Arquivo da tag: Campinense

Campinense toma gol nos acréscimos do Floresta-CE pela Série D do Brasileiro

O Campinense perdeu pelo placar de 2 x 1 para o Floresta (CE) e se complicou na Série D do Brasileiro.

O rubro-negro estava empatando com o Floresta, mas acabou tomando o gol da virada aos 49 minutos do segundo tempo, resultado que pode complicar o time na tabela de classificação no Grupo 3.

Os gols saíram no segundo tempo. Matheus marcou para os raposeiros, cabendo a Eduardo e Alisson anotarem os tentos dos donos da casa.

Apesar do resultado negativo, o Rubro-negro ainda segue no G-4 com 13 pontos, mas pode perder o posto para o Afogados, que tem 11 e joga ainda hoje com o América de Natal.

Na próxima sexta-feira, o Campinense pega o Guarany de Sobral, às 16h, no Amigão. Já o Floresta encara o Atlético de Cajazeiras, no Perpetão, também na sexta.

pbagora

 

Campinense arranca empate com o Globo-RN e segue vivo na Série D

O Campinense conseguiu sair no lucro na partida deste sábado, contra o Globo-RN, no Estádio Barretão, em Ceará-Mirim, pela sétima rodada da Serie D do Brasileiro.

Isso porque, com um jogador a menos durante boa parte do segundo tempo – Netto foi expulso -, a Raposa empatou por 1 a 1 com o Carcará.

Os gols saíram no segundo tempo. Gabriel marcou para o time da casa, de pênalti, aos 37 minutos, enquanto que Rômulo deixou tudo igual, aos 42 minutos.

Com o resultado, o Campinense soma sete pontos, mas pode ser ultrapassado pelo Atlético-PB, que joga neste domingo, diante do líder América-RN, em casa. Jáo Globo segue na quinta posição, com oito pontos.

Na próxima quarta-feira, Campinense e Globo-RN voltam a se enfrentar no Estádio Amigão, em Campina Grande, pela oitava rodada.

Ficha Técnica

Globo-RN
Pedro Paulo (Rodrigo Carvalho), Filipinho, Marlon ( Gabriel Recife), Alexandre e Julieu; Ramon (Alan), Beleu, Allef e Aurélio (Marcelinho); Edson Kapa e Gabriel. Técnico – Renatinho Potiguar
Campinense
Welligton Lima, Alex Travassos (Allef Diego), Breno, Rômulo e Fabinho; Júnior Gaúcho, Jobson, Gabriel (Chiquinho, depois Everton Henrique) e Renato Cruz (Téssio); Netto e Rafael Ibiapino (Echeverría). Técnico – Givanildo Sales
Gols- Gabriel Silva (G), aos 37min, Rômulo (C), aos 42min do 2ºT
Cartão amarelo – Edson Kapa, Filipinho, Allef (G), Echeverría (C)
Cartão vermelho – Netto (C)
Árbitro – Jean Latorraca Ferreira (MT)
Assistentes – Francisco de Assis da Hora e Edilene Freire da Silva (RN)

 

Foto: Ascom/Globo-RN

paraibaonline

 

 

Treze e Campinense jogam neste sábado pelas séries C e D; veja detalhes

Os principais times de Campina Grande entram em campo neste sábado (17) representando a Paraíba no Campeonato Brasileiro. O Treze enfrenta o Santa Cruz pela Série C, e o Campinense pega o Globo na Série D.

O jogo da Raposa ocorre a partir das 15h, no estádio Barrettão, em Ceará-Mirim, a partir das 15h. A transmissão será feita através da plataforma Mycujoo.

O Campinense é vice-lanterna do Grupo 3 e vem de tropeços. A equipe precisa do resultado positivo para seguir sonhando com a classificação para a próxima fase.

Já o  Treze recebe o Santa Cruz, no Amigão, a partir das 19h. A  partida é válida pela 11ª rodada da competição.

Em fase de recuperação, o Galo vem de três vitórias seguidas, deixou a zona de rebaixamento e já mira o G-4 do Grupo A, estando em 5º lugar.

 

Portal WSCOM

 

 

Em jogo fraco, Campinense empata sem gols com o Salgueiro-PE, no Amigão

Campinense e Salgueiro-PE se enfrentaram pela sexta rodada do Grupo A3 da Série D do Campeonato Brasileiro na noite desta quarta-feira (14), no estádio Amigão, em Campina Grande. Em um jogo fraco tecnicamente e com produção ofensiva praticamente nula das duas equipes, o 0 a 0 refletiu bem o que foi visto no campo de jogo.

Com a promessa de não perder nenhum jogo na Série D e colocar para jogar “apenas quem tiver vontade”, o treinador Givanildo Sales acabou promovendo quase que uma revolução na escalação da Raposa. O goleiro Waldson e o meio-campista Echeverría foram sacados da equipe titular. De fora por lesão, Alex Murici ficou de fora, assim como seu xará Alex Travassos, suspenso pela expulsão na rodada passada. Desta forma, Aleff Diego entrou improvisado na ala-direita, enquanto Matheus Silva jogou na vaga de Fabinho, que também cumpria suspensão pelo cartão vermelho no sertão, na esquerda. Por fim, Fábio Júnior começou no banco de reservas devido orientação do departamento médico.

O empate deixa o Campinense ainda na sétima colocação da chave, com 6 pontos. No sábado (17), a equipe rubro-negra enfrenta o Globo-RN, fora de casa. O Salgueiro-PE chegou aos 9 pontos e dividindo a vice-liderança da chave com a Águia do Rio Grande do Norte. O próximo compromisso do Carcará será também sábado, no Cornélio de Barros, diante do Floresta-CE.

Equipe @Vozdatorcida

 

 

Pressionado, Campinense quer recuperação contra o Salgueiro na Série D

De favorito ao desespero. Depois de um início promissor, o Campinense caiu nas rodadas seguintes e, por isso, entra em campo nesta quarta-feira, precisando vencer o Salgueiro-PE para continuar a luta pela classificação na Série D do Brasileiro.

O confronto acontece a partir das 19h, no Estádio Amigão, em Campina Grande pela sexta rodada do Grupo 3. A Raposa, que vem derrota para o Atlético-PB, po0r 3 a 0, caiu para penúltima colocação, com cinco pontos. Já o Carcará pernambucano, está bem melhor, na terceira posição, com oit.

No Campinense, o treinador Givanildo Sales, que chegou a entregar o seu cargo, deve promover mudanças na equipe. Alex Travassos e Fabinho foram expulsos e cumprem suspensão. Além deles, estão fora Alex Murici, Pedro Victor e Juliano, lesionados.

Pelo lado do Salgueiro, o time espera manter a boa fase, já que se mantém invicto na chave. Caso consiga voltar de Campina com a vitória, a equipe do técnico Daniel Neri pode terminar a rodada na liderança, mesmo com um jogo a menos que os rivais.

Ficha Técnica
Campinense
Waldson (Welligton), Júnior Gaúcho, Rômulo, Breno e Vinícius Araújo; Neto, Gabriel e Echeverría; Jobson, Rafael Ibiapino e Fábio Júnior. Técnico – Givanildo Sales
Salgueiro
César Tanaka, Dadinha, Ranieri, Arthur e Daniel; Bruno Sena, Willian Daltro, Renato e Tarcísio; Ciel e Daniel Passira. Técnico – Daniel Neri
Árbitro – Jonata de Souza Gouveia (CBF-AL)
Assistentes – Ruan Neres e Luís Filipe Gonçalves (CBF-PB)

 

paraibaonline

 

 

Jobson marca 1º gol pelo Campinense, mas time cede empate e sai do G4 na Série D

Campinense empatou em 1 a 1 contra o Floresta, na tarde desde domingo (4) no estádio Amigão, em Campina Grande. O jogo foi válido pela 4ª rodada da primeira fase da Série D do Campeonato Brasileiro.

Jobson tirou uma selfie ao comemorar o gol da Raposa.

O atacante Jobson, badalada contratação da Raposa para a Série D, foi o responsável pelo gol da equipe no jogo. Também foi o primeiro tento guardado pelo atacante ex-Botafogo pelo clube paraibano.

No lance, já no segundo tempo, Alex Murici dividiu por cima e colocou a bola para Jobson, que não perdoou e marcou.

Mas durou apenas alguns minutos a liderança do placar da Raposa. Aos 15, Deysinho cabeceou após cruzamento e a bola morreu nas redes do time de Campina.

Com o empate, a Raposa saiu do G-4 do grupo 3 da Série D. O time tem 5 pontos em 4 jogos e é 5º colocado.

O próximo confronto do Campinense é contra o Atlético de Cajazeiras, no próximo domino (11), fora de casa.

 

Portal WSCOM

 

 

Campinense fica no empate com o América-RN na estreia pela Série D

Na tarde deste sábado (19), o Campinense visitou o América-RN, na Arena das Dunas, na estreia da Série D do Campeonato Brasileiro. Em um jogo brigado, a Raposa foi levemente melhor, mas ficou no empate por 0 a 0, pontuando, como queria o treinador Givanildo Sales, na abertura do Grupo A3 da competição nacional.

O Campinense resolveu assustar já no segundo minuto de jogo. Fabinho avançou pela meia esquerda e chutou de longe, obrigando o goleiro Everton a ir espalmar a bola que ia no seu canto esquerdo.

Dois minutos mais tarde, por pouco o Mecão não abre o marcador. Após bola cruzada da esquerda, Waldson saiu mal do gol, a bola sobrou para Wallace Pernambucano, que cabeceou, mas Anderson Schmoeller cortou em cima da linha.

O jogo ficou bastante truncado, com muita pegada. Os donos da casa buscavam dominar as ações, mas esbarravam na retranca montada por Givanildo Sales.

A Raposa voltou a chegar na frente aos 26 minutos, quando Aleff Diego recebeu na intermediária e chutou de pé  direito. A bola passou próximo ao poste esquerdo da meta potiguar.

Em um chute de fora da área aos 34 minutos, foi a vez de Felipe Guedes obrigar Waldson a espalmar para escanteio a bola que tinha como endereço o seu canto esquerdo.

Em uma cobrança de falta de Alex Travassos do lado esquerdo, aos 39 minutos, Júnior Gaúcho desviou para o gol, mas o assistente George Ítalo Antas anotou impedimento do jogador rubro-negro.

Sempre que o Campinense chegava, o América-RN respondia. Aos 43, Rondinelli fez fila na defesa paraibana, invadiu a área e, na saída de Waldson, chutou para fora, a direita da meta.

Foto: Canindé Pereira/ América-RN

Segundo tempo

No início da segunda etapa, a melhor chance de gol até então. Augusto invadiu a área e tocou na saída de Waldson, e a bola bateu na trave direita do gol do Campinense.

Na velocidade de Rafael Ibiapino, aos 13 minutos, o atacante avançou pela direita, invadiu a área e bateu cruzado, mas o goleiro espalmou para escanteio.

A melhor chance da Raposa veio aos 20 minutos. A zaga americana saiu mal, Fábio Júnior se aproveitou e tocou para Rafael Ibiapino, livre na marca do pênalti. O artilheiro do estadual bateu de primeira, de pé direito, mas a bola explodiu no travessão de Everton.

O jogo chegava em sua reta final e o Mecão tentava pressionar. E o goleiro Waldson quase colaborou com os alvirrubros. Aos 34, em uma saída de bola atrapalhada do arqueiro rubro-negro, a bola sobrou com Augusto, que chutou de fora da área, mas o goleiro se recuperou e fez a defesa, espalmando a bola pela linha de fundo.

No lance seguinte, o estreante Jobson recebeu na meia esquerda, cortou para o meio e bateu de chapa, de pé direito. A bola passou tirando tinta da trave esquerda do América-RN.

Perto do apito final, aos 44 minutos, Everton Henrique pegou sobra na intermediária e soltou a bomba de pé canhoto. O goleiro Everton desviou e a bola foi por cima da trave, para escanteio.

Com o empate por 0 a 0, Campinense e América-RN ficam com um ponto no Grupo A3. O próximo jogo da Raposa será no próximo sábado (26), no Amigão, contra o Afogados-PE. O Mecão, por sua vez, enfrenta o Floresta-CE, fora de casa, no mesmo dia.

Fonte: Equipe @Vozdatorcida

 

Campinense monta novo time para as disputas da Série D do Campeonato Brasileiro

O Campinense praticamente montou um novo time para as disputas da Série D do Campeonato Brasileiro. Ao todo, a Raposa contratou após o término do Estadual, 11 jogadores. O último reforço anunciado pelo rubro-negro, foi o retorno do lateral-direito Alex Murici, jogador de 31 anos que foi vice-campeão estadual pelo Rubro-Negro na temporada 2018.

O jogador estava há duas temporadas defendendo as cores do Brasiliense e tem também na carreira passagens por equipes como CRB, Central de Caruaru, Portuguesa de São Paulo e Itabaiana.

Murici é a 11ª contratação anunciada pela Raposa visando a disputa da quarta divisão nacional. O rubro negro será comandado na competição nacional, por Givanildo Sales

Movida pelo sonho do acesso para a Série C, a diretoria da Raposa já contratou o goleiro Waldson, oo zagueiro Anderson Schmoeller, do lateral-esquerdo Fabinho, dos volantes Neto e Júnior Gaúcho, dos meias Téssio, Echeverría, Renato Cruz e Aleff Diego e do atacante Jobson. O zagueiro Anderson Schmoeller, de 30 anos estava recentemente defendendo as cores do Mamoré de Minas Gerais. Já o meia Aleff Diego, que chega por empréstimo do Doce Mel-BA até o fim das disputas da Série D do Brasileiro. O jogador foi um dos destaques da campanha do time baiano no estadual, marcando três gols em nove jogos disputados.

Depois de anunciar os novos reforços para a disputa da Série D, o Campinense renovou o contato do atacante Rafael Ibiapino, artilheiro do Campeonato Paraibano e eleito o craque da competição.

Em contrapartida, deixaram o Rubro-Negro até agora o lateral-esquerdo Matheus Camargo, do volante Robertinho e do meia Bismarck.

O Campinense tem dois amistosos contra o Central de Caruaru agendados para os dias 29 deste mês e para o dia 4 de setembro. A estreia na Série D está marcada para o dia 19 de setembro, jogando fora de casa, contra o América de Natal. O Campinense está no Grupo A3 da competição nacional junto com o próprio América-RN, o Atlético de Cajazeiras, Afogados de Pernambuco, Salgueiro, Guarany de Sobral, Globo FC e Floresta.

Severino Lopes
PB Agora

 

Treze e Campinense decidem neste sábado, título da 110ª edição do Campeonato Paraibano

Clássico dos Maiorais 412. Vale a taça. Será conhecido neste sábado (15), o campeão paraibano 2020. O segundo e decisivo duelo entre Treze e Campinense acontece a partir das 16h no estádio O Amigão. Por ter vencido o primeiro clássico por 2 x 0, o Galo tem vantagem e pode perder até por 1 gol de diferença, que mesmo assim levanta a taça de campeão do Estadual, e quebra o jejum de títulos que já dura 9 anos.

Já a Raposa tem uma missão complicada e precisa tirar a vantagem do rival construída no primeiro duelo. Caso o Campinense vença com diferença de dois gols, a decisão será nos pênaltis. A Raposa só será campeã no tempo normal se conseguir vencer o rival por três gols de diferença.

Serão 90 minutos para deixar o torcedor dos dos clubes aflitos e com o coração batendo forte. Afinal, doze anos depois da última vez em que protagonizaram uma final de estadual, Galo e Raposa estão frente a frente novamente em uma partida que vale título. Em campo, estarão as duas maiores rivalidades do Campeonato Paraibano, e 36 títulos estaduais, sendo 21 conquistados pela Raposa contra 15 pelo Galo.

Para esse jogo decisivo, o técnico do Treze, Moacir Júnior praticamente tem todo elenco a sua disposição, e deve escalar o time com a força máxima. A única baixa continua sendo o volante Rezende, que, com diagnóstico positivo para Covid-19, já está afastado do elenco desde o último fim de semana. Sendo assim, a tendência é mesmo que a escalação do Galo seja a mesma, sem nenhuma alteração.

No Campinense, a missão é dura. Sem ter conquistado uma vitória sequer em três jogos contra o arquirrival até aqui na temporada – foram um empate (1 a 1) e duas derrotas (1 a 0 e 2 a 0) -, a Raposa vai precisar se desdobrar, ser mais efetiva nas finalizações e cometer menos falhas defensivas se quiser desbancar o agora favorito Treze e levar o título para o Renatão.

O técnico Nei Júnior foi demitido no dia seguinte à derrota no jogo de ida desta final do Paraibano. A Raposa será comandada por Hélio Cabral, que é auxiliar fixo do Campinense. Para o jogo mais importante do rubro-negro na temporada, Hélio não poderá contar com o zagueiro Uesles que segue em tratamento de uma lesão na coxa direita, assim como o volante Pêu, que cumpre suspensão automática. O goleiro Rodrigo Dias, que vinha tratando uma lesão no ombro direito, até voltou a treinar, mas não tem escalação confirmada. A tendência é que Elielton, Caio Breno e Juliano apareçam entre os titulares. o meia Juliano e o volante Caio Breno, entraram no decorrer do último duelo e deram mais movimentação ao meio de campo da Raposa e por isso, vivem a possibilidade para iniciar entre os 11 neste sábado.

Mandante do jogo, o Treze deve ir a campo com Jeferson, Léo Pereira, Breno Calixto, Nilson Júnior e Gilmar; Robson, Vinícius Barba, Alexandre Santana e Douglas Lima; Tales e Frontini. Técnico – Moacir Júnior.
Já o Campinense deve começar com Welligton Lima, Alex Travassos, Alex Maranhão, Breno e Matheus Camargo; Elielton, Caio Breno, Juliano e Bismarck; Rafael Ibiapino e Reinaldo Alagoano. Técnico – Hélio Cabral.

Galo e Raposa sempre fazem um duelo acirrado, duro e com emoções. Dos 410 confrontos, o Treze venceu 142 vezes, contra 109 do Campinense. O Clássico dos Maiorais já terminou empatado 162 vezes. Na artilharia dos Maiorais, a vantagem também é trezeana: até agora, são 503 gols a favor do Alvinegro, contra 451 para o Rubro-Negro.

A rivalidade entre Campinense e Treze pode ser medida em jogos válidos pelo Campeonato Paraibano. Até o momento, os dois clubes se enfrentaram 232 vezes no Estadual. A vantagem também é do Treze. Ao todo, o Galo venceu 76 partidas, contra 71 triunfos da Raposa.

O equilíbrio de Campinense e Treze no Paraibano, se mede no número de empates. Os dois terminaram a partida em igualdade no placar 98 vezes. O Galo marcou 259 gols contra 242 da Raposa.

Após o apito final do árbitro, Marcelo Aparecido de Souza (SP), Treze ou Campiense vai comemorar o título estadual, e a volta para Campina Grande da hegemonia do futebol paraibano.

Severino Lopes
PB Agora

 

Campinense demite técnico após derrota para o Treze no primeiro jogo da decisão do Campeonato Paraibano

O Campinense emitiu um comunicado em suas redes sociais que o técnico Nei Júnior foi demitido. A saída ocorre após a derrota para o Treze, na tarde dessa quarta-feira (12), no primeiro jogo da decisão do Campeonato Paraibano 2020. Nei Júnior deixa o clube após quatro jogos, sendo duas vitórias e duas derrotas.

A nota oficial

“A diretoria do Campinense, através do seu Presidente executivo, Paulo Gervany, comunica a demissão do técnico Nei Júnior.O preparador Físico Bismarck Colaço também deixa o clube. Hélio Cabral, profissional fixo da casa, comandará a Raposa na segunda e decisiva partida da final do Campeonato Paraibano 2020”.

clickpb