Arquivo da tag: Esperar

Cansado de esperar atendimento de saúde, popular quebra porta de prefeitura e danifica prédio do PSF em Caiçara

prefeituraUm fato inusitado foi registrado nesta quinta-feira (16) na cidade de Caiçara, no brejo paraibano, quando um popular quebrou a porta de vidro da Prefeitura Municipal daquela cidade e segundo testemunhas o cidadão alegou que a cerca de 8 dias procurava atendimento em um PSF e não teria sido atendido.

O popular revoltado ainda danificou a fachada de um PSF que fica ao lado da edilidade, no centro da cidade.

Um servidor da prefeitura  de nome Junior disse ao Felipe Silva do Serra da Raiz em Foco que desconhece a falta de atendimento relatado pelo cidadão, mas não informou as providências que a prefeitura deverá tomar com relação ao fato.

A Prefeitura de Caiçara é administrada pelo prefeito Cícero Francisco da Silva.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Da Redação
Do ExpressoPB

Procon ensina clientes dos bancos a receber multa em caso de esperar mais de 20 minutos nas filas; órgão tem 48 horas

filaO secretário do Procon de João Pessoa, Helton Renê, explicou nesta quarta-feira (30) como os clientes dos bancos de João Pessoa devem proceder em caso passe mais de 20 minutos nas filas. Segundo Renê, o próprio estabelecimento irá pagar da multa de forma administrativa na boca do caixa. “Tem que ser justamente na boca do caixa, com o gerente”, contou.

Para o consumidor comprovar que esteve na fila, o secretário explicou que deve pedir o carimbo da senha. “No momento que entrega a senha ao atendente, ao chegar no caixa, o cliente deve solicitar que ele carimbe ou autentique a senha. Aí ele já tem a prova de quanto tempo esperou pelo atendimento e pode ir ao PROCON, ou a justiça solicitar a sua indenização”, frisou Helton Renê.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Ainda segundo o secretário, ao ser questionado pelo cliente banco deve dar resposta – pagar a multa de cerca de mil reais – em no máximo 48 horas. “Se o banco não cumprir o prazo, o cliente poderá procurar o PROCON e a Justiça”, finalizou.

Paulo Dantas

Bebê guarabirense morre em hospital da capital após esperar mais de 11 horas para nascer

Na tarde dessa segunda-feira (29), o jovem Alexsandro de Lima Oliveira, entrou em contato com a nossa equipe de reportagem,  para relatar um triste fato que aconteceu no hospital Edson Ramalho em João Pessoa.

Segundo informações repassadas por ele, sua esposa Dulcilene Pereira de Oliveira , 18 anos,  estava grávida de 9 meses, entrou em trabalho de parto no último sábado dia (27), e foi levada para o hospital Regional de Guarabira.

Após ser atendida pelo médico plantonista, Dulcilene que estava sofrendo com muitas dores, foi encaminhada para casa. Segundo o médico, a dilatação da paciente não era suficiente para o parto, a mesma teria que aguardar em casa as contrações aumentarem.

Alexsandro voltou à procurar o médico e pediu para que ele realizasse o parto cesário, pois temia que sua esposa não conseguisse ter a criança de parto normal, o médico se negou e disse que ela teria todas as condições de ter a criança de parto normal.

Vendo o sofrimento da esposa, Alexsandro ligou para uma médica amiga da família,  que trabalha no Hospital Edson Ramalho, que pediu para que ele trouxesse a esposa para o  hospital, para realizarem o parto cesário. Pensando na segurança de sua esposa e do bebê,  ele a levou para João Pessoa para que o parto cesário fosse realizado.

Ao chegar ao hospital por volta das 19:00h do sábado (27), Dulcilene foi atendida pelo Dr. Marcelo Braz, que fez o exame de toque na paciente  e também a encaminhou para casa, dizendo que ela não iria ter o filho naquela noite. Alexsandro também falou com esse médico e pediu para que ele a operasse, já que na última ultrasonografia o filho pesava mais de 4kg, ele temia pela vida do filho e da esposa, segundo ele o médico voltou a se negar, e disse que por ela morar em Guarabira iria interna-la no hospital até que ela alcançasse a dilatação necessária para obter o parto normal.

Dulcilene aguardou por mais de onze horas e não conseguiu ter o bebê, segundo os relatos de Alexsandro (esposo) por volta das 6:00h da manhã do domingo (28), enfermeiros e médicos empurravam a barriga de sua esposa para que ela tivesse o filho normal e depois de muitas tentativas, o médico Dr. Marcelo, resolveu operar a paciente.

O bebê nasceu com insuficiencia respirátoria foi para UTI e morreu por volta das 4:00hs da manha desta segunda-feira.

A família vai aguarda o laudo médico para saber se ouve negligência por parte do hospital. A criança se chamaria Arthur, o casal esperava ansioso a chegada da criança, mais teve seus sonhos frustados pelo fato.

Alexsandro emocionado contou a nossa equipe como  recebeu a noticia da morte da criança, e como contou a notícia a sua esposa.

Portal Midia

Padre Bosco – Esperar contra toda esperança

O povo brasileiro tem sido tentado a viver sem esperança. As nossas conjunturas são culpadas por isso. As nossas instituições, pelo comportamento adotado, tem trazido muitas decepções para a nação brasileira. Isso é um fato real e inegável.

No mundo da atividade politico partidária, a situação é lamentável. Em cada eleição renova-se a esperança de que novas administrações possam fazer a diferença, mas as decepções são constantes. Parece valer o principio de que todo politico calça quarenta. Ou como se tem divulgado: os mesmos são como fraldas. Devem ser trocados pelos mesmos motivos.

É lamentável que existam estas leituras e esta realidade, considerando a importância da politica para o exercício democrático da população brasileira. O grande problema é a falta de seriedade e de valores éticos e morais perdidos em nossa sociedade. Quando estão postas as possíveis provas que podem incriminar um de nossos políticos e ele ainda diz que vai provar a inocência (que não existe), é de se lamentar realmente. O que é ainda mais grave é que mesmo condenadas estas pessoas retornam para a atividade politica para alimentar os mesmos esquemas de desonestidade e de corrupção. O povo brasileiro ou não tem memória, ou é misericordioso ou vota sem responsabilidade. Escolher alguém que se tem clareza do mal que vai fazer como desonesto e perseguidor, é entregar-se ao sofrimento.

Não podemos seguir o caminho da ingenuidade, mas também não podemos perder a esperança. Tudo o que se propaga como mazela da sociedade e da vida politica não representa toda a sociedade e não significa que toda sociedade esteja agindo desta maneira. Felizmente temos inúmeras pessoas anônimas que lutam pelo bem e fazem tudo para que o bem aconteça.

No meio de uma grande crise missionaria, onde as pessoas começaram a dizer que suas palavras eram duras, o mestre Jesus anunciou as parábolas do reino, comparando-o com a semente, não plantada como hoje, mas espalhada no solo. Jesus nos faz perceber que a semente segue o seu ritmo. Ela vai germinar surgir as folhas, os frutos e chegar ao tempo da colheita. É um processo que não depende de alguém. É um caminho natural. O destino final está traçado.

Ainda está colocado o exemplo da semente de mostarda que é a menor de todas e se torna uma grande arvore que abriga os pássaros.

A lição que fica destas mensagens é que não podemos jamais desistir. A semente deve ser permanentemente semeada. Ela existe além de servir de alimento para ser jogada ao solo para que se possa reproduzir.

Nossa tarefa primordial é semear. O que vai acontecer e quem vai colher não deve ser a nossa preocupação. Alguém está semeando a erva daninha, vamos fazer o contraponto, fazendo a diferença ao semear a semente do reino.

Assim o reino vai acontecendo no mesmo processo da semente que misteriosamente se desenvolve no campo. Podemos ter a certeza de que não semeamos em vão. Colheremos os bons frutos daquilo que de bom plantamos. Só colhe tempestades quem planta ventos. Nada mais verdadeiro, pois toda ação conduz consigo as devidas consequências.

 

Pe. Bosco

O texto é de inteira responsabilidade do assinante