Arquivo da tag: Guarda

Alvo de represália da Guarda Municipal da prefeitura de Conde, padre surpreende e pede afastamento da paróquia

Após ter pintado um cruzeiro Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, no Conde, e com isso ter desencadeado uma briga com a gestão da prefeita Márcia Lucena, o padre Luciano Gustavo Lustosa da Silveira pediu afastamento da referida paróquia em carta enviada à Arquidiocese da Paraíba.

Na carta, o padre alega risco à sua integridade física e relata que está “sendo hostilizado por meio de discursos de ódio e ataques verbais” dirigidos a ele através de redes sociais.

Em sua carta, o padre Luciano não cita nomes, embora ressalte que as ameaças tiveram início após o episódio em que foi conduzido para a delegacia de Alhandra por uma guarnição da Guarda Municipal do Conde e que segundo ele, teria ocorrido por causa da pintura do cruzeiro reformado pela prefeitura, de azul para marrom.

Confira:

NOTA

Caríssimos irmãos e irmãs em Cristo Jesus, e a todos quantos virem essa nota, desejo a graça e a paz de Cristo. Nos ensina o apóstolo dos gentios, São Paulo, que: “em todas as coisas somos bem mais que vencedores, graças Àquele que nos amou” (Rm 8,37). Jesus Cristo, nosso Senhor e mestre, nos ensina que: “neste mundo vocês terão aflições, mas tenham coragem: Eu venci o mundo” (Jo 16,33).

É sabido por todos que no último dia 03 de outubro do corrente ano, deu-se um lamentável incidente envolvendo a minha pessoa e consequentemente a Igreja Católica em Conde e o poder público municipal. Episódio este, que está sendo devidamente acompanhado pela Arquidiocese da Paraíba, através do Arcebispo Metropolitano e da assessoria jurídica, buscando assim as elucidações dos fatos ocorridos. Desta forma, vivendo em um estado democrático de direito e respeito as garantias fundamentais do cidadão, desejamos que a luz da justiça, da democracia e da verdade, se evite erros, tiranias e abusos porvindouros.

Diante de toda a situação e buscando me resguardar, pedi a Arquidiocese um afastamento provisório da Paróquia, pois temo por minha integridade física, uma vez que eu esteja sendo hostilizado por meio de discursos de ódio e ataques verbais dirigidos a mim através de redes sociais.

Agradeço a todos os paroquianos, aos cidadãos condenses (dos quais faço parte) e a um grande número de católicos da Paraíba, do Brasil e do mundo que de alguma maneira externaram solidariedade a minha pessoa. Que Deus os abençoe e Nossa Senhora da Conceição, Padroeira de nossa Paroquia (externando também essas bênçãos as pessoas que pensam de forma contrária, pois apesar de todas as diferenças quer queiram/creiam ou não, somos filhos do mesmo Deus), os protejam e os livrem de todos males.

Procuremos construir um mundo com base na solidariedade, buscando nas divergências o complemento e não o afastamento em convívio social, RESPEITANDO SEMPRE o próximo naquilo que lhe seja de direito, buscando o diálogo, a serenidade e a paz.
Conde, 10 de Outubro de 2020.

Padre Luciano Gustavo Lustosa da Silveira Pároco

“A verdade brotará da terra e a justiça se inclinará lá dos céus” (Sl – 85,12)

Candidatos aprovados em concurso público para o cargo da Guarda Municipal tentam reunião com Prefeito de Soledade-PB

Um grupo de candidatos classificados e aprovados no Concurso Público de 2016 da Guarda Civil Municipal de Soledade busca uma reunião para dialogarem com a gestão, visando informações como ações e propostas com o intuito de viabilizar a convocação dos excedentes para ingresso dos mesmos na GCM.

“A população vem sofrendo com o aumento da criminalidade na cidade, a todo o momento, falam na necessidade em aumentar a segurança pública no município, lideranças políticas locais não foram poupadas da violência como o presidente da câmara legislativa Miranda Neto (PR) que teve seu celular furtado e a loja de calçados de outro vereador Reginaldo de Babá (PR) que foi arrombada e furtaram vários produtos e dinheiro, fatos esses acontecidos no último mês de dezembro. Já que tem aprovados do concurso público seria está uma das formas e alternativa de atender a população com a convocação dos classificados. Pois, eles já foram aprovados no concurso realizado em 2016, estão esperando apenas a convocação para poderem juntamente com os atuais guardas contribuir para a segurança pública dos munícipes de Soledade” enfatiza o Representante da Comissão dos aprovados da Guarda Civil Municipal de Soledade.

A atual gestão municipal prioriza o diálogo, partindo deste princípio os classificados da Guarda Civil Municipal de Soledade espera uma reunião positiva com o Prefeito Geraldo Moura, em que atenda os anseios dos classificados e da população de Soledade com a convocação de mais aprovados.

 

Postagem: Representante dos Classificados da GCM de Soledade, Leandro Assis.

 

Fonte: https://www.helenolima.com/

 

 

Menores são apreendidos com arma pela Guarda Municipal de Bananeiras

menoresDois menores de 14 e 17 anos e uma arma de fogo foram apreendidos pela Guarda Civil Municipal (GCM), na noite desta quarta-feira (15), no sítio Estivas, no município de Bananeiras.

Segundo informações relatada ao Bananeiras Online pelo comandante da GCM, Jailson Santos, o flagrante aconteceu após denúncia feita à guarnição da GCM, que de imediato se dirigiu ao local e após abordagem, conseguiu apreender dois adolescentes de iniciais R.C.S  e L.M.S, da região do distrito do Tabuleiro e um revólver calibre 32, com 5 munições.

A ação foi realizada pelos agentes Rocha e Almeida, o qual contou como tudo aconteceu. “Nós recebemos uma ligação da região de Roma, que havia dois suspeitos, aparentemente menor de idade, com ações suspeitas, fomos fazer a diligência e graças a Deus conseguimos, com êxito, localizar os dois em frente à piscicultura de Zezinho, no sítio Estiva, onde conseguimos apreender ambos, sendo que um dos menores estava portando uma arma de fogo, com cinco munições, fizemos apreensão deles, juntamente com a arma e as munições”, relatou o agente Almeida.

 

A GCM solicitou o apoio da guarnição 6922 da Polícia Militar, comandada pelo Subtenente Luiz Antônio, para a condução dos menores à Delegacia de Solânea, para os procedimentos que o caso requer.

 

Bananeiras Online

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Mulher é agredida por amigo e revida com garrafadas, diz guarda na Paraíba

homemUm homem de 31 anos ficou ferido após se envolver em uma briga com uma amiga em um bar na cidade de Bayeux, na região da Grande João Pessoa, na noite de terça-feira (7). Segundo informações da Guarda Municipal de Bayeux, o homem discutiu com a amiga e chegou a agredi-la com um soco. A mulher então reagiu, quebrou uma garrafa e desferiu golpes contra o agressor. A versão foi confirmada pelo proprietário do bar onde ocorreu a briga, segundo a guarda municipal.

Após a confusão, o homem foi socorrido pela equipe da Guarda Municipal e encaminhado para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. De acordo com informações repassadas pelo hospital, o homem passou por atendimento médico de emergência e recebeu alta hospitalar no início da manhã desta quarta-feira (8).

Não foi informado pela polícia se a mulher envolvida na briga chegou a ser detida ou foi liberada por ter se tratado de um caso de legítima defesa.

G1 PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Guarda Municipal apreende veículo em feira livre de Bananeiras

guardaEm mais uma operação da Guarda Civil Municipal, uma motocicleta com restrição de roubo ou furto foi apreendida no final da manhã desta sexta-feira (11), na feira livre de Bananeiras, no Brejo Paraibano.

De acordo com Barbosa, subcomandante da GCM, por volta das 11h30, a guarnição da GCM estava fazendo rondas nas imediações da feire livre, quando visualizou uma moto suspeita e após consulta através do SINESP CIDADÂO, constatou que a moto, Honda/CG 150 Titan ES, ano 2006, cor vermelha, Olinda-PE, era produto de furto ou roubo.

De imediato, o veículo e o proprietário de nome Cosmo Pereira de Araújo, foram encaminhados para a Delegacia de Bananeiras, para que a autoridade competente tomasse as providências cabíveis.

Bananeiras Online

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Guarda Municipal apaga princípio de incêndio e apreende arma branca em Bananeiras

incendioA Guarda Civil Municipal evitou, na tarde desta terça-feira (8), um incêndio próximo a mata do Campus III, da UFPB, em Bananeiras e apreendeu uma arma branca durante uma ação de abordagens no Distrito do Tabuleiro, na zona rural do município.

Por volta das 14h40, a GCM de Bananeiras foi acionada para tentar controlar um incêndio, que estava se alastrando e que colocava em risco toda vegetação da mata da Universidade Federal, onde prontamente, mesmo sem os equipamentos básicos e necessários para desempenhar esse tipo de trabalho, a guarnição se deslocou ao local e, após constatar a veracidade da denúncia, munidos de coragem, esforço e o desejo de servir, controlou o incêndio com o uso de um caminho pipa, cujo fogo já estava passando para dentro da mata.

Após quase uma hora, o Corpo de Bombeiros da cidade de Guarabira chegou, mas o fogo já tinha sido controlado e apagado pela GCM, restando ao Corpo de Bombeiros fazer o rescaldo do local.

Durante a operação preventiva de abordagens feita pela Guarda Municipal, no Distrito do Tabuleiro, um jovem da cats6cidade de Dona Inês, que se encontrava em atitude suspeita, próximo a Escola Miguel Filgueira Filho, foi abordado e com ele encontrado uma arma branca, tipo punhal.

A Guarda Municipal, coordenada pelo comandante Jailson Santos, vem realizando esse serviço de prevenção em todo município, visando coibir ações criminosas e promover a sensação de segurança para a população.

 

Bananeiras Online

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

RAMALHO LEITE – A guarda nacional e os Coronéis (2)

 

ramalhoO meu avô, José Rodrigues da Costa Neto, era tenente da Guarda Nacional. Nunca vi o titulo que lhe teria sido conferido, mas lembro da sua espada prateada presa a um suporte de madeira, próximo ao teto da casa grande do engenho Poço Escuro, do qual era o Senhor.Falava-se que herdara o título e espada do pai ou do avô.Pelas suas posses, tinha também direito a votar e no dia da eleição saía paramentado, a cavalo, e com a espada a tiracolo.É o que me contavam.

A Guarda Nacional, como frisei em artigo anterior,com a República, deixou de exercer funções paramilitares, mas seus integrantes não largaram as patentes e continuaram a exercer influência política nos municípios de suas áreas de atuação. Daí surgiram os coronéis sem farda e sem espada, mas como forte influência social e econômica. A força dos coronéis seria sentida até a chegada do Estado Novo, ultrapassando os ideais da Revolução de Trinta e, aos poucos, desaparecendo, graças à principal arma da democracia – o voto secreto.

Muito mais atrás, porém, a influência da Guarda Nacional era imprescindível à segurança do Estado. O primeiro presidente da Paraíba que resolveu conhecer o nosso interior, o gaucho Silva Nunes, nomeado por ser genro do Barão de Muritiba ( o nepotismo vem de longe),fazia questão da presença da Guarda Nacional em todas as cidades por onde passou. O jornal “O Imparcial”, contratado pelo governo da província para publicação dos atos oficiais, acompanhou a viagem do Chefe do Governo, de mais de trinta dias, à cavalo, e relatou aos seus leitores os detalhes da aventura.

No Pilar, a banda de musica da Guarda tocou “o hino marcial e várias peças, ao som de estrondosas girândolas que subiam ao ar”. O presidente foi recebido pela “Câmara Municipal em grande gala na casa de suas sessões, decentemente preparada”. No Ingá, “foi sentida a ausência da Guarda Nacional, o que é bem censurável; porque toda a gente se empenha e procura ser incluído na proposta para os postos e nas ocasiões como a presente não aparecem”, reclama o jornal oficial de então. Houve uma exceção: o Comandante apresentou-se “a paisano“, conforme o cronista da viagem. Em São João, a Câmara Municipal da vila seguiu o exemplo de Cabaceiras, e “esqueceu-se dos seus deveres administrativos e de civilidade”, não comparecendo à recepção. O comandante da Guarda apresentou-se fardado, contudo, justificou a ausência da oficialidade por falta de fardamento.

A viagem do presidente Silva Nunes virou livro do historiador Wilson Seixas e começou por Santa Rita, ganhou o sertão, subiu as serras dos brejos de Areia e Bananeiras, voltando por Patos e Mamanguape. No retorno, foi recebido com muitas festas e um baile em sua homenagem. Em Patos, “a Guarda Municipal não deu sinal de vida, faltando a oficialidade ao cumprimento de seus deveres, e iludindo, portanto, a lei de sua criação”, reclama “O Imparcial”.Em 1860, Patos era “uma vila de acanhadas proporções e não possui edifício algum de importância”. O gaúcho que governava a Paraíba não arrefecia o ânimo e, mesmo com uma crise de asma, subiu a Serra do Teixeira e constatou que “a vila tem calçamento de pedra natural, por assim dizer; pois é uma lage só, sobre a qual foi situada a povoação”. A Guarda Nacional … “tem escrúpulos em apresentar-se; sendo que foram cumprimentar a S. Exa. três oficiais sem espadas”. Antes de subir até Teixeira, o Presidente Silva Nunes arranchou-se no Gerimum, hoje município de São José do Bonfim. Gerimum era uma pequena fazenda onde se destacava, apenas, a casa do vaqueiro. Foi alí que o governante teve acolhida.”Teve S.Exa. por mesa duas malas coberta de couro, da bagagem, e por cadeira uma pequena mala inglesa de viagem” revela o periódico, citado por Wilson Seixas.

O jornal não perdoou aos integrantes da Guarda Nacional que fizeram desfeita ao Presidente da Província, deixando de comparecer à sua recepção em cada uma das cidades e vilas por onde passou. E não deixou de lavrar seu protesto contra aqueles que ” só se lembram dos postos que exercem na guarda nacional, das honras que lhes são conferidas, quando é preciso perseguir a certos e determinados indivíduos, quando é necessário abusar do cargo para ajudar esta ou aquela parcialidade, para ser chamado de Sr.Tenente- coronel, Sr.Major, Sr, Capitão”. E pede ainda providência contra “indivíduos oficiais da guarda nacional que não estejam fardados, que gosem dos cômodos sem suportarem os incômodos..” (adotei nas transcrições a grafia da época)

Muitos coronéis chegaram aos nossos dias e conviveram com a redemocratização do país. Na Paraíba, o cel.José Antonio Maria da Cunha Lima Filho chegou a deputado federal no início da Republica. Seguidor de Argemiro de Figueiredo, exerceu influência política até a eleição de 1965 quando deixou seu antigo chefe, e aderiu à candidatura de João Agripino a governador. Sua adesão deu lugar a slogan de grande repercussão mas de poucos votos : “É o mundo todo e o Mundo Novo, também!”. “Mundo Novo” era o engenho do coronel.

RAMALHO LEITE – A Guarda Nacional e os Coronéis

 

ramalhoQuando D.Pedro I abdicou do trono do Brasil, ficou difícil ao governo imperial conter as escaramuças entre os nacionais e os portugueses saudosos do Monarca. Havia um receio de que os militares se posicionassem pelo retorno de D.Pedro, principalmente, pela falta de confiança no exército, então formado por homens de origem humilde e sem nenhuma qualificação, além do mais, chefiados por estrangeiros. A chamada Regência Trina Permanente, que ocupava o vazio do trono na minoridade de D.Pedro II, passou a diminuir o efetivo do exército e ao mesmo tempo tentava encontrar uma alternativa que garantisse a manutenção da ordem pública. Era agosto de 1831, (sempre agosto) e para suprir essa necessidade, foi criada a Guarda Nacional a ser instalada pelos Juízes de Paz em cada município. Os membros da Guarda seriam recrutados entre os eleitores com renda superior a 200 mil réis nas grandes cidades e 100 mil réis nas demais.

A Guarda Nacional era uma instituição civil, mas em caso de guerra, serviria de força auxiliar do Exército. Seus préstimos poderiam ser requisitados pelos juízes de Paz e Criminais, pelo Presidente da Província e pelo Ministro da Justiça aos quais estava subordinada. Ao governo cabia a escolha dos coronéis e majores da Legião da Guarda Nacional. Os demais oficiais, foram, inicialmente, eleitos pela tropa para um mandato de quatro anos. Posteriormente, passaram a ser nomeados pelo presidente da Província, mediante propostas das Câmaras Municipais. A Guarda Nacional começou a ser desmobilizada a partir da República e sua ultima aparição ocorreu no desfile de 7 de setembro de 1922, nas comemorações do Centenário da Independência.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

A República deu adeus à Guarda Nacional mas deixou florescer por muitos anos ainda a figura do Coronel como fenômeno social e político. A escolha dos coronéis recaía sempre entre grandes proprietários de terra que somavam o seu poder econômico à força política. Os coronéis tanto ajudavam a subir, como arquitetavam a queda de um governo. O governo dependia dos coronéis, políticos locais, donos da terra, do voto e da liberdade dos seus adeptos.O coronel se sobrepunha ao Estado e prevalecia o seu mandonismo. Durante toda a República Velha vigorou esse coronelismo, baseado na formação de uma clientela subserviente mas agradecida… A troca de favores estabelecia um liame de gratidão entre o soba e o cidadão, deixando este à mercê do senhor do baraço e cutelo. Do coronel Felinto Rocha na feira de Moreno: “Aqui eu quero, posso e mando”.

Herdeiros dos títulos da antiga Guarda Nacional, outros coronéis e majores foram assim batizados como sinônimos de chefe político. Ainda nos dias de hoje, o tratamento de Coronel serve para agradar pessoas de posses ou de importância política, seja ela analfabeta ou graduada. Cheguei a conhecer o coronel José Antonio Ferreira da Rocha, já velho e doente, morando nesta Capital à rua Duque de Caxias. Herdeiro político e de parte do bens do seu sogro, comendador Felinto Rocha, foi deputado à Assembléia Constituinte de 1933. Em Bananeiras, porém, só alcancei o poderio dos majores. Na primeira eleição que participei, com meu pai candidato a prefeito, seu adversário era o promotor publico da comarca. Era uma evolução. A prefeitura estava saindo das mãos de um major. Aproveitei para fazer um slogan: quem não é doutor nem major/ tem que ser o melhor! ( Continua na próxima coluna)

Prefeito de Remígio apresenta Guarda Civil Municipal à população

Guarda-MunicipalNa noite da última quinta (22/01), o Prefeito Chió, durante reunião com representantes da sociedade, apresentou aos remigenses a Guarda Municipal de Remígio. Com um efetivo inicial de seis homens os quais pertencem ao quadro de servidores do município desde o ano de 1998, a Guarda Municipal foi devidamente equipada, treinada e capacitada e encontra devidamente pronta para exercer a sua função. A reunião ocorreu na escola Gercyna Eloy, e contou com a participação de representantes de diversos seguimentos do município de Remígio.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Segundo, o prefeito Chió, “Foi graças ao auxilio dos remigenses, que pagaram seu IPTU em dia que conseguimos reunir a verba necessária inicial para ativação da guarda municipal”. Foi comprado um carro 0km, equipamentos, além de treinamento. “Estes homens vão ajudar no patrulhamento de pontos estratégicos do município, ajudando a polícia a coibir crimes contra a sociedade remigense” – completou o gestor.

Ainda segundo o prefeito Chió, o próximo passo agora é comprar equipamentos de monitoramento: “Com o recurso do IPTU 2014 iremos comprar câmeras de monitoramento, e coloca-las em pontos estratégicos de Remígio”- pontuo Chió.

 

Secom

Pai consegue guarda provisória do filho de 2 anos que foi filmado com arma em JP

Reprodução/ TV Correio HD
Reprodução/ TV Correio HD

O pai da criança que foi filmada com uma arma conseguiu obter a guarda provisória do menino e repassou a informação nesta sexta-feira (23) ao Portal Correio. Ele disse que obteve o resultado por meio de uma liminar expedida por uma promotora e acatada por um juiz, mas não divulgou os nomes.

Cozinheiro de 29 anos, ele relatou que encontrou dificuldades para obter a guarda da criança e lamentou que a mãe tenha agido dessa forma. “Achei um absurdo, principalmente porque ela se comprometeu em dar amor e carinho ao nosso filho, mas se passou por essa situação”.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Agora, o pai do menino diz que mesmo trabalhando diariamente, não encontra problemas para manter a guarda porque tem um novo relacionamento que o ajuda na criação.

A delegada de Repressão a Crimes contra a Infância e Juventude, Andrea Melo, disse ao Portal Correio que não tem detalhes sobre as questões da guarda e não passou todas as informações sobre o caso, mas adiantou que a mãe da criança foi ouvida e liberada. Ela disse quer as investigações continuam e outras pessoas serão ouvidas.

O Conselho Tutelar informou que a guarda que ele obteve foi provisória, por meio da Vara da Família, e que haverá mais procedimentos na justiça até que ele consiga a guarda permanente do filho.

Portal Correio tentou ouvir a mãe ou a família dela para saber sobre a situação, mas ninguém foi encontrado para comentar o assunto. O Conselho Tutelar também não tinha informações sobre a mãe da criança.

O vídeo mostra que o filho do casal, uma criança de dois anos, brinca com uma arma enquanto é filmada.

 

portalcorreio