Arquivo da tag: campeão

Campeão paraibano 2020, Treze conquista 16º título estadual

Fim do jejum. O Treze é o campeão paraibano 2020. O Galo levantou a taça do Estadual, mesmo perdendo por 1 x 0 para seu maior rival Campinense na tarde deste sábado (15), no estádio O Amigão em Campina Grande. Este foi o 16.º título do alvinegro que não comemorava um campeonato há nove anos. Na partida deste sábado, o Campinense venceu por 1 x 0, mas o placar não foi suficiente para tirar o título do Treze. Como venceu o primeiro jogo por 2 x 0, o Galo levantou a taça de campeão.

Para conquistar o Paraibano 2020, o Treze disputou 14 partidas, das quais, venceu 8, perdeu quatro e empatou duas. Na primeira fase, o Galo terminou com a melhor campanha da Chave A com 20 pontos. Nas semifinais, o Galo enfrentou o Botafogo-PB e após dois resultados iguais — 2 a 0 para o Belo na ida e 2 a 0 para o Galo na volta – conseguiu a passagem para a final nos pênaltis.

Na final, conquistou o título em cima do maior rival. No primeiro duelo, venceu por 2 x 0, e neste sábado, perdeu por 1 x 0 mas arrancou outro triunfo.

Como já era previsto, o jogo deste sábado entre rubro-negro e alvinegro foi duro, equilibrado e com muitas faltas. O Galo começou melhor, criou algumas oportunidades mas não conseguiu convertê-las em gols.
O alvinegro perdeu chances em um chute de longe, de Léo Pereira e depois com , Douglas Lima.
A primeira oportunidade clara do Campinense veio aos 35 minutos, quando Alex Travassos cruzou da direita e, livre na entrada da pequena área, Fábio Júnior bateu de direita e chutou por cima do gol.

Aos 44, Léo Pereira fez jogada em velocidade pela direita e mandou para a área, onde Douglas Lima desviou, Wellington Lima fez outra ótima defesa e, no rebote, sem goleiro, Alexandre Santana chutou na rede pelo lado de fora, desperdiçando a chance de deixar o Treze na frente do marcador no fim do primeiro tempo.

No segundo tempo, o Campinense voltou melhor e pressionou o alvinegro, já que precisava tirar uma vantagem de dois gols.
Em jogada de habilidade, Rafael Ibiapino por pouco não faz um golaço.
Aos 21, finalmente a rede balançou. Rafael Ibiapino fez ótima jogada pela direita e cruzou para a área. Juliano aproveitou o rebote da defesa e encheu o pé direito para estufar a rede de Jeferson e deixar a decisão em aberto.

Rafael Ibiapino quase marcou o segundo gol quando bateu de direita da entrada da área e obrigou ao goleiro trezeano a espalmar a bola para o meio.

A Raposa se empolgou e continuou indo para cima. Aos 32, Juliano bateu do meio da rua, com violência, e Jeferson se esticou todo para desviar a bola para escanteio. O Galo segurou atrás, passou a tocar a bola e esperou o tempo passar.

Ficha Técnica

Treze
Jeferson, Léo Pereira, Breno Calixto, Nilson Júnior e Gilmar; Robson, Vinícius Barba (Alisson Cassiano,) Alexandre Santana (Bruno Mota) e Douglas Lima (Gustavo); Tales (Edson Carioca) e Frontini (Ermínio). Técnico – Moacir Júnior
Campinense
Welligton Lima, Alex Travassos (Matheus Silva), Rômulo, Breno e Matheus Camargo; Elielton (Wagner Querino), Caio Breno (Aleffe), Juliano e Bismarck (Pedro Maycon); Rafael Ibiapino e Fábio Júnior (Reinaldo Alagoano). Técnico – Hélio Cabral
Gols – Juliano (C), aos 20min do 2ºT
Cartão amarelo – Juliano, Rômulo, Elielton (C), Jefferson, Alexandre Santana, Robson, Vinicius Barba (T)
Árbitro – Marcelo Aparecido de Souza (SP)
Assistentes – Kildenn Tadeu e Ruan Neres

Severino Lopes
PB Agora

 

No 1º jogo da decisão, Fla vence Flu e precisa de um empate para ser campeão

O Flamengo venceu o Fluminense por 2 a 1 neste domingo, no Maracanã, e abriu vantagem na grande decisão do Campeonato Carioca. Como o regulamento não beneficia nenhum dos clubes, o Rubro-negro poderá até mesmo empatar na próxima quarta-feira, que ficará com o título estadual. Pedro e Michael marcaram para o time de Jorge Jesus e Evanilson descontou para o Tricolor.

A finalíssima será na próxima quarta-feira, às 21h (horário de Brasília), no Maracanã. O duelo será transmitido pelo SBT, já que o Flamengo será o mandante e negociou com a emissora de Silvio Santos.

 

Uol

 

Morre Valdir Espinosa, campeão carioca pelo Botafogo e mundial pelo Grêmio

O técnico campeão da Libertadores da América e Mundial pelo Grêmio em 1983 e carioca pelo Botafogo-RJ em 1989, Valdir Espinosa, morreu nesta quinta-feira (27) aos 72 anos de idade. Ele foi submetido a uma cirurgia na região do abdômen no dia 17, e internado novamente no dia 20, mas não se recuperou.

Atualmente, Espinosa ocupava o cargo de gerente de futebol do Botafogo, clube com o qual tinha grande identificação pela conquista do Campeonato Carioca de 1989.

Valdir Espinosa em sua volta ao Botafogo — Foto: Vitor Silva/Botafogo
Valdir Espinosa em sua volta ao Botafogo — Foto: Vitor Silva/Botafogo

História

Nascido em Porto Alegre, Espinosa começou sua carreira no futebol como jogador do Grêmio. Atuou por oito anos como profissional, passando por CSA, Esportivo e Caxias. Parou em 1978 e no ano seguinte já iniciou no cargo de treinador do Esportivo.

Desde então, construiu uma carreira sólida, com o auge em 1983, quando comandou o Grêmio campeão da Libertadores e do Mundial. Na época, o time contava com jogadores como Renato Gaúcho, De León, Paulo César Caju e Mário Sérgio.

Em 1989, Espinosa aceitou o convite do Botafogo, que não conquistava o Campeonato Carioca havia 20 anos. Com um gol de Maurício na final contra o Flamengo, o time celebrou o título invicto da competição e criou mais um momento histórico para a carreira do treinador.

Espinosa rodou o Brasil como treinador e teve experiências internacionais. Ele trabalhou no Cerro Porteño, do Paraguai, no Al-Hilal, da Arábia Saudita, e no Tokyo Verdy, do Japão. Também teve uma rápida passagem pelo Las Vegas City.

Globo Esporte

 

 

Flamengo se sagra campeão brasileiro 24 horas após conquistar a Libertadores

Um dia após conquistar o bicampeonato da Libertadores, o Flamengo sagrou-se campeão brasileiro pela sétima vez, neste domingo (24), com o resultado do jogo entre Palmeiras e Grêmio, que terminou com a vitória do tricolor gaúcho por 2 a 1.

O detalhe é que o time rubro-negro não entrou em campo pela competição nacional neste fim de semana, já que a partida contra o Vasco foi antecipada.

Com a derrota, a equipe alviverde não conseguirá igualar o Flamengo em número de pontos até o final da competição.

Ao fim da 34ª rodada, o Flamengo possui 81 pontos, enquanto que o Palmeiras 68 pontos.

(Foto: reprodução/Flamengo)

http://paraiba.com.br/

 

 

Flamengo pode ser campeão brasileiro no próximo fim de semana

O torcedor do Flamengo gritou “é campeão” durante o segundo tempo da vitória contra o Bahia, por 3 a 1, neste domingo, no Maracanã. O time não conquistou ainda o Brasileiro, mas está bem próximo disso e a taça pode vir até mesmo no próximo fim de semana.

Para isso, a conta é simples:

  • O Flamengo precisa vencer o Vasco, quarta, 21h30, no Maracanã, em jogo da 34ª rodada
  • O Flamengo precisa vencer o Grêmio no domingo, 16h, em Porto Alegre
  • O Palmeiras não pode vencer o Bahia, domingo, 16h, em Salvador

O Flamengo, hoje, tem 10 pontos a mais que o Palmeiras. Faltam seis jogos, ou seja, 18 pontos em disputa. De acordo com o matemático Tristão Garcia, o time carioca tem 98% de chances de ser campeão. O Palmeiras 2%.

  • Flamengo tem 77 pontos
  • Palmeiras tem 67 pontos

O Rubro-Negro vencendo os dois próximos jogos e o Palmeiras pelo menos empatando, o Flamengo abriria 15 pontos. No máximo o time paulista poderia igualar, mas perderia em número de vitórias. No momento, é 24 a 19 para a equipe carioca.

GE

 

Raposa anuncia contratação de jogador campeão do mundo pelo São Paulo

Um campeão na área. Após anunciar Jaelson Marcelino como o novo comandante para o restante da Série D do Brasileiro, o Campinense fez uma verdadeira reformulação no elenco. Seis jogadores foram desligados do elenco, e quatro contratações, anunciadas, dentre as quais uma impactante.

A grande novidade foi a contratação do experiente Richarlyson, de 36 anos, tricampeão brasileiro (2006, 2007 e 2008) e campeão mundial (2005) com o São Paulo Futebol Clube.  O anúncio foi feito futuro diretor de futebol da Raposa José Pereira, o Pezão.

Polivalente, já que atua no meio-campo e também na lateral esquerda, Ricky estava disputando a Série A-3 do Paulista pelo Noroeste de Bauru, cidade natal da sua família. Ele fez 16 partidas e anotou um gol, com a última atuação no dia 13 de abril.

Além de Richarlyson, o Campinense confirmou também os acertos com o lateral esquerdo Jackinha, que estava no Atlético de Cajazeiras e agora retorna ao Renatão, e os atacantes Soares, ex-Jaciobá de Alagoas, e Carlos Caaporã, cria do CSP que tem passagens por Treze, América de Natal e por último Esporte de Patos. Jackinha é o quarto nome anunciado pelo Campinense que vem do Atlético de Cajazeiras. Antes dele, a Raposa já havia buscado no Trovão Azul o goleiro João Manoel, o volante Ferreira e o atacante Yerien. Na semana passada, a Raposa repatriou o volante Negreti.

Enquanto uns chegam outros saem. A direção rubro-negro anunciou o desligamento do zagueiro Jean, o lateral esquerdo James, o volante Vitor Maranhão, o meia Alex Mineiro e o atacante Chaveirinho.

Já o centroavante Lopeu, artilheiro da equipe na temporada até então com cinco gols anotados, pediu para deixar o Campinense. Segundo a assessoria de imprensa raposeira, o atleta alegou problemas particulares para solicitar o desligamento.

Jaelson Marcelino vai começar a treinar o time para a partida de domingo (26), contra o ASA de Arapiraca, no Amigão, pela quarta rodada do Grupo A-7 da Série D. A Raposa está na 3ª posição, e precisa recuperar os pontos perdidos em casa e fora de seus domínios para obter a classificação para o restante da competição, e manter o sonho do acesso para a Série C do Brasileiro em 2021.

 

Severino Lopes

PB Agora

 

 

 

Flamengo repete o placar do primeiro jogo e é campeão carioca

O Flamengo conquistou o título carioca de 2019 com mais uma vitória por 2 a 0 sobre o Vasco, na segunda partida da final do Estadual. O confronto, disputado na tarde deste domingo no Maracanã coroou a melhor campanha na competição. O Vasco chegou à final por ter vencido a Taça Rio, primeiro turno do Carioca. O Flamengo venceu o segundo turno e foi a equipe com mais pontos em toda a fase de classificação. William Arão abriu o placar no primeiro tempo, e Vitinho fez o segundo gol na etapa final.

Passado o Estadual, Flamengo e Vasco têm compromissos importantes nesta próxima semana. O Rubro-Negro visita a LDU em Quito, em busca da classificação à próxima fase da Libertadores. Um empate garante a classificação com uma rodada de antecedência.

Já o Gigante da Colina recebe o Santos na quarta-feira, em São Januário, no jogo de volta da quarta fase da Copa do Brasil. No jogo de ida, a equipe foi derrotada por 2 a 0 na Vila Belmiro.

O Jogo – O primeiro tempo no Maracanã começou quente. O Vasco, precisando reverter a vantagem de 2 gols do Flamengo, iniciou a partida com uma postura agressiva, marcando em cima e tentando não deixar o Flamengo jogar. O Rubro-Negro, por sua vez, manteve a calma e chamava o Vasco para seu campo enquanto buscava impor velocidade em suas subidas ao ataque.

E a chegada do jogo foi do Flamengo. Com um minuto, Gabriel avançou pela direita e cruzou pelo alto. Arrascaeta recebeu e arrsicou o chute, mas a bola desviou em Danielo Barcelos e o goleiro Fernando Miguel defendeu.

O Vasco respondeu na cobrança de um escanteio no minuto seguinte. Bola levantada na área e Werley acertou cabeçada para fora.

A equipe de Alberto Valentim mostrava muita disposição, mas o Flamengo construia as melhores oportunidades. Aos 12, Arrascaeta cobra falta da intermediária, a zaga rebate e Renê solta a bomba. A bola passa rente ao poste esquerdo de Fernando Miguel.

Três minutos depois, o Flamengo usou uma de suas maiores armas, a bola aérea, para abrir o placar no Maracanã. Falta pela direita do ataque, Pará rolou para Arrascaeta, que levantou na medida para William Arão cabecear para o fundo da rede.

Mesmo em vantagem, Flamengo seguiu mais perigoso, e teve dois contra-ataques muito perigosos aos 27 e 28 minutos. No primeiro, Diego lançou Gabigol na ponta esquerda. Ele penetrou na área e, quase sem ângulo, tentou um chute cruzado, mas Fernado Miguel cortou.

No segundo lance, Arrascaeta lançou Gabigol novamente do lado esquerdo. Desta vez, ele entrou na área, chamou a marcação e tocou por baixo das pernas do zagueiro vascaíno. Na pequena área, Diego tocou para o gol mas mandou em cima do goleiro vascaíno. Aos 30, Arrascaeta cobrou escanteio e Renê chutou na rede pelo lado de fora.

Nos minutos finais da primeira etapa, o Vasco subiu de produção e conseguiu chegar com perigo em busca do empate. Na melhor oportunidade, aos 33, a bola é levantada na área e Diego Alves corta de soco. No rebote, Yago Pikachu chutou de primeira no canto, mas Renê cortou quase na linha e salvou o empate.

O Vasco ainda chegou com perigo por duas vezes antes do apito final do primeiro tempo, aos 39 e aos 44. Lucas Santos recebeu cruzamento da direita de Marrony e acertou o chute. A bola desviou em Pará e saiu pela linha de fundo, próximo à trave.

No último lance de perigo, Raul Cáceres cruzou da direita e, após disputa pelo alto, Danilo Barcelos chutou fraco e Diego Alves defendeu.

O Vasco voltou para o segundo tempo com Maxi López no lugar de Lucas Santos, e partiu para cima do Flamengo em busca do empate. Pressionando desde que a bola rolou, o Cruz-Maltino esteve perto do empate.

Com um minuto, Marrony arriscou de fora da área e mandou pela linha de fundo. Dois minutos depois, jogada pela direita do ataque, Cáceres tocou para Pikachu, que chegou batendo. Maxi tentou desviar de letra mas mandou nas mãos de Diego Alves.

O Vasco levou um susto aos 14. Em contra-ataque rápido, Arrascaeta tocou em profundidade para Gabigol, que entrou na área, driblou o goleiro e mandou para a rede. O VAR chamou o árbitro e apontou impedimento no lance e o gol foi anulado.

Aos 20, Diego Alves fez sua maior defesa no jogo. Bruno Cesar cruzou da esquerda e Maxi López tocou de primeira para o gol, mas o goleiro do Fla se esticou e tirou com a ponta dos dedos, em lance de grande reflexo.

Aos 25, o Fla respondeu com Gabigol. Jogada pela esquerda, o atacante entrou na área e acertou a trave de Fernando Miguel.

Aos 33, Abel Braga fez duas alterações no Flamengo. Saíram Gabigol e Arrascaeta, e entraram Ronaldo e Vitinho. E foi do atacante o gol que deu números finais ao confronto decisivo. Aos 37, Diego faz boa jogada, avança pelo campo adversário e toca na medida para a escapada de Vitinho, que acerta belo chute cruzado e mata Fernando Miguel: Fla 2 a 0.

O Vasco ainda teve uma oportunidade aos 40, quando Danilo Barcelos cobrou falta próximo a àrea e acertou o travessão. Aos 42, Werley recebeu o segundo amarelo e foi expulso de campo.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 2 x 0 VASCO

Local: Etsádio do Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)

Data: 21 de abril de 2019. domingo

Horário: 16h00 (horário de Brasília)

Árbitro: Rodrigo Carvalhaes de Miranda

Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa e Luiz Cláudio Regazone

VAR: Bruno Arleu e Daniel Espírito Santo

Cartões amarelos: Diego, Gabriel, Cuéllar (Flamengo); Leandro Castán, Werley, Danilo Barcelos, Bruno César, Raul, Marrony (Vasco)

Cartão vermelho: Werley (Vasco)

Público: 52.398 (47.995 pagantes)

Renda: R$ 2.152.256,00

Gols:

FLAMENGO: William Arão, aos 15 min do 1º tempo; Vitinho, aos 37min do 2º tempo

FLAMENGO: Diego Alves, Pará, Rodrigo Caio, Léo Duarte e Renê; Cuéllar, Willian Arão e Diego; Arrascaeta (Vitinho), Gabigol (Ronaldo) e Everton Ribeiro (Lincoln)

Técnico: Abel Braga

VASCO: Fernando Miguel, Raul Cáceres (Bruno César), Werley, Leandro Castán e Danilo Barcelos; Raul, Lucas Mineiro, Yago Pikachu e Lucas Santos (Maxi López); Marrony e Yan Sasse (Ribamar)

Técnico: Alberto Valentim

Gazeta Esportiva

 

Campeão entre os homens, conscientização sobre câncer de próstata precisa evoluir

O Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima que mais de 61 mil homens serão diagnosticados com câncer de próstata entre 2016 e 2017 – o que o torna o campeão entre todos os tipos incidentes nos homens (com exceção do câncer de pele não-melanoma), com quase 30% de todos os casos no Brasil. O tratamento evoluiu muito nos últimos anos, mas cerca de 25% dos pacientes ainda morrem devido a doença. Muitos, devido à demora em obter o diagnóstico. “Cerca de 20% dos pacientes ainda são diagnosticados em estágios avançados, embora, nos últimos anos, esse índice tenha diminuído. É uma doença silenciosa. Precisamos deixar de lado preconceitos e evoluir na prevenção e no diagnóstico”, afirma o oncologista Fernando Maluf, especializado na patologia.

A prevenção é simples e nada dolorosa. Segundo a SBU, homens a partir de 50 anos devem procurar um médico para fazer avaliação individualizada. “Já aqueles com parentes de primeiro grau com câncer de próstata devem começar antes, aos 45. Todo processo de rastreamento deve ser realizado após ampla discussão sobre os seus riscos e benefícios”, completa Maluf. Esse rastreamento se resume em um exame de sangue para detectar a presença de uma proteína, conhecida como PSA, antígeno prostático específico, que em excesso na corrente sanguínea pode indicar alterações na glândula, e o exame de toque retal.

Preconceito vs prevenção – Cerca de 40% dos diagnósticos de câncer de próstata são feitos por meio do PSA, outros 40% pelo PSA e toque retal e o restante detectado apenas no exame de toque. “Infelizmente, ainda existe muito preconceito associado ao exame de toque, o que faz com que muitos não busquem atendimento e a doença seja detectada apenas em um estágio bastante avançado”, conta o médico, um dos embaixadores da campanha Novembro Azul no país.

Uma das campanhas de conscientização para detecção precoce mais conhecidas no país, o Novembro Azul, tem como principal objetivo alertar os homens e quebrar os medos e preconceitos em relação à doença. “A origem deste movimento no Brasil é bastante triste. Um amigo de longa data – urologista e especialista na doença – acabou falecendo exatamente por causa do câncer de próstata. Foi uma luta árdua e perdida. Ele me deixou com a missão de mudar este cenário. Com isso, nasceu o Instituto Lado a Lado pela Vida e, logo depois, a campanha veio junto”, conta Marlene Oliveira, presidente da entidade. O instituto trouxe a ideia inicial da Austrália e incluiu o Brasil em um movimento que hoje se estende por mais de 20 países.

A campanha deste ano incluiu uma série de atividades que visaram conscientizar a sociedade por meio de informações sobre a importância da mudança de hábitos para a adoção de um estilo de vida mais saudável, focado na prevenção. “Todos os homens devem saber que é importante, além de buscar uma vida com qualidade, criar o hábito de acompanhar a sua próstata depois de uma certa idade. O diagnóstico precoce pode salvar a sua vida”, conclui Maluf.

Evolução no tratamento – Antigamente, até mesmo os tumores considerados pequenos e pouco agressivos eram tratados com radioterapia ou cirurgia, considerados procedimentos eficientes, mas invasivos. Hoje, somente os casos mais graves seguem esta linha de tratamento. Mesmo aqueles considerados sem chances de cura conseguem uma sobrevida significativa, com mais bem-estar, menos dores e menos complicações secundárias.

Entre as novidades recentes, podemos citar a enzalutamida, de uso oral, que é um inibidor da via de sinalização do receptor de andrógenos, utilizada para o tratamento do câncer de próstata metastático pré e pós-quimioterapia – o medicamento acabou de ser incorporado no rol da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) para pré-quimioterapia e estará disponível na rede privada a partir de janeiro de 2018. Para a indicação pós-quimioterapia, o medicamento já estava disponível nas Operadoras de Saúde desde janeiro de 2016. A enzalutamida é capaz de diminuir a proliferação e induzir a morte das células de câncer de próstata, com consequente redução do volume do tumor, conforme estudos realizados in vitro. “Os resultados dos estudos clínicos mostraram que o medicamento adiou por 18 meses o tempo mediano necessário para iniciar a quimioterapia. Um período significativo de tempo durante o qual os homens têm a sua doença controlada”, explica Machado Moura, diretor médico sênior para América Latina da Astellas Farma Brasil.

Assessoria 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Grêmio tropeça, e Corinthians pode ser campeão na quarta

No estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS), Grêmio e Vitória empataram em 1 a 1, neste domingo, em partida válida pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols do duelo foram marcados por Patric em posição duvidosa, para o Vitória, e Fernandinho, para o Grêmio.

Fernandinho (D), jogador do Grêmio, comemora seu gol com os companheiros de equipe durante partida contra o Vitória, válida pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro 2017.
Fernandinho (D), jogador do Grêmio, comemora seu gol com os companheiros de equipe durante partida contra o Vitória, válida pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro 2017.

Foto: Everton Silveira/Photo Premium/Gazeta Press

Com o resultado, o time gaúcho alcança os 58 pontos e permanece em segundo na classificação, mas pode ser ultrapassado pelo Santos, que joga nesta segunda-feira, contra a Chapecoense, na Arena Condá (SC). O clube baiano chegou aos 39 pontos e segue na 16ª posição. O empate foi bom também para o Corinthians, que depende apenas de uma vitória na próxima rodada, contra o Fluminense, para garantir o título matematicamente.

O confronto ocorreu no estádio do Juventude, na Serra Gaúcha, devido ao show do ColdPlay que aconteceu na Arena do Grêmio no sábado. Com isso, o gramado do local não tinha condições de receber o jogo no domingo.

No Grêmio, o técnico Renato Portaluppi teve três desfalques. No gol, Paulo Victor entrou no lugar de Marcelo Grohe, que estava com dores na cervical. Na lateral-direita, Edílson, com um desconforto muscular, foi poupado e Léo Moura assumiu a posição. Sem Bruno Cortez e Marcelo Oliveira (lesionados), o treinador improvisou na lateral-direito Leonardo na esquerda. O restante da equipe foi toda titular. A curiosidade foi a opção pelo garoto Jaílson iniciar o jogo e Michel, considerado titular, ficar no banco de reservas.

O técnico do Vitória, Vagner Mancini, teve três desfalques. O meia Yago, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, deu lugar para o retorno de Neílton. O volante Uillian Correia, expulso no duelo contra o Palmeiras, foi substituído por Ramon. O zagueiro Wallace pertence ao time gaúcho e está impedido de atuar devido a uma cláusula contratual, teve a posição ocupada por Bruno Bispo.

O JOGO

A partida começou com muita marcação no meio de campo, o que forçava os jogadores de ambos os times fazerem lançamentos, sem perigo, para o ataque. Em algumas oportunidades, o Grêmio chegava tocando bem a bola perto da área adversária, mas sem efetividade na conclusão.

A primeira finalização do jogo ocorreu aos 11 minutos. O volante gremista Jaílson recebeu na entrada da área e arriscou uma conclusão. A bola passou quicando na direita de defesa do goleiro Fernando Miguel.

O Vitória respondeu no lance seguinte. Em cobrança de escanteio Neílton, a defesa gremista afastou mal e a bola sobrou na entrada da área para José Welison concluir forte em direção à meta. Contudo, o zagueiro Pedro Geromel apareceu a tempo e a redonda desviou na coxa do jogador e saiu para mais um escanteio.

Um minuto depois, em jogada individual, o atacante David passou pela marcação e finalizou muito forte e o goleiro Paulo Victor fez boa defesa.

A pressão do Vitória deu certo e aos 16 minutos, o time baiano abriu o placar. Depois de bela troca de passes entre David, Fillipe Souto e Patric, o lateral recebeu, livre na esquerda em posição irregular e ficou cara-a-cara com o arqueiro gremista. O jogador afundou o pé para balançar as redes no estádio Alfredo Jaconi.

Nem deu muito para o torcedor do Leão comemorar, pois dois minutos depois, o Grêmio com Fernandinho. Em ataque pela esquerda, o lateral Leonardo fez bonita tabela com o meia Ramiro e cruzou para a área. O atacante Fernandinho subiu mais alto e desviou para deixar tudo igual na Serra Gaúcha.

Aos 25 minutos, após cobrança curta de escanteio, a bola rodou de pé em pé até chegar no meia Ramiro que, de de fora da área, mandou uma bomba no ângulo. A redonda tinha lugar certo para entrar, mas o goleiro Fernando Miguel saltou e fez grande defesa, impedindo a virada do Tricolor Gaúcho. Aos 32 minutos, em ataque pela direita, Neilton cruzou para a área, a bola passou toda extensão até David ficar com a redonda na esquerda. O atacante colocou novamente na área e Tréllez subiu sozinho, mas cabeceou mal, para fora.

O Vitória quase voltou a ficar na frente do marcador aos 45 minutos. Após cobrança de lateral direto na área, um bate-rebate iniciou na pequena área gremista até a redonda sobrar no pé do atacante Neílton. Contudo, o jogador chutou alto demais, desperdiçando a chance de colocar o Leão na frente.

Antes do apito final, o craque gremista Luan quase fez um gol de placa. O jogador fez uma bela jogada, dando um lençol em Ramon, e, sem deixar a bola cair, bateu de primeira visando o ângulo esquerdo de ataque. Porém, o arqueiro Fernando Miguel defendeu com tranquilidade a conclusão, agarrando a redonda com as duas mãos.

SEGUNDO TEMPO

Os dois times retornaram do vestiário para o gramado do estádio Alfredo Jaconi sem alterações. Em boa marcação da equipe baiana, Fernandinho perdeu a bola no meio de campo e o Vitória armou um contra-ataque rápido, aos 4 minutos. Na jogada, Tréllez recebeu na entrada da área, puxou para finalizar com o pé esquerdo, mas o chute saiu muito alto e passou sob a meta defendida pelo goleiro Paulo Victor.

Aos nove minutos, após cobrança rápida de falta no meio de campo, Luan recebeu próximo à grande área e ergueu na segunda trave. O atacante Fernandinho aparecia pelo setor, mas cabeceou alto, sob o gol de Fernando Miguel.

O Vitória ficou com um jogador a menos aos 13 minutos do segundo tempo. No lance, Fillipe Souto, o único atleta com amarelo na partida até então, fez falta em Ramiro, recebeu o segundo amarelo e consequentemente o vermelho.

Com um jogador a mais na partida, o Grêmio iniciou uma blitz. Aos 14 minutos, Ramiro recebeu na direita da área e tocou na pequena área para o centroavante Lucas Barrios, livre, desviar para o gol. O goleiro Fernando Miguel fechou os espaços e fez mais uma bela defesa no jogo. Um minuto depois, Ramiro colocou na área novamente, o arqueiro do Vitória espalmou e, no rebote, Leonardo pegou fraco na redonda.

Aos 18 minutos, o Luan marcou para o Grêmio, mas, em posição irregular, o lance foi corretamente anulado pela arbitragem. Dois minutos depois, novamente Luan recebeu e arriscou um chute colocado de fora da área, a bola desviou no meio do caminho e o arqueiro Fernando Miguel chegou a saltar, mas a redonda passou rente à trave esquerda de defesa.

O Vitória se retrancou e o Grêmio se jogou para o ataque, porém o time gaúcho encontrava dificuldades para furar a barreira baiana. Aos 37 minutos, Jael recebeu na ponta direita e tocou para Luan finalizar, dentro da área. A bola explodiu na marcação e saiu para escanteio. Aos 45 minutos, após contra-ataque rápido, o Vitória chegou a marcar um gol, mas a arbitragem assinalou o impedimento.

As duas equipes retornam a campo no meio de semana pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro. Na quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), o Grêmio enfrenta o São Paulo, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS). Na quinta-feira, às 20h (de Brasília), o Vitória encara a Chapecoense, na Arena Condá, em Chapecó (SC).

FICHA TÉCNICA

GRÊMIO 1 X 1 VITÓRIA

Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS)

Data: 12 de novembro de 2017, domingo

Horário: 17h (de Brasília)

Árbitro: Marcelo Aparecido R de Souza – SP

Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho – SP  e Bruno Salgado Rizo – SP

GOLS

Grêmio: Fernandinho, aos 18 minutos do primeiro tempo

Vitória: Patric, aos 16 minutos do primeiro tempo

CARTÕES AMARELOS

Grêmio:

Vitória: Fillipe Souto (duas vezes), Kanu

CARTÃO VERMELHO

Vitória: Fillipe Souto

GRÊMIO: Paulo Victor; Léo Moura, Pedro Geromel, Walter Kannemann e Leonardo (Éverton); Jaílson (Jael), Arthur, Ramiro, Luan e Fernandinho (Patrick); Lucas Barrios.

Técnico: Renato Portaluppi

VITÓRIA: Fernando Miguel; Patric, Bruno Bispo, Kanu e Geferson; José Welison, Ramon, Fillipe Soutto e Neílton (Caíque Sá); Santiago Tréllez (André Lima) e David (René Santos).

Técnico: Vagner Mancini

Gazeta Esportiva

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Bahia bate o Sport e é campeão da Copa do Nordeste após 15 anos

Nos últimos 15 anos, o torcedor do Bahia só viu sua equipe conquistar títulos Estaduais. Nessa quarta, esse tabu foi quebrado em grande estilo. Com uma vitória por 1 a 0, graças a gol de Edigar Junio, o Tricolor repetiu os feitos de 2001 e 2002 e se sagrou campeão da Copa do Nordeste na Arena Fonte Nova, em Salvador. A taça coroa uma campanha que tem como destaque o fato do Esquadrão não ter levado nenhum gol diante de seu torcedor durante toda a competição. Ao Leão, que buscava o Tetra, fica a lamentação por ter feito um jogo muito abaixo do que se esperava. A expulsão infantil de Rogério ainda no primeiro tempo também dificultou a missão dos pernambucanos fora de casa.

E se a Copa do Nordeste é carinhosamente chamada de “Lampions League” pelos torcedores nordestinos em alusão ao principal torneio europeu, nessa quarta todo o cerimonial de abertura lembrou os protocolos das tradicionais competições do Velho Continente. Com direito e jogo de luzes, música, hino nacional e mosaico nas arquibancadas, Bahia e Sport entraram em campo cientes da responsabilidade que carregavam.

A pressão, no entanto, parece ter abatido o time do Sport. Ney Franco surpreendeu ao escalar seu time com três zagueiros e com Raul Prata no lugar de Everton. O problema é que parece não ter dado tempo de seus comandados assimilarem bem a nova postura. O Leão não se encontrou na primeira etapa.

Por outro lado, o Bahia sobrou. À vontade e com o apoio da massa, o Tricolor ignorou a vantagem de jogar pelo empate sem gols e partiu para cima. Aos 11 minutos, o estádio explodiu. Edigar Junio recebeu de Armero, girou em cima de Durval e cavou por cobertura de Magrão, a lá Romário. Um golaço.

Só dava Bahia. Régis estufou a rede pelo lado de fora e enganou metade do estádio. Edigar Junio, endiabrado nessa quarta, aproveitou bola alçada na área e cabeceou na trave.

E não bastasse o Sport mal chegar ao ataque, Rogério ainda piorou as coisas ao tentar enganar o árbitro e simular um pênalti aos 32 minutos. O atacante já tinha recebido um cartão amarelo pouco antes. Mesmo assim, o árbitro Francisco Carlos do Nascimento não perdoou, aplicou a segunda advertência e expulsou o jogador, que sequer ameaçou reclamar.

Apesar das substituições ofensivas, até desesperadas de Ney Franco, no segundo tempo, os últimos 45 minutos foram de ainda mais tensão para a equipe pernambucana. Com dez jogadores, o Leão não conseguiu segurar a veloz equipe de Guto Ferreira. Mas o clima de tensão predominou por causa da ineficiência do Esquadrão.

Foram chances atrás de chances e nada de gol. O Bahia desperdiçou pelo menos seis oportunidades claríssimas de gol. Nenhuma delas, porém, balançou as redes. O Sport manteve a esperança viva até os últimos momentos do jogo, mas também não apresentou força suficiente para reagir na Fonte Nova.

Dessa forma, foi só espera o apito final. Se de um lado a lamentação imperava, para os baianos aquele foi o estopim para a festa, que só terminou depois da volta olímpica. Já eram 15 anos sem um título que não fosse o Estadual.

FICHA TÉCNICA

BAHIA 1 X 0 SPORT

Local: Fonte Nova, em Salvador (BA)

Data: 24 de maio de 2017, quarta-feira

Horário: 21h45 (Brasília)

Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL)

Assistentes: Esdras de Lima Albuquerque (AL) e Rondinelle dos Santos Tavares (AL)

Cartões amarelos: BAHIA: Régis, Edson e Renê Júnior. SPORT: Rogério (2), Ronaldo, Marquinhos

Cartão vermelho: SPORT: Rogério

Público: 41.175 torcedores

Renda: R$ 1.620.453,00

GOL:

BAHIA: Edigar Junio, aos 11 minutos do 1T.

BAHIA: Jean; Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Armero; Edson, Renê Júnior (Juninho) e Régis (Matheus Sales); Zé Rafael (Gustavo), Allione e Edigar Junio.

Técnico: Guto Ferreira

SPORT: Magrão; Matheus Ferraz, Henriquez e Durval; Raul Prata (Marquinhos), Ronaldo (Leandro Pereira), Fabrício (Everton Felipe), Diego Souza e Mena; André e Rogério.

Técnico: Ney Franco

Gazeta Esportiva

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br