Arquivo da tag: dirige

Vídeo: motorista dirige caminhão com o pé

motoristaO vídeo abaixo é um bom exemplo do que não fazer ao volante, em qualquer local do mundo. Nas imagens, o motorista deste caminhão conduz o veículo por pelo menos 1 minuto com o pé esquerdo, enquanto o direito está apoiado no painel.

Sem aparentar preocupação, o rapaz trafegava tranquilamente pela pista da direita de um rodovia. É possível que o caminhão estivesse com o controle de cruzeiro ligado, ou ainda com o carro em ponto morto, descendo na famosa “banguela”, já que o pedal do acelerador não é acionado em nenhum momento.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

No Código Brasileiro de Trânsito este tipo de infração não é prevista, mas há a obrigatoriedade de que o motorista dirija sempre com as duas mãos no volante. De qualquer forma, no caso do vídeo, o motorista também poderia ser enquadrado por trafegar sem atenção ou sem os cuidados indispensáveis, o que representa uma infração leve. Se o homem do caminhão fosse pego no País, poderia ser multado em R$ 53,20 e perder três pontos na Carteira Nacional de Habilitação.

 

Estadão

Motorista dirige carreta em chamas para evitar que fogo se espalhasse

carretaUm motorista dirigiu um caminhão-tanque em chamas por cerca de 300 metros para evitar que o fogo se alastrasse pelo galpão da empresa de aviação agrícola onde ele descarregava uma carga de etanol, na cidade de Rio Verde, no sudoeste goiano, na terça-feira (25). Simael Ferreira, de 52 anos, sofreu queimaduras de 2° grau nas pernas, nos braços e em parte do rosto.

O motorista está internado na Unidade de Pronto Atendimento da cidade, e seu estado de saúde é regular. O hospital informou que ele não corre risco de morte, mas deve ser transferido para o Hospital de Queimaduras de Goiânia assim que surgir uma vaga.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Segundo o Corpo de Bombeiros, apesar de o motorista ter transferido a carreta do local para uma estrada vicinal quando o incêndio começou, o fogo atingiu o galpão da empresa, usado para estocar combustível.

“O tanque tem uma capacidade de 15 mil litros de álcool e ficou totalmente em chamas. Nossa equipe teve um trabalho de 4 horas para debelar o incêndio”, disse o subtenente dos Bombeiros Mard Porfírio.

O funcionário de uma granja vizinha contou que conseguiu ver as chamas a quilômetros do local. “Nós ouvimos a explosão. Daí, meu filho olhou pra cá e disse que estava pegando fogo. Vimos o fogo no caminhão e no galpão, estava muito alto mesmo”, afirmou.

A empresa responsável pelo galpão não se pronunciou sobre o ocorrido até a publicação desta reportagem.

Caminhão fica destruído e pneus derreteram por causa de fogo, em Rio Verde, Goiás (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)Caminhão fica destruído e pneus derreteram por causa do fogo (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Do G1 GO, com informações da TV Anhanguer

Nova enquete FN trata da PEC das Domésticas

Maioria apoia lei que pune motorista que dirige sob efeito do álcool; enquete agora trata da PEC das Domésticas

enquetePelo menos 486 pessoas emitiram opinião com relação ao rigor da lei para quem dirige sob efeito do álcool. A maioria esmagadora – 394 (81%) – manifestou apoio à norma aplicada pelo governo federal, também conhecida por “lei seca”; 92 participantes disseram não concordar, ou seja, (19%).

 

Agora o FOCANDO A NOTÍCIA quer conhecer o que os internautas acham da lei que regulamenta a carga de trabalho das domésticas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Nesse sentido, todos estão sendo convidados a responder a pergunta: A ampliação de direitos sociais prevista na chamada PEC das Domésticas vai produzir desemprego para a categoria? Participe assinalando ‘sim’ ou ‘não’.

 

 

 

Redação/Focando a Notícia

Dom Delson dirige suas primeiras palavras ao povo da Diocese de Campina Grande

Aos Irmãos e irmãos da Diocese de Campina Grande,

Ao Reverendíssimo Pe. Márcio Henrique Mendes Fernandes (Administrador Diocesano) e aos membros do Colégio de Consultores,

A todos os presbíteros, diáconos, religiosos, religiosas, ministros, missionários e agentes de pastoral,

Às autoridades civis e militares,

A todo Povo de Deus de Campina Grande,

Caríssimos irmãos: Paz e Bem!

Quero saudar com paternal afeto aos irmãos presbíteros, diáconos, religiosos, religiosas, ministros, missionários, agentes de pastoral, membros de movimentos e pastorais, catequistas, funcionários da Diocese, paróquias e instituições da Igreja, evangelizadores, famílias cristãs, crianças, jovens, idosos, homens e mulheres de fé.

Saúdo com grande respeito às autoridades civis e militares, com sua responsabilidade de promover o bem da Sociedade,

Saúdo com todo carinho o Povo de Deus de Campina Grande e as pessoas de boa vontade.

O Santo Padre Bento XVI acaba de me nomear Bispo da Diocese de Campina Grande. A minha resposta ao Papa é sim, que significa minha adesão à vontade de Deus, manifestada na pessoa do Pontífice. Estou dizendo sim ao Papa e, através da sua pessoa, estou dizendo sim à Igreja de Jesus Cristo que está em Campina Grande.

O meu lema episcopal é: “Ide aos meus irmãos!” Estou indo aos irmãos e irmãs que estão nessa querida Diocese de Nossa Senhora da Conceição de Campina Grande. Levo no coração uma certeza: vou como irmão encontrar muitos irmãos e com vocês caminhar na fé, procurando viver o Evangelho de Jesus Cristo, como Igreja, nestes tempos tão desafiadores.

Ainda emocionado, tento expressar os primeiros sentimentos. Neste momento, paira sobre mim certa perplexidade. E julgo isso como sendo muito natural. Tenho dois olhares e sentimentos correspondentes: um olhar sobre Caicó e outro sobre Campina Grande. Olho para a Diocese de Caicó e o coração se aperta de saudades: deixar padres, diáconos, religiosos (as), pessoas próximas, colaboradores fieis e amigos; deixar este clima bom que a Igreja do Seridó vive; deixar trabalhos iniciados; partir para outras searas, depois de quase seis anos. Este sentimento humano é sempre vivido por todo missionário, que deixa tudo e vai em nome de Deus! Isso faz parte da missão do Bispo. Sei que tudo pertence a Deus e Ele cuida de todos. As sementes lançadas neste chão fértil de homens e mulheres de fé do Seridó potiguar vão fecundar e produzir muitos frutos. É o Senhor que vai providenciar os meios e pessoas para continuar sua obra. Acredito profundamente nisso. E isso me faz aceitar com paz e grande esperança a mudança que a Igreja me pede.

Também olho e contemplo com interesse todo particular a Diocese de Campina Grande e brotam no meu coração outros sentimentos: novas e grandes possibilidades de partilhar a vida e a missão; desejo de ir ao encontro dos irmãos e irmãs que Deus está me dando; alegria de acolher infinitas possibilidades de realização; construir amizades e agir como pastor que Deus envia para esta grande diocese. Com vocês, meus irmãos, vou fazer um caminho de fé e fraternidade. Sei que irei crescer com vocês, aprender muito e descobrir novos horizontes e possibilidades de concretizar o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Agora, depois de expressar os primeiros sentimentos que me envolvem, penso nas minhas atitudes iniciais diante do mandato de ser bispo da Diocese de Campina Grande.

No início de uma nova missão as palavras mais importantes são: acolhimento, conhecimento, diálogo, caminhar juntos, na fé e no amor. Quero, movido pelo Espírito Santo, acolher a todos; conhecê-los como meus irmãos e irmãs; dialogar sobre os assuntos pertinentes à vida da Igreja; e a partir daí fortalecer os vínculos da fé, na força divina do amor.

Estou consciente da grandeza e importância da Diocese de Campina Grande no cenário da Igreja Católica e, em especial, da Igreja do Brasil. A responsabilidade do seu Bispo Diocesano é grande. Para corresponder à grandeza dessa missão e à confiança que o Papa depositou em mim, vou contar com o apoio do clero, ministros, agentes de pastoral, funcionários da diocese, membros das pastorais e movimentos, autoridades e instituições de promoção do bem comum. Vamos nos dar as mãos e trabalhar por uma Igreja viva, movida pelo Espírito Santo, no cumprimento da Palavra de Deus. São muitas as iniciativas da Igreja Diocesana de Campina Grande e vamos juntos trabalhar incrementando-as e nos empenhando em realizá-las. Na unidade, teremos forças para enfrentar os desafios que o Evangelho nos pede para os dias de hoje.

Nestes tempos complexos e de profundas mudanças, temos como Igreja muitas preocupações, entre elas: realizar uma “Nova Evangelização”. A Igreja nos pede um enfrentamento consciente e vigoroso diante dos novos desafios. Estamos inseridos num mundo em transformações, em processo de mudanças. A Igreja, depositária do dom mais precioso que Deus deu à humanidade, tem a missão de partilhá-lo com todos os homens e mulheres: a Boa Nova de Nosso Senhor Jesus Cristo. É decisivo o modo como apresentamos o Evangelho neste tempo tão marcado pela cultura midiática.

O conteúdo é a mensagem cristã, mas ele pode não ser acolhido se não for bem apresentado, na forma e na linguagem que as pessoas possam receber com entusiasmo. No tempo da comunicação a forma tem grande peso e termina influenciando a recepção da mensagem divina. É por isso que falamos em nova evangelização. Novos tempos, novas culturas, novas visões de mundo e, por tanto, faz-se necessário um novo jeito de anunciar Jesus Cristo.

A Conferência Nacional da Igreja no Brasil (CNBB), na Assembléia de 2011, aprovou as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora (2011-2015), indicando as cinco urgências: “Igreja em estado permanente de missão; Igreja: casa da iniciação à vida cristã; Igreja: lugar de animação bíblica da vida e da pastoral; Igreja: comunidade de comunidades; Igreja a serviço da vida plena para todos”.

As dioceses já estão trabalhando nessa perspectiva de “reconhecer-se em estado permanente de missão” a fim de cumprir o mandato do Senhor de anunciar o Evangelho a todas as pessoas, centrando o foco da sua ação evangelizadora, na iniciação para a vida cristã, na animação bíblica, na vida comunitária e nos compromissos da defesa da vida plena para todos.

Está muito claro que toda ação da Igreja deve partir de Jesus Cristo como ficou expresso no objetivo geral das diretrizes: “Evangelizar, a partir de Jesus Cristo, na força do Espírito Santo”. Com este fundamento, podemos articular um bonito projeto de vida eclesial, visando formar comunidades cristãs, centradas no Evangelho e no testemunho feliz dos que optam por Cristo.

Como religioso capuchinho, acompanha-me o espírito missionário, o sonho de construir fraternidade e de viver com simplicidade. Quero colocar-me a serviço da Diocese de Campina Grande com todo o meu ser, experiência de vida e conhecimentos adquiridos ao logo da minha existência. Tenho certeza de que é Deus que está me enviando a Campina Grande e que Ele me dará forças e inspiração para realizar o meu ministério episcopal.

Confio na generosidade dos padres, religiosos, religiosas, seminaristas e agentes de pastoral. Estes irmãos e irmãs formam um exército qualificado de operários a serviço da Igreja. Vou contar com a amizade e disponibilidade de cada um deles.

A Igreja diocesana é uma rede de comunidades paroquiais, movimentos, pastorais, comunidades novas e instituições. Sei que viver concretamente a fé numa comunidade é uma bênção única. Na comunidade nos identificamos como filhos e filhas de Deus e somos reconhecidos com tais. Estas comunidades serão acompanhadas com meu olhar de pastor.

As pessoas de boa vontade, independente da crença que possuem, encontrarão em minha pessoa acolhimento e as mãos estendidas para trabalhar em prol da vida e da dignidade do ser humano.

Irmãos, com estas breves palavras quero apenas apresentar-me, mostrando meus primeiros sentimentos com essa nomeação.

Com as bênçãos de Deus, a intercessão de Nossa Senhora da Conceição, padroeira da Diocese de Campina Grande, e a oração de todos, trabalharemos para edificar a obra de Deus, que é crer em Jesus Cristo e fazer a sua santa vontade.

Abraço fraternalmente todo o Povo de Campina Grande e peço ao Senhor, pela intercessão da Imaculada Conceição, que faça descer sobre todos as bênçãos de Deus todo poderoso: Pai, Filho e Espírito Santo. Amém!

Dom Frei Manoel Delson Pedreira da Cruz, OFMCap.

Bispo nomeado para Campina Grande

blog.diocesedecampinagrande

Empresário reage a assalto em JP, é atingindo nas costas e dirige até encontrar socorro

Enquanto ia fazer um depósito bancário, empresário foi abordado por dois bandidos em uma moto Fan na cor preta em Cruz da Armas, próximo a 1ª Delegacia, nesta terça-feira (29). Ele reagiu ao assalto tentando fugir em seu carro, mas acabou alvejado pelas costas.

A vítima dirigiu até encontrar ajuda e foi socorrida pelo Samu. Ele foi encaminhado ao Hospital de Trauma e não corre risco de morte.

Yves Feitosa / Washington Luís