Arquivo da tag: Decisivo

Copa do Brasil: em duelo decisivo, Botafogo-PB enfrenta o Fluminense nesta quarta, no Rio de Janeiro

Hoje tem Paraíba na Copa do Brasil. Fluminense e Botafogo-PB decidem nesta quarta-feira (4) quem segue vivo na disputa por uma das taças mais cobiçadas do futebol nacional. Em duelo mata-mata, as duas equipes se enfrentam às 19h15 (de Brasília), no Maracanã, em jogo único com mando de campo decidido por sorteio e sem vantagem. Qualquer empate leva a decisão para os pênaltis.

Na primeira fase, os dois times tinham a vantagem do empate, e o Belo tirou proveito dela para passar pelo Atlético-BA após 0 a 0 na Bahia. Por sua vez, o Fluminense goleou o Moto Club por 4 a 2 no Maranhão. Quem seguir no torneio vai encarar o Figueirense, que eliminou o Vitória-ES.

Como vem os times

O Fluminense do técnico Odair Hellman armou um meio de campo diferente para aumentar o poder de criação do time, que precisa fazer gols para buscar a classificação e não repetir o trágico roteiro da Copa Sul-Americana. No último treino, o técnico testou uma formação com Hudson de primeiro volante e Yago de segundo, além da volta de Nenê, poupado domingo contra o Madureira. Mantido na equipe, Marcos Paulo deve atuar no ataque. A surpresa pode vim do banco com o meia Paulo Henrique Ganso recuperado de lesão.

Quem está fora? Frazan (cirurgia no joelho).

Provável escalação: Muriel; Digão, Nino, Egídio e Gilberto; Hudson, Yago, Marcos Paulo, Welligton Silva e Nenê; Evanilson.

 

Belo preparado

O Botafogo-PB do técnico Evaristo Piza deve entrar em campo com o time base que empatou com o Ceará, na última quarta, pela Copa do Nordeste. Ele tem três desfalques certos: o goleiro Felipe, que ainda não estreou, vetado no dia da viagem com uma lombalgia; o meia Enercino, ainda entregue ao departamento médico com dores musculares; e o atacante Kelvin, que vinha sendo titular até sofrer uma luxação no cotovelo esquerdo. A boa notícia fica por conta da volta do lateral-esquerdo Mário, recuperado de lesão.

Quem está fora? Felipe (lombalgia), Enercino (dores musculares) e Kelvin (luxação no cotovelo)

Provável escalação: Samuel; Luis Gustavo, Fred, Mário e Léo Moura; Rogério, Everton Heleno, Cássio Gabriel, Juninho e Rodrigo Andrade; Lohan.
Retrospecto entre os times

Esse será o quinto confronto entres clubes na história. E o retrospecto é amplamente favorável ao Tricolor das Laranjeiras, que venceu em três oportunidades. O outro duelo entre as duas equipes terminou empatado.

O primeiro jogo entre os times paraibano e carioca foi em 1976, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro daquele ano. Na ocasião, o Fluminense bateu o Botafogo-PB por 3 a 0, no Maracanã, pela primeira fase do torneio nacional, no dia 22 de setembro daquele ano.

Também pudera. O cenário era bem complicado para o Belo naquele confronto. Estamos falando da Máquina Tricolor, que em 1976 já tinha Rivelino, Carlos Alberto Torres, Doval e Paulo César Caju. Os gols da vitória do Flu foram marcados por Doval, duas vezes, e pelo Capita, Carlos Alberto Torres.

O segundo confronto entre as duas equipes foi o primeiro realizado em João Pessoa. Em um amistoso, no dia 19 de março de 1978, novamente o Fluminense levou a melhor, vencendo a partida por 1 a 0, na Paraíba. O gol da vitória foi feito por Luís Carlos.

Em 1980, pelo Campeonato Brasileiro, os clubes fizeram dois confrontos na segunda fase. O Botafogo-PB era uma das sensações da competição, já que tinha batido na primeira fase o Flamengo de Zico e o Internacional de Falcão. Por isso, ficou conhecido na época como o Matador de Tricampeões, apelido dado pela Revista Placar a um dos maiores times da história do clube paraibano em alusão ao fato de que o Rubro-Negro carioca e o Colorado gaúcho vinham de três títulos seguidos em seus respectivos estaduais.

Contra o Flu, o Belo não teve a mesma competência que teve contra o Fla. No jogo de ida, no Almeidão, em João Pessoa, no dia 17 de abril, a partida terminou empatada por 1 a 1. Marquinhos marcou para a equipe paraibana, enquanto que Tulica fez o gol do Tricolor.

No jogo de volta, no dia 3 de maio, no Maracanã, melhor para o time da casa, que goleou o Belo por 4 a 0, com gols de Tulica, Cristóvão Borges, Robertinho e Zezé.

Na partida de João Pessoa, em 1980, quem estava em campo pelo Botafogo-PB era o meia Magno, ídolo do clube e um dos jogadores que estiveram na vitória do Belo sobre o Flamengo, no Maracanã, naquele mesmo ano, pela mesma competição. Agora, como homenagem, o clube paraibano convidou o jogador para ser o chefe de delegação do Alvinegro da Estrela Vermelha na partida contra o Fluminense.

Para passar de fase, o Botafogo-PB vai ter que escrever mais uma nova história épica no templo maior do futebol mundial. Para isso, uma vitória, que seria a primeira do clube de João Pessoa na história do confronto, garante a passagem de fase para a terceira fase da Copa do Brasil. Já o Fluminense vai em busca de manter o retrospecto, vencendo mais uma no Rio de Janeiro diante do time paraibano. O empate leva a decisão da vaga para os pênaltis.

GE

 

BAND Nordeste anuncia transmissão de jogo decisivo do Botafogo-PB contra o Náutico

A BAND Nordeste transmitirá o jogo decisivo entre o Botafogo-PB e o Náutico que ocorrerá neste sábado, às 17h, no estádio Almeidão. A partida é válida pela Série C do Campeonato Brasileiro.

A fase de grupos está na reta final e o confronto é decisivo na trajetória do Belo. O clube pessoense e o Náutico estão brigando na parte de cima da tabela e toda vitória é essencial para garantir a vaga no mata-mata.

Além da Band, as emoções do jogo também estarão disponíveis no DAZN.

Portal WSCOM

 

 

Palmeirenses esgotam ingressos para jogo decisivo contra o Inter

Rivaldo Gomes/Folhapress
Rivaldo Gomes/Folhapress

A derrota para o Santos no sábado não desanimou a torcida do Palmeiras. No fim da manhã desta segunda-feira, o clube de Palestra Itália divulgou a última parcial de ingressos para a partida de domingo, às 17h (de Brasília), contra o Internacional, no Allianz Parque. Todos os setores disponíveis da arena estão esgotados para o duelo.

Segundo números apresentados pelo Palmeiras, mais de 30 mil ingressos foram vendidos para o confronto diante do Inter, válido pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Os setores Gol Sul, Central Leste e Oeste e Superior não possuem mais entradas para o jogo. Estão disponíveis ingressos apenas para o lado dos visitantes, disponíveis no dia da partida nas bilheterias do Allianz Parque.

As vendas só serão retomadas por intermédio do site Futebol Card e nos postos de venda relacionados logo abaixo em caso de devoluções e desistências por parte dos palmeirenses.

O setor Gol Norte, pela última vez neste campeonato, seguirá fechado por determinação do Superior Tribunal de Justiça Desportiva. Nos últimos dois compromissos em casa, diante de Chapecoense e Botafogo, o local mais popular do Allianz Parque será reaberto.

 

O revés do último sábado deixou o Palmeiras com 67 pontos, cinco a mais do que o vice-líder Flamengo. Restam apenas cinco compromissos para o final do Campeonato Brasileiro.

Confira os postos de venda:

Bilheterias do Allianz Parque (Rua Palestra Italia – Portão A) – SOMENTE DIA DO JOGO
Endereço: Rua Palestra Italia, 214
Perdizes – São Paulo/SP
CEP 05005-030
Horário de atendimento: dia 06 de novembro, das 10h até o intervalo da partida
*Disponível para venda de ingressos, retiradas e trocas de meia-entrada

Bilheterias do Allianz Parque (Av. Francisco Matarazzo – Portão B)
Endereço: Avenida Francisco Matarazzo, 1705
Água Branca – São Paulo/SP
Horário de atendimento: dias 03, 04 e 05 de novembro, das 10h às 17h, e dia 06, das 10h até o intervalo da partida
*Disponível para venda de ingressos, retiradas e trocas de meia-entrada

Bilheterias do Allianz Parque (Rua Padre Antônio Tomás – Portão C) – SOMENTE DIA DO JOGO
Endereço: Rua Padre Antônio Tomás
Água Branca – São Paulo/SP
Horário de atendimento: dia 06 de novembro, das 12h até o intervalo da partida
*Disponível para venda de ingressos, retiradas e trocas de meia-entrada

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Brasil sofre virada para França em jogo decisivo e cai no basquete feminino

À espera de um milagre, o Brasil entrou em quadra em busca de uma luz no fim do túnel. Embora improvável, ainda havia uma esperança de classificação, no entanto, era preciso derrubar a França, atual vice-campeã olímpica, nesta quinta-feira, na Arena da Juventude, em Deodoro. Apesar do bom começo no jogo de vida ou morte, a seleção brasileira desperdiçou a vantagem de sete pontos no primeiro quarto e sofreu outra virada, desta vez, por 74 a 64, sendo eliminada da Olimpíada. O time comandado por Antonio Carlos Barbosa ainda faz a sua despedida contra a Turquia, neste sábado, as 15h30 (de Brasília), apenas para cumprir tabela pelo grupo A. Respirando por aparelhos na fase preliminar, o Brasil poderia se classificar dependendo de uma combinação de resultados, porém, tinha a obrigação de vencer as duas últimas partidas chave.

Brasil x França - Basquete feminino - Rio 2016 (Foto: Marko Djurica/Reuters)Brasil precisava vencer a França para sonhar com chances de classificação (Foto: Marko Djurica/Reuters)

Embora tenha amargado mais um revés na Rio 2016, Damiris foi a cestinha da partida, com 21 pontos. Jogando como ala, a paulista de Ferraz pegou quatro rebotes, teve quatro roubadas de bola e dois tocos, sendo um dos maiores destaques do Brasil, ao lado de Clarissa, com um duplo-duplo: 16 pontos e 10 rebotes. Iziane começou bem, mais caiu de rendimento no segundo tempo e anotou seis pontos. As cestas de três poderiam ter feito a diferença, contudo, a equipe acertou apenas três em 10 tentativas (30%) – e 18 entre 40 para as de dois (45%).

As francesas fizeram do jogo coletivo a sua grande arma. Lideradas pela craque Gruda, com um duplo-duplo (17 pontos e 10 rebotes), as vice-campeãs em Londres 2012 contaram com boas atuações de outras peças fundamentais no ataque, como Gaelle Skrela (17), Isabelle Yacoubou (10) e Endy Miyem (10), com 100% de aproveitamento nos chutes de longa distância.

O JOGO

A pressão pelas derrotas para Austrália, Japão e Belarus parecia não pesar para Iziane. Em um início promissor, a ala anotou os quatro primeiros pontos do Brasil. Damiris acertou da linha dos três, e a seleção surpreendeu a França com 7 a 0. O time comandado por Barbosa trabalhava bem a bola e fechava a defesa. As vice-campeãs olímpicas demoraram quase quatro minutos para marcar a primeira, com Endy Miyem, de três. Com a mão quente, Damiris ampliou para 9 a 3, porém, as francesas reagiram e encostaram: 12 a 10. As brasileiras voltaram a abrir sete pontos (17 a 10), e a técnica Valerie Garnier colocou a craque Sandrine Gruda, no banco desde o começo. A pivô chamou a responsabilidade, anotou quatro pontos, e contou com a ajuda de Miyem, que anotou outra cesta de três para colar nas adversárias: 20 a 17. No estouro do cronômetro, Bouderra acertou de longe e empatou por 20 a 20 no fim do primeiro quarto.

Brasil x França - Basquete feminino - Rio 2016 (Foto: Marko Djurica/Reuters)Jogadora brasileira cai em quadra em partida contra a França (Foto: Marko Djurica/Reuters)

A seleção brasileira voltou a abrir uma diferença graças aos arremessos certeiros de Clarissa, Érika e Damiris (29 a 24). A resposta não demorou. Skrela, de três, e Yacoubou, de dois, deixaram tudo igual e voltaram a complicar o Brasil: 29 a 29. Ganharam moral e, pela primeira vez, assumiram a frente do placar com Gruda, que virou por 31 a 29, levando Barbosa a pedir tempo. O jogo mudou, e as francesas assumiram o controle, com as brasileiras sem pontuar por 5m48s. No fim do segundo quarto, uma falha na defesa deixou Ayayi totalmente livre para marcar: 35 a 23. Damiris foi responsável por 14 pontos do Brasil no primeiro tempo e carregava o time nas costas. Uma das poucas que a ajudava era Iziane (5), mas, não o suficiente. Clarissa e Érika até iam bem nos rebotes, contudo, não traziam grande poder ofensivo. A França, por sua vez, era mais constante e mantinha o bom nível de jogo com as titulares e as reservas.

As francesas faziam do jogo coletivo o seu diferencial, ampliando aos poucos a vantagem, seja com Gruda, Epoupa ou Skrela. Inspirada, Damiris virava tudo e tentava reverter o prejuízo como podia, porém, as companheiras continuavam apáticas. Érika contribuiu um pouco, mas a diferença era cada vez maior. E foi para 14 pontos nos chutes de três de Kamba e Ayayi: 53 a 39. A torcida tentou levantar a moral do time da casa e puxou o coro de: “Eu acredito!”. As brasileiras ainda esboçaram uma reação, liderada por Clarissa, diminuindo para 57 a 48, após uma cesta de Kelly. Na sequência, Joice cresceu diante das rivais, infiltrou bem no garrafão e acertou um belo arremesso, mas o tempo havia se esgotado no terceiro quarto e a jogada não valeu.

No último quarto, a torcida era o sexto jogador e se dividia entre os gritos de apoio às brasileiras e as vaias para as francesas. Sem a presença da armadora Céline Dumerc, cortada às vésperas dos Jogos por conta de uma lesão no tornozelo, a estrela Gruda ia ditando o ritmo da partida e tornando o caminho do Brasil cada vez mais dramático. Damiris e Clarissa tentavam melhorar a situação, mas a distância parecia não ter fim. Os arremessos de três, que poderiam fazer a diferença, como o de Iziane no minuto final, não entravam. Na beira da quadra, Barbosa batia palmas e dizia palavras de motivação, mas nada adiantava. Nos últimos segundos, a torcida francesa comemorava a vitória. Clarissa e Érika ainda marcaram, mas já era tarde, e a França fechou o placar com 10 pontos de diferença: 74 a 64.

TURQUIA DERROTA BELARUS

Depois um início complicado na Olimpíada, as turcas e as bielorrussas se recuperaram com uma vitória e entraram em quadra para medirem forças em um jogo-chave pela classificação. Em uma batalha de nervos, marcada pelo equilíbrio,a Turquia deu um passo adiante ao vencer as rivais por 74 a 71. Com o segundo triunfo no torneio de basquete, o time deixou Belarus em uma situação difícil, com três derrotas e apenas um resultado positivo. As bielorrussas abriram logo 8 a 0 no placar, fechando o primeiro quarto por 19 a 13. As trucas se recuperaram com as bolas precisas de três pontos de Sebnem Nezahat Kimyacioglu, que empatou em 33 a 33 antes de irem aos vestiários para o intervalo. O equilíbrio deu o tom da disputa até o fim. As jogadoras de Belarus falharam arremessos importantes na reta final, e as turcas selaram a vitória.

globoesporte

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

DUELO DECISIVO: Campinense enfrenta Auto Esporte na luta pela liderança do Campeonato Paraibano

jogoCom 12 pontos na tabela e ocupando a 3º colocação no primeiro turno do Campeonato Paraibano 2014, o Campinense volta a campo neste sábado (01) para enfrentar o Auto Esporte em jogo que pode representar a liderança temporária da competição. A partida acontece às 18h15 no Amigão, e será válida pela sétima rodada do Estadual. Depois da vitória por 3 a 1 contra o CSP, o técnico Leandro Machado teve três dias de intervalo para treinar a equipe para o duelo deste sábado. A liderança do estadual está em jogo, já que o Macaco Autino tem os mesmos 12 pontos do rubro-negro, estando o Sousa na ponta com 14.

CURTA O FOCANDO O ESPORTE NO FACEBOOK

Para o duelo contra o Auto, Leandro Machado ganha duas opções para o ataque. O recém contratado Wanderley está regularizado e já treinou com o grupo, enquanto o também atacante Valdo, recuperado de lesão, está relacionado para a peleja. Em compensação, a Raposa não vai poder contar com uma de suas principais peças.

Homem da bola parada, o lateral direito Osvaldir levou o terceiro cartão amarelo ante o CSP e cumpre suspensão hoje. Na mesma situação está o zagueiro Victor Cardozo. Zé Leandro e David Queiroz, respectivamente, são os substitutos. Os jogadores sabem da importância da partida e por isso prometem empenho para sair de campo com os três pontos. “Sabemos que será um jogo difícil, já que o Auto Esporte faz um bom campeonato e é vice líder. Mas vamos tentar nos impor dentro de campo e fazer valer a força do mando de campo para conquistar os três pontos” disse o Danilo Portugal.

O zagueiro Moacri, um dos destaques do time na temporada, também promete raça para fazer valer o mando de campo e assim se manter com chances de conquistar uma das duas vagas para a final do Estadual. “Será um jogo bem disputado mas a nossa equipe está consciente do papel e da importância de não perder pontos em casa” disse.

Apesar do time ainda não ter feito uma apresentação convincente, a torcida promete comparecer ao estádio e empurrar os jogadores a mais uma vitória.A  diretoria do Campinense manteve o preço do ingresso aos R$ 30,00 na geral, único setor liberado para o torcedor no Amigão.

Pelo lado do Auto Esporte o ambiente não é dos melhores. Mesmo após três vitórias seguidas no certame, os jogadores alvirrubros reclamam de atrasos nos salários. O elenco chegou a ameaçar entrar em greve, e de não jogar hoje contra o Campinense.

Em conversa com o grupo, o técnico Jazon Vieira pediu pela diretoria um voto de confiança aos jogadores. De acordo com o lateral direito Gustavo, os atletas decidiram atender ao chamado do professor “por consideração ao comandante”.

Arbitragem José Renato Soares (CBF/João Pessoa) é o árbitro central de Campinense x Auto Esporte, contando com as assitências de Kildenn Tadeu (CBF/Patos) e Oberto Santos (CBF/Santa Rita).

Prováveis escalações Campinense: Ivan, Zé Leandro, Moacri, David Queiroz e Adriano Chuva; Wellington, Talysson, Danilo Portugal e Thiago Ferreira; Bina e Wanderley. Técnico: Leandro Machado.

Auto Esporte: Robson, Gustavo, Júlio, Léo Oliveira e Danilo Itaporanga; Edmilson, Dimas, Mael, Josimar; Léo Olinda e Léo Lima. Técnico: Jazon Vieira

Severino Lopes 

PBAgora

Sem mistério, treinador define o time titular do Campinense para jogo decisivo

Oliveira Canindé só fez uma mexida no time titular(Foto: Magnus Menezes / Jornal da Paraíba)
Oliveira Canindé só fez uma mexida no time titular
(Foto: Magnus Menezes / Jornal da Paraíba)

O técnico Oliveira Canindé, do Campinense, decidiu não fazer mistério para o segundo e decisivo duelo contra o Fortaleza. O jogo acontece às 16h deste domingo, no Estádio Amigão, em Campina Grande, e vale vaga na final da Copa do Nordeste. O classificado enfrentará Ceará ou ASA de Alagoas. Os dois jogos que definem o campeão da competição serão nos dias 10 e 17 de março.

No treino tático seguido de coletivo que comandou nesta sexta-feira no local do embate com o Leão do Pici, o comandante rubro-negro confirmou apenas a entrada de João Paulo na lateral direita. Ele vai substituir Tiago Granja, suspenso com três cartões amarelos.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Nos demais setores, Oliveira manteve os mesmos jogadores que atuaram no jogo de ida, quando a Raposa perdeu por 2 a 1 na Arena Castelão. Com o resultado, o time paraibano precisa de uma vitória simples (1 a 0) ou por dois ou mais gols, enquanto o Fortaleza joga pelo empate.

O time titular que começou o treino foi: Pantera, João Paulo, Edvânio, Roberto Dias e Panda; Wellington, Dedé, Glaybson e Bismarck; Zé Paulo e Jefferson Maranhense. Durante a atividade, Oliveira aproveitou para ajustar o esquema tático e ensaiar jogadas. Cobranças de pênalti também foram efetuadas pelos atletas, já que, em caso de vitória do Campinense por 2 a 1 a vaga vai ser decidida nas penalidades máximas.

Após o treino, o treinador demonstrou muita confiança na sua equipe para a decisão de domingo dentro de casa.

O time está pronto, preparado. Os jogadores sabem o que vão fazer em campo. Precisamos entrar em campo acesos, buscando a vitória”
Oliveira Canindé

– O time está pronto, preparado. Os jogadores sabem o que vão fazer em campo. Precisamos entrar em campo acesos, buscando a vitória. Mas também com os cuidados redobrados porque o Fortaleza, mesmo com essa vantagem do empate, virá tentar “matar” o jogo logo no primeiro tempo – disse Oliveira Canindé.

O elenco raposeiro fará um treino recreativo neste sábado pela mannhã, no Estádio Renatão. Em seguida, a comissão técnica relaciona os 18 jogadores que entrarão em regime de concentração até a hora da decisão com o Tricolor do Pici.

 

 

Globoesporte.com

Decisivo, Emerson marca e salva Timão da derrota para a Ponte

Herói do título da Libertadores, Emerson voltou a ser decisivo no Corinthians. É bem verdade que o interesse pelo Campeonato Brasileiro não é o mesmo, mas Sheik se transformou em salvador nesta quarta-feira. Depois de dois jogos ausente por causa de uma lesão na coxa direita, o atacante retornou para, aos 44 minutos do segundo tempo, impedir a derrota do Timão para a Ponte Preta, no Pacaembu. A Macaca, que jogou melhor, pressionou e teve dois gols anulados, falhou na marcação o último lance de perigo da partida e jogo terminou 1 a 1.

O resultado deixa os alvinegros em situações semelhantes na classificação do Brasileirão. O Corinthians permanece na nona colocação, com 32 pontos, mesmo número da Macaca, posicionada logo abaixo. A vantagem dos paulistanos está no saldo de gols: o Timão tem dois; a Macaca, menos dois.

As equipes voltam a jogar no domingo. O Corinthians faz o clássico contra o Palmeiras, às 16h (horário de Brasília), no Pacaembu. A Ponte Preta recebe o Botafogo, às 18h30m, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas.

Macaca joga melhor, mas Emerson salva o Corinthians

Tite garantiu na entrevista coletiva de terça-feira, no CT Joaquim Grava, que o Corinthians não seria surpreendido pela maneira de atuar da Ponte Preta. Mas foi. Assim como aconteceu no Campeonato Paulista, quando foi eliminado pela Macaca nas quartas de final, o Timão encontrou muita dificuldade para passar pela forte marcação e fez um primeiro tempo bem abaixo daquele das últimas partidas disputadas no Pacaembu.

A “blitz” imposta na vitória sobre o Grêmio, com dois gols em dez minutos, esbarrou no ferrolho montado por Gilson Kleina. A Macaca parou o campeão da América com eficiência. Renê Junior e Nikão bloquearam as saídas dos laterais corintianos. Marcinho e Cicinho travaram os volantes, fazendo com que os meias Danilo e Douglas fossem pouco acionados. O time de Campinas chegou até a balançar as redes, aos 29 minutos, com Tiago Alves, mas o lance foi invalidado, pois o jogador estava impedido.

Emerson foi quem mais lutou por espaço, mas também teve problemas para abrir a defesa da equipe de Campinas, principalmente pela baixa produtividade de seu companheiro ofensivo, Romarinho. Sem espaço por baixo, a equipe arriscou 16 cruzamentos para a área. O melhor que conseguiu, porém, foi um chute perigoso de Douglas, passando perto da trave. A Ponte também chegou apenas uma vez, com Roger assustando Cássio ao bater cruzado na área.

Emerson Corinthians x Ponte Preta (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Tiago Alves, autor do gol da Ponte, disputa bola com Emerson (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

A expectativa pela reação do Corinthians acabou logo nos primeiros minutos. O Timão voltou a ter os mesmos problemas para criar e, de quebra, passou a abrir espaços na defesa. Foi através deles que a Ponte Preta passou a controlar a partida e a levar perigo. Marcinho, finalizando de longe, Nikão, em grande defesa de Cássio, e Roger, chutando o chão dentro da área, estiveram perto de marcar. Aos 19 da segunda etapa, outro gol da Ponte anulado. Roger recebeu belo lançamento de Marcinho e mandou para as redes. No entanto, estava adiantado e a arbitragem assinalou o impedimento.

Tite tentou dar mais velocidade à equipe com a entrada de Jorge Henrique no lugar de Douglas. Nada mudou. A Macaca seguiu melhor e chegou ao gol, aos 22 minutos. Em cobrança de falta ensaiada, Nikão levantou a bola para a área, Renê Júnior desviou e Tiago Alves completou no canto esquerdo de Cássio.

Não restou outra alternativa ao Corinthians a ser não sufocar. Guilherme, em chute de longa distância, quase empatou pouco depois do gol. Giovanni, que fez o primeiro da carreira de profissional contra o Grêmio, por muito pouco não igualou o placar chutando cruzado, após Romarinho pedir pênalti em dividida com Ferron.

O alívio veio aos 44 minutos. Emerson foi lançado em profundidade na área e tocou por cobertura. Edson Bastos ainda desviou, mas a bola entrou mansamente, salvando o Corinthians da derrota em casa e frustrando os planos da Ponte, que, dessa vez, não conseguiu ser o carrasco do Timão no Pacaembu.

Globoesporte.com

Dilma afirma que Brasil deu passo decisivo ao aprovar Lei de Acesso à Informação


A presidenta Dilma Rousseff disse nesta terça (17) que o Brasil deu um passo decisivo ao aprovar a Lei de Acesso à Informação que entra em vigor no dia 16 de maio.
“Trata-se de uma das leis mais avançadas de transparência ativa e passiva adotando padrões de dados abertos para divulgação de informações. As informações devem ser abertas por Executivo, Legislativo e Judiciário e todos os níveis de governo. Todos os brasileiros poderão consultar documentos produzidos pela administração pública que deverão ser produzidos com linguagem simples”, disse a presidenta durante discurso na abertura da 1ª Conferência Anual de Alto Nível da Parceria para um Governo Aberto (cujo nome, em inglês, é Open Government Partnership).
Dilma defendeu ainda a gestão qualificada dos gastos públicos e a transparência da informação como forma de reduzir a corrupção. “Queremos também aprimorar a qualidade do gasto público, reduzir gastos e racionalizar processos.”
“O bom uso dos recursos públicos, a eficiência e combate à corrupção são duas faces da mesma moeda que devem caminhar juntas”, completou.
A presidenta cobrou também a transparência e regulação do setor financeiro. “Quando não há monitoramento e regulação adequados os fluxos financeiros são passíveis de manipulação com prejuízos para toda a economia mundial e para as conquistas sociais dos países”, disse. A parceria para o governo aberto reúne apenas governos e organizações da sociedade civil.
Diante de representantes de mais de 50 países e da secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, a presidenta Dilma Rousseff citou alguns dos mecanismos do governo brasileiro que permitem aos cidadãos o monitoramento, via internet, dos gastos públicos, como o Portal da Transparência.
A 1ª Conferência Anual de Alto Nível da Parceria para um Governo Aberto tem o objetivo de alcançar avanços concretos nos compromissos assumidos pelos governos para garantir maior acesso às informações públicas, aumentar a participação cívica, combater a corrupção e aproveitar novas tecnologias para tornar os governos mais transparentes e eficazes.

Yara Aquino/Repórter da Agência Brasil
Colaborou Renata Giraldi
Focando a Notícia

Decisivo, CR7 repete ‘folha seca’ e dá vitória ao Real em clássico de Madri

Cristiano Ronaldo voltou a decidir a favor do Real Madrid. Com uma exibição para calar qualquer crítica, o craque português anotou três vezes na goleada sobre o Atlético de Madri, por 4 a 1, em clássico disputado no Vicente Calderón, nesta quarta-feira, pela 33ª rodada do Campeonato Espanhol. E, com dois golaços de fora da área, repetiu a chamada “folha seca”, eternizada pelo brasileiro Didi, campeão das Copas de 1958 e 1962 com a Seleção. O centroavante colombiano Falcao García descontou e Callejón, em passe do camisa 7, fechou o placar.

Cristiano Ronaldo - Atletico de Madri x Real Madrid (Foto: AFP)Cristiano Ronaldo cobra falta para abrir o placar a favor do Real Madrid (Foto: AFP)

O resultado leva o time de José Mourinho aos 82 pontos e alivia a pressão após a aproximação do Barcelona, que ainda sonha com o tetracampeonato, com 78. O Atlético, por sua vez, está em nono, com 42, a quatro da zona de classificação para a Liga Europa – o Osasuna é o sexto, com 46. Restam seis rodadas, incluindo o superclássico do dia 21 de abril, disputado no Camp Nou.

Com mais um hat-trick na carreira (três gols em um jogo), Cristiano Ronaldo também superou Lionel Messi na tabela de artilharia do Espanhol. O português igualou sua marca da última temporada e soma agora 40 tentos, contra 39 do argentino. O terceiro colocado é o próprio Falcao García, com 21.

saiba mais

  • BRASIL MUNDIAL FC: veja os golaços de CR7 na goleada sobre o Atlético de Madri
  • Confira a classificação atualizada e a tabela de jogos do Campeonato Espanhol
  • Saiba como foi a partida, lance a lance

O triunfo também fez o Real aumentar o jejum de jogos sem perder para o rival. Os colchoneros não vencem os merengues desde o dia 29 de outubro 1999, quando fez 3 a 1 no Santiago Bernabéu.

‘Folha seca’: primeira versão

Com Kaká começando a partida de titular – o lateral Marcelo, com dores musculares, não ficou sequer no banco -, o Real Madrid teve de enfrentar forte pressão nos minutos iniciais. Mais da torcida rival do que propriamente dentro do campo, é bem verdade, mas as dificuldades dos merengues ficaram claras.

Do lado de lá, outro brasileiro, Diego, comandava as ações dos donos da casa, que rondavam a área, mas não conseguiam concluir. Além do ex-jogador do Santos, o lateral Filipe Luís foi outro representante do Brasil em campo. A primeira boa chance surgiu aos nove minutos, com Falcao García, que recebeu pela esquerda e bateu forte, forçando Casillas a realizar boa defesa.

Cristiano Ronaldo comemorando gol - Atlético de madrid X Real MAdrid (Foto: Ag. Reuters)Cristiano Ronaldo comemora um de seus três gols na goleada em pleno Vicente Calderón (Foto: Reuters)

Quando ensaiava uma reação, o Real foi premiado com um gol. E que gol. Em falta da intermediária, a princípio distante da meta, Cristiano Ronaldo soltou a bomba. Como uma folha seca, a bola morreu no canto esquerdo de Courtois: 1 a 0.

O gol deu a vantagem e também o controle da partida aos visitantes. Apesar de serem incomodados, os merengues não chegaram ao segundo por detalhes. Aos 32, Benzema cabeceou ao lado, enquanto Cristiano viu Courtois defender finalização de canhota aos 37. A resposta veio aos 44, com Diego, que assustou.

Do banco, Kaká vê CR7 decidir

Atletico de Madri x Real Madrid (Foto: Agência EFE)Falcao García tenta passar por Coentrão: atacante
foi o melhor em campo pelo Atlético (Foto: EFE)

Mesmo com a vitória parcial, Mourinho mexeu para a etapa final: Özil no lugar de Kaká. Aparentemente a substituição não surtiu efeito, já que o Atlético voltou com postura ofensiva. E o empate não demorou a sair. Aos 10, Diego tabelou com Adrián, que cruzou com precisão para Falcao García, entre a zaga, cabecear no cantinho de Casillas.

Se o centroavante colombiano dava trabalho de um lado, Cristiano Ronaldo decidia do outro. Um minuto depois de perder boa chance de cabeça, o atacante português acertou um chutaço de fora da área, semelhante ao primeiro, que encobriu Courtois, aos 23 minutos. Golaço.

O jogo, no entanto, seguia aberto. Di María quase ampliou aos 28, assim como Falcao García por pouco não deixou o seu segundo, de cabeça, aos 31. Os donos da casa só não contavam, no entanto, que o zagueiro Godín cometeria pênalti infantil em Higuaín, aos 36. Com a ajuda do quique da bola, Cristiano cobrou e anotou o seu terceiro. No fim, ainda houve tempo para Callejón selar a goleada após passe de Cristiano Ronaldo.

Globoesporte.com