Arquivo da tag: Cultura

Prazo para municípios solicitarem recursos de ajuda à cultura termina em 16 de outubro

A pandemia causada pela Covid-19 trouxe a paralisação de quase todos os serviços no Brasil que, por sua vez, dificultaram a situação financeira de inúmeros setores da sociedade como, por exemplo, a cultura. Sem que a população pudesse se aglomerar, ir à shows, teatros, cinemas, feiras entre tantos outros espaços dedicados à essa atividade, as pessoas que trabalham neste setor tiveram a fonte de renda esgotada.

Para que os efeitos dessa crise fossem reduzidos, o Congresso Nacional criou a Lei Nº 14.017, de 29 de Junho 2020, que trata sobre ações emergenciais destinadas ao setor cultural a serem adotadas durante o estado de calamidade pública por causa do coronavírus. De forma prática isso significa que o Governo Federal disponibilizou para este ano, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios, recursos somados no valor de R$ 3 bilhões de reais para promover ações que garantam uma renda emergencial aos trabalhadores da cultura e manutenção dos espaços culturais brasileiros durante o período da pandemia.

Apesar disso, quase metade dos municípios do país ainda não cadastraram planos de ação para recebimento dos recursos da lei, que ficou mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Dos 5.570, cerca de 3 mil realizaram a solicitação dos recursos direcionado pelo Ministério do Turismo.

De acordo com o secretário de Cultura de Campinas (SP), que também é presidente do Fórum Nacional de Secretários de Cultura, Ney Carrasco, não é possível explicar com exatidão os motivos para essa baixa procura, mas algumas dificuldades podem ser apontadas como comuns entre vários municípios do país.

“Os prazos são apertados.  Temos que executar e fazer os pagamentos até dia 31 de dezembro. O gestor com experiência já consegue ter mais agilidade, enquanto o que nunca fez esse tipo de processo, pode não dar conta. Por isso, muitos deixam os recursos voltarem parar o estado de origem. Existe um compromisso entre todos os estados da Federação de que o recurso que voltasse seria aplicado na mesma região. Uma segunda possibilidade é que algumas cidades estejam preocupadas com questões eleitorais”, argumentou.

As cidades que ainda não enviaram suas informações para o governo federal e têm interesse em participar do recebimento de recursos pela Lei Aldir Blanc, têm até o próximo dia 16 de outubro para realizar o cadastro do plano de ação por meio da plataforma +Brasil. Na última semana, o Ministério do Turismo finalizou o pagamento dos 26 estados e do Distrito Federal. Somado aos municípios que já receberam, o montante ultrapassa os R$ 2 bilhões.

Por isso, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, afirmou que é preciso aumentar o número de municípios beneficiados e, assim, ajudar mais o setor da cultura por todo país, pois no último levantamento do ministério 25 estados e 905 municípios brasileiros receberam o recurso do governo federal.

“Que os gestores acessem a plataforma + Brasil e, com isso, possam cadastrar os seus planos de ação para o recebimento do recurso. E assim tenham a condição de auxiliar não só os profissionais da área da cultura mas, também, os espaços, os projetos de cultura durante essa pandemia”, destacou o ministro.

Todas as informações sobre a operacionalização da lei, como as iniciativas apoiadas, os beneficiários elegíveis e os prazos exigidos, podem ser conferidas no decreto de regulamentação da lei. O Ministério do Turismo e a Secult oferecem canais de atendimento para tirar dúvidas sobre a aplicação da legislação, pelo site portalsnc.cultura.gov.br/auxiliocultura e pelo e-mail auxiliocultura@turismo.gov.br.

Questionamentos a respeito da utilização da Plataforma+Brasil podem ser esclarecidos pelo telefone 0800-9789008, disponibilizado pelo Ministério da Economia.

Fonte: Brasil 61

 

Comissão Especial quer destinar recursos da ALPB para beneficiar profissionais da cultura do Estado

A Comissão Especial de Acompanhamento e Fiscalização dos Entes Federativos em Estado de Calamidade Pública da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou, nesta sexta-feira (29), reunião ordinária, através de videoconferência, para estabelecer diretrizes para a contribuição do Poder Legislativo aos profissionais da cultura da Paraíba por meio da destinação dos recursos, na ordem de R$ 2 milhões, devolvidos pela Casa de Epitácio Pessoa ao Governo do Estado para ações de enfrentamento aos danos sociais causados pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Os membros da Comissão, Buba Germano (presidente), Camila Toscano, Estela Bezerra, Pollyanna Dutra e Tião Gomes concordaram em levar ao plenário da Casa para o conhecimento e apreciação dos demais deputados a proposta de destinar os R$ 2 milhões de forma que sejam 50% para assistência social/alimentação (aquisição de cestas básicas); 40% para ciência e tecnologia (apoio às pesquisas e certificação de produtos); e 10% para setor de cultura e apoio aos artistas paraibanos.

Autora de requerimento que solicita a inclusão do setor cultural em parte da destinação dos recursos do Legislativo no combate à Covid-19, a deputada Estela Bezerra afirmou que o parlamento tem se reunido com o setor, que devido a pandemia, tem sofrido com a suspensão da produção artística em todo o estado. “Essa demanda surgiu de audiência pública na Comissão de Educação e Cultura e todos os processos, além de legítimos, foram extremamente participativos com a sociedade civil organizada. Teve origem de demanda feita pela sociedade e também da nossa sensibilidade em ver que esse segmento está, realmente, abandonado”, explicou a deputada Estela Bezerra.

O deputado Tião Gomes que já declarou voto favorável a projetos que ajudem aos artistas paraibanos, reforçou seu apoio à classe. “Nossa decisão de chancelar a Proposta de apoio econômico fundamental à Classe Artística do meu querido estado, a Paraíba, me faz movido pela importância do que aprendi com Areia,  de Pedro e José Américo de Almeida, mas de meu Pombal onde criança cheguei a dançar a força do Congo e respeitar Celso Furtado. Minha gente, nunca deixei de gostar da música Brega porque fui criado nela sem ignorar a importância de meu conterrâneo Celso Furtado. Não posso negar minha influência da música folclórica de Pombal do Congo com aquela gente humilde muito fundamental,  da mesma forma que a música Brega amada por muitos até hoje, pois nunca deixei de entender e respeitar as raízes e os outros estilos artísticos. Mas, para quem é preconceituoso e vive de conceitos da boca para fora aprendi a respeitar a música clássica, o teatro, a literatura de Zé Américo, as artes plásticas de Pedro Américo como elemento muito importante na minha vida de Politico dedicado aos ideais e meus eleitores. É em nome de tudo isso que estou comprometido com a classe artística e com os artistas, sobretudo neste ano dedicado a Sivuca e ao conterrâneo Celso Furtado”, disse o deputado.

A deputada Pollyanna Dutra acrescentou ainda a relevância da cultura para a história de um povo e alertou sobre a necessidade de proteger, contribuir e ajudar o setor neste momento de calamidade. “O momento agora é de solidariedade. A crise exacerbou as desigualdades, principalmente nos segmentos que já estavam excluídos, como a cultura. “A cultura é história e não existe nação sem história. Não existe cidade sem essas pessoas que mantém, de forma permanente, a nossa cultura.

Saúde

Preocupados com a interiorização da pandemia, os membros da Comissão defenderam a proposta de, através do Poder Executivo, obter melhorias na saúde nos municípios do Sertão e do Brejo. Tião teme que com o aumento do número de casos e a falta de assistência, as cidades do Brejo paraibano passem a ser o novo epicentro da Covid-19 no estado. “Na última quarta-feira foram registradas as mortes de 11 pessoas, sendo 8 delas do interior do estado. Isso pode significar que estamos a caminho de registrarmos ainda mais mortes nessas regiões. A invasão dessa pandemia no estado é muito grande e, em poucos dias, provavelmente, a região mais atingida será o Brejo, observou Tião.

A deputada Camila Toscano chamou atenção para a necessidade de manter uma linha de diálogo entre a Comissão da Assembleia e o Poder Executivo com o intuito de definir estratégias que possam melhorar o atendimento médico às vítimas do novo coronavírus no Brejo paraibano. De acordo com a parlamentar, o município de Guarabira tem recebido pacientes de aproximadamente trinta cidades, desta forma, é necessário que haja um fortalecimento da Saúde daqueles municípios para que a população possa receber o atendimento ideal. “Na maioria das vezes, as prefeituras não têm condições de montar um leito hospitalar, ou um hospital para atender as pessoas de sua região, então suas atuações ficam limitadas, a verba que chega fica limitada a equipamentos de proteção, limpezas das cidades, testes rápidos e para organizar as Unidades Básicas de Saúde para o atendimento rápido e isso nos preocupa”, analisou a deputada.

Em concordância com os membros da Comissão, o deputado Buba Germano expôs que levará a decisão adotada ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Adriano Galdino, para que sejam realizados os convênio necessários para a destinação dos recursos. Também será atualizado o relatório a ser repassado para a Secretaria de Estado da Saúde com sugestões do parlamento sobre medidas que possam vir a ser aceitas no combate à pandemia. “Vamos informar ao presidente essa nova decisão da inclusão dos R$ 200 mil na cultura, para que de forma imediata sejam tomadas as providências de formatar o convênio e atualizaremos o relatório da ação da Covid-19 na Paraíba com nossas sugestões. A sociedade precisa de respostas rápidas, esse é o nosso papel e iremos cumpri-lo”, concluiu Buba.

 

portaldolitoralpb

 

 

Regina Duarte deixa o comando da secretaria de Cultura

O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira (20) a saída da atriz Regina Duarte do cargo de secretária especial de Cultura. Em publicação em uma rede social, o presidente afirmou que ela assumirá a Cinemateca Brasileira, em São Paulo.

A Cinemateca Brasileira é a instituição responsável pela preservação da produção audiovisual brasileira e é vinculada à Secretaria da Cultura.

“Regina Duarte relatou que sente falta de sua família, mas para que ela possa continuar contribuindo com o Governo e a Cultura Brasileira assumirá, em alguns dias, a Cinemateca em SP. Nos próximos dias, durante a transição, será mostrado o trabalho já realizado nos últimos 60 dias”, afirmou Bolsonaro.

Regina Duarte assumiu a pasta em 4 de março, com a missão de “pacificar” o embate entre a classe artística e a indústria da cultura com o governo federal.

Trajetória na Secretaria

Desde o início do mandato de Bolsonaro, a secretaria teve alta rotatividade em razão de polêmicas na pasta e em órgãos vinculados a ela.

No dia 5 maio, por exemplo, o governo renomeou maestro Dante Mantovani como presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte) que tinha sido exonerado por Regina no primeiro dia da atriz à frente da secretaria.

Segundo o blog da comentarista do G1e da TV Globo Andréia Sadi, Regina não foi informada e “não entendeu” a nomeação. Mantovani foi exonerado no mesmo dia e o ministro do Turismo, Marcelo Alvaro Antonio, justificou as mudanças por “questões internas”.

A saída de Regina Duarte do governo já era um desejo da ala ideológica próxima ao presidente, conforme informou a colunista Andréia Sadi nesta terça.

Questionado sobre a permanência de Regina no governo, Jair Bolsonaro disse que só presidente e vice não podem ser trocados.

A ala política do Planalto tentava afastar as especulações sobre a possibilidade de saída de Regina, mas já havia se frustrado com a fala do presidente sobre a secretária na semana passada.

Bolsonaro queria Regina mais próxima

No fim de abril, na portaria do Palácio da Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro elogiou Regina Duarte, mas disse que gostaria de vê-la mais próxima.

Na ocasião, ela estava em São Paulo. O presidente disse também que ela estava tendo dificuldade em lidar com questões de “ideologia de gênero”.

“Infelizmente, a Regina está em São Paulo. Está trabalhando pela internet ali. E eu quero que ela esteja mais próxima. É uma excelente pessoa, um bom quadro. É também uma secretaria que era ministério. Muita gente de esquerda pregando ideologia de gênero. Essas coisas todas é que a sociedade, a massa da população, não admite. Ela tem dificuldade nesse sentido”, disse o presidente.

G1

 

ALPB debate ações emergenciais para Educação e Cultura durante pandemia do coronavírus

A Comissão de Educação, Cultura e Desporto da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), realizou, na manhã desta quarta-feira (1º), reunião ordinária, através de vídeo conferência, para debater medidas emergenciais a serem adotadas no Estado diante da pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19). A reunião foi presidida pela deputada Estela Bezerra e contou com a participação dos deputados Anderson Monteiro e Chió.

Estela pontuou que o momento é difícil e que a única forma de prevenção é o isolamento, desta forma, existe a necessidade de criar novos comportamentos. A deputada declarou que a Comissão de Educação tem o intuito de encontrar soluções para a Educação dos paraibanos, além de buscar compreender as funções do Legislativo, do Executivo, do Judiciário, de entidades de classe e da sociedade civil organizada diante do problema que a população enfrenta. “Estamos preocupados com a execução do calendário e também com a segurança alimentar dos estudantes, além da saúde dos trabalhadores da Educação. Precisamos manter a educação conectada aos jovens que, em sua maioria, vivem em vulnerabilidade social,” disse.

A deputada destacou ainda que é preciso a elaboração de um conteúdo programático, principalmente, para alunos do ensino médio, que prestarão o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), mas que diante do quadro apresentado pela pandemia no Covid-19, estão sem atividades que possam capacitá-los para o certame. “É preciso continuar a ofertar a esses adolescentes o máximo que a política de educação pode para amenizar esse processo de confinamento”, alertou Estela.

Segundo a deputada, as sugestões apresentadas pelos participantes da reunião, como iniciativas que garantam a segurança alimentar dos estudantes e a readequação do calendário escolar serão encaminhadas aos órgãos responsáveis do Governo do Estado e também deverão ser apresentadas ao Ministério Público da Paraíba (MPPB) e ao Ministério Público Federal (MPF), a exemplo da cobrança de medidas relacionadas a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

O deputado Chió cobrou uma reflexão social e pessoal diante do momento atual e acrescentou que é extremamente importante que o Legislativo esteja unido para criar medidas que beneficiem os paraibanos diante de um quadro de tantas dificuldades na saúde e na economia, mas que reflete diretamente na educação. “Existe a necessidade da Assembleia dar respostas consistentes nesse momento tão difícil que vivemos hoje. É  necessário que tenhamos um papel ativo nessa guerra que estamos travando, mas, ao mesmo tempo, é um momento muito importante para refletirmos sobre as nossas reais necessidades”, afirmou Chió.

O parlamentar disse ainda que a educação não pode parar. “A gente precisa que o Executivo apresente aos alunos um programa de ensino a distância, essa será a oportunidade do Governo do Estado oferecer cursos e que todos os alunos da nossa rede tenham internet em casa paga pelo Governo. É urgente isso. Não é utopia”, cobrou Chió.

Todos precisam, nesse momento, exercer a solidariedade. Essa foi a reflexão feita pelo deputado Anderson Monteiro. Para ele, as pessoas precisam repensar sobre suas fragilidades e atentarem para a preocupação com o próximo. “É um momento muito delicado. Precisamos refletir sobre a nossa humanidade e nosso papel na sociedade e que todos tenham noção de o quanto as coisas são frágeis e o quanto temos que exercer o sentimento de empatia. Pensamos muito no individual e já passou da hora de termos mais empatia”, analisou.

Anderson reivindicou medidas emergenciais que possam, pelos próximos meses, garantir aos paraibanos da área da educação e da cultura ações que atendam as suas necessidades. “É urgente que possamos intensificar o trabalho dessa Comissão e encaminhar de forma ágil para que os Governos Federal, Estadual e Municipais adotem medidas urgentes para aliviar a situação de diversas famílias paraibanas”, declarou.

O coordenador geral do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação do Estado da Paraíba (Sintep), Antônio Arruda, e o diretor executivo, Felipe Baunilha,  apresentaram preocupações com o calendário escolar durante o período de isolamento. Baunilha não minimizou a importância  de manter a medida de distanciamento social, no entanto, os sindicalistas apontaram que os desafios são muitos, principalmente, em relação ao calendário escolar.

A estudante Emilly Kissya, presidenta do Grêmio Estudantil da ECIT Jango – Escola Cidadã Integral Técnica João Goulart – e o também estudante  Kevyn Kel, que preside o Grêmio Estudantil da ECIT FAC – Escola Cidadã Integral Técnica Francisca Ascenção Cunha – sugeriram que o cronograma escolar seja seguido. No entanto, Kissya cobrou uma forma eficiente de capacitar os alunos que estão concluindo o ensino médio e que irão prestar o ENEM este ano.

A estudante sugeriu um acompanhamento pedagógico durante o período de isolamento para que os alunos cheguem ao certame qualificados. “Poderia ser estabelecido um cronograma com todos os assuntos do ano letivo para as respectivas turmas e dividi-lo de forma semanal e os tutores fazerem esse acompanhamento com os alunos para que eles não saiam de casa”, sugeriu a estudante.

O setor da cultura também esteve representado na reunião pela produtora cultural e  integrante do Fórum dos Fóruns de Cultura da Paraíba, Dina Faria, e pelo coordenador do Observatório de Políticas Culturais – ObservaCult/UFPB -, Marco Antônio Acco. Ambos destacaram que o setor é um dos que mais gera emprego, inclusive nos momentos de crise, no entanto, no contexto atual, as dificuldades têm afetado vários profissionais que atuam integrados ao movimento cultural.

“São milhares de trabalhadores. Além dos artistas, têm fotógrafos, cenógrafos, iluminadores, técnicos de som, professores de dança, de teatro, dramaturgos, artistas de circo, tecelãs, ente outros. Existe uma cadeia vasta que tem como característica ser invisível. O povo da cultura é invisível”, disse Acco. Ele também cobrou ações emergenciais que possam evitar, principalmente, que essas pessoas tenham como se sustentar. “Os artistas não vão receber nenhum recurso do programa de remuneração que está sendo estabelecido para bares e restaurantes pagarem a seus trabalhadores. Certamente, os artistas serão excluídos”, lamentou.

Também participaram da vídeo conferência a presidente da Organização dos Professores Indígenas Potiguara (OPIP/PB), Sônia Barbalho de Macêdo; o representando o Fórum dos Fóruns de Cultura da Paraíba, Henrique Sampaio; e a secretária de Educação de Itatuba, representando a UNDIME (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação), Maria Bethânia Andrade.

 

agenciaalpb

 

 

Regina Duarte aceita convite e será secretária de Cultura do Governo Bolsonaro

A atriz Regina Duarte, de 72 anos, será a nova secretária especial de Cultura do governo federal. Após se reunir com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto, na tarde desta quarta-feira (29), ela confirmou a jornalistas ter aceitado o convite para o cargo, que integra o Ministério do Turismo.

“Sim [aceitei], só que agora vão ocorrer os proclamas [trâmites formais] antes do casamento”, afirmou ao deixar a sede do Executivo federal, sem dizer a data em que deverá ser nomeada. Ela estava acompanhada da reverenda Jane Silva, que foi nomeada secretária especial adjunta de Cultura.

O presidente Jair Bolsonaro também confirmou o “sim” de Regina, sem dar prazo para que ela assuma as funções. “Está tudo certo, está caminhando, ela está acertando as questões pessoais dela. Não tem prazo”, afirmou ao chegar no Palácio do Alvorada, residência oficial, depois do encontro com a atriz.

A atriz foi convidada pelo presidente para assumir o cargo de secretária especial da Cultura após a exoneração do dramaturgo Roberto Alvim, no último dia 17 de janeiro. Na semana passada, ela veio a Brasília conhecer a estrutura da pasta e voltou essa semana para definir com o presidente se assumiria mesmo o cargo.

Ontem (28), Bolsonaro afirmou que Regina Duarte terá liberdade para montar sua equipe. “Para mim seria excepcional, para ela, ela tem a oportunidade de mostrar realmente como é fazer cultura no Brasil. Ela tem experiência em tudo que vai fazer. Precisa de gente com gestão ao seu lado, tem cargo para isso, vai poder trocar quem ela quiser lá sem problema nenhum. Então tem tudo para dar certo a Regina Duarte”, disse Bolsonaro.

Regina Duarte nasceu no dia 5 de fevereiro de 1947. Com 55 anos de carreira, é uma das atrizes mais famosas do país, com dezenas de novelas no currículo. Os seus papéis mais marcantes foram em folhetins como Selva de Pedra, Irmãos Coragem, Vale Tudo, Roque Santeiro, Rainha da Sucata e Malu Mulher, além da personagem Helena em três obras do autor Manoel Carlos (História de Amor, Por Amor e Páginas da Vida). Para assumir o cargo de secretária especial, a atriz terá que suspender seu contrato com a TV Globo, segundo informou a própria emissora.

 

wscom

 

 

Bolsonaro decide demitir Roberto Alvim da Secretaria de Cultura

O presidente Jair Bolsonaro decidiu demitir o secretário de Cultura, Roberto Alvim, após a polêmica referências ao nazismo em vídeo divulgado nas redes sociais. Segundo o Estado apurou com auxiliares próximos de Bolsonaro, a situação de Alvim ficou “insustentável”. O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, já foi comunicado da decisão. O ministro da Secretaria de Governo, Luiz Ramos, avisou os líderes do Congresso que o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros deve anunciar a demissão do secretário. Após a repercussão do vídeo, políticos e famosos se pronunciaram sobre o assunto. “O secretário da Cultura passou de todos os limites. É inaceitável. O governo brasileiro deveria afastá-lo urgente do cargo”, afirmou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ).

“Eles nem se escondem mais”, escreveu o músico Marcelo D2. “Ao empregar parte de texto de Goebbels e ópera de Wagner, fundo musical preferido de Hitler,para noticiar seus planos para a cultura brasileira, Roberto Alvim, Secretário de Cultura ,escancara de vez a face Neonazista e criminosa deste DESgoverno de @jairbolsonaro ! Inaceitável!”, comentou a deputada federal Erika Kokay (PT-DF).

Isto É

 

 

III Edição do Festival da Banana reúne arte, cultura, ciências e gastronomia em suas atividades

Bananeiras, no brejo paraibano, completa no próximo dia 16 de outubro 140 anos de história. Para comemorar esta data, uma grande programação de eventos acontece durante todo o mês, iniciando com o Festival da Banana, que já se encontra na sua terceira edição.

O III FESTIVAL DA BANANA acontece nos dias 11 a 13 de outubro, em Bananeiras. Será um evento que trará discussões técnicas, sociais e culturais voltadas à cadeia produtiva da Banana, promovendo a troca de experiências entre produtores, técnicos, pesquisadores, estudantes e demais envolvidos no setor, fomentando a demanda turística e consequentemente a economia local.   O Festival é promovido pela Prefeitura Municipal com o apoio da Universidade Federal da Paraíba, Governo do Estado, Emater e a COOPAFAB.

A abertura acontece na manhã da sexta-feira (11), no Espaço Cultural Oscar de Castro, com a oferta de mini-curso de artesanato com a fibra da banana e de facilitador. Além de uma visita técnica ao plantio de bananas, Feira Vó Corina e uma caminhada noturna pela cidade.

No segundo dia, o Brincando na Praça leva a partir das 8h à Praça Epitácio Pessoa uma programação voltada para o público infantil.

Esse ano com muitas novidades, o Festival traz uma feira de produtos totalmente derivados da banana. Também teremos o Pôr do Sol no Cruzeiro de Roma, apresentações culturais e muita música compondo o segundo dia desse Festival que se consolida no calendário turístico da região, proporcionando ao visitante muita cultura, artesanato e esportes.

O Coreto Cultural acontece com atividades todas as noites de sexta (11) e sábado (12) e na tarde de domingo (13) com artesanato, apresentações culturais e muita música no palco instalado no Coreto Marcos Ribeiro.

No domingo (13), a III Corrida da Serra e a Gincabanana, movimentam a Praça Epitácio Pessoa a partir das 8h da manhã e dão o tom ao encerramento do evento.

Segue a programação completa:

DIA 11 DE OUTUBRO (SEXT FEIRA)

HORÁRIO PROGRAMAÇÃO LOCAL
08:00 Mini-curso: (técnico)

INFORMAÇÕES: Porto: (83) 98750-6370 Júlio:( 83) 99698-4320

ECOC – Espaço Cultural Oscar de Castro
08:00 OFICINA de Artesanato – com fibra da banana

INSCRIÇÕES na casa do Turista (15 vagas)

ECOC – Espaço Cultural Oscar de Castro
12:30 Almoço para os participantes do Mini-curso Técnico COOPAFAB
14:00 Visita técnica ao plantio de Bananas

INFORMAÇÕES: Júlio:( 83) 99698-4320

COOPAFAB –

Lagoa do Matias

16:00

 

FEIRA VÓ CORINA – com agricultura familiar, gastronomia, artesanato e apresentação cultural com ATRAÇÃO MUSICAL Distrito de Roma
19h00min II CAMINHADA NOTURNA com a equipe da SUPER TRILHA

INSCRIÇÕES: Washington – (83)998559197 ou na Casa do turista

Concentração na praça Epitácio Pessoa às 18:30 com Saída às 19:30

DIA 12 DE OUTUBRO (SÁBADO)

HORÁRIO PROGRAMAÇÃO LOCAL
08h00min 3° BRINCANDO NA PRAÇA (programação infantil para crianças com apresentações, pula-pula, brincadeiras, distribuição de pipoca, algodão doce, etc)

 

Praça Epitácio Pessoa
14:30 FEIRA DA BANANA NA PRAÇA – Frutos e derivados (COOPAFAB e FEIRA VÓ CORINA) Praça Epitácio Pessoa
16:00 POR DO SOL NO CRUZEIRO

MÚSICA e CAFÉ REGIONAL Vó Corina

CRUZEIRO DE ROMA
19h00min CORETO CULTURAL:

Feira de artesanato e gastronomia

Grupo de Danças Serras de Bananeiras

SHOW MUSICAL: NECO LOBÃO

Praça Epitácio Pessoa

DIA 13 DE OUTUBRO (DOMINGO)

HORÁRIO PROGRAMAÇÃO LOCAL
08h00min III CORRIDA DA SERRA

(Inscrições na Casa do Turista e Diretoria de Esporte

Kaká (83)99676-5491/Jailson: (83)99651-0718

Largada na Praça Epitácio Pessoa
10h00min 3ª GINCABANANA- (Gincana lúdica competitiva)

CATEGORIA I- Cacho de banana mais pesado (Pacovã e Inglesa)

CATEGORIA II – Cacho de bananas como maior número de frutos

CATEGORIA III- Corrida da banana (masculino e feminino)

CATEGORIA IV- Maior comedor de bananas

Inscrições na hora

Praça Epitácio Pessoa

Inscrições na hora

11h00min

 

CORETO CULTURAL

Artesanato e Gastronomia

ATRAÇÃO MUSICAL: SÉRGIO DUARTE E PAGODE DOS AMIGOS

Coreto Marcos Ribeiro

Venha se divertir e se deliciar com a cultura e gastronomia desse belíssimo Festival, e comemorar conosco os 140 anos de história da nossa querida Bananeiras.

Ascom – PMB

 

Cultura e tradição dão o tom ao Melhor Pé de Serra de Bananeiras

Com a chegada dos Festejos Juninos toda a região se prepara para receber quem a visita nesta época do ano. Além do maior fluxo econômico, com geração de emprego e renda para os comerciantes locais, o São João de Bananeiras faz um resgate e preserva a cultura local, fazendo uma viagem pelas tradições e simbologia junina.

A Sala de Reboco, montada no largo da EMEF Emilia de Oliveira Neves já pode ser observada e muda os ares com sua estrutura rústica preparada para os forrozeiros se esbaldarem no tradicional pé de serra nas quatro noites de festa.

A valorização e celebração das origens nordestinas com as quadrilhas, o forró pé de serra, as comidas típicas, resgatando a cultura popular e fazem a alegria das pessoas que festejam gratuitamente esse encontro.

Para Douglas Lucena, a perspectiva desse ano é realizar um evento com mais qualidade, superando a crise financeira, com o esforço de fazer melhor gastando menos.

Pelas ruas e praças podem-se ver os preparativos da cidade que se veste de São João. De 20 a 23 de Junho, Bananeiras é só forró!

Ascom- PMB

 

 

Por uma cultura de paz

Vivemos dias violentos. Na verdade, desde que Caim matou Abel, seu irmão, o mundo nunca mais teve paz. A violência paira sobre a vida dos cidadãos de forma aterrorizante, as pessoas vivem com medo e na expectativa de uma tragédia a qualquer momento.

Para uma sociedade criminosa, pode-se colocar um policial para cada cidadão, mas no final todos serão criminosos. As expressões da violência humana se manifestam em diversas formas. Suas marcas estão espalhadas por toda a criação e gravadas na história da humanidade.

Da Primeira Guerra Mundial, nos campos de Beaumont-Hamel, ainda se encontram crateras de bombas e trincheiras feitas pelos soldados, agora tomadas pela relva e escondidas do olhar dos mais desavisados. Na Normandia, um bunker alemão da Segunda Guerra Mundial compõe o cenário de uma praia onde turistas podem tirar fotos. Em Hiroshima, Japão, a apenas 150 metros do epicentro da explosão atômica que matou entre 90 e 166 mil pessoas, na cidade permanecem em pé as ruínas da Cúpula Genbaku, como memorial de um dos ataques mais cruéis da história.

O clímax da maldade humana se evidenciou em Schwartz, Auschwitz, região ao sul da Polônia, onde os nazistas construíram uma rede de campos de concentração e um campo de extermínio para judeus. Estima-se que cerca de 1,3 milhão de pessoas morreram ali.

Ainda que nas guerras se evidenciem a violência e a crueldade humana de maneira expressiva, as rotinas de nossas cidades as fazem constantes. Poucos meses atrás um adolescente de 14 anos morreu baleado com um tiro no abdômen enquanto ia para a escola. Notícias como essa surgem diariamente nas principais mídias. Uma das mais recentes foi o ataque de dois jovens em uma escola em Suzano, deixando 8 mortos e 11 feridos.

Essas coisas não são apenas tristes fatos. São uma constatação de que as expressões da violência humana são, antes de tudo, expressões do ser humano – e que toda expressão mal direcionada culmina em tragédia.

As sagradas escrituras dizem: nos últimos dias haverá tempos difíceis. As pessoas serão egoístas, avarentas, orgulhosas e arrogantes. Elas falarão mal de Deus, desobedecerão aos pais e serão ingratas. Elas não terão amor pelos outros, não perdoarão a ninguém, serão caluniadoras, não terão domínio próprio, serão cruéis e inimigas do bem. Elas também serão traidoras, atrevidas, estarão cheias de orgulho e amarão mais os prazeres do que a Deus.

Com o desenvolvimento das cidades e o avanço urbano, as cidades acabam se tornando focos de violência no Brasil. No ano de 2018 perto de 63 mil homicídios ocorreram no país. São números astronômicos, que nos assustam. O quadro é caótico e as expectativas não são boas, por isso a proposta de engajamento e propagação de uma cultura de paz.

A paz é um valor e uma virtude a ser buscada. Primeiramente, existe lugar para todos no planeta. O meu espaço não deve ser conquistado em detrimento do prejuízo do outro. Devo zelar para que o meu próximo viva bem e tenha as mesmas oportunidades de vida que eu tenho.

Em segundo lugar, devo ter um compromisso de divulgar a paz. Devo dizer e proclamar para todos que é mais fácil viver sem brigas e guerras, que as violências no planeta destroem e prejudicam a criação. Dizer que na história da humanidade milhões perderam a oportunidade de vida devido à violência, sendo que a força e a imposição tiraram a vida de muitos.

Terceiro: os instrumentos sociais disponíveis devem ser usados para a paz. Assim, a educação é fundamental. O indivíduo consciente da bondade e harmonia e com suas necessidades emocionais atendidas não vai usar de violência. As comunidades de fé e mobilização de pessoas devem exercer um papel importante para que a paz seja divulgada. Um grupo que estimula e preza pela violência acaba estimulando a muitos outros.

A paz é possível para todos. Quando assumimos um compromisso com a vida estimulamos a paz e nos aproximamos do nosso próximo, caminhamos na direção da solidariedade e da compaixão entre as pessoas. Viver em paz torna-se mais fácil do que sobreviver em meio às guerras.

Autor: Cicero Bezerra, professor e coordenador do curso de Teologia Bíblica Interconfessional do Centro Universitário Internacional Uninter.

 

Assessoria de imprensa da Uninter

 

Diretoria de Cultura de Solânea se reúne com artistas locais, condutores de turismo e incentivadores culturais

A Diretoria de Cultura do Município de Solânea (DICULT) realizou na manhã desta quinta-feira (10), no auditório da Câmara Municipal, uma reunião com o objetivo de estabelecer propostas na cultura e no turismo, para a Lei Orçamentária Anual (LOA-2018) e para o Plano Plurianual (PPA 2018/2021).

Na oportunidade o diretor municipal de cultura, Tiago Salvador, passou também para os artistas, a plataforma “Cultura na Paraíba”.
Esta ação é mais um instrumento da gestão participativa estabelecido pelo Governo Municipal e contou com o apoio da Presidência da Câmara Municipal.

Estiveram presentes o diretor/presidente da Rádio Comunitária Solânea FM, Wolfagon Costa; o presidente do Fórum de Turismo do Brejo, Sergerson Silvestre; os artistas locais Danny Xavier, Kelson Kizz, Wilton Moura e Pedro Rocha, além dos condutores locais de turismo, Luís Félix, Cícero Tavares, Rafael Silva  e Braga Neto.
Ainda participaram do encontro, alguns incentivadores da cultura e do turismo no município.

(Braga Neto)

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br