mano Menezes de pular na frente. Já a Macaca foi mais aguda, mais vertical – com isso, aproximou-se melhor do gol adversário. Mas esteve ainda pior nos tratos à bola. Impressionante: o time da casa errou mais de 20% (21 em 92) dos passes que deu na etapa inicial.

O Flamengo poderia ter pulado na frente cedo. Paulinho fez boa jogada e encontrou Gabriel livre pela direita, dentro da área. O meia, porém, não conseguiu encaixar o corpo. Bateu torto. A Ponte reagiu com chutes de longe, com Fellipe Bastos e Adrianinho, mas sem sucesso. Um cabeceio de Baraka também assustou o gol defendido por Paulo Victor.

Um gol para cada lado

A Ponte Preta voltou com duas mudanças para o segundo tempo: Fernando Bob no lugar de Fellipe Bastos e Rildo na vaga de Adaílton. E melhorou. Equilibrou a posse de bola, se posicionou mais à frente e aumentou a dose de ameaças. Mesmo assim, o Fla poderia ter marcado com Hernane, após boa jogada de João Paulo. Mas não marcou. E pagou caro.

A Macaca ensaiou seu gol aos poucos, a conta-gotas. Aos 14 minutos, quase fez com Chiquinho. Aos 17, viu Samir, do Fla, ser expulso, por falta cometida após recuo fraco de André Santos. Aos 22, saiu o gol. Chiquinho abriu bem para Artur na direita. O lateral mandou uma pancada cruzada, alta, indefensável. Belo gol.

Mesmo com a desvantagem, Mano Menezes tirou Hernane e colocou um zagueiro, González, para recompor a defesa. Curiosamente, o time melhorou na frente. E encontrou o empate com André Santos, que limpou a defesa e bateu forte. Acabou sendo o menor dos males para os cariocas.

 

 

Globoesporte.com

Com Neymar expulso, Ponte Preta vence Santos e segue na liderança

ponte-preta_santosNo duelo do paredão defensivo contra o bom poder de fogo, a Ponte Preta levou a melhor sobre o Santos. Em jogo marcado pelas expulsões de Artur e Neymar, que discutiram e receberam cartão vermelho no fim da etapa inicial, a Macaca venceu por 3 a 1, neste domingo, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, onde tem 100% de aproveitamento. Assim, seguiu na liderança do Paulistão, com 18 pontos. O Peixe, por sua vez, estacionou nos 14 pontos ganhos.

Bruno Silva e Alemão (duas vezes), revelado na base do Santos, marcaram para a Ponte Preta, enquanto André, centroavante do Peixe, encerrou o jejum de 13 jogos sem gols, insuficiente para ajudar o time a conseguir resultado melhor.

Agora, a Ponte Preta encara o São Bernardo, também no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, às 18h30m, no domingo. No mesmo dia e horário, o Santos recebe o XV de Piracicaba, confronto inicialmente marcado para a Vila Belmiro. A partida pode mudar de local em função do julgamento do estádio, marcado para esta segunda-feira, por conta das moedas atiradas a Paulo Henrique Ganso, do São Paulo, no clássico do dia 3 de fevereiro. Os dois jogos são válidos pela nona rodada do Paulistão.

Ponte sai na frente e Neymar é expulso

A novidade no lado da Ponte Preta foi a escalação do zagueiro Cléber, recuperado de lesão no tornozelo esquerdo. Pelo Santos, Muricy Ramalho inovou com uma formação no 4-5-1, sem um centroavante de referência. Apenas Neymar era o atacante de ofício. E os dois foram personagens na etapa inicial.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Depois de uma finalização do próprio craque loiro, foi a Macaca que abriu o placar. E em uma jogada estranha por parte de Rafael. No primeiro lance, o goleiro espalmou de forma esquisita o cruzamento de Cicinho. Na sequência, o peruano Ramirez deu lançamento perfeito para Bruno Silva. Aproveitando-se da pane geral da zaga santista, o volante chegou de trás e só completou para a rede, aos 11 minutos.

Perdendo o meio de campo para a Ponte, o Santos passou a assustar só nas bolas paradas de Marcos Assunção. Em cruzamentos ou finalizações diretas, Édson Bastos trabalhou bem para evitar, principalmente, o gol de Durval, em cabeçada perigosa. A resposta ainda mais eficiente foi dada por Artur, que acertou o travessão de Rafael.

Já no fim do primeiro tempo, aos 46 minutos, foi justamente o lateral-direito da Ponte Preta que acabou expulso, assim como Neymar. Após jogada na área da Macaca, os dois discutiram. Houve troca de xingamentos. Em seguida, o zagueiro Cléber empurrou o rosto do santista, mas o árbitro Luiz Flávio de Oliveira decidiu expulsar Artur e Neymar, gerando reclamações do jogador loiro na saída para o intervalo.

No 10 contra 10, Ponte vence

Na volta para o segundo tempo, Muricy trocou Renê Júnior pelo centroavante André. Assim, Arouca teve de recuar como primeiro volante. Já o técnico Guto Ferreira improvisou Cicinho pela direita, para suprir a ausência de Artur na Ponte Preta.

Com os ânimos controlados, o jogo caiu bastante tecnicamente. Exceção feita a uma finalização de Bruno Peres, poucos lances assustaram os goleiros Édson Bastos e Rafael. Tanto que os dois treinadores promoveram mais alterações na tentativa de melhorar suas equipes.

No Santos, Felipe Anderson ganhou o lugar de Montillo, e Patito Rodriguez substitutiu Cícero. Na Ponte Preta, Wellington Bruno entrou na vaga de Ramirez, e Alemão ocupou a posição de William. O atacante revelado na base do Peixe foi o responsável por definir o placar. Em belo lançamento de Cicinho, ele saiu na cara de Rafael e fez 2 a 0, aos 36 minutos. O jogador preferiu não comemorar, em respeito ao antigo clube.

Ainda houve tempo para uma substituição inusitada. Com uma lesão muscular, o árbitro Luiz Flávio de Oliveira deu lugar a Rodrigo Braghetto, que terminou a partida no comando do apito.

Já no fim, André acabou com o jejum de 13 jogos e marcou o gol de honra do Peixe. Mas em seguida, em novo lance estranho de Rafael, Alemão aproveitou a bobeira e definu o 3 a 1.

Com 100% de aproveitamento no estádio Moisés Lucarelli, a Macaca, melhor defesa do Paulistão, bateu o Santos e continua na liderança isolada do estadual.

 

 

Globoesporte.com