Arquivo da tag: indignação

Arquidiocese da PB relata indignação por condução de padre do Conde à delegacia

A Arquidiocese da Paraíba divulgou, na tarde desta quarta-feira (07), uma nota na qual informou que acompanha com indignação o episódio ocorrido no último sábado, dia 03 de outubro, quando foi informada que um dos seus sacerdotes, o Padre Luciano Lustosa, administrador da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, na cidade do Conde/PB, foi conduzido de forma coercitiva para a delegacia da cidade de Alhandra/PB.

O religioso, na ocasião, gravou um vídeo no qual criticou a prefeita do Conde, Márcia Lucena, responsabilizando-a por sua prisão e atribuindo o fato à decisão dele de ter pintado o cruzeiro em frente à igreja de marrom, quando a prefeitura havia pintado de azul.

CONFIRA A NOTA

“A Arquidiocese entende que se tratou de uma exposição desnecessária no contexto de um estado democrático de direito e respeito às garantias fundamentais do cidadão. Causa-nos estranheza que um sacerdote seja abordado por agentes públicos sob a alegação de que teria cometido um crime de desobediência, sem que os mesmos tenham uma determinação judicial que justificasse tal ato ou diante de um flagrante delito. A Arquidiocese, através do seu Arcebispo Metropolitano e da Assessoria Jurídica, está acompanhando toda a repercussão deste episódio, tudo para que a verdade seja esclarecida. À comunidade católica arquidiocesana, informamos que o Padre Luciano está sendo devidamente assistido de modo institucional, jurídico e espiritual. À sociedade paraibana, apresentamos o nosso desejo de que tudo seja resolvido com a licitude e lisura necessárias. Reivindicamos que o caso seja acompanhado com o devido respeito às pessoas envolvidas e às instituições públicas e religiosa, que buscarão todos os meios para elucidar o caso, à luz da justiça, da democracia e da verdade, tudo a evitar qualquer espécie de abuso de autoridade posterior”.

A prefeita Márcia Lucena negou que tenha determinado a prisão do padre ou mesmo orientado a Guarda Municipal para que tomasse qualquer atitude contra o religioso.

 

pbagora

 

 

Pastora causa indignação ao defender que amputados ou deficientes físicos sejam proibidos de pregar

pastoraUma pastora causou indignação ao afirmar que em sua igreja, um amputado ou portador de necessidades especiais pela ausência de algum membro não pode pregar ou dirigir um culto.

Maria Luisa Piraquive, líder da Igreja de Deus Ministério de Jesus Cristo Internacional, disse entender que não é “certo” que alguém que não tenha qualquer parte do corpo dirija a Palavra à congregação.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Por exemplo, vamos dizer que um irmão muito dedicado e usado pelo Senhor na igreja, infelizmente sofreu um acidente e perdeu um membro de seu corpo. A partir desse ponto, ele não pode pregar. Isto, por causa da consciência. Quero dizer, as pessoas vão dizer que eles não gostam disso [deficiência] e não retornarem. Outros dirão que é por causa da estética”, afirmou a pastora Maria Piraquive.

Tentando reforçar seu argumento, a pastora ilustrou: “Algumas pessoas vêm para a igreja, sem um olho, sem um braço ou uma perna ou defeitos físicos , você não pode nomear essa pessoa como um pregador, por questão de consciência, porque isso é errado”, comentou.

Numa tentativa de reforçar seu argumento, a pastora disse que, enquanto em outros países as igrejas concordam que todas as pessoas preguem, na sua denominação isso não vai acontecer porque a igreja “é dirigida pelo Espírito Santo, e um só Deus quem governa”.

A pastora, que é mãe de um senador na Colômbia, disse ainda que há lugares que a falta de um membro se torna uma credencial para os pregadores, e que isso não agrada a Deus: “Em outros países apreciam que o pregador seja um deficiente ou desativado. Eu acho que esses países devem respeitar as nossas leis como uma igreja. Isso porque as pessoas com deficiência processam e diz que o governo não vai deixá-lo pregar. Ao fazer isso Deus os punirá e tirará da igreja”, disse.

Mais Gospel 

Blogueiro de Araruna, mostra sua indignação com o transporte de universitários Ararunenses para outras cidades

rafael

Blogueiro de Araruna, Wellington Rafael, proprietario do Blog do Wellington, conceituado blog onde são postados Historias de Araruneneses ilustres, clique e acesse veja o blog, posta no seu Facebook comentário a respeito do transporte universitário de Araruna, onde o mesmo enfatiza que em municípios circunvizinhos e menores que esta municipalidade dispõe condução gratuita a seus estudantes de níveis superiores, ele ainda comenta sobre as desculpas dadas pela autoridade competente, quando diz que não existem verbas especificas pata tal fim e que inclusive falam que tal ação seria questionada pelo MP(Ministério publico) e também do pagamento de apenas 50% do veiculo locado pelos estudantes Ararunenses por parte da Prefeitura Municipal de Araruna. O Blogueiro ainda conclama todos a lutarem por estes benefícios aos universitários. A postagem até o momento já tinha recebido vários comentários e curtidas, inclusive do ex-canditato a vereador Caio Ludgerio que disse:” Grande pena e na hora de escolhermos nossos representantes a populacao #Ararunense continuar apostando em uma administracao retrogada, que nao olha para os filhos da terra, e ainda mais pessoas que nem se quer residem em nosso municipio e ainda por cima mal aparecem na cidade. Amigo um dia #Araruna vai experimentar o desemvolvimento verdadeiro voltado aos filhos dessa acolhedora cidade e nao o que existe hoje uma busca sem excrupulos pelo o poder! e a populacao esquecida” (veja o link no facebook)

 

O município de Solânea através do prefeito recém-eleito, Beto Brasil, conversou Conselho Municipal de Juventude de Solânea que entregou um projeto de lei que regulamenta esta ação perante a Prefeitura e que será enviado a Câmara Municipal de Solânea para que os parlamentares possam aprovar e depois o prefeito possa sancionar a lei e assim os estudantes passem a usufruir tal beneficio.(veja matéria)

 

Já municípios vizinhos, tais como Tacima, Riachão, São José de Campestre entre outros apoiam os universitários locais.

Esta celeuma acontece em vários municípios e já é matéria na Câmara federal, onde o projeto de lei Lei 2564/11, do Senado, que inclui no Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (Pnate) a assistência financeira ao transporte intermunicipal de alunos do ensino superior que estudam em municípios afastados de onde residem.

De acordo com a proposta, os recursos financeiros repassados pela União aos municípios para o transporte de estudante universitário levarão em conta o número de universitários aptos a usar o transporte e a quilometragem percorrida, limitada em 200 km por dia.

 

Vemos que é facil resolver este problema, basta todos se unirem e procurem seus representantes para buscarem meios legais para solução deste imbroglio, no entanto sabemos que a resolução se dar atraves de lei e que esta deve ser enviado pelo representante do poder executivo, o prefeito do muncipio, pois esta lei gera e despesa.

 

O vereador Adailson Bernardo se prontificou desde já apoiar esta ação e irá protocolar segunda-feira, 18, “Requerimento” solicitando do poder executivo o pagamento dos 100% do veiculo locado, pois se pode pagar 50% tambem poderá se pagar o restante. Como tambem ele disse a reportagem que fará uma “Indicação” a prefeita para que a mesma envie projeto de lei regulamentando esta ação.

 

 

Veja o que postou o blogueiro

 

“Excelente a iniciativa dos prefeitos de nossa região que investem e incentivam os jovens do município a vida acadêmica, em compensação lastimamos a Prefeitura de Araruna sequer disponibilizar a seus universitários um transporte gratuito integral, tendo os mesmos que arcarem com metade das despesas, enquanto a prefeitura concede a outra metade dos recursos para pagamento do transporte. Se questionados, alegam que o município de Araruna já possui universidade e que nenhum município brasileiro recebe recursos para o ensino superior, o que de fato é verdade, além de argumentarem que ceder transporte escolar seria uma prática negativa e questionável pelo ministério público, desculpas… Na verdade municípios menores da região incentivam muito mais seus jovens a vida universitária, e a não cobrança da comunidade sobretudo dos que de fato usufruiriam deste incentivo são esmagados pela falta de boa vontade e ação da gestão municipal pra solucionar este entrave. Além de ter universidade, Araruna deve ter universitários e incentiva-los nas mais diversas instituições de ensino superior e cursos, não podemos avançar em um aspecto e retroceder em muitos outros. #TRANSPORTE GRATUITO E INTEGRAL PARA OS UNIVERSITÁRIOS DE ARARUNA! “

 

 

Vejam o projeto de lei de Solânea:

 

LEI Nº 000/2013        

                DE  DE  FEVEREIRO DE 2013

 

Institui o Transporte Universitário Municipal

 

Art. 1° – A presente lei trata da competente autorização para o Poder Executivo Municipal de Solânea disponibilizar transporte aos alunos universitário do Município.

Art. 2° – Fica o Poder Executivo Municipal de Solânea autorizado a disponibilizar o transporte de alunos universitários que residem no município que viajam a outras cidades, para cursar Escolas de Nível Superior e outros, desde que obedecida às exigências desta lei.

Art. 3° – O Transporte será disponibilizado conforme a demanda do município.

Parágrafo Primeiro. Para fins do presente artigo fica o Poder Executivo Autorizado a contratar os serviços de transporte de alunos para outros municípios se necessário, podendo contratar profissionais e empresas que porventura já prestem os serviços ao Município.

Parágrafo Segundo. Caso haja vagas remanescentes de assentos de veículos disponibilizados pelo Município para o transporte universitário será concedido 30% (trinta por cento) das vagas para alunos que frequentam instituições fora do Município de Solânea em cursinhos pré-vestibular, complementação pedagógica ou outros.

Art. 4° – Os interessados deverão cumprir as seguintes exigências:

§ 1º – O estudante deverá requerer os benefícios desta Lei, mediante ficha de inscrição devidamente preenchida e protocolada na Secretaria Municipal de Educação, protocolada no mês de janeiro a Fevereiro de cada ano, comprovando ainda, a matrícula em escola de nível universitário, ou outro, na forma desta lei.

§ 2º – O interessado que não efetuar pedido na Secretaria, somente terá direito ao benefício do transporte que trata esta Lei, se houver vaga na quantidade de assentos dos veículos disponibilizados.

§ 3º – Os alunos que se envolverem em algazarras ou ocasionarem danos aos veículos, durante o translado ida e volta, após apurada culpa, perderá o direito concedido por um tempo determinado pela Secretária Municipal de Educação, além do ressarcimento dos danos, e, em caso de reincidência responderá um processo judicial por dano ao Patrimônio Público.

§ 4º – Os benefícios desta lei somente serão concedidos caso haja demanda para o preenchimento de pelo menos 60% da capacidade de lotação de um veículo coletivo que possibilite transporte dos alunos.

§ 5º – O aluno que suspender a realização do curso – “trancar a matrícula” -, ou outro motivo durante o ano letivo, deverá comunicar a Secretaria Municipal de Educação no prazo de 10(dez).

§ 6º – Os alunos universitários deverão eleger um coordenador e um vice – coordenador para juntamente com o Conselho Municipal de Juventude de Solânea representar os alunos nas questões de interesse coletivo atinentes ao transporte universitário.

Art. 5º – O Município fornecerá o transporte universitário de alunos para outros Municípios, observando-se o interesse público e a disponibilidade material e orçamentária.

Art. 6º – As despesas decorrentes da aplicação desta lei correrão por conta de dotação própria do orçamento municipal e o financiamento dos serviços será subsidiado por um Fundo Municipal criado especificamente para esta finalidade e será gerenciado pelo Poder Executivo.

Art. 7° – Eventuais omissões necessárias para o fiel cumprimento desta lei poderão ser regulamentadas por decreto.

Art. 8º – Esta lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Solânea,  de Fevereiro de 2013.

 

Por Junior Bernardo/Araruna1

Capa de Placar com Neymar crucificado causa ‘profunda indignação’, diz CNBB

A CNBB ( Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) manifestou nesta sexta-feira “profunda indignação” com a capa de outubro da revista Placar na qual o jogador Neymar aparece crucificado.

A entidade diz reconhecer o princípio da liberdade de expressão, mas que “há limites objetivos no seu exercício”.

“A ridicularização da fé e o desdém pelo sentimento religioso do povo por meio do uso desrespeitoso da imagem da pessoa de Jesus Cristo sugerem a manipulação e instrumentalização de um recurso editorial com mera finalidade comercial”, diz a nota.

“A publicação demonstrou-se, no mínimo, insensível ao recente quadro mundial de deplorável violência causado por uso inadequado de figuras religiosas, prestando, assim, um grave desserviço à consolidação da convivência respeitosa entre grupos de diferentes crenças”, prossegue.

Em entrevista ao [B]UOL[/B], antes da emissão da nota da CNBB, o diretor da Placar, Maurício Barros, havia dito que a intenção da revista com a imagem era questionar a posição de vilão em que Neymar foi colocado, frequentemente acusado de cai-cai, ou antiético.

Barros havia declarado ainda que o objetivo não era comparar o jogador com Jesus Cristo.

“Acho que pode haver a comparação porque Jesus Cristo foi o crucificado mais famoso, mas a nossa analogia é com a execução, como a crucificação como elemento histórico de execução pública”, disse ele.

No entanto, o comunicado, que é assinado pelo cardeal Raymundo Damasceno Assis, arcebispo de Aparecida e presidente da CNBB e Leonardo Ulrich Steiner, bispo auxiliar de Brasília e secretário geral da entidade, afirma que “a fotomontagem usa de forma explícita a imagem de Jesus Cristo crucificado, mesmo que o diretor da publicação tenha se pronunciado negando esse fato tão evidente”.

A nota termina dizendo que “isso se constitui numa clara falta de respeito que ofende o que existe de mais sagrado pelos cristãos e atualiza, de maneira perigosa, o já conhecido recurso de atrair a atenção por meio da provocação”.

Uol