Arquivo da tag: Motorista

Corpo de motorista por aplicativo que estava desaparecido é encontrado em mangue, na PB

Um corpo foi encontrado na noite desta quarta-feira (28), em um mangue no bairro do Rangel, em João Pessoa. O corpo é de um motorista de transporte por aplicativo que estava desaparecido desde a terça-feira (27).

Estiveram no local a Polícia Civil, por meio da delegacia de homicídios, e a Polícia Criminal, que constatou o óbito. O corpo estava em uma cova rasa.

De acordo com a Polícia Civil, o homem teria recebido uma ligação quando estava em casa e saiu sem informar para onde iria. Desde então, estava desaparecido. O carro dele foi encontrado também nesta quarta-feira perto do local onde o corpo foi achada.

A família de Adriano Faustino esteve no local e confirmou que o corpo era, de fato, do motorista. Até as 6h10 não havia informações do que teria motivado o crime.

Foto: Walter Paparazzo/G1

G1

Validade da carteira de motorista passará de 5 para 10 anos

A Câmara dos Deputados aprovou as mudanças do Código de Trânsito Brasileiro sugeridas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Entre as medidas do Projeto de Lei 3267/19, estão o aumento da validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e o maior número de pontos necessários para que o motorista perca temporariamente o direito de dirigir.

Validade da CNH

A proposta também amplia a validade da CNH de cinco para dez anos para condutores com até 50 anos de idade. Já a renovação de cinco anos continua  para aqueles com idade igual ou superior a 50 anos. Entretanto, a renovação a cada três anos, exigida até então para aqueles com 65 anos ou mais, passa a valer para os motoristas com mais de 70 anos.

As mudanças de validade levaram em conta as condições gerais de saúde da população.  Para a doutora em transporte da Universidade de Brasília Adriana Modesto, a tolerância pode gerar insegurança no trânsito. “Em tese, a partir da quarta década, nós começamos a sofrer uma série de alterações de saúde que podem impactar na condução veicular e que podem reverberar na segurança viária”, explicou.

Suspensão da CNH

Atualmente, a carteira é suspensa com 20 pontos, independentemente do tipo de violação. Com a nova regra, o condutor será suspenso com 20 pontos se tiver cometido duas ou mais infrações gravíssimas, 30 pontos para uma violação gravíssima e 40 pontos para quem cometeu infração leve ou média e não seja reincidente em 12 meses.

Para o professor universitário e doutor em transporte Artur Morais, a flexibilização da pontuação pode acabar aumentando os comportamentos de risco. “Isso mostra que a pessoa pode cometer a mesma infração em um limite muito maior, mesmo estando com milhares de mortes todo ano e dezenas de inválidos devido a acidentes de trânsito”, pontuou.

Cadeirinha

Um consenso entre os especialistas em trânsito foi a obrigatoriedade do uso da cadeirinha. Para crianças menores de dez anos, a exigência é a de permanecer no banco traseiro. “Todos nós sabemos o risco que envolvem uma criança solta dentro de um veículo, tanto para própria criança como para os demais ocupantes na ocorrência de algum acidente”, destacou Adriana.

Outra ponderação para crianças com dez anos é sobre a altura. As que tiverem 1,45 metro devem continuar no banco de trás com assento de elevação ou uma cadeira especial presa ao assento.

Uso de corredores

Também passa a ser regulado o uso dos corredores de motociclistas, que é o espaço em que as motos passam nas faixas entre os carros. De acordo com a regra, quando o trânsito estiver parado ou lento, os veículos deverão estar em velocidade compatível à segurança dos pedestres e demais veículos.

Para Michelle Andrade, professora na Universidade de Brasília no curso de graduação em Engenharia Civil e no Programa de Pós-Graduação em Transportes, mesmo que as mudanças sejam para fluidez do trânsito em cidades grandes, a medida não vai melhorar a situação. “As medidas que nós deveríamos fomentar para promover a fluidez, ela não está associada à infraestrutura, tampouco a dispositivos legais. Ela está associada a investimentos de transporte públicos”, frisou.

Segundo Michelle, seria necessário ter uma fiscalização do cumprimento dessa condição de motos nos corredores com trânsito lento ou parado. “É muito difícil ser efetivo, principalmente nas cidades com número elevado de motocicletas que estejam circulando em conjunto”, destacou.

Exame toxicológico

O PL também continua com a exigência de condutores com carteiras das categorias C, D e E fazerem exame toxicológico na aquisição ou renovação da carteira a cada dois anos e meio. O professor Artur ressaltou que a providência foi positiva. “Motoristas profissionais querem ganhar tempo e ter maior rendimento no preço do frete. Com isso, faz uso de substâncias para poder ficar acordado, e isso é muito perigoso”, destacou.

Além disso, o delito passa a ser infração gravíssima e o motorista perderá o direito de dirigir por três meses. Será necessário apresentar exame com resultado negativo para acabar com a suspensão.

Caso o infrator seja pego conduzindo veículo das categorias C, D ou E, e não comprovar a realização do exame toxicológico periódico quando renovar a CNH, será aplicada uma multa.

Faróis

A lei também flexibiliza a obrigatoriedade de se usar o farol baixo em rodovias. De acordo com a proposta, a medida só vai ser necessária em rodovias de pista simples. Além disso, os novos veículos precisam vir, de fábrica, com luzes de rodagem diurna. O projeto aguarda sanção do presidente Jair Bolsonaro. Após publicação no Diário Oficial da União, as novas regras passam a vigorar no prazo de 180 dias.

Fonte: Brasil 61

 

 

Motorista que atropelou e matou ciclista em Sertãozinho estava embriagado, diz delegado

O condutor do veículo que atropelou e matou o ciclista Carlos Campelo da Silva, na tarde da última sexta-feira (25), na rodovia que liga Sertãozinho a Duas Estradas, estava embriagado, segundo o delegado João Amaro, que investiga o caso. Hernando Bezerra da Silva foi submetido ao teste do bafômetro e foi constatada a embriaguez.

Segundo o que foi apurado pelo delegado, o motorista desenvolvia alta velocidade, invadiu a contramão e atingiu o ciclista violentamente, chegando a derrubar o muro de uma residência próxima da rodovia. A vítima teve múltiplas lesões pelo corpo e não resistiu. Carlos Campelo era motorista da ambulância da prefeitura de Sertãozinho-PB e pedalava como prática esportiva com frequência.

De acordo com informações do repórter Zé Roberto, da Rádio Constelação FM, na delegacia o condutor do veículo disse ao delegado que não sabia para onde estava indo e que chegou a debochar. “Ele estava com tom de deboche e chegou a dizer que foi a vítima que jogou a bicicleta pra cima dele”, disse o delegado.

Segundo ainda o comunicador, o assassino de Carlos Campelo constituiu advogado e mesmo tendo matado o ciclista já está posto em liberdade. A família clama que o acusado seja responsabilizado pelo crime que cometeu.

Carlos Campelo era motorista da prefeitura de Sertãozinho e praticava ciclismo

portal25horas

 

Motorista atropela e mata ciclista da cidade de Sertãozinho

Um acidente no final da tarde da sexta-feira (25) deixou um ciclista morto numa rodovia, na saída de Duas Estradas para Sertãozinho, Agreste paraibano.

De acordo com as informações, um ciclista por nome de Carlos Campelo que é motorista da prefeitura de Sertãozinho, foi atingido por um carro conduzido por um jovem da cidade de Duas Estradas. Com o impacto da colisão, o ciclista teve ferimentos graves e foi socorrido por uma equipe do SAMU, mas não resistiu e foi a óbito.

O motorista teve ferimentos leves e também foi socorrido para o hospital. Um inquérito policial foi aberto pela Polícia Civil para investigar as causas do acidente que tirou a vida do cidadão, querido na cidade em que morava com sua família.

Nas redes sociais, amigos lamentaram:

Fonte: Blog do Felipe Silva

 

Câmera flagra atropelamento de ciclista de 82 anos em João Pessoa e fuga do motorista

Uma câmera de segurança registrou o atropelamento de um ciclista de 82 anos na Avenida Hilton Souto Maior, na altura do bairro da Penha, em João Pessoa. O fato aconteceu na tarde deste sábado (12) e a vítima morreu no local.

Nas imagens é possível ver um carro avançar em alta velocidade e atingir o ciclista, que atravessava a via após olhar para o lado. Outro homem, que estaria logo a frente e seria neto da vítima fatal, quase é atingido. Mas o condutor parece desviar e livrá-lo, embora tenha saído sem prestar socorro ao ferido, segundo o registro da câmera de segurança.

As primeiras informações são de que o idoso foi identificado como Seu Bruno, ex-vice-presidente da Associação de Moradores do bairro da Penha.

O Samu esteve no local, mas constatou que o ciclista já estava em óbito e com diversas fraturas, inclusive no crânio e uma exposta na perna.

 

clickpb

 

 

Motorista morre após carreta tombar no km 65 da BR-230

Um condutor de uma carreta morreu após o tombamento do veículo, com carga de cimento, na madrugada de hoje (7), na BR-230, na Paraíba. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente ocorreu próximo ao km 65.

Segundo as investigações, o veículo transportava a carga saída de Alhandra com destino a Petrolina, em Pernambuco. Ainda não há informações de como o condutor perdeu o controle da direção e como veículo parou fora da pista, próximo a uma ponte do Rio Paraíba.

As causas do acidente serão investigadas pela PRF.

 

pbagora

 

Motorista passa mal, perde o controle de carreta e morre, na PB

Na manhã desta quinta-feira (06)  uma carreta tombou  na rodovia que liga a cidade de Sapé à Cruz do Espírito Santo.

De acordo com as informações o motorista da carreta teria passado mal e perdido o controle do veículo.

O serviço do Samu foi acionado para socorrer o motorista e outro homem que também ficou ferido no tombamento da carreta, porém o motorista não conseguiu resistir e morreu no local.

PB Agora

 

Grave acidente em Guarabira mata dois jovens e motorista é preso

Na madrugada de sábado para domingo (2), um grave acidente matou dois homens na rodovia que liga Guarabira a Araçagi, no distrito do Pirpiri. O motorista de uma caminhoneta Hilux colidiu violentamente contra uma motocicleta onde estavam as vítimas, que morreram na hora.

De acordo com informações da polícia as vítimas fora identificadas por Thiago e Mateus, que residiam na Rua Artur Pontes, no bairro São José, em Guarabira. Eles são vizinhos e estavam na motocicleta.

O condutor da caminhoneta era o jovem Aleff, filho do comerciante Dudu, dono de uma loja de conveniência e de uma frigorífico. Segundo informações de testemunhas, o rapaz estava em companhia de uma jovem e tiveram escoriações pelo corpo. Eles foram levados para o Hospital Regional de Guarabira e receberam atendimento médico, mas não sofreram lesão grave.

Segundo a polícia, uma perícia feita no local do acidente constatou que no carro foi encontrada bebida alcoólica. O condutor da Hilux foi levado para a delegacia de Polícia Civil e na sequência encaminhado ao presídio Vicente Claudino.

Familiares das vítimas estão inconformados e pedem que seja feita uma apuração criteriosa para esclarecer em que condições ocorreu o acidente que matou os dois jovens, que tinham uma vida inteira pela frente.

 

portal25horas

 

 

Vídeo: Carro desgovernado e em chamas desce rua; motorista foi salvo com a ajuda de um gato

Um carro pegou fogo com o motorista dentro em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte, na noite dessa quarta-feira (1). O veículo chegou a percorrer quase dois quarteirões, desgovernado e em chamas. A tragédia só não for maior graças a um gato chamado Candinho.

O felino chamou a atenção do dono, o aposentado Diolino Fernandes Seabra, de 58 anos, ao correr miando na direção do portão de casa. “Eu estava dentro de casa quando o gato saiu correndo para perto do portão, miou para mim e eu vi aquele clarão do fogo. Abri o portão e estava aquele fogo por baixo do carro e o motorista lá dentro. Molhei um pano, abri a porta do veículo e falei para ele sair. Parece que o motorista ficou meio perdido, perguntando que fumaça era aquela e o fogo já bem alto. Assim que ele saiu, o veículo entrou em chama por completo”, contou o aposentado.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o motorista do Fiat Idea contou que percebeu uma fumaça no motor do veículo, tentou apagar com um extintor, mas não conseguiu.
Em seguida, o carro teria perdido o sistema de freios e, pegando fogo, desceu a rua até bater no poste e uma lixeira.

“Minha esposa, minha menina e outros moradores acionaram o Corpo de Bombeiros. Eles chegaram e apagaram o fogo. O carro atravessou um cruzamento, sorte que não estava passando outro veículo na hora. Duas linhas de ônibus passam ali”, detalhou o morador.

Os bombeiros gastaram 600 litros de água no combate ao fogo, e graças a ajuda do gato Candinho e um pouco de sorte, ninguém ficou ferido. “Candinho é uma bênção. Acha que é cachorro e dá sinal de tudo”, disse o dono.

O Tempo

 

Câmara muda projeto e fixa em 10 anos validade da CNH de motorista profissional

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (24) um destaque (mudança no texto do projeto) que altera o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), a fim de permitir que a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) de motoristas profissionais, com idade inferior a 50 anos, tenha validade de dez anos.

O texto-base, aprovado pelos parlamentares na terça-feira (23), determinava que o documento para os condutores nessa faixa etária fosse renovado a cada cinco anos.

Com isso, os motoristas profissionais ficarão enquadrados na regra geral:

  • CNH com validade de dez anos para quem tiver menos de 50 anos
  • CNH com validade de cinco anos para quem tiver idade igual ou superior a 50 anos e inferior a 70 anos;
  • CNH com validade de três anos para condutores com idade igual ou superior a 70 anos.

Os demais destaques ao projeto foram rejeitados. Com a conclusão da votação pela Câmara, a matéria seguirá para votação no Senado.

Considerado um assunto prioritário pelo Palácio do Planalto, o projeto foi apresentado em junho do ano passado pelo presidente Jair Bolsonaro, que foi pessoalmente à Câmara fazer a entrega do texto.

Entre as mudanças, o projeto amplia o prazo para a renovação dos exames de aptidão física e mental para a renovação da CNH e estabelece a obrigatoriedade do uso de cadeirinha para o transporte de crianças de até 10 anos que ainda não atingiram 1,45 metro.

O projeto regulamenta ainda a circulação de motocicletas entre os veículos, mantém a exigência de exames toxicológicos para motoristas das categorias C, D e E e prevê limites diferentes de pontuação na carteira de motorista, antes da suspensão, no prazo de 12 meses.

Ponto a ponto

Saiba ponto a ponto o que diz o projeto:

Validade da CNH

O projeto amplia o prazo para a renovação dos exames de aptidão física e mental para a renovação da CNH, de acordo com as seguintes situações:

  • 10 anos para condutores com menos de 50 anos;
  • 5 anos para condutores com idade igual ou superior a 50 anos e inferior a 70 anos;
  • 3 anos para condutores com 70 anos ou mais.

O texto-base inicialmente previa que, para os motoristas com idade inferior a 50 anos que exercessem atividade remunerada em veículo, a periodicidade de renovação seria menor, de cinco anos. Mas os deputados aprovaram um destaque do PSL e mantiveram para estes profissionais a mesma regra válida aos demais.

O texto prevê, ainda, que em caso de indícios de deficiência física ou mental ou de progressividade de doença que diminua a capacidade de condução, o perito examinador pode diminuir os prazos para a renovação da carteira.

Atualmente, o Código de Trânsito prevê a renovação a cada cinco anos para a maioria dos motoristas e a cada três anos para condutores com mais de 65 anos.

Já o texto enviado pelo governo previa a renovação dos exames a cada 10 anos e, para pessoas acima de 65 anos, a cada cinco anos.

Exame de aptidão

O texto determina, ainda, que os exames de aptidão física e mental sejam realizados por médicos e psicólogos peritos examinadores, com a titulação de especialista em medicina do tráfego ou em psicologia de trânsito, respectivamente. A legislação atual não deixa explícita essa exigência, e os requisitos constam apenas em resoluções do Contran.

Pela proposta, os exames devem ser avaliados “objetivamente” pelos examinados, o que subsidiará a fiscalização sobre o profissional credenciado feita pelos órgãos de trânsito em colaboração com os conselhos profissionais.

Pontuação da CNH

O projeto também prevê limites diferentes de pontuação na carteira de motorista, antes da suspensão, no prazo de 12 meses:

  • 40 pontos para quem não tiver infração gravíssima;
  • 30 pontos para quem possuir uma gravíssima;
  • 20 pontos para quem tiver duas ou mais infrações do tipo.

Os motoristas profissionais terão 40 pontos de teto, independentemente das infrações cometidas. Esses condutores podem participar de curso preventivo de reciclagem quando atingirem 30 pontos. A legislação atual prevê a suspensão da carteira sempre que o infrator atingir 20 pontos.

O projeto original do governo previa uma ampliação geral, de 40 pontos para todos os motoristas, independentemente da vinculação por infração criada pelo relator.

Avaliação psicológica

O relator incluiu, também, a exigência de avaliação psicológica quando o condutor:

  • se envolver em acidente grave para o qual tenha contribuído;
  • ser condenado judicialmente por delito de trânsito;
  • estiver colocando em risco a segurança do trânsito, por decisão da autoridade de trânsito.

Cadeirinha

O projeto aprovado determina também a obrigatoriedade do uso da cadeirinha para crianças de até 10 anos que ainda não atingiram 1,45 m de altura. Pelo texto, o descumprimento desta regra ocasionará uma multa correspondente a uma infração gravíssima.

A proposta original do governo previa que a punição para o descumprimento fosse apenas uma advertência por escrito, sem a multa. Pela proposta do Executivo, endurecida pelo relator, a cadeirinha seria necessária para crianças de até 7 anos e meio.

Exames toxicológicos

Sobre a renovação da carteira de habilitação, o texto também mantém a obrigatoriedade de exames toxicológicos para motoristas das categorias C, D e E.

O fim da obrigatoriedade do exame era um dos pontos polêmicos do texto e foi alvo de críticas de parlamentares e entidades ligadas ao setor.

Segundo a proposta, quem tem idade inferior a 70 anos também terá que se submeter ao exame a cada dois anos e meio, independentemente da validade da CNH. Objetivo é impedir que eventual mudança do prazo da carteira implique em alteração na periodicidade do exame.

Motos

O projeto estabelece regras para a circulação de motocicletas, motonetas e ciclomotores quando o trânsito estiver parado ou lento.

Pelo texto, os motociclistas devem transitar com velocidade compatível com a segurança dos pedestres e demais veículos nessas situações.

A proposta cria ainda uma “área de espera” para motociclistas junto aos semáforo. O projeto diz que haverá uma área delimitada por duas linhas de retenção, destinada exclusivamente à espera destes veículos próximos aos semáforos, imediatamente à frente da linha de retenção dos demais veículos.

Recall

O projeto torna o recall das concessionárias – convocação de proprietários para reparar defeitos constatados nos veículos – uma condição para o licenciamento anual do veículo a partir do segundo ano após o chamamento.

Segundo o relator, são frequentes os casos de descumprimento do procedimento, colocando em risco a segurança dos condutores desses veículos e de outras pessoas.

Cadastro positivo

A proposta cria o Registro Nacional Positivo de Condutores (RNPC), em que serão cadastrados os condutores que não tenham cometido infração de trânsito sujeita a pontuação nos últimos 12 meses.

O cadastro positivo vai possibilitar que estados e municípios concedam benefícios fiscais e tarifários aos condutores cadastrados.

Inicialmente, o relatório previa que, na Semana Nacional de Trânsito, comemorada em setembro, haveria um sorteio no valor de 1% do montante arrecadado com as multas para premiar os motoristas do cadastro. Contudo, Juscelino Filho retirou essa parte ao acolher uma emenda de plenário.

Escolinhas de trânsito

O projeto prevê a criação de escolinhas de trânsito para crianças e adolescentes com aulas teóricas e práticas sobre legislação, sinalização e comportamento no trânsito.

Consulta pública

As propostas de normas regulamentares a serem editadas pelo Contran deverão sejam submetidas a consulta pública antes da entrada em vigor. Objetivo é dar mais transparência às decisões do conselho.

Multas administrativas

O parecer propõe a isenção de pontos na carteira de motorista em algumas situações de infrações de natureza administrativa, por exemplo:

  • Conduzir veículo com a cor ou característica alterada;
  • Conduzir veículo sem os documentos de porte obrigatório;
  • Portar no veículo placas em desacordo com as especificações e modelos estabelecidos pelo Contran;
  • Deixar de atualizar o cadastro de registro do veículo ou de habilitação do condutor.

As multas para essas situações, contudo, estão mantidas.

Outros pontos

Veja outros pontos do projeto:

  • Reprovação de exame: o projeto revoga dispositivo do Código de Trânsito que determinava que o exame escrito sobre legislação de trânsito ou de direção veicular só poderia ser refeito 15 dias depois da divulgação do resultado, em caso de reprovação;
  • Faróis: o texto determina a obrigatoriedade de manter os faróis acesos durante o dia, em túneis e sob chuva, neblina ou cerração, e à noite. A proposta, contudo, flexibiliza a obrigatoriedade dos faróis nas rodovias, previstas atualmente em lei – pela proposta, a obrigatoriedade é apenas para veículos que não tenham luzes de rodagem diurna em rodovias de pista simples;
  • Capacete sem viseira: a proposta altera trecho do Código de Trânsito que trata da obrigatoriedade do uso do capacete, retirando a menção sobre a viseira – o que, atualmente, é considerado infração gravíssima. O não uso viseira no capacete ou do óculos de proteção ganhou um artigo separado na lei, tornando-se infração média;
  • Aulas à noite: o projeto também retira a obrigatoriedade de que parte das aulas de direção sejam feitas à noite;
  • Policiais legislativos: o texto prevê que os policiais legislativos da Câmara dos Deputados e do Senado, mediante convênio com o órgão ou entidade de trânsito local, poderão autuar os motoristas em caso de infração cometida nas adjacências do Congresso Nacional quando estiverem comprometendo os serviços ou colocando em risco a segurança das pessoas ou o patrimônio do Legislativo. Os autos de infração serão encaminhadas ao órgão competente.

 

G1