Arquivo da tag: Londres

Brasil passa Londres 2012 em número de medalhas e fica perto de recorde

(Foto: Daniel Zappe/MPIX/CPB)
(Foto: Daniel Zappe/MPIX/CPB)

Com o bronze de Verônica Hipólito nesta quarta-feira, o Brasil chegou a 44 medalhas e superou a marca obtida na edição anterior das Paralimpíadas, realizada em Londres, em 2012. Restando quatro dias para o fim dos Jogos Paralímpicos do Rio, o país está a quatro pódios de bater o recorde de medalhas em uma mesma edição, de 47, conquistadas em Pequim 2008. Atletismo e natação seguem como os carros-chefes da equipe brasileira. Juntas, as duas modalidades somam 35 medalhas. O nadador Daniel Dias é o atleta com a maior contribuição: ao todo, já conquistou cinco medalhas, duas de ouro, duas de prata e uma de bronze. As competições terminam no próximo domingo, dia 18 de setembro.

Se for levada em consideração a classificação pelo número de ouros, no entanto, a campanha deste ano ainda é inferior à de Londres 2012. Atualmente, o Brasil possui 10 ouros, 21 pratas e 13 bronzes. Naquela ocasião, das 43 medalhas do país, 21 foram de ouro, atual recorde. Em Pequim 2008 foram 47 medalhas: 16 de ouro, 14 de prata, 17 de bronze.

Daniel Dias ouro (Foto: Reuters)Descrição da imagem: Daniel Dias exibe uma das cinco medalhas que já conquistou na Rio 2016 (Foto: Reuters)

Foi em Londres 2012 também a melhor classificação final do Brasil em uma Paralimpíada, o 7º lugar geral. Marca que pode ser batida em 2016. Apesar da menor quantidade de ouros até o momento, o país ocupa atualmente a 5ª colocação no ranking. Esta posição é justamente a meta do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), objetivo considerado ousado, mas factível. O Brasil conta na Rio 2016 com a maior delegação de sua história, 288 atletas. As quatro primeiras colocadas são as superpotências paralímpicas China, Grã-Bretanha, Ucrânia e Estados Unidos, delegações que haviam terminado à frente do Brasil em 2012. Na ocasião, o país também ficou atrás de Rússia e Austrália. Em 2016, no entanto a delegação russa foi proibida de participar da Paralímpiada em razão do escândalo de doping que também tirou diversos atletas das Olimpíadas do Rio, o que favorece a busca da meta do CPB. A Austrália, por sua vez, encontra-se em sexto lugar e é a principal ameaça à quinta colocação brasileira.
Petrucio Ferreira ouro 100m T47 paralimpíada rio 2016 atletismo (Foto: Reuters)Descrição da imagem: Petrucio Ferreira comemora ouro. Atletismo é maior fonte de medalhas para o país (Foto: Reuters)

Nos Jogos Olímpicos, disputados em agosto, a delegação brasileira também bateu o recorde de medalhas. Foram sete de ouro, seis de prata e seis de bronze, totalizando 19 pódios. A marca anterior era de 17 medalhas, em Londres 2012. A meta estabelecida pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), de terminar a Rio 2016 entre os 10 países com o maior número de medalhas, no entanto, não foi alcançada. O país terminou na 13ª colocação.

Campanha do Brasil em edições da Paralimpíada (Foto: GloboEsporte.com)
globoesporte

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Vem aí a Olimpíada de 2016… Em Londres, mais uma vez

encerramento-olimpiadas-londresOlimpíada de Londres-2012 foi considerada a melhor da história dos Jogos – e a capital britânica tem uma chance de repetir a dose em 2016. Tudo graças aos atrasos cada vez mais preocupantes nos preparativos do Rio de Janeiro, que têm deixado os integrantes do Comitê Olímpico Internacional (COI) em desespero. De acordo com reportagem publicada nesta sexta-feira pelo jornalLondon Evening Standard, as autoridades britânicas foram consultadas por integrantes da cúpula do COI sobre a possibilidade de Londres receber o evento de forma emergencial caso os brasileiros fracassem em seu projeto olímpico. Uma porta-voz do COI desmentiu a informação, dizendo que seria impossível repetir os Jogos em Londres.

 

O diário londrino insiste, porém, que houve uma consulta sigilosa para descobrir se as instalações olímpicas de 2012 poderiam ser reativadas (e quanto tempo isso levaria). Muitas delas já foram transformadas – o próprio Parque Olímpico foi fechado e passou por uma enorme transformação para servir à população.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

 

Depois de ter seus preparativos classificados como “os piores da história olímpica” por John Coates, vice-presidente do COI, o Rio de Janeiro continua sendo alvo dos dirigentes, mesmo com o discurso mais diplomático do presidente do comitê, Thomas Bach, que garante que não há plano B e que o Brasil é capaz de compensar os atrasos. A fonte ouvida pelo Standardafirmou que a situação do Rio é desesperadora na comparação com as sedes anteriores dos Jogos. “Num estágio similar, Atenas tinha concluído 40% dos trabalhos em infraestrutura e locais de competição. Londres tinha completado 60% O Rio só fez 10%, e agora só faltam dois anos. Então o COI está pensando: ‘Qual é o plano B?’ Obviamente, a resposta seria voltar a Londres.” A fonte, que não foi identificada, disse que a repetição dos Jogos na Grã-Bretanha é “muito improvável” no momento, pois o COI insistirá em fazer o Rio funcionar, mas seria “a coisa mais lógica a se fazer” caso não fosse possível salvar a Olimpíada brasileira.

Não seria a primeira vez que Londres se mobilizaria para salvar, de última hora, uma edição dos Jogos Olímpicos. A edição de 1908 estava marcada para Roma, mas uma erupção do Vesúvio provocou danos e prejuízos graves, deixando os italianos em situação delicada. Pouco mais de um século depois, os britânicos poderão ser acionados mais uma vez – mas sem tragédia provocada por um vulcão, só muita desorganização e muitos equívocos. A segunda edição dos Jogos em Londres também aconteceu sob circunstâncias muito inusitadas: a Olimpíada de 1948 foi realizada apenas três anos depois do fim da II Guerra Mundial, mas ainda assim foi um sucesso. Os britânicos, porém, não parecem muito animados com a possibilidade de repetir a experiência e encarar o desafio de “Londres-2016”. Como as instalações olímpicas já estão adaptadas ao uso do público, revertê-las para o modo de competição seria uma empreitada caríssima. Para completar, a Vila dos Atletas hoje é ocupada por moradores da cidade – os apartamentos foram vendidos.

VEJA

Desabamento de teto de teatro deixa feridos em Londres, diz polícia

Desabamento de teto de teatro deixa feridos em Londres (Foto: AP)
Desabamento de teto de teatro deixa feridos em Londres (Foto: AP)

Serviços de emergência foram chamados nesta quinta-feira (19) ao Teatro Apollo, em Londres, depois que pessoas ficaram feridas com o desabamento do teto.

“Estamos cientes de que há vítimas”, disse um porta-voz da polícia.

O acidente ocorreu por volta das 20h15 locais (18h15 no horário de Brasília). Um repórter da Reuters no local disse que os veículos de emergência haviam bloqueado a rua onde o teatro está localizado.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A polícia, os serviços de emergência e oito caminhões de bombeiros estão no local. “Acreditamos que há cerca de 30 pessoas feridas. Elas podem caminhar. Não temos ninguém hospitalizado até agora”, disse à AFP um porta-voz dos serviços de socorro.

A rede de TV BBC relata que há sete pessoas feridas gravemente, além de 81 com ferimentos leves. Já a Reuters diz que 65 pessoas ficaram feridas.

Uma testemunha disse à Sky Television que parte de uma frisa no auditório parecia ter desmoronado.

“Acho que a parte da frente da varanda caiu”, disse Martin Bostock à Sky, que estava na plateia. “Era difícil ver através da poeira”.

Segundo os bombeiros, uma frisa (balcão) teria desabado sobre os espectadores.

O teatro, que foi inaugurado em 1901, estava lotado – com cerca de 700 pessoas – no momento do acidente, que aconteceu durante a apresentação do espetáculo “The Curious Incident Of The Dog in the Night-time”.

Pânico
Testemunhas disseram à BBC que a casa estava cheia para a sessão desta quinta-feira.

“Toda cúpula do teatro desabou bem na nossa frente”, disse Amy Lecoz, que assistia à peça com seus dois filhos adolescentes. “Nós pensamos que era parte do show”, completou.

Lucy Atherton, que também estava na plateia, contou que, após o ocorrido, as pessoas começaram a gritar, em pânico. “Havia algumas crianças na plateia, também idosos”.

Pelo Twitter, outro espectador, Simon Usborne, relatou cenas de “caos” quando “o teto caiu sobre a plateia”.

“Eu estou bem, mas acho que há (pessoas) com ferimentos sérios”.

Mulher é atendida pelo serviço de emergência próximo ao Teatro Apollo, em Londres, depois do desabamento do teto. (Foto: Joel Ryan/Invision/AP)Mulher é atendida pelo serviço de emergência próximo ao Teatro Apollo, em Londres, depois do desabamento do teto. (Foto: Joel Ryan/Invision/AP)
Serviços de emergência foram chamados nesta quinta-feira (19) ao Teatro Apollo, em Londres, depois que pessoas ficaram feridas com o desabamento do teto. (Foto: Leon Neal/AFP)Serviços de emergência foram chamados nesta quinta-feira (19) ao Teatro Apollo, em Londres, depois que pessoas ficaram feridas com o desabamento do teto. (Foto: Leon Neal/AFP)
Teto de teatro desaba em Londres (Foto: AP)Teto de teatro desaba em Londres (Foto: AP)
G1

Fred salva a Seleção aos 44 e evita derrota contra a Rússia em Londres

brasilLuiz Felipe Scolari encontrou seu salvador na Seleção. Após marcar contra Inglaterra (derrota de 2 a 1) e Itália (empate de 2 a 2), Fred evitou novo fracasso do Brasil em Londres nesta segunda-feira ao balançar a rede aos 44 do minutos do segundo tempo: 1 a 1 com a Rússia, no estádio Stamford Bridge, a casa do Chelsea.

Este foi o último jogo com a Seleção completa, contando com “estrangeiros”, antes da convocação final da Copa das Confederações. O gol salvador marcado por Fred, no entanto, não apaga a péssima atuação do Brasil diante da Rússia, sensação das eliminatórias da Europa para a Copa do Mundo com 100% de aproveitamento.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Durante a maior parte do jogo, os russos foram superiores à seleção brasileira. Quando tinha bola, o time verde e amarelo quase não chutou a gol. Foram poucas as jogadas de perigo criadas pelos sul-americanos. Apesar do placar, talvez a partida desta segunda-feira tenha sido a pior sob o comando do novo técnico, que terá muito trabalho para montar o grupo para a Copa das Confederações.

Neymar, a principal esperança do Brasil para a Copa do Mundo de 2014, dessa vez não sofreu apenas com a antipatia já tradicional dos ingleses contra ele. Mas também dos brasileiros. Uma parte pequena da torcida verde e amarela chamou o atacante santista de pipoqueiro. Kaká, que tinha uma prova de fogo nesta noite, foi aplaudido e vaiado quando saiu. Hulk foi o melhor em campo do Brasil.

Antes de definir o grupo para a Copa das Confederações, a seleção brasileira tem apenas mais dois desafios. Ambos somente com jogadores que atuam no futebol nacional. No dia 6 de abril, o time encara a Bolívia, em Santa Cruz de la Sierra. E no dia 25 do mesmo mês, o desafio é com o Chile, no Mineirão, em Belo Horizonte.

Rússia joga melhor; Neymar é chamado de pipoqueiro

Se no empate por 2 a 2 com a Itália, na última quinta-feira, em Genebra, os 2 a 0 parciais do primeiro tempo apagaram o sufoco que a seleção brasileira passou, o 0 a 0 da etapa inicial do jogo contra a Rússia deixou ainda mais claro que Luiz Felipe Scolari terá muito trabalho para montar um time para a Copa do Mundo de 2014.

Invicta nas eliminatórias para o Mundial do Brasil, a Rússia engoliu a Seleção nos primeiros 15 minutos. Com uma chance atrás da outra, o time europeu fez os brasileiros baterem cabeça. A primeira oportunidade dos russos foi logo aos dois minutos, em falta cobrada por Ignashevich e defendida por Julio César.

Era só o começo da pressão. Depois, Kolorin chegou com perigo, assim como Kerzhakov e Gluschakov. Esse último só não abriu o placar para os russos porque Hernanes apareceu bem na hora para travar, aos 12 minutos. Quando tinha a posse de bola, a seleção brasileira desperdiçava com facilidade.

Sem explorar bem as laterais (Daniel Alves errou muito e Marcelo estava marcando mais do que atacando), as tentativas pelo meio foram todas frustrantes. Mais uma vez tímido, Neymar voltou a contar com a antipatia dos ingleses. Aos 16 minutos, o atacante do Santos foi vaiado por ter cometido uma falta.

A antipatia com Neymar, porém, não partiu apenas dos estrangeiros. Até brasileiros pegaram no pé do craque depois de duas chances desperdiçadas. Na primeira, aos 27, ele chutou para fora. E na segunda, aos 32, ele tentou firula e desperdiçou a jogada. Em ambas, alguns brasileiros gritaram: pipoqueiro.

Sem conseguir fazer o quarteto ofensivo (Kaká, Oscar, Neymar e Fred) jogador, a Seleção era presa fácil para os russos, que chegaram novamente com perigo aos 40 minutos, em chute de Fayzulin. Em resumo, a Rússia teve atuação melhor, principalmente por ter criado chances muito mais reais que as do Brasil.

Fred salva a Seleção nos minutos finais

Felipão deu mais um voto de confiança para o time que iniciou a partida e a seleção brasileira voltou para o segundo tempo sem alterações. Assim como a Rússia. O Brasil, no entanto, continuava com os mesmos problemas. Kaká e Oscar não conseguiam criar. Neymar e Fred apareciam pouco. E os erros persistiam.

As trocas de passes dos brasileiros pareciam inseguras. Sem convicção. Bem diferente dos russos, que quando tinham a bola conseguiam chegar rapidamente ao ataque. Mesmo que sem finalizar. Diante da dificuldade brasileira, Kaká resolveu acelerar o jogo. Mas o meia do Real Madrid não conseguia fazer a bola girar.

Faltava ao Brasil arriscar mais. Chutar mais. Felipão, no primeiro tempo, já havia cobrado mais finalizações. Mas a Seleção persistia no erro de tentar chegar mais perto do gol. Aos dez minutos, Kaká fez ótima jogada pelo meio e tabelou com Fred. Mas foi facilmente interceptado antes da conclusão.

Aos 13 minutos, o Brasil teve uma rara chance em cobrança de falta. Bem perigosa. Mas David Luiz acertou na barreira. E no rebote, mandou na zaga. O segundo bom chute da Seleção no jogo veio só aos 19 minutos. De perna direita, o lateral-esquerdo Marcelo tentou. Mas Gabulov defendeu.

Felipão fez a primeira alteração aos 22 minutos, quando colocou Hulk no lugar de Oscar. Ao entrar em campo, o atacante do Zenit foi vaiado. Aos poucos, a seleção brasileira tentava criar mais jogadas, mas os erros de passe eram fatais. Sem conseguir criar perigo, nada mais natural do que levar sufoco. E gol!

Aos 27 minutos, a Seleção sofreu um bombardeio russo. Kerzhakov finalizou, e Hernanes salvou. Na sequência, Shirokov bateu e Fernando, em cima da linha, evitou o gol. Mas a finalização de Fayzulin ninguém parou. Em chute forte, o meio de campo russo colocou o time europeu em vantagem: 1 a 0.

Se já estava difícil com o 0 a 0, a situação do Brasil ficou ainda mais difícil. Aos 40, Hulk pedalou pela esquerda da área e foi derrubado por Eschenko, que levou amarelo, quase em cima da linha. Mas a cobrança de falta de Hernanes foi muito ruim, direto para o gol, e passou por cima.

O gol salvador saiu aos 44. Marcelo iniciou a jogada pela esquerda, tabelou com Hulk, entrou na área e rolou para Fred, que tocou de primeira sem defesa para Gabulov. Três gols do atacante do Fluminense em três jogos com Felipão, que agora tem dois empates e uma derrota no comando da Seleção após seu retorno.

BRASIL 1 X 1 RÚSSIA
Julio César, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Fernando, Hernanes, Oscar (Hulk) e Kaká (Diego Costa); Neymar e Fred. Gabulov; Anyukov (Dmitri Kombarov), V. Berezutsky, Iganashevich e Eschenko; Shirokov, Glushakov, Fayzulin, Bystrov (Oleg Shatov); Kerzhakov e Kokorin (Zhirkov, depois Maxim Grigoriev)
Técnico: Luiz Felipe Scolari Técnico: Fabio Capello
Gols: Fayzulin, aos 27 do segundo tempo; Fred, aos 44 do segundo tempo
Cartões amarelos: Hernanes (Brasil), Eschenko (Rússia)
Local: Estádio Stamford Bridge, Londres. Público: 35.206 pessoas. Data: 25/3/2013.
Árbitro: Howard Webb (ING). Auxiliares: Darren Cann e Peter Kirkup (ING)

 

Globoesporte.com

Prefeitura de Campina homenageia goleiro Tri-Campeão Paraolímpico em Londres

 

 

Na manhã desta sexta-feira (14), o Secretário de Esportes, Juventude e Lazer, Eduardo Galdino, recebeu no gabinete da SEJEL, o atleta Fábio Luiz, que recentemente conquistou o tri-campeonato paraolímpico em Londres, com a Seleção Brasileira de Futebol de 5 (deficientes visuais). Ele foi homenageado com um troféu pela secretaria, por tudo o que vem fazendo pela Seleção Paraolímpica e por estar engrandecendo o nome de Campina Grande e da Paraíba por todo o planeta.

Fábio chegou da Inglaterra na última terça-feira, juntamente com toda delegação do Brasil, que mais uma vez fez história em nível mundial. Na primeira vez que o Futebol de 5 jogou uma Paraolimpíada, Fábio esteve por lá, foi em 2004 em Atenas na Grécia e sem levar nenhum gol, o Brasil foi o primeiro campeão em cima da Argentina.

Quatro anos depois veio a segunda conquista, em Pequim na China, onde Fábio tomou apenas dois gols, mesmo assim o Brasil levou o bicampeonato diante dos anfitriões. E na última terça, Fábio Luiz chegou em Campina Grande com o Tri na bagagem, conquistado em Londres recentemente. A Seleção Brasileira foi campeã de forma invicta e novamente o goleiro de Campina Grande não tomou sequer um gol.

O primeiro jogo foi um 0x0 com a França, depois os brasileiros golearam a Turquia por 4 a 0 e terminaram a primeira fase vencendo a China pelo placar magro de 1 x 0. Na semifinal, a Argentina pelo caminho e após um 0x0 no tempo normal, o Brasil venceu nos pênaltis por 1×0. A grande final foi diante da França e os brasileiros venceram pelo placar de 2×0. Os gols foram marcados por Bill e pelo francês Martin Baron, contra. Além de Fábio, a delegação brasileira também teve a presença de mais quatro paraibanos, sendo três deles titulares.

Fábio Luiz esteve na SEJEL com cinco medalhas de ouro. Três conquistadas em paraolimpíadas (2004, 2008 e 2012) e duas em jogos do Parapan, uma em 2007 no Rio de Janeiro e a segunda no ano passado em Guadalajara, no México.

Secom-PMCG para o Focando a Notícia

Dilma parabeniza atletas brasileiros em Londres: “são exemplos de garra e esforço”

(Foto: Roberto Stuckert Filho. Presidência)

A presidente Dilma Rousseff enviou neste domingo uma mensagem parabenizando os membros da delegação brasileira que competiu em Londres. Segundo ela, os atletas ajudaraão a construir exeplos de vida e perseverança”.

Em uma mensagem breve, Rousseff mandou “saudações especiais aos medalhistas de ouro Sara Menezes e Arthur Zanetti, com suas vitórias inéditas para o judô e a ginástica olímpica brasileiros”.

Na mensagem, a presidente Dilma ainda disse que, no dia do encerramento dos Jogos, seu parabéns vai para “todos os atletas que estão voltando ao Brasil com suas medalhas e a todos os demais que se esforçaram para superar seus limites e representar tão bem ao país”.

A presidente ainda afirmou que os atletas são “exemplos de garra, esforço e abnegação” para a toda a juventude brasileira.

O Brasil encerrou os Jogos Olímpicos de Londres na 22ª colocação no quadro de medalhas, com 17 medalhas: três de ouro, nove de pratas e 9 de bronze. Feito que o governo pretende melhorar para os Jogos de 2016, no Rio de Janeiro.

UOL

Com ajuda da arbitragem Brasil, vira contra Honduras e vai à semifinal em Londres

(Foto: Agência EFE)

A seleção brasileira precisou de 60 minutos para ficar na frente de Honduras no placar. E olha que, a partir dos 33min, o adversário teve um atleta expulso. Apesar do sufoco, a equipe de Mano Menezes ganhou de virada, 3 a 2, e garantiu vaga na semifinal dos Jogos Olímpicos, evitando um fiasco histórico e uma crise. O rival de terça-feira (07/08) sairá do duelo entre Reino Unido e Coreia do Sul. Quem fez a diferença neste sábado (04/08), em Newcastle, foi Leandro Damião, que marcou dois gols, um deles inusitado, dando um carrinho para roubar a bola do zagueiro quando o gol estava vazio. No outro, girou bem na área e bateu no canto. O centroavante do Internacional ainda sofreu um pênalti, convertido por Neymar.

O astro santista voltou a ser vaiado pelos torcedores ingleses pelas frequentes quedas ao chão, mas teve papel importante no triunfo, sofrendo a falta que culminou com a expulsão de Crisanto e iniciando as jogadas dos dois gols de Damião.

A partida deu indícios de que seria complicada logo aos 12 min. A estratégia da seleção central-americana de marcar no campo de ataque deu certo, provocando erros de passes na saída de bola do Brasil. Após um vacilo de Thiago Silva, Espinoza, o melhor jogador hondurenho, driblou dois pela esquerda e rolou para a entrada da área. A bola sobrou no alto para Martinez, que bateu de primeira e anotou um belo gol.

O Brasil ficou nervoso. O lateral direito Rafael e os volantes Sandro e Rômulo estavam muito mal em campo, errando demais. Mano Menezes, claramente insatisfeito, mandou os reservas para o aquecimento.

Seleção que mais levou cartão amarelo na primeira fase, Honduras começou a abusar das faltas. Num intervalo inferior a um minuto, Crisanto bateu em Hulk e Neymar, levou dois amarelos e acabou expulso.

Com um a menos em campo, os hondurenhos deixaram Bengtson isolado na frente e recuaram. Aos 37min, Hulk recebeu de Neymar, superou a marcação e bateu a rasteiro, cruzado. O zagueiro Velasquez demorou para tirar, quase em cima da linha do gol, Leandro Damião deu um carrinho e igualou o placar.

Logo aos 2min do segundo tempo, Juan falhou duas vezes. Deixou a bola quicar e não conseguiu afastá-la de cabeça no meio-campo, armando um contra-ataque hondurenho. Espinoza recebeu pela direita, passou fácil pela marcação do próprio Juan e bateu colocado, no canto, para fazer 2 a 1.

O Brasil respondeu rapidamente. Leandro Damião caiu na área após passar por Velasquez e o árbitro assinalou pênalti. Neymar bateu com categoria, sem chances de defesa, e empatou.

Aos 14min, Neymar fez a assistência, Leandro Damião girou para cima do zagueiro na área e bateu na saída do goleiro para virar o placar: 3 a 2

Depois foi só administrar a vantagem. Os representantes da América Central tentaram empatar em chutes de longe ou cruzamentos na área, mas o goleiro Gabriel não permitiu. Roger Espinoza, que fez a festa na zaga brasileira, ainda foi expulso aos 45min.

Globoesporte.com

Londres, dia 5: uma questão de copo metade cheio ou metade vazio

Coreanas comemoram, brasileiras lamentam: nova derrota do Brasil (Foto: Agência Reuters)

Hardy chega a irritar de tão pessimista. É aquela hiena do desenho animado Lippy e Hardy que fica sempre vaticinando que tudo há de dar errado. “Oh, céus, oh, vida, oh, azar”, diz ela o tempo todo. Fosse brasileira, ela terminaria esta quarta-feira lembrando que Tiago Camilo não ganhou medalha no judô, que Cesar Cielo não passou do sexto lugar nos 100m livre, que a seleção feminina de basquete perdeu mais uma, que as meninas do vôlei foram atropeladas pela Coreia do Sul. Pior: em mais um dia sem medalhas em Londres, avisaria: “E se Neymar for atropelado por um daqueles ônibus vermelhos? E se Cielo escorregar na beira da piscina na hora de largar pros 50m? E se Maurren Maggi tropeçar em um buraco quando for saltar?”. É uma pessimista incorrigível a hiena.

Pollyanna chega a irritar de tão otimista. É aquela personagem de um famoso livro infanto-juvenil (chamado justamente “Pollyanna”), escrito pela americana Eleanor H. Porter, que sempre vê o lado bom das coisas. Órfã, a menina brinca do chamado “jogo do contente”, ensinada por seu pai. A ideia consiste em sempre buscar, por pior que seja a situação, uma perspectiva positiva. Fosse brasileira, ela fecharia esta quarta-feira observando que a seleção masculina de futebol venceu, que as duplas de vôlei de praia seguem fortes, que o boxeador Robenílson Vieira de Jesus está a uma vitória do pódio. Questionada sobre os quatro dias seguidos sem medalhas, ela lembraria que muito está por vir, que temos Neymar, Cielo e Maurren, que ainda ouviremos muito o hino nacional.

Leandro Damião marca gol do Brasil contra a Nova Zelândia (Foto: Reuters)Leandro Damião completa para o gol na vitória de 3 a 0 sobre a Nova Zelândia (Foto: Reuters)

No quinto dia de competições em Londres, o desempenho brasileiro coloca em discussão aquele velho papo do ponto de vista, do copo metade cheio ou metade vazio. Por exemplo: Sergio Sasaki. De duas, uma: ou o vemos como não mais do que o décimo colocado no individual geral de ginástica artística, ou o vemos como o primeiro brasileiro a chegar a uma final olímpica na disputa. É uma questão de ser Hardy ou ser Pollyanna, afinal.

Entre otimistas e pessimistas, o fato é que a delegação verde-amarela segue restrita às três medalhas conquistadas na sexta-feira. Com isso, caiu um pouco mais no quadro geral de conquistas. Está em 17º.

Copo metade cheio

Três jogos, três vitórias, três gols em cada um deles. A seleção brasileira encerrou bem sua participação na primeira fase do torneio masculino de futebol. Nesta quarta-feira, venceu a Nova Zelândia por 3 a 0, em jogo muito tranquilo. Danilo, Leandro Damião e Sandro fizeram os gols do duelo. As notas negativas foram a expulsão de Alex Sandro e o gol vivo desperdiçado por Neymar. Ele recebeu de Marcelo na área, livre, e mandou por cima. Depois da partida, o atacante disse que foi o gol mais perdido da carreira dele. Nas quartas de final, o adversário brasileiro será Honduras – sábado, em Newcastle.

O handebol também anima. A seleção feminina disputou sua terceira partida e alcançou sua terceira vitória na competição. Desta vez, a vítima foi a Grã-Bretanha, por 30 a 17. O Brasil, com duas rodadas de antecedência, está garantido nas quartas de final. Floresce a confiança por medalhas.

E o mesmo vale, em grau ainda maior, para o vôlei de praia. Juliana e Larissa seguem sem perder um set sequer nas Olimpíadas de Londres. Desta vez, fizeram 2 sets a 0 (21/12 e 21/18) sobre as tchecas Klapalova e Hajeckova. Ricardo e Pedro Cunha também mantiveram os 100% de aproveitamento ao bater Binstock e Reader, do Canadá, por 2 a 0 (21/18 e 24/22).

No boxe, Robenílson Vieira de Jesus também fez bonito. Venceu Sergey Vodopiyanov, da Rússia, e avançou às quartas de final entre os pesos-galos (até 56kg). O triunfo foi por 13 a 11. O brasileiro está a uma vitória do pódio. Ele volta ao ringue no domingo, contra o cubano Lázaro Alvarez.

Robenilson Vieira na luta de boxe em Londres contra o russo Sergey Vodopiyanov (Foto: Reuters)Robenilson Vieira vence o russo Sergey Vodopiyanov: a uma luta do pódio (Foto: Reuters)

Na natação, a boa notícia foi a classificação de Thiago Pereira para a final dos 200m medley. Ele já garantiu a prata nos 400m da categoria. Agora, encara gigantes como Michael Phelps e Ryan Lochte em busca de outro ouro.

O tênis brasileiro também teve uma vitória expressiva. Bruno Soares e Marcelo Melo completaram a partida iniciada na terça-feira e bateram os tchecos Berdych e Stepanek por 2 sets a 1, parciais de 1/6, 6/4 e 24/22. O encontro entre as duplas teve 4h21m de duração.

Copo metade vazio

Foi uma pancada. A seleção feminina de vôlei fez quase nada em quadra e acabou engolida pela Coreia do Sul: 3 sets a 0, parciais de 25/23, 25/21 e 25/21. As atuais campeãs olímpicas perderam os dois últimos jogos que disputaram. Correm sério risco de sequer avançar para a próxima fase.

E o basquete feminino segue decepcionando. Desta vez, perdeu para a Austrália por 67 a 61. Foi a terceira derrota em três jogos. A classificação para a próxima fase está seriamente ameaçada. Não por acaso, as atletas caíram no choro depois de mais um insucesso. É preciso vencer Canadá e Grã-Bretanha para se classificar e possivelmente pegar os Estados Unidos nas quartas de final. É a crônica de uma morte anunciada.

basquete brasil choro derrota austrália Londres 2012 (Foto: Agência Reuters)Brasileiras choram após derrota para a Austrália no basquete (Foto: Agência Reuters)

No judô, Tiago Camilo foi longe, mas não o bastante para chegar ao pódio. Ele terminou em quarto na categoria médio. Perdeu nas semifinais para o sul-coreano Song Dae-Nam e depois foi derrotado na disputa do bronze pelo grego Ilias Iliadis. Maria Portela, também da categoria médio, caiu já na primeira luta – levou wazari e ippon da colombiana Yuri Alvear.

Cesar Cielo, Londres 2012 (Foto: Agência EFE)Cesar Cielo não consegue medalha nos 100m
livre (Foto: Agência EFE)

A natação deixou o gosto de medalha nos brasileiros, mas Cesar Cielo não conseguiu ficar entre os três melhores na final dos 100m livre. Viu o americano Nathan Adrian vencer a prova, com o australiano James Magnussen em segundo e o canadense Brent Hayden em terceiro. Cielo virou na liderança nos primeiros 50m, mas não conseguiu manter o ritmo.

Outros três brasileiros foram eliminados precocemente nas piscinas. Leonardo de Deus caiu nas semifinais dos 200m costas, Daynara de Paula parou na primeira fase dos 100m borboleta e Henrique Rodrigues não conseguiu vaga na final dos 200m medley.

Na vela, em dia sem regata para Robert Scheidt e Bruno Prada, os brasileiros foram discretos. Ricardo Winicki, o Bimba, não manteve o ritmo da primeira prova do dia e terminou as disputas desta quarta na 12ª colocação geral, com 52 pontos perdidos. Bruno Fontes, na classe Star, teve um décimo e um 27º lugares e caiu dois postos na classificação – é o 13º agora. Adriana Kostiw manteve 21º lugar na Radial, e Patrícia Freitas é a 13ª na RS-X.

Uma questão de espírito esportivo

Árbitro conversa com Xiaoli/Yang, da China, e Jung/Kim, da Coreia do Sul, no badminton (Foto: Reuters)Duplas de China e Coreia do Sul estão entre as
eliminadas (Foto: Reuters)

A falta de espírito esportivo fez quatro duplas de badminton serem afastadas dos Jogos Olímpicos nesta quarta-feira. As chinesas Wang Xiaoli e Yu Yang, as indonésias Greysia Polii e Meiliana Jauhari, e as sul-coreanas Jung Kyung-eun, Kim Ha-na, Ha Jung-eun e Kim Min Jung foram acusadas de fazer corpo mole para perder suas partidas e, assim, ter um caminho mais fácil nas fases seguintes. A repercussão foi muito negativa, e a Federação Internacional de Badminton decidiu punir as atletas.

Decisão oposta acontece na esgrima. Dirigentes da federação que comanda o esporte querem entregar uma medalha especial à sul-coreana Shin A Lam, que na segunda-feira causou comoção ao cair no choro depois de se sentir injustiçada por uma decisão da arbitragem. Ela esperou sentada, durante uma hora, o parecer sobre a apelação de seu treinador contra o resultado da semifinal diante da alemã Britta Heidemann. Mas ficou sem a vaga mesmo assim. E já avisou: não quer saber de medalha como homenagem.

Shin A Lam lamenta derrota na esgrima (Foto: AFP)

Para os donos da casa, o dia foi especial. O ciclista Bradley Wiggins alcançou o posto de britânico com mais medalhas na história das Olimpíadas ao conquistar o ouro na prova do contrarrelógio em Londres. Com sete pódios nos Jogos, ele superou o remador Steve Redgrave, que tem seis medalhas.

Alegria para uns, dor para outros. O sul-coreano Jaehyouk Sa, de 27 anos, protagonizou a pior cena da quarta-feira ao quebrar seu braço direito na tentativa de erguer 158kg no levantamento de peso. Ele caiu gritando no chão e logo foi atendido. Doeu só de ver…

Jaehyouk Sa, Coreia do Sul, Levantamento de Peso (Foto: Agência Reuters)Jaehyouk Sa, da Coreia do Sul, quebra o braço no levantamento de peso (Foto: Agência Reuters)
Globoesporte.com

Mano convoca Thiago Silva, Marcelo e Hulk para Londres: veja a lista dos 18

O técnico Mano Menezes convocou nesta quinta-feira os 18 jogadores que defenderão a seleção brasileira na busca pela inédita medalha de ouro nos Jogos Olímpicos. Os três atletas com mais de 23 anos são o zagueiro Thiago Silva, do Milan, o lateral-esquerdo Marcelo, do Real Madrid, e o atacante Hulk, do Porto. Assim, o zagueiro David Luiz, do Chelsea, e o lateral-direito Daniel Alves, do Barcelona, estão fora.

– Primeiro que não convoquei o Hulk para o lugar do David Luiz. Nunca me posicionei a respeito de outro zagueiro que não fosse o Thiago Silva. A lista contempla 18 jogadores e precisávamos fazer uma escolha de três jogadores acima de 23 anos. Entendi que o ganho seria grande com um atleta mais experiente do meio para fente, como foi possível ver nos últimos quatro amistosos – explicou Mano.

Mano relacionou ainda quatro atletas como “reservas”, ou seja, que podem ser chamados em caso de lesão depois a estreia da Seleção nas Olimpíadas de Londres: o goleiro Gabriel (Milan, ex-Cruzeiro), o meia-atacante Giuliano (Dnipro, ex-Internacional), o zagueiro Marquinhos (Corinthians) e o volante Casemiro (São Paulo). Até o primeiro jogo, o treinador poderá chamar qualquer um dos jogadores que estavam na pré-lista de 35 (veja a relação aqui).

A relação dos 18 de Mano se baseou no grupo de 23 atletas chamados pelo comandante para os compromissos na Alemanha e nos Estados Unidos (vitórias de 3 a 1 sobre Dinamarca e 4 a 1 sobre os EUA e derrotas de 2 a 0 para o México e 4 a 3 para a Argentina). A principal dúvida do treinador era em relação aos atletas acima de 23 anos, já que David Luiz, Daniel Alves e o goleiro Jefferson, do Botafogo, eram cotados para uma das vagas.

Ainda nos Estados Unidos, Mano revelou que Thiago Silva será o capitão da equipe em Londres. Na opinião do treinador, o defensor reúne todas as qualidades para ser o líder da Seleção na disputa da competição e até mesmo na Copa do Mundo de 2014.

O presidente da CBF, José Maria Marin, convidou os tetracampeões Bebeto e Romário para sentarem ao lado de Mano na convocação, já que os dois foram medalha de prata nos Jogos de 1988. O diretor de seleções, Andrés Sanches, e o chefe da delegação em Londres, Delfim Pádua (presidente da federação catarinense), também participaram da mesa em um hotel na Zona Sul do Rio de Janeiro.

lista convocados Seleção Brasileira olimpíadas reservas correto 2 (Foto: Editoria de Arte / Globoesporte.com)

Seleção estreia no dia 26 de julho

O Brasil faz parte do Grupo C e estreia em 26 de julho contra o Egito, em Cardiff (País de Gales). Três dias depois, enfrenta a Bielorrússia, em Manchester. O último jogo da primeira fase é contra a Nova Zelândia, em Newcastle, em 1º de agosto.

Se avançar em primeiro lugar, o Brasil enfrentará nas quartas de final o segundo colocado do Grupo D, que tem Espanha, Japão, Honduras e Marrocos. Se ficar na segunda posição, a Seleção pegará o líder da chave D.

Antes do primeiro jogo, o time de Mano fará um amistoso de preparação contra a seleção da Grã-Bretanha, dia 20 de julho, em Middlesbrough. O torneio em Londres marca o retorno de um time de futebol único do Reino Unido às Olimpíadas. Medalha de ouro em 1908 e 1912, a seleção que une jogadores de Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte, não disputa os Jogos há 52 anos. A estrela será o meia Ryan Giggs, do Manchester United.

mano menezes romario bebeto seleção brasileira (Foto: Mowa Press)Romário, Bebeto e Marin sentaram ao lado de Mano na hora da convocação para Londres (Foto: Mowa Press)

A Seleção vai se apresentar para iniciar os treinamentos na próxima segunda-feira, no hotel Sheraton, em São Conrado, no Rio de Janeiro. A partir daí, o grupo treinará na sede do Flamengo, na Gávea, e na Escola de Educação Física do Exército, na Urca. No dia 16, na parte da noite, a delegação embarca para Londres e ficará hospedada no Sopwell House Hotel & Spa.

Em Londres, Mano comandará as atividades da seleção brasileira no centro de treinamento do Arsenal. Em abril, o presidente da CBF, José Maria Marin, visitou o local e ficou impressionado com as instalações do clube londrino.

O torneio de futebol olímpico será disputado entre os dias 25 de julho e 11 de agosto em seis sedes: Millennium Stadium (País de Gales), Old Trafford (Manchester), St. James Park (Newcastle), Hampden Park (Glasgow), City of Coventry (Coventry) e Wembley (Londres).

Veja a tabela completa das Olimpíadas de Londres:

GRUPO A

Grã-Bretanha
Senegal
Emirados Árabes Unidos
Uruguai

JOGOS

26/7 – Manchester
Emirados x Uruguai
Grã-Bretanha x Senegal
29/7 – Londres
Senegal x Uruguai
Grã-Bretanha x Emirados
1/8 – Coventry
Senegal x Emirados
1/8 – Cardiff
Grã-Bretanha x Uruguai

GRUPO B

México
Coreia do Sul
Gabão
Suíça

JOGOS

26/7 – Newcastle
Gabão x Suíça
México x Coreia do Sul
29/7 – Coventry
México x Gabão
Coreia do Sul x Suíça
1/8 – Cardiff
México x Suíça
1/8 – Londres
Coreia do Sul x Gabão

GRUPO C

Brasil
Egito
Bielorrússia
Nova Zelândia

JOGOS

26/7 – Coventry
Bielorrússia x Nova Zelândia
26/7 – Cardiff
Brasil x Egito
29/7 – Manchester
Brasil x Bielorrússia
Egito x Nova Zelândia
1/8 – Newcastle
Brasil x Nova Zelândia
1/8 – Glasgow
Egito x Bielorrússia

GRUPO D

Espanha
Japão
Honduras
Marrocos

JOGOS

26/7 – Glasgow
Espanha x Japão
Honduras x Marrocos
29/7 – Newcastle
Espanha x Honduras
Japão x Marrocos
1/8 – Coventry
Japão x Honduras
1/8 – Manchester
Espanha x Marrocos

QUARTAS DE FINAL

4/8 – Cardiff
(28) 1A x 2B
4/8 – Manchester
(25) 1D x 2C
4/8 – Newcastle
(27) 1C x 2D
4/8 – Londres
(26) 1B x 2A

SEMIFINAIS

7/8 – Manchester
(30) V28 x V27
7/8 – Londres
(29) V26 x V25)

MEDALHA DE BRONZE

10/8 – Cardiff
(31) D30 x D29

FINAL

11/8 – Londres
(32) V30 x V29

Globoesporte.com

Rumo à Londres: paraibano Kaio Márcio vence 200 m borboleta no Mare Nostrum de Barcelona

O brasileiro Kaio Márcio Almeida foi o vencedor da prova de 200 m borboleta na etapa de Barcelona do Circuito Mare Nostrum de natação, com um tempo de 1min55s59, superando os britânicos Roberto Pavoni (1min58s67) e Matthew Johnson (2min01s73).

Entre os outros brasileiros na competição da capital catalã, o paranaense Henrique Rodrigues ficou perto da vitória nos 200 m medley, terminando em segundo, atrás do canadense James Goddard, enquanto o mato-grossense Felipe Lima (100 m peito) e o catarinense Daniel Orzechowshki (50 m costas) ficaram em terceiro em suas respectivas provas.

O Circuito Mare Nostrum continua em Barcelona no domingo. Depois, serão realizadas as etapas de Canet (França, em 6 e 7 de junho) e Mônaco (em 9 e 10 de junho).

Terra