Arquivo da tag: empresa

“A micro e pequena empresa é a teia que sustenta qualquer país”, afirma presidente do Sebrae

Prestes a completar 50 anos, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) parte para um grande desafio em 2020: inserir nas propostas de governo das eleições municipais o empreendedorismo como uma das pautas prioritárias. Apesar de ser uma iniciativa pensada há um tempo, este ano trouxe um novo cenário. Com a pandemia do novo coronavírus, não foi só a saúde que entrou em colapso. A economia sofreu duros impactos e os micro e pequenos negócios, foco da entidade, podem ser uma solução para uma retomada no setor.

“A micro e pequena empresa, no Brasil e no mundo inteiro, é a teia que sustenta qualquer país. É a padaria, a loja de roupa, todos os segmentos da sociedade. O Brasil vem aperfeiçoando esse ambiente de melhoria de convivência com a micro e pequena empresa”, garante o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

O Sebrae representa, hoje, cerca de sete milhões de micro e pequenas empresas e 11 milhões de microempreendedores individuais (MEIs). “Nesse setor, também se fatura aproximadamente 30% da riqueza do Brasil e emprega 55% dos brasileiros com carteira assinada”, calcula o presidente.

Em entrevista exclusiva para o portal Brasil61.com, o presidente afirma que a pandemia deu um “chacoalhão” nos brasileiros, mas que é possível reconstruir.  “As pesquisas do Sebrae me levam a ficar otimista com a retomada. Quando você começa a retomar contratação, quando você busca mais crédito, há uma expectativa de crescimento. Além disso, o estoque de dívida diminuindo também deu um ‘chacoalhão’ que vai mudar muito a vida do pequeno e do microempresário.”

O momento atual, segundo ele, é de reflexão. “A partir de agora, trazer mais atenção e zelo com o cliente. Os protocolos estão levando para esse lado, de fidelizar o cliente. Ter cuidado com higienização dos produtos, com a vida dos funcionários, tudo isso pode te dar agora uma resposta na saída da pandemia.

Melles revela que apostou em ações conjuntas na pandemia. “O melhor ativo que tivemos foi a capacidade de nos adaptarmos ao digital, esse talvez tenha sido umas mudanças mais importantes para as micro e pequenas empresas no Brasil. Aliado a isso, fizemos parcerias com grandes plataformas. Outro diferencial foi fazermos uma campanha maciça incentivando as pessoas a comprarem dos pequenos, no bairro, de quem está perto de você. E o Brasil teve uma grande felicidade de não ter nenhuma crise de abastecimento. Quantidade, qualidade, bons preços, isso deu tranquilidade e paz”, avalia.

Além de falar de crédito e de políticas públicas voltadas para micro e pequenos empreendedores, Carlos Melles, em bate-papo exclusivo com o portal, falou também sobre o lançamento do documento “Seja um candidato empreendedor – 10 dicas do Sebrae”, desenvolvido com vários parceiros. A ideia do guia é inserir pautas voltadas ao empreendedorismo nas campanhas eleitorais, contribuindo com soluções já testadas e aprovadas em todo o Brasil, e colocar prefeitos (as) e vereadores (as) em posição proativa, visionária e comprometida com os cidadãos e com as contas públicas.

“O Sebrae tem programas muito interessantes. Por exemplo, temos o Prefeito Empreendedor. Nas eleições, nós ousamos um pouquinho em não procurar prefeitos e vereadores depois de eleitos, mas procurar os candidatos para eles discutirem na campanha o empreendedorismo”, adianta Melles. “Queremos provocar as micro e pequenas empresas, o cidadão a buscar o candidato que esteja mais comprometido com o desenvolvimento do município, com a geração de emprego e renda e com a prosperidade”, justifica.

Entre as dicas do documento, estão a de fortalecer a identidade do município, desburocratizar e simplificar, qualificar quem mais precisa e gerar mais empregos.

Fonte: Brasil 61

 

 

Combate à Covid-19: empresa que elevar preço de produto e serviço será punida

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Adriano Galdino, promulgou, nesta sexta-feira (26), a Lei nº 11.712, de autoria do deputado Cabo Gilberto Silva, que estabelece sanções para as empresas que elevarem de forma abusiva os preços dos insumos, produtos ou serviços utilizados no combate e prevenção à contaminação pelo novo coronavírus (COVID-19).

De acordo com a Lei, o autor da infração poderá ser punido com multa, apreensão de bens e produtos, entre outras penalidades. A lei se baseia no artigo 39, inciso X, combinado com o artigo 51 em seus incisos IV e X da Lei nº 8.078/90 (Código de Proteção e Defesa do Consumidor) e observa que a proibição do aumento abusivo de preços engloba toda a cadeia produtiva respectiva da venda ao consumidor final.

O infrator poderá responder civil e administrativamente, além de sofrer as sanções previstas no Código de Defesa do Consumidor. Dependendo da gravidade de infração, o autor será multado em valores de 500 a 2.500 Unidades Fiscais de Referência do Estado da Paraíba (UFR-PB); sofrer suspensão temporária, total ou parcial, do funcionamento do estabelecimento ou prestação de serviço; a interdição total ou parcial do estabelecimento ou proibição de prestação de serviço; e até o cancelamento da inscrição na Secretaria de Estado da Fazenda.

Em caso de reincidência, os produtos apreendidos poderão ser distribuídos diretamente pelo Poder Público, por meio da rede pública de saúde e assistência social do estado, à população de baixa renda.

 

Assessoria

 

 

Empresa devolve R$ 7,5 milhões após respiradores não serem entregues, diz secretário de saúde da PB

O secretário de saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, informou nesta quarta-feira (10), que o estado vai receber R$ 7,5 milhões que foram empregados na compra de 75 respiradores pela Paraíba por meio do Consórcio Nordeste. Segundo o secretário, a empresa inglesa que vendeu os equipamentos não conseguiu cumprir o prazo de entrega e por isso o valor foi devolvido.

“O Consórcio Nordeste adquiriu estes respiradores e como não foram entregues, entrou com uma ação. O secretário de saúde da Bahia me informou que o valor foi devolvido ao consórcio na noite da terça-feira (9) e que ainda nesta quarta deve repassar a parte que é da Paraíba”, disse Geraldo.

Conforme a Secretaria de Saúde da Paraíba, o valor devolvido dos respiradores vai ser depositado no Fundo Estadual de Saúde. Geraldo não informou, entretanto, se este dinheiro vai ser investido na compra de equipamentos.

A Paraíba havia feito duas compras de equipamentos em empresas do exterior por meio Consórcio Nordeste, totalizando 105 respiradores a um custo de pouco mais de R$ 12 milhões. A compra foi feita com dispensa de licitação e destinada ao atendimento de pacientes em estado grave infectados pela Covid-19

O Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) instaurou um procedimento para apurar as circunstâncias dos contratos firmados pela Secretaria de Saúde, uma vez que o respiradores não foram entregues pelos fornecedores da China e Inglaterra.

Na primeira compra, foram investidos R$ 4,5 milhões em 30 respiradores fabricados por uma empresa chinesa. Segundo a Secretaria de Saúde da Paraíba, os respiradores não foram entregues e até esta quarta-feira o valor não foi devolvido, mesmo após o Consórcio solicitar o bloqueio judicial das contas da empresa.

Consórcio Nordeste

O Consórcio Nordeste é um convênio entre os nove estados do Nordeste, criado em março de 2020, para aquisições centralizadas ou compartilhadas de bens e serviços de saúde, para assistência à população durante a pandemia de Covid-19.

Foto: Francisco França/Governo da Paraíba

G1

 

Mais da metade dos casos de Covid-19 em Guarabira, PB, são de funcionários da mesma empresa

Mais da metade dos casos confirmados da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, na cidade de Guarabira, na região do Brejo paraibano, foram provenientes da empresa gêneros alimentícios Guaraves. Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde de Guarabira, 17 dos 28 casos confirmados na cidade, cerca de 60% do total até a manhã desta quarta-feira (6), eram de pessoas que trabalham na empresa.

O diretor-executivo da Guaraves, Veronildo Coutinho, explicou que um plano de prevenção e combate ao vírus foi implementado pela empresa ainda no mês de março, quando o coronavírus ainda não havia atingido níveis elevados de contaminação comunitária. Ele rejeitou as informações que colocam a empresa como foco da doença, reforçando que a infecção dos colaboradores provavelmente aconteceu fora do expediente de trabalho.

“Temos 2.300 funcionários, a grande maioria deles moradores de Guarabira. E nesse período foram aplicados muito poucos testes na nossa região, houve um relaxamento na cidade. Nossos servidores só passam oito horas na empresa, que segue os protocolos de prevenção desde o início de março”, explicou.

Ainda de acordo com Veronildo Coutinho, todos os funcionários que apresentaram sintomas, por menores que fossem, foram afastados por recomendações médicas e só retornaram após o fim do período de quarentena, após serem considerados casos recuperados.

“Algumas informações colocavam 50 funcionários nossos como casos confirmados, quando a cidade só tem 28. Estamos sendo alvos de fake news, mesmo tendo adotado todas as precauções há 60 dias. Trabalhamos com exportações, temos a missão nessa guerra de alimentar nossa população, então nosso controle sanitário é extremamente rigoroso”, comentou o diretor executivo da Guaraves.

Além do plano de protocolos de prevenção ao vírus na empresa, a Guaraves instalou túneis de sanitização semelhante aos adotados pelas grandes empresas de gênero alimentício do Brasil. Em paralelo às medidas adotadas internamente, a empresa doou um dos túneis à Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Guarabira, que tem promovido atendimento aos pacientes da Covid-19 e distribuiu aproximadamente 10 mil máscaras.

Recomendação de testagem

Após crescimento do número de casos em Guarabira e por se tratar de uma grande empresa de serviço essencial, a promotora Edvane Saraiva, responsável pela promotoria de Guarabira, recomendou que a Guaraves realize a testagem de todos os funcionários, independente de apresentarem sintomas, para que os positivados assintomáticos sejam afastados de suas funções.

“Não vejo como viável qualquer pedido de interdição da empresa, porque é uma empresa que dá emprego a muitas famílias, então a gente querendo evitar um caos pode acabar gerando outro. Vamos acompanhar o processo de testagem”, explicou a promotora.

Veronildo Coutinho, diretor executivo da Guaraves, explicou que todas as recomendações entregues pelo Ministério Público estão sendo cumpridas ou em vias de serem cumpridas, incluindo a testagem em massa dos funcionários.

“Estamos em contato com as autoridades de saúde, buscando uma parceria até para cumprir com as recomendações. Muitas das recomendações já estavam sendo cumpridas por nós há 60 dias”, relatou.

A Secretária de Saúde de Guarabira, Fernanda Macedo, afirmou que foi feito um contato da secretaria com a direção da Guaraves para que parte da carga de testes rápidos recebidos pela prefeitura da cidade seja destinada também para os funcionários da empresa de produção de carne avícola.

“Queremos ajudar nesse processo, vamos enviar testes para que sejam aplicados em funcionários que estejam com sintomas, mas precisamos seguir o protocolo de dias desses sintomas para que não dê um resultado falso positivo. Requisitei essa lista à empresa e estamos aguardando o envio para que comecem a ser aplicados os testes”, explicou a secretária de saúde.

Até a manhã desta quarta-feira, Guarabira tinha 28 casos confirmados da Covid-19, 80 casos descartados, 175 notificados e nenhuma morte pela doença causada pelo coronavírus.

G1

 

Homem é preso em flagrante furtando pneus de caminhão da empresa onde trabalha em Guarabira

Policiais do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) realizavam rondas, na madrugada deste domingo (26), na cidade de Guarabira, quando se depararam com um homem, no interior da empresa onde trabalha, furtando dois pneus de um caminhão que estava no estacionamento. De imediato, foi dada a voz de prisão em flagrante ao suspeito, que foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil com os produtos do furto.

OUTRAS OCORRÊNCIAS – Em Juarez Távora, no sábado (25), durante rondas, os policiais se depararam com uma confusão entre um casal, onde a mulher informou que o marido havia chegado agressivo e apresentando sinais de embriaguez, e a agrediu com um soco no nariz. Logo após, usando uma espátula, desferiu um golpe na barriga de um homem, vindo a lesioná-lo superficialmente. A guarnição comandada pelo sargento Ednaldo conduziu as vítimas e o suspeito para a delegacia.

Em Serra da Raiz, um casal trocou agressões mútuas e acabou sendo preso pela guarnição comandada pelo sargento Ozaniel, que tinha sido informada de uma possível .
vias de fato entre um casal e, ao chegar ao local, ambos confirmaram aos policiais que teriam trocado agressões. Eles foram levados para a delegacia.

 

Assessoria 4º BPM

 

 

Homem invade empresa em SP, mata duas colegas de trabalho e é morto pela PM

Um funcionário entrou armado, com um revólver calibre 38 e uma faca, em uma empresa na Saúde, na Zona Sul de São Paulo, na tarde desta sexta-feira (20) e atirou contra um grupo de pessoas. Duas mulheres colegas de trabalho foram mortas, segundo a Polícia Militar (PM) e o Corpo de Bombeiros. O assassino foi baleado pelos PMs e morreu no hospital no final da noite.

Ele entrou na empresa de informática na Rua Luís Góis, por volta das 17h20, e atirou primeiro em uma mulher em uma sala no segundo andar e depois caminhou para outra sala, onde degolou a segunda mulher. Segundo a PM, um homem também ficou ferido ao ser atingido no ombro e foi levado para o Pronto-Socorro do Hospital São Paulo.

Ainda de acordo com a PM, o funcionário, de 34 anos, trabalha duas vezes por semana na empesa. Na semana passada houve uma festa de confraternização e ele teria discutido com outros funcionários. O motivo da briga será investigado.

Quando a PM chegou, se deparou com o homem armado, houve confronto, e ele foi atingido e levado para o Hospital das Clínicas, onde morreu.

O caso ocorreu na área da Terceira Companhia do 3º Distrito Policial, da Vila Clementino. Imagens de câmeras de segurança gravaram o ataque. A polícia trabalha com hipótese de ataque após demissão ou feminicídio.

Bombeiros e carros da polícia em frente à empresa onde homem entrou atirando em funcionários no bairro da Saúde, Zona Sul de São Paulo, nesta sexta-feira (20) — Foto: TV Globo/Reprodução

Bombeiros e carros da polícia em frente à empresa onde homem entrou atirando em funcionários no bairro da Saúde, Zona Sul de São Paulo, nesta sexta-feira (20) — Foto: TV Globo/Reprodução

Bombeiros chegam a empresa onde homem entrou atirando em funcionários no bairro da Saúde, Zona Sul de São Paulo, nesta sexta-feira (20) — Foto: TV Globo/Reprodução

Bombeiros chegam a empresa onde homem entrou atirando em funcionários no bairro da Saúde, Zona Sul de São Paulo, nesta sexta-feira (20) — Foto: TV Globo/Reprodução

 

G1

 

 

Tião Gomes diz que é inadmissível estado da Paraíba contratar empresa investigada na “Máfia das OSs”

Durante pronunciamento na terça-feira (10) na tribuna da Assembleia Legislativa da Paraíba, o deputado estadual Tião Gomes (Avante), criticou a contratação da organização Social Santa Casa de Misericórdia de Berigui pelo Governo do Estado da Paraíba, empresa investigada na “CPI das OSs” da Assembleia Legislativa de São Paulo e também na “CPI do DPVAT” na Câmara Federal por diversas irregularidades.

Tião Gomes lamentou que dentre tantas empresas que atuam nesse seguimento, a Paraíba tenha escolhido justamente uma que foi alvo de duas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) devido as graves denúncias de funcionários e do Ministério Público. A Santa Casa de Berigui já administra o Hospital de Patos e foi escolhida para administrar também o Hospital de Trauma de João Pessoa.

“Existem várias empresas nesse segmento e  a gente vai escolher uma empresa para trabalhar na Paraíba com uma avalanche de denúncias e processos? Isso é inaceitável”,  destacou Tião Gomes.

O parlamentar apontou que o Instituto Gerir, que atuou na Paraíba até pouco tempo possui mais de 3 mil processos na Justiça e que depois de tantos problemas, criaram outro CNPJ e fundaram a Santa Casa de Birigui que é administrada pelas mesmas pessoas que comandavam a Gerir, e que atualmente já contabiliza 1.270 processos.  “Isso é uma vergonha e não acredito que o governador João Azevêdo autorize a contratação dessa Birigui para representar a Saúde da nossa Paraíba”, destacou o  deputado.

Tião deixou claro que não está fazendo denúncias vazias e que tem provas para apresentar. “A  saúde da Paraíba está sofrendo  com essas OSs contaminadas  e que tem mais processos na Justiça do que dias de vida. Não estou denunciando porque sou contra o governador e nem contra o secretário de Saúde do Estado, mas,  isso atinge o nosso povo e eu, como representante da população paraibana,  não vou aceitar jamais que isso aconteça”, afirmou o deputado.

Ao finalizar, Tião Gomes informou que pretende criar uma frente parlamentar para apurar diversas denúncias de funcionários e pacientes no Hospital de Trauma de Campina Grande. “Estou de posse de uma vasta documentação que apontam irregularidades graves nos últimos nove anos no Trauma de Campina Grande e vamos criar uma frente parlamentar para apurar as denúncias de servidores, médicos, pacientes e até de fornecedores”, concluiu.

 

portaldolitoralpb

 

 

Nova fase da Lava Jato investiga repasses do grupo Oi para empresa de filho de Lula

A Polícia Federal (PF) cumpre nesta terça-feira (10) 47 mandados de busca a apreensão na 69ª fase da Operação Lava Jato que investiga repasses do grupo Oi/Telemar para empresas de Fábio Luis Lula da Silva, um dos filhos do ex-presidente Lula.

O G1 fez contato com a Oi às 8h50 e com a assessoria de imprensa do Instituto Lula e com o escritório Teixeira Martins, que representa Lula e que já representou Fábio Luis, às 9h, e aguarda retorno. Até a última atualização desta reportagem, o G1 não havia feito contato com a nova defesa de Fábio Luis e dos demais citados.

A ação foi batizada de Mapa da Mina e é um desdobramento da 24ª etapa da Lava Jato, em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi levado a depor. Na ocasião, a defesa negou envolvimento em irregularidades, e o ex-presidente disse ter se sentido um “prisioneiro”.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), são apurados repasses financeiros suspeitos do grupo Oi/Telemar em favor de empresas do grupo Gamecorp/Gol, controladas por Fábio Luis Lula da Silva, Fernando Bittar, Kalil Bittar e Jonas Suassuna. O grupo Gamecorp/Gol desenvolve livros e aplicativos para celular, entre outros serviços ligados à tecnologia.

Os pagamentos, conforme a força-tarefa, ocorreram entre 2004 e 2016 e ultrapassaram a cifra de R$ 132 milhões, sem justificativa econômica plausível. De acordo com o MPF, isso ocorreu ao tempo em que “o grupo Oi/Telemar foi beneficiado por diversos atos praticados pelo Governo Federal”.

Se detalhar, o MPF disse que evidências apontam que parte dos recursos foi utilizada para a aquisição do sítio de Atibaia, no interesse de Lula.

Já a Polícia Federal (PF) informou que o montante dos repasses, realizados entre 2005 e 2016, chega a R$ 193 milhões.

Por volta das 8h, as buscas eram realizadas em São Paulo, no Rio de Janeiro, na Bahia e no Distrito Federal. A 69ª fase da Operação Lava Jato foi autorizada pela 13ª Vara Federal de Curitiba.

Grupo Gamecorp/Gol

A estruturação do grupo Gamecorp/Gol foi, de acordo com o MPF, comandada por Fábio Luis Lula da Silva, Fernando.

As investigações do MPF apontam que as empresas do grupo não possuíam mão de obra e ativos compatíveis com a efetiva prestação dos serviços para os quais foram contratadas pela Oi/Telemar.

O MPF informou que também são cumpridos mandados de busca e apreensão com a finalidade de apurar indícios de irregularidades no relacionamento entre o grupo Gamecorp/Gol com a Vivo/Telefônica.

Segundo o MPF, essa verificação é relacionada ao projeto “Nuvem de Livros”, em que foi constatada movimentação de R$ 40 milhões entre a Movile Internet Móvel, empresa do grupo Telefônica/Vivo, e a Editora Gol entre janeiro de 2014 e janeiro de 2016.

Mapa da Mina

O nome desta etapa da operação, segundo a PF, foi retirado de arquivo eletrônico de apresentação financeira interno do grupo econômico. Esse material foi apreendido na 24ª fase da Lava Jato.

O arquivo indicava como “mapa da mina” as fontes de recursos provenientes da maior companhia de telefonia investigada, conforme a PF.

O que diz a Telefônica/Vivo

Por meio de nota, a Telefônica/Vivo informou que a PF está nesta terça-feira na sede da empresa, em São Paulo, buscando informações a respeito de contratos específicos de prestação de serviços realizados.

“A empresa está fornecendo todas as informações solicitadas e continuará contribuindo com as autoridades. A Telefônica reitera seu compromisso com elevados padrões éticos de conduta em toda sua gestão e procedimentos”, diz um trecho da nota.

 

G1

 

 

Deputado alerta governador e secretário sobre empresa envolvida na máfia das organizações de Saúde que venceu licitação para assumir o Trauma-JP

O deputado estadual Tião Gomes (Avante) recebeu um dossiê contendo provas inquestionáveis relacionadas a nova Organização de Saúde que deverá gerir o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. As informações apontam que a OS faz parte de uma grande máfia de organizações de Saúde que atuam no Brasil.

O documento, que foi entregue ao deputado por um profissional da área que atuou na OS mostra inúmeras irregularidades da empresa Santa Casa de Birigui, a mesma que venceu a licitação para gerir o Trauma-JP, conforme anunciou o secretário de saúde do estado, Geraldo Medeiros.

“A Paraíba recentemente viveu um escândalo de grandes proporções por não ter analisado a vida pregressa da então Cruz Vermelha. Na época, o ex-governador Ricardo Coutinho disse que a Cruz Vermelha seria internacional e idônea. Enganaram Ricardo, mas João eu não vou deixar enganar”, disse o parlamentar em tom de preocupação.

Tião Gomes fez um alerta ao governador João Azêvedo para que no futuro a Saúde da Paraíba não ocupe as páginas policiais do noticiário nacional mais uma vez.

“Basta apenas o secretário Geraldo Medeiros acessar o google e ver notícias como as que li no dossiê entregue a mim sobre essa não muito santa casa de misericórdia de Birigui, acusada de ter os mesmos modus operandi da antiga gestora do Trauma de João Pessoa, a Cruz Vermelha, como por exemplo, dar mimos milionários a alguns dos seus contratantes. Essa empresa está sendo alvo de uma CPI na maior Assembleia Legislativa do Brasil que é a do Estado de São Paulo.Estou inclusive, à disposição do governador e do secretário de saúde para disponibilizar uma cópia do dossiê que a mim foi entregue. Como deputado da base, não, posso me calar e deixar que o meu Governador João Azevedo e o secretário Geraldo Medeiros sejam enganados ou tomem qualquer decisão antes de ler o que tenho em mãos”, finalizou o deputado Tião Gomes.

 

Assessoria

 

 

Empresa anuncia financiamento bilionário em parques eólicos. Paraíba no meio

A espanhola de energia Iberdrola anunciou nesta quinta-feira (5), na Cop-25, em Madri, um financiamento de cerca de R$ 1,2 bilhão com o BEI (Banco Europeu de Investimento) para a construção de 15 parques eólicos de sua controlada brasileira Neoenergia no Nordeste nos próximos cinco anos.

As instalações, localizadas na Paraíba, na Bahia e no Piauí, já começaram a ser construídas ou estão em fase de licença. O financiamento de R$ 1,2 bilhão faz parte de um investimento total de R$ 4,7 bilhões.

O plano de investimento da empresa no país entre 2019 e 2023 abrange R$ 25 bilhões a R$ 30 bilhões, sendo 60% em distribuição de energia, 20% em transmissão e 20% em eólicas.

Segundo Emma Navarro, responsável por projetos climáticos no BEI, o financiamento de investimentos ligados às mudanças do clima são uma aposta da instituição e 65% de sua atividade na região da América Latina se destina ao assunto.

Outro financiamento com o BEI, também anunciado nesta quinta pela Iberdrola, vai destinar mais 440 milhões de euros a redes de distribuição da companhia na Espanha.

Ignacio Galán, presidente da Iberdrola, disse também nesta quinta que se encontrou com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, na esteira da Cop-25, para apresentar a ele os planos da empresa no país.

“Falamos dos planos de investimento até 2020 e quais são as coisas que eles podem fazer para nos ajudar a agilizar ainda mais o processo de construção e permissão. Foi construtivo”, disse.

Segundo Galán, Salles se mostrou disposto a ajudar na aceleração dos investimentos porque o país está aumentando a demanda em níveis muito elevados, mais de 3%, e precisa de mais energia renovável.

 

FOLHAPRESS