Arquivo da tag: Marinho Mendes

Cláudio Lima diz que Marinho Mendes vai ser convocado para depor sobre o caso Rebeca

claudio-limaO secretário de Segurança da Paraíba, Cláudio Lima, comentou em entrevista ao programa Rádio Verdade da Arapuan FM, nesta sexta-feira (15), que o promotor de Justiça, Marinho Mendes será convocado para depor, após ter ventilado na imprensa o nome do suposto assassino da jovem Rebecca, em 2011.

Para Lima, se Mendes sabe quem fez isso e ele é membro de uma instituição que tem poder de ação penal e dois promotores, ele não precisa nem de inquérito para denunciar e questiona: “Essa informação é ética com os demais procuradores que estão trabalhando? O Dr. Marinho Mendes é vice presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos e se essa pessoa que ele acusa não for ela? E se for ela por que não indicou para seus pares? Se a polícia soubesse já teria terminado esse caso”, destaca.

“Acompanho o trabalho de perto e não falo nada porque estaria traindo a investigação do delegado, mas se o doutor Marinho Mendes sabe é bom que ele leve ao MP, inclusive o delegado vai chamá-lo, porque se ele sabe, então é testemunha e vai ser intimado”, afirmou lembrando ainda que o rapaz que Mendes está acusando já entrou com representação contra ele na corregedoria e na Justiça”, garante.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Mudanças de delegado – o caso Rebecca levantou suspeitas devido ao grande número de delegados à frente. Lima afirmou que até agora foram cinco, mas justificou que o primeiro entrou de férias prolongadas por uma licença e para não deixar o trabalho parado mudou-se o delegado, os demais saíram por licença médica, porém garantiu que o trabalho não precisa ser feito do zero, pois é acompanhado pelo Ministério Público.

O secretário afirmou que espera um desfecho para as investigações e que não pode adiantar dados, pois correm em segredo de justiça, porém acredita não há pessoas influentes envolvidas, não que ele saiba.

Marília Domingues

Luiz Couto e Marinho Mendes revelam dados alarmantes sobre o tráfico de pessoas

 

O deputado federal Luiz Couto (PT) e o promotor de justiça Marinho Mendes Machado fizeram revelações alarmantes sobre a prática do tráfico humano no Brasil e na Paraíba. As informações foram levadas a público quarta-feira (5), pela manhã, em entrevista a um programa da rádio CBN (João Pessoa), apresentado por Edileide Vilar e Verônica Guerra
Luiz Couto contou, entre outras coisas, que o tráfico de pessoas ocorre para o exterior e também dentro do país. Citou como exemplo a existência de adoção ilegal por meio de uma ONG com escritório nos EUA, Canadá e São Paulo.
O parlamentar esclareceu que crianças, jogadores e índios são traficados, escravizados e explorados sexualmente, ou até mesmo preparados para efetuar o tráfico. “Elas podem, inclusive, ter seus órgãos vendidos”.
Couto disse haver cerca de sete mil pessoas traficadas na Paraíba e que as maiores vítimas são primeiro as mulheres, segundo os homens e terceiro as crianças.
Ratificando o que foi dito pelo deputado, Marinho Mendes informou que aproximadamente 100 rapazes foram traficados na Região do Brejo. Segundo ele, são menores de idade e alguns deixaram seus documentos em casa, “o que significa que tiraram outros documentos com idade alterada para a maioridade e assim poder viajar”.
Depois de assegurar que os governos estaduais não têm política de proteção às pessoas, o promotor lembrou que governo federal dispõe do Projeto de Proteção dos Jovens em Território Vulnerável (Protejo), que presta assistência a jovens adolescentes expostos à violência doméstica ou urbana ou que vivam nas ruas, por meio de programas de formação e inclusão social. “É um excelente projeto para combater esses crimes”, garantiu.
Papa Francisco
Luiz Couto emitiu, ainda, opinião com relação a algumas frases ditas pelo Papa Francisco como “Deus não é católico”; “no inferno não há fogo”; “Adão e Eva não são reais”; “A internet é dom de Deus”. O deputado sugeriu que deveria ser convocado um Novo Concílio Vaticano.
Ascom do Dep. Luiz Couto

Marinho Mendes: militantes dos direitos humanos na PB não mentem, o governo sim senhor!

 

promotor-Marinho-MendesLamentável atraso de algumas pessoas que atuam na mídia, tem fornecido indiscutível desserviço à causa dos Direitos Humanos no Estado da Paraíba, uma vez que, enquanto Roberto Caldas, juiz brasileiro da Corte Interamericana de Direitos humanos e Paulo Vannuchi, eleito para compor a Comissão Interamericana de Direitos Humanos, sonham na disseminação do conhecimento acerca da matéria, inclusive trazendo ao conhecimento dos brasileiros os diretos inscritos na Convenção Americana dos Direitos Humanos e no Pacto de São José da Costa Rica, para que todos tenham ciência dos seus direitos individuais, civis e sociais, mediante a instrumentalização e utilização desses militantes como multiplicadores, para que as desigualdades sociais sejam denunciadas, debatidas, encaminhadas e resolvidas, infelizmente, os meios de comunicação no Estado, salvo honrosas, raras e corajosas exceções, teimam em tentar desacreditar, desmoralizar, desqualificar esses valentes guerreiros de uma causa difícil, que é a defesa dos sem nada, dos que não possuem o devido acato ás suas dignidades de seres humanos, os quais, infelizmente, de forma equivocada, preconceituosa, sem nenhum conhecimento da causa, abrem seus vozeirões exclamando, que “direitos humanos são direitos de bandidos”.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Tem deles que agridem os militantes de direitos humanos por pura ignorância, por irresponsabilidade de proprietários de meios de comunicação, que de olho apenas no lucro ganancioso, sacodem microfones nas mãos desses homenzinhos sem conhecimento, para darem espetáculos tristes de violação aos mais básicos direitos do ser humano e expor a Paraíba ao ridículo, e muitos deles, por serem originários da massa famélica e excluída, são os piores opressores, inquisidores, acusadores debochados e julgadores impiedosos daqueles que tiverem a desdita de caírem em frente ás suas câmeras e dos seus inqualificáveis microfones.

Não mentimos, quando verberamos que nos ergástulos públicos paraibanos existem torturas, isto é verdade incontroversa, mas o que é mentira mesmo e isto pessoas submissas, muitas delas com cargos de confiança e outras pagas pela SECOM não dizem e não dirão jamais, é que as apurações governamentais  são engodos, falácias, ou como dizem os mais novos “ENROLECHAN”, já que as comissões escaladas para “apurar” as denúncias não possuem independência, são submissas, e o pior de tudo, algumas delas presididas por pessoas que de forma despudoradas assumem a defesa dos suspeitos, dos investigados e do próprio governo e dos secretários das pastas, de forma que indagamos: quem mente, quem tem coragem de levar a público as sevícias ou quem se utiliza de servidores sem independência, sem liberdade, sem autonomia para investigar e dizer que nada aconteceu, quem mente?

Existe uma Secretaria de Comunicações – SECOM, poderosa, com orçamento milionário para cooptar os meios de comunicação e não deixarem que eles vazem uma só vírgula dos movimentos dos direitos humanos , para que não forneçam nem um milésimo de segundo em suas grades de programação, ou seja, a SECOM asfixiou os movimentos, a mídia só publica o que interessa e promove o governo, aliás, o chefe do governo aí posto, então quem mente senhoras, quem mente senhores?

Afora dois ou três colunistas, corajosos, destemidos, audaciosos, que ecoam as verdades que esse povo diz ser mentira, inveja, parcialidade, o grosso de toda a mídia encontra-se amordaçada e servindo de instrumento para tentar desmoralizar essas mulheres e esses homens valentes, que entregam as suas vidas todos os dias a esta causa, sem ganhar nada, na defesa dos direitos humanos, na defesa do direito de expressão, do direito à moradia, à segurança, à saúde, à educação, à segurança, da mobilidade, do fim da tortura nas enxovias, que não mentem, mas o governo que usa de toda a parafernália midiática mente sim senhor e o pior, transforma servidores de boa índole em infelizes capachos defensores de uma causa abjeta e vergonhosa.

De forma que não acreditamos em nenhuma apuração levada a termo pelo Estado e nem nos interessa mais suas apurações, pois já sabemos: NÃO VAI DAR EM NADA MESMO e quando dar (o caso da comissão que apurou as prisões dos conselheiros) são devidamente engavetadas, então quem mente mesmo senhor? Não queremos e nem toleramos mais seus fingimentos, ou melhor, fingir que apura, fingir que faz segurança, fingir que respeita os direitos Humanos, quando alguém graduado de Brasília baixa por essas bandas e avisamos, vamos à COMISSÃO INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS.

 

 

Marinho Mendes – promotor de justiça

Couto elogia ouvidor do TJ e atuações de Marinho Mendes e Eduardo Varandas

 

luiz coutoO deputado Luiz Couto (PT-PB) parabenizou na segunda-feira (25/2), da tribuna da Câmara Federal, o desembargador Frederico Martinho da Nóbrega Coutinho pela eleição e posse como o primeiro ouvidor do Tribunal de Justiça da Paraíba.

“O que nos anima não é só a criação e instalação dessa ouvidoria, mas, principalmente, o fato de a escolha do primeiro ouvidor ter recaído nesse desembargador que, a exemplo de seu pai, Júlio Aurélio Coutinho, desembargador aposentado, tem a vida marcada pela sensibilidade e respeito com a causa da população pobre”, destacou.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Na quarta (27/2) foi à vez de Luiz Couto elogiar, da mesma tribuna, o promotor de justiça Marinho Mendes Machado e o procurador do trabalho Eduardo Varandas. “Felicito Marinho Mendes, que luta para investigar o crime organizado, o tráfico de pessoas e a exploração sexual, e Eduardo Varandas, que também vem enfrentando essas organizações criminosas”.

Numa clara referência aos membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Tráfico de Pessoas, da qual é vice-presidente, Couto disse ter a certeza de que “quando estivermos na Paraíba, numa audiência pública da CPI, ouviremos e reconheceremos o trabalho feito por Marinho Mendes e Eduardo Varandas.




Ascom Dep. Luiz Couto