Arquivo da tag: Pato

Pato e Michel marcam duas vezes, e São Paulo se alivia com goleada

bastosO Morumbi e seu novo gramado foram palco na tarde deste sábado de vitória do São Paulo sobre o Audax por 4 a 0, resultado que mantém tranquilidade no Campeonato Paulista e diminui a pressão dos últimos dias pelo tropeço na estreia da Copa Libertadores diante do Corinthians. Alexandre Pato, crítico do campo antigo e artilheiro isolado da equipe em 2015 (agora com seis gols), voltou a mostrar seu poder de fogo e balançou a rede duas vezes, assim como Michel Bastos, que abriu e fechou o placar.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A reclamação do atacante no ano passado quanto às condições ruins do gramado – ele desperdiçou oportunidade incrível de gol durante partida contra o Sport, no Campeonato Brasileiro, e se eximiu de culpa pelo quique da bola – foi uma das razões para que a diretoria do clube fechasse o estádio no início desta temporada e promovesse reforma completa no terreno. A partida deste sábado marcou a volta para casa após dois jogos como mandante no Pacaembu.

Além do gramado, também foram novidades três mudanças no time que disputou o clássico no meio de semana – uma delas, a saída do meia Paulo Henrique Ganso, que pediu para não jogar por não estar se sentindo bem, segundo o técnico Muricy Ramalho. Apesar das substituições, o São Paulo só passou a ter profundidade – inexistente também na quarta-feira – e a ameaçar o Audax a partir da metade do primeiro tempo.

No começo, prevaleceu a tentativa de tomar a bola na saída de jogo adversária, com marcação adiantada, como treinado na sexta-feira. Só que, debaixo de sol e em um campo grande como o do Morumbi, a tática durou pouco. Com dez minutos, a defesa do Audax já tinha liberdade de pelo menos um terço do gramado. Nada também que resultasse em boas jogadas no meio-campo e em perigo ao gol de Rogério Ceni.

Felipe Alves, goleiro da equipe de Osasco, também só era ameaçado com a bola nos pés. Por duas vezes, em cima da linha de fundo, quase perdeu a bola, chutando-a em Pato e Souza. Em outras oportunidades, porém, saiu-se bem, até colocando a bola por cima dos marcadores. Já debaixo da trave, um arremate de Pato da entrada da área – que acabou saindo rente ao travessão – foi o único motivo de susto no começo da partida.

Afora isso e uma boa finalização de Michel Bastos de longa distância, aos 25 minutos, o São Paulo abusava da lentidão e de passes e cruzamentos errados. Só de Thiago Mendes (substituto de Paulo Henrique Ganso neste sábado), foram três, motivo pelo qual o meio-campista mereceu algumas tímidas vaias ainda na etapa inicial. Mas ele seria esquecido mais tarde, por participar do primeiro gol da partida, aos 33 minutos.

Acionado por Luis Fabiano na ponta direita, Thiago Mendes invadiu a área e atrasou para Michel Bastos, próximo à marca do pênalti, concluir de primeira para a rede e facilitar as coisas para o São Paulo. Logo no minuto seguinte, Luis Fabiano deu outro contribuição para gol. De trás do meio-campo, ele encontrou Pato avançando pelo lado esquerdo e o colocou em ótima condição de marcar. Cara a cara com o goleiro, ele chutou no canto esquerdo baixo, ampliou a vantagem são-paulina e anotou o primeiro tento no estádio desde setembro.

“Foi uma primeira etapa um pouco sofrida”, resumiu Luis Fabiano, entre um fôlego e outro no intervalo, depois de ter papel importante nos dois gols. “A gente vem tentando marcar em cima, mas é muito difícil, porque eles saem jogando. Mas foi bom, porque conseguimos fazer dois gols em jogadas rápidas, em contra-ataques”.

A única alteração para o segundo tempo foi a entrada de Edson Silva no lugar de Dória. O zagueiro voltou a sentir dores no tornozelo direito, o qual machucou na estreia da Libertadores, e viu do banco de reservas o terceiro gol da equipe. De novo com participação de Luis Fabiano, que desviou de cabeça um lateral e deixou Michel Bastos em condições de cruzar para Pato completar em direção à meta praticamente vazia. Um lance muito semelhante àquele em que desperdiçou a chance e pôs culpa no gramado. Neste sábado, a propósito, ele quase se atrapalhou no momento do chute, porém foi feliz.

Felizes também ficaram os torcedores são-paulinos. Até mesmo aqueles que, ao longo da semana, chegaram a pedir a saída de Muricy Ramalho do comando técnico. Com a vitória sem gols sofridos neste sábado – também porque Rogério Ceni fez bela defesa na única vez em que foi exigido, aos 25 minutos da segunda etapa – eles e o restante da torcida ainda puderam comemorar o quarto gol – marcado por Michel Bastos, aos 42 – antes de deixarem o Morumbi mais confiantes para o segundo confronto na Libertadores, diante do uruguaio Danubio, na quarta-feira. Os cerca de 50 fãs do Audax, por sua vez, seguem descontentes pela lanterna no grupo B da competição estadual.

 

Yahoo

Santos assusta, mas São Paulo vence com gols e Pato e Ganso e é vice-líder

gansoDeu trabalho, mas o São Paulo é vice-líder do Campeonato Brasileiro. No clássico no Morumbi, o time de Muricy Ramalho dominou com um golaço de Ganso e tinha o jogo na mão até vacilar e conceder um pênalti ao Santos, bem convertido por Gabigol. Um gol tardio e na raça de Pato, porém, deu a vitória à equipe tricolor, muito aplaudida pela torcida.

O triunfo coloca o São Paulo de vez na lista de desafiantes do líder Cruzeiro. Agora o clube tricolor tem 32 pontos, contra 31 de Inter e Corinthians, que tropeçaram na rodada. A equipe mineira, que ainda entrará em campo neste domingo, tem 36.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Mais que a posição, porém, serve ao São Paulo a certeza do bom momento, corroborado pela quarta vitória seguida no torneio. Antes inconsistente e irregular, o time de Muricy Ramalho, aos poucos, evolui. Hoje, o ataque com Ganso, Pato e Kaká vai se consolidando, embora a defesa ainda vacile acima do normal.

Foi uma bobeira dessas, aos 40 minutos do segundo tempo, que quase pôs tudo em risco. O Santos de Gabigol, porém, não teve forçar para segurar o São Paulo e saiu derrotado. Com 23 pontos, segue longe do G4 e em busca de um melhor futebol.

Fases do jogo:
O São Paulo ganhou com autoridade, embora tenha levado um susto enorme no fim do jogo. O ponto alto da equipe, como já vem acontecendo há tempos no Morumbi, foi o setor ofensivo, liderado por Paulo Henrique Ganso.

As associações entre o camisa 10, Kaká e Pato produziram os melhores lances do jogo. O São Paulo soube se movimentar, aproveitou-se das falhas individuais da defesa do Santos e levou perigo várias vezes ao gol de Aranha.

Ganso, de costas para o gol, aos 24 minutos do primeiro tempo, marcou um golaço e definiu a história do jogo, que já era favorável ao time da casa. Se o São Paulo não marcou mais é porque não teve muito esmero na hora de finalizar. Kardec, apagado e errático, também não colaborou.

Na defesa, por outro lado, a equipe tricolor não passou segurança. Paulo Miranda deu muito espaço a quem marcava, não importa quem fosse, e o time perdeu muitas bolas pelo alto. Sorte do São Paulo que o Santos, com Lucas Lima ineficiente, não jogou para aproveitar esses espaços.

Quem deu a melhor chance ao Santos foi Álvaro Pereira, que cometeu pênalti bobo a cinco minutos do apito final. Com personalidade Gabigol deslocou Rogério e provocou a torcida no Morumbi. Nos minutos seguintes, porém, Pato marcou na base da pressão e deu a vitória ao São Paulo.

O melhor: Ganso. O camisa 10 já vem se destacando nos últimos jogos, mas bater o ex-clube, de onde saiu brigado, certamente tem um gosto especial. No São Paulo de hoje, Ganso ajuda na marcação, volta para sair jogando e interage bem com Kaká e Pato. Quando teve a chance de definir, o fez de forma genial.

O pior: Ataque do Santos. Gabigol, de volta ao time, ficou isolado na ponta direita. Thiago Ribeiro, livre na esquerda, mal pegou na bola porque todos os passes em sua direção saíam de forma equivocada. Arouca, Alison e Lucas Lima, que deveriam dar volume ao time, foram anulados pelos rivais e abusaram da paciência ao forçar o jogo pelo meio quando o caminho claramente era pelas laterais.

Toque dos técnicos: Oswaldo viu seu time ser dominado no primeiro tempo e tentou colocar Gabriel no jogo, trocando Damião por Rildo. O melhor dos santistas já tinha tentado trocar de lado, mas não era muito acionado. Na vaga de Damião, Gabigol pôde recuar pelo meio e participar mais do jogo. O time melhorou, mas não o bastante para complicar o São Paulo.

Para lembrar:
Robinho fez falta. Fora do clássico por lesão, o atacante santista poderia ter sido a arma da equipe pela esquerda, justamente no ponto mais sensível da defesa do São Paulo: Paulo Miranda. Thiago Ribeiro e Rildo, que jogaram por ali, abriram mão de explorar o fraco lateral tricolor para tentar constantes cortes para o meio, sempre sem sucesso.

Kardec apagado. O camisa 14 foi impreciso e movimentou-se menos que os companheiros de ataque. Nem pelo alto, diante de uma zaga atrapalhada, ele conseguiu ajudar. Com Luis Fabiano prestes a voltar de lesão, deve começar a se preocupar com sua vaga no time.

Falta de fôlego. Pelo segundo jogo seguido, o São Paulo perde gás no segundo tempo. Na quarta passada, contra o Inter, a equipe já havia tomado sufoco nos 45 minutos finais. Contra o Santos a pressão foi bem menor, mas faltou preparo para manter a partida dominada. Kaká, por exemplo, sentiu o peso e parou de marcar.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO X SANTOS
Local: 
Morumbi, São Paulo (SP)
Data/Hora: 24 de agosto de 2014, às 16h
Árbitro: Vinicius Furlan (SP)
Assistentes: Vicente Romano Neto e Carlos Augusto Nogueira Júnior (ambos de SP)
Cartões amarelos: Alexandre Pato, Ganso, Paulo Miranda e Rafael Toloi (São Paulo); David Braz e Gabriel (Santos)
Gols: Ganso, aos 24min do primeiro tempo; Gabriel, aos 40 min, e Pato, aos 43 min do 2º tempo

SÃO PAULO:
Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Edson Silva e Alvaro Pereira; Denilson, Souza, Kaká (Húdson) e Ganso; Alexandre Pato (Michel Bastos) e Alan Kardec
Técnico: Muricy Ramalho

SANTOS:
Aranha; Cicinho, Edu Dracena, David Braz e Mena; Alison (Souza), Arouca e Lucas Lima; Gabriel, Thiago Ribeiro (Patito) e Leandro Damião (Rildo)

Técnico: Oswaldo de Oliveira

Uol

Em rede social, ‘com gafe’, Pato vibra com vitória tricolor; Gobbi se irrita

são pauloAlexandre Pato é um homem de dois times – pelo menos no Twitter. A foto de fundo da rede social do jogador ainda o mostra com a camisa do Corinthians. Na imagem principal, porém, ele exibe o uniforme do São Paulo.

Segundo a assessoria de imprensa do Tricolor, a foto com a camisa do Timão foi mantida na rede social com a anuência do clube do Morumbi, “em respeito” ao Corinthians, clube com quem Pato ainda tem contrato.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O atacante, porém, mostrou que sua cabeça já está voltada completamente para o São Paulo. Ele usou o Twitter para comemorar a vitória por 3 a 2 sobre o Corinthians, neste domingo, no Pacaembu. Pato viu o jogo pela TV, ao contrário de Jadson, que foi ao estádio e assistiu à partida no meio da torcida. Os dois foram envolvidos em uma troca entre Timão e Tricolor no mês passado e, por força de contrato, não podem enfrentar os clubes – acordo que pode ser quebrado no Brasileirão.

– Grande vitoria!!!!! #avantesoberano #VamosSaoPaulo – escreveu Pato.

O presidente do Corinthians, Mário Gobbi, não curtiu a postagem do atacante…

– Sem comentários. Cada um fala o que quer e sabe o que pensa. Ele (Pato) não pode se esquecer que em janeiro de 2016 ele tem de se apresentar na Rua São Jorge, 777, quinto andar – disse o dirigente, lembrando que Pato ainda tem contrato com o Corinthians e que o empréstimo ao São Paulo termina em dezembro de 2015.

Twitter Pato São Paulo Corinthians (Foto: Twitter)Twitter de Pato o mostra com camisas de São Paulo e Corinthians (Reprodução: Twitter)
Globoesporte.com

Sem pompas no São Paulo, Pato diz que Corinthians é ‘página virada’

Alexandre Pato teve nesta terça-feira pela manhã uma apresentação digna de seu atual momento na carreira. Para que ele vestisse a camisa, a diretoria do São Paulo trocou as grandiosas festas no Morumbi por um evento discreto na sala de imprensa do CT da Barra Funda.

É o resumo da fase do atacante, comprado do Milan pelo Corinthians por R$ 40 milhões e emprestado um ano depois gratuitamente e com metade dos salários pagos até o fim de 2015.

Saí muito cedo de casa. Deixei minha mãe chorando na rodoviária perguntando mil vezes se queria ir embora. Na vitória, sou o cara mais feliz do mundo. Na derrota, sou um nada.
Alexandre Pato

Numa declaração emocionada, ele fez um balanço da carreira, falou das críticas e garantiu que vai se esforçar ao máximo para se destacar no São Paulo. O Corinthians, segundo ele, é “página virada”.

– Sou uma pessoa muito trabalhadora. O ano inteiro no meu ex-clube sempre fui o primeiro a chegar e o último a sair. Tenho sentimentos. Saí muito cedo de casa. Deixei minha mãe chorando na rodoviária perguntando mil vezes se queria ir embora. Na vitória, sou o cara mais feliz do mundo. Na derrota, sou um nada. Sempre entro tentando dar o meu melhor – disse Pato.

– O Corinthians, e tudo que aconteceu lá, é página virada – emendou.

Apresentação Alexandre Pato no São Paulo (Foto: Marcos Ribolli)Apresentação de Alexandre Pato, na sala de imprensa do CT do São Paulo (Foto: Marcos Ribolli)

Pato treina há uma semana no clube e até agora não exibiu uma grande mudança em seu comportamento um tanto quanto avoado. É capaz de fazer lances de muita habilidade, como o gol de letra contra a equipe sub-17, mas também se desliga completamente das atividades, virando uma presa fácil para marcadores e críticos.

Sou grato ao Corinthians.
O Corinthians me recuperou fisicamente, pude jogar um ano sem lesões. Mas agora estou no São Paulo e quero mostrar meu valor
Alexandre Pato

– Tenho que esperar para jogar. Por isso, a cada treino é como se fosse um jogo. Quero fazer história, mostrar meu desempenho para o torcedor. Sou grato ao Corinthians. O Corinthians me recuperou fisicamente, pude jogar um ano sem lesões. Mas agora estou no São Paulo e quero mostrar meu valor – disse Pato.

– No Corinthians, não tive a sequência que gostaria. Então acho que, no tempo que joguei, mostrei o meu melhor. Marquei 17 gols. Sou sempre o mesmo. Não tive um bom período na Europa. As lesões atrapalharam. Eu me sinto bem porque não me machuquei em 2013. Estou num multicampeão, num clube que foi tricampeão mundial – emendou.

Apresentação Alexandre Pato no São Paulo (Foto: Marcos Ribolli)Alexandre Pato exibe o escudo na camisa do São Paulo (Foto: Marcos Ribolli)

Pato é visto como titular absoluto de um setor que tira o sono do técnico Muricy Ramalho neste inicio de temporada pelo baixo número de finalizações. A tendência é de que ele ocupe a vaga que hoje pertence a Ademilson, formando dupla com Luis Fabiano e tendo Ganso e Pabón um pouco mais recuados.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

– Primeiro, gostaria de agradecer ao Rogério que me recebeu de braços abertos. O Muricy me recebeu muito bem, tem me deixado muito à vontade. Vou trabalhar e quero ser campeão no São Paulo. Se for bem aqui, posso voltar para a Seleção – disse Pato.

– Sou atacante e vivo de marcar gols. Venho ao São Paulo com o objetivo de ser campeão. Se o professor pedir para marcar e dar carrinho, vou fazer. Mas ele também sabe que estou aqui para marcar gols. Luis Fabiano é um grande campeão, conquistou títulos na Europa. Na minha posição, sempre vai haver concorrência. Mas também podemos jogar juntos – completou.

Apresentação Alexandre Pato no São Paulo (Foto: Marcos Ribolli)Alexandre Pato usará o número 11 no São Paulo (Foto: Marcos Ribolli)

Até a estreia, o atacante vai precisar de paciência para suportar a rotina de trabalhos. Como realizou mais de três jogos pelo Corinthians no Paulistão, limite previsto no regulamento da competição, só terá condições de atuar na Copa do Brasil. A primeira partida do Tricolor está marcada para o dia 12 de março, contra o CSA, em Maceió.

– Eu jogo tanto de primeiro quanto de segundo atacante. Mas isso vai depender do treinador e vamos conversar sobre isso. Mas não adianta ficar falando aqui. O que vai fazer a diferença é o que mostrar dentro de campo – disse Pato.

Treino São Paulo Muricy Pato (Foto: Marcos Ribolli)Pato treina sob supervisão de Muricy (Foto: Marcos Ribolli) 

 

Por 

Pato explica comemoração após a vaga na final: ‘Flechadas do amor’

patoApós um 0 a 0 arrastado, o Corinthians eliminou o São Paulo do Campeonato Paulista ao bater o Tricolor por 4 a 3 na disputa de pênaltis. Alexandre Pato foi o responsável por efetuar a última cobrança. Na primeira tentativa, o camisa 7 chutou, mas Rogério Ceni defendeu. O árbitro Antônio Rogério Batista do Prado mandou que a cobrança fosse repetida  porque o goleiro são-paulino adiantou-se. Na segunda tentativa, Pato mandou para o fundo da rede, garantindo a vaga do Corinthians na final do Paulistão, contra o Santos.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Questionado se Rogério Ceni o provocara, Pato evitou responder diretamente, mas mandou um recado para o goleiro são-paulino.

– Ele achou que ia pegar, mas não pegou não. Pegou a bola no fundo do gol para mim (…) Eu estava tranquilo. Ele se adiantou, veio até quase a marca do pênalti para pegar a bola. O juiz fez bem. Na segunda vez eu fiz o gol para essa torcida maravilhosa – falou Pato.

 

Sobre a comemoração do gol que garantiu a classificação do Corinthians para a final do Paulista, quando imitou ser um arqueiro atirando flechas imaginárias, Pato indicou que seria uma homenagem à namorada, Barbara Berlusconi.

– São as flechadas do amor agora.

Sobre a decisão do torneio, contra o Santos, com vantagem do mando de campo na finalíssima para o time da Baixada Santista, Pato evitou fazer um projeção. Mas disse que deseja o título para marcar o seu nome na história do clube.

– Quero entrar na história do Corinthians. Vim para cá para ganhar títulos. Hoje, passamos para final. Estou muito feliz. Quero agora pegar o Santos e tentar fazer o melhor. Agora é trabalhar e pensar (também) no jogo do Boca.

Entre os dois jogos da final contra o Santos – nos dois próximos domingos -, o Corinthians encara o Boca Juniors pelas oitavas da Libertadores, no dia 15, no Pacaembu. O Timão precisa vencer por dois gols para passar as quartas de final. Se vencer por 1 a 0, leva a decisão para os pênaltis. O empate classifica o time argentino, que venceu o jogo de ida por 1 a 0.

 

 

Globoesporte.com

Pato marca em pênalti após falha tricolor, e Timão vence o São Paulo

nadsonLuis Fabiano, Guerrero, Jadson, Sheik, Ganso, Danilo, Osvaldo, Pato, Rogério Ceni, Paulinho… Se em um domingo de Páscoa um clássico com tantos bons jogadores terminasse 0 a 0, o Paulistão teria de ser benzido. Mas inesperado mesmo é que a vitória fosse decidida por um erro, em vez do talento de um deles. Rafael Toloi recuou a bola de maneira absurda para Rogério Ceni, que teve de dividir com Alexandre Pato. E aí? O goleiro chutou o pé do atacante, ou o atacante entrou de sola no goleiro? O árbitro deu pênalti.

Pato bateu e decidiu. Virada do Corinthians, que nem foi melhor no jogo, não foi brilhante, mas não perdeu as oportunidades que teve e errou menos. Vitória que mantém uma escrita de sete anos sem perder para os donos da casa no Morumbi. E que coloca o Timão em situação de menos aperto na tabela do Paulistão: está em quarto, com 29 pontos. O Tricolor segue líder, seis pontos à frente do rival e com um jogo a menos.

O São Paulo foi melhor no primeiro tempo, criou ótimas jogadas e contou com talento e dedicação de seus jogadores. Jadson marcou logo no início, e o time controlava o jogo até Danilo, sempre ele, letal nos Majestosos, acertar um lindo chute de pé direito e salvar sua má atuação. Na etapa final, fez diferença a consistência do Corinthians, que nem se esforçou muito para ganhar, mas não cometeu nenhum erro grave como o de Toloi.

Pausa no Paulistão. A Libertadores vem aí! O São Paulo está em situação muito ruim. Vai jogar na quinta-feira na tão temida altitude de La Paz contra o Strongest. Se não vencer, corre o risco de ir para a última rodada precisando derrotar o Atlético-MG no Morumbi, e ainda dependendo de outros resultados para se classificar. Já o atual campeão Corinthians, em posição mais confortável, terá o Millonarios pela frente, na quarta, em Bogotá. Se vencer, praticamente carimba sua vaga. Do contrário, ainda poderá fazer isso diante do frágil San José, na última rodada, no Pacaembu.

Chuta, Ganso? Chuta, Danilo!

Paulo Henrique Ganso fez um bom primeiro tempo. Com movimentação, dedicação de saltar aos olhos na marcação, ótimos passes, inteligência, mas… Teve três chances para chutar a gol, e em todas preferiu tentar encontrar um companheiro. Danilo, por outro lado, tinha atuação pífia até receber com liberdade do lado esquerdo, ajeitar para o pé direito e… Gol! Golaço! Não era o pé bom, mas não importa. Danilo tem talento, tem estrela nos duelos entre São Paulo e Corinthians, onde já fez muitos gols com as duas camisas. Ganso também tem talento. Precisa usá-lo mais.

Quem chutou, e também marcou, foi Jadson, o melhor jogador do São Paulo desde que Lucas se foi. Logo no começo do Majestoso, para afastar qualquer suspeita de um novo 0 a 0 em clássicos no Paulistão. Uma jogada ótima, que teve o drible e o passe de Osvaldo, a visão de Ganso ao deixar a bola passar, e a calma do camisa 10. Com um sistema de marcação frágil, apenas Denilson como volante e Maicon mais recuado, o Tricolor foi melhor, muito por conta da dedicação dos homens de frente.

Luis Fabiano, por exemplo, apareceu em duas boas finalizações que Cássio defendeu, mas também em desarmes e entradas firmes. Firmes, não violentas! Leais. Mas o Timão, sabendo de sua fama, fez de tudo para enervá-lo e jogá-lo contra o árbitro. Por sinal, choraram demais os corintianos, que cercaram Leandro Marinho em dois lances: pediram falta em Alessandro no lance que originou o gol são-paulino, e reclamaram do empurrão de Gil no Fabuloso. Em nenhum deles tinham razão.

Tite começou a partida com Romarinho na direita, Danilo centralizado e Sheik na esquerda. Nenhum deles ia bem, o que comprometia também a atuação de Guerrero. A versatilidade dos atletas permite ao técnico invertê-los. De repente, Emerson estava na direita, Romarinho pelo meio e Danilo na esquerda, onde recebeu para fazer um senhor golaço. Quando recebeu, aliás, o lateral-direito Paulo Miranda, que joga porque é marcador, estava voltando lentamente no meio.

Na jogada mais bonita do primeiro tempo, a bola passou pelos pés de Ganso e Paulo Miranda até chegar em Jadson, e o meia fazer lindo passe para Osvaldo, que bateu de primeira, para fora. Paulinho e Romarinho também tiveram chances pelo Timão. Um clássico cheio de ótimos jogadores, muito melhor do que os outros do Paulistão.

Falta ou pênalti? Pênalti!

Ritmo mais lento. O segundo tempo não teve a intensidade do primeiro. Um vai viajar para a Colômbia, o outro para a Bolívia. Era esperado. Ainda assim, a qualidade dos jogadores em campo fazia com que chances fossem criadas. Luis Fabiano recebeu dois bons passes e finalizou com perigo, mas em ambas as vezes estava impedido.

O banco do Corinthians era melhor. Sai Guerrero, entra Pato. Que time tem esse privilégio? Foi o jovem quem ajeitou de cabeça para Paulinho e causou o lance mais inusitado do jogo. Rogério Ceni, goleiro mais talentoso com os pés, furou, mas se recuperou a tempo de evitar o segundo gol corintiano.

Com a formação inicial, o São Paulo não tinha outra proposta além de tentar a vitória. São jogadores fadados ao ataque. O contra-ataque, então, ficou para o Timão. Mas nenhum time cumpriu sua proposta com apetite suficiente. Por falar em apetite, uma cena que deve ter enchido os dirigentes tricolores de orgulho: Ganso deu um carrinho, levantou socando o ar de raiva pela marcação da falta, e levou cartão amarelo. Corre sangue nas talentosas veias do meia.

Tudo parecia caminhar para o quinto empate consecutivo em clássicos quando Toloi, que havia acabado de desarmar Sheik e Pato com maestria, errou o recuo para Rogério Ceni. O goleiro dividiu com Pato, ficou caído, e ainda teve de amargar o pênalti e um cartão amarelo. Foi a vez dos tricolores reclamarem demais com todos os árbitros possíveis. Queriam uma falta do atacante, que antes do choque entre sua chuteira e a do capitão são-paulino, já havia tocado na bola.

Sem pressão, o anfitrião tentou empatar no fim. Não conseguiu. Vitória  do Corinthians em um bom jogo, que poderá se repetir na fase final.

 

 

Globoesporte.com

Com Pato por 73 minutos, Timão não sai do zero com Botafogo-SP

O Estádio Santa Cruz ficou cheio. Botafogo e Corinthians buscavam a aproximação dos líderes do Campeonato Paulista, e Alexandre Pato estava em campo desde o início. Mas nada disso foi capaz de evitar o decepcionante 0 a 0 entre os times na noite desta quarta-feira, em Ribeirão Preto, pela sexta rodada do estadual. Em um campo castigado pelas chuvas, Pato foi o melhor jogador, criou chances, mas não conseguiu tirar o zero do placar.

O primeiro tempo foi melhor, com boas chances criadas pelo camisa 7 e algumas polêmicas com a arbitragem de Vinícius Furlan. Na etapa final, o principal jogador da partida foi substituído (ficou 73 minutos em campo) e viu o Timão apenas tocar a bola e sustentar o empate fora de casa. Do outro lado, o Bota teve um gol de Nunes corretamente anulado por impedimento.

Com a igualdade, Botafogo e Corinthians continuam iguais na tabela do Paulistão: 12 pontos somados. O Timão, em quinto, leva vantagem no saldo de gols (6 a 3). O Botinha está em sexto. O resultado não foi tão ruim para os times quanto para a torcida, que lotou o Santa Cruz esperando um jogo bem melhor.

Na próxima rodada, o Corinthians recebe o São Caetano no Pacaembu, sábado, às 16h20m (de Brasília). O Botafogo visita o União Barbarense no mesmo dia, às 19h30m, na Toca do Leão.

Pato vai bem. O árbitro nem tanto…

O cenário ficou bonito para o primeiro jogo de Pato como titular. Com o Estádio Santa Cruz praticamente lotado, o atacante deu seu “aviso” logo no primeiro minuto: em disputa com Daniel Borges, deu um tranco com o ombro e tirou o adversário da marcação. O arremate saiu travado. Mais do que a chance criada, o lance serviu para mostrar que o reforço alvinegro está confiante, sem medo de divididas com os zagueiros.

Pato Corinthians x Botafogo-SP (Foto: Rodrigo Coca / Ag. Estado)Alexandre Pato teve boa atuação em seu primeiro jogo como titular (Foto: Rodrigo Coca / Ag. Estado)

Para brilhar pelo Corinthians, só pegando ritmo de jogo. Qualidade, Pato tem. Isso ele mostrou nos lances mais simples. Suas três chances de gol foram de cabeça, sempre se antecipando aos marcadores e fazendo o movimento correto, de cima para baixo. Aos poucos, o reforço se coloca no melhor posicionamento para receber assistência dos companheiros.

O Botafogo tentou apertar a marcação e sair no contra-ataque, mesmo jogando em casa e com bom apoio do torcedor de Ribeirão Preto. Tamanha aplicação no setor defensivo deu origem a lances mais ríspidos e consequente pressão sobre o árbitro Vinícius Furlan. Foram só três cartões amarelos: Daniel Borges, Guilherme e Fábio Santos. As reclamações, porém, foram inúmeras. Perdido, Furlan deixou corintianos e botafoguenses “apitarem” a partida.

Enquanto Pato ia bem, Emerson Sheik destoava. Mais aberto pelo lado esquerdo do que de costume, o atacante errou passes e parou na marcação de Daniel Borges. Douglas, titular pela primeira vez no ano, sentiu falta de ritmo e também ficou abaixo da média. Quem mais ajudou o setor ofensivo foi Edenílson, sempre ativo pela direita.

A zaga corintiana controlou bem os avanços do Botinha, até porque a maioria deles foi na bola aérea. Apenas Raí, no fim do primeiro tempo, optou por ir pelo chão. Acertou belo chute de esquerda, e a bola passou raspando a trave esquerda de Danilo Fernandes.

Mais 28 minutos de Pato

Pato parecia estar em momento diferente dos colegas, buscando jogo e tentando criar as poucas chances que o Corinthians teve no segundo tempo. A falta de ritmo o fez ficar em impedimento quando recebeu belo lançamento de Guilherme, e também o prejudicou quando pegou uma sobra e não conseguiu acertar a bola em cheio, facilitando a defesa de Rafael Santos. Mesmo assim, Pato foi um dos melhores em campo.

O Botafogo não se arriscou, tanto que Danilo Fernandes era um espectador privilegiado da partida quando levou o maior susto do jogo. Aos 19, Daniel Borges acertou belo chute no travessão, e Nunes completou o rebote para as redes – em posição de impedimento, o atacante viu seu gol ser anulado. O zero no placar era uma tendência no Santa Cruz.

A certeza de que o placar se manteria inalterado veio quando Pato foi substituído por Romarinho, aos 28 do segundo tempo. Não que o substituto não tenha qualidade para decidir um jogo. Mas, na longa primeira fase do Campeonato Paulista, só mesmo um reforço que precisa de ritmo pode se interessar um pouco mais pela competição.

Não à toa, Renato Augusto foi outro que entrou cheio de vontade. Em jogada iniciada por ele, Emerson Sheik quase marcou no rebote, chutando à direita de Rafael Santos. No fim, Guilherme exigiu outra grande defesa do goleiro do Bota, em infiltração após tabela com Edenílson. Melhor para o time da casa. Pior para a torcida, que lotou o estádio, mas não viu um golzinho sequer.

 

 

Globoesporte.com

Corinthians anuncia contratação do atacante Alexandre Pato

Alexandre Pato, com a camisa do Corinthians (Foto: Divulgação/Site oficial do Corinthians)

O Corinthians anunciou na tarde desta quinta-feira a contratação do atacante Alexandre Pato, do Milan. O jogador está com 23 anos e assinou por quatro temporadas. Ele usará a camisa 7, que vinha sendo usada pelo argentino Martínez, ainda com futuro incerto no clube.

O Corinthians comprou 100% dos direitos econômicos por 15 milhões de euros (cerca de R$ 40,5 milhões). De acordo com um comunicado publicado no site oficial do Timão, o atacante abriu mão de luvas para defender o clube e ficou com 40% dos direitos. Ou seja: em uma futura venda, o Corinthians terá 60% dos direitos e o atleta os outros 40%.

Nos próximos dias, Pato passará por exames médicos. A data de apresentação do novo reforço alvinegro será confirmada em breve.

Uma das preocupações do Timão, no início do namoro com Pato, era com relação às seguidas lesões do atacante no Milan. O departamento médico do Corinthians se municiou de informações para chegar à conclusão de que pode recolocá-lo em alto nível. Chegou até mesmo a ouvir os médicos da CBF.

As lesões foram os principais problemas de Pato no Milan. Desde 2007 no clube italiano, o atacante não conseguiu ter um bom rendimento nos últimos anos devido a questões principalmente musculares. Neste temporada (2012/2013 para os europeus), ele esteve em apenas sete de 25 jogos.

Em 2011/2012 foram 18 de 53 partidas. Já em 2010/2011, ele esteve em 32 de 50 partidas do Milan, enquanto em 2009/2010 participou de 30 de 48. Em 2008/2009, sua melhor temporada: 41 de 47. Em seu primeiro ano no Milan (2007/2008), Alexandre Pato fez 21 jogos em 27 possíveis. No total, foram 150 jogos e 63 gols pelo clube italiano. Na seleção brasileira principal, disputou 22 partidas e balançou as redes em nove oportunidades.

Revelado pelo Internacional,Pato  foi campeão do Mundial de Clubes da Fifa em 2006 e da Recopa Sul-Americana em 2007. Acabou sendo vendido para o Milan por 22 milhões de euros, o equivalente a R$ 56 milhões na época. Lá, conquistou um Campeonato Italiano (2010/11) e uma Supercopa da Itália (2011).

Pela seleção brasileira, foi campeão da Copa das Confederações (2009) e tem duas medalhas olímpicas – Bronze em Pequim-2008 e Prata em Londres-2012. Nas categorias de base, venceu o Sul-Americano Sub-20 (2007) e a Copa Sendai Sub-18 (2006).

Nas categorias de base da Seleção Brasileira, o atacante entrou em campo 13 vezes em Olimpíadas e marcou três gols. Na Sub-20, fez 12 jogos e balançou as redes em oito oportunidades. Na Sub-18, foram quatro partidas e cinco tentos.

Ficha Técnica
Nome: Alexandre Rodrigues da Silva
Data de nascimento: 02/09/1989
Local: Pato Branco-PR
Altura: 1,79m
Peso: 78 Kg
Clubes que já defendeu: Internacional e Milan
Principais títulos: Campeonato Mundial de Clubes da FIFA (2006), Recopa Sul-Americana (2007), Campeonato Italiano (2010/11) e uma Supercopa da Itália (2011).

Alexandre Pato site oficial Corinthians (Foto: Reprodução)Site oficial do Timão brinca, mostrando Pato como mais um ‘infectado pela ‘Locospirose’ (Reprodução)
Globoesporte.com

Com Pato próximo, Timão muda de postura e admite negociar Martinez

Diretoria promete não abrir mão de Martinez por menos de R$ 6,1 milhões (Foto: Marcos Ribolli)

O início de 2013 pode não ser decisivo apenas para a contratação do zagueiro Gil e do atacante Alexandre Pato pelo Corinthians. A diretoria do Timão quer ouvir da boca do argentino Martinez quais as pretensões dele para o próximo ano. Com a provável chegada do atacante do Milan, o clube já não descarta vender o gringo antes do início das competições.

Contratado após a Libertadores, Martinez não conseguiu se firmar como titular e, no início de novembro, surpreendeu a direção ao afirmar em entrevista coletiva que poderia deixar o clube caso não fosse titular no próximo ano. Os dirigentes alvinegros minimizaram a declaração publicamente, mas, internamente, reclamaram.

Nos dias que sucederam a conquista do Mundial de Clubes, no Japão, o atacante foi colocado em diversas especulações de negócio, principalmente envolvendo clubes argentinos – o Boca Juniors surgiu como o grande interessado em contratá-lo. Carlos Martinez, pai do jogador, irritou a diretoria paulista por aceitar conversar com as equipes sem comunicar ao Timão.

A cúpula do futebol corintiano aguarda pela chegada de propostas oficiais para discutir o que fará. A tendência é de que Martinez e os representantes dele sejam chamados para uma reunião no CT Joaquim Grava no início do ano para discutir o futuro.

O Corinthians, porém, promete dificultar a saída para não ter prejuízo financeiro com o atleta de 27 anos. O clube não aceita vendê-lo por menos de US$ 3 milhões (cerca de R$ 6,1 milhões), valor que Timão desembolsou na compra do jogador junto ao Vélez, da Argentina. Empréstimo ou a colocação de um outro jogador na transação também são opções descartadas pelo Alvinegro.

A chegada de Alexandre Pato promete dificultar ainda mais a vida do argentino no Timão. Caso o atacante do Milan seja contratado, o técnico Tite ficará com seis opções para o setor ofensivo – os outros são Emerson, Guerrero, Jorge Henrique e Romarinho.

Globoesporte.com

Timão oficializa proposta por Pato e espera anunciar o reforço até o dia 3

Alexandre Pato está bem perto de reforçar o Corinthians. O primeiro passo foi dado nesta quarta-feira, num restaurante no Rio de Janeiro, num almoço entre dirigentes do Timão e o vice-presidente do Milan, Adriano Galliani, que passa férias no Brasil. Os representantes do Alvinegro oficializaram a proposta e saíram do encontro bastante otimistas com o fechamento do negócio. Faltam detalhes, que devem ser acertados numa nova reunião. O atual campeão mundial de clubes quer anunciar o jogador até o dia 3 de janeiro.

Allegri e Pato Milan (Foto: Getty Images)Alexandre Pato está perto de ser anunciado como reforço do Timão para 2013 (Foto: Getty Images)

Segundo o diretor de futebol corintiano, Roberto de Andrade, o resultado da conversa foi bastante positivo. A cúpula alvinegra já viajou ao Rio com as bases do contrato em mãos, mas ainda prefere manter cautela neste primeiro momento. Uma nova reunião ficou agendada para a próxima semana, após o Réveillon. Casado com uma brasileira, Galliani costuma vir ao Brasil para as festas de fim de ano.

– A conversa foi muito boa. Ficou tudo bem encaminhado. Agora, aguardamos uma resposta do Milan até o dia 3 de janeiro – afirmou Roberto de Andrade, que teve a companhia do diretor adjunto, Duílio Monteiro Alves, no almoço com o dirigente do Milan.

galliani entrevista (Foto: Vicente Seda / GLOBOESPORTE.COM)Adriano Galliani está no Rio de Janeiro
(Foto: Vicente Seda / GLOBOESPORTE.COM)

Nenhuma das partes confirma as cifras, mas a imprensa italiana fala em € 15 milhões (equivalente a R$ 41 milhões). Pato não vive bom momento no Milan, fato que abriu portas para seu retorno ao Brasil. Em janeiro deste ano o Paris Saint-Germain esteve perto de contratá-lo por € 35 milhões, mas o Milan recusou.[bb]

O namoro entre Corinthians e Alexandre Pato voltou a esquentar durante o Mundial de Clubes da Fifa, no Japão. Sabendo da má fase do atacante no clube italiano, a direção alvinegra voltou com força e dinheiro às conversas e acelerou o processo para contar com o jogador na próxima temporada.

A atual fase do Timão, campeão da Libertadores e do mundo, foi usada como atrativo para o retorno de Pato ao Brasil. O jogador viu com bons olhos essa proposta, até para se aproximar da seleção brasileira. Luiz Felipe Scolari, novo treinador, vai convocar pela primeira vez em janeiro.

Pato foi revelado pelo Internacional e surgiu com destaque em 2006, nos últimos jogos do Brasileirão. Depois disso, conquistou o Mundial de Clubes com o Colorado, vencendo o Barcelona, e acertou com o Milan. Desde então, vive altos e baixos no clube italiano.

Globoesporte.com