Arquivo da tag: gasolina

Petrobras reduz preços de gasolina e diesel a partir de terça

A Petrobras divulgou hoje (26) novos reajustes para o preço dos combustíveis nas refinarias. O preço da gasolina terá queda de 5%, enquanto para o diesel (S10 e S500), a redução será de 4%. Os novos valores passam a vigorar a partir desta terça-feira (27).

De acordo com a assessoria de imprensa da companhia, com a redução de 4,0% (ou R$ -0,07 por litro), o preço médio do diesel da Petrobras para as distribuidoras passa a ser de R$ 1,69 por litro. No acumulado do ano, a redução do preço é de 27,3 %.

Já para a gasolina, com a redução de 5% (ou R$ -0,09 por litro), o preço médio da Petrobras para as distribuidoras passa a ser R$ 1,66 por litro. No acumulado do ano, a redução chega a 13,7 %.

A gasolina teve 35 reajustes em 2020, até agora, sendo 16 aumentos e 19 reduções. Para o diesel, foram 28 reajustes no total, dos quais 13 foram aumentos e 15 diminuições de preços.

Agência Brasil

 

 

Petrobras reduz preço da gasolina em 4% nas refinarias e novo valor será repassado às distribuidoras

A Petrobras anunciou, nesta quinta-feira (15), redução de 4% no preço médio da gasolina vendida nas refinarias em todo o país. O novo valor vale a partir desta sexta-feira (16), na venda às distribuidoras. O diesel não teve o preço modificado.

“Desde janeiro de 2020, o preço médio da Petrobras acumula uma queda de 24,3% no preço do diesel vendido às distribuidoras e uma redução acumulada de 9,1% no caso da gasolina. Para se ter uma ideia, o preço médio da gasolina da Petrobras para as distribuidoras será de R$ 1,74 por litro após o reajuste. Entre julho e agosto, o preço médio da Petrobras correspondeu a cerca de 30% do preço final ao consumidor nos postos de combustíveis”, explicou a companhia em nota.

Os valores finais aos motoristas dependerão de cada posto, que acrescem impostos, taxas, custos com mão de obra e margem de lucro. Além disso, o mercado brasileiro é baseado na livre concorrência, fazendo com que cada empresa cobre o que achar melhor.

A Petrobras lembra também que a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras são diferentes dos produtos no posto de combustíveis. São os combustíveis tipo “A”, ou seja, gasolina antes da sua combinação com o etanol e diesel também sem adição de biodiesel. Os produtos vendidos nas bombas ao consumidor final são formados a partir do tipo “A” misturados a biocombustíveis.

Agência Brasil

 

 

Gasolina sobe 0,64% na primeira quinzena de outubro

Levantamento da ValeCard aponta ligeira alta no preço do combustível no período em relação a setembro

O preço médio da gasolina comum no Brasil subiu 0,64% na primeira quinzena de outubro em comparação com o mês de setembro, segundo levantamento realizado pela ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas. Nas duas primeiras semanas do mês, o preço médio do combustível no país foi de R$ 4,586 por litro. Em setembro, o valor médio cobrado nos postos do País foi de R$ 4,556.

A maior alta de preços na quinzena ocorreu no Distrito Federal (3,54%). Por outro lado, sete Estados registraram redução no valor do combustível no período: Acre (-0,74%), Bahia (-1,28%), Espírito Santo (-0,16%), Paraíba (-0,06%), Pernambuco (-0,38%), Piauí (-0,02%) e Santa Catarina (-0,54%).

Obtidos por meio do registro das transações realizadas de 1º a 13 de outubro com o cartão de abastecimento da ValeCard em cerca de 20 mil estabelecimentos credenciados, os dados mostram que, entre as capitais, Salvador (R$ 3,927) e Curitiba (R$ 4,128) registraram os valores mais baixos na quinzena.

Fonte: ValeCard

 

Preço médio por Estado

Estado Outubro – 1ª Q (R$) Setembro (R$) Variação (Valor) Variação (Percentual)
AC 5,067  5,106 -0,0380 -0,74%
AL 4,758 4,718 0,0392 0,83%
AM 4,501 4,402 0,0998 2,27%
AP 4,044 4,016 0,0279 0,70%
BA 4,349 4,406 -0,0564 -1,28%
CE 4,696 4,674 0,0218 0,47%
DF 4,641 4,482 0,1589 3,54%
ES 4,451 4,458 -0,0071 -0,16%
GO 4,621 4,579 0,0424 0,93%
MA 4,520 4,498 0,0215 0,48%
MG 4,703 4,662 0,0406 0,87%
MS 4,559 4,510 0,0488 1,08%
MT 4,619 4,593 0,0260 0,57%
PA 4,743 4,732 0,0106 0,22%
PB 4,377 4,380 -0,0026 -0,06%
PE 4,569 4,586 -0,0175 -0,38%
PI 4,540 4,540 -0,0007 -0,02%
PR 4,245 4,227 0,0181 0,43%
RJ 4,938 4,920 0,0175 0,36%
RN 4,724 4,622 0,1020 2,21%
RO 4,671 4,607 0,0637 1,38%
RR 4,311 4,297 0,0144 0,34%
RS 4,536 4,506 0,0298 0,66%
SC 4,238 4,261 -0,0232 -0,54%
SE 4,671 4,631 0,0401 0,87%
SP 4,218 4,194 0,0240 0,57%
TO 4,818 4,794 0,0243 0,51%
Geral 4,586 4,556 0,0293 0,64%

Fonte: ValeCard

 

Rio Branco e Rio de Janeiro têm os maiores preços nas capitais

Conforme o levantamento da ValeCard, Rio Branco (R$ 4,96), Rio de Janeiro (R$ 4,926) e Belém (R$ 4,926) tiveram os preços mais altos entre as capitais do país na primeira quinzena de outubro.

 

Capital Outubro – 1ªQ (R$)
Rio Branco 4,960
Rio de Janeiro 4,926
Belém 4,926
Palmas 4,799
Natal 4,729
Aracaju 4,707
Porto Velho 4,695
Fortaleza 4,684
Brasília 4,640
Maceió 4,625
Goiânia 4,576
Belo Horizonte 4,549
São Luís 4,527
Campo Grande 4,523
Recife 4,463
Cuiabá 4,434
Manaus 4,434
Boa Vista 4,434
Porto Alegre 4,406
Teresina 4,392
Macapá 4,356
Florianópolis 4,322
João Pessoa 4,269
São Paulo 4,252
Vitória 4,244
Curitiba 4,128
Salvador 3,927
Total Geral 4,536

Fonte: ValeCard

 

 

Petrobras aprova reajuste de 4% na gasolina e de 5% no diesel

A Petrobras aprovou nesta sexta-feira (9) um reajuste médio de 4% no preço da gasolina em suas refinarias, o que equivale a R$ 0,07 por litro. O aumento vale a partir deste sábado (10).

Também será reajustado o diesel vendido pela Petrobras. O combustível ficará 5% mais caro, o que equivale a 0,08 centavos.

Com o reajuste, o litro da gasolina passará a custar R$ 1,82 nas refinarias, enquanto o diesel, R$ 1,76. Após ser vendido pela Petrobras aos distribuidores, o combustível aumenta de preço até chegar ao consumidor final devido a impostos estaduais e federais, custos de distribuição e revenda e adição de biocombustível.

O preço praticado pela Petrobras em suas refinarias correspondeu, entre julho e agosto, a 30% do preço final da gasolina e a 49% do preço final do diesel vendidos nos postos de combustíveis.

Ao divulgar os reajustes, a Petrobras informou que, ao longo do ano, os preços dos dois combustíveis acumulam queda. No caso da gasolina, o preço está 5,3% mais baixo que o de janeiro. Já o diesel vendido nas refinarias está 24,3% mais barato que no início do ano.

 

Agência Brasil

 

 

Caminhão é usado por criminosos para roubar posto de gasolina em João Pessoa

Um assalto a um posto de combustível chamou a atenção, na madrugada desta terça-feira (6) na Avenida Cruz das Armas, em João Pessoa. De acordo com a Polícia Militar (PM), um veículo de coleta de lixo foi utilizado por quatro homens para invadir o estabelecimento e roubar o cofre.

Conforme a polícia, o caminhão de coleta foi usado para danificar as grades de proteção do posto localizado no bairro Oitizeiro.

A polícia não mencionou se alguma quantia foi levada pelos criminosos. Ninguém foi preso.

pbagora

 

PB registra os menores preços do Nordeste para gasolina, diesel e etanol, aponta levantamento

A Paraíba tem a menor média de preço de diesel, etanol e gasolina da região Nordeste em setembro, aponta levantamento do Índice de Preços da Ticket Log (IPTL). Em comparação ao mês de agosto, preços aumentaram.

De acordo com o levantamento, a gasolina ficou com a média de R$ 4,347 nos postos paraibanos, registrando um crescimento de 1,7% com relação a agosto. Já Alagoas teve a maior média para a gasolina, encontrada por R$ 4,704.

Já o etanol, teve média de preço de R$ 3,228 e um aumento de 2,5% na comparação com o mês anterior. No Rio Grande do Norte, o preço médio para o combustível foi de R$ 3,803, o maior da região.

Na comparação entre gasolina e o etanol, a gasolina segue sendo a mais vantajosa para o bolso do consumidor no estado, segundo a pesquisa.

O diesel teve média de R$ 3,550 em setembro, apresentando aumento de 3,6% frente a agosto. A maior média foi registrada em Sergipe, onde é o preço é de R$ 3,791.

G1

 

NOVA GASOLINA: Postos têm prazo de 90 dias para oferecer o combustível; especialista explica a diferença

Na última segunda-feira (03), começou a valer em todo o país a nova gasolina. A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (Resolução 807/202 da ANP), afirmou que o combustível tende a ter uma qualidade muito superior com melhor durabilidade, porém o custo será mais alto. A promessa é que a nova gasolina reduza cerca de 6% no consumo. Para o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado da Paraíba (Sindipetro), Omar Hamad, o valor pago pelo novo combustível será ditado pelo mercado e a cadeia dos combustíveis, composta por refinaria, distribuição e revenda, é influenciada por fatores externos e internos alheios ao próprio mercado.

“Os postos, que representam a revenda, são o último elo dessa cadeia e também o mais fraco, já que as margens maiores de lucro se concentram na distribuição. A refinaria é monopolizada pela Petrobras. Dessa forma, introduziu-se de uma massa específica mínima de kg/ m³ para a gasolina. A massa específica é a quantidade de uma substância em um determinado volume. Até então, não havia exigência. Essa mudança garante um rendimento maior da gasolina, contudo, o preço continuará a ser ditado pelo mercado, incluindo a concorrência, já que esse mercado é livre e altamente competitivo a partir das distribuidoras”, disse o presidente da Sindipetro.

Omar destacou ainda que as normas agora estabelecem uma massa específica mínima e um valor mínimo de octanagem RON para a gasolina, o que vai aproximar o produto ao padrão dos Estados Unidos e da Europa. “Na prática, a gasolina é mais densa, ou seja, o rendimento dela é melhor que a antiga, em torno de 6%. A nova gasolina polui menos o meio ambiente. Como ela tem um teor reduzido de enxofre – foi de 800 ppm para 50 – ela poluirá menos”, comentou.

Ela terá que ser oferecida em todos os postos de todo o Brasil. Os postos de combustível têm o prazo de 90 dias para adaptarem a nova resolução, prazo esse que já está contando desde a segunda-feira (03). Ou seja, os locais têm até o início do mês de novembro para efetuarem a regularização.

pbagora

 

 

Bandidos obrigam funcionários de posto de gasolina a tirar roupa durante assalto em João Pessoa

Um posto de combustível foi assaltado e os funcionários foram obrigados pelo bandidos a tirar as roupas, na manhã deste domingo (6), em João Pessoa. O caso aconteceu no bairro de Tambiá.

Os criminosos queriam ter acesso à sala onde fica o cofre do posto e para isso pediram o fardamento dos funcionários. O objetivo era dificultar o reconhecimento nas câmeras do circuito interno de segurança, já que eles estavam vestidos como funcionários.

A polícia ainda não tem informações sobre o paradeiro dos criminosos nem qual foi a quantia levada do cofre.

 

clickpb

 

 

PB tem 3ª alta no preço médio da gasolina após quedas durante a pandemia, diz levantamento

A Paraíba registrou a terceira alta seguida no preço médio da gasolina após passar por uma sequência de quedas durante a pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Os dados são de um levantamento feito a partir do Índice de Preços da Ticket Log (IPTL), divulgado nesta quarta-feira (19).

De acordo com a pesquisa, o valor cobrado pelo combustível que em maio chegou a R$ 3,76, passou para R$ 4,23, nos primeiros 15 dias de agosto. A alta no preço nesse período foi de 12,5%.

Conforme o levantamento, a Paraíba é o estado do Nordeste com o melhor preço por litro da gasolina. Já no Piauí, que registrou o valor mais alto, o combustível é comercializado a R$ 4,67.

Entre as regiões, o Nordeste apresentou os maiores preços médios do Brasil, após um aumento de 1,75% em relação ao período anterior, com o litro comercializado nas bombas por R$ 4,47.

O etanol seguiu a mesma tendência de melhor custo por litro vendido, em média, a R$ 3,14. O Rio Grande do Norte registrou o pior preço para o produto, comercializado a R$ 3,79.

A Paraíba também foi o estado da região com os melhores preços para a compra do Diesel, vendido a R$ 3,37. Alagoas foi o estado com o maior preço para o produto, comercializado por R$ 3,65.

G1

 

Petrobrás anuncia aumento para a gasolina e o diesel a partir desta quinta

A Petrobras vai aumentar os preços do diesel em 2% e os da gasolina em 4% a partir de quinta-feira (13) em suas refinarias.

A elevação do diesel é o sexto movimento consecutivo de alta no valor do combustível mais consumido do Brasil, que tem avançado desde o final de maio, de acordo com dados compilados pela Reuters.

Já o novo reajuste da gasolina ocorre após uma redução de 4% realizada no final de julho, que havia sido antecedida por nove altas seguidas.

Com o movimento anunciado nesta quarta-feira, o preço médio do diesel nas refinarias da Petrobras deverá atingir R$ 1,7336 por litro, maior nível desde meados de março, quando o consumo de combustíveis passou a ser fortemente impactado pelas medidas de isolamento social relacionadas à pandemia de coronavírus.

Já o preço médio da gasolina, segundo os números da Reuters, deve chegar a R$ 1,7213 por litro.

No acumulado do ano, o valor do diesel ainda apura queda de 26%, enquanto o da gasolina tem baixa de cerca de 10%.

Melhora no consumo

O reajuste acontece em momento em que as distribuidoras de combustíveis visualizam uma melhora no consumo, diante das flexibilizações das medidas de quarentena.

A Raízen Combustíveis, braço do grupo Cosan, estimou nesta semana que o setor deve recuperar o desempenho no segundo semestre, ficando em linha com os níveis verificados antes da crise causada pela pandemia.

Na terça-feira, ao divulgar seu balanço do segundo trimestre, a BR Distribuidora afirmou que “continua a observar uma gradual recuperação dos volumes vendidos, o que tem acompanhado a contínua retomada da circulação de pessoas”.

Ainda no fronte da demanda, pesquisas da associação NTC&Logística indicam que, ao final de julho, a demanda por transportes rodoviários de cargas no Brasil registrava desempenho superior ao visto em meados de março, também impulsionada pela flexibilização do isolamento.

Os preços médios da gasolina e diesel também têm avançado nos postos brasileiros, com 11 semana seguidas de alta, segundo dados da reguladora ANP na última sexta-feira.

Paridade com o exterior

A Petrobras defende que os preços dos combustíveis também acompanham a paridade de importação, que – entre outros fatores – é influenciado pelas cotações do petróleo no mercado internacional e do dólar.

O petróleo Brent tem sido negociado próximo à marca de US$ 45 por barril, distante das mínimas de cerca de US$ 16 vistas em abril. Já o dólar opera ao redor dos US$ 5,45, após máximas de cerca de R$ 6 neste ano.

O repasse dos reajustes nas refinarias aos consumidores finais nos postos, no entanto, não é garantido, e depende de uma série de questões, como margem da distribuição e revenda, impostos e adição obrigatória de etanol anidro.

Agência Brasil