Arquivo da tag: notícias

TRE-PB emite nota alertando sociedade sobre circulação de notícias falsas em nome da instituição

Com os preparativos para as Eleições 2020, o Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB)  alerta a sociedade para notícias falsas que estão sendo produzidas em nome da instituição.

Diante de mensagens que remetam à Justiça Eleitoral, é importante:

• Desconfiar de mensagens que apresentem erros de ortografia e gramática;

• Desconfiar de mensagens encaminhadas em aplicativos de mensagens ou redes sociais, mas que não apresentam a origem da informação em um canal oficial do TRE-PB ou do Tribunal Superior Eleitoral;

• Verificar se a mensagem consta na página do TRE-PB (www.tre-pb.jus.br) ou do TSE (www.tse.jus.br);

• Se a plataforma utilizada pela mensagem permitir, denuncie as mensagens falsas;

• Se não tiver certeza da veracidade da mensagem, não compartilhe.

A participação da sociedade é fundamental neste processo de conscientização. O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba agradeceu e pede a colaboração de todos.

 

clickpb

 

 

Pesquisa revela aumento do consumo de notícias durante pandemia

A pandemia de covid-19 levou sete a cada dez pessoas a consumir notícias diariamente e a se manter atualizadas sobre os acontecimentos por meio da televisão.

Para 65% dos 831 participantes do levantamento da pesquisa Coronavírus, Comunicação e Informação, elaborada por docentes da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), outras fontes centrais de informação foram a versão online de jornais e os blogs.

Os voluntários, oriundos de 24 estados e também de outros países, responderam questionário on-line, entre os dias 12 e 19 abril.

Por meio dos resultados, observa-se que o que mais se privilegiou foram a atuação do governo federal (81,46%), a divulgação de descobertas científicas (73,89%) e o que se recomendava como medidas de prevenção contra a doença (72,32%). Outros tópicos que despertaram interesse foram a reação de outros países frente ao problema (65,7%), números relativos ao total.

l de óbitos e casos confirmados da doença (59%), causas e sintomas de covid-19 (52,5%) e redes de solidariedade que se formaram com o objetivo de prestar ajuda a pessoas que estivessem passando necessidades (51,3%).

Compartilhamento

A maioria dos entrevistados declarou compartilhar conteúdos referentes à pandemia. A periodicidade variou. Enquanto mais da metade (57,2%) afirmou divulgar às vezes; 22% fizeram diariamente e 1,4% com outra frequência. No total, cerca de um quinto (19,4%) disse que não publicou nada.

Teor de conteúdos

Em relação ao teor dos conteúdos compartilhados, o que mais se viu foram alertas de autoridades (54,8%), reportagens e artigos jornalísticos (49,9%), áudios e vídeos de especialistas (44,5%) e informações sobre causas e sintomas (28,2%).

Na outra mão, nota-se que 58,4% receberam reportagens e artigos jornalísticos, 53,4% memes e 52,3% áudios e vídeos de especialistas. Aqui, ficaram praticamente parelhos as fake news e os alertas de autoridades, com 47,7% e 47,4%.

Mudança de rotina

Segundo a professora Daniela Zanetti, uma das autoras da pesquisa, assinada com Ruth Reis, a preferência pelos formatos televisivo e online de noticiários tem a ver com a mudança de rotina que foi promovida durante a pandemia.

“Quando a gente fez essa pesquisa, foi exatamente quando houve maior isolamento social. A média no Brasil era maior. Todos os veículos vêm noticiando que vem caindo essa taxa, meio que voltando a uma normalidade que não existe. Então, realmente, aumentou o consumo de meios de comunicação jornalístico. Se a gente estava em uma via de menos consumo de televisão, tudo migrando para as redes [sociais] ou fonte de informação variada, percebemos que nesse período a televisão e esses canais mais institucionalizados voltaram a ter mais força, e também começou mais o consumo multitelas”, pontua.

“Se se pensa em uma rotina de estar sempre na rua, em vários ambientes, mas não estar em casa para ligar a TV, você vai acessar o dispositivo que está mais à mão, que é o celular. Então, ficando em casa, a televisão fica com mais uma tela, que pode estar facilmente sendo usada enquanto você faz outras coisas. Isso foi uma coisa que nos ocorreu”, acrescenta.

Perguntada sobre a possibilidade de se considerar os resultados obtidos pelo levantamento como um sinal de que parte da população tornou a confiar mais na imprensa, após desacreditá-la, Daniela diz que não há como se fazer tal afirmativa.

“Acho que é preciso agregar mais pesquisas em relação a isso. Agora, com certeza, os meios de comunicação têm tido esse papel importante de esclarecer com dados mais fidedignos.”

 

Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil

Agência Brasil

 

 

Vice-prefeito de Bananeiras, Guga Aragão, nega acusações falsas vinculadas em sites de notícias

O vice-prefeito do município de Bananeiras, Guga Aragão (Democratas), negou as acusações feitas em portais de notícias sobre o deputado Hervázio Bezerra (Cidadania) estar ou não em João Pessoa durante uma live na noite desta segunda-feira (27), em seu escritório.

Em nota divulgada a imprensa, Guga afirmou que o deputado disse que havia acabado de chegar de João Pessoa e não de estar em João Pessoa. Guga ainda afirmou que as acusações foram feitas de má fé, e quem as jogou na imprensa certamente não assistiu a live, que está disponível no Facebook e Instagram do parlamentar.

Confira a nota completa enviada pela assessoria do vice-prefeito:

Nota de esclarecimento

Sobre a matéria divulgada na manhã de hoje em alguns portais de notícia da região, venho informar que quem confeccionou a matéria, por jornalismo incompetente ou absoluta má-fé, certamente não assistiu à Live que aconteceu na noite de ontem e que está disponível tanto no Facebook como no Instagram.

Na live, não é difícil entender que o Deputado Hervázio fala ter acabado de chegar DE JOÃO PESSOA, não EM João Pessoa, como diz a matéria. Além disso, em mais de uma oportunidade, durante a conversa, ressalta estar transmitindo de dentro do meu escritório, mas do seu celular, importante para falar tanto com os seus, como com os meus seguidores.

No mais, me coloco à disposição de todos os portais que divulgaram a matéria equivocadamente para quaisquer questionamentos, os quais deveriam ter sido feitos antes da divulgação da tão falada fake News.
Guga.

 

portaldobrejo

 

 

Para combater desinformação, Facebook vai “contra-atacar” usuários que curtirem notícias falsas sobre covid-19

As famosas “fake news” já não são novidade e potencializam a desinformação nas redes sociais em tempos de pandemia. Por esse motivo, o Facebook anunciou que vai adicionar publicações devidamente verificadas no feed de notícias de quem curtir notícias falsas.

O objetivo é tentar conter a disseminação de informações mentirosas sobre o novo coronavírus, que preocupam autoridades de todo o mundo. A pessoa que reagir ou comentar em um post com fake news receberá um box, direcionando o usuário para o site da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Outra atualização vai mostrar uma seção de notícias com respaldo jornalístico e que contenham informações verdadeiras a respeito do coronavírus.

 

agenciadoradio

 

 

Sindicato de auditores do TCE-PB repudia notícias com delação Livânia: ‘cautela’

O Sindicato dos Profissionais de Auditoria do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (SINDCONTAS) enviou, na tarde desta segunda-feira (06), uma nota à imprensa reagindo às recentes citações à integrantes do TCE-PB, incluindo a esposa do atual presidente, Arnóbio Viana, Georgiana Cruz.

As citações apareceram na delação da ex-secretária Livânia Farias, no âmbito da Operação Calvário. No documento, ela acusa a esposa de Arnóbio de distribuir R$ 50 mil em propina dentro do TCE para que auditores fiscais resolvessem as contas do ex-governador Ricardo Coutinho.

“Nesse ponto, vemos com muita preocupação, notícias na imprensa local a respeito de delações que envolveriam parentes de membros do TCE e sobre uma possível distribuição de propina para auditores. […] É preciso ter responsabilidade e cautela na missão de informar, sob pena de manchar a trajetória de profissionais que cumprem o seu devido papel”, diz a nota.

Confira texto na íntegra:

O Sindicato dos Profissionais de Auditoria do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba – SINDCONTAS, vem, em face dos fatos revelados pela imprensa sobre a “Operação Calvário”, se manifestar e esclarecer o que segue.

No âmbito do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba existem três pilares que constituem o “Processo de Contas”, a fim de se cumprir o exercício do controle externo, nos termos da Constituição Federal: A Auditoria, o Ministério Público de Contas e o Órgão de Julgamento (Conselheiros). Cada um é responsável por uma etapa do processo, que deve preservar a autonomia de cada um desses atores, sem qualquer interferência que possa macular a respectiva atuação.

O trabalho dos profissionais de Auditoria, servidores que foram aprovados através de concurso público, é o exercício da fiscalização. Nessa fase são coletados todos os subsídios probatórios necessários à análise da utilização de recursos públicos e a sua compatibilidade com os mandamentos legais, bem como a observância dos preceitos legais em relação a outros atos praticados no âmbito da Administração Pública.

O Ministério Público de Contas, por meio dos seus membros, emite parecer sobre a matéria posta a partir de elementos trazidos pela instrução dos profissionais de Auditoria e outras perspectivas inerentes ao Parquet, enquanto Fiscal da Lei.

A última etapa desse processo é o julgamento, realizado pelos Conselheiros, por simetria constitucional do art. 73, escolhidos uma parte pelo Governador do Estado e a outra pela Assembleia Legislativa. São esses os responsáveis pelo resultado do processo, no tocante à decisão sobre a regularidade ou não da gestão dos recursos públicos, a partir do seu livre convencimento motivado, que poderá se alinhar ou não às manifestações da Auditoria e do Ministério Público de Contas.

Esta entidade sindical, que tem por função representar os profissionais de Auditoria do TCE-PB, esses que estão diretamente ligados à instrução de processos que envolvem a gestão de recursos públicos no âmbito do Estado da Paraíba, espera que as autoridades competentes possam, por meio das investigações em curso, trazer todos os esclarecimentos dos fatos e eventuais responsabilizações.

Não emitiremos juízo de valor sobre as condutas que estão sendo investigadas ou sobre nomes envolvidos em investigações, diante da responsabilidade dessa entidade e da certeza de que as autoridades competentes, no exercício de suas funções e garantindo-se o devido processo legal, o contraditório e a ampla defesa, trarão, no momento oportuno, todas as informações a respeito das condutas e as respectivas responsabilizações.

Imperioso destacar que, atualmente, todos os relatórios de auditoria, inclusive os relativos às Organizações Sociais, estão disponíveis ao público no portal do TCE-PB. A Auditoria tem, apesar das dificuldades, cumprido a missão que foi conferida pela sociedade.

Nesse ponto, vemos com muita preocupação, notícias na imprensa local a respeito de delações que envolveriam parentes de membros do TCE e sobre uma possível distribuição de propina para auditores. Entendemos pela necessidade do aprofundamento das investigações a fim de apurar as responsabilidades por qualquer conduta que se afaste da legalidade. Ao mesmo tempo, imperioso frisar que não admitiremos ilações genéricas que maculem a imagem dos profissionais de Auditoria, que ao longo de muitos anos vêm prestando serviços à sociedade paraibana e apontando em seus relatórios diversas irregularidades que, não raramente, subsidiam outros órgãos de controle. É preciso ter responsabilidade e cautela na missão de informar, sob pena de manchar a trajetória de profissionais que cumprem o seu devido papel.

Por fim, reafirmamos o compromisso desta entidade e dos Profissionais de Auditoria do TCE-PB com um trabalho sério e imparcial, que visa a boa e correta aplicação dos recursos da sociedade paraibana.

João Pessoa, 6 de janeiro de 2020.

A Diretoria do Sindcontas

Assessoria

 

 

Paraibano confessa ter executado família na Espanha, diz agência de notícias

sobrinhoO paraibano François Patrick Nogueira Gouveia confessou nesta sexta-feira (21) à Guarda Civil espanhola que foi o responsável pelo assassinato de seus tios e os dois filhos deles, duas crianças de 4 e 1 anos, em uma casa do município de Pioz, na província de Guadalajara (centro).

Assim disseram à agência EFE fontes da investigação, que acrescentaram que o jovem, de 20 anos, não apresentou muitos detalhes, à espera da declaração que prestará perante um juiz de Guadalajara.

Patrick chegou na quarta-feira a Madri após se entregar voluntariamente depois de conversas que os investigadores da Guarda Civil mantiveram durante vários dias com a família de Patrick no Brasil.

Os corpos do casal Gouveia (esquartejados) e os das duas crianças foram achados em uma casa em setembro depois que um vizinho alertou sobre o mal cheiro perto da casa da família, o que fez suspeitar que teria sido assassinada semanas antes.

Os parentes do jovem se convenceram de que o suspeito tinha que se apresentar à Justiça na Espanha, porque, além disso, a Guarda Civil tem vários indícios que apontam para o jovem.

Tudo parece indicar que na decisão do jovem de se entregar às forças de segurança espanholas pesou muito a convicção de que na Espanha o suposto autor teria um julgamento mais objetivo e uma detenção diferente da qual teria nas prisões brasileiras, segundo as fontes.

Por sua vez, a Promotoria de Guadalajara pedirá a prisão provisória de François Patrick.

Assim afirmou à Efe a promotora-chefe de Guadalajara, Dolores Guiard, que justificou esse pedido de prisão provisório “pela gravidade dos fatos e a ausência de firmeza no país” para assegurar assim sua permanência na Espanha.

Sobre as possíveis penas, a promotora-chefe disse que o Código Penal estabelece que os assassinatos de crianças menores de 16 anos são penalizados com prisão perpétua que pode ser revisada depois de um tempo.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Procuradores perseguem Lula e se baseiam em notícias dos magnatas bilionários de imprensa

lulaTrata-se de uma dupla de procuradores do DF, Anselmo Lopes e Valtan Timbó. Eles, sem sombra de dúvida, são de oposição ao Governo Federal, ao PT e ao ex-presidente Lula, que poderá ser candidato a presidente da República em 2018. Anselmo Lopes já é velho conhecido do Governo, de Lula, do PT e de milhares de eleitores que votaram no líder trabalhista e na presidenta Dilma Rousseff.

Tanto Lopes quanto Timbó representam os tipos de procuradores, além de promotores, juízes, agentes e delegados da Polícia Federal, que resolveram fazer política, bem como cooperar para que seus candidatos e partidos prediletos, geralmente conservadores, pois de direita, vençam as eleições. São procuradores politicamente alienados, tais quais os coxinhas de classe média, que se submetem, dia a dia, em uma verdadeira lavagem cerebral, às manchetes e às notícia da imprensa de negócios privados dos magnatas bilionários, que nunca são observados pela máquina de investigação e repressão do Estado. Jamais…

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Suas ações e campanhas são pautadas por recortes de jornais e revistas de uma imprensa de mercado, que assumiu oficialmente sua posição oposicionista aos governantes trabalhistas quando das eleições, bem como engravidam pelos ouvidos ao verem os jornais televisivos e ao ouvirem as rádios, o que conta muito para a falta de discernimento sobre a verdade dos fatos, porque, nitidamente, o que se observa no Brasil é que este País está a passar por um processo ditatorial a cargo de promotores, juízes e policiais, que se tornaram a base de sustentação da oposição partidária liderada pelo PSDB, bem como pela imprensa familiar, capitaneada pelas Organizações(?) Globo, que há décadas interfere ilegalmente e até mesmo criminosamente no processo eleitoral brasileiro. E que eu saiba nenhum integrante da família Marinho foi investigado, denunciado, processado e preso por fazerem política no subterrâneo.

No Brasil, procuradores, juízes e delegados da PF não prendem tucano e muito menos barão de imprensa. Eles são simplesmente inimputáveis. Um absurdo nada republicano. E você sabe por que este processo injusto acontece no País? Porque, apesar dos 30 anos de redemocratização do Brasil, setores da Justiça, do MP e da PF ainda são intrinsecamente ligados ao status quo. Ponto. Não há como tergiversar sobre esta terrível realidade.

Trata-se de afronta à soberania da sociedade, por parte de agentes e servidores do Estado, a combater o Governo eleito pelo povo, por não aceitar seus programas sociais, a inclusão das camadas pobres da população brasileira, a política externa independente e não alinhada aos Estados Unidos. São os senhores que controlam o Estado e dentro dele trabalham em prol de atender aos interesses da burguesia — da Casa Grande, que sempre se beneficiou do poder do Estado para enriquecer, ter influência política nas altas esferas, e, com efeito, manter, indefinidamente, o status quo.

São homens e mulheres com origem na classe média e média alta. A pequena burguesia historicamente aliada das classes dominantes, que estudou Direito em universidades públicas ou nas particulares de ponta, plena de preconceitos de classe, ideológicos e políticos. O Ministério Público deste País, bem como as altas cortes da Justiça, representam, irrefragavelmente, o pensamento dos setores mais reacionários às mudanças sociais e econômicas que são efetivadas no Brasil desde a ascensão de Lula à Presidência da República em 2003.

Conservadores, tais procuradores se voltam contra o PT, sendo que Lula e Dilma ainda são duramente questionados e aviltados em suas cidadanias, porque ex-operário, vítima de um acidente de trabalho, sendo que a mandatária, que participou da guerrilha urbana na década de 1970, tornou-se alvo de escárnio de pessoas fascistas que chegaram ao cúmulo da patifaria e da sordidez quando colocaram à venda na internet um adesivo para ser colado nos buracos dos tanques de gasolina dos carros, com a imagem da presidenta de pernas abertas…

Não é necessário fazer mais comentários de como a direita brasileira de alma escravocrata é agressiva, plena de despudor e desprovida de limites éticos, porque se sente incomodada e irada por não controlar a Presidência da República. Para não passar em branco, o obsceno e abjeto adesivo de caráter misógino foi feito em Recife, e, pasmem(!), por uma mulher. Realmente, o bárbaro episódio denota que preconceito, desrespeito e violência não têm gênero ou sexo. Sobre o violento ataque à Dilma, a representante da ONU Mulheres Brasil, Nadine Gasman, disse, em nota: “É ultrajante e extremamente agressiva a apologia de violência sexual contra a presidenta da República, Dilma Rousseff, retratada em adesivos para automóveis, como expressão de misoginia e interpelação dos direitos humanos de mulheres e meninas. Tal episódio se configura como violência política sem precedentes (…)”.

A esquerda no poder realmente incomoda o establishment estatal e privado, que ora se une para combater e derrotar o Governo Trabalhista. Contudo, também é considerado sem precedentes o “sumiço” da procuradora titular do 1º Núcleo de Combate à Corrupção do MPF-DF, Mirella de Carvalho Aguiar, responsável pela apuração preliminar de um suposto tráfico de influência de Lula para privilegiar a construtora Odebrecht. Os advogados do líder político entraram com um pedido de anulação do inquérito criminal na Corregedoria do Ministério Público.

Os advogados de Lula ainda solicitaram a apuração da conduta do procurador Valtan Timbó Martins Mendes Furtado, autor do pedido de abertura do processo de investigação criminal contra o fundador do PT. A reclamação disciplinar foi protocolada no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) no dia 17 de julho. E não é para menos, porque é perceptível a qualquer leigo que acompanhe a política brasileira que as ações dos procuradores Anselmo Lopes e Valtan Timbó tem propósitos visivelmente políticos e partidários.

Lopes e Timbó são acusados de se moverem politicamente no que é relativo a criminalizar as viagens de Lula e por causa disso vão ter suas condutas avaliadas pelo CNMP. O primeiro, de forma rocambolesca e por seu livre arbítrio resolveu se pautar por recortes de notícias do jornal O Globo (sempre este pasquim panfletário, de direita e de oposição histórica aos trabalhistas) e o segundo, Timbó, sai diretamente do 7º Ofício Criminal, que não tem atribuição para tratar do assunto e resolve por conta própria rasgar a Resolução 27 de 2014, que determina que na ausência do procurador titular, no caso a procuradora, Mirella Aguiar, o seu substituto tem de ser membro do mesmo núcleo do MPF, ou seja, do 1º Núcleo de Combate à Corrupção.

É inacreditável que procuradores sem movam por questões políticas, de foro íntimo e passam a intervir inadequadamente na política brasileira em âmbito nacional, ao ponto de esticarem a corda para que a oposição conservadora deste País tenha como alicerces principais de seus ataques as figuras eleitas e que não cometeram crimes de responsabilidade e de corrupção, a exemplo de Lula e Dilma. São verdadeiras estrepolias e jactâncias de servidores públicos pagos com o dinheiro do contribuinte.

Lula vai pagar um preço muito alto por ser quem ele é. A resumir: um político, assim como Leonel Brizola, que não foi cooptado pela casa grande, portador de dezenas de milhões de votos de cidadãos brasileiros e ideologicamente socialista e trabalhista, além de ser um dos favoritos a vencer as eleições presidenciais de 2018, e, consequentemente, sentar pela terceira vez na cadeira destinada aos presidentes no Palácio do Planalto, que a burguesia pensa que é dela, pois, desatinada, pensa que o Brasil foi construído por intermédio de gerações para servi-la. Ledo engano. O povo brasileiro mostrou algumas vezes que é o contrário, no decorrer da história. Ponto.

O problema desses procuradores e promotores é que, sem generalizar, a maioria não estudou história ou a leu de forma constante e desprovida de preconceitos. Esses homens e mulheres são burocratas, técnicos em Direito e muitos deles viveram desde cedo em ambientes distantes das necessidades e realidades do povo brasileiro. Afirmo, sem medo de errar, que falta sensibilidade social e conhecimento dos meandros e dos bastidores da política, dos partidos e principalmente de como funcionam, atuam e agem as grandes redações controladas pelos magnatas bilionários de imprensa.

Lula tem toda a razão de se defender e buscar reparação ao que é injusto e de caráter político e eleitoral. Os ex-presidentes, inclusive Fernando Henrique Cardoso — ídolo inimputável e inconteste da direita brasileira — viajam e fazem propaganda de seus países e de suas empresas, bem como criaram seus institutos. A verdade é que as forças populares do Brasil enfrentam uma situação de muito difícil, porque os conservadores se mobilizaram e vão fazer de tudo para não perderem, em 2018, a quinta eleição presidencial consecutiva. Lula tem força política, mas tem de se defender, com a participação sistemática do PT e dos movimentos sociais. A verdade é que os procuradores de oposição perseguem Lula e se baseiam em notícias dos magnatas bilionários de imprensa. É isso aí.

 

 

brasil247

Jornal O FAROL lançará seu novo PORTAL de notícias dia 11 de janeiro com show da rainha da seresta

luzineteO jornal O FAROL, empresa de Marketing e Comunicação, com sede na cidade de Mari, lançará em janeiro o seu mais novo portal. O site levará o nome do jornal e será Portal O FAROL, um portal que trará a cobertura de eventos de Mari e região, mas também focará uma diversidade de assuntos da PB, do Brasil e do mundo. “Na verdade, o jornal já tem um portal, que é o portal do professor Josa, o que vamos fazer é redimensioná-lo, otimizá-lo e dar um novo layout, com a marca do FAROL. Nosso objetivo maior é SERVIR BEM e deixar você bem informado, através de um jornalismo sério, justo e com ética, seguindo as trilhas do jornal impresso, que graças a Deus tem sido bem recebido em mais de dez cidades da região. Com o novo portal estaremos presentes onde você estiver”, disse Tânia Silva (foto), diretora superintendente da empresa O FAROL. Tânia também falou das novidades que o site trará. “Muitas novidades o site trará para você. Queremos divulgar a sua empresa, com um baixo custo. Uma novidade do portal é que sua editoria trará além de vídeos, galeria de fotos, informações diversas, a cobertura de eventos públicos e das sessões de diversas Câmaras Municipais. A partir de então, você poderá, em casa, assistir pela TV O FAROL as sessões realizadas pelos seus vereadores nas diversas Câmaras Municipais, através da internet”. Um Layout moderno e bem organizado está sendo produzido por uma empresa de Web Design de Guarabira. “Tudo está sendo trabalhado pensando em você, no leitor (a), nos nossos apoiadores (as) e anunciantes”, revelou Tânia Silva.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O lançamento do PORTAL O FAROL, que substituirá o PORTAL DO PROFESSOR JOSA, está programando para o dia 11 de janeiro, na churrascaria do Zezé em Mari, com show já confirmado de Luzinete, a rainha da seresta. “Já fechamos a programação do evento que será dia 11, na churrascaria do Zezé em Mari, com show de Luzinete, a rainha da seresta. Queremos contar com sua presença, o que será de grande importância para nós”, ressaltou a diretora e superintendente do jornal.

Da redação

Violência predomina em notícias sobre a juventude publicadas pela imprensa

2014_05_juventude_violencia_observatorio_reproducaoA Associação Cristã de Jovens (ACJ) de El Salvador, que trabalha há 23 anos em favor do desenvolvimento integral da juventude, divulgou os primeiros resultados do Observatório de Direitos da Juventude Salvadorenha (ODJS). Este foi criado para analisar o impacto da violência e divulgar as ações de combate a esse problema social.

Os dados estão sendo coletados desde março deste ano a partir de informações dos meios de comunicação impressos. Neste mês de maio, das 13 notícias encontradas, seis estavam relacionadas à violência nos centros escolares, praticada por quadrilhas (quatro notícias) e pelas patrulhas militares ordenadas por autoridades de Segurança Pública em todo o país (duas notícias).

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

As outras sete notícias denunciavam atos de violência sexual dentro de escolas e mediante o sequestro após um transporte público ser abordado; a aparição do cadáver de uma adolescente que estava desaparecida; a violência doméstica, que afeta oito em cada 10 menores; outra nota denunciava que 45,8% das crianças entre quatro e seis anos não vão à pré-escola. Foi encontrada apenas uma notícia positiva: a abertura de um centro de desintoxicação para jovens usuários de drogas.

No mês de abril, das 12 notícias relacionadas a jovens, crianças e adolescentes, a metade estava vinculada à ação de quadrilhas: duas execuções em Puerto Parada e Santa Ana, o desaparecimento de um jovem em San Miguel e o sequestro em Izalco; estudo mostrando o crescimento de 20% das quadrilhas; e um editorial sobre a necessidade de se impulsionarem políticas públicas de prevenção.

Das outras seis notícias, de forma semelhante ao mês de março, três denunciavam a exploração sexual de crianças e adolescentes em dois albergues em Santa Tecla, onde eram oferecidos favores sexuais de menores que haviam sido vítimas de tráfico humano em troca de doações; outra relembrava os 15 anos de impunidade a respeito do caso de Katya Miranda (violentada e morta pelo avô e outros parentes); e apenas uma boa notícia: a criação, por parte do Instituto Nacional da Juventude (Injuve), de um Centro Juvenil em Ahuachapán, voltado para formação e lazer.

“Pretendemos refletir sobre a situação social existente para podermos tomar consciência de sua gravidade e nos organizarmos para transformá-la, já que a juventude foi uma força histórica social que gerou mudanças no passado e que estamos certos, continuará fazendo, inclusive na tarefa de tornar visível e denunciar a violência que a afeta, particularmente crimes contra a vida, desaparecimentos, agressões e exploração sexual, assédio moral e discriminação racial, geográfica, etária e de gênero”, destaca o reverendo Roberto Pineda, presidente da Associação Cristã de Jovens.

Pineda aponta que “os setores juvenis salvadorenhos estão atravessando uma situação difícil e complexa, caracterizada por uma violação sistemática de seus direitos civis e políticos, sociais, econômicos, culturais, meio-ambientais e outros”, o que se reflete em altos índices de desemprego, abandono escolar, desaparecimentos, recrutamento forçado em quadrilhas juvenis, migração, analfabetismo e HIV-Aids.

Neste contexto, o religioso faz um apelo em nome da juventude, para que o Estado de El Salvador assine a Convenção Ibero-americana de Direitos dos Jovens, de 2005, a fim de que esta sirva como marco geral a partir do qual se adote a legislação interna e se apliquem políticas públicas em favor da juventude salvadorenha.

 

Adital

Em nota, Marina Silva desmente notícias sobre formação de novo partido

Em comunicado oficial emitido nessa sexta-feira (10/8), Marina Silva (sem partido) negou que esteja articulando a criação de um novo partido político, desmentindo informações divulgadas por Ilimar Franco, de O Globo, e Felipe Patury, da Época.
Segundo a coluna de Patury, Marina estaria aproveitando o reforço de sua imagem após a participação na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Londres para retomar as negociações para fundar um novo partido político.

Crédito:Agência Brasil
Ex-ministra negou informações divulgadas pela imprensa
Além disso, em O Globo, Ilimar Franco traz um relato de Alfredo Sirkis, deputado federal pelo PV-RJ, afirmando que “esta é uma discussão para depois das eleições. Qualquer movimento hoje (para criar o partido de Marina Silva) poderia prejudicar quem é candidato).
A ex-ministra nega as informações divulgadas pelos veículos. “Diferentemente do que foi publicado hoje na coluna de Ilimar Franco no jornal O Globo e anteontem por Felipe Patury em seu blog no site da Revista Época, não é verdade que estou num movimento de articulação para a criação de um novo partido político”.
Na nota, Marina Silva diz que está comprometida com  o debate e o fortalecimento do Movimento Nova Política, uma articulação suprapartidária, cujos envolvidos com ou sem interesses partidários, “querem ajudar a construir um país socialmente justo, economicamente próspero, ambientalmente sustentável, culturalmente diverso e politicamente democrático”.
A ex-senadora ainda admitiu que tem feito reuniões a pedido de candidatos identificados com a plataforma Brasil Sustentável, que querem apoio nessas eleições.
portalimprensa