Arquivo da tag: atentado

Delegado descarta tentativa de homicídio contra Nilvan Ferreira após candidato ter denunciado atentado

O delegado Pedro Ivo, responsável por investigar o suposto atentado contra o candidato a prefeito de João Pessoa, Nilvan Ferreira, afirmou ao ClickPB que não houve tentativa de homicídio contra o candidato. Segundo ele, a investigação já está bem adiantada e deve ser concluída até o fim dessa semana.

Pedro Ivo explicou que assim que a denúncia foi feita por Nilvan Ferreira, pessoas que acompanhavam o candidato e estavam presentes na ocorrência prestaram depoimento. Essas testemunhas explicaram que houve um desentendimento com um motorista que queria passar pelo local onde o candidato fazia uma ação de campanha adesivando carros. Uma pessoa que estava dentro do carro teria sacado uma arma.

O proprietário do veículo, que era quem dirigia na hora, foi localizado por meio da placa, que havia sido identificada por meio de imagens de câmeras de trânsito. Ele confirmou que o acompanhante, um capitão da Polícia Militar de Mamanguape, sacou uma arma, mas afirmou que ele só fez isso porque uma pessoa que acompanhava Nilvan Ferreira mostrou uma arma primeiro.

”Talvez tenha sido alguém que trabalhava na segurança do candidato, se é que essa arma existia, ainda estamos investigando se existia mesmo essa pessoa armada”, comentou o delegado. Pedro Ivo informou que, caso não houvesse ninguém armado no local, o policial pode responder por ameaça, mas caso a versão dele se confirme, não se configura crime porque houve equivalência nas atitudes das duas partes.

O delegado disse que já enviou um ofício para a Polícia Militar de Mamanguape para solicitar o depoimento do policial envolvido.

De qualquer forma, Pedro Ivo ressaltou que a confusão ocorreu entre os ocupantes do carro e o grupo que participava da ação de Nilvan e não houve nenhum tipo de atentado direcionado ao candidato.

”Depois do que houve na última campanha, especialmente com o presidente Jair Bolsonaro, quando há uma situação dessa se pensa logo em uma tentativa de homicídio contra o candidato, mas isso está descartado”.

 

clickpb

 

 

Homem é baleado no pescoço e nas costas durante atentado em Santa Rita

Um homem foi baleado no município de Santa Rita, na região metropolitana de João Pessoa. O crime aconteceu na noite deste domingo (13).

A vítima foi atingida nas costas e no pescoço. O ferido foi socorrido até o hospital. O estado de saúde não foi divulgado.

O motivo e o autor do crime não foram revelados. Nenhum suspeito foi detido até a noite deste domingo.

 

clickpb

 

 

Após atentado em Suzano, Rodrigo Maia diz que flexibilizar porte de arma seria ‘barbárie’

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia  (DEM-RJ), chamou de “barbárie” a ideia de se flexibilizar o porte de armas em áreas urbanas ao comentar o ataque realizado em Suzano por atiradores armados dentro de uma escola . Ele começou sua fala questionando a ampliação da liberação do porte e ironizando quem estivesse defendendo que se os professores estivessem armados a tragédia seria reduzida.

— O porte não deve ser tão liberado assim. O que eu espero é que alguns não comecem a dizer que se os professores estivessem armados ia resolver o problema, pelo amor de Deus — disse Maia.

 

O Globo

 

 

Com 189 mortos, Somália tem pior atentado de sua história

O número de mortos na explosão de um caminhão-bomba em frente a um hotel no centro de Mogadíscio, capital da Somália, no último sábado (14), subiu para 189, o que faz desse ataque o mais mortal já realizado no país.

Os médicos ainda lutam para salvar os mais de 200 feridos no atentado, muitos deles queimados além da possibilidade de reconhecimento. As autoridades locais ainda temem que o balanço da explosão continue se agravando, mas, segundo a “Associated Press”, oficiais não estão autorizados a conversar com repórteres.

O ataque ocorreu em frente ao hotel Safari, que fica perto de ministérios do governo somali e em uma rua bastante movimentada de Mogadíscio. O prédio foi amplamente destruído pela explosão. “Em nossos 10 anos de experiência em primeiros socorros em Mogadíscio, nunca tínhamos visto algo assim”, diz uma mensagem postada no Twitter pelo serviço de ambulâncias da capital.

O presidente Mohamed Abdullahi Mohamed declarou três dias de luto e se juntou às milhares de pessoas que responderam aos apelos desesperados dos hospitais por doações de sangue. “Estou implorando ao povo somali para que doem”, afirmou o mandatário.

Segundo o diretor do Hospital Medina, Mohamed Yusuf, citado pela “AP”, o local está sobrecarregado de mortos e feridos. “Recebemos pessoas cujos membros foram arrancados pela bomba. É realmente horrível, nunca tínhamos visto algo assim”, acrescentou.

De acordo com o Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, pelo menos quatro voluntários estão entre as vítimas. “O balanço pode aumentar porque ainda há muitos voluntários desaparecidos”, diz um comunicado da entidade.

A explosão ainda não foi reivindicada, mas o governo culpa o grupo fundamentalista islâmico somali Al Shabab, que vem aumentando suas ações no centro e no sul do país nos últimos meses. A milícia está em guerra contra o Exército e os mais de 20 mil homens enviados pela União Africana, que contam com o apoio de drones dos Estados Unidos.

O atentado ocorreu dois dias depois de um encontro em Mogadíscio entre o presidente da Somália e expoentes do comando dos EUA na África. Além disso, três dias atrás, o governo perdeu dois membros de seu alto escalão, o ministro da Defesa Abdirashid Abdullahi Mohamed e o chefe das Forças Armadas Ahmed Jimale.

Situado no Chifre da África, o país é um dos mais vulneráveis do mundo por causa da pobreza disseminada, da atuação de milícias terroristas e da instabilidade política. Em março passado, o governo somali chegou a declarar estado de calamidade nacional por causa da fome.

Terra

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Atentado deixa ao menos 22 mortos e 70 feridos em mesquita no Paquistão

atentadoA explosão de uma bomba  perto de uma mesquita deixou ao menos 22 mortos e cerca de 70 feridos nesta sexta-feira (31) na cidade de Parachinar, no Paquistão, próximo à fronteira com o Afeganistão. Pelo menos cinco pessoas estão em situações críticas e correm risco de vida.

De acordo com Ikramullah Khan, uma das autoridades envolvidas na investigação sobre o atentado no Paquistão , a principal suspeita até o momento é de que as bombas estavam em um carro estacionado próximo à entrada da mesquita destinada às mulheres. A explosão teria sido deflagrada por controle remoto, pouco antes das orações desta sexta-feira, segundo informações da TV   Al Jazeera .

O principal grupo talibã do país, a facção armada Tehrik-i-Taliban Paquistão (TTP), assumiu a autoria do ataque, informando que a explosão faz parte da chamada “operação Ghazi”, uma espécie de homenagem a um dos líderes do grupo morto em 2007 pelas forças de segurança paquistanesas.

O Exército enviou helicópteros para a área com o objetivo de resgatar os feridos. O primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif, condenou o ataque e reiterou sua determinação para acabar com o terrorismo. A informação é da agência EFE.

“A rede de terroristas foi quebrada e é nossa obrigação nacional continuar esta guerra até a completa aniquilação do terrorismo em nosso solo”, afirmou Sharif. O atentado de hoje aconteceu depois de uma série de ataques com cerca de 130 mortos nos primeiros 15 dias de fevereiro.

Cena recorrente

A cidade de Parachinar é a capital do distrito de Kurram, que fica no noroeste do país e a cerca de 275 quilômetros de distância da capital, Islamabad.

Principal TV do mundo árabe, a Al Jazeera relata que a região tem sido palco de seguidos atentados contra os religiosos de orientação muçulmana xiita, que estão em grande número naquele local, mas representam a minoria no país em si.

Em janeiro deste ano, ao menos 25 pessoas morreram e 87 ficaram feridas durante explosão em uma espécie de ‘sacolão’ (grande mercado de verduras) em Parachinar. No mês passado, ainda, mais de 70 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas em explosões em um santuário no sul do Paquistão.

 

iG

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Atentado perto de estádio na Turquia deixa 29 mortos e 166 feridos

Um atentado terrorista nas imediações da Vodafone Arena, estádio do Besiktas, em Istambul (TUR), deixou ao menos 29 pessoas mortas e outras 166 feridas. A informação foi dada por Suleyman Soylu, ministro do Interior da Turquia, em entrevista coletiva nas primeiras horas deste domingo.

Dos mortos, 27 são policiais e seis dos feridos encontram-se sob cuidados intensivos.

O incidente aconteceu na noite deste sábado cerca de duas horas após vitória do Besiktas por 2 a 1 sobre o Bursaspor pelo Campeonato Turco. A maior parte do público havia deixado o local. Jornalistas da TV do Besiktas que faziam uma transmissão ao vivo se assustaram com o barulho, como pode ser visto no vídeo acima.

O primeiro ataque teria sido causado pela explosão de um carro-bomba nas imediações do estádio, às margens do Bósforo, e o segundo, por um suicida em um parque próximo

Segundo testemunhas que estavam próximas ao estádio e falaram com a agência de notícias AFP uma troca de tiros também pôde ser ouvida.

REUTERS/Murad Sezer

Policiais feridos ao lado do estádio do Besiktas

“Assistimos, esta noite, em Istambul, à manifestação mais horrorosa do terrorismo”, disse o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, por meio de comunicado oficial.

“Parece que essas explosões, que aconteceram logo após o jogo Besiktas-Bursaspor, tinham como objetivo causar o maior número possível de vítimas”, completou.

Até o momento, ninguém reivindicou a autoria dos atentados. As ruas próximas ao estádio estão interditadas.

Em entrevista ao jornal The Telegraph o funcionário de uma mesquita próxima à arena relatou o que viu na hora da explosão. “Foi como o inferno. As chamas subiram em direção ao céu. Eu estava bebendo café próximo à mesquita e vi pessoas indo para debaixo das mesas e mulheres começaram a chorar. Torcedores que estavam bebendo no café também procuraram abrigo. Foi horrível.

A Turquia tem sido alvo de vários ataques terroristas ao longo dos últimos anos e em julho houve a tentativa de um golpe militar.

REUTERS/Murad Sezer

Lataria retorcida após explosão na Turquia

O Besiktas emitiu uma nota oficial em seu site condenando os ataques.

“Após nossa partida contra o Bursaspor o terror mostrou de novo sua face e uma explosão ocorreu bem perto da nossa casa, a Vodafone Arena e de acordo com as primeiras informações nossas forças segurança foram o alvo. Os terroristas que não conhecem limites atacaram aqueles que fazem a segurança de nossos torcedores e dos adversários”, diz trecho do comunicado.

“Esperamos que os cidadãos feridos no ataque se recuperem rapidamente e que não haja sofrimento. Nós condenamos o terror e o ódio”.

Em seu site, o Bursaspor afirmou que todos seus torcedores já haviam deixado a região e não foram vítimas da explosão. O clube também recriminou o ocorrido e mandou mensagem de força aos feridos.

A União Europeia de Futebol (Uefa) enviou suas condolências às famílias das vítimas do atentado. “A Uefa quer expressar suas mais profundas condolências às famílias de todas as vítimas dos atentados desta noite em Istambul. A Uefa condena firmemente este horrível ato e envia seu apoio à Federação de Futebol da Turquia e aos clubes Besiktas e Bursaspor”, disse a organização europeia em seu comunicado.

Adriano não estava no estádio no momento da explosão

Segundo relato do lateral Adriano, que defende o Besiktas, os atletas só tomaram conhecimento das explosões quando já estavam em suas casas.

“Fiquei sabendo depois já de um tempo que tinha saído do estádio. Realmente a explosão foi onde geralmente saímos ali, e fiquei sabendo, como falei, quando já estava em casa jantando com a família. Estava junto com um amigo turco, que nos relatou o caso. Ficamos sabendo que tinham sido duas explosões, mas naquele momento só ficamos sabendo da explosão mesmo, nada sobre vítimas, nem se tinha alguma vítima. Sabíamos que tinha gente ferida. Com nós jogadores nada aconteceu, está todo mundo bem com as famílias”, disse o jogador por telefone ao Sportv.

Além de Adriano, outros três brasileiros defendem o clube turco: Anderson Talisca e Rhodolfo, que não estavam relacionados neste sábado, e o zagueiro Marcelo.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

“É um espetáculo de vergonha”, diz Maranhão sobre atentado à sede do PMDB

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O presidente estadual do PMDB da Paraíba e senador José Maranhão comentou na manhã desta segunda-feira (05), em entrevista ao Portal MaisPB, o atentado à sede do partido nesse domingo (04), durante uma manifestação contra o presidente Michel Temer (PMDB). O senador afirmou que o partido irá tomar providências judicialmente.

“Fica difícil a quem atribuir individualmente. Mas claro que é um espetáculo de vergonha, de intransigência política. Não condiz com a política da Paraíba. Nós temos as imagens das câmeras e vamos processar criminalmente os responsáveis pelo ato”, concluiu.

A sede estadual do PMDB da Paraíba, localizada na avenida José Américo de Almeida, voltou a ser alvo de vandalismo e protesto pela terceira vez, desde o início do processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Atentado a bomba em casamento deixa mortos e feridos na Turquia

Reuters
Reuters

Ao menos 22 pessoas morreram e 94 ficaram feridas em um atentado a bomba durante um casamento na noite deste sábado (20) em Gaziantep, no sudeste da Turquia, anunciou o governador da região, Ali Yerlikaya, na emissora CNN Turk.

Segundo Ali Yerlikaya, foi um “atentado terrorista” cometido por um suicida. A cidade é próxima à fronteira com a Síria.

Também em entrevista à CNN Turk, o deputado Mehmet Erdogan, membro do partido governamental AKP e sobrinho do presidente turco Recep Tayyip Erdogan, confirmou a versão de um ataque com bomba.

O responsável pela explosão ainda não foi identificado, mas Mehmet Erdogan disse que é muito provável que tenha se tratado de um ataque suicida.

O deputado acrescentou que esse tipo de ataque costuma ser cometido pelo grupo Estado Islâmico (EI), ou pelos rebeldes curdos do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

Segundo a agência de notícias Dogan, a explosão, que aconteceu às 16h40 (no horário de Brasília), teve como alvo uma cerimônia de casamento ao ar livre.

“O objetivo do terror é atemorizar a população, mas não vamos permitir isso”, garantiu o vice-primeiro-ministro turco, Mehmet Simsek.

“Atacar um casamento é algo bárbaro”, declarou ele à televisão turca.

Localizada no norte da fronteira com a Síria, Gaziantep se tornou um importante centro de acolhida de sírios que fogem da guerra civil em seu país.

Depois de ter acolhido refugiados e ativistas da oposição, teme-se também a presença de extremistas.

Esta semana, o sudeste da Turquia foi alvo de três atentados que deixaram 14 mortos. O governo responsabilizou a guerrilha do Partido dos Trabalhadores do Curdistão, o PKK curdo.

O ataque ocorre no mesmo dia em que primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, declarou que a Turquia quer ser “mais ativa” na crise síria nos próximos meses.

“O derramamento de sangue deve acabar. Bebês, crianças, pessoas inocentes não devem morrer. Esta é a razão pela qual a Turquia será mais ativa na tentativa de impedir que [esta situação] piore nos próximos seis meses”. (Com agências internacionais)

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

‘Bolão do Atentado’ circula pelas redes sociais e gera polêmica: ‘desrespeitoso’

Um bolão bastante polêmico tem circulado pelas redes sociais. O “Bolão do Atentado” é um calendário de agosto, mês em que acontece a Olimpíada, com os dias dos jogos em destaque. No talão, uma frase estimula os palpites de quando ocorrerá um atentado terrorista: “Comente qual dia acha que vai ocorrer um atentado”.

Assim que a imagem começou a circular pelas redes sociais, os internautas se manifestaram sobre o suposto bolão. Houve usuários que achou engraçado: “não sei se rio,ou choro;ou desisto da humanidade”, escreveu um usuário. “BOLÃO DO A-TEN-TA-DO! Eis a forma mais autenticamente brasileira de combater o terrorismo: a esculhambação”, se pronunciou outro.

Outros usuários, porém, que ficaram irritados e se posicionaram contra a brincadeira. “Que tipo de bingo é esse? Apostando em terrorismo? Cadê o respeito com as famílias das vitimas do atentado de 20/08 na final do futebol masculino com 56 mortos?”, reclamou um. “Eu acho desrespeitoso”, se posicionou outro internauta.

A imagem, na verdade, é uma montagem feita pelo blog ‘Acid Black Nerd’. Em sua publicação original, a imagem estava vinculada a uma lista feita pelo blog de coisas que podem dar errado durante a realização dos Jogos Olímpicos. Além do atentado, o blog lista também roubo de medalhas, atletas saindo do Brasil com zika e vaias a políticos.

Imagem está circulando pelas redes sociais e gerou polêmica

(Foto: Reprodução/Twitter)

pbagora

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Agência de inteligência confirma ameaça de atentado do EI ao Brasil

islanA Agência Brasileira de Inteligência (Abin) afirmou, na quarta-feira, que a ameaça de ataques terroristas no Brasil foi realmente postada por um membro do grupo Estado Islâmico. A mensagem foi publicada pelo Twitter uma semana após os atentados em Paris, em novembro de 2015, por um perfil que tinha como dono Maxime Hauchard, de 22 anos — terrorista francês que aparece decapitando sírios em vídeos do grupo. As informações são do portal Último Segundo.

A mensagem dizia: “Brasil, vocês são nosso próximo alvo. Podemos atacar esse país de merda”. A conta do terrorista na rede social já foi suspensa.

— Monitoramos e percebemos que o perfil realmente era do Maxime, um dos líderes do Estado Islâmico. A partir do momento da postagem houve uma maior intensidade nos discursos de agressividade dos autoproclamados seguidores do grupo terrorista no Brasil — afirmou o diretor de Contraterrorismo da agência, Luiz Alberto Sallaberry, na Feira Internacional de Segurança, que está sendo realizada no Rio de Janeiro.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

— Maxime é uma espécie de garoto-propaganda do Estado Islâmico. Saiu de um vilarejo no interior da França para a Síria, aos 18 anos, onde se integrou ao terrorismo. É o segundo na linha de comando de decapitadores e gosta de dizer que estar no grupo “é como estar no Éden” — descreveu o diretor a uma plateia de especialistas em segurança.

Segundo Sallaberry, no Brasil há um crescente nível de pessoas que dizem ter feito o juramento ao califado do Estado Islâmico, ou seja, concordantes com um grupo que deturpou os princípios da religião islâmica e utiliza a violência para expandir seu domínio territorial.

Os ataques dos chamados “lobos solitários”, pessoas que praticam ataques sozinhas, são a maior preocupação da agência para a Olimpíada no Rio de Janeiro. Dez delegações, entre elas dos Estados Unidos e Canadá, são classificadas pela agência com nível “muito alto” para ataques. O nível de ameaça da delegação brasileira é “alto”.

O monitoramento das redes sociais é uma das atividades da Abin para combater o terrorismo. Por razões de segurança, Sallaberry não divulga o número de pessoas que se dizem autoproclamadas e que são monitoradas.

 

Zero Hora