Arquivo da tag: construir

Luiz Couto destina R$ 250 mil para construir quadra de esportes no Campus da UFPB/Bananeiras

 

UFPB-BananeirasO deputado federal Luiz Couto (PT-PB) destinou emenda individual de R$ 250 mil para a construção de uma quadra de esportes no Centro de Ciências Humanas, Sociais e Agrárias (CCHSA) da UFPB – Campus III/Bananeiras. A reitora da instituição, Margareth Diniz, foi informada do benefício.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Assegurei esse recurso na Lei Orçamentária Anual (LOA 2014) em atendimento ao pedido dos estudantes e da diretora do CCHSA, Terezinha Martins”, afirma Luiz Couto, acrescentando que já priorizou o empenho da emenda junto à Secretaria de Assuntos Institucionais da Presidência da República.

 

 

 

Ascom do Dep. Luiz Couto

Trócolli revela: valor de aeronaves de Ricardo daria para construir 642 casas, 32 escolas e 5 hospitais

 

trocolliUm dado revelador foi levantado pelo deputado estadual Trócolli Júnior (PMDB) com relação as aeronaves que devem ser adquiridas pelo governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), nos próximos dias. Ao todo, os dois helicópteros – já com licitações em andamento -, e o avião que deve ter a licitação aberta no dia 23 deste mês, somam R$ 24.650.000 milhões, recursos que dariam para construir, em média, 642 casas populares, 32 escolas e cinco hospitais.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Uma casa popular, atualmente, tem a sua construção avaliada em R$ 38.350 mil. Com os recursos que estão sendo empregados em aeronaves, o Governo da Paraíba construiria 642,7 moradias. Seriam mais de 600 famílias com teto garantido para morar.

Um hospital com 1.429,26 metros quadrados, localizado em uma área de 10 mil metros quadrados, com 18 leitos – parecido com o construído em Itapororoca – está avaliado, pelo próprio governo estadual, em R$ 4.575.225 milhões entre parte física e equipamentos. Ou seja, com o valor dos aviões e helicópteros seriam construídos 5,38 hospitais do tipo.

No mês de maio deste ano, o governador Ricardo Coutinho inaugurou, em São Domingos de Pombal, uma escola moderna e equipada com laboratório de informática, laboratório de robótica, biblioteca, cozinha e amplas salas de aula, dentre outros ambientes. A obra custou R$ 757,5 mil. Significa que, com o dinheiro das aeronaves seriam construídas 32,5 escolas desse tipo em todo o Estado.

Custo das aeronaves

De acordo com o levantamento feito por Trócolli, o avião que deve ser comprado nos próximos dias pelo governador Ricardo Coutinho estaria avaliado em R$ 2,6 milhões. Os dois helicópteros estão sendo licitados por R$ 22.050.000. O valor dessas duas aeronaves é exorbitante na opinião do deputado, porque o governo de São Paulo tem uma frota de helicópteros Esquilo e cada um deles está avaliado em R$ 5,5 milhões. Ou seja, com os R$ 22 milhões o governo paraibano compraria quatro aeronaves do mesmo tipo.

“Eu não estou questionando a importância de se ter helicópteros no Estado e sim o fato do valor estar bem acima das aeronaves compradas em São Paulo, que concentra 50% do PIB brasileiro.  Esses helicópteros Esquilo utilizados pela Polícia Militar e pelo Corpo de Bombeiros de São Paulo são avaliados, cada um, por R$ 5,5 milhões e atendem muito bem as necessidades daquele Estado que é um lugar muito mais tumultuado que a Paraíba na área da segurança. Então, se eles são equipamentos suficientes para atender São Paulo, porque não seriam para a Paraíba?”, questionou Trócolli.

O legislador destacou, ainda, a desnecessidade de ser adquirir um novo avião que está avaliado em R$ 2,6 milhões. “Se o governador já tem quatro aviões a sua disposição, para quê comprar mais um? É preciso estipular prioridades para a Paraíba e a compra desse avião, nesse momento, não é uma prioridade”, ressaltou.

Assessoria de imprensa

Paraíba conseguiu R$ 8,6 mi para construir biofábrica que vai combater a seca no sertão

secaO secretário de Agricultura da Paraíba, Marenilson Batista, afirmou que a Paraíba conseguiu R$ 8,6 milhões do Governo Federal, através do Ministério da Integração, para combater as conseqüências da seca no interior do Estado.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook


 

“Esse dinheiro será destinado para barragem subterrânea, pequenas irrigações e também uma construção de uma bio-fábrica pensando exatamente em dar a estrutura de produção para períodos que há de vir”, explicou.
 
No ano de 2012, o sertão paraibano e de todo o Nordeste viveu uma das piores secas das últimas décadas, causando a morte de centenas de animais.
 
Pedro Callado

Prefeita de Massaranduba quer construir Clínica de Fisioterapia na cidade

 

entrevista na TV BorboremaEm entrevista ao Programa Opinião da TV Borborema, na manhã da sexta-feira, 22, a prefeita de Massaranduba – Joana Darc Coutinho (PSC), elencou vários projetos que pretende colocar em prática na nova gestão e disse que um dos seus maiores sonhos é construir uma Clínica de Fisioterapia na cidade.

 

Segundo ela, na época quando estava à frente da Secretaria de Ação Social, testemunhou as dezenas de pessoas da cidade e da zona rural tendo que se deslocar para Campina Grande e até para João Pessoa em busca de tratamento.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Já tenho um projeto pronto e vou em busca de parceiros para a execução desse sonho”, disse a prefeita.

 

DIFICULDADES – Sobre a situação em que encontrou a Prefeitura, Joana Darc afirmou ao jornalista Bastos Farias que os salários foram atrasados pela gestão anterior em três meses, ausência de transição, equipamentos em falta em escolas e em outros prédios públicos.

 

A prefeita espera ainda que seja concluída pelo Governo do Estado a Adutora da cidade: “Faltam alguns metros para a conclusão da obra. É muito pouco e espero que a ação seja rapidamente”.

 

EVENTO – Sobre o tradicional Forromassa, que acontece tradicionalmente  no mês de maio de cada, só irá acontecer no segundo semestre, tendo em vista as dificuldades enfrentadas pela atual administração: “a população já está sabendo do adiamento do evento. Preferimos equilibrar as contas, pagar os salários atrasados, investir em obras do que fazer festa nesse instante de seca”, arrematou Joana Darc.

 

 

 

Assessoria de imprensa para o Focando a Notícia

Construir presídios e ressocializar presos são metas para 2013 na PB

Wallber Virgolino é o novo secretário de Administração Penitenciária (Foto: Inaê Teles/G1)

“A meta é humanizar e ressocializar”, afirmou o novo secretário de Administração Penitenciária da Paraíba, Wallber Virgolino durante uma entrevista ao G1. O secretário aproveitou para apresentar outros planos de gestão como a instalação de bloqueadores de celulares em todos os presídios de segurança máxima do estado e também de reforçar a comissão de sindicância.

O balanço mais recente da Secretaria de Administração Penitenciária da Paraíba (Seap), contabilizou 8.660 detentos até setembro de 2012, entre os regimes semiaberto e fechado, distribuídos em 18 presídios da Paraíba, o que resulta em um déficit de mais de 2 mil vagas, segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

Para tentar reverter o problema da superlotação, o governo da Paraíba prevê a construção de mais duas unidades prisionais na Grande João Pessoa. “Com a criação dessas novas unidades, de certa forma, nós vamos desafogar os presídios da Paraíba e ao longo do tempo vamos tentar desativar o presídio do Roger”, disse Wallber. A data para início da obras ainda não foi definida, mas cada unidade prisional deve abrigar 300 detentos.

Outra medida que será adotada durante a gestão de Wallber Virgolino é a aquisição de bloqueadores de celular para todos os presídios de Segurança Máxima da Paraíba. Atualmente apenas o Complexo Penitenciário de Segurança Máxima Romeu Gonçalves de Abrantes, mais conhecido como PB1 e PB2, tem os bloqueadores.

De acordo com o secretário, a Paraíba conta com  seis presídios de segurança máxima distribuídos em João Pessoa, Campina Grande, Patos, Guarabira e Cajazeiras. Além dos bloqueadores, também está nos planos da secretaria adquirir detectores de metais para as unidades prisionais. A previsão é que esses aparelhos sejam comprados ainda neste ano. “Será o mais rápido possível”, disse.

Bonecas produzidas por detentas da Penitenciária de Recuperação Feminina Maria Júlia Maranhão, em João Pessoa (Foto: Divulgação/Seap)Bonecas produzidas por detentas da Penitenciária de Recuperação Feminina Maria Júlia Maranhão, em João Pessoa (Foto: Divulgação/Seap)

Ressocialização
“Uma das metas da nossa gestao é promover a humanização dos presídios do Sistema Penitenciário como um todo. Dentro e fora do cárcere. Reforçar esse seguimento de ressocialização através de vários programas e projetos de saúde, trabalho e de incentivo a cultura. Um dos projetos chefes dessa gestao é o ‘Cidadania e Liberdade’”, explicou Wallber Virgolino.

Em 2012, o projeto “Cidadania e Liberdade” atendeu mais de 4 mil detentos e familiares. A ação desenvolve atividades na áreas de:

Educação – Cursos de alfabetização, Ensino Fundamental e Ensino Médio. Aplicação de provas do supletivo para 740 apenadas e mais de 263 no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Para este ano, a secretaria estabeleceu 13 metas na área da Educação.

Trabalho – No ano passado, 812 presidiários participaram de cursos profissionalizantes que foram praticados nas unidades penais da Paraíba. Doze cursos foram oferecidos, entre eles cozinha básica, corte e costura, pizzaiolo e confecção. A previsão é de que mais de 980 homens e mulheres serão beneficiados em 2013.

Saúde – Em 2012, 3.550 detentos foram atendidos por equipes de saúde penitenciária. A previsão é que esse atendimento seja ampliado.

Cultura – Presidiárias da Penitenciária de Recuperação Feminina Júlia Maranhão, em João Pessoa, confeccionou bonecas de pano que foram expostas no XVI Salão de Artesanato da Paraíba em 2012. Para este ano, estão previstas a implementação do Projeto Cinema Livre nos presídios da Paraíba  e realizar o 1º Desafio de Rappers do Sistema Prisional.

Família – Os familiares dos apenados participam de atividades nas datas comemorativas e nas ações de inclusão digital. Eles também são atendidos no acompanhamento psicossocial. Essas açãos devem ser executadas também em 2013.

Após tumulto, Pavilhão 2 do PB2 ficou destruído (Foto: Divulgação/Seap)Após rebelião, Pavilhão 2 do PB2 ficou destruído (Foto: Divulgação/Seap)

Escândalo
Sobre os escândalos nas unidades prisionais de Guarabira e de Patos e ainda das rebeliões no Presídio do Roger e no Complexo PB 1 e PB 2, o secretário Wallber garantiu que já está trabalhando com a remodelação dos presídios e do conserto da estrutura. Já sobre a Operação Squadre (que prendeu delegados e detentos que estavam envolvidos em grupo de extermínio), o secretário disse que vai ser atuante para que casos como esses não se repitam. “Estamos reforçando a comissão de sindicância, reforçando o serviço de inteligência do sistema penitenciário. Para punir as pessoas que insistem em praticar delitos”, disse.

Ao longo do ano passado foram realizadas diversas vistorias nas celas dos presídios da Paraíba onde foram apreendidos aparelhos celulares, carregadores, espetos artesanais e drogas. Sobre a entrada de produtos proíbidos nas penitenciárias, assim como celulares, Wallber afirmou que os agentes penitenciários que forem flagrados facilitando a entrada desse material também serão punidos. “Vamos coibir, principalmente, mudando a mentalidade de apenados e servidores. Temos que colocar na mentalidade do servidor que se ele permitir a entrada de celulares vai ser punido de forma efetiva, podendo perder até o cargo. E no caso do preso, vai aumentar a sua pena”, explicou.

Preso registrou imagem de outros detendos deitados nus na cela (Foto: Divulgação/CEDH-PB)Preso registrou imagem de outros detendos
deitados nus na cela (Foto: Divulgação/CEDH-PB)

Direitos Humanos
Em 2012, o G1 noticiou a detenção de membros da Comissão Estadual de Direitos Humanos durante uma vistoria no Complexo PB1.  Eles teriam sido presos quando entregaram uma câmera fotográfica para um detento. Wallber finalizou a entrevista dizendo que casos como esse serão evitados. “É uma meta, nesse governo, trabalharmos lado a lado com os Direitos Humanos. A própria constituição assegura o direito a dignidade da pessoa humana. A nossa obrigação é reforçar essa tese dentro dos presídios e humanizar. A meta é humanizar e ressocializar com a parceria com os comitês e conselhos de Direitos Humanos”, afirmou.

G1

Estado vai construir cisternas em mais de 70 municípios paraibanos

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Humano (Sedh), realiza ações para o enfrentamento à seca e disponibiliza equipamentos como cisternas (11.450), tanques de pedra (250) e bombas d’água (200). O programa é uma parceria entre o Governo do Estado e o Governo Federal, com um investimento de R$ 50 milhões, que beneficiará cerca de 15 mil famílias de mais de 70 municípios paraibanos.

A Secretária da Sedh, Aparecida Ramos, explica que as ações de combate à estiagem acontecem no âmbito da segurança alimentar e nutricional. “A Sedh promove o acesso à água para famílias em situação de insegurança alimentar e nutricional a partir da efetivação de tecnologias sociais para a captação e armazenamento de água de chuvas e produção de alimento”.

O gerente de apoio a programas governamentais da Sedh, Luiz Lianza, acrescenta que na perspectiva do consumo humano, a Secretaria promove a construção de cisternas de placa, equipamento utilizado para captação e armazenamento de águas com capacidade para 16 mil litros. Esta água, que é aparada a partir de calhas instaladas nos telhados das casas, é manejada adequadamente para as cisternas, que suportam até oito meses de estiagem.

“O processo de implementação da ação prevê, além das obras de construção dos equipamentos, a formação das famílias para o convívio com o semiárido e a capacitação de pedreiros e agentes de saúde”, informa. Esta ação foi iniciada em Campina Grande e se estende por mais 32 municípios do perímetro do semiárido paraibano.

Desta forma, serão construídas 8.050 cisternas de placa, orçadas em R$ 15.890.000,00, sendo R$ 13.000.000,00 do Ministério do Desenvolvimento Social e R$ 2.890.000,00 do Governo do Estado. As obras devem ser concluídas até metade do próximo ano, beneficiando 8.050 famílias. 

Produção de alimentos – Outra ação da Sedh para apoiar a produção de alimentos para o autoconsumo é a implementação de tecnologias sociais também para captação e armazenamento das águas de chuva associadas a unidades de produção de alimentos, no modelo de quintais produtivos.

Nesta ação, a Sedh está investindo em quatro diferentes modelos de equipamentos: Cisterna Calçadão, Cisterna de Enxurrada, Tanque de Pedra e Bomba D´água Popular. Juntas, estas ações beneficiarão 6.550 famílias, em um investimento de R$ 35.000.000,00. Deste total, R$ 3.200.000,00 é investimento do Governo do Estado.

As Cisternas Calçadão e de Enxurrada são equipamentos similares a Cisterna de Placa, diferenciando na forma de captação da água. “Este modelo utiliza vasto calçadão de cimento ou o acidente geográfico que provoca enxurradas para canalizar a água para as cisternas. Estes equipamentos comportam até 52 mil litros de água e devem ser utilizados para apoio às atividades domésticas e à produção de alimentos”, destaca Luiz Lianza.

Já os Tanques de Pedra são fendas largas, barrocas ou buracos naturais, normalmente de granito, construídas em áreas de serra ou onde existem lajedos, que funcionam como área de captação da água de chuva. O volume de água armazenado vai depender do tamanho e da profundidade do tanque.

Para aumentar a capacidade, são erguidas paredes de alvenaria, na parte mais baixa ou ao redor do caldeirão natural, que servem como barreira para acumular mais água. “O Tanque de Pedra é uma tecnologia de uso comunitário. Em geral, cada tanque beneficia uma média de sete a dez famílias. A água armazenada é utilizada para o consumo dos animais, plantações e nos afazeres domésticos. A sua construção consiste na utilização de acidentes geográficos impermeáveis (lajedos) que acumulam água quando são barrados”, explica.

A Bomba D´água Popular é um equipamento manual com uma roda volante, que puxa grandes volumes de água do subsolo com pouco esforço físico, aproveitando a água de poços tubulares desativados, podendo ser instaladas em poços de até 80 metros de profundidade. Essa tecnologia é de uso comunitário e permite o acesso à água para produção de alimentos, consumo animal e utilização doméstica e atende também entre sete e dez famílias.

Com Secom

Tacima: Prefeito é acusado de construir baias de cavalo com verba do Fundeb e juiz bloqueia recurso

O Fundeb é um fundo destinado a assegurar investimentos para melhoria da educação básica pública no Brasil. Em Tacima, no interior, da Paraíba, no lugar exclusivamente de alunos e professores, incluem-se entre os beneficiados os cavalos do prefeito Targino Pereira da Costa Neto (PMDB), conforme aponta ação civil pública assinada pelo Ministério Público Estadual por improbidade administrativa contra o Chefe do Poder Executivo local.

A ação acusa o prefeito (foto ao lado) de usar recursos do Fundeb para construir baias de cavalos que possui em sua fazenda particular, a Fazenda Trindade, que fica no Rio Grande do Norte, no município de Nova Cruz.
No dia 14 de setembro, ao iniciar o julgamento do caso, o juiz Ricardo da Silva Brito acatou liminar na ação do Ministério Público e determinou o bloqueio das contas do Fundeb na prefeitura de Tacima. Agora, até o julgamento do mérito, só sai dinheiro com autorização judicial e após a discriminação do destino da verba.
No despacho, o magistrado antecipa que fica evidenciado o uso indevido da verba do Fundo para aquisição de material de construção que foram entregues na fazenda do prefeito. Citando documentos anexados ao processo, ele diz que a comparação das notas fiscais do material com os empenhos da prefeitura deixam claro que o prefeito comprou os produtos com dinheiro do Fundeb e que eles foram entregues em sua propriedade.
De acordo com a ação do Ministério Público, o material foi comprado entre os meses de março e abril deste ano, no estabelecimento comercial Nena Material de Construção LTda, localizado na cidade de Passa e Fica, no Rio Grande do Norte.
O valor da compra com recursos do Fundeb é relativamente pequeno: R$ 3.201,67. Mas nem que fosse um real não daria ao prefeito direito de tirar verba da educação pra dar melhores condições aos seus cavalos.
Mais um triste exemplo de como os recursos públicos para educação são tratados pelo poder público brasileiro.
Um coice na honestidade.
Luís Tôrres

Câmara de Caaporã aprova e prefeitura doa terreno para construir prédio da Caixa Econômica

 

 

Foi aprovado pela Câmara Municipal de Caaporã e Sancionado pela Prefeitura Municipal, o projeto que expede autorização de escritura em favor da Caixa Econômica Federal de um terreno, localizada na Rua: Clemente Ferreira, em frente a igreja Assembleia de Deus. O projeto que doou o terreno vem a atender um pleito antigo da população e comerciantes Caaporenses, que solicitava uma agência da Caixa na cidade. A agência deverá ser construída em breve e atenderá a população residente na região e localidades próximas, além de gerar empregos.

Este Projeto é o resultado feliz da participação assidua do secretário de desenvolvimento, Kleyber Araújo somado ao empenho da Câmara de Vereadores e da Prefeitura Municipal com a sanção da lei pelo prefeito João Batista. Na terça-feira (04) o superintendente da Caixa Econômica na Paraíba, Elan Miranda e o gerente da Caixa de Cruz das Armas, Josinaldo Lucena foram recebidos por uma comitiva municipal, onde conheceram o local para construção da nova agência.

Esta doação será a título precário e condicionado, podendo retornar a terra cedida ao município, caso a Caixa Econômica não inicie a construção no prazo determinado em contrato.

O Prefeito Municipal, Dr. João falou da grande importância para o crescimento econômica: “Esse é um grande passo que damos junto a Caixa Econômica Federal  visando facilitar e incrementar com maiores recursos a vida de todos os munícipes”, salientou.

Luiz Cláudio, com Resendo Júnior
Focando a Notícia

Afink abre licitação para empresa que deverá construir Casa do Mel em Araruna; veja como participar

A Associação de Informação e Incentivo para o Nordeste Carente (Afink) abriu o processo de licitação para a contratação da empresa  que deverá construir a Unidade de Extração (Casa do Mel) no município de Araruna. A apresentação das propostas será na próxima segunda-feira (30) às 13h30. As empresas interessadas em participar do processo de licitação devem se dirigir a sede da Afink.

Confira como fazer para participar:

 

Redação/Focando a Notícia