Arquivo da tag: Músico

Caso Anderson: músico guarabirense deixou filho de 2 meses na cidade de Mari

O músico guarabirense Anderson Amaral, de 33 anos, que morreu depois de ser atingido por golpes de faca na madrugada de sábado para domingo (24), por causa de uma discussão banal num espetinho na cidade de Sapé, deixou uma semente plantada, família de coração partido e uma legião de amigos e admiradores tristes com a precoce morte.

O crime até agora não foi elucidado e o criminoso continua à solta, podendo fazer mais vítimas que encontrar pelo caminho. As investigações da Polícia Civil, a que cabe o trabalho investigativo, não deram resultado até o momento. A família e os amigos buscam respostas para um fim trágico de alguém que sonhava alto e tinha um futuro promissor, seja como talentoso músico que era e empreendedor que começava a se destacar.

Em meio à tragédia os familiares da vítima se depararam com um fato que chamou a atenção de todos. Uma moça que reside na cidade de Mari se apresentou no velório com uma bebê de 2 meses e informou que a criança é filha de Anderson, fruto de uma relação entre eles. A moça relatou que ele fez o teste de DNA, foi positivo para a paternidade, registrou o filho, mas mantinha o caso em segredo da família.

A mãe da criança disse que o músico dava todo cuidado e carinho para a criança, mesmo eles não morando juntos. Não houve objeção por parte dos familiares. É uma semente que fica do guarabirense que perdeu avida ainda tão jovem. O nome da mãe e do bebê serão preservados para evitar especulações de terceiros.

 

portal25horas

 

 

Músico morre de infarto e comove cidade de Borborema

No final da tarde desta terça-feira (14) a população da cidade de Borborema recebeu com muita tristeza a notícia da morte pré-matura do músico Dadá Nunes, de 49 anos. Ele era casado com a vocalista Kaoma Braz, ambos residiam na cidade há bastante tempo.

De acordo com informações, o músico sofreu um infarto e foi socorrido para o hospital de Serraria, mas não resistiu e veio a óbito.

Dadá era baterista, ele tocou em várias bandas e grupos musicais da região..

O sepultamento ocorrerá às 07h00 desta quarta-feira (15) no cemitério de Guarabira, sua terra natal.

 

Balbino Silva/MIDIA PARAIBA

 

 

Policial militar e músico é encontrado morto ao lado de moto, em Alagoa Grande, PB

O policial militar e músico, Roberio Chaves, de 38 anos, foi encontrado morto na noite desta quarta-feira (17), juntamente com sua moto as margens da PB-079, na entrada do distrito de Zumbi, em Alagoa Grande, no Agreste da Paraíba. Ele estava desaparecido desde a última terça-feira (16). O músico atuava na banda da PM e era vocalista da banda Jackson Envenenado.

Segundo informações da Polícia Militar, Roberio foi visto pela última vez na festa de emancipação política da cidade de Juarez Távora, na noite da terça-feira (16). Ele retornava sozinho em sua moto para sua cidade natal, Alagoa Grande.

Após buscas na região, o corpo da vítima foi encontrado ao lado de sua moto em uma curva entre o distrito de Zumbi e Alagoa Grande. O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado para o recolhimento do corpo.

O músico além de atuar na banda da Polícia Militar, era vocalista e um dos fundadores da banda Jackson Envenenado, que homenageava Jackson do Pandeiro, desde 2001. O velório de Roberio será na câmara de vereadores de Alagoa Grande, a partir das 16h desta quinta-feira.

G1

 

Banda paraibana é condenada a pagar R$ 40 mil a músico que trabalhava sem carteira assinada

trt-pbA banda de forró paraibana formada do músico Netinho Lins, Forró da Canxa, foi condenada pela Justiça do Trabalho a pagar R$ 41.849 a um músico que trabalhou como guitarrista entre julho de 2011 e março de 2014 sem carteira assinada.

A sentença é do juiz do Trabalho Lindinaldo Marinho, que acolheu o pedido de reconhecimento do vínculo de emprego, além de pagamento de aviso prévio, férias em dobro, férias proporcionais, 13º salário, recolhimento de FGTS e outros direitos. O processo tramitou na 1ª Vara do Trabalho da Capital.

Na sentença, o juiz também determinou a anotação da carteira de trabalho, constando o contrato celebrado entre as partes no período de 10.07.2011 a 19.04.2014, com a função de “músico” e a percepção de salário mensal de R$ 1.000.

A banda Netinho Lins afirmou no processo a impossibilidade de reconhecimento de vínculo empregatício, “haja vista, que não há no caso em tela todos os requisitos da relação de emprego, quais sejam pessoalidade, onerosidade, habitualidade e subordinação. Necessariamente não era o reclamante que devia estar presente para que o show acontecesse, podendo este ser substituído por outro profissional que fizesse o mesmo tipo de serviço, o que ocorria diversas vezes no mês, em virtude do autor ser freelancer em outras bandas”.

No entanto, o juiz reconheceu que a prova testemunhal em favor do músico “explicitou, de forma bastante convincente, o aspecto de que o labor prestado pela parte reclamante dava-se de forma não eventual, e com subordinação jurídica desta em relação à parte reclamada”.

Na sentença, o magistrado considerou que “do conjunto fático probatório dos autos extrai-se a existência do contrato de emprego entre as partes, na forma do artigo 3º da CLT, razão pela qual se impõe o reconhecimento do vínculo empregatício”.

clickpb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

“Preconceito é uma ignorância”: Músico conta como venceu o câncer de próstata

exames-de-prostataDia 23 de março de 2013. Para o músico Rafael Prista, essa data ganhou um significado diferente, um tanto amargo. Foi quando ele recebeu o diagnóstico do câncer de próstata, aos 58 anos. “Foi terrível. Quando abri o envelope do resultado da biópsia, cheguei a ter uma queda de pressão. Eu, que nunca senti nada, que nunca havia entrado em um hospital como paciente, tinha um câncer”, lembra o carioca.

“Sempre fui uma pessoa muito saudável. Não costumo ficar gripado mais que dois ou três dias. Sempre fui magro, não sou sedentário, me alimento muito bem, corro três vezes por semana pelo menos 5 km e nunca senti absolutamente nada”, conta ele. Tudo começou durante um exame de rotina, que apontou a alteração no resultado do PSA – Antígeno Prostático Específico, proteína indicadora do câncer de próstata. O exame foi refeito e continuou com o resultado acima do esperado. O próximo passo foi o exame de toque retal e a biópsia.

O exame dura menos que cinco segundos, não dói e pode salvar a sua vida

O que fez a diferença no tratamento e na recuperação foi o diagnóstico precoce, graças aos exames e consultas regulares que Rafael realizava: “Infelizmente perdi recentemente um amigo para o câncer de próstata. Ele não fazia exames regulares. Quando descobriu, só conseguiu administrar uma sobrevida bastante sofrida. Fazer exames regulares é de fundamental importância”.

Com o diagnóstico em mãos, era hora de decidir como seria o tratamento. “O médico me explicou as possibilidades e disse que, pela experiência dele, a opção com maior possibilidade de cura real seria a cirurgia. A cirurgia no estágio inicial tem uma chance de 90% de cura. Pesei todos os prós e contras e decidi operar o mais rápido possível. Me operei em 20 de abril, menos de um mês depois da descoberta”, conta.

Medo e superação

“É impossível não haver alguma sequela inicial. Quando você vai para a mesa de operação, sabe que pode ser que não vença o câncer, que terá pelo menos alguma incontinência urinária e que pelo menos por algum tempo terá que esquecer que sexo existe. Tive muita sorte por ter sido assessorado por médicos muito competentes. Fui para a mesa de operação pensando que o principal era remover isso de mim. Qualquer sequela que eu viesse a ter, depois veria o que fazer”, explica ele.

A soma dos cuidados de Rafael com a saúde resultaram na ótima recuperação que ele teve. “É claro que após passar por uma experiência dessas, nada é igual a antes. Fui tão abençoado, que não tive nem que fazer nenhuma terapia complementar após a cirurgia. Fiquei dentro do melhor prognóstico. Aos poucos e com o auxílio de medicamentos fui tendo melhoras e, hoje, passados três anos da cirurgia, estou recuperado. A única sequela definitiva foi a infertilidade, mas não quero mais ter filhos. Isso me deu até uma certa ‘liberdade'”, brinca ele, hoje com 62 anos.

“Não tenham preconceito!”

E para os homens que ainda relutam em realizar os exames de rotina, como o de toque retal, Rafael dá o recado: “Não tenham preconceito! É uma ignorância sem tamanho. O exame dura menos que cinco segundos, não dói e pode salvar a sua vida. Muitos homens não sabem, mas o câncer de próstata é um tipo de câncer que se alimenta da testosterona, produzida pelos testículos. Quando há uma metástase grave, um dos tratamentos para tentar frear o câncer é a castração, tudo por causa do medo e preconceito de fazer um exame rotineiro. Isso não é ser macho, é ser burro”, conclui o músico.

minhavida

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Pai de músico dos Titãs morre e cantor-guitarrista não virá para show em João Pessoa

titãsA Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da sua Fundação Cultural (Funjope), informa que Paulo Miklos, integrante dos Titãs, não participará do show que a banda fará neste sábado (1°), no encerramento do projeto Extremo Cultural. O pai do músico morreu nesta sexta-feira (31), em São Paulo e, por isso, Miklos não estará no show.

Os Titãs se apresentam às 22h deste sábado, no Busto de Tamandaré, trazendo para o público pessoense um show com grandes sucessos de várias fases da trajetória do grupo.

 

CURTA O FOCANDO O ESPORTE NO FACEBOOK

Segue abaixo o comunicado divulgado pela banda:

“Comunicamos que o cantor e guitarrista Paulo Miklos não fará o show com os Titãs, em João Pessoa, devido ao falecimento de seu pai. Em seu lugar estará o guitarrista André Fonseca.Titãs”

MaisPB com Secom JP 

Músico Geovan Morais divulga os valores da cultura paraibana em turnê na Suécia

 

Oficinas de música para estudantes, concerto e encontro com autoridades marcaram a agenda do cantor e compositor paraibano, Geovan Morais, no primeiro dia da turnê pela Suécia. As atividades foram iniciadas às 7h, na cidade de Osthammar, a 120 km da capital Estocolmo, onde o artista foi recebido pelo Secretário de Assistência Social, Sr. Kenneth Lindholm.

O segundo compromisso foi na escola Frösåkersskolan, local onde o paraibano apresentou uma oficina para os estudantes do curso de música e direção teatral. No espaço educacional também foi promovido um concerto para alunos, professores e funcionários da instituição.

A programação foi retomada com um novo concerto no turno da tarde, às 15h, desta vez para os idosos da cidade, que contou com a participação da prefeita, Sra Cestine Kerstin Björck-Jansson.

Na ocasião, o músico recebeu das mãos da gestora um presente em nome da população de Osthammar e aproveitou a oportunidade para entregar a Sra Cestine alguns objetos referentes à cultura paraibana. O conjunto de acessórios foi composto por um livro sobre João Pessoa, uma camisa com a bandeira da Paraíba, rapadura cristalizada e as bandeiras do estado e do Brasil, carinhosamente abrigadas no escritório da governante.

Próximos Compromissos– Nesta sexta-feira (7), Geovan irá se apresentar no Hellsten Hotel em Estocolmo. O show contará com a presença de políticos, empresários, autoridades e convidados, além da prestigiada embaixatriz do Brasil na Suécia, Leda Lúcia Martins Camargo.

A cidade de Uppsala será o destino da turnê nos dia 10 e 11, onde também serão realizadas oficinas e apresentações musicais no colégio Kvargardessokan, para alunos do sexto ao nono ano. Os compromissos na região serão concluídos ainda na noite do dia 11, com um show no tradicional Pub 19 de Uppsala.

O Rex Hotel na capital Estocolmo, também será palco de nova apresentação, marcada para o dia 14.

Outro destaque da turnê será a apresentação no Congresso de Executivos da Fiat na Suécia, a ser realizado durante as atividades do encontro no dia 18. O convite surgiu através do Sr. Torbjorn Knutsson, que está patrocinando a viagem internacional do musicista e ofereceu um veículo Lancia, para facilitar deslocamento dentro do país.

A programação inicial segue até o dia 22, quando Geovan volta a tocar no Hellsten Hotel, mas segundo o empresário do paraibano, novos compromissos poderão ser fechados nas datas e horários que ainda estão em aberto.

Hugo Sales para o Focando a Notícia