Arquivo da tag: disfunção

Pesquisa aponta provável ligação entre Covid-19 e disfunção erétil

Mesmo com o surgimento da vacina contra a Covid-19, a doença ainda traz uma série de dúvidas sobre os seus danos, principalmente a longo prazo. Um estudo feito na Universidade de Roma Tor Vergata aponta uma possível correlação entre a enfermidade e a disfunção erétil, também conhecida como impotência sexual. Emmanuele Jannini, autor da pesquisa, afirma que a conexão entre as duas doenças se deve ao fato do novo coronavírus afetar o bem-estar físico e mental dos pacientes.

Além disso, o estudo também sugere que os homens que já possuem a disfunção erétil e que sejam infectados pelo coronavírus possam desenvolver mais facilmente pneumonia.  Isso se dá por conta de ambas as doenças envolverem as mesmas comorbidades, como a disfunção endotelial (contração do revestimento das artérias capilares), problemas respiratórios e hormonais, inflamações, estresse, ansiedade e depressão.

Especialistas ouvidos pelo portal Brasil61.com alegam que ainda é muito cedo para associar a Covid-19 com a impotência sexual, devido à recente descoberta do vírus. O médico urologista Rodrigo Carvalho diz que é precipitado ter alguma certeza sobre essa possível correlação.

“Pelo fato do novo coronavírus ter sido descoberto recentemente ainda não se sabe o que ele irá causar a longo prazo no paciente. Essa relação está sendo investigada e são necessários mais trabalhos para comprovar essa conexão”, afirma.

A disfunção erétil é caracterizada como a incapacidade do homem em conseguir e manter a ereção do pênis durante a atividade sexual. Especialistas em saúde dizem que a condição pode ser um sinal da existência de doenças crônicas ou transtornos mentais e frisam que a ocorrência da não obtenção de uma ereção nem sempre é resultado da disfunção erétil.

Cristiano Estivalet, que também é médico urologista, diz que ainda não há conclusões suficientes para correlacionar a impotência sexual com o coronavírus. No entanto, ele afirma que tem presenciado homens com impotência sexual devido ao estresse causado pelo isolamento social.

“Tenho percebido nos últimos meses um aumento no volume de pacientes com disfunção erétil por conta da quarentena, devido a todo esse nível de estresse e ansiedade que a sociedade está vivendo”, explica.

Causas

As causas da disfunção erétil são variadas – problemas circulatórios, doenças neurológicas, distúrbios hormonais, transtornos mentais, entre outros. Médicos recomendam a manutenção de hábitos saudáveis, como atividades físicas, para que se evite a impotência sexual.

O tratamento da condição pode ser feito por meio do uso de medicamentos e acompanhamento psicológico. Estima-se que 16 de milhões de homens convivam com a doença no Brasil.

Fonte: Brasil 61

 

 

Disfunção erétil está ligada a doenças cardíacas, diz estudo

Disfunção erétilA disfunção erétil parece elevar o risco de um homem sofrer alguma doença cardiovascular durante a vida, independentemente de ele possuir histórico de problemas cardíacos. E, além disso, quanto mais grave a disfunção, maiores as chances de hospitalização por problemas cardiovasculares ou de mortes por qualquer causa. Essas foram as conclusões de uma pesquisa da Universidade Nacional da Austrália publicada nesta terça-feira (29/01) no periódico PLoS Medicine.

De acordo com o estudo, isso não quer dizer que a disfunção erétil necessariamente desencadeie alguma condição cardíaca. No entanto, as conclusões sugerem que pacientes com disfunção erétil, mesmo que não apresentem nenhum fator de risco para problemas cardiovasculares, procurem um médico para avaliar a saúde do coração como forma de prevenção.

Riscos

De acordo com o estudo, homens com mais de 45 anos que nunca apresentaram problemas cardíacos, mas com disfunção erétil de moderada a grave, podem ser até oito vezes mais propensos a ter insuficiência cardíaca em comparação com aqueles que não apresentam a disfunção.

Esses homens também têm um risco 92% maior de apresentar doença arterial periférica (estreitamento das artérias nas extremidades inferiores); 66% maior de sofrer um ataque cardíaco; e 60% maior de desenvolver doença isquêmica do coração. Além disso, o risco de morte por qualquer causa é quase duas vezes maior entre esses homens — e o de serem hospitalizados por problemas cardiovasculares, 50% mais elevado.

Ainda segundo a pesquisa, as chances de eventos cardíacos, hospitalização e morte foi ainda maior quando os pesquisadores olharam para homens que já haviam apresentado algum problema no coração e que tinham disfunção erétil.

Avaliação

A pesquisa se baseou nos dados coletados entre 2006 e 2009 de 95.000 homens com mais de 45 anos que participaram do 45 and Up Study, do Instituto Sax, o maior levantamento contínuo sobre saúde e envelhecimento já feito no hemisfério sul. Esse trabalho analisou mais de 250.000 pessoas acima de 45 anos e inclui várias outras pesquisas.

Para Emily Banks, coordenadora da pesquisa da Universidade Nacional da Austrália, não se sabe ao certo quais são os motivos que fazem com que a disfunção erétil eleve o risco de doenças cardíacas. No entanto, ela acredita que, como as artérias do pênis são menores do que as das outras partes do corpo, elas podem ser mais propensas a manifestar problemas quando são deterioradas.
 

 

Veja

Anvisa manda apreender lote de remédio falso contra disfunção erétil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária determinou nessa quarta-feira (19) a apreensão de um lote de comprimidos falsificados de Cialis, um medicamento usado contra a disfunção erétil. A medida foi publicada pelo Diário Oficial da União.

Todas as unidades do Cialis 20 mg, lote 2605, blister com dois comprimidos, com a inscrição “validade 03-08-2015” serão apreendidos e inutilizados.[bb]

Uma análise química da Polícia Federal comprovou que os comprimidos tinham uma alteração em relação ao principal componente do remédios contra disfunção erétil – em vez de tadalafila, as pílulas continham sidenafila.

O Cialis é produzido pelo laboratório Eli Lilly do Brasil, que disse que o lote de medicamentos falsificados não consta nos registros da empresa e não foi comercializado no Brasil pela mesma.

Bem Estar