Arquivo da tag: Ensinar

4 tendências para se adaptar e ensinar melhor online

Especialista esclarece estratégias para melhorar a experiência de lecionar no ambiente virtual

A necessidade de manter o isolamento social a fim de evitar o contágio pelo novo Coronavírus impôs o desafio a milhares de professores de migrar suas aulas presenciais para o ambiente online. Apesar de ser uma alternativa viável e segura, ensinar de forma virtual tem uma série de especificidades e exige um treinamento específico que, na última hora, nem sempre está sendo aplicado aos profissionais.

Há mais de cinco anos realizando treinamentos para professores de inglês em vários países para o ensino exclusivo em plataformas online, a professora Joanna Palmowska, gerente de Treinamento de Professores da English Live, maior escola de inglês online do mundo,  tem uma visão positiva sobre o ensino à distância. Segundo ela, apesar dos desafios e gaps existentes, o ambiente online também pode oferecer recursos interessantes que não estão disponíveis em uma aula presencial tradicional.  A especialista também alerta sobre a necessidade de avaliar os recursos disponíveis para os alunos em condições vulneráveis, um dos principais desafios quando se fala em educação à distância.

Joanna listou as principais dicas e orientações para profissionais da educação que querem aproveitar da melhor forma as aulas no ambiente virtual:

1- Escolha e conheça a plataforma disponível:

A verdade é que nem sempre os profissionais participam do processo de escolha da plataforma na qual irão trabalhar. Independentemente disso, é importante que o professor conheça a fundo suas funcionalidades. “Explorar esses recursos é fundamental para uma melhor experiência. Existem programas com opções de quadro interativo, formação de grupos, por exemplo. O professor precisa conhecer essas ferramentas para enriquecer a experiência dos alunos”, orientou.

2- Alinhe as expectativas: 

A especialista explica que no ambiente online existe o desafio da linguagem corporal, que é responsável por 80% da comunicação. “Ligar a câmera, usar gestos, entonação, ajuda a quebrar essa barreira. O profissional precisa ter isso em mente”, ressalta. Por esse motivo também é preciso alinhar as expectativas antes de começar qualquer atividade. Como o retorno nem sempre é imediato, existe uma necessidade de acordar constantemente o que se propõe com aquela atividade, o que ela espera dos alunos, dar feedbacks, exemplos,  etc.

Segundo ela, mais do que ensinar alguma matéria, o professor está ali também para ensinar a aprender de forma remota. Isso significa que ele precisa considerar que apenas escutar de forma passiva não é aprender imediatamente.

3- Aprenda a lidar com problemas técnicos:

Problemas técnicos são de longe a principal dificuldade revelada pela educação à distância, segundo Joanna. Isso inclui problemas de conexão, de aparelhos, barulhos externos, eletricidade. São muitas as barreiras  envolvidas para garantir um ensino de qualidade. Nem sempre é possível sanar todos, mas levando em consideração esse quesito é absolutamente possível trabalhar para reduzir os problemas. “É preciso testar, desenvolver conteúdo, usar as ferramentas disponíveis para explorar a interação ao máximo, por isso  o profissional precisa estar preparado”, completou. Prever o que pode dar errado e já se adaptar é uma boa saída  para evitar problemas durante as aulas.

4- Conheça seu público e se adapte:

O maior desafio da educação a distância seguramente está na vulnerabilidade na realidade estudantil. “Como pensar em desenvolver um bom conteúdo online se existem alunos sem acesso à internet ou mesmo computador próprio? Muitos alunos precisam dividir seus equipamentos com familiares ou sequer possuem um”, analisa.  A especialista conta que países como a Austrália estão enviando materiais como fitas e livros para estudantes em áreas remotas, por exemplo. A possibilidade de gravar um conteúdo para que ele seja assistido posteriormente é uma forma de fazer a educação funcionar.

“Quanto maior a preparação, melhor a experiência”, destacou a gerente, reforçando a capacidade de adaptação como a principal habilidade a ser desenvolvida no contexto de constante mudanças.

 

Sobre a English Live

Com mais de 20 anos de história, a EF English Live é a maior escola de inglês online do mundo. Fundada em 1996, tem sido pioneira na utilização da tecnologia para ministrar cursos de inglês online, oferecendo ensino de alta qualidade por meio do acesso a professores de inglês de todo o mundo. A escola tem aulas individuais e em grupo disponíveis 24 horas por dia, 7 dias por semana, com professores qualificados. Pertencente ao grupo EF Education First, líder mundial em educação internacional, possui um legado de 50 anos de excelência acadêmica e mais de 20 milhões de alunos atendidos. No Brasil,são mais de 100 mil clientes ativos e mais de 1 milhão de alunos atendidos nas últimas décadas. 

 

As coisas que as mães precisam ensinar para as meninas

maeAlgumas coisas são necessárias para saber como criar uma menina. No post de hoje, trouxemos algumas dicas para as mamães que tem meninas. Confira:

1. Conversar sobre menstruação é algo desconfortável

No começo, pode parecer que não, mas no fundo é sim. É preciso ser aberto e sincero com elas, é uma situação embaraçosa, mas é preciso fazer isso.

2. Estimular o relacionamento com o pai

No que consiste em mãe, pai e filha, é preciso que a mãe estimule o relacionamento entre pai e filha. Isso, acontece para que, no futuro, ela não acabe se envolvendo com qualquer um, por carência.

3. Também deve-se tomar cuidado com o que fala sobre seu corpo

Como mulher, você acaba se tornando exemplo para ela, por isso seja gentil ao falar sobre si mesma, não fale negativamente sobre seu peso, etc. Deixe claro que o mais importante é ser saudável e feliz.

4. Elogie sua filha em tudo, não apenas sobre sua aparência

Ela precisa entender que existem coisas mais importantes do que apenas a beleza física, suas habilidades, inteligência, humor, etc. são coisas que não vão desaparecer com o tempo.

5. Siga seus sonhos e paixões

Quando você faz por você aquilo que gostaria que sua filha fizesse por ela, é o maior ensinamento que poderia desenvolver em sua criação.

6. Cuidar e tratar seu corpo com respeito.

Incentive a prática de esportes, e ao cuidado dele. Além disso, diga sempre que seu corpo é seu templo, tenha conversas sinceras e honestas sobre relacionamento.

7. A ensine a acreditar em seus instintos e a ser inteligente em relação aos homens

É importante aprender a confiar em seus instintos, ajude-a a entender seus sentimentos.

8. Limites sobre a influência das outras pessoas em sua vida.

Para que ela possa fazer o mesmo. Trate-a bem, para que ela saiba como tratar os outros bem. Respeite a privacidade dela.

Fonte: Fatos Desconhecidos

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Professora sofre ameaças por ensinar Constituição a indígenas Munduruku

indioooEmanuelle Limenza Barros tem 28 anos e é de Londrina, Paraná, mas mora no estado do Pará há quatro anos onde leciona história para os indígenas Munduruku da aldeia Missão São Francisco do Rio Cururu, próximo ao município de Jacareacanga, sudoeste do Pará.

Acusada de organizar protestos e de aliciar os indígenas Munduruku, Emanuelle sofre hoje intimidações e ameaças por ensinar a Constituição Federal e a Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT) que prevê consulta aos povos sobre o impacto de grandes empreendimentos e que assegura aos indígenas o ensino da língua materna.

No entanto, a prefeitura de Jacareacanga menosprezou a determinação da Convenção 169 e o artigo 210 da Constituição Federal, ao demitir em massa 70 professores indígenas sob o argumento de que não tinham formação adequada para lecionar. Após meses de impasses, a Justiça Federal ao acatar determinação do Ministério Público Federal, ordenou que a prefeitura restabelecesse a quantidade necessária de professores nas escolas indígenas do povo Munduruku.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A região é conhecida por ter grupos econômicos ligados ao garimpo e que são aliados da prefeitura local. Intimidações aos indígenas são frequentes. No dia 13 de maio uma manifestação promovida por garimpeiros, comerciantes e membros do Poder Público contra a presença dos indígenas no município terminou com dois munduruku feridos nas pernas depois de atingidos por rojões e bombas de gás lançados pelos manifestantes anti-indígenas.

Durante o ato, o secretário de Assuntos Indígenas, Ivânio Alencar proferia palavras de ódio contra os Munduruku. “Nós não estamos pra briga. Nós temos os nossos direitos garantidos. Se vocês quiserem vir pro pau vai ter pau nessa p*. Vamos tocar o pau. Vou rasgar o meu diploma de secretário e não quero nem saber. Vamos acabar com essa palhaçada agora, vocês vão sair agora seu bando de baitolas. Nós temos o direito, nós temos o direito”.

Confira aqui o vídeo com as ameaças

Porém o caso não é isolado, ele procede de ataques orquestrados e programados. O Poder Público na região promove constantemente ódio contra os indígenas e também é responsável por coordenar golpe em antiga associação representativa indígena, a Pusuru a fim de fragmentar e desmobilizar os Munduruku.

O movimento Ipereg Ayu dos Munduruku em assembleia geral decretou a extinção da Pusuru por considerarem uma série de desvios de conduta, citando inclusive a polêmica tentativa de acordo com a multinacional irlandesa, Celestial Green para venda de créditos de carbono em 2012.

 

Emanuelle, qual tipo de trabalho que você desenvolve com os Munduruku da aldeia da Missão do rio São Francisco?

Bem, eu aprendi a língua dos Munduruku, embora a prefeitura da região alerte aos funcionários para não se comunicarem na língua dos indígenas e não estabelecer contato mais assíduo e próximo, mas eu fiz o contrário aprendi a linguagem deles e acabei criando certo vínculo. No momento estou produzindo um projeto que visa alertar o “modus operande” do governo para conseguir estabelecer seus mega-projetos, o principal deles é a divisão de etnias e culturas tradicionais, para que percam o poder de luta.

O projeto pretende mostrar aos indígenas que já passaram pela mesma fase ou todas, e principalmente daqueles que na época inicial dessas fases se envolveram e foram manipulados aderindo à farsa que o governo propunha a eles, pensando que seria melhor pro seu povo. Esses hoje sabem que foram manipulados, quem melhor do que eles para unificar as etnias, e mostrar que a verdade está ao lado sempre do que aprenderam com seus antepassados, isto é, a união faz a força.

Quando e por que você sofreu intimidações?

A prefeitura da região demitiu em massa 70 professores em fevereiro deste ano foi quando os Munduruku me pediram orientações sobre o caso. A partir desse momento os indígenas começaram a se unir para terem seus empregos de volta, foi quando grupos econômicos e políticos tentaram me pintar de divisora de etnia e de influenciadora do anarquismo.

E qual foi o motivo que a prefeitura alegou sobre a demissão em massa?

A explicação da prefeitura foi a de que os indígenas não tinham nível suficiente para dar aula, que os indígenas ainda não haviam terminado o “Ibourebu”, o magistério indígena realizado pela Funai, mas os Munduruku ensinam a língua materna deles de 1° a 4° série, também arte, cultura e identidade.

Todos os alunos da aldeia ficaram sem aula e a Prefeitura contratou professores que ainda estavam cursando ensino médio, alguns “pariwat”, não-indígena na língua Munduruku e outros indígenas. Se você demite professores alegando que não possuem experiência suficiente e contrata outros que cursam o ensino médio e que não falam a língua Munduruku, existe uma coisa errada aí.

Me acusaram de estar fazendo parte do movimento  “Ipereg Ayu”, que na língua Munduruku significa “uma coisa que não se ultrapassa”, mas nunca cheguei a falar para os indígenas que eles precisavam se manifestar. Só disse o que existia dentro da constituição para os professores indígenas tentarem reconquistar a vaga deles e dos artigos 210 e 213 que assegura aos indígenas poderem estudar enquanto lecionam. Como posso aliciar indígenas se estava ensinando a Constituição?

O que acha ter sido a verdadeira razão para a demissão em massa?

A demissão pra mim não foi em nível de estudo, mas sim para fragmentar os indígenas e acentuar o “modus operande” dos reais interesses políticos existentes na região.

O secretário de Assuntos Indígenas de Jacareacanga afirmava que eu era uma ativista branca.  E me recomendou fugir da casa dos professores, pois ela ia ser queimada, curiosamente após uma hora de eu ter ido embora a casa foi queimada, eu inclusive cheguei a escutar relatos na região de pessoas afirmando que iam queimar as casas.

No dia seguinte, 13 de maio, aconteceu uma manifestação de 500 pessoas contra os indígenas, a maioria das pessoas presentes no ato era composta de garimpeiros e comerciantes. O secretário de Assuntos Indígenas dizia durante o ato que os indígenas eram um bando de bêbados, deslegitimando o movimento.

Não me deixei intimidar. Só em um momento que tive de me esconder no dia da manifestação dos garimpeiros, isso porque eles estavam atacando a mando do secretário. Também no dia recebi informações de que dois homens estavam tentando me encontrar, aí eu tive que me esconder.

Você tomou alguma atitude perante essas ameaças?

Logo que cheguei em Itaituba-PA fui a televisão falar sobre o caso, já que estes estavam expondo minha foto e dizendo o que queriam, também fui à delegacia, porém disseram que eu teria de fazer o Boletim de Ocorrência no município em que ocorreu o caso, isso quer dizer, voltar à Jacareacanga mesmo que tendo sido ameaçada, então esperei a reunião com o Ministério Publico e passei meu relato ao procurador, Luiz de Camões Boaventura, com a assinatura dos indígenas que estavam presente, além de publicá-lo no site do Combate ao Racismo Ambiental.  As denúncias continuam e continuarão, infelizmente não consegui entrar com processo contra eles ainda, espero que o Ministério Público faça alguma coisa.

 

 

 

Áudio

 

 

Por Luana Luizy,

 

Duas escolas da PB estão entre as 64 finalistas do 3º Concurso Aprender e Ensinar; confira a relação

O 3º Concurso Aprender e Ensinar – Tecnologias Sociais, promovido pela Revista Fórum e a Fundação Banco do Brasil, divulga o nome dos 64 professores que tiveram seus projetos selecionados. Estes são os finalistas do Concurso e deverão enviar à organização um projeto mais detalhado da iniciativa desenvolvida na escola até 31 de janeiro de 2013 (informações sobre como fazer serão enviadas por e-mail). Além de ganhar um tablet, eles vão participar de um seminário sobre tecnologias sociais na educação em Brasília, em 22 e 23 de fevereiro, com todas as despesas pagas pelo Concurso. Após o encontro, serão divulgados os seis vencedores que vão participar do Fórum Social Mundial na Tunísia, em março de 2013.

A comissão julgadora do 3º Concurso Aprender e Ensinar destaca a qualidade dos projetos recebidos. Em geral, são iniciativas desenvolvidas com interação com a comunidade, que buscam uma transformação social, entre outras características próximas ao conceito de tecnologia social. Diante disso, a comissão selecionou iniciativas semifinalistas, que embora não vão ser premiadas farão parte da Rede de Professores Aprender e Ensinar e vão ganhar 1 ano de assinatura gratuita da Revista Fórum.

Escolas públicas e espaços não formais

Centro-Oeste

MATO GROSSO DO SUL

Finalistas

Rosiane de Morais – Campo Grande (MS)
Tania Vital da Silva – Campo Grande (MS)

Semifinalistas

Abmael Rocha Junior
Aparecida Cristina Campello Curado Piccolo
Cristina Xavier Claudino
Djalma Santos Silva
Doreni Ricartes Guimarães Tasso
Eliane C. Cassis Santana
Katiane Carvalho da Matta
Tatiana Gracia Amorim Haufes

MATO GROSSO

Finalistas

Antuterpio Dias Pereira – Rondonópolis (MT)
Gildette Valadão de Oliveira – Denise (MT)

Semifinalistas

Dejelaine Roberto dos Santos
Flávia Gilene Ribeiro
Helia Regina Candido Ormond

GOIÁS

Finalistas

Ayanda Ferreira Nascimento Lima – Itumbiara (GO)
Izabel Maria dos Santos – São Luiz de Montes Belos (GO)

Semifinalistas

Édina Cristina Rodrigues de Freitas Alves
Ivanete Oliveira dos Santos Pessoa
Jeisa de Sousa Menezes Oliveira
Mágda Marisa Rissatti Martins
Marcos Cezar Teles de Camargo
Maria das Graças Campos Pereira
Miguelina Gomes Barbosa
Neulli Cordeiro Rolim

DISTRITO FEDERAL

Finalistas

Alessandra de Araujo Silva – Ceilândia (DF)
Iris Gomes Virgulino – Samabaia (DF)

Semifinalistas

Andréia Alves Barbosa Dias
Antonia Silvana Feitosa Chaves de Aguiar
Daniela Pereira de Castro Vleira
Fabio Henrique Barrozo
Francisco Celso Leitão Freitas
José Francisco Damasceno
Maíra Basso Motta
Vanessa Helena Guimarães

Nordeste

ALAGOAS

Finalistas

Edinalva Pinheiro dos Santos Oliveira – Arapiraca (AL)
Marcelo Medeiros de Santana – Arapiraca (AL)

Semifinalistas

Adriana Chaluppe dos Santos Araújo
Antonio Abreu Bacelar Filho
José Hélio Brandão
Katiucia Agnelo Silva
Luciana Tener Lima
Roseane Ferreira Vasconcelos
Rozineide da Silva Santos
Wellington da Silva

BAHIA

Finalistas

André Luis da Silva Correia – Encruzilhada (BA)
Fernando Luis Rocha de Carvalho – Prado (BA)

Semifinalistas

Adriana Jesus Lago
Elisabete Pereira Barbosa
Fernando Ferreira Oiticica
Florisvaldo da Silva Ramos
Israel de Jesus Rocha
Norma Maia São José
Tereza Cristina Fidelis de Jesus
Vanildo dos Santos Silva

 

CEARÁ

Finalistas

Ana Patrícia da Silva Mendes – Fortaleza (CE)
Fernando Nunes de Vasconcelos – Bela Cruz (CE)

Semifinalistas

Antonio Marcos Lima de Oliveira
Francisco Elitom R. da Silva
José Ivan Pontes Júnior
José Rinardo Alves Mesquita
José Rubens Rodrigues de Sousa
Marta Olga Caetano de Souza
Nildelly Barreto Melo
Railson Fredson da Silva Queiroz

 

MARANHÃO

Finalistas

Ellen Lucy Moreira Viana – São Luís (MA)
Raimundo Muniz Carvalho – Santa Rita (MA)

Semifinalistas

Francisca K. de Freitas V. Monteiro
Francisco R. Santos de Souza
Israel Silva Diniz
Jarmerson Lindoso Pereira
Ligia Regina Santos Ferreira
Marlene Rodrigues
Marlucia lima de Souza Meneses
Nailza Costa de Sales

 

PARAÍBA

Finalistas

Gleicimere Silva Oliveira – Barra de Santa Rosa (PB)
Monasses Marques da Nóbrega – Pombal (PB)

Semifinalistas

Arimarques da Silva Gonçalves
Carmélia Gonçalves de Lima
Glicerinaldo de Sousa Gomes
Kleyton Samuel Lima de Souza
Marcelo Luis de Oliveira
Saulo José Veloso de Andrade
Silvan Gomes da Silva
Vera Lúcia Santana Lucena

 

PERNAMBUCO

Finalistas

José Edílson de Moura Santos – Belo Jardim (PE)
Marcos Antonio Rufino do Egito – Camaragibe (PE)

Semifinalistas

Daniele de Mélo Sousa
David C. S. S. Junior
Jardiane Maria de Lima
Otávio de Azevedo de Barros e Silva Neto
Paulo Bruno José Ferreira de Brito
Rosejara Ramos de Oliveira
Suely Maria de Albuquerque Ugiette
Vaneska Lima de Oliveira

 

PIAUÍ

Finalistas

Giumara Oliveira de Moura – São Felix do Piauí (PI)
Pedro Alves da Silva – Beneditinos (PI)

Semifinalistas

Adriana Paula Rodrigues Silva
Clotildes Gomes de Oliveira
Francisca Alves do Nascimento
Francisca Joana de Sá
Liana Eida Marques dos Reis
Marcos Vinicius Monteiro da Fonseca
Maria Dionésia Santos Silva
Niedja de Carvalho Mendonça

 

RIO GRANDE DO NORTE

Finalistas

Ivanês Oliveira Alexandrino – Currais Novos (RN)
Rodrigo Wantuir Alves de Araújo – Riachuelo (RN)

Semifinalistas

Angela Cláudia Rezende do Nascimento Rebouças
Luan Presley Mendonça Santiago
Milton França Junior

 

SERGIPE

Finalistas

Danilo de Santana Moura – Itabaiana (SE)
Itamara Leite Lopes – Aracaju (SE)

Semifinalistas

Fábio Costa Figueirôa
Iara Paixão de Andrade Marques
José Paixão Martins de Jesus
Maryvan Silveira
Mateus Tayslan Andrade de Carvalho
Terezinha Santos Melo

 

REGIÃO NORTE

ACRE

Finalistas

Eurides Freire Araújo – Xapuri (AC)
Idelson Marques de Holanda – Xapuri (AC)

Semifinalistas

Marcelo Teles de Matos da Silva
Marnilda Gomes Moreira
Moises de Lima Ferreira

 

AMAPÁ

Finalistas

Elizabete Rodrigues – Laranjal do Jari (AP)
Odilene Leite de Lemos – Macapá (AP)

Semifinalistas

Karoline Fernandes Siqueira
Mário Rodrigues da Silva
Minelva Medeiros dos Reis

 

AMAZONAS

Finalistas

Jemima Silva de Paula – Manaus (AM)
Rosivaldo da Fonseca Moreira – Manaus (AM)

Semifinalistas

Gisele Pacheco Vieira de Souza
Maria Eliete da Silva Cavalcante
Maria Thereza Cupper

 

PARÁ

Finalistas

Meridiane Santos Damasceno – Castanhal (PA)
Tercio Crisótomo – Santa Isabel do Pará (PA)

Semifinalistas

Ivnon José Farias Lima
Joaquina Maria Koch
Maria Eliana Soares

 

RONDÔNIA

Finalistas

Francisco Marquelino Santana – Vila Extrema (RO)
Roberto Ataide Batalha de Araujo – Porto Velho (RO)

Semifinalistas

Alemmar Ferreira da Fonseca
Erilene Francisca Oliveira Silveira
Silvana Afonso Costa

 

RORAIMA

Finalistas

Angela Maria Cavalcante ou Gervânia dos Reis Ribeiro França – Boa Vista (RR)
Joseane Viana dVale – Boa Vista (RR)

Semifinalistas

Lucimar dos Santos Ximenes
Marinho Soares da Silva
Shirlei dos Santos Catao

 

TOCANTINS

Finalistas

Juliana Girardello Kern – Palmas (TO)
Ricardo Souza de Brito – Nova Olinda (TO)

Semifinalistas

Greice Quele Mesquita Almeida
Maria Aparecida Pereira da Silva de Aguiar
Veruska Araújo Costa Reis Demes

 

REGIÃO SUDESTE

 

ESPÍRITO SANTO

Finalistas

Ana Lucia da Rocha Conceição – Cariacica (ES)
Evanildo Lopes de Souza – Montanha (ES)

Semifinalistas

Alexandre Neiva de Araujo
Amilton José Pereira
Andre José Diniz Soares
Celma Raimundo Souza
Julio Cezar Merji Mario
Katiucha O. de Moraes Guimaraes
Leticia Sant’Ana

 

RIO DE JANEIRO

Finalistas

Kamila A. Broedel Ferreira – Rio de Janeiro (RJ)
Mauro Benetti Mallet – Rio de Janeiro (RJ)

Semifinalistas

Ana Carolina Cordeiro Sanches
Christiane S. Magalhães de Mattos
Fabiana B. de L. L. de Lima
Ivania Aparecida Fogel
Jorge Luiz S. P. dos Santos
Luana Caruso Nobrega
Maria L. Xavier Cavalcante
Paulo Henrique Sales Monteiro

 

SÃO PAULO

Finalistas

Jair Messias Ferreira Junior – Osasco (SP)
Maria Sueli Fonseca Golçalves – São Paulo (SP)
Rodrigo Ayres de Araújo – Piedade (SP)

Semifinalistas

Alan Barbosa de Paiva
Alessandra Aparecida das N. Santana
Ana Luzia de Oliveira Costa
Ana Marcia Ferreira Gianezi
Anderson Severiano Gomes
Camila Emilio de Moraes
Daniela Cristina Botti Hayashida
Débora Barocas
Eliana Maria Nicollini Gabriel
Glace Augusta Motta Silva
Mara Elizabeth Mansani
Maria Marli Corityac
Paula Diana Saraiva Aguera
Rafael Francis
Sandra R. M. Cardoso Lana
Waleria Volk Magnani Rizzo
Zilrene Alcantara Miguel

 

MINAS GERAIS

Finalistas

Maria Luiza Inácio Rosa – Uberlândia (MG)
Wellington Gomes Filhos – Carangola (MG)

Semifinalistas

Débora Amaral Mozelli
Deise Cristina de Souza
José Luiz Campos Valli
Marilene de Souza Pinto
Ronaldo Antonio de Castro
Rosângela Aparecida Pinheiro Pires
Sérgio Augusto de Lima Júnior
Tristão José Macedo

 

REGIÃO SUL

 

PARANÁ

Finalistas

Dilson Jose Battistella – Curitiba (PR)
René Gomes Scholz – Curitiba (PR)

Semifinalistas

Alethéia Pinto Galvão
Cleverson Lucas dos Santos
Diomar Augusto de Quadros
Edina Brito Jensen
Edson de Moraes
Elias Belarmino Correia
Evelize Aparecida de França Dalanhol
Inês Lourenço Augusto

 

RIO GRANDE DO SUL

Finalistas

Daniel Bueno da Silveira – Porto Alegre (RS)
Iara Teresinha D. Ribeiro – Xangri-la (RS)

Semifinalistas

Cátia C. Almeida Ramos
Cinthya Moita Silveira
Daiane Cristina Quadros Gonçalves
Kátia R. dos Santos Fernandes
Luciana C. K. Tadewald
Maria Denise Rohden
Maria Rosane Otto S.
Mariana Pinto V. Vellino

 

SANTA CATARINA

Finalistas

Rosane Mari dos Reis – Joinville (SC)
Wladson Dalfovo – Florianópolis (SC)

Semifinalistas

Adelir Terezinha Gadotti Sophiatti
Carla Simone Corrêa da Maia
Carmem Ligia Barboza Gruner
Euclidia Cunha Cachoeira
Helena Gogacz
Henrique Alves de Lima
Lindair Maria Lanz S.
Luciene Fontão

 

INSTITUTOS FEDERAIS E ESCOLAS TÉCNICAS PÚBLICAS

 

CENTRO-OESTE

Finalistas

Carlos Alberto Dettmer – Nova Andradina (MS)
Elza Gariela Godinho Miranda – Anápolis (GO)

Semifinalistas

Adilson Jayme de Oliveira
Adilson Vagner de Oliveira
Claudia Lucia L. P. V. da Silva
Gabriel Greco de Guimarães Cardoso
Luciana Bigolin Martini
Lucy C. T. Nascimento
Luis Eduardo M. Sinésio
Marcus Damião de Lacerda
Maria Dalva de Souza Siqueira
Miguel J. Zadoreski Junior
Renata Luiza da Costa
Rúbia M. de Moraes Ribeiro
Waldeliza F. da Cunha

 

NORDESTE

Finalistas

Arthur Breno Sturmer – Palmeira dos Índios (AL)
Erbs Cintra de Souza Gomes – Juazeiro (PE)

Semifinalistas

Antonio Olavo de Souza
Antonio Vager R. Lima
Joaquim B. de Oliveira Neto
Mariana Bezerra Macedo
Paulo Roberto F. de Paulo
Ronny Diogenes de Menezes
Vanessa de Goes Oliveira
Verônica Nicácio Placido

 

SUL

Finalistas

Maritê de Oliveira – Santa Rosa (RS)
Rafael João Ribeiro – Telêmaco Borba (PR)

Semifinalistas

Berenice Tomoko Tatibana
Diego Albino Martins
Dionei Ruã dos Santos
Jackeline Tiemy Guinoza Siraichi
Leandro Angelo Pereira
Mirele Carolina Werneque Jacomel
Tatiana Aparecida Balem
Tatiana de Medeiros Canziani

 

SUDESTE

Finalistas

Hilton Lopes Galvão – Arinos (MG)
Silvia da Silva Craveiro – São Paulo (SP)

Semifinalistas

Adriano Henrique Ferrarez
Arnaldo Henrique de O. Carvalho
Benedito Matozinhos Devêza
Elisabete Corcetti
Everton Lopes Guimarães
Giancarlo Faillace
Gustavo C. Nirchl
Juliana M. de O. Barbieri
Maria Cristina Silva de Paiva
Marilia Cândida de Oliveira
Osvaldo Novais Júnior
Roberto Marin Viestel
Rosiane Resende Leite

 

NORTE

Finalistas

Nircele da Silva Leal Veloso – Ananindeua (PA)
Vinicius Batista Campos – Laranjal do Jari (AP)

Semifinalistas

Emerson Gaspar da Rosa
Everton Jose do Nascimento Oliveira
Jefferson Almeida de Brito
Juliana Martins Godin
Monica do Carmo Apolinário
Raquel Aguiar da Silva Alves
Robhyson Denys Rodrigues da Silva
Roniel Sampaio Silva

 

 

Revista Fórum

Últimos dias para se inscrever no Concurso Aprender e Ensinar

O período de inscrições para o 3º Concurso Aprender e Ensinar – Tecnologias Sociais termina na próxima segunda-feira,26 de novembro. Promovido pela revista Fórum e a Fundação Banco do Brasil, o concurso premia boas ideias na educação que utilizem o conceito de tecnologia social.

Podem participar professores da Educação Básica, vinculados à rede pública, institutos federais, escolas técnicas públicas e espaços não formais de educação, como EJA e ONGs. Ao se inscrever, todos os professores ganham, gratuitamente, uma assinatura da revista Fórum até abril de 2013 e um livro sobre tecnologias sociais.

Para concorrer aos prêmios, o professor já inscrito deve efetuar a “Certificação”, que consiste em responder duas perguntas sobre a iniciativa desenvolvida ou que pretende realizar na escola. A partir das respostas serão selecionados 64 finalistas que ganharão um tablet e vão participar de seminário em Brasília, nos dias 22 e 23 de fevereiro de 2013. No evento serão anunciados os seis vencedores, que irão à Tunísia para participar do Fórum Social Mundial 2013, de 23 a 28 de março.

O concurso
Esta é a terceira edição do concurso que busca reconhecer, apoiar e disseminar o uso de tecnologias sociais na educação. O 1º Concurso Aprender e Ensinar foi realizado em 2008 e recebeu 2.640 inscrições de todo o Brasil. Os vencedores foram ao FSM de Belém (PA) em janeiro de 2009. Na segunda edição, em 2010, foram 3.075 inscritos, e os cinco educadores premiados viajaram a Dacar, no Senegal, em 2011.

Tecnologias sociais
Muitos professores já utilizam tecnologias sociais (TS) em suas aulas e nem imaginam. As TS são soluções simples e de baixo custo, desenvolvidas com o envolvimento dos alunos, professores e comunidade, como os pais e vizinhos da escola. Outro aspecto das TS é que elas buscam o desenvolvimento local com transformação social e podem ser reaplicadas em qualquer lugar. Entre as iniciativas premiadas nas edições anteriores estão a construção de um forno solar, uma horta de ervas medicinais feita pelos alunos, professores e comunidade, a criação de uma moeda verde para troca de materiais recicláveis e um programa de inclusão de crianças surdas por meio da Língua Brasileira de Sinais (Libras).

INSCREVA-SE AQUI.

revistaforum

Inscrições para o 3º Concurso Aprender e Ensinar terminam no próximo dia 26 de novembro

As inscrições para o 3º Concurso Aprender e Ensinar- Tecnologias Sociais, promovido pela revista Fórum e Fundação Banco do Brasil, estão na reta final. Professores de todo o País têm até o dia 26 de novembro para participar do prêmio, que já recebeu mais de três mil inscrições. Faça sua inscrição aqui.

Podem participar professores da Educação Básica, vinculados à rede pública, institutos federais, escolas técnicas públicas e espaços não formais de educação, como EJA e ONGs. Ao se inscrever, todos ganham uma assinatura da revista Fórum até abril de 2013 e um livro sobre tecnologias sociais.

Para concorrer aos prêmios, o/a professor/a já inscrito deve efetuar a “Certificação”, que consiste em responder duas perguntas sobre a iniciativa desenvolvida ou que pretende realizar na escola.

A partir das respostas, serão selecionados 64 finalistas que ganharão um tablet e vão participar de seminário em Brasília, nos dias 22 e 23 de fevereiro de 2013. No evento serão anunciados os seis vencedores, que irão à Tunísia para participar do Fórum Social Mundial 2013, de 23 a 28 de março.

Saiba mais em: www.aprenderensinarts.com.br

Acompanhe a Rede Aprender e Ensinar no Twitter e no Facebook.

Adital

Inscrições do 3º Concurso Aprender e Ensinar são prorrogadas até o dia 26 de novembro

O período de inscrições do ‘3º Concurso Aprender e Ensinar – Tecnologias Sociais’ foi prorrogado até o dia 26 de novembro. Promovido pela revista Fórum e a Fundação Banco do Brasil, o concurso já recebeu inscrições de educadores e professores de todo o Brasil. Com o prazo maior, a expectativa é que mais pessoas participem, ajudando a disseminar boas ideias na educação.

Podem participar professores da Educação Básica, vinculados à rede pública, institutos federais, escolas técnicas públicas e espaços não formais de educação, como EJA e ONGs. Ao se inscrever, todos ganham uma assinatura da revista Fórum até abril de 2013 e um livro sobre tecnologias sociais. Inscreva-se aqui.

Para concorrer aos prêmios, o professor já inscrito deve efetuar a “Certificação”, que consiste em responder duas perguntas sobre a iniciativa desenvolvida ou que pretende realizar na escola. A partir das respostas, serão selecionados 64 finalistas que ganharão um tablet e vão participar de seminário em Brasília, nos dias 22 e 23 de fevereiro de 2013. No evento serão anunciados os seis vencedores, que irão à Tunísia para participar do Fórum Social Mundial 2013, de 23 a 28 de março.

Saiba mais em: www.aprenderensinarts.com.br

Adital

Concurso Aprender e Ensinar já tem mais de mil professores inscritos

O 3º Concurso Aprender e Ensinar – Tecnologias Sociais já recebeu inscrições de 1.025 educadores de todo o Brasil. Podem participar professores da Educação Básica, vinculados à rede pública, institutos federais, escolas técnicas públicas e espaços não formais de educação, como EJA e ONGs. Os seis vencedores ganharão uma viagem para a Tunísia, onde vão participar do Fórum Social Mundial 2013, de 23 a 28 de março.

Esta é a terceira edição do concurso, promovido pela Revista Fórum e Fundação Banco do Brasil. Seu objetivo é reconhecer, apoiar e disseminar o uso de tecnologias sociais na educação.

Para Claiton Mello, gerente de Educação e Tecnologia Inclusiva da Fundação Banco do Brasil (FBB), o concurso é importante, pois propõe que o professor possa estimular ações que tenham impacto efetivo, aproximando o espaço escolar da comunidade. “Representa a disseminação de conhecimentos, traz ao professor a oportunidade de discutir temas relevantes que não têm espaço, muitas vezes, na agenda escolar”, afirma.

A professora Cristina de Melo, São Sebastião da Boa Vista (PA), foi vencedora, pela região norte, do 2º Concurso Aprender e Ensinar, de 2010. Abaixo, com alunos que participam de seu projeto “Falando descubro, escrevendo existo”.

Prêmio

Serão selecionados 64 finalistas, que irão a Brasília participar de seminário sobre tecnologia social na educação, com todas as despesas pagas pelo concurso. Os finalistas ainda receberão um tablet e um troféu. Todos os professores que se inscreverem no concurso ganham uma assinatura da revista Fórum até abril de 2013, o livro sobre Geração de Trabalho e Renda e passam a integrar a rede de educadores Aprender e Ensinar.

Tecnologias sociais

Muitos professores já utilizam tecnologias sociais (TS) em suas aulas e nem imaginam. As TS são soluções simples e de baixo custo, que são desenvolvidas com o envolvimento dos alunos, professores e comunidade, como os pais e vizinhos da escola.

Mais informações e inscrições
www.aprenderensinarts.com.br

Revista Fórum

Revista Fórum e Fundação Banco do Brasil promovem o 3º Concurso Aprender e Ensinar – Tecnologias Sociais

Professores da rede pública de todo o Brasil podem se inscrever no 3º Concurso Aprender e Ensinar – Tecnologias Sociais, até o dia 5 de outubro. Seis serão premiados, um de cada região do Brasil (Sul, Sudeste, Centro-Oeste, Nordeste e Norte), e um de Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia.

Além disso, serão selecionados 64 finalistas, que irão a Brasília participar de seminário sobre tecnologia social na educação, nos dias 9 e 10 de novembro, com todas as despesas pagas pelo concurso. Os finalistas ainda receberão um tablet e um troféu. Todos os professores que se inscreverem no concurso ganharão assinatura da Revista Fórum até fevereiro de 2013, o livro sobre Geração de Trabalho e Renda, e passarão a integrar a rede de educadores Aprender e Ensinar. Podem se inscrever professores da Educação Básica, vinculados à rede pública,

institutos federais, escolas técnicas públicas e espaços não formais de educação, como EJAs e ONGs.

Vencedores rumo à Tunísia

Os seis vencedores serão anunciados nos dias 9 e 10 de novembro, no final do evento em Brasília. Eles vão participar do Fórum Social Mundial de 2013 e lá divulgarão suas tecnologias premiadas, em um seminário organizado pela revista Fórum e pela Fundação Banco do Brasil.

Esta é a terceira edição do concurso que busca reconhecer, apoiar e disseminar o uso de tecnologias sociais na educação. O 1º Concurso Aprender e Ensinar foi realizado em 2008 e recebeu 2.640 inscrições de todo o Brasil. Os vencedores foram ao FSM de Belém (PA). Na segunda edição, em 2010, foram 3.075 inscritos, e os cinco educadores premiados viajaram a Dacar, no Senegal, em 2011.

Nas duas primeiras edições do concurso, eram premiados cinco educadores de escolas públicas, um de cada região do País. Neste ano, foi criada a categoria para professores de institutos federais.

Tecnologia Social

As tecnologias sociais são soluções simples, de baixo custo, capazes de promover transformações sociais. Seu objetivo é justamente o desenvolvimento local. São iniciativas onde a comunidade é protagonista e que podem ser reaplicadas em qualquer lugar. Entre as premiadas nas edições anteriores estão a construção de um forno solar; uma horta de ervas medicinais feita por alunos, professores e comunidade; a criação de uma moeda verde para troca de materiais recicláveis; um programa de inclusão de crianças surdas por meio da Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Inscrições

As inscrições podem ser feitas até 5 de outubro de 2012, no site do concurso, através do link:

http://www.aprenderensinarts.com.br/conteudo/cadastre_se.php

Adital