Arquivo da tag: gengivite

Entenda o que é gengivite

Gengivite-tratamentoO que é gengivite?

 

A gengivite é uma inflamação da gengiva que pode progredir e atingir o osso alveolar. É este que envolve e segura os dentes. É causada pela placa bacteriana ou biofilme dental, uma película incolor e pegajosa que se forma continuamente nos dentes. Se não for removida diariamente por meio da escovação e do uso do fio dental, a placa bacteriana pode se formar e as bactérias nela contidas poderão infeccionar não apenas a gengiva e a região ao redor dos dentes, mas acabarão por atingir o tecido abaixo da gengiva e o osso que suporta os dentes. Isto pode fazer com que os dentes fiquem abalados, caiam ou tenham que ser removidos pelo dentista.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

São três os estágios da gengivite:
Gengivite: este é o primeiro estágio da inflamação gengival causada pela placa bacteriana que se forma na margem da gengiva. Se a escovação e o uso do fio dental diariamente não forem suficientes para remover esta placa, ela produzirá toxinas (venenos) que podem irritar o tecido gengival, causando a gengivite. Você pode notar algum sangramento durante a escovação e o uso do fio dental. Neste primeiro estágio da doença, o dano pode ser revertido, desde que o osso e o tecido conjuntivo que seguram os dentes no lugar não tenham sido atingidos.

 

Periodontite: neste estágio, o osso e as fibras de sustentação que mantêm os dentes em posição são irreversivelmente danificados. Ao redor da sua gengiva pode começar a se formar uma bolsa que avança para baixo da gengiva e onde ficam armazenados os detritos e a placa bacteriana. O tratamento dentário adequado e a higiene bucal minuciosa em casa, em geral, podem ajudar a prevenir danos maiores.

 

Periodontite avançada: neste estágio final da doença, as fibras e os ossos de sustentação dos dentes estão destruídos, o que faz com que os dentes migrem ou mudem de lugar ou se tornem abalados ou móveis. Isto pode afetar sua mordida e, se o tratamento não for eficaz, você corre o risco de perder seus dentes.
Como saber se tenho gengivite?

 

A gengivite pode ocorrer em qualquer idade, mas é mais comum entre os adultos. Se for detectada no seu estágio inicial, a gengivite pode ser revertida – portanto, visite seu dentista se notar qualquer um dos seguintes sintomas:

 

– Gengivas vermelhas, intumescidas ou inchadas, ou flácidas.
– Gengivas que sangram durante a escovação ou o uso do fio dental.
– Dentes que parecem mais longos devido à retração da gengiva.
– Gengivas que se separam ou se afastam dos dentes, criando uma bolsa.
– Mudanças na forma como seus dentes se encaixam quando você morde.
– Secreção de pus ao redor dos dentes e na bolsa gengival.
– Mau hálito constante ou gosto ruim na boca.

 

Como é tratada a gengivite?
Os primeiros estágios da gengivite, de modo geral, podem ser revertidos por meio da escovação e do uso de fio dental corretos. Uma boa saúde bucal ajudará a evitar que a placa se forme.

 

Uma limpeza profissional pelo seu dentista ou higienista é a única forma de remover a placa que se formou e endureceu, formando o tártaro. Seu dentista fará a limpeza ou raspagem de seus dentes para remover o tártaro acima e abaixo da linha da gengiva. Se o seu problema for muito sério, pode-se realizar um procedimento para aplainar a raiz nas suas partes mais profundas. Este procedimento ajuda a suavizar as irregularidades nas raízes dos dentes, dificultando o endurecimento da placa bacteriana.

 

Com consultas regulares, o estágio inicial da doença pode ser tratado antes que se torne um problema muito mais sério. Se seu problema for mais grave, será necessário fazer um tratamento no consultório dentário.

 

Conteúdo oferecido pela © 2012 Colgate-Palmolive Company. Todos os direitos reservados.
Terra

Acabe com a gengivite em 7 passos

gengiviteSegundo um estudo divulgado pelo Ministério da Saúde, até os 12 anos de idade, 37% da população brasileira é acometida por algum tipo de doença periodontal. Entre 15 e 19 anos, este número atinge a casa dos 49,1%, vai para 82% entre 35 e 44 anos e chega à marca de 98,2% entre 65 e 74 anos.

Estes números fazem referência à doença periodontal como um todo, não somente à gengivite – inflamação na gengiva –, forma mais branda da doença. “Caso fizéssemos um exame mais acurado, em praticamente 100% da população brasileira encontraríamos algum ponto de sangramento no tecido gengival, principal sinal clínico para o diagnóstico da gengivite”, diz o cirurgião-dentista, Pedro Paulo Bak Mansi, especialista em periodontia.
A principal causa da gengivite é o acúmulo de placa bacteriana. Assim, uma boa higiene oral pode prevenir a doença. Mas não basta apenas escovar os dentes, as visitas ao dentista são indispensáveis. “Aconselharia que fossem feitas três visitas ao longo do ano, ou seja, uma visita a cada quatro meses”, recomenda.
Se entre os intervalos das consultas houver sangramento na gengiva, seja com o uso do fio dental ou ao escovar os dentes, é aconselhável agendar uma visita imediata para o profissional avaliar o caso. “O ideal é que, observada esta condição, o paciente continue mantendo um bom padrão de higiene bucal”, afirma Pedro Paulo Mansi.
Bem usados, a escova de dente e o fio dental são mais do que suficientes para uma boa higiene. Para quem tem dentes um pouco mais afastados uns dos outros, casos em que ocorrem grandes acúmulos de restos de alimentos, a escova interdental ajuda bastante na higiene. “A escova interdental é um método auxiliar complementar de higiene e de maneira alguma deve substituir o uso da escova dental e do fio”, ressalta o especialista.
Passo a passo para acabar com a gengivite
1- Realize uma boa higiene bucal pela manhã, depois do almoço e, principalmente, antes de dormir.
2- Use uma escova dental de boa qualidade, pasta de dentes e fio dental todas as vezes que for realizar a higiene bucal.
3- De maneira alguma substitua nenhum dos itens acima por qualquer outro produto do mercado, tais como os enxaguantes bucais e escovas interdentais. Estes podem ser usados como complementos, nunca como substitutos, quando o dentista recomendar.
4- Caso haja sangramento na gengiva, não suspenda o uso do fio dental. Marque uma consulta e peça a orientação do dentista.
5- Consulte um cirurgião dentista pelo menos de seis em seis meses. Caso seja possível, faça três visitas ao ano – quatro em quatro meses. Nesses intervalos de tempo, caso note alguma alteração, retorne ao consultório imediatamente.
6- Nunca faça uso de remédios ou produtos odontológicos sem o conhecimento de um bom profissional. A única pessoa habilitada a indicar produtos odontológicos de uso contínuo ou remédios é o cirurgião dentista.
7- Mantenha uma boa dieta. Não podemos esquecer que, além da gengivite, uma alimentação rica em açúcar pode causar cáries.
Terra