Arquivo da tag: degola

Treze perde para o Remo e vê Botafogo-PB diminuir vantagem na briga contra a degola

Na noite deste domingo (08), o Treze visitou o Remo, no estádio Mangueirão, pela décima quarta rodada do Grupo A da Série C do Campeonato Brasileiro. Em um jogo bastante brigado e sem tantas oportunidades de gol, os paraneses fizeram valer o mando de campo e se aproveitaram de um lance infantil que gerou pênalti no começo da partida para construir a vitória por 1 a 0.

O lance que definiu o jogo ocorreu logo cedo. Aos 10 minutos, Gilberto Alemão sofreu pênalti bobo cometido por Robson, que nem esboçou reclamação. Salatiel foi para a bola e mandou no canto esquerdo de Andrey, que pulou para o outro lado, e abriu o marcador no Mangueirão para o Remo.

A partida era bastante truncada e o Galo, em desvantagem, buscava as jogadas ofensivas para ir para o intervalo pelo menos com o resultado igual. E em algumas oportunidades se aproximou do gol.

Já no fim da primeira etapa, aos 44, Vinícius Barba cruzou na cabeça de Danilo Bala, que escorou para o gol. A bola chegou a balançar as redes, mas foi pelo lado de fora. Nos acréscimos, aos 47, Douglas Packer cruzou, Nilson Júnior também de cabeça mandou para o gol, mas o arqueiro paraense fez grande defesa e manteve a vantagem para os donos da casa.

Segundo tempo

Durante o intervalo, o técnico Márcio Fernandes fez algumas alterações no Treze. Saíram Gilvan e Danilo Bala para dar lugar a Polegar e Edson Carioca. Mas quem voltou assustando foram os donos da casa.

Já aos 6 minutos, Andrey foi obrigado a fazer grande defesa em chute de Salatiel após passe açucarado de Tcharlles. Três minutos mais tarde Charles foi quem arriscou de fora da área, a bola quicou no chão e explodiu na trave do goleiro trezeano, assustando o time da Paraíba.

Só dava Remo. Aos 12, Ricardo Luz avançou em velocidade pela direita, invadiu a área e cruzou. Gilmar cortou, mas quase mandou contra a própria meta. A bola acabou indo para escanteio. Na cobrança, a defesa afastou e, no rebote, Dudu Mandai pegou de canhota e acertou o poste esquerdo de Andrey.

O Treze chegou com perigo aos 21 minutos. Gustavo cruzou da esquerda, a bola resvalou na defesa e chegou livre em Neto Baiano, que se esticou para tocar na fora, mas bateu nela sem dar direção, e ela foi para fora, em uma oportunidade clara de empate.

Já perto do fim do jogo, da entrada da área, Bruno Mota chutou firme de esquerda. A bola ia no cantinho do goleiro Vinícius, que se esticou todo e conseguiu, com a ponta dos dedos, desviar a bola para a linha de fundo.

Com a derrota, o Treze segue na oitava colocação, com 16 pontos, um a mais que o Botafogo-PB, primeiro time na zona de rebaixamento. O Remo, vice-líder, chega aos 26 pontos e fica muito perto da vaga para a próxima fase. Na sexta-feira (13), o Leão recebe o Santa Cruz, novamente no Mangueirão, enquanto o Galo vai enfrentar o Manaus, no Amigão, no sábado (14)

Ficha técnica

Remo 1 x 0 Treze

Campeonato Brasileiro da Série C 2020
Grupo A – 14ª rodada
Estádio: Mangueirão (Belém)

Arbitragem: Rodrigo Batista Raposo; Kleber Alves Ribeiro e Lucas Costa Modesto, todos do Distrito Federal.

Gols: Salatiel (R)
Cartões amarelos: Tcharlles (R)

Remo: Vinícius, Ricardo Luz, Gilberto Alemão, Mimica, Dudu Mandai (Lailson); Charles, Lucas Siqueira (Ronald), Eduardo Ramos (Carlos Alberto); Tcharlles, Hélio (Gustavo Ermel) e Salatiel (Walace). Técnico: Paulo Bonamigo.

Treze:Andrey, Gustavo, Ítalo, Nilson Júnior, Gilmar (Douglas Lima); Robson (Cláudio Murici), Vinícius Barba, Douglas Packer (Bruno Mota), Danilo Bala (Polegar), Gilvan (Edson Carioca) e Neto Baiano. Técnico: Márcio Fernandes.

 

VozDaTorcida

 

 

Coritiba se afasta da zona da degola e deixa Atlético-MG longe do título

O jogo entre Coritiba e Atlético-MG terminou com um resultado que afeta demais as brigas nas duas pontas da tabela do Campeonato Brasileiro. O Coxa conseguiu vencer por 2 a 0 e se distanciou da zona de rebaixamento – está com 42 pontos, quatro a mais que o Internacional, primeiro time na degola. Já o Galo, com essa derrota, fica muito distante da briga pelo título, pois tem 60 pontos e está em quarto lugar. O líder Palmeiras tem 70 e faltam apenas quatro jogos para acabar a competição.

O jogo começou muito aberto e corrido, por isso os dois times criaram chances de gol. Mas no lado do Atlético-MG o goleiro Victor fez duas defesas difíceis e evitou que o placar fosse aberto no 1º tempo. No Coritiba quem salvou foi Amaral, que travou um chute de Lucas Pratto que ia para o gol.

Porém, no começo do 2º tempo ninguém conseguiu impedir o golaço de Raphael Veiga, aos 7min, com um belo chute de fora da área. Em vez de aproveitar o embalo, o Coritiba recuou e esperou para contra-atacar. Conseguiu dar trabalho para Victor em uma finalização de Kazim, mas também sofreu muita pressão até o juiz marcar pênalti de Patric em Kazim e sair o gol de Kleber.

Agora o Coritiba vai enfrentar o Santa Cruz, novamente em casa, no dia 16 de novembro, às 21h (de Brasília). Já o Atlético-MG terá um confronto direto contra o Palmeiras em Belo Horizonte, no dia 17, às 21h.

Guilherme Artigas/Fotoarena/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Raphael Veiga ajuda Palmeiras

O meia do Coritiba tem sido especulado como provável reforço do Palmeiras para 2017 e, neste domingo, ajudou o time paulista, afinal o Atlético-MG é adversário do Palmeiras na briga pelo título do Campeonato Brasileiro. Aos 7min do 2º tempo, ele teve espaço para arrumar a bola fora da área e acertou um chute no ângulo, sem chance para Victor defender. Ele passou a ser muito criticado por ter caído de produção quando surgiram os boatos de transferência, então vibrou muito quando fez o gol, correndo na frente da arquibancada do Couto Pereira.

Quem foi mal: Otero e Cazares

Dessa vez os gringos do Atlético-MG não brilharam e erraram muitas jogadas no meio-campo. Marcelo Oliveira resolveu tirar os dois no 2º tempo para entradas de Fred e Maicosuel.

Filho substituto

Como Paulo César Carpegiani estava suspenso, o Coritiba teve uma curiosidade no banco de reservas: o substituto foi o filho do técnico, Rodrigo Carpegiani.

Reverenciado pelos adversários

Quando entrou no Couto Pereira, o técnico do Atlético-MG, Marcelo Oliveira, foi aplaudido pela torcida do Coritiba. Ele comandou o Coxa em 2011 e 2012, quando o tive foi vice-campeão da Copa do Brasil duas vezes.

CORITIBA 2 x 0 ATLÉTICO-MG

Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba-PR
Data: 06/11/2016
Árbitro:  Anderson Daronco (RS)
Auxiliares: Elio Nepomuceno de Andrade Júnior (RS) e Jorge Eduardo Bernardi (RS)
Cartões amarelos: Raphael Veiga (CTB)
Gols: Raphael Veiga, aos 7min do 2º tempo; Kleber, aos 47min do 2º tempo

CORITIBA
Wilson; Cesar Benítez, Juninho, Walisson Maia e Dodô; Amaral, César González (Kazim), Juan (Geovane) e Raphael Veiga (Edinho); Kleber e Iago
Técnico: Rodrigo Carpegiani

ATLÉTICO-MG
Victor, Patric, Erazo, Gabriel, Fábio Santos, Rafael Carioca, Leandro Donizete, Cazares (Maicosuel), Otero, Luan (Robinho) e Lucas Pratto (Fred)
Técnico: Marcelo Oliveira

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Cruzeiro vira sobre o Fluminense e se afasta da degola no Brasileiro

cruzeiroO Cruzeiro venceu o Fluminense, de virada, na tarde deste domingo (6), no Mineirão, em partida válida pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com gols de todos os homens do sistema ofensivo – Rafael Sóbis, Willian, Arrascaeta e Alisson –, os mineiros fizeram 4 a 2 no rival carioca. Richarlison, substituído ainda no primeiro tempo, e Magno Alves foram os autores do gols visitantes.

Com o resultado obtido no Gigante da Pampulha, os comandados de Mano Menezes chegam a 44 pontos e ficam a oito do Vitória, primeiro da zona de rebaixamento. O triunfo permite que a equipe se distancie consideravelmente do inédito descenso. Os atletas de Levir Culpi, por outro lado, seguem com 48, seis a menos que o Atlético-PR, último do G-6.

O melhor: Sóbis concilia marcação e chegadas ao ataque no Cruzeiro

Rafael Sóbis tornou-se peça fundamental no esquema tático de Mano Menezes. Responsável pelo lado direito da segunda linha de quatro jogadores que se forma no sistema defensivo, o atacante ainda incomodou a defesa do Fluminense. Ele finalizou com frequência e até chegou a balançar a rede no primeiro tempo. Foi o quarto gol do camisa 7 desde a sua chegada à Toca da Raposa II.

O pior: Gum falha na marcação dos homens de frente do Cruzeiro

O zagueiro do Fluminense deu muito espaço aos atacantes do Cruzeiro. Não é à toa que os quatro homens de frente balançaram a rede de Júlio César. Os espaços encontrados na defesa adversária acarretaram em uma goleada para o time mandante. O principal erro do defensor foi na marcação sobre Willian no gol que deu a virada para os mineiros.

Lentidão da defesa do Cruzeiro beneficia velocidade do Flu

Levir Culpi optou pela permanência de Richarlison no comando do ataque. O jovem foi preponderante para o gol obtido no Mineirão. Ele se aproveitou da baixa velocidade do sistema defensivo adversário para balançar a rede. Em arrancada da intermediária, o centroavante passou facilmente pela dupla de zaga – formada por Bruno Rodrigo e Léo – e mandou para o fundo do gol de Rafael.

Rafael Sóbis volta a marcar pelo Cruzeiro após três meses

Sem balançar as redes adversárias desde o jogo contra o Internacional, em 4 de agosto, quando estufou a meta em três oportunidades, Rafael Sóbis reencontrou o caminho do gol. O dono da camisa 7 aproveitou tabela com Willian e Arrascaeta para marcar depois de 18 compromissos de jejum.

Willian faz o primeiro gol na 2ª passagem de Mano pelo Cruzeiro

Escolhido por Mano Menezes para a vaga de Ramón Ábila, Willian reencontrou o caminho das redes na partida deste domingo. Escalado frequentemente como centroavante, o camisa 9 marcou o da virada contra o Fluminense. O atacante fez o sétimo gol em 43 partidas disputadas pelo clube na temporada. O jejum do atleta durou 18 partidas e perdurava desde 31 de julho passado.

Contragolpes do Cruzeiro definem a partida no 2º tempo

Em vantagem no placar, o Cruzeiro optou por chegar ao ataque em lances de contragolpe. E foi desta forma que o time comandado por Mano Menezes decidiu o confronto disputado no Mineirão. Arrascaeta não demorou nem um minuto completo para roubar a bola de Edson no meio de campo e balançar a rede de Júlio César. Alisson aproveitou nova falha do Fluminense na saída de bola, chegou ao ataque e deixou a sua marca.

Cruzeiro aposta em finalizações de fora da área para levar perigo

Com um ataque mais leve devido a saída de Ramón Ábila e a entrada de Willian, o Cruzeiro abusou dos chutes de longa distância. Willian, Rafael Sóbis e Alisson exigiram boas defesas de Júlio César em lances deste tipo. A alteração na função de centroavante acarretou na mudança da forma de jogar do time. Até o lateral esquerdo Bryan teve uma oportunidade de marcar desta forma, mas não foi feliz.

Contragolpes e jogadas individuais ditam ritmo do Fluminense

O Fluminense apostou em dois fatores para chegar ao gol de Rafael. Os lances de contra-ataques e individuais foram fundamentais para a forma de jogar do time comandado por Levir Culpi. Com passes de Gustavo Scarpa, Richarlison, Magno Alves, Cícero e Wellington incomodaram bastante o sistema defensivo adversário. Por pouco, o visitante não balançou a rede. O time das Laranjeiras ainda deixou a sua marca no último lance. Magno Alves marcou em cobrança de escanteio.

Ficha técnica
Cruzeiro x Fluminense

Motivo: 34ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 6 de novembro de 2016 (domingo)
Horário: às 17h (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Cristhian Passos Sorence (GO) e Leone Carvalho Rocha (GO)
Cartão amarelo: Alisson (Cruzeiro); Claudio Aquino (Fluminense)

Gols: Richarlison – 9’/1ºT (0-1); Rafael Sóbis – 26’/1º (1-1); Willian – 44’/1ºT (2-1); Arrascaeta – 1’/2ºT (3-1); Alisson – 5/’2ºT (4-1); Magno Alves – 47’/2ºT (4-2)

Cruzeiro
Rafael; Lucas Romero, Léo, Bruno Rodrigo e Bryan; Henrique, Ariel Cabral, Arrascaeta (Alex – 39’/2ºT) e Alisson; Rafael Sóbis e Willian (Ramón Ábila – 27’/2ºT).
Técnico: Mano Menezes.

Fluminense
Júlio César; Wellington Silva, Gum, Henrique e William Matheus; Edson, Cícero, Claudio Aquino (Danilinho – 15’/2ºT) e Gustavo Scarpa; Wellington (Marcos Júnior – 15’/2ºT) e Richarlison (Magno Alves – 30’/2ºT).
Técnico: Levir Culpi.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

De virada, SP dá sobrevida a Gomes, se afasta da degola e tira Flu do G6

sao-pauloO São Paulo conquistou importantíssimo resultado nesta segunda-feira ao vencer o Fluminense, de virada, por 2 a 1, em Edson Passos. Wellington abriu o placar para os cariocas, que sofreram o revés após os tentos de Thiago Mendes e Rodrigo Caio.

Com a vitória, o São Paulo chega aos 39 pontos e se afasta da zona de rebaixamento, pulando para a 12ª posição. Além disso, o técnico Ricardo Gomes ganha sobrevida no comando da equipe. Já o Fluminense, por outro lado, se mantém com 46 pontos, perde três posições e fica fora do G6, em 8º.

São Paulo aposta no contra-ataque, mas ‘Cueva fominha’ atrapalha tática

O São Paulo entrou em campo disposto a fazer uma forte marcação e apostar nos contra-ataques. Logo aos 10min, o time poderia ter provado que a estratégia poderia ter dado certo. Após roubar a bola, os paulistas ficaram em maioria no campo de ataque, mas Cueva demorou a decidir o que fazer e acabou desarmado por Giovani. O peruano foi melhor quando teve chance de finalizar e acertou a trave de Julio Cesar.

Levir queria expulsão de Denis em pênalti, mas ganha aula de 4º árbitro

Após a jogada à la Maradona de Wellington, Denis tentou parar a sequência de dribles do adversário e derrubou o rival dentro da área. Nesse momento, o técnico Levir Culpi cobrou a arbitragem pedindo a expulsão do goleiro do São Paulo. Restou ao 4º árbitro dar uma aula no treinador e explicar que a regra mudou. A penalidade já é considerada muito punitiva e o goleiro deveria levar apenas o amarelo, como, de fato, ocorreu.

Inspiradíssimo, Wellington usa dribles curtos para furar defesa do São Paulo

Nenhum outro jogador teve mais destaque que Wellington. O atacante do Fluminense desfilou sua habilidade diante do São Paulo, que fazia marcação muito forte. Inspiradíssimo, ele marcou o gol do Fluminense após sofrer pênalti. Ele recebeu no campo de defesa e driblou quatro jogadores até ser derrubado por Denis. Em outro lance, chamou Buffarini para dançar e recebeu outra falta.

São Paulo muda no intervalo, melhora e consegue virada sobre Flu

A apática apresentação do São Paulo, no primeiro tempo, deu lugar a um time vibrante no segundo. Melhor na partida, os visitantes passaram a pressionar o Fluminense, que ganhava por 1 a 0. Após falha bizarra da defesa dos cariocas, os paulistas empataram com Thiago Mendes. A virada não demorou a vir: Rodrigo Caio de cabeça.
FLUMINENSE 1 X 2 SÃO PAULO

Data e hora: 17/10/2016, segunda-feira, às 20h (horário de Brasília)
Local: Edson Passos, em Mesquita (RJ)
Árbitro: Nielson Nogueira Dias – PE
Auxiliares: Clovis Amaral da Silva e Bruno Cesar Chaves Vieira – PE
Gols: Wellington, aos 30min do primeiro tempo; Thiago Mendes, as 26min, Rodrigo Caio, aos 36min do segundo tempo
Cartões amarelo: Wellington (FLU) Denis, Buffarini e Maicon (SPO)

Fluminense
Julio Cesar; Wellington Silva (Igor Julião), Henrique, Gum e Giovanni; Pierre (Douglas), Cícero e Gustavo Scarpa; Wellington, Marcos Júnior (Marquinho) e Richarlison
Técnico: Levir Culpi

São Paulo
Denis; Buffarini (Kelvin), Maicon, Rodrigo Caio e Mena; João Schmidt, Thiago Mendes, Wesley e Robson (David Neres); Cueva e Chávez (Pedro)
Técnico: Ricardo Gomes

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Inter vira sobre o Flamengo, deixa degola e ajuda o Palmeiras

vitinhoO Internacional deixou a zona de rebaixamento. Neste domingo (16), o Colorado saiu atrás, mas apoiado por mais de 30 mil Colorados, com gols de Sasha e Vitinho, o time vermelho bateu o vice-líder Flamengo por 2 a 1. De quebra, ajudou o Palmeiras na briga pelo título brasileiro.

Foi tenso, dramático, heroico como as últimas partidas do Colorado no Beira-Rio. Aos 11 minutos de jogo, Réver abriu o placar para os cariocas. O Inter, então, foi forte. Jogou como há muito não se via. Empatou com Sasha, virou com Vitinho. Sofreu muita pressão até o minuto derradeiro, mas venceu.
Com isso chegou aos 36 pontos, pulou para a 14ª colocação e deixou de vez a zona de rebaixamento. Não entra mais nesta rodada. Já o Fla parou com 60 e ainda foi prejudicado pela vitória do Palmeiras contra o Figueirense. Agora os paulistas abriram 4 de vantagem sobre o vice-líder.

Quem foi bem: Vitinho vira o jogo para o Inter

Ele pode não ter sido o melhor tecnicamente em campo, mas foi decisivo. Na hora em que o Inter perdia, Vitinho apareceu. Disparou chutes, driblou e foi premiado. Em um rebote, encheu a rede e deu três pontos ao Colorado.

Quem foi mal: Alex erra muito deslocado para o flanco

Não é costume de Alex atuar aberto pelo lado. Foi o que aconteceu neste domingo. O meia jogou pela esquerda, travando duelos com o lateral Pará. Perdeu a maioria, errou passes e não fez boa partida.

Guerrero volta apagado e sofre com marcação

Paolo Guerrero voltou a ser titular do Flamengo neste domingo. Sofreu, contudo, com uma forte marcação exercida pela dupla de zaga do Internacional. Apagado, teve poucas chances e quando apareceu no jogo, acabou perdendo.

Gol do Flamengo, tensão e virada

O gol do Flamengo, aos 11 minutos, foi um balde de água fria nos mais de 30 mil vermelhos do Beira-Rio. Mas em vez de entristecer, os colorados apoiaram ainda mais. O jogo tornou-se uma epopeia. Jogadores caídos, substituições, tensão, erros. Até que Sasha, em jogada de escanteio, empatou. Foi quando o Internacional cresceu ainda mais. Virou minutos depois, com Vitinho.

Inter isola Vitinho e comete erros

O Internacional teve os mesmos erros e acertos das últimas partidas em Porto Alegre. Se postou de forma recuada, ficou mais tempo sem a bola do que com ela. Tentou sair em contra-ataque rápido utilizando Vitinho como homem mais avançado. Alex e Seijas tramaram boas jogadas e Gustavo Ferrareis, novamente, foi mais importante para auxiliar o lateral direito – desta vez Ceará – do que para construir algo no campo de ataque. Vitinho, isolado, tentou resolver tudo sozinho.

Flamengo cria pouco, mas bola parada decide

Diego foi o principal destaque da partida. O meia ditou as ações do Flamengo, tentou de toda forma criar alternativas de ataque para o rubro-negro. No entanto acabou preso entre os volantes do Internacional. Os pontas, Everton, depois Fernandinho, e Gabriel, pouco apareceram no jogo e Paolo Guerrero sofreu muitas faltas. No segundo tempo, a qualidade de Diego em cobrança de falta abriu o placar. Aos 11 minutos, o meia achou Réver, que colocou nas redes.

Celso Roth ouve gritos de ‘Burro’

Eram 18 minutos do segundo tempo, o Inter perdia por 1 a 0, Celso Roth resolveu tirar Seijas e colocar Valdivia. A reação da torcida foi forte. Aos gritos de ‘burro’ e vaias, os colorados protestaram muito. Três minutos depois, o Colorado empatou o jogo.

Colorados escolhem um lado na briga

Antes do jogo, a torcida do Internacional escolheu seu lado na briga entre dois jogadores ocorrida no treinamento de sexta-feira. Os aficionados gritaram: “William, William, William” e depois: “Ei, Anderson, vai…”. Tanto o meio-campista quanto o lateral foram afastados até segunda-feira e serão punidos pela direção vermelha. Além de usarem a voz, os Colorados também organizaram um abaixo-assinado pedindo a demissão dele através da internet.
Reprodução

Agenda

Na próxima rodada, o clássico Gre-Nal do próximo domingo marca a agenda do Colorado. Antes, porém, há o jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil contra o Santos, na quarta-feira. Já o Fla tem o clássico das multidões contra o Corinthians, no domingo.
FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 2 X 1 FLAMENGO
Data: 16/10/2016 (Domingo)
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio
Auxiliares: Fabrício Vilarinho da Silva e Bruno Raphael Pires
Renda: R$ 640.755,00
Público: 35.510
Cartões amarelos: Paulão (INT), Alex (INT);
Gols: Réver, do Flamengo, aos 11 minutos do segundo tempo; Eduardo Sasha, do Inter, aos 20 minutos do segundo tempo; Vitinho, do Inter, aos 35 minutos do segundo tempo;
INTERNACIONAL
Danilo Fernandes; Ceará, Paulão, Ernando e Geferson; Anselmo (Fabinho), Rodrigo Dourado, Gustavo Ferrareis (Eduardo Sasha), Alex e Seijas (Valdívia); Vitinho.
Técnico: Celso Roth
FLAMENGO
Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Jorge; Márcio Araújo (Sheik), Willian Arão e Diego; Gabriel (Alan Patrick), Guerrero e Everton (Fernandinho).
Técnico: Zé Ricardo
Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Botafogo vence com gol de Sassá, pula para 5º e mantém Inter na degola

botafogoO Botafogo conseguiu importante resultado nesta quarta-feira ao vencer o Internacional por 1 a 0, na Ilha do Governador. O gol marcado por Sassá deixou o Alvinegro vivíssimo na briga por uma vaga na Libertadores de 2017. Pior para os gaúchos, que deixariam a zona de rebaixamento com um empate.

Com o resultado, o Botafogo chegou aos 47 pontos e pulou para a 5ª posição – Fluminense e Atlético-PR entram em campo nesta quinta e podem retomar as colocações. Já o Inter segue com 33 pontos na 17ª posição.

Herói contra o Coritiba, Danilo Fernandes não consegue repetir feito 

Danilo Fernandes foi o herói do Internacional contra o Coritiba. Na oportunidade, ele pegou um pênalti batido por Juan e viu Vitinho, em seguida, marcar o gol da vitória. A situação poderia ter se repetido nesta quarta contra o Botafogo. Sassá, porém, estufou as redes e garantiu os três pontos para os cariocas.

Tudo ou nada! Botafogo volta com três atacantes para o 2º tempo

O Botafogo dominou o primeiro tempo, mas mostrou má pontaria nas finalizações. Até por isso, o técnico Jair Ventura voltou para o segundo tempo com esquema ousado. Sassá e Rodrigo Pimpão se juntaram a Neílton no ataque. As escolhas, porém, fizeram com que o Alvinegro perdesse o meio de campo e diminuísse a pressão sobre o intervalo. No fim, os cariocas conseguiram o gol da vitória.

Vitinho reencontra Botafogo e sofre com vaias da torcida

Revelado nas categorias de base do Botafogo, Vitinho reencontrou o clube pela primeira vez nesta quarta-feira. Titular do Internacional, o atacante não teve vida fácil no Rio de Janeiro e foi perseguido pelos alvinegros no estádio. Bastante xingado, o jogador é a principal peça dos gaúchos nesse Brasileiro.

Tanque mantido entre titulares por volta “gradativa” de Sassá

Recuperado de lesão, Sassá, artilheiro do Botafogo, ficou pelo segundo jogo consecutivo no banco de reservas. Vinicius Tanque foi escolhido para iniciar o duelo no time principal. Isso tudo para que o principal jogador do ataque do Alvinegro tenha volta “gradativa” à equipe, como revelou o técnico Jair Ventura.

BOTAFOGO 1 X 0 INTERNACIONAL

Data e hora: 12/10/2016, quarta-feira, às 21h45 (horário de Brasília)
Local: Arena Botafogo, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Marielson Alves Silva (BA)
Auxiliares: Kleber Lucio Gil (SC) e Guilherme Dias Camilo (MG)
Gol: Sassá, aos 39min do segundo tempo
Cartões amarelo: Vinícius Tanque e Joel Carli (BOT) Paulão (INT)

Botafogo
Sidão; Alemão, Joel Carli, Emerson e Victor Luis; Airton, Dudu Cearense (Rodrigo Pimpão), Rodrigo Lindoso e Camilo; Neílton (Gervásio Nunez) e Vinicius Tanque (Sassá)
Técnico: Jair Ventura

Internacional
Danilo Fernandes; Willian, Paulão, Eduardo e Ceará [Geferson]; Anselmo, Rodrigo Dourado, Gustavo Ferrareis e Alex (Seijas); Valdívia (Eduardo Sasha) e Vitinho
Técnico: Celso Roth

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Sport vence, se afasta da zona da degola e deixa Santos longe do título

campeonato-brasileiroNa Ilha do Retiro, o Santos perdeu para o Sport por 1 a 0 na noite deste sábado e se afastou da briga pelo título, mas permaneceu no grupo dos quatro primeiros colocados do Campeonato Brasileiro. O Leão, por outro lado, se afastou da zona de rebaixamento. A partida foi válida pela 27ª rodada da competição nacional.

Com o resultado, a agremiação paulista ficou no quarto posto da tabela de classificação do Brasileirão, com 45 pontos. Apesar disso, está praticamente sem chances de brigar por título, pois ficou a nove pontos do líder Palmeiras. Enquanto isso, o Sport chegou aos 33 pontos e se afastou da zona de rebaixamento, ficando na 13ª colocação.

Na próxima rodada, o Santos recebe o Atlético-PR no próximo sábado, 1º de outubro, às 21 horas (de Brasília), na Vila Belmiro. Na mesma data, o Sport encara o Fluminense às 18h30 (de Brasília), no estádio Edson Passos.

Quem foi bem: Goleiros deixam placar magro

Os goleiros Magrão e Vanderlei foram as estrelas da noite deste sábado. Ambos fizeram boas defesas e foram os responsáveis pelo placar magro de 1 a 0.

Quem foi mal: Elano consegue ser expulso após sofrer falta

Pouco tempo após entrar no lugar de Vitor Bueno, Elano acabou expulso da partida por um vacilo. O meia sofreu uma falta, reclamou com o árbitro e recebeu o cartão amarelo. Ainda não satisfeito, o santista continuou protestando, levou a segunda advertência e, por consequência, o cartão vermelho.

Que vacilo, Braz

O zagueiro David Braz entrou em campo aos seis minutos do início do jogo para substituir o lesionado Gustavo Henrique e não foi bem. O beque santista vacilou diante do atacante Rogério e viu o Sport inaugurar o marcador aos 10 do primeiro tempo.

Não deu para Gustavo Henrique

O zagueiro santista Gustavo Henrique, que tinha conseguido efeito suspensivo para enfrentar o Sport, teve que deixar o gramado da Ilha do Retiro aos seis minutos do primeiro tempo após sentir lesão em uma disputa de bola normal de jogo. David Braz entrou no lugar do beque.

Que chance!

O Sport teve a oportunidade de ampliar aos 23 minutos do primeiro tempo. David Braz fez falta em Diego Souza e o árbitro deu vantagem. Gabriel Xavier, então, avançou até a linha de fundo e cruzou para Everton Felipe, que desperdiçou uma chance incrível.

Pênalti?? Para o árbitro não…

Aos dois minutos da etapa complementar do confronto, Copete cruzou da esquerda, Vitor Bueno finalizou e o goleiro Magrão defendeu. No rebote, Jean Mota chutou e a bola bateu em Ronaldo Alves. Os santistas disseram que a bola tocou na mão do atleta do Sport e reclamaram com o árbitro.

Bruxa solta

No começo do primeiro tempo, o técnico Dorival Júnior teve que mexer no Santos por causa de lesão, o mesmo aconteceu logo no retorno dos vestiários. Aos 9 minutos da etapa final da partida, Vitor Bueno teve que sair para a entrada de Elano, porque sentiu dores na virilha.

FICHA TÉCNICA
SPORT 1 X 0 SANTOS

Local: Ilha do Retiro, em Recife (PE)
Data: 24 de setembro de 2016, sábado
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) e Leone Carvalho Rocha (GO)
Cartões amarelos: Copete (Santos); Matheus Ferraz  e Vinícius Araújo (Sport)
Cartão vermelho: Elano (Santos)
Gol: Sport – Rogério, aos 10 minutos do primeiro tempo

SPORT: Magrão; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Ronaldo Alves e Rodney Wallace; Rithely, Neto Moura (Paulo Roberto), Diego Souza, Gabriel Xavier (Vinícius Araújo) e Everton Felipe; Rogério (Apodi)
Técnico: Oswaldo de Oliveira

SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Gustavo Henrique (David Braz), Luiz Felipe e Zeca; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Vitor Bueno (Elano), Copete e Rodrigão (Jean Mota)
Técnico: Dorival Júnior (Lucas Silvestre)
Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Inter perde para o lanterna com gol de ombro e segue na zona da degola

americaA fase ruim não tem fim e parece piorar a cada dia. Nesta segunda-feira (19), o Internacional perdeu para o lanterna América-MG. Com um gol aos 45 minutos do segundo tempo, de Michael, o time gaúcho não só vive nova série sem vitórias (três rodadas) como continua na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

O desempenho durante todo o jogo, que fechou a 26ª rodada do Brasileirão, não foi bom. Melancólico, o Inter não conseguiu dominar o lanterna. E nos acréscimos, levou um gol surreal. Danilo Fernandes foi encoberto por um desvio de ombro após levantamento na área.

Para o América-MG, a vitória é histórica. O time de Enderson Moreira conseguiu o quarto triunfo no campeonato e chegou aos 18 pontos. O Inter segue com 27 pontos, em 18º lugar e a dois pontos do primeiro time fora da zona da degola.

Na próxima rodada, o América-MG recebe o Botafogo, sábado (24), às 21h (Brasília). Já o Internacional visita o Atlético-MG, domingo (25), às 18h30min.

Matheusinho sai do banco e chama atenção

Matheusinho começou como reserva e entrou ainda no primeiro tempo, no lugar de Osman. Com velocidade, drible e iniciativa, o camisa 10 roubou a cena em um jogo quase sonolento. Criou boas jogadas pelos flancos, arriscou finalizações de fora da área. Tentou e destoou do resto.

Paulão falha e quase entrega gol duas vezes

Zagueiro errou desarmes e saídas de jogo, mas por duas vezes quase colocou tudo em risco. No primeiro tempo, falhou no bote e viu Matheusinho ficar no mano a mano com Artur. Com um chute colocado que passou à direita do gol. Na etapa final, recuperou a bola na frente da área e errou passe. Que acabou no pé de Jonas e terminou com cruzamento que Nixon não aproveitou por milímetros.

Inter faz jogo pesado e não assusta

Um time mais pesado, voltado para marcação, e sem criatividade. Sem nenhuma construção coletiva. O Internacional não conseguiu pressionar o lanterna do campeonato durante todo o jogo e no final, sofreu. A penúria do ataque se resume com o fato: das três melhores chances, duas foram criadas pelos volantes Fabinho e Anselmo. Somente Eduardo Sasha, em rebote dentro da área, representou os atacantes nas tentativas minguadas de marcar.

América-MG toma conta e acerta travessão

O América-MG esperou o Internacional, confirmou a postura defensiva do visitante rapidamente e passou a dominar o jogo ainda no primeiro tempo. Domínio sendo vertical e não com posse de bola. Matheusinho e Ernandes foram as armas do time mineiro para criar mais chances de gol. Em um lance, faltou sorte: a bola explodiu no travessão. Em outro, faltou centímetros: Nixon se atirou e não conseguiu desviar por muito pouco.

Celso Roth fecha o time e só muda após 1h15

Com a meta de não levar gols, Celso Roth radicalizou e tirou Seijas e Nico López do time. Colocou Anselmo e Eduardo Sasha, sob argumento de maior poder de marcação. Mesmo sem conseguir dominar e criar, o treinador só foi mudar o time aos 30 minutos do segundo tempo. Quando Seijas entrou no lugar de Anselmo. Depois, foi a vez de Nico López entrar na vaga de Sasha. E mais tarde, veio a troca menos conservadora. Valdívia por Ceará, com William sendo deslocado para o meio-campo.

Enderson aposta em Osman. E depois em Matheusinho

O jogo do América-MG tinha um conceito mais elaborado e claro. Osman, aberto pelos flancos, era a válvula de escape. Só que o camisa 7, que levou os donos da casa à frente, precisou ser substituído ainda no primeiro tempo. Sem ele, Matheusinho entrou e ocupou o cargo. Virou peça vital para a proposta de atacar às costas dos laterais e ganhar terreno pelos lados.

Goleiro sente no aquecimento

O América-MG teve uma baixa em cima da hora. No aquecimento, o goleiro João Ricardo sentiu lesão no tornozelo e foi vetado pelos médicos. O reserva Fernando Leal acabou jogando. Ele voltou a atuar depois de quatro meses.

FICHA TÉCNICA
AMÉRICA-MG X INTERNACIONAL

Data: 19/09/2016 (segunda-feira)
Local: estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Rafael Traci (PR)
Auxiliares: Ivan Carlos Bohn e Luiz Santos Renesto (ambos do PR)
Cartões amarelos: Anselmo (INT)
Gol: Michael, aos 45 minutos do segundo tempo (AMG)

AMÉRICA-MG: Fernando Leal; Jonas, Éder Lima, Roger e Gilson (Bruno Telles); Leandro Guerreiro, Juninho, Danilo Barcelos (Michael) e Ernandes; Osman (Matheusinho) e Nixon
Técnico: Enderson Moreira

INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; William, Paulão, Ernando e Artur; Anselmo (Seijas), Fabinho, Rodrigo Dourado, Valdívia (Ceará) e Eduardo Sasha (Nico López); Aylon
Técnico: Celso Roth

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Sport vira sobre o Santa em jogo eletrizante e se distancia da degola

jogoTeve de tudo no Clássico das Multidões neste domingo: oito gols, expulsões e clima de tensão entre os atletas. Em uma partida eletrizante, com sete gols apenas no segundo tempo, o Sport, após uma série de reviravoltas, bateu o Santa Cruz por 5 a 3 na Ilha do Retiro e ganhou confiança para se distanciar da zona de rebaixamento.

O Santa Cruz marcou os dois primeiros gols e chegou a ter 3 a 2 a 20 minutos do apito final, mas não evitou a reação inacreditável do rival.
Os gols do Sport foram marcados por Durval, Rodney Wallace, Ruiz, Everton Felipe e Vinícius Araújo. Keno, João Paulo e Bruno Moraes fizeram para o Santa Cruz.
Com a vitória, o Sport foi aos 30 pontos, pulando para a 13ª colocação. O Santa segue na vice-lanterna, com 20 pontos.
Na quarta-feira, às 21 horas, o Santa Cruz recebe o Atlético-PR em Recife. Às 19h30 da quinta-feira, o Sport tem uma pedreira pela frente: desafia o Atlético-MG fora de casa.

Do céu ao inferno: Tiago Cardoso vai bem, mas não evita virada do Sport

O goleiro tricolor, que tem fama de crescer nos confrontos diante do Sport, teve muito trabalho a partir do momento em que o Santa Cruz se preocupou somente em defender. Foram três excelentes defesas de Tiago Cardoso no primeiro tempo, além de sua segurança na hora de sair do gol. Ele, no entanto, não resistiu ao bombardeio do Sport na segunda etapa e sofreu cinco gols.

Cartão vermelho e tentativa de agressão: o descontrole de Diego Souza

Diego Souza deu novas demonstrações de seu temperamento forte dentro dos gramados. Conhecido pelas declarações polêmicas e por se envolver em confusões com jogadores rivais, o camisa 87 rubro-negro roubou a cena no segundo tempo da vitória por 5 a 3 de seu clube sobre o Santa Cruz.

Apesar de participar de boa parte das jogadas de ataque no segundo tempo, o jogador discutiu bastante com Derley e foi expulso ao lado do rival pelo árbitro Leandro Vuaden. Revoltado, tentou agredir o adversário na saída do gramado e precisou ser contido pelos companheiros.

Quem foi mal: Paulo Roberto deixa a desejar no meio rubro-negro

Apático, o volante do Sport foi driblado por Keno no lance do primeiro gol do Santa Cruz e não conseguiu distribuir o jogo do meio-campo para o ataque. Foi sacado por Oswaldo de Oliveira, que colocou Éverton Felipe em campo.

Início arrasador do Santa Cruz

Precisando desesperadamente somar pontos para chegar à reta final do Brasileiro ainda com chances de não voltar à Série B, o Santa Cruz partiu para cima do Sport logo no começo da partida. A proposta ofensiva surtiu resultado logo aos 6 minutos, quando Keno, depois de chutar em cima de um adversário, aproveitou o rebote e abriu o placar com um chute colocado no canto esquerdo do goleiro Magrão.

Sem inspiração, Sport para na defesa do Santa

Após o gol de Keno, o Santa recuou suas linhas de marcação, permitindo que o Sport ficasse mais com a bola e levasse mais perigo ao goleiro Tiago Cardoso. Faltava, entretanto, mais organização na articulação das jogadas. Neto Moura, Paulo Roberto e Diego Souza, com dificuldades na construção das jogadas e abusando dos erros em passes e cruzamentos, não conseguiam abastecer Rogério e Ruiz.

Sport cresce produção, mas Tiago Cardoso salva o Santa

O Santa Cruz abriu mão de atacar e assumiu uma postura extremamente defensiva. Pouco ameaçado pelo rival, o Sport começou a encontrar espaços e passou a levar muito perigo ao gol de Tiago Cardoso.

A primeira grande oportunidade do Sport veio aos 35 da etapa inicial. Diego Souza acertou cruzamento para Neto Moura, que cabeceou com firmeza e só não empatou porque Tiago Cardoso fez uma defesa incrível. Dois minutos depois, o goleiro tricolor voltou a brilhar e evitou o gol de Rogério em um chute cruzado.

O bombardeio do Sport no fim da primeira etapa teve seu último capítulo aos 47 minutos. Ruiz, de dentro da área, cabeceia e obriga Tiago Cardoso a fazer mais uma grande defesa. No rebote, Durval teve boas condições para igualar o placar, mas isolou a bola.

Santa amplia com belo gol de João Paulo

As recomendações de Doriva no intervalo para que o Santa voltasse a pressionar o Sport funcionaram logo no início da etapa final. Os visitantes ampliaram em um belo chute do meia João Paulo aos 6 minutos. Ele dominou na entrada da área e, com muita categoria, não deu chances de defesa a Magrão.

Sport empata e deixa o jogo quente

O Sport não se abateu com o segundo gol do Santa e continuou em busca da reação. Dois minutos após o gol de João Paulo, Diego Souza cobrou falta da direita e Durval se antecipou à zaga tricolor para desviar de cabeça.

Enquanto o time da casa lutava pelo segundo gol, João Paulo, de longe, acertou o travessão de Magrão.

Aos 24, um vacilo do Santa Cruz deixou Rodney Wallace em boas condições para empatar o jogo. O lateral não desperdiçou a oportunidade, anotou o segundo gol do Sport e levou a torcida rubro-negra ao delírio na Ilha.

Clássico pega fogo e termina com expulsões

Quando a equipe rubro-negra dava sinais de que chegaria à virada, o Santa jogou um balde de água fria na reação do time da casa. Dois minutos separaram o empate do Sport do terceiro gol dos visitantes. Bruno Moraes, entre os zagueiros, aproveitou assistência de Keno e cabeceou para as redes.

Em um clássico imprevisível, Ruiz, aos 35, escorou cruzamento de Diego Souza, deixando o Sport vivo no jogo e os ânimos acirrados entre os atletas. Em seguida, Diego Souza e Derley se desentenderam no gramado e foram expulsos.

Na base da raça, o Sport marcou seu quarto gol com com Vinícius Araújo, que recebeu de Ruiz e, livre, empurrou para as redes. Já nos acréscimos, Everton Felipe acertou um lindo chute, concretizando a reação incrível do time da casa.

FICHA TÉCNICA

SPORT 5 X 3 SANTA CRUZ

Data e hora: 11/09/2016 (domingo), às 16h

Local: Ilha do Retiro, em Recife

Árbitro: Leandro Vuaden

Auxiliares: Lucio Beiersdorf Flor e Jorge Eduardo Bernardi

Cartões amarelos: Apodi e Ruiz (Sport)

Cartões vermelhos: Diego Souza (Sport); Derley (Santa Cruz)

Gols: Durval, Rodney Wallace, Ruiz, Vinícius Araújo e Everton Felipe (Sport); Keno, João Paulo e Bruno Moraes (Santa Cruz)

SPORT

Magrão; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Durval, Rodney Wallace; Paulo Roberto (Everton Felipe), Rithely, Neto Moura (Apodi), Diego Souza; Rogério (Vinícius Araújo) e Luis Carlos Ruiz. Técnico: Oswaldo de Oliveira

SANTA CRUZ

Tiago Cardoso; Léo Moura, Neris, Danny Morais, Allan Vieira; Uillian Correia, Derley, João Paulo, Pisano (Arthur); Keno (Jadson) e Bruno Moraes (Wallyson). Técnico: Doriva

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Inter faz gol relâmpago, mas leva virada e continua perto da degola

jogoO Internacional precisou de apenas um minuto para marcar diante do Atlético-PR, neste domingo (11), em Curitiba, mas não conseguiu vencer a segunda partida seguida no Campeonato Brasileiro. Dominado, o time gaúcho tomou a virada com falhas individuais na arrancada do segundo tempo e segue bem perto da zona de rebaixamento.

Os dois gols de Pablo, herói do time paranaense na 24ª rodada do Brasileirão, saíram após erros de Seijas e Danilo Fernandes. Antes das falhas, Valdívia se aproveitou de jogada ensaiada para marcar de cabeça.

O resultado deixa o Internacional com pontuação de rebaixado, mas fora da degola. Com 27 pontos, o time gaúcho escapa por conta do número de vitórias e ocupa o 16º lugar. As derrotas de Vitória e Figueirense é que salvaram o Colorado de voltar a zona do rebaixamento.

Na próxima rodada, o Atlético-PR visita o Santa Cruz na quarta-feira (14), às 21h (Brasília). Já o Internacional recebe o Vitória, na quinta-feira (15), também às 21h.

Quem decidiu: Pablo, do Atlético-PR

Atacante marcou os dois gols do time da casa, um com forte chute e outro de cabeça – após falha incrível de Danilo Fernandes. Durante todo o jogo, foi quem mais acossou a defesa do Inter. Se aproveitou bastante das falhas do Colorado diante dos chutes de Hernani ou jogadas de André Lima.

Quem fracassou: Danilo Fernandes, do Inter

Goleiro já tinha dado rebote em outros chutes, mas aos 39 deixou a bola escapar dentro da área e foi fuzilado por Pablo. Nada se compara ao erro no início do segundo tempo. Após cruzamento de Léo, Danilo Fernandes saiu do gol e desistiu da jogada. Pablo ganhou de William no alto e marcou. Depois da virada, o camisa 1 fez duas boas defesas na tentativa de se redimir.

Pênalti? Inter se envolve em nova polêmica

Na quinta-feira, a expulsão de Lucas Lima ainda no primeiro tempo gerou polêmica. Neste domingo, foi a vez do Internacional reclamar e deixar de aplaudir a arbitragem. No primeiro tempo, ainda quando vencia, o time gaúcho viu Nico López se chocar com Weverton dentro da área. O goleiro saiu em alta velocidade e atigniu o uruguaio na ponta esquerda. Imediatamente houve pedido de pênalti, mas apenas o escanteio foi anotado.

Atlético-PR usa chute de longe para acordar

A atuação do Atlético-PR se divide entre o antes e depois dos chutes de Hernani. Até o camisa 23 arriscar de fora da área e ver Danilo Fernandes dar rebote mais de uma vez, os donos da casa não conseguiam criar. Foi em uma finalização forte que o goleiro espalmou e Pablo empatou. A virada nos primeiros segundos da etapa final foi a confirmação da mudança de panorama no confronto.

Inter começa a mil, mas perde controle cedo

O Internacional entrou na Arena da Baixada para resolver o jogo cedo. Além do gol de Valdívia, logo no primeiro minuto, o time gaúcho aplicou marcação alta e teve controle absoluto do duelo. A dificuldade na circulação de bola transformou o Colorado de dominador a dominado. Antes do intervalo, levou o empate e perdeu no quesito finalizações e posse de bola.

Azar ou incompetência? Inter erra atrás e na frente

Se o Inter tinha uma estratégia clara, um jogo coletivo – por mais que ele tenha empacado no meio da partida, o plano ruiu diante de falhas individuais. A primeira foi com Seijas, dentro da área, ao tentar domínio e perder dividida para Hernani. Depois foi Danilo Fernandes, que saiu errado do gol e assistiu Pablo marcar de cabeça. E a terceira foi de Nico López, dentro da pequena área, e que acertou o pé da trave direita. Com elas, a vitória virou empate e depois derrota.

Celso Roth explora cobranças de laterais, mas erra no 2º tempo

Desde a primeira cobrança de lateral, que terminou com o gol de Valdívia, ficou visível a orientação do Inter para o jogo no gramado sintético da Baixada: jogar por cima, com arremessos longos. A cena se repetiu do começo ao fim. Além do princípio específico, Celso Roth usou marcação alta e tentou tirar o Atlético-PR de perto de sua área. No segundo tempo, contudo, o treinador errou. Depois de tomar a virada, sacou Seijas e Eduardo Henrique para botar Ceará e Vitinho. Sem eles, o time gaúcho parou de pensar e foi para a corrida desenfreada. O equívoco foi admitido minutos depois, quando Anderson entrou no lugar de Valdívia.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-PR 2 X 1 INTERNACIONAL

Data: 11/09/2016 (domingo)
Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Público: 14.498 pessoas
Renda: R$ 298.250,00
Árbitro: Paulo Schleich Vollkopf (MS)
Auxiliares: Leandro dos Santos Ruberdo e Cícero Alessandro de Souza (ambos do MS)
Cartões amarelos: Aylon, Artur (INT)
Gols: Valdívia, a 1 minuto do primeiro tempo (INT); Pablo, aos 39 minutos do primeiro tempo e aos 39 segundos do segundo tempo (CAP)

ATLÉTICO-PR: Weverton; Léo, Thiago Heleno, Wanderson e Sidcley (Nicolas); Otávio, Hernani, Matheus Rosseto (Marcão) e Yago (Lucas Fernandes); Pablo e André Lima
Técnico: Paulo Autuori

INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; William, Eduardo, Ernando e Artur; Rodrigo Dourado, Eduardo Henrique (Ceará), Valdívia (Anderson) e Seijas (Vitinho); Nico López e Aylon
Técnico: Celso Roth

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br