Arquivo da tag: Edmilson

PB Agora/Datavox: Nelinho lidera disputa em Cacimba de Dentro com 49,3%

A menos de 45 dias para a realização das eleições municipais, o atual prefeito Nelinho (Cidadania), candidato à reeleição na cidade de Cacimba de Dentro é quem aparece liderando a corrida eleitoral na cidade, com 49,3% das intenções de voto conforme resultado da pesquisa PB Agora/Datavox, divulgada nesta segunda-feira (05).

Já o ex-prefeito Dr. Edmilson, do MDB, aparece em segundo lugar. Ele obteve 27,7% das intenções de voto dos entrevistados. Na cidade, o número de indecisos atingiu 19% dos entrevistados, enquanto os que votariam branco ou nulo somaram 4%.

Os resultados dizem respeito a pesquisa na modalidade espontânea. Nela não são apresentados nomes dos candidatos e o entrevistado fala o que lhe vem à cabeça quando é questionado em quem pretende votar. O levantamento espontâneo mede principalmente a lembrança que o eleitor tem de um político e o grau de interesse nas eleições.

GRÁFICO DA PESQUISA

DADOS TÉCNICOS DA PESQUISA

A pesquisa Datavox foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral no dia 29 de setembro de 2020 com o Protocolo PB-09932/2020 – TSE – TRE. As entrevistas foram realizadas também no dia 29 de setembro de 2020 e ouviu 400 pessoas com mais de 16 anos no município de Cacimba de Dentro.

O intervalo de confiança estimado é de 95,0% e a margem de erro máxima estimada é de 4,9% pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados.
As entrevistas foram pessoais com utilização de questionário elaborado de acordo com os objetivos da pesquisa e foram realizadas por uma equipe de entrevistadores do DATAVOX – Pesquisas de Opinião Pública e Estatísticas Ltda, devidamente treinada para abordagem deste tipo de público.

Na zona urbana, foram realizadas entrevistas nos seguintes bairros: Centro, Bairro Novo, Palmeira, Conjunto Benjamim Gomes, Frei Damião, Conjunto Bela Vista, Lúcia Braga, Conjunto Velho e Conjunto Francisco Gomes. Já na zona rural, foram escolhidas as seguintes rotas:
Rota 1- Lagoa da Onça e Capivara.
Rota 2- Boi Manso, Mium e Caraúbas.
Rota 3- Lagoa Dágua e Timbaúba.
Rota 4- Lagoa de Pedra, Lagoa Salgada e Barreiros.
Rota 5- Mocotó, Cano, Boa Vista e Conceição
Rota 6- Distrito de Logradouro.
Rota 7- Três Lagoas e Matas do Riachão.

As perguntas cujas somas das percentagens não totalizam 100% são decorrentes de
arredondamentos ou de múltiplas respostas.

PB Agora

 

Na estreia de Adilson, Edmilson e Marlone brilham, e Vasco vence Coxa

Era a estreia de Adílson Batista no Vasco. Era a hora de, no Moacyrzão, em Macaé, o time dar o sinal para a torcida de que poderia confiar na difícil missão de conseguir ao menos cinco vitórias nas sete partidas restantes para fugir do rebaixamento. Era também o momento de o Coritiba, após dois triunfos seguidos, mostrar que a reação na tabela não foi por acaso. E no duelo de duas equipes irregulares no Campeonato Brasileiro, prevaleceu a luta cruz-maltina. Pode ter faltado futebol. Faltou também, em boa parte do jogo, Juninho Pernambucano, que saiu com dor na virilha aos 18 minutos. Mas sobraram esforço, disposição e uma dupla que brilhou para o triunfo: Marlone parecia Juninho, e foi o grande garçom para os dois gols de Edmilson, o artilheiro salvador. E o Vasco, apesar do sufoco do Coxa no fim, venceu por 2 a 1 – Luccas Claro diminuiu o placar para os curitibanos.

No primeiro gol do Vasco, Marlone cobrou falta na cabeça do atacante. No segundo, fez jogada individual e serviu Edmilson para o camisa 19 apenas se antecipar e empurrar para as redes, para deleite de boa parte dos 6.615 torcedores presentes em Macaé.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Com a vitória, o Vasco se anima e começa a fazer projeções. Com 36 pontos ganhos e ainda na zona de rebaixamento, subiu uma posição – está em 17º lugar. E voltará a mandar seus jogos no Rio após a punição de perda de mando de campo na briga de torcedores no jogo com o Corinthians, em Brasília. E já começa na 33ª rodada, quando receberá no Maracanã o Santos. Depois, terá pela sequência Grêmio e Corinthians fora, Cruzeiro e Náutico em casa, e na última rodada pegará em Curitiba o Atlético-PR. Um dos destaques da partida, Marlone não escondeu a emoção com o resultado.

– Às vezes eu me emociono, sempre vivi aqui, longe da família e de casa, não queria que o Vasco tivesse nessa situação. Hoje estou vestindo a camisa do Vasco… A torcida não deixou de vir, fico muito grato e só tenho a agradecer aos companheiros. O grupo todo está de parabéns.

Com a derrota, o Coxa se mantém com 40 pontos e ocupa, provisoriamente, o 13º lugar. No próximo sábado, irá ao Canindé, em São Paulo, encarar a Portuguesa. Depois, pega Corinthians e Criciúma em casa. Na sequência, enfrentará Inter (F), Botafogo (C) e São Paulo (F).

Gol sem Juninho

A partida começou com ingredientes dramáticos para o Vasco, mas terminou bem nos primeiros 45 minutos. Queria o técnico Adílson Batista mostrar na sua estreia um time mais ameaçador sob o comando, em campo, de Juninho. Queria a torcida que o Reizinho, com sua experiência, fosse o fiel condutor da reação. O camisa 8 parecia um pouco tenso no começo. Por duas vezes, foi advertido pelo árbitro. Pouco depois, aos 17 minutos, a triste, a pior notícia para o torcedor cruz-maltino: o ídolo sentira dor na virilha. Tentou alongar, o incômodo não passou. O sinal pedindo em direção ao banco pedindo a substituição soou como prévia de uma noite trágica no Moacyrzão. Adilson mandou Abuda aquecer e entrar, aos 18. A torcida se entreolhava, incrédula.

Pior que, em 15 minutos, o Vasco havia mostrado como buscaria o gol: jogava pelas laterais do campo. Tanto Yotún quanto Fágner arrancaram de trás e foram parados apenas com faltas, cobradas por… Juninho. Quando conseguiu ir à linha de fundo, Fágner centrou na cabeça de Edmilson, que mandou para fora o primeiro lance de perigo da equipe.

Após a saída de Juninho, o até então cauteloso Coritiba, com o retrospecto de duas vitórias seguidas, pensou ser aquele o momento de se soltar mais na partida. Um pouco antes,  já tinha feito jogada perigosa, com direito a calcanhar de Julio César, pela esquerda. Mas foi aí que recebeu o duro golpe. O Vasco não tinha mais Juninho para as cobranças de falta. Mas tinha Marlone. E, em cobrança pela esquerda, ele fez como o Reizinho já fizera várias vezes: centrou na cabeça de Edmillson. Dessa vez, o camisa 19, livre de marcação, não desperdiçou: 1 a 0, aos 26 minutos. Adilson Batista saiu comemorando aos pulos. A torcida cruz-maltina voltou a cantar, o time recuperou a confiança.

Mas o futebol da primeira etapa acabou prejudicado, e muito, pelos muitos erros de passes das duas equipes. Do lado do Coxa, a melhor opção era Robinho, caindo sempre pela esquerda. Num passe de calcanhar, serviu Geraldo, que pressionado por dois marcadores pediu pênalti, mas a jogada seguiu. Menos ele. Com uma contratura muscular na coxa direita, acabou substituído por Vítor Júnior. O time continou assim mesmo a pressionar. Alex era bem marcado por Abuda, mas Robinho e Julio César incomodavam. E foi do camisa 11 o único tiro de perigo do Coxa. E em bola parada: em falta pela meia-direita, soltou uma bomba bem defendida por Alessandro, que garantiu a vantagem vascaína na primeira etapa.

Reprise vascaína

No intervalo, Adilson Batista  resolveu fazer um verdadeiro ferrolho para garantir a vitória: trocou o meia Franscimar por Renato Silva. Com isso, ficou com três zagueiros e três volantes. A ideia era encurtar mais ainda os espaços para Alex, Robinho, Carlinhos & Cia. Adiantou Pedro Ken, pela direita, e deixou Marlone pela esquerda. Edmílson, pelo meio, ficou isolado no ataque. O Coritiba, com Vítor Junior se alternando pela esquerda e pela direita, forçava as jogadas para abrir a zaga adversária e acertar aquele último passe que não conseguira no primeiro tempo.

E foi pela direita que o Coxa teve duas boas chances, intercaladas por um chute de Fágner que o goleiro Vanderlei deu rebote, mas o ataque cuz-maltino não soube aproveitar: na primeira, aos 13, Vítor Junior, pela direita, só não abriu o placar porque Alessandro, bem mais confiante, saiu bem para salvar. Depois, Robinho foi à linha de fundo e centrou para a chegada de Júnior Urso, que, livre, bateu longe do gol.

Parecia que o Coritiba reagiria. Ainda mais depois que Fágner, caído, pediu substituição. Adilson o trocou por um atacante, Reginaldo, desfazendo o ferrolho. Pior que Edmilson e Pedro Ken davam sinais de falta de condições físicas, mas as três substituições já haviam sido feitas. Foi aí, novamente, que surgiu a estrela do garoto Marlone: aos 27, em jogada individual, driblou dois pela esquerda e tocou para Edmilson escorar para as redes. Era o segundo gol do Vasco. O técnico do Coxa, Péricles Chamusca, trocou Alex, bem marcado por Abuda, por Deivid.

O Coxa pressionou. Lincoln entrou no lugar de Junior Urso, e o time diminuiu o placar com Luccas Claro, de cabeça, após falta cobrada na área. O time melhorou e fez pressão até o fim. Aos 48, Lincoln obrigou Alessandro a mais uma boa defesa. Era sinal que a noite era mesmo do Vasco. Fim de jogo, alívio no Moacyrzão. A primeira missão foi cumprida.

 

Globoesporte.com

TCE reprova contas de Mogeiro e aprova as de Edmilson Gomes em Cacimba de Dentro

O Tribunal de Contas da Paraíba emitiu, nesta quarta-feira (8), parecer contrário à aprovação das contas de 2009 apresentadas pelo prefeito de Mogeiro, Antonio José Ferreira, a quem imputou débito de R$ 41.631,10 atinentes ao registro de despesas com a Polícia Militar e Cartório Eleitoral, sem respaldo em instrumento de convênio. A decisão, da qual ainda cabe recurso, deu-se conforme proposta do relator da matéria, o auditor substituto de conselheiro Renato Sérgio Santiago Melo.

Na mesma sessão plenária, o TCE decidiu pela aprovação das contas dos prefeitos de Cacimba de Dentro (Edmilson Gomes de Souza, exercício de 2009, com voto de desempate do conselheiro Fernando Catão) e Baía da Traição (José Alberto Dias Freire, 2010, por maioria).

Também foram aprovadas as contas das Câmaras Municipais de Belém (2010, com ressalvas), Joca Claudino (2011, com louvores do relator Arnóbio Viana), Olivedos (2010) e Brejo do Cruz (2010).

O TCE ainda aprovou as contas de 2010 de A UNIÃO – Superintendência de Imprensa e Editora (com ressalvas), da Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana (2011) e do Fundo Especial do Corpo de Bombeiros (2011). Houve adiamento dos processos relacionados às contas das Prefeituras de Esperança (2010), Olivedos (2009) e Bayeux (2009).

Participaram da sessão do TCE conduzida pelo conselheiro presidente Fernando Catão, os também conselheiros Arnóbio Viana, Arthur Cunha Lima, Nominando Diniz, Umberto Porto e André Carlo Torres Pontes. Também, os auditores Oscar Mamede, Renato Sérgio Santiago Melo, Marcos Costa, Antonio Gomes Vieira Filho e Antonio Cláudio Silva Santos. O Ministério Público de Contas esteve representado pela procuradora geral Isabella Barbosa Marinho Falcão.

Assessoria