Arquivo da tag: Normal

PB termina 3º trimestre de 2020 com um açude sangrando e 103 em situação normal, diz Aesa

Um levantamento feito com base nos últimos volumes registrados em 134 açudes localizados na Paraíba mostra que o estado terminou o terceiro trimestre de 2020 com um açude sangrando e 103 em situação normal, com mais de 20% da capacidade total.

Os dados são da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), responsável pelo monitoramento dos reservatórios, e foram extraídos do site do órgão na última quarta-feira (30).

Outros 14 mananciais estão em observação, com menos de 20% da capacidade. Mais 16 açudes estão em situação crítica, com menos de 5% do volume total.

Somente um reservatório está totalmente vazio, o Mamanguape, situado no município de São Sebastião de Lagoa de Roça, que tem capacidade para 655.375 metros cúbicos de água.

De acordo com a Aesa, a situação confortável do abastecimento dos açudes pode ser justificada com a coincidência dos períodos chuvosos da Paraíba, que ocorrem geralmente no primeiro semestre do ano, dependendo da região.

Boqueirão contraria previsão de sangria

Açude Epitácio Pessoa, popularmente conhecido como Boqueirão, nome do município onde está localizado, encerrou o mês de setembro com 61,12% do volume total.

A situação contraria a previsão de que o reservatório sangraria, após três anos da transposição na Paraíba, com águas das chuvas em 2020.

O manancial alcançou, em maio deste ano, a marca de 70% da capacidade pela primeira vez em oito anos. Segundo os dados da Aesa, nos últimos dez anos, a maior quantidade registrada de água no açude foi em novembro de 2011, quando o açude de Boqueirão atingiu 93,92% da capacidade. A pior marca foi em março de 2017, quando chegou a 3,18%. Desde abril de 2017 que o açude recebe as águas da transposição do Rio São Francisco.

G1

 

Governo da Paraíba divulga protocolo do novo normal para retorno das aulas

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), divulgou nesta sexta-feira (28) o protocolo do novo normal para o segmento de educação. O documento traz recomendações e orientações técnicas e legais referentes à prevenção e ao controle da Covid-19 nos estabelecimentos escolares. A existência deste protocolo sanitário dedicado ao setor não determina sua abertura.

O retorno das aulas referentes ao ano letivo de 2020 ainda é um tema de extrema preocupação para as instituições responsáveis pelo enfrentamento direto da Covid-19. De acordo com o secretário de Saúde, Geraldo Medeiros, o Estado está iniciando um processo de inquérito sorológico em dois mil lares paraibanos que têm crianças e jovens entre 03 e 17 anos convivendo com pessoas com risco. O intuito é estudar o cenário para desenhar de que forma começará esse retorno das atividades.

“Esse é um segmento o qual temos que ter prudência. Após o resultado desse inquérito sorológico, nós teremos uma definição da abertura das aulas presenciais. A Secretaria de Saúde acredita na ciência e acha que este não é o momento ideal para a abertura”, pontua.

Como forma de preparação para um eventual retorno no futuro, foi desenvolvido um protocolo sanitário com recomendações a serem seguidas por estudantes e funcionários dentro das instituições de ensino. As ações básicas do documento são: realizar capacitações com os docentes, técnico-administrativos, prestadores de serviços e colaboradores que estarão em atendimento aos alunos e ao público em geral; compartilhar informações claras, concisas e precisas sobre a Covid-19, normalizar a comunicação sobre medo e ansiedade e promover estratégias de autocuidado não apenas para os alunos e suas famílias, mas também para os professores e outros funcionários da escola; estimular o método de ensino não presencial.

O protocolo do novo normal para o segmento de educação traz orientações de distanciamento social, higiene pessoal, limpeza e higienização de ambientes e o monitoramento das condições de saúde para os estudantes e funcionários. Também traz algumas ações específicas para os subsetores da educação infantil, do ensino fundamental, médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA), e do ensino superior, profissional e complementar. Por exemplo, para a educação infantil, uma das recomendações é fazer intervalos intercalados entre as turmas para reduzir a quantidade de crianças em um mesmo espaço. De forma geral, o uso da máscara dentro das instituições de ensino é obrigatório, bem como a higienização das mãos ao entrar no estabelecimento.

Este protocolo sanitário foi elaborado por um Grupo Técnico (GT) formado por representantes da SES, Secretaria de Estado da Educação e da Ciência e Tecnologia (SEECT), Ministério Público, Tribunal de Contas, escolas particulares, sindicatos e conselhos. O documento pode ser acessado na íntegra em: https://paraiba.pb.gov.br/diretas/saude/coronavirus/arquivos/protocolo-novo-normal-educacao-2.pdf.

Assessoria

 

 

Lideranças e alunos de Bananeiras acionam o deputado Tião Gomes em defesa da Escola Normal

A pedido do pré-candidato a prefeito de Bananeiras Matheus Bezerra e dos vereadores Marcelo, Nicodemos, Nicinho e Gilson, o deputado Tião Gomes entra na luta em defesa da permanência de um patrimônio histórico Educacional do Brejo Paraibano que é Escola Normal Estadual Professor Pedro Augusto mais conhecida por “Escola Normal”, situada em Bananeiras.

Fazem várias décadas que essa instituição é responsável por levar o curso de magistério a milhares de alunos(as) dos mais variados municípios da região do brejo paraibano.

A oposição e a sociedade de Bananeiras e do brejo, juntamente com o deputado Tião Gomes reivindicam o direito da conclusão do curso em relação aos alunos já matriculados nos horários que não traga prejuízo aos mesmos, bem como solicitam a reforma e ampliação da estrutura física, pois na não há biblioteca e sala de informática devido a falta de salas, pois o prédio físico não tem condições de receber toda a demanda.

O deputado marcará audiência com o secretário de educação do estado da Paraíba, para batalhar por essa justa causa educacional de Bananeiras e região.

 

portaldolitoralpb

 

 

Expediente nos bancos volta ao normal na PB

Horário-de-VerãoTerminou a 0h deste domingo (19) o horário de verão, adotado em dez estados brasileiros e no Distrito Federal (DF).

Na Paraíba não seguia o horário, mas de forma indireta os paraibano acaba sendo afetados pelas mudanças.

É o caso do atendimento bancário e nas Casas Lotéricas que seguem o horário de Brasília e também a programação das televisões que tem programação de redes nacionais.

Os bancos, que começavam seu expediente na Paraíba às 9h,  agora volta ao horário normal  com início do atendimento às 10h. O cliente também tem que ficar atento ao encerramento do atendimento, que também será uma hora mais tarde.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Enem 2016 termina com 30% de abstenção, MEC considera índice dentro do normal

Valter Campanato/Agência Brasil
Valter Campanato/Agência Brasil

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2016 termina com um índice de 30% de abstenção de candidatos, a porcentagem é a maior desde 2009. Do total de aproximadamente 8,4 milhões que poderiam fazer o exame neste final de semana, 5,8 milhões compareceram às provas. No ano passado, as abstenções foram de 27,6%, de acordo com balanço geral divulgado hoje (6) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Segundo a secretária Executiva do MEC, Maria Helena Guimarães de Castro, a variação em relação a anos anteriores foi mínima e a pasta considera que as abstenções se mantiveram constantes.

Do total de mais de 8,6 milhões de candidatos inscritos no exame, 271.033 tiveram as provas adiadas para os dias 3 e 4 de dezembro, em função das ocupações das escolas por todo o país. Segundo o Inep, dos 8.356.215 candidatos que poderiam fazer a prova neste final de semana, 5.848.619 fizeram o exame. O Amazonas foi o estado com a maior porcentagem de abstenções, 37,4% dos inscritos. Já o Piauí teve a menor taxa de abstenção, com 22,7%.

“Eu acho que diante do quadro que nós acompanhamos nos últimos dias e semanas, diria que foi um sucesso absoluto o Enem 2016”, disse o ministro da Educação, Mendonça Filho. “Conseguimos fazer com que 97% dos candidatos tivessem condições de participar do Enem. Três porcento terão que fazer o exame em dezembro, que foi a solução mais segura adotada pelo MEC”, acrescentou.

O ministro da Educação estima que o adiamento das provas para parte dos candidatos deverá custar cerca de R$ 15 milhões. O Inep vai reciclar as provas que foram impressas e não foram aplicadas neste final de semana e usará o material para a confecção da nova leva de exames.

Eliminações

Nos dois dias de aplicação, 768 candidatos foram eliminados do exame: 641 por descumprimento das regras do edital, 120 por portar objetos eletrônicos identificados por meio de uso de detectores de metal e sete por recusa de coleta de dado biométrico – esta foi a primeira vez que o Enem recolheu as digitais dos candidatos. O número de eliminações é maior que o de 2015 (740), mas inferior ao de 2014 (1.519) e de 2013 (1.522).

O exame registrou ainda 27 ocorrências, sendo 22 de falta de energia e cinco emergências médicas. De acordo com a presidente do Inep, Maria Inês Fini, a falta de luz não prejudicou a aplicação das provas para os estudantes que estavam nesses locais.

Prisões

Operações da Polícia Federal para combater fraudes no Enem resultaram na prisão preventiva de 11 pessoas neste domingo, segundo o chefe da Divisão de Polícia Fazendária da PF, Franco Perazzoni. Cinco foram presas com mandatos de prisão e outras seis em flagrante. Todas elas estavam com escutas nos locais de prova. “Algumas escutas eram tão pequenas que tiveram que ser retiradas com pinças com ímãs na ponta”, disse.

A PF deflagrou hoje duas operações para combater fraudes no Enem. Segundo o delegado, as investigações já vem sendo feitas junto ao Inep e as ações foram possíveis com cruzamentos de dados dos gabaritos e dos inscritos. Ele explica que há principalmente dois tipos de fraudes: aquelas em que especialistas contratados fazem a prova no lugar de candidatos para garantir uma boa nota e aquelas nas quais os gabaritos são transmitidos por escutas via celular para os candidatos. Os preços pagos pelos inscritos variam de R$ 40 mil até R$ 200 mil, quando a prova é feita por outra pessoa.

O delegado defende que o sistema de verificação biométrica implantado neste ano deverá garantir maior segurança ao Enem. As investigações constataram possibilidade de fraudes terem sido feitas em edições anteriores do exame.”A operação ainda está em curso, estamos ouvindo pessoas, há a investigação dos gabaritos anteriores”, disse o delegado.

Taxa de Abstenção

Confira os índices de abstenção das provas do Enem registrados nas últimas edições, desde 2009:

2009 – 37,7%
2010 – 28,8%
2011 – 26,4%
2012 – 27,9%
2013 – 29,7%
2014 – 28,9%
2015 – 27,6%
2016 – 30%

Agência Brasil

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Reconheça os sinais de que sua tosse não é normal

tosse-alrgicaA tosse é um reflexo natural do aparelho respiratório para eliminar micro-organismos que estejam afetando as vias aéreas – seja nariz, garganta ou pulmões. Mas nem sempre a tosse é igual ou chega sozinha, e analisar os diversos aspectos dela pode ajudar a entender se é um quadro alérgico leve ou sintoma de algo mais grave, como uma pneumonia. Conheça as principais características da tosse e quando buscar ajuda médica:

Tosse seca

De acordo com o otorrinolaringologista Jamal Azzam, geralmente a tosse seca é bastante incomodativa e não faz barulho de secreção – nem na garganta, nem nos pulmões. A tosse seca quase sempre sofre alguma alteração no sistema respiratório, como:

  • Rinite alérgica
  • Faringites agudas irritativas, virais, bacterianas ou fúngicas
  • Amigdalites virais ou bacterianas
  • Laringites irritativas, virais ou bacterianas
  • Traqueítes ou laringotraqueítes virais ou bacterianas
  • Crise de asma/bronquite aguda
  • Pneumonia viral ou bacteriana
  • Uma causa grave e que pode levar à risco de morte é a embolia pulmonar.

Entretanto, a tosse também pode ocorrer como sintoma de outras doenças. “Ela pode ser sintoma de alterações cardiovasculares, reumatológicas ou gastroenterológicas, assim como de tumores benignos e malignos ou então um efeito colateral de medicamentos”, explica o otorrinolaringologista Jamal. Além disso, muitos quadros virais ou bacterianos – como um resfriado ou gripe – podem manifestar tosse seca no final ou após o final do tratamento. “A pessoa tem nariz entupido, secreções e cerca de uma semana depois tem tosse.”

O especialista afirma que se a tosse seca estiver acompanhada de febre alta persistente, mal estar intenso no corpo e dores nos olhos, é necessário buscar ajuda médica.

Tosse produtiva

“Na tosse é expelido o muco ou mais conhecido como catarro, que pode ser claro, espesso, branco, verde, amarelado ou em alguns casos acinzentado”, diz Jamal Azzam. O muco ou catarro é produzido por pequenas glândulas que ficam abaixo da mucosa, uma camada que reveste internamente as vias aéreas. Segundo o pneumologista Ciro Kirchenchtejn, o muco é composto por água (90 a 95%), glicoproteínas, sais e restos celulares. Sua função é proteger as vias aéreas do ataque de vírus, bactéria se outros micro-organismos que podem infectar nosso corpo.

A presença do sangue na tosse pode indicar uma infecção viral, fúngica ou bacteriana.
Justamente por isso, a cor, consistência e até mesmo o odor do muco podem nos dizer se há algo de errado, uma vez que para eliminar os organismos invasores ele poderá ficar mais concentrado, com sangue ou mesmo mal cheiroso. “Quando existe catarro, a sugestão é que não seja somente uma doença irritativa, e sim viral ou bacteriana”, explica Jamal. Da mesma forma que a tosse seca, a tosse produtiva também pode ocorrer após o tratamento de algumas doenças, uma vez que o organismo ainda está eliminando os micro-organismos.

Segundo os especialistas, sintomas como falta de ar e cansaço constante e/ou para atividades físicas leves devem motivar uma consulta médica. Clique aqui para saber mais sobre a cor e consistência do muco e quando ele indica problemas.

Que produz gosto ácido ou amargo na boca

Doenças como gastrite e refluxo gastroesofágico podem gerar uma tosse com gosto amargo na boca. “Quando há um retardo no esvaziamento dos alimentos do estômago, que sofrem uma fermentação por ação de bactérias, liberando odores desagradáveis”, explica o gastroenterologista Décio Chinzon, do Laboratório Pasteur, em Brasília. “Algumas sintomas associados à tosse levantam suspeita para um problema gastroenterológico, como azia, irritação constante na garganta, sensação de que tem algo parado na garganta, ardor na garganta ou na boca e queimação na língua”, enumera o otorrinolaringologista Jamal.

Tosse por tabaco

O tabagismo leva a uma tosse crônica, persistente e bastante incomodativa. Geralmente tem secreção associada cronicamente também. A secreção liberada na tosse do tabagista costuma ser escura, amarronzada. “O tabaco é um importante irritante das vias aéreas, tanto nasais como brônquicas e pode estimular as glândulas a produzirem mais muco”, diz o pneumologista Ciro.

Parar de fumar aumenta as chances desse tipo de tosse diminuir com o tempo. “No entanto, pessoas que fumam há anos dificilmente irão parar de tossir, uma vez que a irritação de toda árvore respiratória é crônica e sequelar”, completa Jamal Azzam.

Tosse com sangue

A presença do sangue na tosse pode indicar uma infecção viral, fúngica ou bacteriana. “Outras causas de tosse com sangue incluem ruptura de vasos do sistema respiratório, tumores, tuberculose, entre outros”, afirma o otorrinolaringologista Jamal. Segundo o especialista, toda a tosse com sangue deve ser investigada, principalmente se associada à rouquidão persistente.

Por que a tosse piora à noite?

Quem sofre com tosse crônica ou está passando por um quadro agudo sabe que a situação tende a piorar à noite, principalmente durante o sono. Segundo o otorrinolaringologista Jamal, nosso sistema de proteção contra as inflamações e infecções fica mais debilitado durante a noite. “A causa é que o hormônio anti-inflamatório e antialérgico, o corticoide natural, é liberado uma vez por dia, somente de manhã, então à noite esse hormônio já foi consumido, causando uma piora no quadro de diversas doenças”, diz. Essa situação é especialmente comum em crianças que apresentam alergia – nesses casos, a tosse começa cerca de 1 hora depois do sono e pode perdurar a noite toda.

Além disso, a posição deitada prejudica a drenagem das secreções das vias respiratórias, o que favorece seu acúmulo e estimula a tosse. Investir em travesseiros mais altos durante as crises de tosse podem ser uma alternativa para reduzir o problema.

 

De acordo com os especialistas, a tosse aguda é aquela que dura até 3 semanas. Já a tosse crônica dura mais de 8 semanas e deve ser investigada independente dos sintomas relacionados. “Entre as tosses aguda e crônica existe a tosse subaguda, que já deve ser tratada com atenção”, afirma Jamal Azzam. Por isso, muito cuidado: tosse persistente por mais de 10 dias já é justificativa para uma consulta médica!

Minha Vida

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Após alta nos preços dos combustíveis, Sindipetro diz que situação deve voltar ao normal nesta quarta

GASOLINAOs preços da gasolina na Paraíba só devem voltar ao normal na quarta-feira (30). Isto porque de acordo com o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Derivados de Petróleo no Estado da Paraíba (Sindipetro-PB), Omar Hamad, o desabastecimento dos postos no final de semana aconteceu devido ao atraso em um navio de entrega do produto.

O desabastecimento fez com que o preço dos combustíveis chegassem a R$ 4,15 nesta segunda-feira. De acordo com Omar, o abastecimento só deverá ser normalizado na quarta-feira (30).

A respeito da alta estratosférica, o presidente do Sindipetro afirmou que se deu devido a lei da oferta e da procura, mas aponta que essa alta será temporária. A gasolina estava sendo comercializada entre R$ 3,25 e R$ 3,61, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Procon no dia 10 de dezembro.

Nesta segunda, a variação ia de R$ 3,59 no bairro do José Américo a R$ 4,15, em um posto em Mangabeira.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

No feriado, o sindicato informou que aconteceu o atraso na chegada de um navio com combustíveis. A embarcação deveria ter atracado no Porto de Cabedelo na quarta-feira (23), mas que só deve chegar nesta terça-feira (29) e a partir da quarta-feira o abastecimento será normalizado. Com isso, o preço deve cair conforme o combustível volte aos postos.

Segundo o presidente do Sindipetro-PB, o aumento do preço acontece apenas em alguns pontos da cidade, mas que a maioria dos postos não alterou o valor do produto. “Os postos que possuem bandeira não tiveram seu abastecimento comprometido e o preço continua do mesmo jeito. O que aconteceu em alguns postos é que com a falta de produto, quem não tem o combustível ou quem tem muito pouco, está valorizando mais seu produto e por isso os preços subiram nestes locais”, explicou.

Hamad comenta ainda que a questão do aumento dos preços é livre e que os empresários é quem devem resolver qual o preço que vai praticar dentro do estabelecimento comercial. “O sindicato não interfere de forma alguma em relação ao preço. O comerciante opta pelo preço que quiser, não há uma orientação, por parte do sindicato, sobre qual preço deve ser praticado”, comenta.

Por nota, o Procon-JP informou que uma equipe do órgão vai ser reunida para analisar com calma o que aconteceu. O secretário Helton Renê disse que a falta de gasolina em alguns postos não pode justificar o aumento, e que os postos serão notificados e chamados para explicar a alta nos preços.

paraiba.com.br

Médicos que realizarem parto normal ganharão três vezes mais, exige Justiça

(Foto: ALBANE NOOR / BSIP)
(Foto: ALBANE NOOR / BSIP)

A Justiça Federal determinou que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) cumpra novas medidas para incentivar a redução do número de cesáreas na rede particular de saúde. As medidas incluem estabelecer uma remuneração no mínimo três vezes maior para profissionais de saúde que realizarem parto normal, em relação aos que realizarem parto cesárea.

A decisão da justiça é uma resposta a um pedido feito pelo Ministério Público Federal (MPF) em 2010, motivado pela constatação de que o número de cesarianas na saúde suplementar é muito maior do que no setor público.

A ANS já tinha adotado medidas para incentivo do parto normal, que entraram em vigor em 7 de julho. A Resolução Normativa nº 368 prevê, entre outras coisas, que a gestante tenha o direito de saber a porcentagem de partos normais e cesarianas de seu plano de saúde, de seu hospital e de seu médico.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Em nota divulgada nesta terça-feira (1º) sobre a decisão da justiça, a ANS afirmou que “tão logo receba a notificação judicial, irá analisar e se manifestar quanto às medidas cabíveis”.

A agência ressaltou ainda que, além das medidas iniciadas em julho, também está desenvolvendo, em parceria com o Hospital Albert Einstein e o Institute for Healthcare Improvement (IHI), o projeto Parto Adequado. Implantado em mais de 40 hospitais, o projeto conseguiu aumentar a taxa de partos normais de 19,8% para 27,2% nas instituições que o adotaram, segundo a ANS.

Do Bem Estar

Termina greve dos Correios e serviços voltam ao normal nesta terça-feira na Paraíba

Reprodução/Facebook/Sintect-PB
Reprodução/Facebook/Sintect-PB

Os servidores dos Correios encerraram a greve e voltam as atividades normais a partir desta terça-feira (29), na Paraíba. A categoria parou por menos de 15 dias.

Em assembléia realizada na tarde desta segunda (28), o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios na Paraíba (Sintect-PB) informou que os profissionais aceitaram o acordo do Tribunal Superior do Trabalho (TST) formulado na sexta (25) e apresentado nesta segunda em Brasília.

O acordo prevê reajuste de R$ 150 a partir de agosto deste ano e de mais R$ 50 em janeiro de 2016. Os servidores dos Correios terão ainda reposição da inflação em 9,56% sobre todos os benefícios, redução do compartilhamento do vale-alimentação e vale-peru para o fim do ano.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

 

portalcorreio

Paraíba incentiva o parto normal por meio de ações e serviços humanizados

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

A redução de cesarianas e, consequentemente, o aumento de partos normais são ações que já vêm sendo incentivadas pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, com a execução da Rede Cegonha. No último dia 6, o Governo Federal anunciou uma série de medidas de incentivo ao parto normal.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Uma das ações de humanização do parto na Paraíba é que as gestantes atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) ganharam o direito de escolher, entre amigos e parentes, alguém de sua confiança para estar presente na sala de parto e também no pós-parto. “A presença de um acompanhante pode ajudar na redução do número de cesarianas. De acordo com 14 estudos científicos, nacionais e internacionais, realizados em mais de cinco mil mulheres, as gestantes que contaram com a presença de acompanhantes se sentiram mais seguras e confiantes durante o parto”, disse a coordenadora da Saúde da Mulher da SES, Fátima Moraes.

Ainda entre as outras ações de humanização do parto já implantadas nas maternidades públicas estão a analgesia que reduz as dores intensas; exercícios acompanhados por fisioterapeutas e as reformas nas maternidades públicas do estado, com aquisição de novos equipamentos.

Além disso, a partir deste ano, serão construídos seis Centros de Parto Normal (CPN), sendo quatro estaduais: dois em João Pessoa, nas Maternidades Frei Damião e Edson Ramalho; um na Maternidade Peregrino de Carvalho, em Patos; e um no Hospital Regional de Cajazeiras; e dois municipais: um na Maternidade Cândida Vargas, na capital, e outro no ISEA, em Campina Grande.

O ambiente nesses locais proporcionará bem estar às pacientes, com paredes coloridas e músicas relaxantes. Os quartos terão espaço suficiente para que a mulher se movimente à vontade, com camas adequadas buscando posições que aliviem a dor e banheiros com banhos quentes e relaxantes, o que diminui a espera. De acordo com o projeto, em alguns centros terá até banheiras de ofurô.

Ainda serão construídas as Casas de gestante, bebê e puérpera nas Maternidades Frei Damião e Cândida Vargas, na capital; ISEA, em Campina Grande; e em Patos. Cada uma terá 20 leitos e o objetivo é de dar suporte para as mulheres com gravidez de alto risco que não necessitam ficar internadas; para as mães que tem bebês nas UTIs e para recém-nascidos com doenças que precisam de acompanhamento sem a necessidade de internamento. Já existem duas casas semelhantes nos Hospitais Edson Ramalho e Cajazeiras que serão ampliadas, de 10 para 20 leitos e de dois para 20, respectivamente. Ainda estão previstas para 2015 as reformas nas Maternidades de Santa Luzia e no Hospital Edson Ramalho

Em parceria com o Ministério da Saúde, a SES ainda promove qualificação de profissionais para incentivar o parto normal nas maternidades do SUS, para conscientizar quanto à necessidade de mudar práticas e humanizar os partos.

De acordo com Fátima Moraes, através da Rede Cegonha, ainda é realizado repasse de incentivos financeiros a municípios e maternidades que ofereçam atenção ao pré-natal, ao parto e nascimento e possíveis complicações obstétricas. “Todas estas ações são extremamente importantes, mas incentivo ao aleitamento materno deve começar no pré-natal, quando deve haver toda orientação para as vantagens do parto normal e desmistificar essa cultura de que o parto normal funciona como castigo e mostrar os mecanismos que o SUS dispõe para um parto humanizado. O parto deve ser um momento de muita alegria e não de sofrimento”, concluiu Fátima.

De acordo com o Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC), em 2014 foram realizados em todo estado 21.262 partos normais e 29.009 cesáreos.

Secom-PB