Arquivo da tag: Bayeux

Vice-prefeito de Bayeux vira alvo de ameaça de morte

O vice-prefeito da cidade de Bayeux, Adriano Martins, do MDB, está sendo alvo de ameaça de morte após ter revelado, publicamente, ter sido traído pela ex-mulher, com um policial militar. A revelação foi confirmada pelo advogado Aécio Farias, que defende o político nas questões jurídicas

O advogado contou que a ameaça era para que o vice-prefeito não revelasse o suposto caso de infidelidade.

O nome do vice-prefeito Adriano Martins virou foco do noticiário na região metropolitana desde da última quinta-feira (17) quando ele, em um programa de rádio relatou a suposta traição da esposa. O vice-prefeito Adriano Martins (MDB) compartilhou detalhes com os ouvintes.

A princípio ele disse que tanto ele quanto a esposa eram candidatos e estavam em campanha. Ele se candidatou em Bayeux, já ela em Caldas Brandão. Segundo Adriano, a esposa solicitou a contratação de um policial.

“Eu estava na minha campanha, naquela luta toda em Bayeux, mas a gente mora no Cajá (distrito do município de Caldas Brandão). Minha esposa era candidata e ela disse que tinha que contratar um policial para fazer algumas investigações e já algum tempo eu estava desconfiado desse cara, mas aí eu fui relevando”, disse.

Adriano revelou que no último final de semana presenciou a esposa falando com ele ao telefone e questionou o contato.

“Quando foi sábado eu estava em casa e esse cara ligou para ela. Eu perguntei: a campanha passou e o que esse cara quer ligando para você? Ela disse que ia acontecer uma operação, uma apreensão e ele estava passando as coordenadas de como seria”, relatou.

No entanto, uma revelação estava por vir. Segundo o vice-prefeito, a suposta atual companheira do policial entrou em contato com ele denunciando que uma traição estaria acontecendo. A mulher, segundo o político, mencionou conversas e até fotos íntimas.

“Quando foi ontem a esposa dele ligou para mim, disse que tinha clonado o telefone dele e viu fotos íntimas e áudios comprometedores dizendo que planejavam morar juntos no mês de março. E eu dentro de casa feito um corno, sem saber de nada que estava acontecendo”, narrou.

Adriano lamentou ter ficado sabendo das coisas dessa forma e disse que chegou a dar assistência e abrir a porta da própria casa para o pivô da suposta traição.

“Nos dias que antecederam a campanha ele dormiu em uma casa em frente à minha. Eu paguei a diária para ele. Ele tomou café na minha casa. As conversas agora estão aparecendo, as pessoas dizendo que viram ela acompanhada dele em Mari, em Itabaiana. Foram 10 anos de casados e uma filha de 6 anos”, completou.

 

pbagora

 

 

Homem morre eletrocutado dentro do seu estabelecimento comercial em Bayeux

Um homem morreu nessa terça-feira (22), após sofrer uma descarga elétrica dentro do seu estabelecimento comercial, em Bayeux, na Grande João Pessoa. A vítima foi encontrada por um amigo que chegou ao local no momento do acidente.

Segundo a testemunha, o homem estava desacordado no choque e ao tocar nele também levou um choque e percebeu que ele estava agarrado em um fio.

O amigo desligou o fio da tomada e acionou o Samu, porém ao chegar no estabelecimento, a vítima já havia sido encaminhada para a UPA de Bayeux, mas não resistiu aos ferimentos.

pbagora

 

Luciene de Fofinho é eleita prefeita de Bayeux em eleição indireta

Em eleição indireta realizada na tarde desta quarta-feira (19) na Câmara Municipal de Bayeux, a vereadora Luciene de Fofinho (PDT) foi eleita prefeita do município. Luciene conquistou 13 votos, contra apenas 1 em favor do prefeito interino Jefferson Kita. O vereador Adriano Martins passa a ser o vice-prefeito do município

Luciene fica no cargo até o dia 31 de dezembro deste ano.

Eleições

Após manobras e decisões judiciais, finalmente as eleições indiretas para Prefeitura de Bayeux aconteceram. O pleto foi determinado pela justiça após a renúncia ao cargo pelo prefeito afastado Berg Lima.

PB Agora

 

 

Decisão judicial determina que Câmara de Bayeux realize eleição indireta para prefeitura

Uma decisão judicial da 4ª Vara Mista de Bayeux, em pedido feito em Mandado de Segurança pelo vereador Adriano da Silva Nascimento, conhecido como Adriano do Táxi (PSL), determinou que a Câmara de Vereadores de Bayeux faça eleições indiretas para escolha do prefeito da cidade que deve assumir o cargo até o fim de 2020. A decisão do juiz Francisco Antunes Batista foi publicada nesta segunda-feira (3). A renúncia do prefeito eleito Berg Lima (PR) abriu a possibilidade de uma eleição indireta.

O pleito estava suspenso por decisão da Mesa Diretora da Câmara, ocorrida no dia 28 de julho, quando houve supressão do trecho da Lei Orgânica que previa novas eleições em caso de vacância nos cargos de prefeito e vice nos últimos seis meses do mandato. O vereador que assina o mandado de segurança na época reclamou que se tratava de uma manobra.

Na sentença judicial, o juiz Francisco Antunes Batista considerou a decisão da Mesa Diretora da Câmara de Bayeux como ilegal. A própria justiça havia determinado a eleição indireta após renúncia de Berg Lima.

“Defiro a liminar, em tela, para suspender os efeitos do Ato da Mesa nº 09/2020 em razão da gritante ilegalidade, determinando-se, por conseguinte, a deflagração do Processo de Eleição Indireta, no prazo já estabelecido na Decisão Judicial proferida no Proc-0801490-13.2020.8.15.0751, sob pena de autuação do Impetrado por crime de desobediência e demais medidas legais cabíveis na espécie”, determinou o juiz.

A discussão sobre a resolução do problema da Prefeitura de Bayeux começou com a renúncia do prefeito Berg Lima. Pela regra em vigor, deveria ocorrer novas eleições em 30 dias. Houve discordância por parte do grupo ligado a Jefferson Kita (Cidadania), que passou a ocupar o cargo de prefeito interino desde 21 de maio, após Berg Lima ser afastado da função por decisão judicial.

O argumento dos vereadores que apoiam Kita é de que o texto em vigor, que exigia eleições municipais indiretas 30 dias após renúncia de Berg Lima, nunca foi publicado no Diário Oficial do Município e, por isso, não teria valor. Ao analisar o caso, o magistrado não acatou os argumentos.

“Caso o Administrador da Câmara Municipal pudesse anular as leis por ele consideradas como ilegais ou ilegítimas, a forma de votação e aprovação das leis pela Casa Legislativa se tornaria letra morta, já que a Mesa Diretora da Câmara passaria a ser um órgão superior ao Plenário, contrariando assim o que preconiza o art. 73 do Regimento Interno da Câmara”, explicou o magistrado

Com a decisão judicial publicada nesta segunda-feira, a nova eleição para prefeito de Bayeux, que vai ocupar o cargo até 31 de dezembro 2020, de forma indireta na Câmara de Vereadores, terá que ser realizada até o dia 14 de agosto. Cabe recurso da decisão.

G1

 

Partes humanas encontradas na Ponte do Baralho, entre João Pessoa e Bayeux, são de pelo menos quatro pessoas, diz delegado

As partes humanas encontradas na manhã desta quarta-feira (29), em sacos plásticos jogados na Ponte do Baralho, que fica entre João Pessoa e Bayeux, são de pelo menos quatro pessoas, segundo revelou ao ClickPB, o delegado de Crimes contra a Pessoa, Diego Garcia. Nos sacos havia cinco pernas e algumas delas envolvidas por gases e etiquetas.

Os sacos foram encontrados por ribeirinhos da localidade que ligaram para as polícias para apuração da ocorrência. “Como não se trata de um homicídio, o caso será investigado por uma delegacia competente”, frisou. Uma das linhas de investigação é que se trata de um descarte irregular de uma unidade hospitalar, mas isso só poderá ser constatado após investigações da Polícia Civil.

Segundo o delegado Diego Garcia, nos sacos havia pelo menos cinco pernas humanas amputadas. “Ainda não sabemos muitas informações, mas a princípio é de que as partes são de pelo menos quatro pessoas”, revelou.

Em algumas das partes havia etiquetas com nomes, o que pode indicar ser de membros amputados em unidade hospitalar. No entanto, tudo ainda vai ser apurado. O material foi levado para o Instituto de Polícia Científica (IPC), da Capital. É importante destacar que o descarte irregular é proibido conforme a Política Nacional de Resíduos Sólidos e o Código Penal.

 

clickpb

 

 

Berg Lima renuncia ao cargo de prefeito de Bayeux

O prefeito afastado de Bayeux, Berg Lima, protocolou na manhã desta terça-feira (14), na Câmara Municipal da cidade, o seu pedido de renúncia.

Berg Lima já estava tentando renunciar desde ontem, quando chegou a ir à Câmara Municipal para isso, mas foi informado que o expediente já havia sido encerrado.

No Instagram, ele publicou uma carta aberta ao povo de Bayeux. Veja na íntegra:

Carta aberta ao povo de Bayeux

Tive a honra e a felicidade de ser escolhido pelo povo de Bayeux para servir minha cidade na condição de prefeito. Por outro lado, desde então, as forças e os poderes que sempre tiveram interesses e dominaram a cidade sem cuidar do povo não se conformaram com a legítima decisão que cada cidadão e cidadã de Bayeux tomou nas urnas em 2016 através dos 33.437 votos.

Vitima de uma armação jamais vista, fui afastado, perseguido, passei por uma verdadeira provação ao lado da minha família e dos poucos que querem realmente o bem da nossa cidade e da nossa gente. O justo prevaleceu e retornei à missão que me foi confiada pelo povo de Bayeux. Trabalhei dia e noite para honrar a confiança de cada cidadão, ainda mais quando tivemos que enfrentar bravamente uma pandemia sem precedentes.

Entretanto, ver Bayeux bem cuidada e no caminho certo incomoda muita gente, ainda mais em ano eleitoral. Arrumaram qualquer motivo para, numa clara perseguição pessoal, me afastarem mais uma vez e entregar a cidade na mão dos meus oportunistas algozes, verdadeiros tiranos que não guardam qualquer compromisso com nossa gente, numa trama medíocre e repugnante.

Não resta qualquer dúvida que há uma cruzada contra a minha pessoa e que essas pessoas não descansarão enquanto não tirarem da mão do povo o direito de escolher seu prefeito.

Não temo qualquer um deles, tampouco me acovardo na luta, mas minha missão maior sempre foi com o povo da minha amada Bayeux. Essa perseguição injusta e covarde já causou muito mais mal à nossa cidade até que a mim mesmo.

Sendo assim, para tentar dar à minha amada Bayeux uma última esperança de ter paz e poder seguir caminhos melhores, renuncio, em caráter irrevogável e irretratável, com muita dor, ao cargo que com muita honra recebi do povo para que o alvo passe a ser apenas eu e nosso povo e nossa cidade possam ter tempos melhores.

Cristão convicto, relevo as injustas acusações e perseguições assacadas contra mim, entregando nas mãos do Nosso Pai Celestial o Julgamento Maior e Final.

Bayeux- PB, 13 de julho de 2020.

clickpb

 

Sogro e genro são mortos a tiros durante discussão em Bayeux

No final da manhã desta quarta-feira (27), dois homens foram assassinado com vários tiros, na comunidade conhecida como “Matadouro”, no bairro do Sesi, em Bayeux.

De acordo com informações policiais, os familiares das vítimas informaram que genro e sogro estavam conversando em frente de casa com mais dois conhecidos quando houve uma discussão e logo em seguida os disparos.

Diligências estão sendo realizadas no intuito de prender os suspeitos do crime.

PB Agora

 

 

Justiça aceita nova denúncia do MP e determina afastamento do prefeito de Bayeux, PB

A Justiça aceitou nesta quarta-feira (20), durante uma sessão por videoconferência, uma nova denúncia feita pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) e determinou o afastamento do prefeito de Bayeux, Berg Lima (sem partido), na ação onde é acusado de contratar servidores fantasmas para a prefeitura de Bayeux em 2017.

A decisão, que teve como relator o desembargador Joás de Brito, aceitou em parte a denúncia do MPPB e descartou o pedido da prisão preventiva, apesar de aceitar o pedido de afastamento para “garantia da ordem pública e do erário municipal”, uma vez que o afastamento cautelar se dá quando fica demonstrado na denúncia que a permanência do denunciado no cargo pode “reiterar condutas ilícitas” e atrapalhar o andamento do processo.

Todos os desembargadores presentes acompanharam o relator na decisão de aceitar a denúncia, mas apenas a desembargadora Maria das Graças foi contra à decisão de afastar Berg Lima do cargo.

A denúncia foi formalizada pelo MPPB no dia 17 de dezembro de 2018 e formalizada na Justiça dois dias antes de Berg Lima reassumir a prefeitura de Bayeux. Berg já havia sido preso anteriormente após ser flagrado em um vídeo cobrando suposta propina de um empresário fornecedor da prefeitura de Bayeux. O pagamento seria para Berg liberar ao empresário o crédito de R$ 77 mil referente a um contrato celebrado na gestão anterior.

Berg Lima, prefeito de Bayeux — Foto: Divulgação/Prefeitura de Bayeux

Berg Lima, prefeito de Bayeux — Foto: Divulgação/Prefeitura de Bayeux

Além do prefeito de Bayeux, outras 20 pessoas, que seriam os servidores fantasmas, também foram denunciadas. Berg é acusado de desviar recursos públicos a partir de um suposto esquema de contratação de servidores fantasmas. Ele teria se apropriado de bens ou rendas públicas, ou desviá-los em proveito próprio ou alheio.

A denúncia, assinada pelo subprocurador-geral de Justiça, Alcides Jansen, diz que cada salário pago aos ‘fantasmas’ é um crime diferente e, por conta disso, ele pede à Justiça que Berg seja denunciado 128 vezes no crime.

De acordo com o decreto-lei 201/1967, as penas para esses casos vão de 2 a 12 anos de reclusão, o que significa que em caso de condenação Berg poderá pegar de 256 anos até 1.536 anos de prisão. A condenação também acarretaria na perda do cargo.

“Berg Lima orquestrou um esquema espúrio de distribuição de cargos no âmbito da administração pública municipal, cujo modo de agir apontava para um verdadeiro loteamento de cargos, ocupados por aliados políticos e seus indicados que não desempenhavam regularmente suas funções, ou seja, recebiam salário sem a correspondente contraprestação do serviço público”, diz o procurador.

Os fatos relatados no processo foram externados inicialmente pelo ex-secretário de Indústria e Comércio Ramonn Acioli. Ele identificou as irregularidades, ao perceber uma enorme diferença entre os servidores que trabalhavam e os que estavam na folha de pagamento. Outros secretários identificaram o mesmo problema, mas Acioli foi mais incisivo, cobrou uma posição do prefeito e não tendo uma resposta acabou pedindo exoneração.

De acordo com o Ministério Público, com os pagamentos feitos aos 20 servidores fantasmas, Berg desviou um montante superior a R$ 310, 2 mil dos cofres das prefeituras.

G1

 

MPPB pede afastamento imediato de Berg Lima da prefeitura de Bayeux

A promotora Maria Edligia Chaves Leite, do Ministério Público da Paraíba em Bayeux, pediu na Justiça o cumprimento da sentença contra o prefeito Berg Lima (PL), para que ele seja afastado do cargo. Segundo ela, o político “teve a oportunidade de voltar ao cargo e continuou mantendo uma administração irregular”. Ela ainda acrescentou que “o gestor não tem condições de lidar com o dinheiro público”. As informações foram divulgadas nesta terça-feira (10).

Na ação, o Ministério Público pede que o afastamento de Berg Lima seja comunicando imediatamente à Câmara de Vereadores de Bayeux para dar posse ao substituto legal.

Segundo a promotora, as causas para o afastamento ficaram mais claras na semana passada, após o julgamento de uma ação de improbidade em segunda instância. Maria Edligia afirmou que estão comprovados, judicialmente, a culpa e a intenção no cometimento do ato de improbidade administrativa, o que acaba motivando o afastamento de Berg Lima.

Na ação, a promotora narra toda a trajetória do caso que culminou, inclusive, com a prisão em flagrante de Berg por recebimento de propinas, executada pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público da Paraíba (MPPB), em julho de 2017. Posteriormente, essa ação resultou em uma denúncia e uma ação de improbidade administrativa, resultando no afastamento do político do cargo de prefeito.

O pedido do MPPB foi divulgado no mesmo dia em que a Câmara Municipal de Bayeux aprovou uma intervenção estadual na administração municipal. O procedimento ainda vai ser encaminhado ao governador João Azevêdo (Cidadania), a quem cabe a decisão final.

G1

 

Câmara de Bayeux aprova pedido de intervenção na Prefeitura; decisão final é do governador

Por 10 votos a favor e 7 contra a Câmara Municipal de Bayeux aprovou, nesta terça-feira (10), o pedido de intervenção do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB) na Prefeitura Municipal de Bayeux, atualmente administrada por Berg Lima.

A decisão da Câmara será encaminhada ao governador João Azevêdo (sem partido) que, por sua vez, é quem vai decidir se acata ou não o pedido da Corte de Contas.

O prefeito Berg Lima responde processo por recebimento de propina e já chegou a ser preso pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual. Ele foi filmado recebendo dinheiro de um empresário.

Paulo de Pádua