Arquivo da tag: filhos

Inversão de papéis: quando os pais viram os filhos

Especialista em gerontologia lista os sinais que mostram quando os idosos não podem mais continuar sozinhos

Com a idade avançada, é essencial que a família – ou quem for responsável – tenha um olhar mais atento aos idosos. A partir daí, levanta-se o questionamento: até quando eles podem viver sozinhos? Apesar da resposta dessa pergunta não ser exata, toda atenção é pouca, mesmo que a distância.

“É normal achar que está tudo certo porque o idoso está lúcido, toma os remédios diariamente e passa por consultas”, explica Marcella dos Santos, enfermeira chefe do Grupo DG Sênior, especializada em gerontologia. “A inaptidão física é mais simples de ser percebida e aceita do que a diminuição da cognição. Por isso, alguns sinais podem ajudar as famílias a ter esse acompanhamento”, ressalta.

Os pontos abaixo mostram a importância de buscar uma orientação médica a fim de obter um tratamento adequado:

1- Acidentes recentes: ao envelhecer, o risco de quedas aumenta e é crucial dar atenção a isso, mesmo que o idoso diga que não foi nada. “Eles costumam ter um preconceito com o uso de bengala, mas é um apoio necessário para evitar quedas”, explica Santos.

2- Dificuldade durante as atividades cotidianas: a especialista ressalta que se o idoso começa a agir de forma diferente do que antes era habitual, o alarme vermelho pode estar tocando. “Dificuldade no autocuidado, alimentação inadequada, isolamento e apatia, dificuldade com as finanças, são sinais que apontam algum problema”, alerta.

3- Objetos quebrados e coisas queimadas: sinais que indicam esquecimento e falta de atenção devem ser bem observados, como por exemplo, bocas do fogão escuras, fundos de panela queimados, itens quebrados e acúmulo de papéis. A especialista explica que as demências são doenças neurodegenerativas que geram uma decadência nas funções cognitivas, afetando o comportamento, personalidade e memória.

4- Ganho ou perda de peso: para manter o controle do peso do idoso, verifique os alimentos presentes na geladeira. Confira se não há nada vencido ou estragado, se os produtos são saudáveis para a alimentação ou se não há uma quantidade exacerbada de um determinado mantimento.

 

Isabella Vilela

 

 

Secretário pede que pais não deixem filhos voltar às aulas presenciais no Estado e alerta para risco de infecção por Síndrome Inflamatória grave

O secretário de Estado da Saúde (SES-PB), Geraldo Medeiros, através de vídeo divulgado nas redes sociais nesta segunda-feira (5), pediu aos pais que tenham alunos matriculados nas redes de ensino da Paraíba que não liberarem o retorno às aulas presencias. O anuncio veio após os prefeitos de João Pessoa e Campina Grande autorizarem o retorno do ensino médio a partir do dia 13, além das aulas em universidades que começam nesta segunda.

No vídeo, ele aponta que através da 9ª avaliação do Plano Novo Normal, que passa a vigorar a partir desta segunda, com base em seu Comitê Cientifico, com o retorno das aulas existe um risco das crianças desenvolverem a Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica após uma possível infecção pela Covid-19.

“Nos Estados Unidos por exemplo, no espaço de cinco meses houve um aumento de 500% no número de crianças contaminadas. Além disso, nós temos uma nova manifestação tardia da Covid-19 em crianças que é a Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica em que as crianças manifestam um quadro tardio, geralmente 15 dias após adquirir o novo coronavírus e que se apresenta com sintomas graves, como choques e queda da pressão arterial necessitando de cuidados intensivos.

Geraldo aleta ainda que apesar de ser um percentual pequeno, de 0,6 à 0,7% dos casos, há uma mortalidade elevada nesses casos. Ele citou que o Ministério da Saúde garantiu a vacinação até Janeiro e que, pregando cautela no retorno gradativo das atividades.

“O assessor especial do Ministro Eduardo Pazzuello nos confirmou que em janeiro nós teremos 6 milhões de vacinas e, entre janeiro e junho, temos mais de 100 milhões de vacinas distribuídas em todo o país pelo Ministério da Saúde, digo que esse é mais um elemento de nós termos cautela e aguardamos um pouco mais para liberar as aulas presenciais”, concluiu.

Confira:

 

Flordelis e pastor Anderson tinham relações sexuais com filhos, diz pessoa que viveu com o casal

Uma pessoa que morou na casa da deputada federal Flordelis (PSD) afirmou que ela e o ex-marido assassinado, pastor Anderson do Carmo, mantinham relações sexuais com filhos e filhas.

A pessoa, que prefere se manter no anonimato, disse ao RJ2 que tem medo de sofrer represálias da família da deputada.

Como mostrado pela equipe de reportagem nessa segunda-feira (31), a pessoa afirmou que morou na casa de Flordelis – informação que é reforçada por testemunhas ouvidas na investigação sobre a morte do pastor Anderson, crime do qual Flordelis é acusada de ser a mandante.

No relato exclusivo ao RJ2, as histórias desconstroem a imagem de mãe amorosa e mulher bem-intencionada que Flordelis exibia.

“O que era perceptível é que ela mantinha um número para manter o marketing pessoal dela, de 50 crianças adotadas”, afirmou a pessoa.

Também segundo o depoimento, o “Ministério Flordelis” – uma espécie de congregação – servia para arrecadar dinheiro e sustentar os luxos da deputada.

“Tanto Flordelis quanto Anderson do Carmo não tinham nenhum tipo de emprego, nenhum tipo de renda. E este marketing, das 50 crianças, praticamente era a única fonte de renda que eles possuíam.”

E o dinheiro recebido, segundo o depoimento, não era pouco.

“Ela cantava nas igrejas, recebia as ofertas. O dinheiro circulava em grande quantidade, na verdade, na casa. (…) Regalias e carro do ano, bons restaurantes, era isso que era destinado.”

Só que os privilégios não eram para toda a família.

“Tinha diferença de tratamento. Algumas crianças tinham certos privilégios. Outros não tinham tantos privilégios quanto os primeiros”, detalhou a pessoa.

“Existia na casa, sim, uma geladeira que não ficava, na época, no quarto da missionária Flordelis. Essa geladeira ficava na cozinha, porém ela tinha cadeado e grade. Ficava trancada e só quem tinha acesso à chave era Anderson, missionária Flordelis e Carlos, que era quem cuidava de toda a alimentação da casa”, acrescentou.

Seguindo o relato, alguns integrantes da família de Flordelis comiam determinados alimentos, mas a grande maioria tinha outro tipo de refeição.

“Batata frita para os mais privilegiados, bife… E para outras crianças sempre era frango, sempre era uma comida um pouco de menos valor.”

Os relatos são confirmados por outros depoimentos. Um obreiro da igreja disse à polícia que a casa recebia doações de comida e que percebeu que a melhor parte ia para determinado núcleo familiar.

Linguagem em código

As investigações da polícia também mostraram que muitas informações precisavam ser mantidas em segredo pelo principal núcleo da família.

Foi aí que surgiu a ideia de usar uma linguagem comum entre crianças e adolescentes nas décadas de 1970 e 1980. O recurso virou um importante código de comunicação: a língua do “P”.

“Existia uma comunicação interna entre eles, onde eles não queriam que uma outra pessoa soubesse. Eles falavam a língua do P, mas de uma maneira bem acelerada, que era bem impossível uma pessoa sem prática reconhecer ou identificar”, detalhou.

A conversa ocorria geralmente entre Flordelis e Simone, uma das filhas biológicas. E a polícia também foi informada disso. Uma testemunha afirmou que a comunicação através de códigos era comum no grupo.

Relações sexuais

A pessoa ouvida pelo RJ2 também relatou práticas sexuais envolvendo moradores da casa.

“Durante o convívio, era perceptível que eles mantinham relações sexuais entre irmãos, entre pai e filha, entre mãe e filhos. Isso era nítido, notório, e inclusive contado pelos próprios.”

De acordo com o relato, a história de amor do casal Flordelis e Anderson começou a mudar quando o pastor começou a mandar mais do que a deputada nos negócios da família.

“Anderson se tornou uma pedra no sapato pra Flordelis. E ela fez com ele exatamente o que ela faz com todos: retira do caminho.”

Ao desabafar, a pessoa afirmou ter percebido as mentiras de Flordelis – e do pastor.

“O que eles pregam não é exatamente o que eles vivem. Eles vivem uma vida de mentira, uma vida de omissões, uma vida sem amor, uma vida voltada praticamente pra si, pelo dinheiro, riqueza e fama.”

Procurada, a defesa da deputada não retornou aos contatos do RJ2.

 

G1

 

 

Isolamento muda perspectiva do pai sobre a criação dos filhos

Psicóloga conta que os chefes de família foram surpreendidos com jornada tripla e lançaram novo olhar sobre as atividades domésticas . Perfil varia entre os que aproveitaram o momento e aqueles que desencadearam ansiedade

Soraya Oliveira

O Dia dos Pais de 2020 será lembrado sempre como aquele do ano da pandemia, quando o distanciamento social impôs às famílias uma convivência intensa. Pais e mães adotaram o modelo de trabalho de home office e as crianças passaram a ter aulas por meio do ensino à distância (EAD).  A Pesquisa Gestão de Pessoas na Crise Covid-19,  elaborada pela Fundação Instituto de Administração (FIA) com dados de abril, mostrou que 46% das empresas mantiveram seus funcionários em casa. Embora a mudança de rotina tenha sido árdua para todos os membros, o papel do homem foi o mais afetado. É no que acredita a psicóloga que atende no Órion Complex, Soraya Oliveira. Ela conta as experiências ouvidas em seu  consultório sobre o isolamento.

A especialista lembra que, historicamente o homem assume o papel do provedor da família, aquele que sai de casa cedo e retorna no fim do dia, enquanto as mulheres sempre assumiram o papel de cuidadoras da família. Para Soraya essa cultura ainda está muito enraizada no Brasil, e, mesmo com as sutis mudanças na era moderna, o homem quando se viu em casa precisando fazer também atividades domésticas e cuidar dos filhos, ele acabou despertando seu olhar para essas atividades, até então delegadas apenas a elas. “O pai que já tinha um histórico afetuoso, soube aproveitar esse momento para reforçar os vínculos e dar aos filhos aquilo que eles eram impedidos de oferecer por passar o tempo longe, como brincar, ver televisão, jogar um videogame, ler”, pontua.

Os  dados mais recentes do Instituto de Pesquisa Aplicada (IPEA), que analisa números do IBGE,  mostram que os 59% das casas brasileiras tem o homem como responsável por sustentar financeiramente o lar. Isso mostra um comportamento ainda muito tradicional no País, onde as mulheres são responsáveis por educar os filhos e os homens ficam livres da jornada tripla . “Os pais  estão mais habituados com as relações externas, com divertimento fora de casa, mas é com o convívio que descobrimos o outro, suas preferências e gostos. Quando foram para casa, perceberam que estavam distantes dos filhos e passaram a dar valor a coisas que antes eram banalizadas, como por exemplo, o tipo de indivíduo que estão educando para o mundo”, diz Soraya. Os desafios, explica a psicóloga, independem da idade dos filhos. “É importante pensar que foram muitos comportamentos diferentes, já que a quarentena se estendeu mais do que imaginávamos, até mesmo as crianças e adolescente tiveram que se adaptar com a figura masculina em casa”.

Embora muitos pais se redescobriram com o distanciamento social,  Soraya explica que  houve uma divisão clara entre aqueles que aproveitaram a situação para se conectar com os filhos, e os que tiveram grandes problemas de ansiedade. “Um segundo grupo de pais  demonstrou alteração forte de humor chegando até mesmo a atos de agressividade com violência física e moral,  impaciência, irritabilidade e frustração”. Para a psicóloga esses homens encararam com mais dificuldade o fato de estarem se sentindo fechados e não souberam lidar com a nova realidade de vida. “O resultado disso foi o grande número de divórcios que está tendo no mundo”, exemplifica.

Segundo Soraya, a adaptação foi mais complexa para esse grupo pois são pessoas que ainda vivem apegadas a uma cultura onde homens não executam tarefas domésticas nem educam os filhos pessoalmente do dia-a-dia. “Os pais tiveram que se posicionar melhor diante da escolha feita ao casar. Foram forçados a aprender a conviver e valorizar o papel da mulher e se tornar pai, esposo, companheiro e amigo”.

 

 

Carro com filhos do cantor Leonardo capota e cai em rio

O motorista e dois filhos do cantor sertanejo Leonardo, Matheus e João Guilherme, se envolveram em um acidente na tarde desta quarta-feira (1º), em Goiás. O veículo capotou e caiu em um rio a 40 km da fazenda do artista.

O colunista Léo Dias, do Portal Metrópoles postou um vídeo do momento em que o carro é retirado da água (veja abaixo).

A assessoria do cantor informou que eles seguiam para a propriedade rural, localizada em Jussara, quando aconteceu o acidente. Segundo a assessoria, o motorista tentou desviar de uma carreta que estava na pista e capotou.

O caminhoneiro ajudou a socorrer os filhos do cantor e o motorista que foram levados para uma unidade de saúde, mas não apresentaram ferimentos e foram liberados. Matheus e João Guilherme estão na fazenda e passam bem.

Assista ao vídeo

paraiba.com.br

 

Julian alerta filhos de Bolsonaro: ‘Se me apontar o dedo vai levar pau’

O deputado federal Julian Lemos (PSL) voltou a soltar o verbo contra os filhos do presidente Jair Bolsonaro.

Em entrevista ao programa  Arapuan Verdade nesta sexta-feira  (24), Julian declarou que caso Eduardo ou Carlos Bolsonaro, a quem chamou de moleques, apontem o dedo para ele, poderão sair literalmente na porrada.

”Se um desses moleques apontar o dedo para mim vai levar pau” polemizou.

Apesar das declarações, Julian disse que é favor da paz, declarando que mesmo com todas as divergências ocorridas ultimamente, votaria em Bolsonaro novamente.

“Para mim, ele ainda é o melhor presidente da República que o Brasil  já teve”, disse.

Não é de hoje que Julian se estranha com os filhos de Bolsonaro, já tendo protagonizado grandes embates, sobretudo na internet.

PB Agora

 

 

Julian Lemos critica postura de Bolsonaro e de seus filhos: ‘todo mundo vira traidor’

O deputado federal paraibano Julian Lemos participou nesta segunda-feira (02) do Pânico, da rádio Jovem Pan, e teceu duras críticas ao presidente Jair Bolsonaro e seus filhos. Aliados de primeira hora nas últimas eleições, os dois acabaram se afastando neste ano de 2019 após o racha no PSL que culminou com a saída de Bolsonaro da legenda para fundação de outro partido.

De acordo com Julian Lemos, as pessoas que estão no entorno de Jair Bolsonaro agem para destruir reputações. Além disso, todos os que fazem críticas ao presidente ou aos seus filhos são apontados como inimigos.

“Há um trabalho para destruir várias pessoas que eles compreendem como desafetos, destruindo reputações mesmo”, declarou Julian Lemos. “Acho o presidente um cara honesto, mas ele tem umas situações de ingratidão que machucam. Ele sai destruindo a reputação, todo mundo vira traidor. […] Os deputados do PSL são mal tratados. Tem deputado lá que não tem valor de nada”.

“Após o primeiro turno, eu senti que o clima não estava legal”, disse o deputado. O atentado que Bolsonaro sofreu em Juiz de Fora (MG), em setembro do ano passado, piorou as coisas. “Potencializou uma ideia de que há uma conspiração, de que querem matar [Bolsonaro]. Eu senti que existia toda hora ali gente querendo me ferrar”, confessou.

Julian ainda chegou a citar os filhos de Bolsonaro e criticou a forma como interferem nos assuntos do Governo. “O Eduardo é muito orgulhoso e, às vezes, machuca as pessoas. Eu o vi chamar os deputados do PSL de favelados”, afirmou.

Julian chegou a exercer a função de coordenador da campanha eleitoral no Nordeste ainda em 2018. Agora, sob o ponto de vista do parlamentar paraibano, “os deputados do PSL são maltratados. Tem deputado lá que não tem valor de nada”.

Julian Lemos ainda criticou a saída de Jair Bolsonaro do PSL. O presidente tem um novo partido, o Aliança pelo Brasil. “Não tenho motivos para sair do PSL, nem o presidente Bolsonaro tinha”, disse. Ele garantiu que o presidente da sigla, Luciano Bivar, cumpriu todas as promessas feitas ao capitão. “Eu sou testemunha de que Bivar cumpriu tudo.”

clickpb

 

Julian Lemos revela que filhos de Bolsonaro podem inviabilizar o governo e sai em defesa da permanência de Bivar no PSL

Na entrevista à Jovem Pan, na noite desta segunda-feira, o deputado federal e presidente estadual do PSL-PB Julian Lemos disse que a guerra no PSL é um grande problema para Jair Bolsonaro (PSL). Na mesma entrevista ele destacou que os filho do presidente vão inviabilizar o Governo Federal.

“No momento em que você tira a estabilidade emocional de alguém… Esse problema do partido é um inferno astral hoje”, afirmou o parlamentar do PSL da Paraíba, um dos vice-líderes do partido na Câmara afastados por Eduardo Bolsonaro. Segundo Lemos, Bolsonaro não encontraria o mesmo espaço nem teria a mesma força em nenhum outro partido.

“Imagine uma casa, uma potência, com 53 deputados federais. Um fundo partidário. Isso é uma máquina. Uma ferramenta que o presidente não tinha, e hoje ele tem. Onde o presidente vai achar outra casa em que ele tenha tamanha influência?”, questionou o deputado.

Filhos de Bolsonaro – Noutro trecho, Julian dispara contra os filhos do presidente, “De fato, há uma interferência [dos filhos]. Se continuar nessa passada, dessa forma, os meninos vão inviabilizar muita coisa do governo”, afirmou o deputado do PSL da Paraíba.

“Não cabe um filho atacar um presidente de Poder”, prosseguiu Lemos. “Os Poderes tem que estar em harmonia, senão não funciona. O Congresso Nacional é que manda no país. Se você viver inflamando esse tipo de coisa, vai ter uma explosão ali e o presidente não vai ter controle.”

Perguntado sobre como Bolsonaro deveria agir em relação aos filhos, Lemos respondeu: “Não sei como o presidente deveria agir. Eu sei como eu agiria se fosse meu filho. Eu diria: senta aqui no canto e fica calado”. Apesar das críticas aos filhos do presidente, o parlamentar defendeu Jair Bolsonaro. “Eu honrei Jair Bolsonaro e honro até hoje. Não há possibilidade de eu o trair”, disse Lemos.

Na entrevista, Lemos ainda defendeu o presidente nacional do PSL, Luciano Bivar. “Não aceito injustiça. Bivar foi correto. Quando o nosso presidente ficou internado naquela tentativa de homicídio [a facada em Juiz de Fora, em setembro de 2018], teve passagens áreas e estadias que Luciano pagou do próprio bolso. Eu não aceito esse tipo de injustiça, não faço esse tipo de coisa.”

O deputado do PSL paraibano, quando questionado sobre como ficou sabendo que não era mais vice-líder do partido, respondeu: “Pelo Antagonista. É o correio das boas e das más notícias”.

 

O Antagonista

 

 

Moradores protestam uma semana após acidente que matou mãe e dois filhos em Areia

Uma semana após o acidente que vitimou três pessoas na cidade de Areia, a 130 km de João Pessoa, moradores da região fizeram um protesto pedindo justiça.

O atropelamento aconteceu na noite de domingo (22) e vitimou fatalmente uma mulher e uma criança na hora. Uma criança de quatro anos e um adulto de 28 ficaram feridos e outra criança de quatro anos teve morte cerebral confirmada na quinta-feira (26).

Os moradores levaram cartazes e fizeram orações. Os suspeitos do crime continuam em liberdade. Na semana passada, o delegado Gilson Teles informou que o advogado do suspeito entrou em contato afirmando que apresentaria o homem esta semana.

paraiba.com.br

 

 

Mulher é agredida pelo ex-namorado na frente dos filhos, em João Pessoa

Uma mulher ficou ferida após ser agredida pelo ex-namorado, neste sábado (20), no bairro de Mandacaru, em João Pessoa, conforme informado pelo posto policial do Hospital de Emergência e Trauma da capital paraibana, para onde ela foi levada.

A equipe do posto da PM declarou que o homem agrediu a mulher, com socos e chutes, na frente dos dois filhos dela, por estar inconformado com o fim do relacionamento. No entanto, até o fim da manhã deste sábado (20), o suspeito não havia sido localizado.

Segundo a assessoria de imprensa do Hospital de Emergência e Trauma, a mulher, de 32 anos, foi levada à unidade por um carro particular, passou por procedimentos médicos de emergência e segue em observação. O estado de saúde dela é considerado regular.

G1