Arquivo da tag: Conde

Alvo de represália da Guarda Municipal da prefeitura de Conde, padre surpreende e pede afastamento da paróquia

Após ter pintado um cruzeiro Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, no Conde, e com isso ter desencadeado uma briga com a gestão da prefeita Márcia Lucena, o padre Luciano Gustavo Lustosa da Silveira pediu afastamento da referida paróquia em carta enviada à Arquidiocese da Paraíba.

Na carta, o padre alega risco à sua integridade física e relata que está “sendo hostilizado por meio de discursos de ódio e ataques verbais” dirigidos a ele através de redes sociais.

Em sua carta, o padre Luciano não cita nomes, embora ressalte que as ameaças tiveram início após o episódio em que foi conduzido para a delegacia de Alhandra por uma guarnição da Guarda Municipal do Conde e que segundo ele, teria ocorrido por causa da pintura do cruzeiro reformado pela prefeitura, de azul para marrom.

Confira:

NOTA

Caríssimos irmãos e irmãs em Cristo Jesus, e a todos quantos virem essa nota, desejo a graça e a paz de Cristo. Nos ensina o apóstolo dos gentios, São Paulo, que: “em todas as coisas somos bem mais que vencedores, graças Àquele que nos amou” (Rm 8,37). Jesus Cristo, nosso Senhor e mestre, nos ensina que: “neste mundo vocês terão aflições, mas tenham coragem: Eu venci o mundo” (Jo 16,33).

É sabido por todos que no último dia 03 de outubro do corrente ano, deu-se um lamentável incidente envolvendo a minha pessoa e consequentemente a Igreja Católica em Conde e o poder público municipal. Episódio este, que está sendo devidamente acompanhado pela Arquidiocese da Paraíba, através do Arcebispo Metropolitano e da assessoria jurídica, buscando assim as elucidações dos fatos ocorridos. Desta forma, vivendo em um estado democrático de direito e respeito as garantias fundamentais do cidadão, desejamos que a luz da justiça, da democracia e da verdade, se evite erros, tiranias e abusos porvindouros.

Diante de toda a situação e buscando me resguardar, pedi a Arquidiocese um afastamento provisório da Paróquia, pois temo por minha integridade física, uma vez que eu esteja sendo hostilizado por meio de discursos de ódio e ataques verbais dirigidos a mim através de redes sociais.

Agradeço a todos os paroquianos, aos cidadãos condenses (dos quais faço parte) e a um grande número de católicos da Paraíba, do Brasil e do mundo que de alguma maneira externaram solidariedade a minha pessoa. Que Deus os abençoe e Nossa Senhora da Conceição, Padroeira de nossa Paroquia (externando também essas bênçãos as pessoas que pensam de forma contrária, pois apesar de todas as diferenças quer queiram/creiam ou não, somos filhos do mesmo Deus), os protejam e os livrem de todos males.

Procuremos construir um mundo com base na solidariedade, buscando nas divergências o complemento e não o afastamento em convívio social, RESPEITANDO SEMPRE o próximo naquilo que lhe seja de direito, buscando o diálogo, a serenidade e a paz.
Conde, 10 de Outubro de 2020.

Padre Luciano Gustavo Lustosa da Silveira Pároco

“A verdade brotará da terra e a justiça se inclinará lá dos céus” (Sl – 85,12)

Arquidiocese da PB relata indignação por condução de padre do Conde à delegacia

A Arquidiocese da Paraíba divulgou, na tarde desta quarta-feira (07), uma nota na qual informou que acompanha com indignação o episódio ocorrido no último sábado, dia 03 de outubro, quando foi informada que um dos seus sacerdotes, o Padre Luciano Lustosa, administrador da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, na cidade do Conde/PB, foi conduzido de forma coercitiva para a delegacia da cidade de Alhandra/PB.

O religioso, na ocasião, gravou um vídeo no qual criticou a prefeita do Conde, Márcia Lucena, responsabilizando-a por sua prisão e atribuindo o fato à decisão dele de ter pintado o cruzeiro em frente à igreja de marrom, quando a prefeitura havia pintado de azul.

CONFIRA A NOTA

“A Arquidiocese entende que se tratou de uma exposição desnecessária no contexto de um estado democrático de direito e respeito às garantias fundamentais do cidadão. Causa-nos estranheza que um sacerdote seja abordado por agentes públicos sob a alegação de que teria cometido um crime de desobediência, sem que os mesmos tenham uma determinação judicial que justificasse tal ato ou diante de um flagrante delito. A Arquidiocese, através do seu Arcebispo Metropolitano e da Assessoria Jurídica, está acompanhando toda a repercussão deste episódio, tudo para que a verdade seja esclarecida. À comunidade católica arquidiocesana, informamos que o Padre Luciano está sendo devidamente assistido de modo institucional, jurídico e espiritual. À sociedade paraibana, apresentamos o nosso desejo de que tudo seja resolvido com a licitude e lisura necessárias. Reivindicamos que o caso seja acompanhado com o devido respeito às pessoas envolvidas e às instituições públicas e religiosa, que buscarão todos os meios para elucidar o caso, à luz da justiça, da democracia e da verdade, tudo a evitar qualquer espécie de abuso de autoridade posterior”.

A prefeita Márcia Lucena negou que tenha determinado a prisão do padre ou mesmo orientado a Guarda Municipal para que tomasse qualquer atitude contra o religioso.

 

pbagora

 

 

Prefeitura do Conde, na PB, libera acesso a praias e banho de mar

A prefeitura do Conde autorizou, por meio de um decreto municipal, o acesso a praias e o banho de mar. A medida é válida a partir desta sexta-feira (4), data em que o documento foi publicado no Diário Oficial do município.

O fechamento das praias e outros pontos turísticos do município foi determinado em março deste ano como medida preventiva à propagação da Covid-19. No mesmo documento também foram suspensos circulação de veículos de turismo na região, como buggy e quadriciclo. As atividades, no entanto, foram liberadas em agosto.

Em decisões anteriores já estavam liberados os setores de salões de beleza e barbearia, além de cultos religiosos, desde que seguindo protocolos sanitários estabelecidos pela secretaria de saúde.

Atividades em academias, da construção civil e o funcionamento do mercado público também já estão permitidos no município.

A determinação amplia a flexibilização que vem sendo construída por meio de reuniões agendadas com representantes de cada uma das categorias ou segmentos, fortalecendo o diálogo da prefeitura com todos os setores.

G1

 

Márcia Lucena reassume Prefeitura do Conde, na PB, após prisão na Calvário

A prefeita do Conde Márcia Lucena (PSB) reassumiu, nesta segunda-feira (23), a prefeitura do município conforme divulgado no Diário Oficial do Conde. Márcia Lucena havia sido presa preventivamente durante a 7ª fase da Operação Calvário, deflagrada na terça-feira (17). A prefeita passou dois dias na Penitenciária Feminina Maria Júlia Maranhão, em João Pessoa, e foi solta no sábado (21) após decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

De acordo com a publicação, a posse foi imediata, sem solenidades, porque a própria ata de posse de Manga Rosa no cargo de prefeito, interinamente, já dispunha que ele se mantém interino enquanto o decreto prisional se mantivesse.

Márcia Lucena foi solta Márcia após a concessão do habeas corpus pelo ministro Napoleão Nunes Maia Filho, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que mandou soltar o ex-governador da Paraíba Ricardo Coutinho (PSB) e mais quatro pessoas.

Durante a prisão, o presidente da Câmara de Vereadores do Conde, no Litoral Sul paraibano, Carlos André de Oliveira, conhecido como Manga Rosa (MDB) tomou posse como prefeito interino da cidade na quarta-feira (18). A posse aconteceu um dia após a prefeita Márcia Lucena (PSB) ser presa preventivamente.

Também tiveram pedidos de habeas corpus deferidos os investigados David Clemente Correia, Cláudia Veras e Francisco das Chagas Pereira.

G1

 

Jovem desaparece após se afogar na praia de Coqueirinho, no Conde, PB

Um jovem de 18 anos desapareceu no mar, após se afogar na praia de Coqueirinho, no Conde, Litoral Sul da Paraíba, neste domingo (17). De acordo com o Corpo de Bombeiros, duas mulheres que estavam com o rapaz também se afogaram, mas foram resgatadas com vida.

Ainda segundo o Corpo de Bombeiros, as buscas pelo jovem foram realizadas até o início da noite deste domingo e retomadas no início da manhã desta segunda-feira (18).

O jovem e as duas mulheres são da cidade de Alhandra e visitavam a praia junto a um grupo de 40 pessoas. Até as 7h25 desta segunda-feira, o rapaz ainda não havia sido localizado.

G1

 

Em nota, Prefeitura de Conde atribui renúncia do vice-prefeito a ilegalidade flagrada pelo TCE

A Prefeitura Municipal da cidade de Conde emitiu uma nota ainda na noite desta segunda-feira (23), rebatendo o ex-vice-prefeito que justificou seu pedido de renúncia alegando ser vítima de perseguição por parte da gestão. Na nota, a Prefeitura atribui a renúncia ao fato de ele ter sido flagrado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) cometendo acumulação de cargo público e que por isso teve seu subsídio suspenso.

Confira a nota:

A Prefeitura Municipal de Conde atribui a renúncia do vice-prefeito ao fato de ele ter sido flagrado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) cometendo acumulação de cargo público, o que é vedado por lei;

2 –  O TCE notificou a Prefeitura sobre a ilegalidade, e a Secretaria de Administração do Município procedeu de forma a que o então vice-prefeito optasse por uma das remunerações e sanasse a ilegalidade, o que ele se recusou a fazer, obrigando a Prefeitura a suspender o subsídio a que ele tinha direito sob pena de o município também afrontar a legislação em vigor;

3 – A Prefeitura considera fantasiosa a afirmação do renunciante apresentada em carta encaminhada à Câmara Municipal de que seria vítima de perseguições por parte de integrantes da Gestão Municipal, fato que teria causado a renúncia;

4 – Na verdade, ele resolveu politizar a opção que fez: a de não assumir suas responsabilidades de gestor público permanecendo no cargo e renunciando ao outro emprego. Optou por mentir quanto à realidade dos fatos, traindo a confiança dos que acreditaram no seu anunciado intento de contribuir com trabalho para o desenvolvimento do Município;

4 – A Prefeitura rejeita as acusações descabidas aos integrantes da equipe gestora, e lamenta o desfecho decepcionante da curta trajetória política de um cidadão que se acovardou diante dos desafios políticos e administrativos impostos àqueles realmente com coragem de lutar em defesa da população condense.

A PREFEITURA

Conde, 23 de setembro de 2019

paraiba.com.br

 

 

Criança de seis anos cai de ônibus escolar, é atropelada e morre, no Conde

Uma verdadeira fatalidade ocorreu na manhã desta sexta-feira (06) na cidade de Conde, litoral Sul paraibano.

Um menino de apenas 6 anos, que estava sendo transportado em um ônibus escolar para a Zona Rural da cidade, caiu do veículo e foi atingido pelo pneu traseiro do ônibus.

O Samu chegou a ser acionado, mas apenas constatou o óbito.

De acordo com as informações, o menino estaria sentado na cadeira que é destinada a cadeirantes e por algum motivo a porta próxima da cadeira se abriu e ele caiu.

O clima no local é de ampla comoção.

De acordo com a prefeitura da cidade uma sindicância já foi solicitada para apurar o caso.

PB Agora

 

 

Incêndio atinge galpão de resíduos de eletroeletrônicos, no Conde, PB

Um incêndio atingiu um galpão de resíduos de eletroeletrônicos, nesta quarta-feira (26), no Conde, Litoral Sul da Paraíba. De acordo com o sócio da empresa, o fogo atingiu apenas a parte externa do galpão e o Corpo de Bombeiros conseguiu reduzir os danos.

Um dos funcionários da empresa que estava no local no momento do incêndio foi quem primeiro percebeu o fogo. Ele e outros funcionários tentaram apagar as chamar com extintores, mas devido a velocidade da propagação do incêndio, os extintores não foram suficientes.

O Corpo de Bombeiros foi acionada e, quando chegaram ao local, as chamas estavam muito altas. No entanto, conseguiram reduzir alguns danos e impedir a propagação do fogo. O sócio da empresa ainda informou que vai solicitar a perícia aos bombeiros para saber o que teria provocado o incêndio.

G1

 

Confirmado 12º caso de malária no Conde

Um homem de 32 anos diagnosticado com malária foi internado no Hospital Universitário Lauro Wanderley, em João Pessoa, na tarde dessa segunda-feira (17). Ele é agricultor e morador de um sítio na Zona Rural de Conde, município da região metropolitana. Este é o 12º caso confirmado da doença, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES).

De acordo com a assessoria do Hospital Universitário, o homem já chegou ao hospital com um teste positivo para malária. Ele está internado em situação estável e deve permanecer no hospital por no mínimo sete dias.

Além deste paciente, outros dois homens diagnosticados com malária continuam em tratamento no Hospital Universitário e passam bem.

 

portalcorreio

 

 

Paraíba tem quinto caso de malária em 2019 confirmado, diz Secretaria de Saúde do Conde

O quinto caso de malária foi confirmado no município do Conde, Litoral Sul da Paraíba, nesta segunda-feira (20). De acordo com a secretária de saúde da cidade, Renata Martins, uma mulher de 27 anos deu entrada no pronto atendimento na última sexta-feira (17) com os sintomas semelhantes.

A malária foi confirmada após a realização do exame de sangue, cujo resultado foi divulgado nesta segunda-feira. A mulher é moradora do Conde e, após ser comunicada sobre o resultado positivo para a malária, informou que está viajando, mas que retornaria para iniciar o tratamento.

A paciente não será transferida para o Hospital Universitário (HU) Lauro Wanderley, da Universidade Federal da Paraíba, em João Pessoa, porque não está inserida em um grupo de risco e está na fase inicial da doença.

O tratamento vai ser realizado em casa, com medicamentos. De acordo com a secretária, a paciente mora na mesma região das pessoas dos outros 4 casos. “Quando antes tratar, melhor, para evitar que outro mosquito seja vetor da doença”, explicou Renata.

Uma comissão especial foi formada com trabalhadores da Atenção Básica e Vigilância Epidemiológica da cidade para elaborar um relatório sobre o assunto, no prazo de 60 dias desde a data da descoberta da primeira paciente.

Outros quatro casos confirmados

O primeiro caso da doença no estado, este ano, foi constatado em uma mulher, de 35 anos, moradora do município do Conde, na Região Metropolitana da capital paraibana. Ela foi internada no mesmo hospital no dia 29 de março e, após passar por tratamento, recebeu alta no dia 9 de abril.

Já o segundo caso foi diagnosticado em um homem, de 53 anos, que deu entrada inicialmente no Hospital de Ortotrauma de Mangabeira e, depois, foi transferido para o HU no dia 5 de abril, quando exames confirmaram a suspeita. Ele mora no município de Tavares, mas trabalha no Conde, segundo a Secretaria de Estado da Saúde e a Secretaria de Saúde do Conte. Ele recebeu alta médica no dia 12 de abril.

O terceiro caso foi identificado em uma mulher, de 40 anos, moradora do bairro de Jacumã, no Conde. Ela deu entrada no HU no dia 11 de abril, quando a confirmação de malária foi feita por meio de um teste rápido, e recebeu alta no dia 22 do mesmo mês.

A confirmação do quarto caso foi identificada em um idoso, de 60 anos, que mora no bairro Village Jacumã, no Conde. Após o diagnóstico, o tratamento foi iniciado no município, mas devido a outras doenças, ele foi transferido para o Hospital Universitário (HU) Lauro Wanderley, da Universidade Federal da Paraíba, em João Pessoa. Ele recebeu alta no dia 8 de maio.

Malária

As secretarias chamam a atenção para os seguintes casos suspeitos:

  • toda pessoa residente ou que tenha se deslocado para área endêmica para malária, no período de 8 a 30 dias anterior à data dos primeiros sintomas, e que apresente febre alta e intermitente (periódica entre 42 a 72 horas) acompanhada ou não de cefaleia, calafrios, sudorese, cansaço ou mialgia;
  • diante da suspeita, avaliar a clínica e solicitar teste rápido para malária e/ou gota espessa (lâmina);
  • importante também investigar outras arboviroses como dengue, zika e chikungunya;

A malária não é uma doença comum no estado, mas é transmitida pela fêmea do mosquito Anopheles, que pode ser encontrado na Paraíba nas espécies An.aquasalis; An. albitarsis; An.bellator e An. Argyritarsis.

É necessário que o mosquito esteja infectado pelo protozoário Plasmodium nas espécies P. vivax, P. falciparum e P. malariae, que age na corrente sanguínea para causar a doença.

Além da transmissão por mosquito, a doença pode ser difundida por contato de uma corrente sanguínea com o sangue contaminado.

G1