Arquivo da tag: IBGE

Paraíba produziu mais de 4 mil toneladas de camarão em 2019, de acordo com o IBGE

A Paraíba produziu 4,3 mil toneladas de camarão em 2019, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo a pesquisa divulgada nesta quinta-feira (15), a produção paraibana aumentou 403,1% em sete anos.

Em 2013, a produção era de 864 toneladas e não ultrapassou mil toneladas até 2017, quando atingiu a marca de 2,5 mil toneladas.

Os principais produtores de camarão, em 2019, foram os municípios de João Pessoa, responsável por 850 toneladas, Santa Rita, com 800 toneladas, e São Miguel de Taipu, Itatuba e Itabaiana, com 300 toneladas cada.

Segundo a pesquisa, em 2019, foram faturados R$ 79,1 milhões pela produção total de camarão no estado.

O IBGE também levantou dados sobre a produção de peixes na Paraíba. Em relação a 2013, quando o total foi de 978,4 toneladas, a produção de peixes teve alta de 143,2%, com 2,8 mil toneladas em 2019.

Já os rebanhos bovinos tiveram uma alta de 33,7%, comparando 2012 a 2019. Em 2019, o efetivo alcançou a marca de 1,29 milhões de cabeças de bois no estado.

De acordo com o IBGE, também teve alta entre os caprinos, de 46,3%, registrando 692,4 mil cabeças em 2019, enquanto o ovino aumentou 78,8%, com 668,8 mil cabeças no último ano. Já o suíno cresceu 83,3% de 2012 a 2019, com 245,5 mil porcos.

No último ano, o rebanho paraibano de galináceos, que inclui frangos para abate, galinhas e galos, contava com 11,2 mil cabeças, já total de galinhas poedeiras de ovos, por sua vez, foi de 2,6 mil.

Extrativismo vegetal

A produção de mangaba da Paraíba foi a maior do país em 2019, com o volume de 735 toneladas, representando cerca de 42% do total brasileiro.

Mangaba; Paraíba foi o maior produtor da fruta em 2019, de acordo com o IBGE — Foto: Reprodução/TV Sergipe

Mangaba; Paraíba foi o maior produtor da fruta em 2019, de acordo com o IBGE — Foto: Reprodução/TV Sergipe

No extrativismo, o estado também se destaca no volume de produção da castanha de caju, como 3º estado no ranking nacional, e de umbu, em que ocupa o 5º lugar, segundo o IBGE.

Apesar disso, se considerados todos os produtos paraibanos obtidos por meio da extração vegetal, o estado registrou, em 2019, o 8º menor valor total de produção, de aproximadamente R$ 18,09 milhões. No Nordeste, a quantia só foi maior que as constatadas em Sergipe, de R$ 1,3 milhões, e Alagoas, R$ 3 milhões.

Já na silvicultura, a Paraíba também registrou um baixo valor de produção em 2019, de cerca de R$ 3 milhões. Esse foi o 5º menor total do país. A área total dedicada à atividade no estado também foi a 5ª menor do país, com 6,1 mil hectares.

G1

 

Paraíba é o segundo maior produtor de abacaxi do Brasil no ano de 2019, mostra IBGE

Dados da Pesquisa Agrícola Municipal (PAM), divulgada pelo IBGE nesta quinta-feira (1º), mostram que a Paraíba foi o segundo maior produtor de abacaxi do país, em 2019. Foram 307,1 milhões de frutos produzidos, o que tornou o estado responsável por 18,9% de toda a produção de abacaxi no país, atrás apenas do Pará, que teve 311,9 milhões. O levantamento apresenta informações sobre os principais produtos da agricultura nacional, como área plantada e colhida, quantidade produzida, valor da produção e rendimento médio obtido.

Conforme dados obtidos pelo ClickPB, mesmo que ocupe uma das primeiras posições no ranking nacional, frente a 2018, quando a produção paraibana foi de 334,8 milhões de frutos, houve queda de 8,3%. Nesse mesmo período, a pesquisa também constatou uma redução de 7,8% no total da área colhida desse produto.

O estado registrou, em 2019, ainda o maior valor de produção do país das lavouras de abacaxi, somando R$ 322,1 milhões. O estado do Pará, embora tenha produzido a maior quantidade, ficou em 2º lugar, com R$ 271,3 milhões. Por sua vez, o total brasileiro foi de R$ 1,9 bilhão.

Os principais produtores de abacaxi em 2019, entre os municípios do estado, foram:

  • Pedras de Fogo, responsável por 82,5 milhões de frutos;
  • Itapororoca, 69 milhões; Araçagi, 48 milhões;
  • Santa Rita, 24 milhões;
  • e Lagoa de Dentro, 12,3 milhões.

 

clickpb

 

 

Desemprego cresce e atinge 12,9 milhões em agosto, diz IBGE

O número de desempregados no Brasil atingiu 12,9 milhões em agosto, de acordo com a Pnad Covid19 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Pnad Covid19), divulgada nesta quarta-feira (23) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O número é 27,6% maior do que o registrado no início da pesquisa, em maio, quando havia 10,1 milhões de desempregados, conforme noticiou o Portal R7.

Em julho, para efeito de comparação, 12,3 milhões estavam sem trabalho. Portanto, houve um incremento de 600 mil pessoas no mercado e que estão sem emprego.

A taxa de desocupação entre as mulheres foi de 16,2%, maior que a dos homens, cuja taxa ficou em 11,7%.

Também há desequilíbrio entre os desempregados por raça. O desemprego foi maior para pretos ou pardos (15,4%) do que para brancos (11,5%).

Quanto à idade dos desempregados, 23,3% dos jovens de 14 a 29 anos estão sem trabalho. Por fim, por nível de escolaridade, apenas 6,8% daqueles que terminaram a faculdade ou a pós-graduação estão desempregados.

Afastados do trabalho

A pesquisa mostra que 6,7 milhões de pessoas estavam afastadas do trabalho pelas medidas de isolamento social impostas por causa da pandemia.

O Acre foi a unidade da federação com maior proporção de pessoas nesta situação (12,4%). Com exceção do Acre, Amapá e Rondônia, todas as unidades da federação registraram quedas no percentual de pessoas ocupadas afastadas do trabalho pelo distanciamento.

Entre os 6,7 milhões de ocupados que estavam afastados do trabalho, cerca de 1,6 milhão de pessoas (23,7%) estavam sem a remuneração.

Segundo o IBGE, “um reflexo do avanço no processo de retomada gradual das atividades foi o segundo aumento consecutivo, tanto no âmbito nacional quanto em todas as Grandes Regiões, do número de horas efetivamente trabalhadas. O número médio de horas habituais foi de 40,1 horas por semana e as que de fato foram trabalhadas na semana de referência foi, em média, de 34,1 horas”.


* Giuliana Saringer, do R7

 

 

Governo autoriza IBGE a contratar 6,5 mil profissionais para pesquisa

O Ministério da Economia autorizou a Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a contratar, por tempo determinado, 6,5 mil profissionais para operacionalização das pesquisas permanentes do órgão. A portaria de autorização foi publicada nesta sexta-feira (11) no Diário Oficial da União e visa reforçar o quadro de pessoal do IBGE, à substituição de servidores e empregados públicos.

Os profissionais poderão ser contratados a partir de janeiro de 2021 e somente serão formalizados mediante disponibilidade de orçamento específico. O prazo de duração dos contratos deverá ser de até um ano, podendo ser prorrogados para a conclusão das atividades.

O edital de abertura das inscrições para o processo seletivo simplificado deverá ser lançado em até seis meses. O IBGE definirá a remuneração dos profissionais a serem contratados. As vagas estão divididas em Agente de Pesquisas e Mapeamento (5.623), Supervisor de Coleta e Qualidade (552), Agente de Pesquisas por Telefone (300) e Supervisor de Pesquisas (25).

Em razão da pandemia de covid-19, atualmente, o instituto mantém as pesquisas em campo por telefone. “É importante que a sociedade entenda a relevância da continuidade da produção das informações e atenda o IBGE pelo telefone para garantir que as informações que o país precisa continuem sendo produzidas”, destacou o órgão.

O atendimento telefônico gratuito do IBGE 0800 721 8181 está operando remotamente e através dele o informante pode confirmar a identidade do entrevistador.

 

Agência Brasil

 

 

IBGE: Solânea registra perda em número de habitantes

O município de Solânea teve uma leve redução populacional em 2020. É o que revela o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O órgão divulgou nesta quinta-feira (27), as estimativas das populações residentes nos 5.570 municípios brasileiros, com data de referência em 1º de julho de 2020.

Segundo o IBGE, a população de Solânea em 2020 é estimada em 26.227 habitantes, esses números refletem uma diminuição progressiva da população solanense, no último censo do IBGE em 2010 o município tinha 26.693 habitantes e em 2019 o IBGE estimava a população de Solânea em 26.407 pessoas.

Solânea é atualmente o 20° município mais populoso da Paraíba, subiu uma posição em relação a 2019 porque o município de Lagoa Seca que ocupava essa posição teve uma queda mais acentuada em sua população.

Segundo dados do IBGE em 2018 o município de Solânea tinha apenas 2.124 pessoas ocupadas, (que exerciam trabalho remunerado) o equivalente a 8% da população, o salário médio dos trabalhadores formais é de 1,8 salários mínimos.

A população total da Paraíba é 4.039.277 habitantes e do Brasil 211.755.692.

OUTROS MUNICÍPIOS DA REGIÃO

Bananeiras – 21.851

Araruna – 18.879

Belém – 17.093

Cacimba de Dentro – 16.748

Arara – 12.653

Dona Inês – 10.517

Casserengue – 7.058

Serraria – 6.238

Borborema – 5.111

Fonte: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pb/solanea/panorama

 

Por Tiago Costa

 

IBGE devolve taxa de inscrição a candidatos à seleção para o Censo

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) inicia hoje (19) a devolução de R$ 2,82 milhões para os candidatos inscritos no concurso de seleção para trabalhar no próximo Censo. A pesquisa, que seria realizada neste ano, foi adiada para 2021 devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Por isso, a seleção para contratar temporariamente 208.695 pessoas foi cancelada em março deste ano.

A devolução será feita por meio do aplicativo Carteira Digital BB, do Banco do Brasil, que pode ser baixado em celulares com sistema Android ou iOS. Não é necessário ser correntista do banco para usar o aplicativo e receber o dinheiro.

A escolha pelo aplicativo foi feita para evitar que as pessoas se desloquem até uma agência bancária e se formem aglomerações. Cerca de 100,7 mil candidatos pagaram as taxas, que variam de R$ 23,61 (para candidatos a recenseador) a R$ 35,80 (para agente censitário).

O Censo é feito, regularmente, a cada década, a fim de se conhecer, por meio de pesquisas no próprio domicílio, a realidade da população brasileira.

Agência Brasil

 

 

Paraíba tem 3º maior percentual do Brasil de famílias que recebem Bolsa Família, diz IBGE

A Paraíba registrou em 2019 o 3º maior percentual do Brasil de famílias que recebem Bolsa Família, cerca de 30,2%, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC), divulgados pelo Instituto Brasileiro de geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (6). Dos 1.312.000 domicílios existentes no estado, pelo menos 396 mil são beneficiados com o programa.

O indicador foi menor apenas do que os registrados no Maranhão, de 35,2%, e no Piauí, de 33,9%. O índice também está acima da média da região Nordeste, de 27,6%, e do Brasil, de 13,5%. Apesar disso, o número caiu cinco pontos percentuais em comparação com o ano de 2012, quando era de 35,2%.

Dos domicílios em que algum morador recebeu benefício do Bolsa Família em 2019, 66% tinham abastecimento de água de rede geral; 35,3% tinham esgotamento sanitário com rede geral, pluvial ou fossa; 74,4% contavam com coleta de lixo; e 99,8% com iluminação elétrica.

Na categoria posse de bens, 96,8% tinham geladeira; 20,2% possuíam máquina de lavar roupa; 95,3% tinham televisão; e 10,1% microcomputador.

G1

 

Seleção do IBGE para Censo com 63 vagas na PB é suspensa devido ao novo coronavírus

O processo seletivo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para contratação de pessoal para realização do Censo Demográfico, com 63 vagas na Paraíba, foi suspenso nesta terça-feira (17). A medida foi tomada para evitar possíveis infecções e o avanço de contaminação com o novo coronavírus.

Segundo o IBGE, a determinação leva em consideração a natureza de coleta da pesquisa, domiciliar e predominantemente presencial, com estimativa de visitas de mais de 180 mil recenseadores a cerca de 71 milhões de domicílios em todo o território nacional.

Os candidatos que já efetuaram o pagamento de inscrição serão reembolsados conforme orientações que ainda serão publicadas pelo órgão. Em todo o país, estavam disponíveis 2.658 vagas para cargos de nível médio. Na Paraíba, as 63 vagas estavam distribuídas em 31 cidades.

A medida considera também a impossibilidade de realização, em tempo hábil, de toda a cadeia de treinamentos para a operação censitária, que teria a primeira etapa prevista para iniciar em abril de 2020, de forma centralizada, e posteriormente replicada em polos regionais e locais até o mês de julho.

Com a determinação, o próximo Censo terá como data de referência 31 de julho de 2021. A coleta será realizada entre 1º de agosto e 31 de outubro de 2021.

No estado, foram oferecidas 30 vagas para agente censitário operacional, em João Pessoa, e 33 vagas para coordenador censitário subárea, para 31 cidades.

Para o cargo de coordenador, estavam previstas vagas para as cidades de Areia, Bananeiras, Barra de Santa Rosa, Belém, Boqueirão, Cajazeiras, Campina Grande, Catolé do Rocha, Conceição, Esperança, Guarabira, Ingá, Itabaiana, João Pessoa, Lagoa Seca, Mamanguape, Patos, Pedras de Fogo, Picuí, Princesa Isabel, Queimadas, Santa Luzia, Santa Rita, São Bento, Sapé, Serra Branca, Solânea, Sousa, Sumé, Teixeira e Uiraúna.

G1

 

IBGE abre processos seletivos com quase 4 mil vagas na Paraíba para Censo 2020

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) abriu inscrições dos processos seletivos simplificados para contratação de recenseador, agente censitário municipal (ACM) e agente censitário supervisor (ACS) para realização do Censo 2020. Na Paraíba são quase 4 mil vagas somando os três cargos. Os dois editais prevêem 208 mil vagas em todo Brasil.

A oferta é de 3.347 oportunidades para a função de recenseador, 435 vagas para os cargos de agente censitário supervisor (ACS) e 197 vagas para agente censitário municipal (ACM), totalizando 3.979 vagas na Paraíba. Os interessados devem consultar o edital e realizar a inscrição online, no site da Cebraspe, banca organizadora, até o dia 24 deste mês.

As taxas de inscrição – de R$ 35,80 para a prova de ACM e ACS, e de R$ 23,61 para recenseador – podem ser pagas em toda a rede bancária, pela internet e em casas lotéricas.

Os profissionais contratados temporariamente pelo IBGE também terão direito a férias e 13º salários proporcionais, de acordo com a legislação em vigor e conforme estabelecido em cada edital. Um detalhe importante desses processos é que as pessoas que trabalharam recentemente como temporários, para o IBGE ou qualquer outro órgão público, também poderão ser contratados, caso sejam aprovados.

ACM e ACS

Somando os dois cargos, são 632 vagas previstas no edital para a Paraíba. São ofertadas 197 vagas para agente censitário municipal, com remuneração de R$ 2.100, enquanto que para agente censitário supervisor há 435 vagas, com remuneração R$ 1.700.

As oportunidades estão distribuídas entre 179 municípios paraibanos, sendo João Pessoa (91), Campina Grande (46), Santa Rita (15), Patos (13) e Bayeux (12) as cidades com maior oferta. O nível de escolaridade exigido para as duas funções é o ensino médio completo.

O agente censitário municipal será responsável por gerenciar o posto de coleta do Censo e estar à frente das ações administrativas e técnico-operacionais, como controlar os recursos humanos e materiais do local. Já o agente censitário supervisor terá a função de acompanhar, avaliar e orientar os recenseadores durante os trabalhos de campo.

As provas objetivas, de caráter classificatório e eliminatório, devem ser aplicadas no dia 17 de maio, com 10 questões de Língua Portuguesa, 10 questões de Raciocínio Lógico Quantitativo, 5 questões de Ética no Serviço Público, 15 questões de Noções de Administração e Situações Gerenciais e 20 questões de Conhecimentos Técnicos.

O resultado final está previsto para o dia 12 de junho e os contratos devem ser firmados no período de 15 a 19 do mesmo mês. A previsão é que as contratações durem cinco meses, podendo ser prorrogadas, desde que haja necessidade do trabalho e disponibilidade de recursos orçamentários.

  • Vagas: 632 (197 para ACM e 632 para ACS)
  • Nível: médio completo
  • Remunerações: R$ 1.700 e R$ 2.100
  • Prazo de inscrição: de 5 a 24 de março
  • Taxa de inscrição: R$ 35,80
  • Provas: 17 de maio
  • Inscrições: site da banca organizadora Cebraspe

Recenseador

O processo seletivo oferece 3.347 vagas de nível fundamental completo para recenseador, subdivididas entre todos os 223 municípios paraibanos. As cidades com mais oportunidades são João Pessoa (667), Campina Grande (335), Santa Rita (107), Patos (87), Bayeux (77), Sousa (56), Cabedelo (56), Cajazeiras (52), Guarabira (49), Sapé (42), Queimadas (37), Mamanguape (35) e Monteiro (30).

A remuneração do recenseador é calculada por produção, com base no número de unidades visitadas, na taxa estabelecida para os setores censitários e números de questionários respondidos e de pessoas recenseadas.

Um simulador da remuneração para cada município está disponível no site do Censo 2020 e pode ser consultado pelos candidatos. A função não tem horário fixo e a expectativa é de que sejam dedicadas pelo menos 25 horas por semana ao trabalho, inclusive aos feriados e finais de semana.

A seleção é composta por prova objetiva, que deve ser aplicada no dia 24 de maio, com 10 questões de Língua Portuguesa, 10 questões de Matemática, 5 questões sobre Ética no Serviço Público e 25 questões de Conhecimentos Técnicos. Em seguida, ocorrerá a etapa de treinamento, de caráter eliminatório e classificatório, que terá duração de 5 dias, com carga horária de 8 horas diárias. Serão convocados para essa fase os classificados dentro do número de vagas para cada área.

O resultado final das provas deve ser divulgado no dia 3 de julho e a previsão é que os classificados sejam convocados para treinamento e contratação ainda no mesmo mês. A expectativa é que o contrato dure até três meses, podendo ser prorrogado, tendo em vista a necessidade de concluir as atividades do Censo Demográfico 2020 e a disponibilidade de recursos orçamentários.

  • Vagas: 3.347
  • Nível: fundamental completo
  • Remunerações: calculada por produção
  • Prazo de inscrição: de 5 a 24 de março
  • Taxa de inscrição: R$ 23,61
  • Provas: 24 de maio
  • Inscrições: site da banca organizadora Cebraspe

 

G1

 

 

Edital de concurso do IBGE com 208 mil vagas será anunciado em coletiva nesta quinta-feira

O edital do concurso Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) 2020, com mais de 208 mil vagas temporárias, será anunciado em entrevista coletiva nesta quinta-feira (5), a partir das 10h.

A data oficial de publicação do edital será divulgada na coletiva. A previsão é de que seja ainda neste mês de março.

Ao todo, serão abertas 208.695 vagas temporárias, sendo 5.462 para Agente censitário municipal, cargo que exige nível médio; 22.676 para Agente censitário supervisor, também de nível médio; 180.557 vagas para recenseador, cargo de nível fundamental.

Os aprovados irão atuar no Censo Demográfico 2020, em todo o país. A banca organizadora do concurso é a Cebraspe.

 

clickpb