Arquivo da tag: investimentos

Parceria entre a Casa do Empreendedor e Empreender Paraíba gera investimentos na economia local em Bananeiras

Na última quarta-feira (21), empreendedores de Bananeiras foram contemplados por novos e renovações de contratos pelo Empreender Paraíba. Cerca de R$ 99 mil reais investidos na micro economia local.

A parceria com a Casa do Empreendedor, primeira franquia pública do País vem gerando frutos e incentivando ao empreendedorismo local.

Com o intuito de fortalecer a economia do município através do apoio aos micros e pequenos empreendedores, foi criado um ambiente favorável a esses negócios, através da qualificação profissional, da desburocratização dos serviços, da facilitação do acesso ao crédito e à informação. Aplicando mais de R$ 2 milhões e 200 mil de recurso municipal, contemplando 700 micro empreendedores em diversos segmentos durante este tempo.

A Casa do Empreendedor tem dado a possibilidade de muitas pessoas se tornarem independentes e construírem seus negócios de forma sólida.

Em um período recente, Bananeiras pôde vivenciar avanços muito significativos, num município de realidade cada vez mais exigente tem-se que superar as adversidades, sobretudo as financeiras, para dar respostas rápidas e consistentes, sempre com o intuito de estimular a todos os empreendedores, sem distinção.

Portanto, apresentar um rol de soluções, investimentos e ações, nas diversas áreas da gestão, com impactos diretos e positivos na economia local se constitui num desafio cotidiano.

O programa avançou e desde a sua criação em 2013 até os dias atuais, lançou as bases para um crescimento sólido e modificando de forma muito positiva a vida das pessoas, sobretudo, das que mais precisam.

Ascom – PMB

 

 

Guga lamenta investimentos perdidos pela população de Bananeiras

Em pronunciamento na Rádio Integração do Brejo na manhã desta quarta, 25, o vice-prefeito de Bananeiras, Guga Aragão, lamentou o fato de Bananeiras ter perdido cerca de R$ 800.000,00 (oitocentos mil reais) após a oposição barrar projeto de Emenda ao orçamento que possibilitava retomada das obras do estádio “O Bezerrão” e a construção do Centro de Informações turísticas.

Segundo Guga, neste instante em que o País está vivendo grave crise econômica em virtude da Pandemia, a injeção de R$ 800.000,00 (oitocentos mil reais) na nossa economia seria fundamental para geração de emprego, já que somente durante as obras cerca de 30 empregos diretos seriam gerados, além da possibilidade de conclusão do estádio e da construção do centro de informação turística.

Asseverou ainda o vice-prefeito que já foi vereador e Presidente da Câmara, entende a necessidade do contraditório, mas existiam outros meios de controle de gastos públicos como o pedido de prestação de contas, o acompanhamento das obras, a convocação dos responsáveis para pedir esclarecimentos, que poderiam sanar qualquer dúvida a respeito da parte da obra já executada.

Por fim, Guga lamentou o fato de que a guerra política instalada está trazendo prejuízos não para prefeito, vice e vereadores, mas para a população, que vai perder investimentos, empregos e equipamentos esportivos e turísticos.

 

Assessoria

 

 

Covid-19 pode acelerar investimentos em saneamento e reativar cadeia produtiva do setor

Pauta é prioridade para o presidente do Senado, Davi Alcolumbre. Notícia fez setor ficar otimista com geração de renda e manutenção de empregos em época de crise.

A votação de um novo marco regulatório do saneamento básico está entre as medidas que a equipe econômica do governo e o Congresso Nacional consideram como imprescindíveis neste momento em que o Brasil e o mundo enfrentam a pandemia do novo coronavírus. A avaliação é a de que o novo marco aceleraria investimentos fundamentais para melhorar as condições sanitárias da população, além de significar aquecimento de uma cadeia produtiva importante para a retomada da economia.

O marco regulatório já foi aprovado pela Câmara dos Deputados, e agora tramita no Senado (Projeto de Lei 4.162/2019). O presidente da Casa, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), tem afirmado que a pauta “é prioritária” – tanto que pode ser apreciada mesmo neste período em que as sessões ocorrem virtualmente.

De acordo com informações do Senado Federal, o projeto de novo marco regulatório para o saneamento básico está na Comissão de Meio Ambiente, onde é relatada pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE). Centralizar a regulação dos serviços de saneamento na esfera federal, fixar a obrigatoriedade de licitações, e regionalizar a prestação a partir da montagem de blocos de municípios estão entre os pontos principais do novo marco proposto.

Com isso, não existirá mais o instrumento do “contratos de programa” – mecanismo pelo qual os municípios transferem a execução de seus serviços de saneamento para empresas públicas dos governos estaduais. Em vez desses contratos, os municípios terão de licitar o saneamento em seus limites territoriais, em processos dos quais poderão participar tanto empresas públicas como privadas. Ainda segundo o projeto, a regulação do saneamento básico no Brasil ficaria a cargo da Agência Nacional de Águas (ANA).

IMPACTOS 

A tramitação da proposta vem sendo acompanhada de perto por especialistas, pesquisadores, entidades de classe, lideranças e empresas dos mais variados segmentos, cujas atividades serão impactadas pela aprovação do novo marco. É o caso da indústria fornecedora de materiais e equipamentos às companhias de água e saneamento do país – segmento que projeta aumento na demanda de produção.

Fabricante que atende o setor de saneamento se vê otimista com anúncio do governo. Empresa produz painéis elétricos e mantém 70 funcionários no Paraná.

Para o engenheiro eletricista Fábio Amaral, diretor da Engerey – fabricante de painéis elétricos com sede em Curitiba -, os investimentos em saneamento básico se fazem urgentes, pela importância para a saúde pública, e como atividade econômica geradora de emprego e renda. A Engerey está há 18 anos no mercado, e há pelo menos sete está homologada, por exemplo, pela Sanepar, no fornecimento de painéis de controle dos processos de automação de estações de tratamento da companhia pública paranaense.

“As medidas de prevenção ao novo coronavírus mais eficazes têm a ver com medidas de higiene – lavar as mãos com água e sabão. Só que uma boa parte da população não tem rede de água e esgoto em casa – são mais de 35 milhões de brasileiros sem acesso à água tratada e em torno de 100 milhões sem serviço de coleta de esgoto. Investir em saneamento é mudar essa realidade, é investir em saúde pública. É, também, aquecer a atividade econômica. O Instituto Trata Brasil mostra que cada R$ 1 investido em saneamento gera um incremento de R$ 1,22 de renda na economia”, ressalta o empresário.

Recentemente, o mesmo Instituto Tata Brasil lançou uma publicação (disponível aqui: <http://tratabrasil.org.br/covid-19/assets/pdf/cartilha_covid-19.pdf>) em que pesquisadores mostram, com argumentos científicos, a importância do saneamento na prevenção ao novo coronavírus.

 

Assessoria de Imprensa

 

 

João Azevêdo lança programa de habitação popular e anuncia investimentos de R$ 15 milhões

O governador João Azevêdo lançou, nesta quarta-feira (22), o novo programa de habitação popular do Estado da Paraíba – ‘Parceiros da Habitação’. A ação, que receberá investimentos de R$ 15 milhões da gestão estadual, tem o objetivo de promover a construção de mil unidades habitacionais para a população de baixa renda, por meio de parcerias com municípios, movimentos de moradia, entidades públicas ou privadas e mutuários. Durante a solenidade realizada no Palácio da Redenção, em João Pessoa, o gestor assinou o Projeto de Lei que institui o programa e será analisado pela Assembleia Legislativa.

O projeto ‘Parceiros da Habitação’ está incluso nas metas estabelecidas pelo governo para 2020 e será iniciado nos municípios de João Pessoa, Remígio e Barra de São Miguel, onde serão construídas 174 residências.

Em seu pronunciamento, o chefe do Executivo estadual ressaltou que o programa lançado pelo governo representa inclusão social para as famílias paraibanas. “Eu tenho um olhar muito especial para a área porque habitação representa a segurança das famílias. Esse projeto foi construído com os movimentos, a Cehap, a Secretaria da Infraestrutura e municípios e todos estarão unidos para assegurar ao cidadão a proteção social. Nós estamos suprindo uma lacuna em relação a programas de habitação no país, com divisão de responsabilidades e custos e vamos iniciar as construções das casas, tão logo o projeto seja aprovado pela Assembleia Legislativa”, explicou.

A presidente da Companhia Estadual de Habitação Popular (Cehap), Emília Correia Lima, afirmou que o projeto é resultado de um trabalho conjunto voltado para a continuidade de um programa habitacional no estado. “Essa é uma soma de determinação, energia e ousadia de todos os parceiros para enfrentarmos a ausência de política habitacional em nível federal, o que se configura como um convite do Governo do Estado para toda a Paraíba, pois não podemos ficar de braços cruzados”, pontuou.

O deputado estadual Ricardo Barbosa assegurou que o Poder Legislativo deverá analisar com celeridade a iniciativa da gestão. “Nós daremos todo o nosso apoio para que o projeto seja votado na primeira semana do retorno dos trabalhos na Assembleia porque entendemos que ele é significativo e simbólico, pois nada pode fazer mais falta a uma família do que a casa própria. A Paraíba é o único estado a criar um programa próprio de habitação e se configura como a melhor resposta que o governo poderia dar à sociedade paraibana em um momento de dificuldade financeira”, declarou.

O presidente da Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup) e prefeito de Sobrado, George Coelho, assegurou a participação dos municípios no programa ‘Parceiros da Habitação’. “É com extrema satisfação que vamos fazer parte dessa história porque recebemos muitas demandas por moradias. O Governo do Estado atesta sua responsabilidade social e estaremos unidos para reduzir o déficit habitacional, atendendo uma reivindicação da população, o que já garante o sucesso do projeto”, argumentou.

O coordenador do Movimento de Moradia Ação e Luta Comunitária (Malc), Luiz Costa, agradeceu ao Governo do Estado por incluir os movimentos sociais na construção da proposta apresentada à sociedade para reduzir o déficit habitacional na Paraíba. “Nós estamos felizes por ajudar a construir esse programa que foi construído pelas mãos do governo, dos movimentos sociais, de universidades e do Crea e tivemos três reuniões com o governador para discutir a dinâmica dessa ação. A Paraíba é o único estado do Brasil a ter um programa próprio de habitação, o que demonstra a ousadia da administração estadual”, falou.

O representante da União Nacional por Moradia Popular, Alberto Freire, enalteceu a criação do programa habitacional no estado. “Nós conversamos com o governador, trabalhamos com diversas entidades parceiras e o Fórum Estadual de Reforma Urbana e nos juntamos para viabilizar a construção de casas, sendo R$ 15 mil a contrapartida do governo, por moradia, permitindo que a família paraibana seja atendida”, disse.

O tesoureiro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Paraíba (Crea-PB), João Alberto de Souza, destacou a importância do programa para alavancar a construção civil. “O nosso estado vem apresentando uma pujança no setor, tivemos um momento de estagnação, mas essa atividade vem sendo retomada e essa ação do governo vai gerar emprego e renda para quem depende desse segmento”, explicou.

A solenidade foi prestigiada por deputados estaduais, prefeitos, vereadores e auxiliares do Governo do Estado.

Programa ‘Parceiros da Habitação’ – A iniciativa do Governo do Estado, em parceria com entidades, prefeituras e mutuários, viabilizará a construção de casas que seguirão o padrão de 42,2m², tanto na modalidade conjunto, quanto isolada, sendo compostas por dois quartos, sala, cozinha, área de serviço e banheiro, atendendo famílias com renda de até três salários mínimos. As etapas do programa compreendem a análise da proposta e apresentação de documentos técnicos, sociais e jurídicos para a elaboração do cronograma de obra, seleção de beneficiários e assinatura do termo de cooperação e compromisso.

O estado participará com o auxílio econômico pré-estipulado, disponibilizará os projetos como assistência técnica, acompanhamento social e fiscalização da obra, podendo ofertar áreas para a implantação e colaborar com a infraestrutura.

Os parceiros poderão participar do programa através da disponibilização de materiais, mão-de-obra ou repasse de recursos. Os beneficiários selecionados também poderão participar como parceiros da iniciativa.

SECOM-PB

 

 

João anuncia concursos e detalha investimentos de R$ 1,8 bi para 2020

O governador João Azevêdo (sem partido) realizou, nesta segunda-feira (6), durante solenidade no Teatro Paulo Pontes, no Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa, a prestação de contas das ações e obras realizadas pelo Governo do Estado, em 2019. Na ocasião, o gestor também anunciou investimentos de R$ 1,8 bilhão para o ano de 2020, que incluem concursos para o magistério, Porto de Cabedelo, Procuradoria Geral do Estado (PGE) e Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa).

Concursos
Teatro Paulo Pontes, no Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa (Foto: José Marques/Divulgação/Secom-PB)

Além da previsão dos concursos públicos, o chefe do Executivo estadual irá empossar os aprovados no concurso do magistério de 2019 e 400 agentes socioeducativos da Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente Alice de Almeida (Fundac) e concederá o reajuste do piso do magistério e correção do salário mínimo.

2020

Educação

Na educação, o Governo do Estado irá implantar 76 Escolas Cidadãs Integrais (ECIs), distribuídas em 151 municípios da Paraíba, com a oferta de 73 mil vagas. Também serão iniciadas a construção de 29 escolas e de 21 blocos de laboratórios, reforma de 32 escolas, entrega de 66 ginásios do programa Bom de Bola, ampliação dos programas Primeira Chance, Gira Mundo Estudante, Gira Mundo Professor, Ouse Criar, Escola de Valor e Mestres da Educação e ampliação de bolsas para pesquisas científicas.

Os convênios com os municípios na área irão permitir a aquisição e disponibilização de 58 ônibus, construção de 23 escolas, reformas de 28 unidades escolares e disponibilização de 32 conjuntos de equipamentos, laboratórios, mobiliários e veículos tipo Van, representando recursos na ordem de R$ 291,6 milhões.

Saúde

Na saúde, estão previstos a implantação do novo modelo de gestão hospitalar na Paraíba através da criação da Fundação de Saúde (PB Saúde), convênios com o Hospital Padre Zé, Napoleão Laureano e FAP, ampliação da Rede Cuidar direcionada à saúde da mulher, conclusão do programa Opera Paraíba e a implantação da Escola de Saúde Pública, totalizando investimentos de R$ 147,7 milhões.

Segurança

Na segurança, o governo irá implantar a primeira fase do sistema de monitoramento da segurança em João Pessoa, Campina Grande e Patos, iniciar as obras do novo Centro de Treinamento do Corpo de Bombeiros, implantar o Batalhão Ambiental e Apoio ao Turista, iniciar a reforma do Batalhão e canil do Bope e adquirir equipamentos de apoio ao sistema de segurança, representando R$ 189,4 milhões de recursos.

Trânsito

Também serão aplicados R$ 20 milhões na gestão de trânsito, por meio de implantação de novas Ciretrans nos municípios de Sousa, Catolé do Rocha, Santa Rita/Bayeux, Cabedelo e Monteiro, acesso a Ciretran de Cajazeiras e  reformas das Ciretrans de Araruna, Campina Grande, Conceição, Guarabira, Itaporanga e João Pessoa (sede e Valentina).

Presídios

O governo também prevê investimentos de R$ 42,8 milhões na administração penitenciária, com  a construção de mais um pavilhão e do Centro de Saúde no presídio Sílvio Porto, reforma do presídio Flósculo da Nóbrega, em João Pessoa, e Raimundo Asfora, em Campina Grande, construção do novo presídio em Gurinhém e ampliação de ações de ressocialização com a instalação de unidades de produção industrial dentro dos presídios.

Desenvolvimento humano

No segmento do Desenvolvimento Humano, a gestão estadual irá ampliar o cartão alimentação, o número de restaurantes populares e manterá os convênios para assistência com as entidades sem fins lucrativos e o abono natalino, assegurando investimentos de R$139 milhões.

Mulher e Diversidade Humana

Na pasta da Mulher e Diversidade Humana, serão realizadas a ampliação do programa integrado patrulha Maria da Penha, a criação da casa de acolhida provisória para mulheres vítimas de violência, do Centro de Referência de enfrentamento ao racismo e intolerância religiosa da Paraíba e do programa integrado para atenção à população LGBT em situação de rua e idosos, além do acompanhamento dos LGBT+ no sistema prisional por meio do programa Transforma.

Esporte

No esporte, os investimentos de R$ 7 milhões serão aplicados no programa Incentiva Esporte, que prevê o incentivo a diversas modalidades esportivas no estado.

Cultura

Na cultura, será iniciada a implantação do museu da Paraíba no Palácio da Redenção, a realização de 12 festivais de cinema por todo estado, a ampliação das ações nas áreas de música, teatro, circo, dança, literatura, artes visuais, cinema e educação e a instituição do ano cultural Mestre Sivuca e da celebração do centenário Celso Furtado. Os investimentos somam R$ 23,4 milhões.

Rodovias

Na área da infraestrutura rodoviária, estão previstas a conclusão das obras da PB-383 – Lastro/divisa RN, PB-200 – Juazeirinho/Santo André e PB-087 – Pilões/entroncamento PB-085 (Serraria). Serão iniciadas as obras PB-151 – Picuí /Nova Floresta, PB-100 – Queimadas / Fagundes, PB-394 – entroncamento BR-230 – Engenheiro Avidos e PB-099 – Lagoa Seca – Puxinanã. Também serão iniciadas as travessias urbanas nas cidades de São Mamede, Alagoa Grande, Damião, Logradouro, Barra de Santa Rosa e Sousa, a Ponte das Pedrinhas, em Sousa, e o arco metropolitano leste de Campina Grande, bem como as obras do contorno de Bananeiras,  recuperação da PB-323 (Catolé/Brejo do Cruz/São Bento/limite RN), a conclusão das três obras de mobilidade urbana de João Pessoa e iniciado o programa estradas da cidadania, contemplando comunidades de Pocinhos, Areia, São Francisco, Lagoa Seca, Santana dos Garrotes, Sapé, São João do Cariri e Alagoa Nova, totalizando recursos na ordem de R$ 178 milhões. Já R$ 37,6 milhões serão investidos na infraestrutura aeroviária, com o início da  construção do novo aeroporto de Patos e implantação do balizamento noturno dos aeródromos de Sousa, Iitaporanga, Catolé do Rocha e Monteiro.

Água e esgoto

Já as ações de saneamento e recursos hídricos serão destinadas ao início das obras do sistema adutor Arara/Solânea/Bananeiras/Casserengue; das obras de extensão do sistema adutor Transparaíba para Juazeirinho, Tenório, Junco do Seridó, Assunção e Taperoá; das obras de melhoria e reforma em estações de tratamento e reservatórios em todas as regionais e das obras da barragem Cupissura. Também estão previstos a recuperação do sistema de esgotos na Grande João Pessoa, a ampliação da rede de distribuição de abastecimento de água de vários municípios, início da implantação de dez barragens para produção agrícola, conclusão de barragem e sistema adutor Retiro e da 4ª adutora de Cajazeiras e o início do sistema adutor de São Gonçalo/São João do Rio do Peixe, somando recursos de R$ 376 milhões.

Empreendedorismo

Em relação ao empreendedorismo, a gestão estadual pretende conceder 3.500 novos créditos nas 14 regiões do estado, capacitar 4.500 proponentes durante todo o ano e realizar sete edições de feiras de negócios, representando recursos na ordem de R$ 22 milhões.

Turismo

Na área do Turismo, serão iniciadas a construção do Centro de Convenções de Campina Grande, de resorts no polo cabo branco e da 3ª etapa do Parque Parahyba e realizada a ampliação da participação dos artesãos nos salões de João Pessoa e Campina Grande, resultando em investimentos de R$ 153 milhões.

Habitação

A ampliação do programa Cidade Madura, em Monteiro e Bayeux, a implantação da agrovila Acauã e o lançamento do programa de Habitação do Governo do Estado são ações previstas na habitação, que receberá investimentos de R$ 27 milhões.

Agropecuária e pesca

Na área da agropecuária e pesca, estão previstas a revitalização e qualificação da cultura da palma forrageira em 338 hectares em 169 municípios, aquisição e distribuição de sementes na época certa, realização de exposições agropecuárias, além do funcionamento dos quatro abatedouros construídos em Uiraúna, Mari, Solânea e Monteiro (caprinos e ovinos), injetando recursos de R$ 25,3 milhões no segmento.  Além disso, R$ 60 milhões serão investidos no programa Paraíba Rural Sustentável.

 

portalcorreio

 

 

Câmara de Bananeiras devolve recursos a prefeitura com pactuação de investimentos para segurança, recursos hídricos e saneamento

A Câmara Municipal tem seus recursos provenientes de uma parcela do orçamento do Município, que é reservada exclusivamente para o Legislativo. Com este orçamento, a Câmara mantém todos os serviços essenciais da instituição e pode ser aplicado no âmbito do Poder Legislativo.

“A Câmara vem se empenhando para, além de encaminhar os trabalhos legislativos que são de sua atribuição, colaborar com a solução dos problemas da cidade por meio da administração de seu orçamento”, disse o presidente da Casa de Leis.

Nesse sentido, o Presidente Kilson Dantas economizou o suficiente para reformar e ampliar a Câmara e ainda devolveu para o Poder Executivo o montante de vinte e três mil, duzentos e oitenta e três reais e quarenta e sete centavos (R$ 23.283,47).

A quantia devolvida é fruto da economia e responsabilidade implantadas pela presidência da Casa e apoio dos vereadores, o que certamente irá colaborar com o município.

ENTENDA A DEVOLUÇÃO

Os recursos repassados pelo Poder Executivo para o Legislativo, quando não são gastos, por lei, as Câmaras são obrigadas a devolver o montante. No entanto, cada Câmara tem total autonomia para gastar 100% do valor caso julgue necessário, cabe então à Presidência de cada Câmara definir quais serão as prioridades e quanto será gasto pela instituição.

Nessa devolução, por exemplo, a atual presidência optou por economizar e devolver dinheiro à Prefeitura para que a população seja beneficiada, pactuando assim ações em segurança, com aquisição de coletes balísticos para a Guarda Civil Municipal (GCM); recursos hídricos através de perfuração de poço e melhoria de saneamento básico via pavimentação.

Ascom-CMB

 

Prefeito de Solânea entrega R$ 120 mil em investimentos na saúde do município

Em cerimonia, foram entregues para uso da população dois carros Ford Ka e equipamentos para tratamento de fisioterapia.

Governo de Solânea investe cerca de R$ 120 mil na Secretaria de Saúde para melhorias no atendimento à população de Solânea. Foram entregues em cerimônia ontem (07) um veículo zero quilômetro Ford Ka e R$ 40 mil em equipamentos para tratamento de fisioterapia ao Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf) e outro carro zero quilômetro Ford Ka para uso no Centro de Atenção Psicossocial (Caps).

Centenas de pessoas estiveram presentes na cerimônia de entrega, entre elas autoridades do município e estaduais, com a presença do Deputado Estadual Ricardo Barbosa, usuários da saúde, moradores e profissionais da área.  “Essa é uma conquista de todos. Ficamos muito gratos em, com nosso trabalho, proporcionar melhorias que irão suprir as necessidades dos serviços e beneficiar a população”, contou o prefeito de Solânea, Kayser Rocha. Durante a cerimônia Kayser recebeu uma homenagem da equipe do Nasf pelos serviços prestados à população e atenção à saúde.

Dois veículos e aparelhos novos trazem melhorias

Os novos aparelhos de tratamento para fisioterapia e os veículos irão suprir as necessidades de atendimento e deslocamento de pacientes. “Atendemos centenas de pacientes com visitas domiciliares e realizamos deslocamento para tratamento e atenção na saúde”, contou o coordenador do Caps Danilo Fernandes. Para a coordenadora do Nasf, Aleine Menezes a renovação do material irá proporcionar a ampliação do atendimento. “Estamos renovando todo o nosso material e poderemos atender ainda melhor quem precisa. Vamos distribuir alguns equipamentos para as Unidades Básicas de Saúde o que ampliará os benefícios”, contou.Os equipamentos foram adquiridos com recursos próprios.

           

 Assessoria de Comunicação

 

Quais investimentos são mais rentáveis que a poupança

Segundo uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira da Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA), em 2017, menos de 10% da população brasileira investiu o dinheiro em aplicações com alta lucratividade.

Outro dado bastante revelador do comportamento do brasileiro apontado pela pesquisa é que menos da metade da população brasileira tinha alguma reserva de dinheiro para alguma emergência. Na época, apenas 42% dos brasileiros entrevistados tinham alguma poupança.

Ou seja, o perfil do brasileiro é de não poupar, não ter reservas financeiras e, além disso, de não aplicar o dinheiro, de não investir. E os que investem, geralmente, têm um perfil mais conservador, guardando a reserva em poupanças, por exemplo, que são investimentos não tão lucrativos assim.

Mas é bem possível encontrar um perfil de investimento que seja mais rentável que a caderneta de poupança, e, ao mesmo tempo, não seja tão arrojado, que não gere tantos riscos para o investidor. Quer saber quais? Nós fizemos uma lista com os principais.

Rendimento da poupança

A poupança é o tipo de investimento mais comum entre os brasileiros e os mais diversos bancos oferecem essa opção para os seus clientes. No entanto, é válido observar que é uma maneira de investir bem conservadora.

Isto é, o investidor não corre muitos riscos, o dinheiro fica lá aplicado e não há chance de perdê-lo. Mas a poupança também não gera muito lucro, já que a sua rentabilidade é de 4,55% ao ano e de cerca de 0,37 ao mês.

O que isso significa? Bem, vamos supor que você coloque R$ 100,00 em uma caderneta de poupança. Ao fim de um ano, você vai encontrar R$104,55 reais lá. Um lucro muito pequeno se comparado a outros investimentos.

Alternativas à poupança

Para pensar nas melhores alternativas à poupança, antes de mais nada é preciso considerar o perfil do investidor. Em outras palavras, é necessário levar em conta o quanto a pessoa quer lucrar, para qual objetivo e, em quanto tempo a pessoa quer obter o lucro.

A seguir, nós elencamos algumas alternativas à poupança que têm boa lucratividade.

Tesouro Direto

Se você acompanha o noticiário de finanças e economia, com certeza já ouviu a expressão “investir no Tesouro Direto”, certo? E você consegue imaginar o que seja isso?

Bem, o Tesouro Direto é um fundo de investimentos criado pela Bolsa de Valores de São Paulo em parceria com o Tesouro Nacional. Nesse tipo de investimento, a pessoa que compra títulos da dívida pública empresta um dinheiro para a União e para os estados.

Esse dinheiro emprestado será utilizado para a realização de obras e serviços. E, ao fim de um período pré-estabelecido, a pessoa recebe o dinheiro de volta, acrescido de uma quantidade de juros. Há vários títulos que podem ser obtidos no Tesouro Direto, um deles é o Tesouro Selic, também chamado de Letra Financeira do Tesouro.

Características do Tesouro Selic

O Tesouro Selic possui alta liquidez, ou seja, é um investimento que transforma de maneira rápida os bens e ativos em capital (em lucro). Além disso, é um investimento mais conservador, já que a sua volatilidade também é baixa (é um investimento que não oscila tanto).

Nota-se que, o investidor deve declarar ao Imposto de Renda a rentabilidade obtida durante o investimento, ou seja, este não é um investimento com isenção de IR.

Letra de Crédito Imobiliário (LCI)

A Letra de Crédito Imobiliário (LCI), como o nome já sugere é uma aplicação que está ligada, diretamente, ao setor imobiliário. Em tese, o investidor está emprestando dinheiro para o setor imobiliário e, em troca, recebe uma taxa de juros.

O lucro obtido com uma aplicação do tipo LCI pode variar de acordo com as oscilações do Certificado de Depósito Interbancário (CDI) que fica muito próxima à taxa de juros Selic- cerca de 6,5% ao ano. Neste caso, diz-se que a LCI é pós-fixada.

Agora, se o investidor for mais conservador, ele pode optar por uma CDI pré-fixada. Com isso, ele sabe exatamente o quanto vai receber ao fim do investimento.

A boa notícia é que a LCI é isenta de Imposto de Renda, isto é, o investidor não precisa declará-la no IR. E, segundo os consultores de finanças, o investimento rende mais do que a poupança.

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

No caso do Certificado de Depósito Bancário (CDB), o investidor está emprestando dinheiro para o próprio banco. Ficou curioso para entender? É que o CDB é um título emitido pelos bancos para captar recursos para as suas atividades-fim, isto é, para que eles tenham recursos para realizar financiamentos e empréstimos.

É válido notar que o CDB também fica indexado ao Certificado de Depósito Interbancário (CDI), por isso oferece uma maior rentabilidade ao investidor. Podem ser pré-fixados, quando o investidor sabe exatamente o quanto de lucro vai obter; pós-fixados e mesmo híbridos.

De forma geral, os títulos CDB costumam ser mais rentáveis quanto mais tempo ficarem investidos.

É interessante notar que o mercado financeiro oferece diversas opções de financiamento e cada qual possui uma rentabilidade específica. É importante consultar o seu gerente para decidir quais têm características mais próximas ao seu perfil.

 

Conteúdo Gear Seo

 

 

Por que os investimentos a longo prazo são um bom negócio?

De modo geral, os brasileiros pensam mais no curto prazo; então, economizar e preparar-se para daqui 20 ou 30 anos não é algo que se ouve comumente nas rodas de conversa. No entanto, é sim um assunto que deve ser pensado para que se tenha, acima de tudo, tranquilidade.

Mais do que estar milionário, pensar no futuro é estar preparado para imprevistos e para mudanças grandes de vida que venham a acontecer, como comprar uma nova casa ou ter um filho. Com isso, ainda que não saiba onde estar daqui a 10 anos, já é possível ter a certeza de que estará preparado.

Mas como realmente se prevenir? Um dos caminhos mais assertivos é o dos investimentos: assim, ao pensar no longo prazo e adquirir aplicações que tenham essa característica, o investidor fica preparado para colher bons retornos no futuro.

Mas o que é longo prazo? Quanto tempo deve ter?

No mundo dos investimentos, considera-se longo prazo investimentos que tenham duração maior que um ano. Claro, esse é um período padrão, mas não significa que é válido para todos os investidores.

Nesse momento, é natural pensar: “mas um ano parece muito pouco”. Sim, isso é certo; mas levando em conta que existem muitas negociações na bolsa de valores que duram segundos, ou dias, um ano é, na realidade, um tempo aceito como longo prazo.

Ainda assim, tudo vai depender do perfil do investidor e da sua estratégia de aplicação, pois há situações que o longo prazo dura cerca de 5 anos, ou mesmo 10 e, em outros momentos, 1 mês é considerado longo prazo.

De todo modo, uma coisa é certa, a ideia de longo prazo é válida para quem pensa no futuro, com o propósito de aumentar e proteger o patrimônio atual. Por isso, é muito comum observar que é um período indicado para quem pensa na aposentadoria, na criação dos filhos ou mesmo na compra de uma casa.

Por que é vantajoso investir no longo prazo?

A regra de qualquer investimento é que, quanto mais tempo determinada quantia fica na aplicação maior são seus rendimentos. Isso, porque a ação dos juros compostos tem mais peso conforme o tempo.

Com isso, fica mais simples entender o porquê aplicações de longo prazo são mais interessantes do que as de curto e médio prazos. Junto a isso, entra também o fator orçamento, pois a maioria das pessoas não possuem recursos para economizar grandes quantias em pouco tempo.

Em grande parte das vezes, resta apenas alguns poucos reais do salário para poder investir e multiplicar o patrimônio; por isso, é fundamental que elas se antecipem o máximo que podem a fim de conseguir grandes montantes para realizar seus objetivos.

Nesse ponto, novamente, entram o poder dos juros composto!. Claro, é possível lembrar-se desse poder de modo negativo, quando os juros do cartão de crédito ou do cheque especial comprometem o orçamento, mas é importante saber que eles podem fazer grandes coisas positivamente também.

Outro ponto interessante é a união do prazo com a liquidez. Para quem não sabe, liquidez é a capacidade de determinado investimento tornar-se dinheiro em conta, ou seja, o quão fácil é, por exemplo, vender um ativo no mercado financeiro.

Para o longo prazo, quando se pretende resgatar os rendimentos apenas no fim da aplicação, não é preciso preocupar-se com a liquidez. Como ativos menos líquidos tendem a gerar mais rentabilidade, o investidor pode optar por produtos financeiros mais vantajosos.

Por fim, mas não menos importante, demorar mais para resgatar um investimento significa também pagar menos Imposto de Renda. Como as cobranças — principalmente em títulos de renda fixa — são feitas de forma regressiva, é possível diminuir o valor da alíquota ao mínimo.

Lembrando de novo: tudo depende, claro, do objetivo que se pretende realizar. Investir no longo prazo é excelente, desde que se tenham sonhos em um futuro mais distante; do contrário, é mais inteligente encontrar uma aplicação que esteja em concordância com as metas.

 

Conteúdo Gear SEO

 

 

João Azevêdo anuncia investimentos de R$ 2 milhões do Empreender-PB

O governador João Azevêdo anunciou, nesta terça-feira (16), no auditório da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (Fiep), em Campina Grande, a abertura de inscrições para concessão de créditos do Programa Empreender Paraíba para 300 comerciantes que irão participar dos festejos juninos da Rainha da Borborema. Na ocasião, também foram assinados 24 contratos com empreendedores do município. As ações totalizam investimento superior a R$ 2 milhões.

Prestigiaram a solenidade, o deputado estadual Inácio Falcão, os vereadores Anderson Maia, Pâmela Vital, Bruno Faustino e Galego do Leite, além de auxiliares do Governo da Paraíba.

Na oportunidade, o chefe do Executivo estadual ressaltou a importância do programa Empreender para o fortalecimento da economia. “Hoje nós estamos em Campina Grande, às vésperas do São João, numa ação que beneficia cerca de 300 comerciantes com mais de R$ 2 milhões em investimentos; isso é importante porque temos uma lógica de que quanto mais a gente injetar recursos na base da economia, mais ela se desenvolve. Esses recursos não só beneficiarão os que foram afetados pelo incêndio do ano passado, mas aos comerciantes de uma forma geral. Esse tipo de injeção na economia tem retorno na base porque o cidadão beneficiado transforma isso em consumo imediato”, observou.

João Azevêdo lembrou que o Empreender já investiu mais de R$ 150 milhões, beneficiando cerca de 30 mil famílias da Paraíba e continua proporcionando a realização de sonhos. “Eu não tenho dúvida nenhuma de que uma ação como essa, além de fortalecer a maior festa da Paraíba, vai permitir que os comerciantes transformem e multipliquem esses recursos, com aquisição de equipamentos e materiais para se manter durante o ano; 2019 marcará o São João de todos nós”, acrescentou.

O secretário do Turismo e do Desenvolvimento Econômico, Gustavo Feliciano, enalteceu as ações do Governo em Campina Grande. “Eu quero louvar esse ato da gestão de investir mais de R$ 2 milhões no município, apesar do momento de crise. Eu sou de Campina Grande e sei do esforço das pessoas que dormem tarde e acordam cedo para que consigamos fazer essa grande festa”, comentou.

O presidente da Associação dos Comerciantes, Barracas Físicas e Ambulantes das Festas Juninas e Culturais de Campina Grande, Marconi Araújo, elogiou a atenção do Governo do Estado aos comerciantes da Rainha da Borborema. “Eu quero agradecer ao governador pelo empenho e dedicação e por garantir essa oportunidade aos comerciantes de Campina Grande que estavam precisando dessa ajuda por conta da dificuldade que enfrentamos com o incêndio; esse empréstimo chegou no momento certo e não vai beneficiar apenas quem foi prejudicado”, frisou.

O mesmo sentimento foi compartilhado pelo presidente da Associação dos Barraqueiros do Parque do Povo, Lucinei Cavalcante. “O Estado está disponibilizando mais de R$ 2 milhões via Empreender, respeitando a capacidade de pagamento de cada um, com carência e juros abaixo do mercado, só posso agradecer pela sensibilidade e coragem, dando alento e conforto para fazermos o melhor São João do mundo”, enfatizou.

A artesã Sebastiana Amorim, contemplada com o crédito do Empreender,  afirmou que pretende investir o dinheiro na ampliação do seu negócio. “Vou investir em material para conquistar novos clientes, conseguir atender a demanda de encomendas e ter capital de giro.  Os recursos estão chegando numa boa hora e é uma grande oportunidade que nós estamos tendo”, comentou.

Edival Farias, que comercializa bebidas e comidas no Parque do Povo, já planeja oferecer um ambiente mais confortável aos clientes. “Vai ser muito bom porque não tenho como investir como queria e temos muitos custos com espaço, bebidas, água e energia e com esse empréstimo vou fazer uma melhor decoração e comprar produtos de melhor qualidade”, disse.

Romildo Cavalcanti elogiou a iniciativa da gestão estadual de investir no pequeno comerciante. “A gente realmente precisava dessa ajuda do Governo do Estado para poder movimentar o comércio e esse investimento gera desenvolvimento econômico para nossa cidade. O Maior São João do Mundo não é só de Campina, mas é do Brasil e, agora, as pessoas estarão mais preparadas e com mais condições de trabalhar”, pontuou.

Luiz Pereira disse que o Empreender representa a possibilidade de recomeço, após perder R$ 15 mil em produtos e materiais por conta do incêndio ocorrido em 2018, no Parque do Povo.

“Eu perdi freezer, fogão, televisão, pratos, chapas, bebidas, enfim, eu perdi tudo. O Empreender vai chegar numa boa hora porque numa crise dessa não teria como comprar tudo de novo e torço para que tudo dê certo”, falou.  Ao longo da história do Empreender PB, já foi investido no município de Campina Grande o montante de mais de R$ 12 milhões em quase dois mil contratos efetivados.
O Programa Empreender PB tem como prioridade a concessão de crédito produtivo orientado com o objetivo de incentivar a geração de ocupação e renda entre os empreendedores paraibanos, bem como apoiar e fortalecer a economia solidária, o microempreendedor individual, o microempresário, o empresário de pequeno porte e as cooperativas de produção da Paraíba.

Secom-PB 

Foto: Secom-PB