Arquivo da tag: Cabedelo

Esposa do secretário de comunicação de Cabedelo morre após sofrer parada cardíaca durante parto

Mariana Bezerra, esposa do secretário de Comunicação de Cabedelo, Leandro Borba, faleceu na manhã desta quarta-feira (4) após dar a luz ao filho do casal. Ela teve uma parada cardíaca. O bebê, chamado Bernardo, passa bem.

As informações são de que Mariana havia passado mal por falta de ar e uma tomografia mostrou lesões no pulmão. Foram feitos testes de covid-19, mas os resultados foram negativos. Os médicos optaram então por fazer a cesária. Ela teve problemas durante a cirurgia, mas foi estabilizada e encaminhada para a UTI, onde os médicos acabaram descobrindo um problema cardíaco. A família de Mariana tinha histórico de problemas cardíacos, mas ela não havia apresentado sintomas até então.

O velório será no Parque das Acácias, em João Pessoa, mas o horário ainda não foi confirmado pela família. O sepultamento deve ocorrer nesta quinta-feira (5).

O prefeito de Cabedelo, Vitor Hugo, divulgou uma nota de pesar pelo falecimento de Mariana Bezerra. Leia na íntegra:

Dentre tantas quedas que a vida nos impõe, nada destrói mais do que a perda de alguém que amamos. O ciclo da vida às vezes se mostra impiedoso, e só mesmo crendo nos desígnios de nosso Pai para aceitarmos e convivermos com ele, certos de que os planos de Deus são sempre mais sábios que os nossos.

Com o coração cheio de tristeza e dor, venho aqui lamentar profundamente a perda da nossa amiga Mariana Bezerra, esposa do secretário de Comunicação de Cabedelo, Leandro Borba.

Mariana se foi de forma precoce e inesperada. Antes, deu vida ao filho Bernardo, que chega nesse mundo para tentar preencher o imenso vazio por ela deixado, e para ser luz em meio às trevas que sua morte representa.

A você, meu amigo Leandro, e a toda família de Mari, nosso mais sincero pesar. Apenas Deus pode confortar o coração de vocês nesse momento de indizível tristeza. Todos estão com você, cheios de certeza de que Mari foi luz em vida e deixou conosco o fruto de um amor infinito e puro, para ser cuidado e amado como ela foi durante o tempo que passou conosco!

 

clickpb

 

 

MPF e MPT pedem suspensão de aulas presenciais em faculdades de JP e Cabedelo

Em ação, ajuizada no domingo (25), o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Púbico do Trabalho (MPT) pediram que a Justiça Federal determine a suspensão da retomada de quaisquer atividades presenciais nas instituições de ensino superior (IES) de João Pessoa (PB) e Cabedelo (PB), autorizadas por decretos municipais. O pedido liminar decorre do risco de aumento da transmissão do novo coronavírus e consequente risco à saúde de estudantes, trabalhadores e respectivos familiares, caso as aulas presenciais sejam retomadas em plena pandemia da covid-19.

Os órgãos ministeriais também pediram medida liminar determinando que os dois municípios adotem protocolos uniformes para retomada de aulas presenciais pelas instituições de ensino superior, apresentem os planos de contingência de cada estabelecimento e a programação de fiscalização em cada estabelecimento, para que possa ser aferida a efetiva observância das medidas de prevenção de contágio pela covid-19 adotadas.

Na ação, MPF e MPT justificam a urgência do pedido em razão de João Pessoa e Cabedelo terem expedido decretos municipais que violam o Decreto Estadual nº 40.304, de 12 de junho de 2020, que determinou a suspensão das aulas presenciais nas escolas, universidades e faculdades da rede pública e privada em todo o território estadual, até ulterior deliberação. Alertam também que a retomada dessas atividades, desconsiderando as normas estaduais e sem embasamentos técnicos suficientes, evidencia a possibilidade de lesão do direito fundamental à saúde, pois “existe elevado risco de que tal retorno, sem o devido planejamento de quem de direito, aumentará o risco de transmissão e contágio da covid-19, não apenas entre os alunos e professores, mas entre as pessoas com quem convivam e eventualmente entrem em contato após as aulas”, argumentam.

Bandeira amarela – Segundo o Plano Novo Normal para a Educação da Paraíba (PNNE/PB), elaborado pelo governo estadual, o retorno das aulas presenciais em instituições de ensino superior somente deverá ocorrer quando os municípios atingirem os parâmetros de classificação de bandeira verde (nível novo normal, próximo da realidade vivida antes da pandemia). Porém, os dados mais recentes sobre a taxa de letalidade do coronavírus na Paraíba, disponíveis nos boletins epidemiológicos divulgados diariamente pela Secretaria de Saúde Estadual, mostram João Pessoa e Cabedelo com índices de letalidade 3% e 2,4%, respectivamente, acima da média estadual (2,3%), fator que, dentre outros, classifica os dois municípios na bandeira amarela, impondo-lhes diversas restrições, entre elas, o não retorno presencial às aulas.

Embasamento técnico – Conforme frisa a ação judicial, a classificação das bandeiras estabelecidas pelo decreto estadual se fundamenta em dados técnicos, como a taxa de progressão de casos novos, taxa de letalidade observada, taxa de ocupação hospitalar em UTI e taxa de obediência ao isolamento social, percentual de imunidade populacional, inclusive a taxa de transmissão do vírus calculada pela Fiocruz. No entanto, os órgãos ministeriais não identificaram embasamento ou fundamentação técnica de projeção e análise de riscos dos gestores nos decretos editados pelos municípios de Cabedelo (Decreto nº 68, de 25 de setembro de 2020) e João Pessoa (Decreto nº 9.584, de 2 de outubro de 2020).

Harmonia e integração – Diante da clara divergência entre decretos municipais e estadual, o Ministério Público destaca recente entendimento, firmado pelo Supremo Tribunal Federal, de que municípios devem observar as recomendações e diretrizes traçadas pelos governos estaduais para enfrentamento da pandemia da covid-19. Em mais de uma ocasião, durante a atual crise sanitária, o STF entendeu que municípios não podem impor normas de flexibilização das atividades públicas e econômicas, em desacordo com as normas estaduais a respeito do tema. Curiosamente, conforme registra a ação, uma das situações em que a Suprema Corte consolidou esse entendimento ocorreu em ação movida pelo município de Cabedelo, na Justiça Estadual, para sustar os efeitos de decisões proferidas pela 4ª Vara Mista de Cabedelo e pelo Tribunal de Justiça paraibano.

Para o MPF e o MPT, o descompasso entre os decretos municipais e o decreto estadual demonstra ausência de harmonia, diálogo e integração que devem imperar entre os entes federados, especialmente, durante a crise sanitária da covid-19. Os órgãos fiscais da lei destacam o ensinamento do STF na resposta ao município de Cabedelo, de que não se pode “privilegiar determinada política local, em detrimento de todo o planejamento regional, ou mesmo do próprio estado, a quem incumbe, precipuamente, combater as nefastas consequências decorrentes dessa pandemia”, entendimento que deixa claro ser necessária a “articulação entre os entes federados no movimento de retomada das atividades econômicas e sociais”, ressaltam. Como explicado na petição inicial, “não pretendem os autores se imiscuir na apreciação dos critérios técnicos definidos pela administração pública para fundamentar suas decisões normativas, mas garantir que, efetivamente, existam tais critérios e sejam transparentes, bem como que seja observada a hierarquia normativa definida pelo ordenamento pátrio”.

Direito do trabalhador – Por envolver instituições de educação superior, prestadoras de serviços federais delegados pelo Ministério da Educação, o Ministério Público Federal entendeu ser órgão legítimo para defender o direito à vida, saúde e segurança sanitária da coletividade perante a Justiça Federal, no caso. No entanto, a ação, ajuizada em conjunto com o Ministério Público do Trabalho, também busca salvaguardar a vida, a saúde e integridade física dos trabalhadores desses estabelecimentos educacionais.

Segundo informações apuradas pelo MPT, o processo de retomada das atividades presenciais nas instituições de ensino superior em João Pessoa e de Cabedelo vem sendo conduzido de maneira a técnica, sem fiscalização eficaz de protocolo de segurança específico para a preservação da integridade física dos profissionais que atuam nas referidas instituições, e dos próprios alunos.

Conforme a ação ajuizada, embora algumas instituições de ensino superior hajam tomado a iniciativa de elaborar, unilateralmente, protocolos de segurança com o enfoque da proteção da higidez do meio ambiente do trabalho, a notícia que se tem é que tais protocolos não chegaram a ser validados por qualquer instância do Poder Executivo Estadual ou pelos órgãos do sistema federal de inspeção do trabalho.

Inquérito civil – Em março de 2020, o Ministério Público Federal instaurou o Procedimento Administrativo de Acompanhamento de Políticas Públicas nº 1.24.000.000420/2020-51, com o objetivo de acompanhar e avaliar as medidas adotadas pelos órgãos públicos voltadas ao combate do novo coronavírus no estado da Paraíba. Desde a instauração do procedimento, o MPF, ao lado do Ministério Público do Trabalho e Ministério Público da Paraíba, tem adotado diuturnamente inúmeras providências no intuito de fiscalizar o efetivo cumprimento das políticas públicas capazes de garantir a prestação do serviço de saúde pública à população, especialmente, aos pacientes infectados pela covid-19.

 

parlamentopb

 

 

“Refletirá em João Pessoa” alerta Geraldo Medeiros sobre volta às aulas de Cabedelo

A Secretaria Estadual de Saúde da Paraíba acionou a Procuradoria Estadual no intuito de tentar impedir o retorno das aulas presenciais nas faculdades localizadas na cidade de Cabedelo, previsto para ocorrer de forma imediata.

De acordo com o secretário de Saúde Geraldo Medeiros durante entrevista à Rádio Correio FM, Cabedelo não estaria preparada para suprir a demanda de novos casos da covid-19 que podem vir a surgir com o retorno das aulas.

“Cabedelo é um ponto de alta propagação do vírus, além disso não dispõe de nenhum leito de UTI e o aumento da propagação e do número de casos novos confirmados em Cabedelo refletirá não em Cabedelo, mas em João Pessoa uma vez que não existe estrutura de atendimento médico na cidade.

PB Agora

 

 

Padrasto é preso suspeito de abusar de enteada de 10 anos, em Cabedelo

Mais um caso de abuso contra criança, foi registrado na noite de ontem (25), onde uma mulher denunciou o companheiro após encontrar imagens suspeitas no celular da filha de 10 anos de idade. Ela procurou a Guarda Civil Metropolitana (GCM) de Cabedelo, na Grande João Pessoa, para denunciar o homem de 34 anos por estupro.

O suspeito foi levado para a central de flagrantes em João Pessoa, no bairro do Geisel, Zona Sul. O conselho tutelar da região também foi acionado e acompanhou a mãe e a criança até a delegacia.

De acordo com informações colhidas na Central de Polícia, o suspeito é ex-presidiário. Ele teria envolvimento com o tráfico de drogas no Jardim Manguinhos, em Cabedelo. A menor teria relatado que os abusos estariam acontecendo há muito tempo. A mãe da criança afirma que está com o suspeito há cerca de 5 anos.

Já o padrasto diz que se separou da mãe da criança e ela estaria tentando o incriminar para se vingar. Ele informou que já estava em um outro relacionamento e nega as acusações.

pbagora

 

 

Retomada do comércio em Cabedelo inclui reabertura de lojas, bares, restaurantes, salões de beleza e academias a partir de segunda-feira

O prefeito de Cabedelo, Vitor Hugo, anunciou a reabertura do comércio e serviços marcada para segunda-feira (29). O município terá reabertura de lojas de comércio varejista e atacadista, bares e restaurantes, academias e salões de beleza.

Segundo o prefeito, essa retomada ocorre “mediante a todo protocolo de segurança que está disponível no site da Prefeitura de Cabedelo”. “Cabedelo vive esse novo normal mediante a números de estabilização da doença. Chegamos no platô. Cabedelo começa a sua curva de descendência. Há mais de 15 dias, não tivemos nenhum óbito na nossa cidade. E o número de recuperados passou dos 80%. Então Cabedelo, a partir de segunda-feira, começa a viver o seu novo normal.”

Poderão funcionar, a partir do dia 29 de junho, os seguintes segmentos e com as seguintes condições:

– comércio de varejo com 50% da capacidade de funcionamento;

– comércio atacadista com 70% da capacidade de funcionamento;

– construção civil com 100% da capacidade de funcionamento;

– bares e restaurantes com 30% da capacidade de funcionamento;

– academias e salões de beleza somente com horário marcado.

clickpb

Mulher tenta matar companheiro durante o sexo em motel de Cabedelo

Uma mulher foi presa em flagrante após tentar matar seu companheiro durante uma relação sexual em um motel de Cabedelo, na região metropolitana de João Pessoa, na tarde deste sábado (23), utilizando uma taça de vidro.

A suspeita foi levada à delegacia, enquanto o homem encaminhado ao Hospital de Emergência e Trauma após ter perdido muito sangue em decorrência dos cortes muito profundos.

 

Foto: Águia
paraiba.com.br

 

 

Isolados, tripulantes de navio com suspeita de Covid-19 são testados no Porto de Cabedelo

Agentes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e técnicos da Secretaria de Saúde de Cabedelo embarcaram nesta tarde no navio petroleiro Stena Premium, que está atracado no Porto de Cabedelo, para realizar testes de Covid-19 nos 26 tripulantes da embarcação. Eles estão isolados após dois apresentarem febre, um dos sintomas da Covid-19.

O navio veio da cidade de Guamaré, no Rio Grande do Norte. Os tripulantes passam por testes rápidos de diagnóstico para o novo Coronavírus.

Caso haja a confirmação de algum caso da Covid-19, a pessoa será desembarcada e encaminhada para os serviços de saúde e o navio seguirá em quarentena, como determina o plano estabelecido.

 

Portal WSCOM

 

 

Motoristas abandonam carros e trocam socos na BR-230 após colisão em Cabedelo

Após um acidente, em um dos retornos da BR-230, no trecho da Mata da Amém um motorista partiu para a violência contra o condutor que vinha atrás. A briga em plena rodovia foi registrada por uma das pessoas que presenciaram a cena, flagrada na tarde desta terça-feira (10). A confusão deixou o trânsito parado para quem precisava pegar o retorno.

Muitos motoristas desceram de seus veículos para tentar ajudar, mas a briga ainda durou. No vídeo é possível ver a confusão que teve socos, empurrões e golpes semelhantes aos de um ring de luta.

Ainda não se sabe quem teria começado a confusão. Mas segundo populares que estavam no local, a briga foi iniciada pela provocação do motorista que vinha conduzindo o carro da frente.

clickpb

 

Provas objetivas do concurso da Prefeitura de Cabedelo são adiadas

A empresa EducaPB, responsável pela organização do concurso público da Prefeitura de Cabedelo, divulgou um edital com o adiamento nas datas de aplicação dos exames intelectuais nos dias 15 e 22 de março deste ano.

De acordo com o edital, as provas serão aplicadas nos turnos da manhã (8h30 às 12h30) e tarde (14h30 às 18h30). O Cartão Informativo do candidato, com os locais das provas, estará disponível a partir do dia 4 de março de 2020, no site do EducaPB.

Na manhã do dia 15 fazem as provas os candidatos para os cargos de Agente Comunitário de Saúde, Agente de Combate às Endemias, Auxiliar em Saúde Bucal e Cuidador da Educação Inclusiva. No turno da tarde é a vez dos candidatos para os cargos de Guardas Metropolitano (Feminino e Masculino), Intérprete de Libras e Técnico em Auditoria de Controle Interno.

Já em 22 de março, no turno da manhã, fazem as provas os candidatos para os cargos de Auditor de Controle Interno, Bibliotecário e Professor de Educação Básica I. Na tarde do mesmo dia, será a vez dos concorrentes aos cargos de Agente de Trânsito e Professor de Educação Básica II: Artes Visuais, Ciências, Educação Física, Geografia, História, Inglês, Matemática e Português.

No total, 24.717 pessoas se inscreveram para disputar as 276 vagas ofertadas no concurso. Os cargos com maior número de concorrentes são os para Técnico em Auditoria de Controle Interno (1.195 por vaga), Agente de Combate a Endemias (535 por vaga ) e Auditor de Controle Interno (397 por vaga).

Foram oferecidas vagas para as seguintes funções: Agentes de Trânsito, Guarda Civil Metropolitana: Professores de Educação Básica I, Professores de Educação Básica II (Português, Matemática, História, Geografia, Ciências, Inglês, Artes Visuais, Educação Física), Intérprete de Sinais, Cuidados da Educação, Agente Comunitário de Saúde, Agente de Endemias, Bibliotecário, Auxiliar Bucal, Auditor de Controle Interno e Técnico em Auditoria de Controle Interno.

paraiba.com.br

 

 

Justiça suspende concurso público da Prefeitura Municipal de Cabedelo

A Justiça suspendeu, nesta quinta-feira (9) o concurso aberto pela Prefeitura Municipal de Cabedelo. O certame oferece 276 vagas e o período de inscrições teve início no último dia 6 de janeiro.

De acordo com o despacho, as inscrições estão suspensas até que seja realizada a correção do edital, no que se refere a previsão de vagas para pessoas com deficiência física para o cargo de Gurda Civil Metropolitano no mínimo legal, ou promover a justa adequação, justificando a impossibilidade de candidatos com deficiência concorrerem às vagas.

O certame estará suspenso por 90 dias para que seja feita a correção.

O concurso

O Concurso prevê vagas para as seguintes funções: Agente Comunitário de Saúde, Agente de Endemias, Agente de Trânsito, Auxiliar de Saúde Bucal, Cuidador da Educação Inclusiva, Guarda Civil Metropolitana, Interprete de Libras, Técnico em Auditoria de Controle Interno, Auditor de Controle Interno, Bibliotecário, Professor Educação Básica I, Educação Física, Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Artes Visuais, História, Geografia, Ciências e Matemática.

Para os cargos de Nível Superior, as inscrições custam R$ 40,00; para nível Médio, R$ 30,00; e para os níveis Médio/Técnico, R$ 15,00.

Confira o edital, clicando aqui.

 

PB Agora