Arquivo da tag: declaração

Mais de 260 municípios devem enviar declaração sobre segunda etapa do PAC

Mais de 260 municípios, localizados em todas as regiões do país, têm até 20 de outubro para enviar a Declaração Final de Liberação de Encargos e regularizar sua situação junto ao Governo Federal no âmbito do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC2), em sua segunda etapa.

O procedimento está relacionado a doações do Ministério da Agricultura de equipamentos para uso exclusivo em ações de promoção da agricultura familiar e da reforma agrária, em especial para a recuperação de estradas vicinais e captação de água. Segundo a pasta, “após a assinatura da Declaração Final e posterior publicação de Portaria no Diário Oficial da União homologando o ato, os bens passam, definitivamente, para o patrimônio municipal”.

Carlos Eduardo Feitosa, coordenador de Administração e Gestão Estratégica da Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo (SAF) do Ministério da Agricultura, explica que o não envio do documento, por parte das prefeituras, pode ocasionar em penalidades aos gestores municipais, como por exemplo a perda do bem doado.

“É importante o preenchimento da declaração final, sob pena da aplicação extinção da cláusula que estabelece a doação, que se trata da reversão automática do bem doado a partir desse ano”, esclarece.

Vale ressaltar que, apesar de se tratar de uma doação, as cidades contempladas devem seguir uma série de metas estabelecidas pelo governo federal. No meio jurídico, esse tipo de contribuição é chamada de doação onerosa, segundo Karlos Gomes, advogado especialista em administração pública.

“Em contrapartida ao cumprimento desses encargos [metas], o governo federal irá doar para os municípios equipamentos para a manutenção da agricultura, reforma de estradas e para o desenvolvimento hídrico e da agricultura familiar.”

Para enviar o documento, o gestor municipal deve acessar o Sistema de Monitoramento do PAC (SisPAC) e preencher os dados solicitados, selecionar a opção “Declaração Final” e depois clicar em “Assinar Declaração”. Para tirar dúvidas, os gestores podem entrar em contato com a equipe responsável pelo PAC2 pelo e-mail pac2sispac@gmail.com.

Fonte: Brasil 61

 

 

Em nota, API lamenta declaração infeliz de dono da TV Correio contra jornalistas

Em nota emitida no início da noite desta quinta-feira (13), a Associação Paraibana de Imprensa lamentou o que chamou de “declaração infeliz” do empresário e ex-senador Roberto Cavalcanti.

Segundo a nota, a imprensa vem sendo constantemente atacada até mesmo pelo presidente da República e mais incentivo a esses ataques, como fez Roberto Cavalcanti, tem causado inclusive agressões físicas.

Confira nota da API na íntegra:

API lamenta declaração infeliz de empresário Roberto Cavalcanti

A Associação Paraibana de Imprensa foi surpreendida na tarde desta quinta-feira, 14, com a declaração mais que infeliz do empresário e ex-senador, Roberto Cavalcanti. Em comentário durante o programa Correio Debate, da rádio 98 FM, um dos veículos do Sistema Correio, conglomerado comandado pelo empresário, e ao questionar os dados do Covid-19 no Brasil, Roberto defendeu o apedrejamento de jornalistas e radialistas que noticiam as mortes causadas pelo Coronavírus.

O Brasil atravessa um dos momentos mais controversos para atuação da imprensa, já que o próprio presidente da República e outros políticos atacam rotineiramente os profissionais e a atividade de jornalismo. Portanto, não precisamos de mais ninguém a incentivar esses ataques, que já saíram do campo da agressão verbal e ganhou episódios de agressão física.

A fala do empresário além de infeliz, contradiz toda história de bravos profissionais que passaram e ainda labutam no seu próprio sistema de Comunicação e também são vítimas da escalada crescente de intimidação e violência contra profissionais de imprensa.

 

PB Agora

 

 

Começa nesta 2ª o prazo para entrega da declaração do IR 2020

Começa nesta segunda-feira (2), a partir das 8h, a temporada de entrega da entrega da declaração do Imposto de Renda 2020 (ano-base 2019).

O prazo vai até as 23h59 do dia 30 de abril, mas os contribuintes que enviarem a declaração no início do prazo, sem erros, omissões ou inconsistências, receberão mais cedo as restituições do Imposto de Renda, se tiverem direito a ela. Idosos, portadores de doença grave e deficientes físicos ou mentais têm prioridade..

A multa para o contribuinte que não fizer a declaração ou entregá-la fora do prazo será de, no mínimo, R$ 165,74. O valor máximo será correspondente a 20% do imposto devido.

Primeiro paciente da PB descartado para o coronavírus recebe alta de hospital

O programa para fazer a declaração está disponível no site da Receita. A Receita Federal espera receber 32 milhões de declarações.

Quem deve declarar?
Deve declarar o IR neste ano quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2019. O valor é o mesmo da declaração do IR do ano passado.
Contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado;
Quem obteve, em qualquer mês de 2019, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
Quem teve, em 2019, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural;
Quem tinha, até 31 de dezembro de 2019, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil;
Quem passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês do ano passado e nessa condição encontrava-se em 31 de dezembro de 2019;
Quem optou pela isenção do imposto incidente em valor obtido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias, contado da celebração do contrato de venda.

G1

 

 

Bolsonaro chama Greta Thunberg de ‘pirralha’ ao comentar declaração da ativista sobre morte de índios

O presidente Jair Bolsonaro criticou nesta terça-feira (10) o espaço dado na imprensa às declarações da ativista sueca Greta Thunberg, de 16 anos, a quem chamou de “pirralha”.

Bolsonaro deu a declaração ao ser questionado por jornalistas, na saída do Palácio da Alvorada, se estava preocupado com as mortes de dois indígenas da etnia Guajajara em um atentado ocorrido no sábado (7) no Maranhão.

Aos 11 anos, Greta foi diagnosticada com Asperger, um tipo de autismo. Desde a infância, ela realiza protestos para cobrar das autoridades ações concretas de combate às mudanças climáticas.

A sueca faltava às aulas para protestar em frente ao parlamento da Suécia e, neste ano, cruzou o Atlântico em um veleiro para participar de uma conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre clima.

O presidente pediu ajuda para lembrar o nome de Greta e criticou a ativista e o espaço dado pela imprensa às declarações da adolescente.

“A Greta já falou que os índios morreram porque estavam defendendo a Amazônia. É impressionante a imprensa dar espaço para uma pirralha dessa aí, pirralha”, disse.

Em seguida, Bolsonaro afirmou que “qualquer morte preocupa” e que seu governo deseja “cumprir a lei”, posicionando-se contra desmatamento e queimadas ilegais.

Neste sábado, em uma rede social, Greta compartilhou um vídeo sobre as mortes dos indígenas brasileiros e escreveu que esses povos são assassinados ao tentar proteger a floresta do desmatamento ilegal.

Em uma postagem na internet, Greta disse que índios estão sendo assassinados por tentarem proteger a floresta — Foto: Reproduçaõ/Twitter
Em uma postagem na internet, Greta disse que índios estão sendo assassinados por tentarem proteger a floresta — Foto: Reproduçaõ/Twitter

Nesta segunda-feira (9), Greta voltou a mencionar os povos indígenas durante uma cúpula da ONU, que organiza a COP 25.

“Os direitos deles estão sendo violados em todo o mundo, e eles também estão entre os mais atingidos, e mais rapidamente, pela emergência climática e ambiental”, disse a sueca.

Mortes de indígenas

O número de lideranças indígenas mortas em conflitos no campo em 2019 foi o maior em pelo menos 11 anos, segundo dados da Comissão Pastoral da Terra (CPT) divulgados nesta segunda.

Foram sete mortes em 2019, contra duas em 2018. Os dados deste ano são preliminares: o balanço final só será feito em abril do próximo ano.

No último fim de semana, três ativistas indígenas foram mortos no país: no Maranhão, em Jenipapo dos Vieiras, dois indígenas Guajajara morreram e outros dois ficaram feridos durante um atentado no sábado (7); em Manaus , o ativista da etnia Tuyuca Humberto Peixoto Lemos morreu no hospital após ser agredido a pauladas na segunda-feira (2).

G1

 

 

Em nota, PSB nacional diz que declaração de Bolsonaro “beira o racismo”

As declarações feitas pelo presidente da República Jair Bolsonaro na última sexta-feira (19) durante um café da manhã com jornalistas continuam ecoando. A repercussão negativa fez com que políticos, artistas e líderes partidários, além da população, se avaliasse com preconceituosa a fala do Chefe do Executivo Nacional.

O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, usou as redes sociais para expor uma nota de repúdio da sigla contra as declarações do presidente da República.

No café da manhã com jornalistas, sem saber que seu microfone estava ligado, Bolsonaro, em conversa com o ministro Onyx Lorenzoni afirmou: “Daqueles governadores de ‘paraíba’, o pior é o do Maranhão. Não tem que ter nada com esse cara”.

Em nota, o PSB disse que Bolsonaro mostrou “desapreço pelo povo nordestino como um todo” e que sua declaração “beira o racismo”.

Confira nota do Partido Socialista Brasileiro na íntegra:

NOTA DE REPÚDIO | O Partido Socialista Brasileiro – PSB externa o mais amplo repúdio em relação aos recentes comentários do Exmo. Sr. presidente da República, que demonstraram não apenas desapreço pelo povo nordestino como um todo, mas especialmente uma sorte de preconceito que beira o racismo, algo completamente incompatível com a função que exerce. Nesse contexto, que só pode entristecer um país tão acolhedor como é o Brasil, em que pesem as imensas e históricas dificuldades sociais e econômicas, cabe desagravo particular ao Exmo. Sr. governador do Maranhão, Flávio Dino, que foi alvo de uma tentativa de desqualificação, que o brilhantismo de seu governo afasta por completo. O PSB observa que à democracia e aos democratas não interessa em absoluto o divisionismo, que envenenou a história de muitos povos na história contemporânea e que, consequentemente, deve ser combatido onde ele se apresente entre nós. Carlos Siqueira, presidente nacional do Partido Socialista Brasileiro – PSB

 

PB Agora

 

 

Entenda como funciona a Declaração do Imposto de Renda para quem é MEI

Especialista Tributária do GetNinjas esclarece as principais questões dos profissionais

É cada vez maior o número de Microempreendedores Individuais (MEI) no Brasil. De acordo com levantamento da consultoria MEI Fácil, somente entre novembro de 2017 e maio de 2018 houve um crescimento de 17% no número de profissionais nesta modalidade no País em relação ao mesmo período entre 2016 e 2017.

Muitos desses trabalhadores têm dúvidas sobre a obrigatoriedade ou não do envio da Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física. “A Declaração como Pessoa Jurídica é obrigatória para todos os profissionais nesta categoria. No entanto, a Declaração como Pessoa Física não é. Depende do caso”, esclarece a Especialista em Tributos Elisa Mayumi, que atende pelo GetNinjas, maior plataforma de contratação de serviços da América Latina. Abaixo, ela esclarece essas e outras dúvidas sobre o assunto:

Sou MEI, preciso entregar a Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física?

Não necessariamente. O fato de ser MEI não caracteriza a obrigatoriedade de entrega da Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física. A DIRPF é uma declaração ligada a figura do empresário, ou seja, da pessoa física. A Declaração para Pessoa Jurídica, na qual se enquadra o MEI, no entanto, é obrigatória para todos os profissionais que se enquadram nesta categoria.

Sendo MEI, quando devo entregar a Declaração de IRPF?

Você deve fazer a Declaração de IRPF caso se enquadre em qualquer um dos itens abaixo:

– Recebeu rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste na declaração, cuja soma anual foi superior a R$ 28.559,70;

– Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40.000,00;

– Obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;

– Optou pela isenção do imposto sobre a renda incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais, cujo produto da venda seja destinado à aplicação na aquisição de imóveis residenciais localizados no País, no prazo de 180 (cento e oitenta) dias, contados da celebração do contrato de venda, nos termos do art. 39 da Lei nº 11.196, de 21 de novembro de 2005;

– Obteve receita bruta anual em valor superior a R$ 142.798,50 relativa à atividade rural;

– Pretenda compensar, no ano-calendário de 2018 ou posteriores, prejuízos de anos-calendário anteriores ou do próprio ano-calendário de 2018 referentes à atividade rural;

– Teve a posse ou a propriedade, em 31 de dezembro de 2018, de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00;

– Passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês e nessa condição se encontrava em 31 de dezembro de 2018.

Como faço o cálculo de rendimentos para o MEI?

O levantamento é feito com base no cálculo do Lucro Presumido para empresas do MEI. Para fazer essa conta, utiliza-se a apuração da receita bruta anual vezes o percentual de isenção permitido pelo governo, de acordo com cada ramo de atividade desenvolvida:

– 8% para comércio, indústria e transporte de carga

– 16% para transporte de passageiros

– 32% para serviços em geral

O resultado dessa conta será a parcela isenta a ser informada na declaração de Imposto de Renda. No documento, é importante que o profissional acrescente essa informação na ficha “Rendimentos Isentos – Lucros e Dividendos Recebidos pelo Titular”.

Após este primeiro passo, calcula-se o rendimento tributável: receita bruta anual menos as despesas comprovadas da atividade (água, luz, aluguel, telefone e outras despesas consideradas imprescindíveis para execução de suas atividades) menos a parcela isenta, calculada anteriormente.

Este resultado será a parcela tributável do lucro que pode ser maior ou não a R$ 28.559,70. Caso o rendimento ultrapasse este valor, deverá ser informado na ficha “Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica”.

EXEMPLO

Uma empresa optante pelo MEI obteve receita anual no valor de R$ 40.000,00. Sua atividade é de transporte de passageiros e suas despesas comprovadas somam o total de R$ 10.000,00. O percentual de isenção aplicado será de 16% e o cálculo será:

Rendimentos Isentos: 40.000,00 x 16% = 6.400,00

Rendimentos Tributáveis: 40.000,00 – 10.000,00 – 6.400,00 = 23.600,00.

Neste exemplo, os rendimentos tributáveis não ultrapassaram R$ 28.559,70 e, caso o empresário não se enquadre em nenhum outro critério previsto na norma da Declaração, não estará obrigado a efetuar a entrega.

Sobre o GetNinjas

Disponível para Android, iOS e web, o GetNinjas (www.getninjas.com.br) foi eleito, em 2017,pela Forbes Brasil como uma das empresas mais promissoras do Brasil. Atualmente, possui mais de 200 tipos de serviços disponíveis, entre eles estão profissionais das áreas de reformas, moda e beleza, assistência técnica, serviços domésticos, aulas, eventos, entre outros. A empresa, que recebeu R$ 47 milhões de aporte de fundos como Monashees, Kaszek e Tiger Group, já está presente em mais de 3 mil cidades do Brasil, registra cerca de 2 milhões de pedidos de serviços ao ano, e conta com mais de 500 mil profissionais cadastrados. O GetNinjas foi fundado em 2011 por Eduardo L’Hotellier, que atua como CEO – à frente das operações.

 

Após declaração de Bolsonaro, Ricardo Vélez diz que não vai entregar o cargo de ministro da Educação

O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, disse nesta sexta-feira (5), que não vai entregar o cargo. A declaração foi dada em Campos de Jordão, em um fórum empresarial.

“Olha, pretendo participar do fórum. Não vou entregar o cargo”, disse o ministro.

Nesta sexta, Bolsonaro participou de um café da manhã com jornalistas convidados e sinalizou que na segunda-feira pode demitir o ministro.

“Eu falei que eu estou com a aliança na mão direita. Na segunda-feira eu passo para a esquerda ou na gaveta, só isso. Tem reclamações, etc, a gente está conversando já para ver se resolve o problema”, ressaltou.

A crise interna no Ministério da Educação se arrasta há meses. Desde o início do ano, 14 pessoas foram desligadas do Ministério da Educação, entre exonerações e pedidos de demissão, o que demonstra intensa instabilidade no MEC, pasta que tem um dos maiores orçamentos do governo federal.

O jornalista e filósofo Olavo de Carvalho, que indicou Vélez para o comando da pasta, chamou-o de “traiçoeiro” nas redes sociais e disse, ainda, que não lamenta “se o botarem para fora do ministério”.

Agência Rádio 

 

 

Menos de 39 mil contribuintes paraibanos enviaram declaração de Imposto de Renda

Pouco mais de uma semana após a abertura do prazo para envio das declarações de Imposto de Renda, somente 38.526 contribuintes paraibanos já cederam suas informações à Receita Federal. A informação é da delegacia da Receita Federal em João Pessoa de acordo com boletim emitido às 12h15 desta segunda-feira (18).

Ao todo, são aguardadas 300 mil declarações de Imposto de Renda entregues por contribuintes paraibanos durante o prazo da Receita Federal. O prazo para enviar a declaração começou no dia 7 de março e segue até 30 de abril.

A expectativa da Receita é receber 30,5 milhões de declarações em todo o país. No ano passado, foram feitas 29,27 milhões de declarações.

A declaração pode ser elaborada de três formas: pelo computador, por meio do PGD IRPF2019, disponível na página da Secretaria da Receita Federal do Brasil na internet.

Também é possível fazer a declaração por meio de dispositivos móveis, como tablets e smartphones. O acesso é pelo aplicativo Meu Imposto de Renda, que ficará disponível nas lojas de aplicativos Google play, para o sistema operacional Android, ou App Store, para o sistema operacional iOS. Segundo a Receita, o aplicativo para a declaração deste ano ficará disponível ao longo do dia de hoje, sem um horário definido.

O contribuinte que tiver dúvidas na hora de fazer sua Declaração do Imposto de Renda pode recorrer ao Perguntas e Respostas 2019, disponibilizado no site da Receita Federal: https://idg.receita.economia.g…

Está obrigado a apresentar a declaração anual o contribuinte que, no ano-calendário de 2018, recebeu rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste na declaração, cuja soma foi superior a R$ 28.559,70 e, em relação à atividade rural, obteve receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50. Está obrigada a apresentar a declaração também a pessoa física residente no Brasil que, no ano-calendário de 2018 tenha recebido rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil.

Uma novidade é que neste ano o processamento da declaração será mais rápido. O contribuinte pode ter acesso ao status do processamento na noite em que fez a declaração ou no dia seguinte. Assim, já será possível verificar pendências. Entretanto, segundo o supervisor nacional do Imposto de Renda da Receita Federal, Joaquim Adir, o contribuinte deve esperar um pouco se verificar alguma inconsistência porque pode haver casos em que a empresa empregadora ou plano de saúde atrase o envio de dados. “O que libera a declaração sãos os cruzamentos feitos pela declaração. Espere um pouco mais”, disse.

Neste ano, é obrigatório o preenchimento do número do CPF de dependentes residentes no país. A Receita vinha incluindo essa informação gradualmente na declaração. No ano passado, era obrigatório informar CPF para dependentes a partir de 8 anos.

Multa     

Quem não entregar a declaração está sujeito à multa de 1% ao mês-calendário ou fração de atraso, lançada de ofício e calculada sobre o total do imposto devido nela apurado, ainda que integralmente pago.

A multa terá valor mínimo de R$ 165,74 e valor máximo correspondente a 20% do Imposto sobre a Renda devido. A multa mínima será aplicada inclusive no caso de declaração de Ajuste Anual da qual não resulte imposto devido.

 

clickpb

 

 

TRF4 rejeita embargos de declaração do ex-presidente Lula

Edilson Dantas / Agência O Globo

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) rejeitou por 3 votos a 0, nesta segunda-feira, 26, o embargo de declaração do ex-presidente Lula contra o acórdão que o condenou a 12 anos e um mês de prisão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso triplex. Com a decisão unânime da Corte de apelação da Operação Lava Jato, o petista poderia ser preso. Lula, no entanto, tem sua liberdade garantida pelo menos até 4 de abril quando o Supremo Tribunal Federal (STF) vai analisar um habeas corpus preventivo.

Na quinta-feira, 22, o Supremo concedeu um salvo-conduto a Lula, impedindo eventual ordem de prisão contra o ex-presidente no caso triplex. O documento só tem validade para este processo.

A sessão do Tribunal da Lava Jato foi aberta por volta das 13h30 e não teve transmissão nem por vídeo e nem por áudio. Votaram os desembargadores João Pedro Gebran Neto, relator, Leandro Paulsen e Victor Laus.

Os magistrados começaram a apreciar o recurso de Lula às 13h50.

O desembargador Gebran Neto, relatou da Lava Jato, leu todos os itens de omissões e obscuridades apontados pela defesa do ex-presidente. O magistrado conheceu em parte os embargos e deu parcial provimento sem conhecer qualquer alteração na sentença. Gebran Neto retificou os pontos que tratam do nome da OAS.

Victor Laus e Leandro Paulsen acompanharam na íntegra o voto de Gebran Neto.

Os advogados do petista entregaram o embargo de declaração no dia 20 de fevereiro. Por meio do recurso, sua defesa questiona ‘obscuridades e omissões’ no acórdão do TRF-4 que impôs ao ex-presidente a pena de prisão em 24 de janeiro.

Na primeira instância, o ex-presidente havia sido condenado pelo juiz Sérgio Moro a 9 anos e 6 meses de prisão.

Após a publicação do acórdão do embargo de declaração, a defesa pode, em até 12 dias, entrar com outro embargo de declaração relativo ao recurso anterior. Este novo embargo também é analisado pelos desembargadores.

A defesa de Lula tem direito ainda a entrar com Recurso Especial perante o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e com Recurso Extraordinário no Supremo Tribunal Federal.

Esses recursos devem ser apresentados simultaneamente e não têm efeito suspensivo.

Os advogados podem, no entanto, pedir a suspensão do envio do cumprimento da medida para Curitiba, base da Lava Jato, enquanto as Cortes em Brasília não julgarem os pedidos.

Fonte: Estadão conteúdo

Na Câmara, Luiz Couto parabeniza padre Adauto por declaração contra Temer na missa

Em pronunciamento na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF), Luiz Couto (PT-PB) elogiou a atitude do Padre Adauto, da Paróquia de Pirpirituba. Na semana passada, o religioso falou sobre a crise política brasileira e chegou a citar nominalmente os deputados nos quais os

católicos não devem votar.

“O Padre Adauto é um homem que tem uma sensibilidade muito grande com aquilo que acontece no meio do povo. Indignado com a situação daqueles que votaram pela não investigação do Presidente da República Michel Temer, ele se manifestou em uma celebração, revelando o nome dos paraibanos que foram infiéis à vontade do povo, que queria o afastamento do Presidente Michel Temer”, disse Couto.

O parlamentar petista parabenizou o colega de batina e ressaltou que ele exerceu um papel importante. “A população o aplaudiu naquele momento porque não aceita que haja dois pesos e duas medidas porque muitos parlamentares disseram: sou contra a corrupção, mas o Presidente vai ser julgado depois, quando ele sair.

Ora, esse é o reconhecimento de que, de fato, as denúncias são robustas, são gravíssimas. Não há como não votarmos quando chegar a nova denúncia para o afastamento do Presidente Michel Temer, para que, de fato, o povo brasileiro possa saber que, no Brasil, quem comete crime tem que ser punido, tem que ser julgado, tem que ser condenado, tem que pagar a pena. E, na justiça, vai ter o direito ao contraditório, vai ter o direito à defesa”, declarou Luiz Couto.

Para o deputado petista, é um motivo de honra o discurso do Padre Adauto: “Ele é um homem de muita fé e está antenado com as questões do nosso País e o Brasil precisa ter cada vez mais pessoas como ele, que trabalham na perspectiva de fazer com que o país possa ter um quadro diferente, condenando aqueles que cometem crimes”.

A recomendação do Padre Adauto, de Pirpirituba, foi para que os eleitores não mais votem em Aguinaldo Ribeiro, André Amaral, Benjamin Maranhão, Efraim Filho, Hugo Motta, Rômulo Gouveia e Wilson Filho. A referência foi ao fato dos seis primeiros terem votado contra a investigação a Michel Temer, enquanto o último não compareceu à sessão e alegou ter perdido o voo para a capital federal.

Assessoria

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br