Arquivo da tag: montar

Brasil Afora: presidente mulher quer montar time 100% feito no Estado da Paraíba

Um novato quer se juntar aos tradicionais Campinense e Treze como representantes de Campina Grande na elite do futebol paraibano. Trata-se do Sport Clube Campina Grande, fundado em 2007 e que agora vai, de forma inédita, participar do Campeonato Paraibano da Segunda Divisão – a primeira competição profissional de sua história. E além de ser uma das agremiações profissionais do estado pioneiras na presença de uma mulher como presidente (a radialista Khézia Suille), o clube promete conseguir o acesso com um projeto inovador, em que prioriza o produto da casa em praticamente todas as esferas. Para começar, o treinador Adeílson Marinho nunca atuou como técnico profissional. Foi escolhido justamente por ser uma novidade no cenário futebolístico paraibano, e sua missão é montar um time exclusivamente com jogadores da região metropolitana de Campina Grande. E jovens, para dar oportunidade aos novos valores. Segundo a presidente, essa “responsabilidade social” é um dos aspectos importantes que diferenciam o Sport Campina das demais equipes do Brasil.

– Nós tomamos essa iniciativa de contratar apenas jogadores da região para tentar dar uma chance aos valores da terra. Existem atletas muito bons que acabam não tendo oportunidade de atuar em equipes mais tradicionais, como Treze, Campinense e Botafogo-PB. Nós vimos aí uma chance para poder montar o nosso grupo e, quem sabe, assim revelar bons nomes para o futebol nordestino e nacional – explicou. Com todo esse apelo regional, o clube se voltou para a origem campinense em todos os detalhes. As cores, verde, amarelo e branco, são as mesmas da bandeira de Campina Grande. O mascote é um carneiro, animal típico do interior da Paraíba.

Futebol de salto e de iniciantes

A radialista Khézia Suille está no comando do Sport Campina desde sua fundação. Dizendo-se inspirada em outras mulheres, como a presidente do Flamengo, Patrícia Amorim, que também aceitou o desafio de adentrar em um universo dominado pelos homens, Khésia lembrou ter enfrentado um começo de trabalho bastante difícil. Mas conseguiu conquistar a confiança dos atletas. – Tinha no começo um certo preconceito, sim. Algumas pessoas têm esse pensamento de que mulher não entende de futebol. E eu acabei tendo de provar que conhecia o esporte e tinha condições de assumir o cargo. Além disso, tive uma ajuda muito importante do restante da equipe administrativa. Hoje em dia, posso afirmar que os jogadores aceitam bem o meu comando – comentou a mandatária do Sport Campina. O comando técnico fica com Adeílson Marinho, que já foi jogador das categorias de base do Campinense, mas nunca jogou nem foi técnico como profissional. Mesmo assim, acredita que pode conseguir um bom resultado em seu ano de estreia. – Já tinha trabalhado com algumas equipes amadoras, mas o que percebi ao chegar ao Sport foi uma mudança muito grande, um aumento na disciplina e um esquema de treinamento realmente profissional. Essa Segunda Divisão vai ser um desafio importante, mas a diretoria mostrou que confia no nosso trabalho. A equipe vai entrar disposta a buscar o acesso para a Primeira Divisão do Paraibano de 2013 – comentou o treinador.

Força do carneiro

Um animal típico do Nordeste, conhecido por enfrentar e sobreviver às adversidades do clima da região, foi o escolhido para ser o mascote do mais novo time paraibano. O carneiro, famoso por suportar longos períodos de seca e falta de alimentos no semiárido nordestino, surgiu como uma sugestão da própria presidente e logo ganhou força entre os demais dirigentes. – Na verdade, o nome da equipe e também a escolha do mascote surgiram de uma conversa bem informal que tivemos quando fomos criar o Sport. Eu dei a ideia do carneiro porque é um animal forte, bastante resistente e característico aqui da nossa região. Além de ser um símbolo de força, estamos fazendo uma homenagem ao Nordeste – disse Khézia Suille. Sport Campina tem como mascote um carneiro, animal típico da região (Foto: Silas Batista) Ainda sem ter um centro próprio de treinamentos, a equipe faz sua preparação para os jogos no campo do Sindicato dos Advogados de Campina Grande, três vezes por semana. Atualmente, 33 atletas, das categorias sub-15 até o profissional, estão trabalhando no Sport. Com toda a documentação já aprovada, a equipe aguarda apenas a homologação da FPF para conhecer seus adversários na competição estadual.

Globoesporte.com