Arquivo da tag: Enfermagem

Maior parte dos profissionais de saúde infectados com covid-19 na Paraíba é de técnicos de enfermagem

Os técnico e auxiliar de enfermagem são os profissionais da saúde que mais testaram positivo para o Coronavírus na Paraíba. A informação foi dada no boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde da Paraíba, nesta segunda-feira (15).

De acordo com os gráficos, dos casos confirmados de Coronavírus, 9% são de profissionais da saúde. Deste número 30% são técnicos e auxiliar de enfermagem, 18% enfermeiros, 14% médicos, 3% fisioterapeutas, entre outros.

A Paraíba registrou 28.688 casos confirmados, 656 óbitos, 24.402 casos descartados, 6.890 casos recuperados de Coronavírus, até a noite desta segunda-feira (15).

 

clickpb

 

 

“Que a rapariga não seja enfermeira”: música de Naiara Azevedo revolta associações de enfermagem

O trecho de uma música interpretada pelas cantoras Naiara Azevedo e Gil Mendes gerou revolta do Movimento dos Ativistas da Enfermagem Brasileira (Mae Brasil). Na música denominada “Boqueira”, elas cantam o seguinte trecho:

“O meu desejo é que ele pegue uma boqueira e que a rapariga não seja enfermeira”. [ver música abaixo]

A nota da Mae Brasil, assinada pelo presidente Jefferson Caproni, fala em machismo e misoginia na música e que “violências essas” tem sido responsáveis pelo aumento da “brutalidade” contra as mulheres – uma vez que 85% dos profissionais de enfermagem são mulheres.

“Com um nó na garganta rompido pelo grito de dor nos manifestamos frente às violências e impunidades machistas e misógina ocorridas, em vários níveis de nossa vida, contra a mulher da enfermagem brasileira. A enfermagem é composta por 85% de mulheres e violências essas, que culminaram nos últimos anos em brutalidade sem medidas contra as mulheres, no Brasil”, destaca trecho da nota.

Leia a publicação na íntegra:

Nota de Repudio

É com imensa indignação, tristeza, e revolta que pronunciamos esta nota de repúdio a música de nome BOQUEIRA cantada por Naiara Azevedo – Gil Mendes

Com um nó na garganta rompido pelo grito de dor nos manifestamos frente às violências e impunidades machistas e misógina ocorridas, em vários níveis de nossa vida, contra a mulher da enfermagem brasileira.
A enfermagem é composta por 85% de mulheres e violências essas, que culminaram nos últimos anos em brutalidade sem medidas contra as mulheres, no Brasil.

Medidas imediatas e enérgicas precisam ser tomadas para a responsabilização de todos os envolvidos e para que a cultura de denegrir a imagem da mulher na enfermagem na nossa sociedade tenha um fim.

Isto posto solicitamos uma retratação dos autores da obra para a elucidação dos fatos.

MAE: Movimento dos Ativistas da Enfermagem Brasileira.

Programa MAE de Atenção a Ética e Bem-estar Social. Jefferson Caproni Presidente MAE BRASIL

Brasil, 21 de outubro de 2019.

Após a publicação da nota da Mae Brasil, o Conselho Regional de Enfermagem da Paraíba (Coren-PB) também se posicionou contra a música.

Leia:

O Conselho Regional de Enfermagem da Paraíba (COREN-PB), manifesta seu profundo repúdio ao conteúdo da música cantada por Gil Mendes e Naiara Azevedo, de nome “Boqueira”, veiculada na internet e nas rádios de todo o Brasil.

Eles se utilizaram da palavra enfermeira associando a profissão a uma imagem pejorativa.

A letra da música reduz o trabalho realizado pelas profissionais de enfermagem, incitando o preconceito contra as enfermeiras que exercem o papel fundamental do cuidar humano nas instituições de saúde.

Não se pode admitir que, sob o manto da liberdade de expressão, as pessoas se utilizem desse tipo de manifestação de pensamento que ofende publicamente uma coletividade de mulheres Enfermeiras, reforçando uma cultura machista e misógina perpetrada no Brasil por muitos anos.

A versão de Naiara Azevedo da música não está mais disponível no YouTube, apenas a de Gil Mendes:

 

paraibaja

 

 

Wilson Filho vai presidir Frente e defende 30h para enfermagem

wilson filhoO deputado federal, Wilson Filho (PTB), vai presidir da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Enfermagem, no Congresso Nacional. De acordo o parlamentar, estes profissionais são de extrema importância para o cuidado da saúde da população, mas ainda sofrem com as longas jornadas de trabalho e falta de condições para exercício da profissão em algumas unidades.
“Nossa principal discussão será em torno do projeto de lei 2295/2000, que fixa a jornada de trabalho em seis horas diárias e 30 horas semanais para enfermeiros, técnicos e auxiliares de Enfermagem”, explicou, acrescentando que essa matéria já tramita na Casa há 15 anos e precisa ser apreciada.
Wilson Filho disse que a luta da categoria é uma luta de toda a sociedade. “Vamos fazer essa discussão e toda uma mobilização junto as entidades de classe para que esses profissionais sejam valorizados e tenham melhores condições de trabalho”, destacou.
Segundo dados do último Censo do IBGE, cerca de 1,5 milhão de profissionais da enfermagem trabalham no Brasil. Esse número se divide em cerca de 278 mil enfermeiros, 629 mil técnicos de enfermagem, 556 mil auxiliares e 22 mil atendentes de enfermagem. Em média são 7,76 profissionais de enfermagem a cada 1000 habitantes.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Os dados do IBGE revelam outros números importantes. A região que mais concentra os profissionais de enfermagem é o Sudeste com cerca de 760 mil, seguido do Nordeste com 286 mil, Sul 246 mil, Norte 96 mil e Centro-Oeste com 91 mil.

MaisPB 

Morre estudante de enfermagem que foi atingido por raio no Sertão da PB

Ricardo-DiasMorreu, por volta das 1h30 desta sexta-feira (20) o estudante de enfermagem atingido por uma descarga elétrica provocada por um raio em São José de Piranhas (Sertão da Paraíba, a 503 km de João Pessoa). A informação foi confirmada pelo Serviço Social do Hospital Regional de Cajazeiras, para onde o jovem foi levado. A vítima tinha 22 anos e foi atingida pelo raio por volta das 16h30 dessa quinta-feira (19).

Segundo o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência da cidade vizinha de Cajazeiras, que realizou os primeiros socorros, ele estava dentro de casa e se dirigia ao banheiro no momento em que foi atingido. “O acidente ocorreu na casa dele. A mãe do rapaz chamou o Samu, que o conduziu ao Hospital Regional de Cajazeiras”, disse a atendente plantonista.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Após sofrer a descarga elétrica, o estudante de enfermagem foi socorrido para o Hospital Regional em estado grave. Ele ficou internado no eixo vermelho do hospital, que é uma espécie de semi-UTI. A vítima estava entubada e inconsciente. Em contato com o Portal Correio, o Serviço Social do hospital informou que a equipe médica não podia prever a evolução do quadro clínico do estudante nas próximas horas.

 

Por Amanda Gabriel e Gustavo Medeiros

Técnico de enfermagem se passava por médico no litoral da PB, diz CRM

Policial .Um técnico de enfermagem foi afastado de suas funções após se passar por médico em um hospital de Mamanguape, no litoral paraibano. Após fiscalização onde foi constatado que ele tinha registro profissional devido a um diploma falsificado, o Conselho Regional de Medicina (CRM) da Paraíba prestou queixa na Polícia Federal nesta quinta-feira (28) e vai cancelar o cadastro do profissional.

O falso médico estava cadastrado no CRM desde novembro de 2013. Ele atuava no Hospital e Maternidade Nossa Senhora do Rosário. O diretor de fiscalização do CRM, Eurípedes Mendonça, disse que a a irregularidade foi denunciada pela Secretaria de Saúde de Mamanguape.

“Após a denúncia nós entramos em contato com uma faculdade de Pernambuco, que seria o local onde ele teria se formado, que nos repassou que ele não foi aluno de lá, não se formou lá”, explicou Mendonça.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Este foi o segundo caso, em apenas 24 horas, de um falso médico denunciado atuando ilegalmente no estado. Na quarta-feira (27), um agente penitenciário de São Paulo foi preso na cidade de Teixeira, no Sertão do estado, exercendo a medicina. Ele estava utilizando o registro de outro médico, afastado das funções.

Eurípedes Mendonça informou que o CRM-PB recebe em média uma denúncia de exercício ilegal da profissão a cada 15 dias. O diretor ressaltou que o nome do falso médico de Mamanguape só será divulgado após o Conselho confirmar o cancelamento da inscrição.

Do G1 PB

 

Aluna de Enfermagem infarta na aula, não resiste e morre a caminho do hospital em JP

hospital emergencia traumaUma jovem de 18 anos, estudante do curso de Enfermagem, em uma faculdade particular de João Pessoa, morreu na noite desta quarta-feira (13), logo após passar mal dentro da sala de aula. A jovem era natural da cidade de Itambé, em Pernambuco.

De acordo com informações de pessoas que estavam próximas a estudante, ela teve um infarto durante uma das aulas. Socorrida em estado grave pelo Samu, a jovem não resistiu e morreu pouco antes de ser atendida no Hospital de Emergência e Trauma da Capital.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

 
Portal Correio tentou entrar em contato com a instituição de ensino, para checar mais detalhes sobre o caso, mas as ligações não foram atendidas.

 

 

Por Halan Azevedo

Redução da jornada de trabalho dos profissionais de enfermagem deve ser votada esta semana

jornadaA Câmara dos Deputados realiza esta semana esforço concentrado para a votação de matérias consideradas prioritárias pelas bancadas partidárias, neste período que antecede as eleições, como o projeto de lei (PL 2295/00), do Senado, cuja votação foi suspensa por falta de quorum nos dias 15 e 16 do mês passado e que reduz para 30 horas semanais a carga de trabalho dos profissionais de enfermagem, já recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS).O presidente do Conselho Regional de Enfermagem da Paraíba, Ronaldo Beserra destacou a importância da mobilização da categoria junto aos deputados federais e senadores para aprovação da matéria, que já contemplou profissionais de outras áreas da saúde, como nutricionistas, psicólogos, fisioterapeutas e assistentes sociais. “Nós, que somamos mais de 2 milhões de trabalhadores no País, dormindo e acordando com os pacientes, também somos merecedores de uma jornada de trabalho mais justa”, afirmou.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Ele lembrou que no estado da Paraiba isto já é uma realidade para os profissionais concursados da saúde e que a luta do Coren agora é para efetivá-la nos municípios, a exemplo do que já ocorreu em João Pessoa, Santa Rita e Juru. Na Capital, a entidade busca agora, a implantação desse período, para aqueles que atuam nos Postos de Saúde da Família (PSF).

Assessoria

 

COREN da Paraíba realiza semana da enfermagem com cursos de atualização em 7 cidades

ronaldo-miguelO Conselho de Enfermagem da Paraíba – COREN/PB, Representado pelo o Presidente Dr. Ronaldo Miguel Beserra, promoverá a partir desta segunda-feira dia 12/05/2014 a 20/05/2014, Semana da Enfermagem, com o tema: “Enfermagem: Do cuidar nós entendemos”.
“O evento tem como intuito levar aos profissionais cursos que atendam as suas necessidades de atualização para o mercado atual. Pretendemos também que nossos profissionais exerçam seu trabalho dentro dos parâmetros éticos e legais, de acordo com o Código de Ética da Enfermagem, garantindo um atendimento eficaz para toda a sociedade”, afirma Ronaldo Miguel Beserra, Presidente do Coren-PB.
A Semana de Enfermagem Coren-PB contará com a participação de renomados profissionais da área de enfermagem, que abordarão assuntos de interesses específicos e coletivos.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook
O evento acontecerá em sete cidades do estado: João Pessoa, Patos, Cajazeiras, Campina Grande, Catolé do Rocha, Sousa e Juru, uma inovação da gestão atual do Coren-PB. As inscrições e informações devem ser feitas pelo site www.corenpb.gov.br, são gratuitas e com vagas limitadas.

Assessoria

Saúde pública sofre também com a falta de profissionais de enfermagem

© Cledson Medeiros/cledsonmedeiros.com
© Cledson Medeiros/cledsonmedeiros.com

Embora o déficit de médicos nas regiões mais pobres seja um dos maiores problemas enfrentados pela população, o país também enfrenta a falta de profissionais da enfermagem. De acordo com a Federação Nacional dos Enfermeiros (FNE), existe atualmente cerca de 450 mil pessoas nesta área, o que corresponde a 60% dos trabalhadores da saúde. Mesmo assim, o número é inferior ao que preconiza preconiza a Organização Mundial da Saúde (OMS).

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Hoje somos 0,99 enfermeiro para cada mil habitantes, quando deveríamos ser pelo menos 4 por mil, como é nos países mais desenvolvidos”, diz a presidenta da federação, Solange Caetano. De acordo com ela, há uma resolução do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) sobre o dimensionamento de pessoal que não é seguida pelos empregadores e nem pelos gestores de saúde. “Caso cumprissem, o numero de profissionais existentes no mercado de trabalho seria insuficiente.”

Favorável ao Programa Mais Médicos, a categoria sofre na pele a ausência desses profissionais nos locais de trabalho, seja pelas agressões físicas por parte dos usuários, seja pela sobrecarga de trabalho. Conforme a entidade, em todo o país, tanto no setor público como privado, os enfermeiros estão sobrecarregados, trabalham em condições precárias, em jornadas exaustivas e recebem baixos salários. “Quando se fala em condições salariais, a situação é pior no setor publico, com salários menores do que a media do mercado de trabalho. E em alguns estados até menos que o piso salarial instituído em convenção coletiva de trabalho para o setor privado”, disse.

No setor filantrópico e privado os salários são um pouco maiores porque os sindicatos negociam nos estados e podem instituir pisos em convenções. Já nos municípios, os salários são muito baixos e há problemas na contratação, que muitas vezes é irregular, através de cooperativas, prestação de serviços autônomos e contrato de emergência.

A média salarial dos enfermeiros é de R$ 2.800, bem menor do que será pago aos bolsistas do Mais Médicos (R$ 10 mil). “Há disparidade salarial entre os médicos e as demais categorias da saúde. É obvio que queremos ter benéficos e salários decentes, principalmente porque somos a base de sustentação da saúde no Brasil e não temos nenhum reconhecimento e muito menos valorização salarial”, disse Solange.

Para ela, o governo valoriza os bolsistas e não olha para aqueles trabalhadores que “têm carregado o SUS nas costas, que adoecem pela sobrecarga de trabalho, assédio moral e desvalorização que tem levado inclusive a suicídios”.

Dentistas

A Federação Interestadual dos Odontologistas (FIO) e o Conselho Federal de Nutricionistas (CFN) defendem a inclusão das categorias em políticas para melhorar o atendimento à saúde de populações desassistidas no interior do país e nas periferias das grandes cidades. De acordo com o diretor da FIO, José Carrijo Brom, já foi encaminhado ofício ao ministro da Saúde, Alexandre Padilha, solicitando a discussão da ampliação da participação dos dentistas em programas federais.

Segundo ele, apenas um terço da categoria está inserida no sistema público de saúde. “Os serviços de saúde bucal públicos sofrem com os mesmos problemas das demais áreas. Faltam perspectivas de carreira de estado e incentivo para a interiorização, financiamento; os salários são baixos; não há ampliação de postos de trabalho e as condições deixam muito a desejar. Fora as dificuldades com o perfil do profissional formado e outras questões estruturantes.”

“Apesar de criticarmos o caráter conjuntural, pontual e transitório do Mais Médicos, entendemos como positiva a iniciativa de tentar levar profissionais para atender populações desassistidas”, disse Carrijo.

Conforme o dirigente, a má qualidade da saúde não se resume à falta de médicos e poderia ser melhorada com a construção de um sistema universal e integral, que atenda às necessidades da população, e com mais recursos para a atenção básica. “Enquanto essa etapa do atendimento seja capaz de prevenir e resolver mais de 80% dos problemas de saúde da população, 85% dos investimentos vão para o custeio do atendimento de média a alta complexidade, como exames, procedimentos, cirurgias, transplantes.”

Ele critica ainda o modelo de gestão da saúde, que, segundo ele, é agravado principalmente pela terceirização por meio das organizações sociais.

Nutricionistas

Os profissionais da Nutrição também defendem maior participação no atendimento à saúde da população. De acordo com a vice-presidenta do Conselho Federal de Nutrição e integrante do Conselho Nacional de Saúde, Nelcy Ferreira da Silva, a entidade defende a atenção multiprofissional à saúde e não acredita que os problemas serão resolvidos com mais médicos.

“No entanto, não resistimos ao programa federal por entender seu caráter emergencial”, disse. Terceira categoria mais contratada pelas prefeituras para os Núcleos de Apoio à Saúde da Família, que dão respaldo técnico às equipes de Saúde da Família, os nutricionistas também estão em falta no Brasil. Pelas contas do CFN, há um déficit de 500 mil profissionais em todo o país, que conta atualmente com 100 mil.

Por isso, há dois anos, a entidade discute com o Ministério da Educação a abertura de novas vagas para atender à demanda na saúde pública, em clínicas e no esporte, entre outros. “Queremos profissionais formados com qualidade, visão holística, humanista e responsabilidade para darmos conta de questões relevantes no país, como a obesidade, a desnutrição e ao assédio da indústria alimentícia, que a cada dia cria novos produtos nada nutritivos e cheios de aditivos.”

Segundo o Ministério da Saúde, enfermeiros e dentistas também serão contemplados com novos incentivos. Até 2015, o ministério vai abrir mil novas vagas de residência multiprofissional direcionada a todas as áreas da saúde além da medicina. O governo deverá ainda lançar edital do Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica (Provab) voltado para contração de mil enfermeiros e 500 dentistas para atuarem em municípios onde já trabalham médicos do Provab. Além de bolsa, terão acesso a um curso a distância de especialização com foco na Atenção Básica com duração de 12 meses.

 

por Cida de Oliveira, da RBA

Camara municipal de Bananeiras realizará sessão especial em comemoração a semana de enfermagem

 

Vereador Guga, autor da propositura
Vereador Guga, autor da propositura

A Câmara Municipal de Bananeiras realizará nesta segunda, 20/05, a partir das 14:30 horas, no Plenário da Casa Odon Bezerra, sessão especial em homenagem aos profissionais de enfermagem do município de Bananeiras, que tiveram seu dia comemorado mundialmente no último dia 12 de maio, data que se tornou festiva devido nascimento de Florence, enfermeira precursora da enfermagem no mundo, que em 1854 na Guerra da Criméia, prestou assistência a 4.000 feridos. Atualmente a enfermagem não é somente arte, mas uma ciência.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A iniciativa da sessão foi uma propositura do Vereador Guga Aragão, aprovada por unanimidade pelos vereadores presentes na última sessão ordinária, que contou, inclusive, com a participação de enfermeiros do quadro de pessoal da municipalidade local. O Presidente da Câmara, Vereador Ramom Moreira, destacou que a Casa legislativa de Bananeiras “sente-se feliz em abraçar e festejar estes abnegados profissionais, que fazem de sua profissão um verdadeiro sacerdócio”.

 

Na ocasião, os vereadores da Casa Odon Bezerra: Guga Aragão, Antonio Marques, Douglas Bubú, Cristina Carvalho, Alline Gisele, Kilson Dantas, Biu do Taboleiro, Gilson Rosario, Marcelo Bezerra, Heraldo Azevedo e o Presidente Ramom Moreira, além dos profissionais de enfermagem do município, farão uso da palavra para reverenciar o trabalho desempenhado por esta categoria funcional de Bananeiras.

 

 

Assessoria para o Focando a Notícia