Arquivo da tag: França

Ataque a faca deixa 3 mortos e vários feridos na Basílica de Notre Dame, na França

Um ataque a faca deixou ao menos três mortos e vários feridos na manhã desta quinta-feira (29) na Basílica de Notre Dame na França.

De acordo com informações da Agência France Presse, uma pessoa morreu degolada.

O ataque aconteceu às 9h locais (5h de Brasília) perto da basílica Notre-Dame de Nice.

O autor foi detido, segundo o prefeito da cidade, Christian Estrosi.

Nas redes sociais o prefeito lamentou o atentado e lembrou o caso Samuel Paty, outro ataque a faca que culminou com a morte de um professor.

“Chocado com as 3 vítimas, 2 das quais morreram dentro da Basílica #NotreDame e em particular o guardião tão apreciado pelos paroquianos. #Nice06 pagou um preço muito alto como o nosso país nos últimos anos. Peço a unidade dos Niçois”, disse o prefeito no Twitter.

“13 dias depois de #SamuelPaty, nosso país não pode mais estar satisfeito com as leis de paz para aniquilar o islamo-fascismo. #Nice06”, completou.

Falei com o Presidente da República ao telefone que me agradeceu no @pmdenice e a todas as forças de segurança e pediu-me que passasse ao povo de Nice, a quem irá no final da manhã, todo o seu apoio. #Nice06

paraiba.com.br/

 

Luis Henrique vai à França para fazer exames no Olympique de Marselha; Botafogo aguarda definição

Esta segunda-feira começou agitada para o torcedor do Botafogo. Com a notícia da imprensa francesa de que Luis Henrique estaria acertado com o Olympique de Marselha, começou a busca pelas informações do lado de cá do Atlântico, mas os dirigentes botafoguenses evitam comentar qualquer movimentação e garantem se tratar apenas de sondagem da equipe francesa. O que se sabe é que Luis Henrique viajará para a França para fazer exames médicos nos próximos dias.

Sendo aprovado, aí sim Botafogo e TAC (que detêm 40% e 60% dos direitos do atleta) esperam ter uma proposta na mesa, o que não deverá ser menor que 10 milhões de euros (R$ 63,7 milhões, do qual o Bota teria direito a R$ 25,5 mi). Jornalistas franceses afirmam que a diretoria do clube considera a negociação como certa e que o Olympique tratou da transação durante a tarde desta segunda. A assinatura ficaria a depender apenas dos exames médicos.

Última partida de Luis Henrique foi contra o Coritiba, quando teve um gol anulado — Foto: André Durão/ge

Última partida de Luis Henrique foi contra o Coritiba, quando teve um gol anulado — Foto: André Durão/ge

Fontes comentaram com o ge de que está tudo certo desde a semana passada. Fato é que o time francês está confiante na contratação do atacante, tanto que o treinador André Villas-Boas até comentou sobre o assunto em entrevista coletiva no domingo. O silêncio por parte do Botafogo também se dá por causa da precaução com as penhoras.

Luis Henrique, que tem contrato com o Botafogo até dezembro de 2022, pertence ao Três Passos Atlético Clube, do Rio Grande do Sul. O contrato entre os clubes estipula um valor mínimo para a negociação do atacante, além de uma multa em torno de 30 milhões de euros.

O jovem jogador não atua pelo Botafogo desde o empate em 0 a 0 contra o Coritiba, no último dia 2. Naquela partida, o atacante foi substituído no segundo tempo e desde então não voltou a campo por causa de uma pubalgia. O clube vai avaliar como evolui a recuperação do jogador das dores no púbis até para que ele possa ir bem nos exames físicos.

GE

 

Uma semana após retorno das aulas, França fecha 70 escolas por contágio de Covid-19

Uma semana após o retorno das aulas do Ensino infantil e fundamental, o governo francês anunciou que 70 das 40 mil escolas do país precisaram voltar a fechar as portas devido ao contágio pelo novo coronavírus.
Quase um terço das escolas foram fechadas em apenas uma única cidade. Sens, localizada na região da Borgonha, teve 24 unidades de ensino paralisadas por causa de um caso de Covid-19.
Segundo o ministro da Educação, Jean-Michel Blanquer, o fechamento das escolas não deveria ser motivo de preocupação, uma vez que isso demonstra que as autoridades de saúde estavam vigilantes.
Em entrevista ao canal de notícias BMF TV, o ministro foi questionado se não era exagero fechar dezenas de escolas por causa de uma só pessoa contagiada. “Às vezes nos acusam de fazer de menos, às vezes de fazer de mais. Se tirarmos uma linha de equilíbrio, estamos atentos à saúde das pessoas”, respondeu Blanquer.
Ainda de acordo com ele, as escolas foram fechadas seguindo dois princípios básicos: orientação das autoridades de saúde e diálogo com os governantes locais.
“Voltar à escola não é uma medida secundária; é fundamental”, afirmou o ministro sobre as consequências da suspensão das aulas. Além de impactos psicológicos e de nutricionais – já que boa parte dos alunos depende da merenda escolar – há risco de abandono ou fracasso escolar.
diariodepernambuco

 

Adotado que mora na França encontra mãe biológica de Bananeiras-PB

Um francês Benjamin Cardiet, de 28 anos, conseguiu encontrar a mãe biológica na Paraíba. Ele procurou a Comissão Estadual Judiciária de Adoção (Ceja-PB), da Corregedoria-Geral de Justiça do Estado. O órgão trabalha com a atribuição de gerenciar e fiscalizar processos relacionados à adoção, além de também auxiliar o adotado que deseja encontrar as origens.

Depois de um ano e seis meses de investigação, que envolveu a Comarca de Bananeiras e a 1ª Vara da Infância e Juventude da Capital, o reencontro finalmente aconteceu.

O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) garante, em seu artigo 48, o direito do adotado de conhecer sua origem biológica. De acordo com o secretário-executivo da Ceja, juiz-corregedor Antônio Silveira Neto, tal garantia é importante para buscar a identidade familiar do adotado, a ancestralidade e a superação de traumas da infância, além de envolver questões biológicas, principalmente nos casos em que o adotado tem problemas de saúde de origem genética.

Em relação à investigação realizada pela Comissão, o magistrado explicou que o próprio processo judicial de adoção internacional, na maioria das vezes, identifica a mãe biológica. “No caso de Benjamin, a ação teve origem na Comarca de Bananeiras. Uma vez oficiado, o juiz identificou que o processo havia sido arquivado e estava na 1ª Vara da Infância e da Juventude da Capital. Depois de localizado, o processo foi digitalizado e entregue ao jovem, ao mesmo tempo em que o juiz Jailson Suassuna, em Bananeiras, contatou funcionários do Fórum da época da adoção para descobrir mais informações sobre a mãe biológica de Benjamin”, contou Antônio Silveira.

Também foram realizadas buscas no Cartório de Registro Civil daquela Comarca e no Instituto de Polícia Científica. Quando a mãe biológica finalmente foi identificada, o jovem francês, que é motorista e mora na cidade de Nantes, voltou a Paraíba para conhecer a família. Durante o processo investigativo, Benjamin passou por atendimento prévio com a equipe técnica de apoio da Ceja.

Corregedor-geral da Justiça Romero Marcelo

O corregedor-geral da Justiça Romero Marcelo, que preside a Ceja, explicou que a pessoa adotada que deseja encontrar a família de origem pode fazer um requerimento na sede da Ceja-PB para que seja aberta a investigação. Na página da Corregedoria na internet, no link Ceja, é possível encontrar mais informações sobre adoção.

Processos digitalizados

O corregedor-geral afirmou que os processos relacionados à adoção que estavam arquivados na Vara da Infância e da Juventude da Capital, que correspondiam a 96 caixas estão sendo digitalizados. “Estamos prioritariamente digitalizando esses processos. Com isso, nossas buscas serão facilitadas e também será possível implementar ferramentas que possam fazer pesquisas mais abrangentes”, destacou o desembargador.

 

clickpb

 

 

Marta e o Brasil enfrentam a França precisando da vitória neste domingo

Neste domingo(23), Brasil volta a campo, desta vez pelas oitavas de final da Copa do Mundo de Futebol Feminino. A adversária é a França. A anfitriã terá a seu favor um estádio lotado com 20 mil torcedores.

As jogadoras francesas esperam repetir o resultado da seleção masculina 21 anos atrás, na Copa de 1998, quando a França conquistou o primeiro título mundial, em casa, ao vencer o Brasil por 3 a 0.

Durante entrevista coletiva ontem, o técnico Vadão negou o sentimento de vingança no duelo França e Brasil. “Não há o sentimento de vingança com França de 1998. No futebol feminino, nós não temos rivalidade com a França para querer uma revanche”, afirmou.

Vadão ressaltou que o entrosamento é o ponto positivo da adversária. Das 11 jogadoras titulares, sete atuam no mesmo clube. A goleira Sarah Bouhaddi, as zagueiras Wendie Renard e Griedge Mbock Bathy, a lateral Amel Majri, a meio-campista Amandine Henry, e as atacantes Eugenie Le Sommer e Delphine Cascarino jogam no Olympique Lyonnais.

O treinador ressaltou que o Brasil está confiante na vitória. “Nós nos sentimos muito confiantes porque a gente vem crescendo na competição. A gente mostrou um futebol muito eficiente. As atletas estão entendendo muito bem o papel de cada uma delas. Eu acho que o Brasil, independente das contusões, tem muita confiança para fazer um grande jogo frente a França para passar de fase e continuar na competição”, declarou.

O jogo França x Brasil está marcado para as 16h, no estádio Océane, em Le Havre. Quem ganhar pega Espanha ou Estados Unidos nas quartas de final.

França teve 100% de aproveitamento na primeira fase. No jogo de abertura, goleou a Coreia do Sul por 4 a 0. Venceu a Noruega por 2 a 1. Ganhou da Nigéria por 1 a 0.

O Brasil, na fase de grupos, venceu dois jogos e perdeu um de virada. Ganhou da Jamaica por 3 a 0. Perdeu para a Austrália por 3 x 2. Ganhou da Itália por 1 a 0.

 

Agência Brasil

 

 

Brasil supera desconfiança, vence a França e está nas quartas do vôlei

imagem: REUTERS/Edgard Garrido
imagem: REUTERS/Edgard Garrido

Era o tudo ou nada no Maracanãzinho. Se perdesse para a França, a seleção brasileira de vôlei masculino seria eliminada ainda na primeira fase da Rio-2016. Contando com a empolgação da torcida e boas atuações de Lipe e Wallace, o time de Bernardinho espantou a má fase e fechou o jogo em 3 sets a 1.

Troca traz resultado no primeiro set

Em um primeiro set equilibrado, a seleção brasileira teve dificuldades para conter o saque de Le Roux no início da parcial. Foi apenas no 17º ponto que o time de Bernardinho conseguiu assumir a liderança do marcador. E não permitiu uma reação francesa. Contando com a eficiência de Wallace no saque e no ataque (terminou com quatro pontos), além do bom bloqueio de Maurício Souza, a seleção brasileira conseguiu fechar o primeiro set em 25 a 22.

Maurício Souza, inclusive, foi uma aposta do técnico Bernardinho. Depois de duas derrotas, o treinador mexeu na equipe e escalou o central no lugar de Lipe. A mudança já havia sido testada durante a partida contra a Itália.

Wallace aparece mais uma vez, mas França que leva

Assim como aconteceu no primeiro set, a seleção brasileira teve em Wallace seu melhor jogador na segunda parcial. Mais uma vez eficiente no ataque, o oposto terminou o set com sete pontos anotados. Como tática para tentar a virada, o levantador Bruninho em todo instante procurava Wallace em seus ataques.

Do outro lado, no entanto, Kevin Tillie fazia a diferença para os franceses. Com cinco pontos, ele foi fundamental na vitória da França por 25 a 22.

Vibração marca o terceiro set

A animação brasileira fez a diferença na terceira parcial. A cada ponto conquistado, os jogadores vibravam muito. No 18º ponto, quando o Brasil abriu três pontos de vantagem, Lipe saiu correndo atrás de Serginho para abraçá-lo no fundo da quadra. A animação contagiou o público presente no Maracanãzinho, que passou a gritar ainda mais. O time de Bernardinho fechou o set em 25 a 20.

Brasil se recupera no quarto set

Precisando vencer o set para evitar a eliminação, a França chegou a abrir três pontos de vantagem para o Brasil na metade da parcial (13 a 10). O nervosismo francês, aliado aos dois pontos consecutivos de Wallace, recolocou a seleção brasileira na partida. Os sucessivos erros, porém, impediam que o Brasil conseguisse o ponto do empate. E assim foi até a parte final: França abria dois pontos de vantagem e o time de Bernardinho conseguia reduzir um. No momento decisivo, no entanto, o empate veio: 23 a 23. A partir daí, a seleção brasileira assumiu a liderança do placar e fechou em 25 a 23.

Lucarelli sofre com os toques na rede

Durante os dois primeiros sets, um ponto dissonante da seleção brasileira era Lucarelli. Constantemente, o ponta sofria com os toques na rede em seus ataques. Em apenas um set e meio, o jogador havia cometido a mesma falta em quatro oportunidades. No quarto set, depois de mais um toque na rede, o ponta chegou a levar uma bronca de Lipe. Apesar do erro, Lucarelli entrou mais na segunda parte da partida e encerrou com 13 pontos anotados.

O saque que era problema vira solução

Na última edição da Liga Mundial, o Brasil encontrou problemas para trabalhar o passe quando o saque vinha forte. Na Rio-2016, a dificuldade se repetiu nos jogos contra Estados Unidos e Itália. Precisando da vitória para se manter na competição, o time de Bernardinho transformou o problema em solução. Apostando bastante no saque viagem, a seleção brasileira deixou a França com dificuldades na recepção – no terceiro set, Wallace encaixou um saque de 110km/h. O destaque foi Lipe. Mesmo sem começar como titular, o ponteiro entrou e conseguiu dois aces, além do grande desempenho no saque.

Torcida empurra seleção e explode com ouro no atletismo

Durante o terceiro set da partida, a torcida presente no Maracanãzinho explodiu em festa. A comemoração, porém, não tinha a ver com algum ponto anotado pela seleção brasileira. O motivo era a medalha de ouro que Thiago Braz acabara de conquistar no salto com vara.

A torcida brasileira, que chegou a entoar coros de “o campeão voltou”, ainda contou com a presença de algumas celebridades. Os atores Bianca Rinaldi e Thiago Lacerda, o cantor Thiaguinho, o piloto Cacá Bueno acompanharam a vitória do Brasil. Também presente no Maracanãzinho, mas provavelmente na torcida pela França, seu país, estava o nadador Florent Manaudou, medalha de prata nos 50m livre.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Brasil sofre virada para França em jogo decisivo e cai no basquete feminino

À espera de um milagre, o Brasil entrou em quadra em busca de uma luz no fim do túnel. Embora improvável, ainda havia uma esperança de classificação, no entanto, era preciso derrubar a França, atual vice-campeã olímpica, nesta quinta-feira, na Arena da Juventude, em Deodoro. Apesar do bom começo no jogo de vida ou morte, a seleção brasileira desperdiçou a vantagem de sete pontos no primeiro quarto e sofreu outra virada, desta vez, por 74 a 64, sendo eliminada da Olimpíada. O time comandado por Antonio Carlos Barbosa ainda faz a sua despedida contra a Turquia, neste sábado, as 15h30 (de Brasília), apenas para cumprir tabela pelo grupo A. Respirando por aparelhos na fase preliminar, o Brasil poderia se classificar dependendo de uma combinação de resultados, porém, tinha a obrigação de vencer as duas últimas partidas chave.

Brasil x França - Basquete feminino - Rio 2016 (Foto: Marko Djurica/Reuters)Brasil precisava vencer a França para sonhar com chances de classificação (Foto: Marko Djurica/Reuters)

Embora tenha amargado mais um revés na Rio 2016, Damiris foi a cestinha da partida, com 21 pontos. Jogando como ala, a paulista de Ferraz pegou quatro rebotes, teve quatro roubadas de bola e dois tocos, sendo um dos maiores destaques do Brasil, ao lado de Clarissa, com um duplo-duplo: 16 pontos e 10 rebotes. Iziane começou bem, mais caiu de rendimento no segundo tempo e anotou seis pontos. As cestas de três poderiam ter feito a diferença, contudo, a equipe acertou apenas três em 10 tentativas (30%) – e 18 entre 40 para as de dois (45%).

As francesas fizeram do jogo coletivo a sua grande arma. Lideradas pela craque Gruda, com um duplo-duplo (17 pontos e 10 rebotes), as vice-campeãs em Londres 2012 contaram com boas atuações de outras peças fundamentais no ataque, como Gaelle Skrela (17), Isabelle Yacoubou (10) e Endy Miyem (10), com 100% de aproveitamento nos chutes de longa distância.

O JOGO

A pressão pelas derrotas para Austrália, Japão e Belarus parecia não pesar para Iziane. Em um início promissor, a ala anotou os quatro primeiros pontos do Brasil. Damiris acertou da linha dos três, e a seleção surpreendeu a França com 7 a 0. O time comandado por Barbosa trabalhava bem a bola e fechava a defesa. As vice-campeãs olímpicas demoraram quase quatro minutos para marcar a primeira, com Endy Miyem, de três. Com a mão quente, Damiris ampliou para 9 a 3, porém, as francesas reagiram e encostaram: 12 a 10. As brasileiras voltaram a abrir sete pontos (17 a 10), e a técnica Valerie Garnier colocou a craque Sandrine Gruda, no banco desde o começo. A pivô chamou a responsabilidade, anotou quatro pontos, e contou com a ajuda de Miyem, que anotou outra cesta de três para colar nas adversárias: 20 a 17. No estouro do cronômetro, Bouderra acertou de longe e empatou por 20 a 20 no fim do primeiro quarto.

Brasil x França - Basquete feminino - Rio 2016 (Foto: Marko Djurica/Reuters)Jogadora brasileira cai em quadra em partida contra a França (Foto: Marko Djurica/Reuters)

A seleção brasileira voltou a abrir uma diferença graças aos arremessos certeiros de Clarissa, Érika e Damiris (29 a 24). A resposta não demorou. Skrela, de três, e Yacoubou, de dois, deixaram tudo igual e voltaram a complicar o Brasil: 29 a 29. Ganharam moral e, pela primeira vez, assumiram a frente do placar com Gruda, que virou por 31 a 29, levando Barbosa a pedir tempo. O jogo mudou, e as francesas assumiram o controle, com as brasileiras sem pontuar por 5m48s. No fim do segundo quarto, uma falha na defesa deixou Ayayi totalmente livre para marcar: 35 a 23. Damiris foi responsável por 14 pontos do Brasil no primeiro tempo e carregava o time nas costas. Uma das poucas que a ajudava era Iziane (5), mas, não o suficiente. Clarissa e Érika até iam bem nos rebotes, contudo, não traziam grande poder ofensivo. A França, por sua vez, era mais constante e mantinha o bom nível de jogo com as titulares e as reservas.

As francesas faziam do jogo coletivo o seu diferencial, ampliando aos poucos a vantagem, seja com Gruda, Epoupa ou Skrela. Inspirada, Damiris virava tudo e tentava reverter o prejuízo como podia, porém, as companheiras continuavam apáticas. Érika contribuiu um pouco, mas a diferença era cada vez maior. E foi para 14 pontos nos chutes de três de Kamba e Ayayi: 53 a 39. A torcida tentou levantar a moral do time da casa e puxou o coro de: “Eu acredito!”. As brasileiras ainda esboçaram uma reação, liderada por Clarissa, diminuindo para 57 a 48, após uma cesta de Kelly. Na sequência, Joice cresceu diante das rivais, infiltrou bem no garrafão e acertou um belo arremesso, mas o tempo havia se esgotado no terceiro quarto e a jogada não valeu.

No último quarto, a torcida era o sexto jogador e se dividia entre os gritos de apoio às brasileiras e as vaias para as francesas. Sem a presença da armadora Céline Dumerc, cortada às vésperas dos Jogos por conta de uma lesão no tornozelo, a estrela Gruda ia ditando o ritmo da partida e tornando o caminho do Brasil cada vez mais dramático. Damiris e Clarissa tentavam melhorar a situação, mas a distância parecia não ter fim. Os arremessos de três, que poderiam fazer a diferença, como o de Iziane no minuto final, não entravam. Na beira da quadra, Barbosa batia palmas e dizia palavras de motivação, mas nada adiantava. Nos últimos segundos, a torcida francesa comemorava a vitória. Clarissa e Érika ainda marcaram, mas já era tarde, e a França fechou o placar com 10 pontos de diferença: 74 a 64.

TURQUIA DERROTA BELARUS

Depois um início complicado na Olimpíada, as turcas e as bielorrussas se recuperaram com uma vitória e entraram em quadra para medirem forças em um jogo-chave pela classificação. Em uma batalha de nervos, marcada pelo equilíbrio,a Turquia deu um passo adiante ao vencer as rivais por 74 a 71. Com o segundo triunfo no torneio de basquete, o time deixou Belarus em uma situação difícil, com três derrotas e apenas um resultado positivo. As bielorrussas abriram logo 8 a 0 no placar, fechando o primeiro quarto por 19 a 13. As trucas se recuperaram com as bolas precisas de três pontos de Sebnem Nezahat Kimyacioglu, que empatou em 33 a 33 antes de irem aos vestiários para o intervalo. O equilíbrio deu o tom da disputa até o fim. As jogadoras de Belarus falharam arremessos importantes na reta final, e as turcas selaram a vitória.

globoesporte

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Papa Francisco expressa “dor e horror” após assassinato de padre na França

(Foto: Luca Zennaro/AFP)
(Foto: Luca Zennaro/AFP)

O papa Francisco expressou “dor e horror” pelo “assassinato bárbaro” de um sacerdote em uma igreja da França na manhã desta terça-feira, declarou do pontífice, Federico Lombardi, em um comunicado do Vaticano. “Estamos particularmente abalados por esta violência horrível ocorrida em uma igreja, um lugar sagrado no qual se anuncia o amor de Deus”, disse o texto.

O arcebispo da cidade próxima de Rouen, Dominique Lebrun, indicou que a vítima se chamava Jacques Hamel e tinha 84 anos. Os agressores foram abatidos pela polícia. O desenlace da tomada de reféns aconteceu na localidade de Saint-Etienne-du-Rouvray, no norte do país.

O Papa condena “da forma mais radical toda forma de ódio e reza pelas pessoas atingidas”, disse Lombardi, referindo-se à solidariedade do Vaticano com “a Igreja na França, a Arquidiocese de Rouen, a comunidade afetada e o povo francês”.

Este último ataque aumenta a tensão na França, um país abalado nos últimos 18 meses por três atentados.

clickpb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Padre é morto após ser feito refém em igreja da Normandia, na França

Dois homens armados com facas fizeram reféns um padre, duas freiras e dois fiéis em uma igreja de Saint-Etienne-du-Rouvray, na região da Normandia, no norte da França, na manhã desta terça-feira (26). O padre de 84 anos foi morto. Outros três reféns ficaram feridos – um em estado grave.

O Estado Islâmico reivindicou a autoria do atentado, que terminou após a polícia matar os dois terroristas. “Eles responderam aos chamados para atacar os países da coalizão internacional”, que luta contra o EI no Iraque e na Síria, segundo a Amaq.

Poucos minutos antes, o presidente francês, François Hollande, já tinha declarado que os criminosos disseram pertencer ao grupo terrorista. Hollande, que foi até o local do crime,  qualificou o ato como “um ignóbil atentado”.

De acordo com o jornal francês “Le Figaro”, os dois homens armados entraram na igreja durante uma missa. Fontes policiais informaram que pelo menos um deles usava barba e espécie de gorro de lã utilizado por muçulmanos.

Agentes do corpo de elite da Brigada de Investigação e Intervenção (BRI) da polícia local cercaram o imóvel e tentaram negociar com a dupla. O cerco só acabou após 40 minutos quando agentes de segurança mataram os  criminosos. Jacques Hamel, que foi degolado, trabalhava nessa igreja há cerca de 20 anos.

O Vaticano também condenou o “bárbaro assassinato” do padre. O ato se torna ainda mais odioso na avaliação da Santa Sé por ter ocorrido em um local sagrado, segundo a Reuters.

O ato é o mais recente em uma série de ataques violentos na Europa. A morte do padre ocorre em um contexto de alerta máximo na França apenas 12 dias após um tunisiano matar 84 pessoas com um caminhão em Nice, em ataque reivindicado pelo Estado Islâmico.

Dois homens fizeram reféns em uma igreja Saint Etienne du Rouvray, na região da Normandia,  no norte da França, na manhã desta terça. Um padre morreu (Foto: Charly Triballeau / AFP)Dois homens fizeram reféns em uma igreja Saint Etienne du Rouvray, na região da Normandia, no norte da França, na manhã desta terça. Um padre morreu (Foto: Charly Triballeau / AFP)
G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Ex-BBB Ariadna faz topless durante férias na França

Ariadna publicou fotos em sua rede social em que aparece fazendo topless. Na legande a ex-BBBescreveu: “Praia do Príncipe de Galles #topless #FRANÇA #biarritz #verão2015 #verãoeuropeu #agora #praia #garotabrasileira #europa #férias #hoje #semfronteiracomariadna”. Em seguida, ela postou mais fotos em que aparecia vestida com a praia ao fundo. “Adorando tudo isso #França #férias #verão2015”.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Image title
Image title
Image title
Image title

No domingo, 19, outra ex-BBB também fez topless. Maria Melilo surpreendeu ao postar uma foto fazendo topless em Ibiza.

Image title

A foto foi retirada do ar pela rede social, logo em seguida Maria postou foto onde também faz topless, mas dessa vez apareceu de costas, na legenda ela escreveu: “Vamos ser livres”.

Image title
FONTE:

  • Ego