Arquivo da tag: Legenda

Tião Gomes diz que Avante não é “casa de noca” e negará legenda a quem não seguir orientação do partido

O Avante declarou nesta quinta-feira (20), apoio ao pré-candidato a prefeito Cícero Lucena (PP), dos seis vereadores do partido, apenas Tanílson Soares compareceu ao evento, algo que Tião Gomes considerou inaceitável.

“É inadmissível que queiram usar o partido apenas para se eleger. O Avante não é casa de noca e tem que punir quem não seguir as orientações do presidente municipal Felipe Leitão. Estão brincado com o partido? Não vamos aceitar! Estamos com Cícero Lucena e quem não quiser apoiá-lo, as portas de saída do Avante estão abertas”, disse Tião.

O deputado ainda reforçou o posicionamento de Felipe Leitão que afirmou não aceitar nenhum desertor, vereador ou filiado, declarando apoio a outra pré-candidatura que não seja a de Cícero.

 

portaldolitoralpb

 

 

Deputados começam a trocar de legenda sem sofrer punição

Desde a última quinta-feira (8), deputados federais e estaduais podem trocar de partido, sem o risco de perder os mandatos por infidelidade partidária, na chamada “janela partidária”. O período das trocas vai até o dia 7 de abril.

As conversas para as mudanças já estão sendo costuradas há muito tempo, mas os registros no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) só podem ser oficializados durante a janela.

A legislação eleitoral diz que só é possível mudar de partido, sem risco de perder o mandato, quando houver incorporação ou fusão do partido; criação de novo partido; desvio no programa partidário ou grave discriminação pessoal.

Mas, em 2015, o Congresso incorporou a possibilidade de desfiliação, sem justificativa, durante a janela em ano eleitoral. Se o parlamentar se desfilia do partido fora do período da janela, sem justa causa, a legenda pode recorrer à Justiça Eleitoral e pedir a perda do mandato por infidelidade partidária, pois o entendimento é que o mandato pertence ao partido, e não ao eleito.

Na hora de escolher um novo partido, o analista político do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), Antônio Augusto de Queiroz, avalia que os parlamentares levam em conta três fatores: um deles é o valor que o partido oferecerá do fundo eleitoral – principal fonte de financiamento das legendas – ao candidato para custear a campanha. Com as mudanças trazidas pela reforma política, o candidato à Câmara dos Deputados poderá gastar, no máximo, R$ 2,5 milhões.

Outro atrativo é o tempo de rádio e TV que o candidato poderá ter para a propaganda eleitoral. Quanto mais filiados a sigla têm, mais tempo de propaganda.

Outro fator de peso, em alguns casos, para a mudança é o domínio do diretório estadual. Segundo Antônio Augusto, com menos verba e menos tempo de TV, filiados, sem mandato, têm poucas chances de se tornarem conhecidos e conseguirem sucesso nas urnas, o que pode dificultar a renovação na Câmara.

A troca de legendas durante a janela, contudo, não altera a distribuição do dinheiro do Fundo Partidário, nem o tempo de propaganda nas rádios e TVs de cada legenda. A única exceção é se os deputados mudarem para um partido recém-criado.

No primeiro dia da janela, pelo menos 15 deputados trocaram de partido. Na lista estão, por exemplo, os deputados do Rio de Janeiro Jair Bolsonaro e Eduardo Bolsonaro, que deixaram o PSC e foram para o PSL; Sérgio Zveiter que saiu do Podemos para o Democratas; e delegado Francischini (PR), que deixou o Solidariedade também para o PSL.

Um dos partidos que mais recebeu novos integrantes foi o Democratas, que ganhou mais quatro deputados federais, aumentando a bancada de 33 para 37 cadeiras, conforme informado na quinta-feira. O presidente da sigla, ACM Neto, espera mais filiações nos próximos dias.

“Vamos ter mais, até o dia 7 de abril, vamos ter muitas filiações. Alguns ainda estão fazendo entendimentos finais. Nossa meta é ficar na casa dos 40 deputados”, disse à Rádio Nacional.

 

O líder do PSDB na Câmara, deputado Nilson Leitão (MT), defende que os políticos não mudem somente por questões financeiras. O partido trabalha para manter os 46 deputados na Câmara dos Deputados. Atualmente, a sigla é a terceira maior da Casa, atrás de MDB e PT.

“As mudanças de partido são legais, mas acaba denegrindo ainda mais a classe política que busca no financeiro a sua prioridade. Não tem problema nenhum, mas que isso fosse somado com a programação, ideias, estatuto. Como alguém pode estar na dúvida entre dois ou três partidos que são totalmente antagônicos na sua ideologia? É necessário, pelo menos, que se mantenham dentro de uma linha programática dos partidos e não do financeiro”, ressaltou Leitão

 

Agência Brasil

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Ricardo Marcelo defende consenso no PMDB ou vai partir para outra legenda

(Foto: Walla Santos)
(Foto: Walla Santos)

O deputado estadual Ricardo Marcelo confirmou que permanece no PMDB e que por hora não pretende sair do partido. Entretanto, o parlamentar disse que se não conseguir resolver as questões internas do partido irá cuidar de outra legenda.

“Por hora não pretendo de forma nenhuma sair do PMDB. Agora, se não conseguir nosso intento, aí sim que vou ter que cuidar de outra legenda”, disse o deputado.

O intento ao qual Ricardo Marcelo se refere é a união do partido. Na visão do deputado, o partido precisa ter um consenso e que a questão de ter a bancada dividida, com dois deputados na oposição e dois na situação precisa ser resolvida.

“Aqui mesmo temos a divisão do partido. Quatro deputados, a divisão com dois de um lado e dois de outro. Então essas coisas têm que ser resolvidas. Tem que ter um consenso”, disse Ricardo Marcelo.

O deputado, que é oposição ao governo, disse que ainda não sabe se o PMDB continuará na oposição. Ele defende que, na reunião da executiva marcada para os meados de fevereiro, seja definido um consenso. Caso não haja um consenso, o deputado procurará outra legenda.

clickpb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Após adesão a RC, deputado do PMDB defende saída de Tatiana Medeiros da legenda

trocollicolliO clima entre os membros do PMDB paraibano está cada dia mais tenso. Nesta terça-feira (09), por exemplo, foi à vez do deputado estadual Trócolli Júnior (PMDB) defender a saída da médica Tatiana Medeiros (PMDB) dos quadros do partido. É que Tatiana, na última semana, surpreendeu a todos ao deixar a candidatura da legenda para anunciar apoio à reeleição do governador Ricardo Coutinho (PSB).

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Segundo o deputado, se a médica não estava satisfeita com os preceitos definidos pela diretoria, deveria pedir para sair, antes de se aliar ao candidato adversário. Trocolli chegou a citar o caso da deputada estadual Iraê Lucena como exemplo. Iraê deixou o PMDB e se filiou ao PSDB. “Iraê teve outra postura. Ela não se identificava mais com o PMDB e resolveu deixar o partido e seguir outro caminho, relatou.

Apesar de defender a saída de Tatiana, o parlamentar deixou claro que não comunga com “caça às bruxas” no partido, mas sim que a própria Tatiana peça pra sair.

“Não sou favorável à caça às bruxas, mas entendo que uma aliança entre PMDB e PSB seja incompatível. A população está de olho nas notícias da imprensa e se lembra das críticas que a candidata Tatiana já fez ao governo atual. Cada um é responsável por seus atos, mas ela deveria deixar o partido se não estivesse satisfeita e não se aliar a Ricardo Coutinho”, afirmou o deputado ao ser questionado se era a favor de uma punição pelo partido nesse caso.

Entenda o caso:

Tatiana Medeiros foi a candidata do PMDB em Campina Grande na disputa pela prefeitura municipal, nas eleições de 2012. A médica é politicamente ligada aos irmãos Veneziano Vital do Rego e o senador e candidato a governador, Vital do Rego. Entretanto neste pleito de 2014, ao que tudo indica Tatiana não deposita expectativa em torno da possibilidade do PMDB passar do primeiro turno e assim anunciou publicamente apoio a reeleição do atual governador Ricardo Coutinho, que desponta em segundo lugar nas pesquisas, em detrimento à candidatura de Vital do Rego de seu partido, que aparece em terceiro.

O Portal PB Agora relembra pelo menos um episódio que evidenciou um clima de acirramento entre os dois políticos Aliados políticos nas eleições 2014, a médica e candidata a Assembleia Legislativa Tatiana Medeiros (PMDB) e o governador Ricardo Coutinho (PSB) já trocaram declarações contundentes na imprensa, chegando a provocar grande repercussão no meio político.

Em 2011 ao assumir a secretaria de Saúde da Prefeitura de Campina Grande, Tatiana Medeiros, provocou a primeira polêmica contra o socialismo: Em entrevista a imprensa, logo após sua posse, ela mandou primeiro o governador Ricardo Coutinho (PSB) “cuidar de seu quintal”.

Tatiana se referia aos PSF’s da capital paraibana. Segundo ela, 40 deles não têm médicos. “Isto aconteceu na época em que ele era prefeito de João Pessoa. Entãoantes de qualquer coisa ele tem que cuidar primeiro do seu quintal”, disparou mandando um recado para o ‘Mago’.

PB Agora

Presidente de legenda na PB defende a suspensão de pesquisas eleitorais no Estado

pesquisaA presidente estadual do PRP, Maria da Luz, defendeu, na tarde desta quinta-feira (21), a suspensão da divulgação das pesquisas eleitorais na Paraíba diante das irregularidades que estão sendo constatadas pela Justiça Eleitoral. “É vergonhoso o que está acontecendo mais uma vez na Paraíba, com alguns institutos de pesquisas que não conduzem as coisas de maneira séria, com o objetivo nítido de induzir o eleitor”, criticou.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Ela afirmou que a realidade das ruas não é a que está sendo demonstrada nas pesquisas que vêm sendo divulgadas na Paraíba. “Não sou contra os institutos de pesquisa, mas muitas vezes, em defesa de interesses de candidatos e grupos, elas criam um cenário tentando influenciar as pessoas a votarem em quem está na frente. Queremos apenas eleições limpas, onde os eleitores possam votar sem manipulação da mídia”, disse.

A presidente do PRP disse que os paraibanos não vão cair no ‘conto das pesquisas’, como ficou evidenciado nas eleições de 2010. “Nas últimas eleições estaduais, todos as pesquisas divulgadas mostravam um cenário que acabou sendo desmentido nas urnas. Acredito que o paraibano tem inteligência suficiente para fazer a comparação entre os candidatos e chegar em frente à urna para votar em quem fez de verdade pela Paraíba e não em quem vive de blá blá blá”, finalizou.

Assessoria

Tião diz que choro de Aracilba foi falso, mas revela que PSL garantirá legenda

tião aracilbaO deputado estadual Tião Gomes, presidente do PSL da Paraíba, disse na manhã desta terça-feira (22), que o choro durante anunciou de adesão da ex-secretária de Finanças do Estado e candidata a deputada estadual, Aracilba Rocha (PSL) ao senador Cássio Cunha Lima (PSDB), foi falso e que seu apoio já existia, pois ela já estava rompida com o governador Ricardo Coutinho (PSB).

“Essa questão de Aracilba é algo que já existia, pois ela já pensava em votar em Cássio há algum tempo”, disse Tião. Depois de minimizar a adesão da aliada de partido, Tião falou que pode acionar a justiça eleitoral contra Aracilba, mas que por enquanto, irá garantir a legenda para ela.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Tião disse ainda que esta não foi a primeira traição da ex-secretária, “a primeira traição foi quando ela quis tomar  o PSL há 40 dias com o ex-senador Ney Suassuna”.

Na manhã dessa segunda-feira (21), Aracilba concedeu entrevista coletiva para na anunciar o apoio a Cássio, e na ocasião, explicou através de uma carta os motivos que levaram o rompimento politico com o governador Ricardo Coutinho. Emocionada e chorando, ela revelou que foi “perseguida, isolada, ameaçada e humilhada pelo grupo”.

Clickpb

Presidente do PT revela futuro dos dissidentes da legenda na Paraíba e dispara: “Não é questão de perseguir”

charliton-machadoO presidente do Partido dos Trabalhadores na Paraíba, Charliton Machado, garante que o PT está disposto a tomar uma decisão contra os correligionários que insistem em ocupar cargos nas administrações do PSB – Partido Socialista Brasileiro – e do PSDB – Partido Socialista e Democrata Brasileiro.

Desde o momento em que o presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, que também é pré-candidato a presidência da república, rompeu com a presidente Dilma, que o PT vem pedindo que seus filiados entreguem seus cargos nas gestões do PSB. Essa solicitação também se estende aos companheiros que atuam também das administrações do PSDB, partidos estes que garantem a renovação da aliança no pleito deste ano.

Na Paraíba, na administração do governador Ricardo Coutinho, o PT solicitou aos petistas que peçam suas exonerações. Determinação que se estende a Campina Grande, na administração do prefeito Romero Rodrigues (PSDB). Porém, alguns dissidentes do PT insistem em não seguir as determinações dadas pelo partido.

Para eles, o PT estipulou que até o próximo dia 29 de janeiro coloquem seus cargos a disposição e garante que não acontecendo haverá punição. Charliton não informou qual será a punição aplicada aos dissidentes, mas afirmou que uma decisão será tomada. “Já foram notificados todos aqueles que têm espaço no governo de Campina grande e no governo do estado. Não é uma questão de perseguir, não é por uma questão de confrontar. Nós queremos deixar claro que temos um projeto que vai estar em contraposição ao projeto do PSB e ao projeto do PSDB na Paraíba e no Brasil” disse.

O presidente disse ainda que não é “politicamente correto” para o PT ocupar espaço nesses governos e que, portanto, o tomará algumas decisões que variam desde advertência, suspenção e expulsão. “Essa não é uma decisão só do presidente. Será uma decisão coletiva do partido e com certeza se encerrará no dia 29”, garantiu.

Ao falar sobre o deputado federal, Luiz Couto, que defende abertamente dentro do PT sua simpatia pelo governador RC, Charliton disse que o parlamentar insiste em teses dissidentes e que não há uma justificativa para que Luíz Couto continue trabalhando numa perspectiva contrária. “Em 2012 nós tínhamos uma candidatura nas ruas, o deputado Luíz Couto não apostou nesse projeto e foi derrotado”, afirmou.

PB Agora

PEN realiza primeiro encontro estadual e Agra assina filiação a sua nova legenda

agra e rmO Partido Ecológico Nacional (PEN) realizará seu primeiro encontro estadual na próxima segunda-feira (10), a partir das 9h, no auditório do Hotel Ouro Branco, em João Pessoa. No evento, o ex-prefeito de João Pessoa, Luciano Agra, estará assinando sua ficha de filiação a legenda.

O evento contará com as presenças de dirigentes partidários e filiados de vários municípios paraibanos. O deputado estadual Toinho do Sopão também já confirmou sua participação no encontro. Para ele, o evento será uma ótima oportunidade para debater não só a estruturação do partido, criado em junho de 2012, mas também será um momento importante para se discutir o processo de interiorização da legenda e as estratégias de atuação do partido dentro da Assembleia Legislativa.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Segundo o deputado, o partido está trabalhando para implantar o PEN nos principais municípios paraibanos já com foco nas eleições de 2014. “Durante o nosso encontro vamos debater também as estratégias para a interiorização do partido. No futuro devemos realizar encontros municipais para debater nossas bandeiras com os novos filiados e simpatizantes também”, disse o parlamentar, apostando na proficuidade dos trabalhos e discussões que serão apresentados na ocasião.

Na Paraíba, o PEN conta com uma bancada formada pelos seguintes parlamentares: Ricardo Marcelo, Edmilson Soares, Branco Mendes, José Aldemir, Aníbal Marcolino, Janduhy Carneiro, Toinho do Sopão, João Gonçalves e Wilson Braga. Na ALPB o partido é liderado pelo deputado estadual Branco Mendes. O PEN foi criado em 19 de junho de 2012, quando obteve seu registro definitivo no Tribunal Superior Eleitoral. O presidente nacional é o deputado estadual por São Paulo Adilson Barroso.

MaisPB  com assessoria

BAIXA: petista quer buscar nova legenda aliada de RC

jeováO Partido dos Trabalhadores está prestes a perder um de seus mais antigos membros. O ex-deputado estadual Jeová Campos revelou o seu projeto de deixar o partido e assinar a ficha de filiação em uma legenda da base do governador Ricardo Coutinho (PSB) para que possa ajudá-lo na batalha da reeleição. Embora não tenha deixado claro quando ocorrerá a mudança, o deputado disse que no momento não está se sentido confortável no partido que ajudou a fundar na Paraíba.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook
O mais provável é que Jeová ingresse no Partido Verde, e tente voltar a Assembleia Legislativa no próximo ano. Ele foi eleito deputado estadual em 2006, e se destacou entre os parlamentares pela defesa em prol da região sertaneja do Estado. No entanto, não conseguiu se reeleger.

Jeová descartou a possibilidade de disputar uma vaga na Câmara Federal. Recentemente Jeová esteve em Campina Grande, prestigiando a posse do secretário Carlos Antonio, na Secretaria de Interiorização do Governo do Estado, seu amigo pessoal.

Caso deixe o Partido dos Trabalhadores Geová Campos poderá seguir o destino de outros políticos históricos que nasceram no Partido dos Trabalhadores mais conseguiram sucesso político em outras legendas, a exemplo do próprio governador Ricardo Coutinho que foi eleito inicialmente vereador pelo PT antes de se tornar deputado estadual; e a ex-prefeita de São Paulo, a paraibana Luiza Herodina.

Mesmo sem Joevá que não foi reeleito, a bancada estadual do Partido dos Trabalhadores na Assembleia Legislativa liderada pelo deputado Anísio Maia é uma das mais fortes no que diz respeito a oposição que faz ao governador Ricardo Coutinho.

PB Agora

Parlamentares do PEN negam insatisfação e debandada de filiados da legenda no estado

PENVários parlamentares paraibanos negaram hoje durante entrevista ao PolíticaPB que estivesse havendo uma insatisfação interna por parte de alguns filiados do Partido Ecológico Nacional (PEN), que é presidido no Estado pelo deputado estadual, Ricardo Marcelo, e que têm hoje a maior bancada na Assembleia Legislativa da Paraíba, com um total de 10 deputados. Na ocasião, eles inclusive descartaram que esses deputados que integram a sigla não estivessem confortáveis no partido e que estivessem ameaçando deixar a legenda.

 

O deputado estadual Branco Mendes foi um dos filiados que negou qualquer tipo de suposição nesse sentido. “Eu não acredito em debandada no PEN. E responder por uma bancada de 10 não é fácil, pois cada um tem sua posição e o seu pensamento, então, eu prefiro que cada um dê a sua própria resposta. Mas, de uma coisa é certa, eu vou permanecer no partido. E pelo que tenho conversado com todos eles, até hoje não há notícia de insatisfação de nenhum deles, portanto eu acredito de esteja tudo bem”, garantiu Branco.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Apesar de achar natural que ocorra insatisfação de filiados dentro dos partidos, o deputado estadual, João Gonçalves, foi outro integrante do PEN que não acredita que colegas estejam insatisfeitos com a sigla. “Isso não existe não. E se houvesse, seria natural, até porque insatisfação acontece em qualquer lugar até mesmo na nossa casa, e no PEN não seria diferente. Mas, está tudo dentro da normalidade e se por ventura houver algum reclame vai ter o momento que teremos que rediscutir nossas posições e opiniões dentro do partido”, disse João.

 

Mais um filiado que negou essa tese foi o deputado estadual Toinho do Sopão. Ele também falou que não podia falar pelos colegas, mas também garantiu que não haja problemas dessa natureza existentes em seu partido.

 

“Também não posso falar pelos colegas e nem posso dizer se eles estão ou não confortáveis no partido, porque ainda não sentamos, não nos reunimos para de fato tomar os rumos que o PEN vai tomar de fato na Casa com relação a vários assuntos. Mas, como nosso presidente estadual, o deputado Ricardo Marcelo, é bastante maleável e sempre disse que não precisávamos mudar nossas opiniões e que poderíamos seguir da maneira que vínhamos seguindo, seja prol ou contra o Governo, de forma alguma estou vendo insatisfações entre os colegas. Na realidade, nós vivemos em plena harmonia dentro do PEN, e se por ventura surja alguma insatisfação creio que ao levar ao nosso presidente, ele sem dúvidas não fará objeções”, reforçou Toinho.

 

FONTE: ADAUCÉLIA PALITOT ? POLÍTICAPB